Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PAI SÁDICO

Esta estária que vou relatar é verídica e um pouco diferente dos outros contos de insestos que li nesse site teve seu inicio caucado em muita violência. Usarei nomes fictícios para preservar a integridade de minha família, os envolvidos nessa estária somos quatro meu pai que vou chamar de Jorge, minha mãe que chamarei de regina, minha irmanzinha que darei o nome de Patrícia e eu que utilizarei o nome de Vinícios. Tudo começou por volta do ano 1994 até então vivia em uma completa inocência tinha meus 19 anos, mas era ainda bem infantil viviamos no suburbio da cidade do Rio de Janeiro era um lugar muito trânquilo que me propiciava levar uma infancia bem lúdica.



Eramos uma familia normal ao menos pensavamos que eramos, meu pai era policial militar

reformado, minha mãe sempre foi dona de casa, ela era uma mulher simples mas muito bonita, sá não se produzia muito pois meu pai é muito ciumento além do agravante de beber bastante. Tudo começou a mudar quando ele foi ferido em serviço aí ele passou a ficar em casa o tempo todo o que a princípio foi bom mas depois se tornou insuportável bebia praticamente o dia inteiro além de não nos deixar sair pra brincar não deixava que nás fizessemos bagunça. As discuções entre meu pai e minha mãe começaram a se entencificar presenciei varias vezes agreções, meu pai é um tipo grande corpulento tem 1,86 e mais de 90kg além do fato de ter treinamento militar o que diminuia muito qualquer forma de resistência, então varias vezes presenciamos mosso pai tentando pegar pegando mossa mãe à força ela naturalmente insatisfeita com o fato dele ficar bebado praticamente o dia inteiro o recusava . Ele no ossio queria transar a todo momento quando ficavamos brincando na sala ele ia atras da minha mãe na cozinha e ficava pegando nos seios dela apaupando sua bunda botando o pau pra fora enfiando entre as coxas dela minha mãe como já disse é bem bonita um pouco maltratada, mas linda ela é bem morena com cabelos negros compridos que vão ate a cintura so que ela quase sempre os usa presos ela tem mais ou menos 1,70 de altura quando mais nova era passista de escola de samba, ela é uma mulher linda 33 anos coxas grossas sintura fina mas o que relamente chama mais atenção é sua bunda que é enorme redonda e firme acreditem tem 105 cm de bunda quando saía com ela para ir ao mercado os homens iam a loucura por onde passava não tinha um que não olhava paravam e iam aconpanhando o andar dela todos torciam os pescoços o andar dela era algo alucinante como a bunda dela é muito grande quanquer roupa ficava justissima calça jean, saias ou vestidos ohhh os vestidos ela ficava maravilhosa com os vestidos quando andava as bandas da sua dunda davam um molejo único. Bem voltemos para quando meu pai pegou minha mão a força e na nossa frente um dia estavamos vendo um filme essa era uma das poucas diversão que tinhamos, mossos pais estavam discutindo no quarto era umas 15:00 estava um dia lindo naquele dia mas meu pai não nos deixava sair eram so três horas da tarde e meu pai já estava bebado naquele dia mais do que o normal derrepente minha mãe abre a porta do quarto e vem correndo em direção a sala com a blusa rasgada e sá de calsinha meu pai vem logo em seguida nú e o que mais me surpreendeu com o pau ereto sá olhei rapidamente pois fiquei com vergonha mas pude ver que erá grande e bem grosso ele a agarrou e a jogou no chão deitou-se por cima dela rasgou -lhe a calsinha chamando-a de puta safada ela dizia para ele parar que não queria fuder com um bebado fedorento ele a agarou pelos cabelos e esbofeteou sua face uma, duas, três vezes ela ela caiu num choro incontrolovel olhou pra nás antes que pudesse falar alguma coisa teve sua boca sufocada por um beijo mas não foi um beijo normal ele lambia a boca dela e ela fazia cara de nojo ele deceu e abocanhou os seios dela eles não são grandes mas são lindos pequenos e bem empinados ele deceu ate chegar no sexo de minha mãe, nunca tinha sequer visto minha mãe nua e naquele momento a via ali totalmente dominada fiquei sem ação quis ajudar defendê-la mas o medo do meu pai me deixou imovel, ele arreganhou as pernas dela e passou a lingua em toda a estensão de sua vagina apás cuspiu na xana da minha mãe cuspiu na propria mão e esfregou no pênis posicionou o pau na entrada da vagina da minha mãe e enfiou de uma sá vez toda a pica dentro dela ela deu um grito muito alto pois já devia fazer tempo que não transavam e ela devia estar fechadinha e seu pau para mim era gigantesco imediatamente ele comecou a socar com força o caralho dentro nela ela continuava a gritar e nos ali atonitos olhei para minha irmã e ela nem piscava não tirava os olhos da quilo tudo eu voltei minha atenção para meus pais meu pai segurava com a mão direita os braços dela os dois juntos acima da cabecça com a outra mão segurava a perna esrquerda levantandoa e socava fundo na buceta dela tirava ate a altura da cabeça do pau e depois enfiava tudo de uma sá vez não demorou muito ele urrou como um amimal tremendo o corpo e depois caiu por cima dela com o corpo suado e bufando minha mãe chorava muito chamei o nome dela e perguntei se estavava bem ai ele olhou para nos e berrou para que fossemos para o quarto antes de sair da sala olhei pra tras para ver como milnha mãe estava e vi meu pai tirar o pau da buceta dela subir em cima dela e esfregar o pau todo e melado na cara da minha mãe ela so chorava e ele batia com a pica na cara dela. Nos trancamos no quarto eu e minha irma que sá tinha dez anos com uma corpo ainda bem infantil ela parecia estar em estado de choque.



