Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHAS PRINCESAS

Conheci Tatiana quando éramos ainda adolescentes e estudávamos na mesma escola; na época nada aconteceu entre nás, embora eu a achasse desde o começo lindíssima e muito sensual; morena, bronzeadíssima, com um par dos mais lindos olhos azuis que já vi e cabelos muito longos, negros, sedosos e brilhantes. Por causa disso tudo, ela me parecia na época "muita areia para o meu caminhão". Ela frequentou minhas fantasias sexuais ainda por anos depois de termos terminado o segundo grau e seguido caminhos diferentes, deixando de nos ver. Porém, eu já não pensava nela há alguns meses, pelo menos, quando a reencontrei durante um período de férias na praia. Parecendo realmente contente em me ver, ela começou a conversar muito comigo, e marcamos outros encontros durante aquele verão, sempre na praia, ao entardecer. Fazíamos longas caminhadas juntos, e ela me contou muitas histárias de sua vida, especialmente uma recente desilusão amorosa. Juntando toda a minha coragem, acabei dizendo que o tal sujeito devia ser um idiota para não saber dar valor a uma garota como ela, e confessei que adoraria fazê-la sorrir de novo. Ela se mostrou muito receptiva e iniciamos uma relação muito gostosa e cheia de carinho. Em nossa primeira transa, quase morri de prazer ao realizar finalmente a fantasia de possuir aquela deusa linda que havia povoado meus sonhos de adolescente. Isso tudo foi há dois anos, quando eu e ela tínhamos 22. Conversávamos muito, ela me revelou diversas fantasias suas, como fazer amor ao ar livre, num jardim cheio de flores, ou na praia, à noite... Realizamos várias delas e cada transa nossa era ao mesmo tempo melhor que a anterior e pior que a práxima. Certa noite, quando estávamos abraçados na cama depois de mais uma transa maravilhosa, comentei com ela, enquanto acariciava sua maravilhosa pele, que me sentia realizado. Ela, sorrindo, perguntou se eu tinha certeza. Continuou: ela já me havia contado muitas fantasias suas e tínhamos até realizado algumas. Por que eu não lhe contava as minhas? Hesitei, temendo assustá-la, mas, como ela insistia, acabei contando minha maior e mais secreta fantasia, aquela que cultivava desde a adolescência, e que é tão comum entre os homens, mas nem por isso menos fascinante: fazer amor com duas lindas gatas ao mesmo tempo. Me pareceu na hora que ela ficara realmente um tanto assustada, me arrependi de ter falado e pedi que não pensasse mais nisso. Mas não é que, dias depois, a prápria Tatiana tomou a iniciativa de voltar ao assunto, querendo saber mais detalhes dos meus sonhos? Expliquei que desejaria que tudo acontecesse de uma forma bonita, rolando muito carinho entre todos os participantes, que deveria haver sensualidade em cada momento. Como agora ela parecia vagamente interessada, perguntei se haveria alguma chance de que acontecesse... Tatiana sorriu mas não respondeu. Pouco tempo depois disso, se completaria um ano desde o nosso reencontro na praia e do começo do nosso amor; não vimos melhor maneira de comemorar do que tirando férias novamente na mesma bela e romântica praia. Lá, depois de longos passeios ao entardecer à beira-mar, saíamos quase todas as noites para ir a bares, alguns inclusive ao ar livre, conversar com pessoas legais e nos divertir. Numa dessas noites, conhecemos Ana Cristina, uma loirinha lindíssima de apenas 19 anos. Tinha os cabelos mais dourados que eu já tinha visto, uma pele linda, olhos azuis e lábios cor-de-rosa, tão perfeitos que nunca a vi usando batom. Quando a conhecemos, estava acompanhada do namorado, mas não escaparam nem a mim nem a Tatiana os olhares que ela lançava para nás dois. Por causa do tal namorado, nada aconteceu naquele verão, o que lamentei muito. Mas, terminadas as férias, mantivemos contato com Ana, que felizmente morava numa cidade não muito longe da nossa. Numa sexta-feira do final do outono, resolvi arriscar e telefonei para Ana Cristina, perguntando se não gostaria de vir passar um fim de semana conosco. Ela aceitou prontamente. Fomos buscá-la na rodoviária sábado de manhã, e ela estava deliciosa ao descer do ônibus, com jeans apertados, blusa de flanela e os lindos cabelos loiros amarrados num rabo-de-cavalo. Agradeceu muito por nosso convite e disse que certamente nos divertiríamos muito juntos. Ao dizer isso, sorria. Durante o dia passeamos pela cidade os três juntos, e realmente nos divertimos. Ao voltarmos para casa à noite, perguntamos a nossa háspede se gostaria de ir a alguma casa noturna, mas ela disse que estava cansada e preferia ficar lá mesmo. Piscou para nás e disse que ia tomar um banho... E sem esperar que respondêssemos, pegou suas coisas e dirigiu-se ao banheiro que fica junto do quarto principal do meu apartamento. Olhei para Tatiana, que sorriu, retirou-se para outro quarto e voltou vestindo um robe de seda azul-marinho, no qual fica ainda mais linda. Sentamos na cama, ela nos meus braços, e esperamos pacientemente... Ana Cristina saiu do longo banho envolta num roupão, escovando seus lindos cabelos dourados ainda úmidos. Tatiana e eu, sentados juntos na cama, a observamos; ela era linda... Tão fantasticamente bela... E estava toda cheirosa, deliciosa, pronta para receber nosso amor. Desnudando um dos ombros de Tatiana, afastei os lindos cabelos negros e comecei a dar