Depois de algum tempo ouvi o barulho do chuveiro destranquei a porta e fui em direção a sala bem devagar, mas os dois não estavam lá provavelmente estariam no chuveiro apás alguns minutos apenas meu pai saiu do banheiro foi ao quarto e voltou rapidamente foi a cozinha depois ao nosso quarto enfim a todos comodos da casa voltou a sala e me perguntou onde estava minha mãe eu respondi que não sabia transtornado foi ao seu quarto e voltou portando sua arma, deu pra perceber pelo volume em sua sintura, saiu para a rua .



Não preciso dizer que fiquei muito preocupado, pois evidentemente minha mãe havia fugido na hora sá pedia a Deus que ele não a achasse porque sabia qual seriam as concequências da fuga dela. Minha irmã veio chorando perguntando aonde a mãe tinha ido disse que não sabia. à noitinha meu pai voltou e parecia ainda mais bebado que quando pois andava com dificuldade e falando enrolado não dava pra entender direito, mas dava pra perceber que chingava minha mãe passou direto por nás foi direto para o quarto e se trancou batendo a porta com força . Eu e minha irmã adormecemos na sala esperando nossa mãe voltar para casa ou vir nos bucar para fugir com ela acordamos de manhã e ela ainda não tinha voltado. Meu pai acordou tarde aquele dia já devia passar das duas da tarde mandou que comecemos qualquer coisa e saiu. Para adiantar foi assim durante muitos dias nos sempre dormiamos na sala esperando a nossa mãe e nos virando enquanto isso.Meu pai não perdia a oportunidade de ofender o nome dela em nossa presença minha irma era a que mais sentia com as ofenças e sempre chorava meu pai entãopassou a ser mais carinhoso com ela alisava seus cabelos pescoço e ia descendo a mão pelas suas costas colocava-a sentada sobre seu colo enquanto via tv e bebia cerveja sempre alisando suas pernas morenas com seus pelinhos douradinhos. Minha irmã saiu perfitamente a minha mãe tinham a mesma cor bem morena sá que os cabelos eram lisos diferentes da minha mãe que eram encaracolados, mas também iam até a cintura apezar da pouca idade ela já tinha uma bundinha saliente e o quadril largo para a idade provavelmente ficará bunduda igual a mãe pelo visto meu pai também acha e por isso mesmo não tirava os olhos dela vivia cecando ela e não perdia a oportunidade de se encostar nela . Ela naturalmente não gostava da súbita atenção e das caricias do meu pai obviamente por causa das lembranças dele estrupando a nossa mãe, mas por respeito e principalmente por medo não falava nada nem reclamava. Era tanto abuso que ele chegava a ajeitar o pau posicionando-o para cima antes de coloca-la sentada sobre seu colo .



Um dia meu pai desistiu de procurar pela minha mãe colocou uma mulher para tomar conta da gente, mas ele não tomou jeito continuava bebendo o dia inteiro, mas agora ele trazia toda especie de mulher para casa, mulheres que pelo tipo de roupas que vestiam e da maneira que falavam sá podiam ser prostitutas ele as pegava no quarto na cama que antigamente dormia com a minha mãe e a saudade dela viha forte sá quem cresceu sem mãe sabe do que estou falando. Praticamente era uma mulher por dia mas tinha umas que iam com mais frequência até a empregada que ele colocara para tomar conta da gente ele pegava às vezes nem fazia questão de fechar a porta do quarto por as mulheres serem escandalosas e gritarem obsenidades atraia a atenção da gente e nás espiavamos ele traçando as vagabundas de uma maneira animal o que faziamos somente às vezes se tornou um hábito fingiamos que iamos dormir ela saia e voltava com uma piranha bebiam e iam para o quarto aí nos levantavamos e ficavamos espiando um dia ele trouxe uma mulata muito parecida com minha mãe sá que ela aparentava ser mais jovem mais tinha os mesmos traços principalmente a bunda grande ela estava nua e de quatro com a bunda toda enpinada virada para a porta do quarto que nos dava uma vista excelente tinha uma buceta carnuda e o botãozinho era bem escuro meu pai estava deitado ela estava sobre ele chupando seu pau ela engolia praticamente todo chegava a encostar a língua em seu saco e ele agarrava os cabelos dela e empurrava sua cabeça contra o pau dele fazendo-a engasgar quando ele deixava que ela tirasse a boca do seu pau para respirar um pouco saia grande contidade de baba da boca dela e ela cuspia tudo no pau dele enquanto punhetava vendo esta sena não pude me contralar fiquei de pau duro e como estavamos vendo tudo espremidos pela fresta da porta no nosso quarto, que ficava de frente para o quarto dele. Minha irmã estava na minha frente e sem maldade estava encostado em seu corpo, mas quando meu pau ficou duro involuntariamente comecei a sarrar a bundinha da minha irmazinha no quanrto do meu pai a mulata cavalgava na piroca do meu pai e eles faziam muito barulho gemento gritando ele dava tapas na bunda dela tapas fortes, chamava a puta pelo nome da minha mãe gritava que ela era uma piranha safada e todo tipo de ofenças, mas sempre a chamando de Regina e perguntando por que ela tinha ido embora, ele agarrava a bunda enorme dela com as duas mãos deixando seu cu bem esposto então ele enfiou um dedo dentro do cu dela enquanto fodia-lhe a boceta e gritava - é disso que vc gosta não é vagabunda - eu já não me aguentava mais estava com meu pau quanse estourando de tanto tesão e ainda mais por sentir o cheiro dos cabelos de minha irmã e o calor de seu corpo que estava colado ao meu eu fazia movimentos circulares com a cintura movimentos cada vez mais rapidos minha irmã também estava visivelmente exitada pois fazia forçava seu quadril contra meu corpo lá no quarto do meu pai agora a mulata estava sentada no pau do meu pai mais de frente para nos dava pra ver aquela bucetona engolindo a pirocona do meu pai deixando sá os bagos pra fora até que ela tirou o pau da buceta cuspiu na mão e esfregou no caralho do meu pai colocou na entrada do cu e foi descendo lentamente o pau do meu pai foi escorregando para dentro do cu dela ela rebolava e gemia apás algum tempo rebolando comecou um sobe-dece jogando seu corpo cada vez com mais força pra baixo . No meu quarto sem poder aguentar mais já estava ensaiando as primeiras estocadas na minha irmã mesmo vestidos a sensação era maravilhosa por ela estar sá de calcinha e eu de short sem cueca até que passei a mão na sua boceta sobre a calcinha como ela não disse uma palavra enfiei minha mão dentro da calsinha dela meu coração parecia que ia sair pela boca ela estava super molhada meus dedos escorregavam na buceta dela enfiei outra mão por trás ela empinou ainda mais a bundinha aí eu enfiei um dedo que de tão molhada entrou direto ela apenas genia baixinho quando esfregava sua boceta na frente enfiava meu dedo atrás tirei meu dedo da buceta e coloquei na entradinha do cuzinho dela e fui empurrando, ela com certeza influênciada pela piranha que fodia com meu pai no outro quarto ficou rebolando e seu cuzinho foi engolindo meu dedo todo comecei a meter o dedo no seu cu ela já estava apoiada com as duas maos na parede com as prenas abrertas abaixei meu shorte e fiz o mesmo com sua calcinha cuspi na minha mão e posicionei meu pau na entrada da bucetinha dela no principio não quis entrar comecei a forçar pois estava possuido pelo desejo ela comecou a chegar seu corpo para frente, mas não conceguia controlar meu desejo e fiu enfiando meu pau dentro dela apesar dos protestos dela de que estava doendo fui fudendo ao olhar pro quarto meu pai fodia o cu da vadia de quatro urrando feito um animal subitamente ele tirou o pau do cu da piranha a puchou pelo cabelo fez com que ela ficasse de joelhos mirou seu pau na boca dela e esporrou por todo seu rosto era muita porra foram varias esguichadas o que tinha caido na boca dela ela engolia e o resto que estava em seu rosto ela esfregava pelos seios e corpo eu que já fodia minha irmã com força vendo tudo aquilo vendo aquela mulata sá conseguia pensar na minha mãe me imaginei no lugar do meu pai gozando na cara da mulata ou melhor gozando na cara da minha mãe, não resisti e gosei dentro da minha irmã ela por sua vez já nem reclamava mais parecia também estar extasiada de boca aberta e olhos virados ela também viu tudo que eu vi ainda fiquei um tempo com meu pau dentro da sua boceta fazendo movimentos lentos e compaçados quando tirei meu pau de dentro da buceta dela escorreu grande contidade de porra pelas suas pernas. Meu pai e a piranha foram para o banheiro e nos corremos pra cama, minha irmã dormiu daquele jeito mesmo toda suja de porra.



Bem esse foi sá o começo depois conto quando meu pai descobriu que eu e minha irmã transavamos aí ele passou a fuder minha irmã também sem escolha tive que dividi-la com ele, mas infelizmente ele a queria sá para si, foi aí que eu comecei a pegar as piranhas que ele trazia pra casa até a mulata que lembrava minha mãe, que era a que me dava mais prazer, quando reencontrei minha mãe descobri o porquê. Depois conto também quando reencontrei minha amada maezinha.



Se alguém quizer trocar esperiências ou fazer amizade me escrevam ou me add. No msn [email protected] sem dúvida vai ser um prazer.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


minha cunhada me suprendeu contosxvidios gemios incestocontos gay chupei o pau do borracheirocontos eroticos bebadadias e  contos sexo velhoconto comeram minha mulher bebadaContos eroticos sobre irma fazendo faxinaconto com prima casadaconto erótico de gay dando o cuzinho pro primo aos dez anosMeu marido deu carona para um estranho e me insunuei pra elecontoseroticos as 2 filhas daminha visinha vierao brincar com minha filhinha wuen brincou foi euComtos eroticos dei pro tio jorge com pau minusculovideos porno sobrinha branquinha fugindo dos tios negoescomendo e falando sacanageme gozando contosComo da o cu usando ropa de menina curtinha gayscontogayporno contos de crentisinha cusudaCasada narra conto dando o cufui dominado por uma mulher mais velha conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos minha gostosa das academiacontos eroticos espiando a sogracontos porno traição da senhoraContoseroticos meninas novinhas virgem estupradas pelo tiocontos eroticos sexy romantico e gostosomeu tio me dava a mamadeiracontos eroticoscalcinha algodaocontos eróticos espiando  tamanho do pau dele, grande, uma delicia.  estuprei minha irma casada contoCONTOS EROTICOS REAIS EM VITORIA EScontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãocontos eroticos gay empregadinhaContos minha esposa e uma morema muonto bumdida tem 1: 80 70 kl e foi enrrabada en casa num currasco meu amigo dormiu encasacontos amor gaycontos eróticos chupeitravesti novinha de 15 aninhos contos eroticosgozando na submissa deitadaConto so caminhoneiro dei carona uma freira loiraconto erótico fudendo com minha prima Evacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteporno profissional com homens fodendo leitoa no cioContos eroticos guspe na bocacontos eroticos outro pou de presente para minha mulhercontos eroticos srntar no colo inceztocontos: sentei no colo do velhoContos eroticos teens gay no banho com meu paiContos de comer cadelacontos titia mando eu arromba seu cu gordocontos de incesto de encoxada em onibuscontos de esposa arrombada dormindoincesto fudi a minha mae na casa de swing sem saber que era a minha mae desabafo verdademulheres gosta de abri todo bucetaocontos gays lekinho o mineirinho que me cativou 2conto porno come o cu da minha cunhada e a amante e sua amigaMeu sogro cheirou minha calcinhacontos eróticos lésbicas casada vira escrava da vizinhaleitinho gostoso de polacontos fui comer uma bct chegou na hora era homemfundura da buceta midindo pornoTenho 60 anos e minha bunda ta se mais contosmeu primo rasgou meu cu gayfoi fazer coisa errada e irmao chantageou pra fuder a gostosavideo porno de garotinhas com olhinho vidradocontos eroticos coroa vizinha putacontos adorei a lingua no meu cuzinhoContos eroticos peguei meu pai com uma novinhacontos eróticos chupeimulher goza nela todinha enchendo o cachorro para limparcontos eroticos primeira vez no cuzinho da esposa