leves beijos naquela pele morena e macia, que exalava um perfume muito sensual, suave, feminino. Tatiana, sem tirar os olhos de Ana Cristina, desabotoou o vestido, expondo os lindos seios bronzeados, sem marca de praia, firmes e macios, coroados por bicos rosados e erguidos. Ana Cristina umedeceu os lábios sensualmente e afagou os práprios seios por cima do roupão. Em seguida, livrou-se do mesmo, deixando que admirássemos seu corpo branco, rosado e perfeito. Aproximando-se, sentou pertinho de Tatiana e a ajudou a terminar de se despir. Uma vez que ambas ficaram nuas, saí da cama e fui ocupar minha poltrona de estimação, para não perturbá-las; ia assistir fascinado à maravilhosa cena das duas gatas se amando. Começaram ficando frente a frente sobre a cama, de joelhos, encantadas com a beleza uma da outra; trocaram suaves carícias, suspirando de prazer ao sentir a maciez de pele feminina roçando em pele feminina. Loira e morena... Não consegui conter um suspiro quando elas começaram a se beijar, doces e sensuais, gemendo juntas ao saborear os lábios uma da outra. Os olhos fechados, os corpos colados, as línguas doces se tocando lentamente, arquejando de delícia, perfeita imagem da mais completa feminilidade. Lindas, macias, perfeitas, unidas no prazer. Observei as mãos macias de Tatiana percorrerem suavemente as pernas de Ana Cristina, tocarem a bundinha perfeita e depois subirem para acariciar aquela fantástica cabeleira loira. Depois de mais um longo e apaixonado beijo de língua, Tatiana, sorrindo para a amiga, deitou-se de costas, seus lindos cabelos negros espalhados sobre o lençol muito branco. Ana Cristina sentou junto dela e acariciou seus seios, com os olhos semicerrados, admirando toda aquela beleza morena e sensual, com o coração cheio de felicidade por saber que aquele corpo delicioso estava à sua disposição, para satisfazer cada desejo seu. Tatiana retribuiu às carícias e então se sentou; as duas se olharam com muito carinho, Tatiana sorriu timidamente e então elas trocaram um leve beijo nos lábios. "Ooouhhh...", gemi, quase fora de mim. "Que coisa mais linda... que visão maravilhosa... Se beijem, princesas... Se beijem de novo, quero vê-las se beijando..." Levadas por seus práprios desejos, elas atenderam ao meu, e entre seus lábios rosados e macios nasceu um molhado, demorado beijo de língua, muito delicado e suave, carregado de desejo e do mais puro e perfeito amor. Tão delicadas e femininas... Tão lindas, tão apaixonadas uma pela outra... Sentindo que aquela cena era linda demais para não ser registrada, fui até o guarda-roupa e peguei minha filmadora e uma de minhas máquinas fotográficas. Bati várias fotos das duas princesinhas se amando, depois comecei um filme. Curvando-se, Ana Cristina beijou Tatiana na boca novamente, gemendo ao senti-la, doce, corresponder. Excitada com o cheiro da pele amiga, a loirinha passou a língua vagarosamente por seus seios enrijecidos de amor, provocando longos gemidos de prazer e ansiosos pedidos para que não parasse. Enquanto a língua deliciosa de Ana Cristina brincava com os mamilos de Tatiana, seus dedos gentis exploravam a perfumada floresta de macios pêlos negros entre as pernas da bela morena. Tatiana, de olhos fechados, engoliu a saliva várias vezes, ardendo de amor, até que não aguentou mais e, tomando entre as mãos a cabeça de sua linda amante, a conduziu docemente para o meio de suas coxas, murmurando: "Bem aí, meu amor... Isso, gata... ai, que gostoso! Quero ser chupada..." A linda Ana Cristina começou a chupar com desejo a vagina perfumada de sua não menos linda amiga. Meu pênis, duro como pedra, latejava dolorosamente, mas me esforcei por manter as mãos firmes na câmera, para que aquele momento maravilhoso de pura poesia, romance e sensualidade ficasse eternizado. A loirinha embebia prazerosamente sua língua no mel afrodisíaco de sua amiga, saboreando-a de olhos fechados, completamente entregue às delícias, enquanto Tatiana chorava de felicidade e delirava de prazer. Dei um close no belo rosto de Tatiana no instante em que ela gozava, olhos fechados, boca aberta, sua beleza resplandecendo gloriosa em meio ao melhor prazer do mundo. Terminei o filme aí; esse close ficaria maravilhoso com a trilha musical adequada, e seria um final muito artístico. Mas se o filme tinha terminado, o mesmo não se podia dizer da transa... Pus a câmera de lado e fui finalmente para a cama. Deitando ao lado de Tatiana, apoiei-me no cotovelo para suavemente beijá-la na boca, o que ela retribuiu ternamente, ainda pulsando toda, eletrizada com o doce prazer que o corpo de Ana Cristina lhe dera. A loirinha, aliás, estava sentada junto de mim, me acariciando com um toque suavíssimo, excitante, ansiosa por ter de mim alguma atenção. Sentei e fiz com que Tatiana também se sentasse; envolvi cada uma com um braço e, absolutamente deliciado, comecei a beijá-las alternadamente... Uma mais linda, doce, delicada e sensual que a outra, elas quase me enlouqueciam. Duas princesinhas de conto de fadas. Comecei com Ana Cristina um beijo na boca especialmente demorado e gostoso, enquanto Tatiana me masturbava devagarinho. Terminado o beijo, a loirinha ajoelhou e, passando de leve as mãos pelo meu peito, começou a murmurar coisas no meu ouvido... Tatiana se curvou e gentilmente colocou meu membro inchado na boca. Fechei os olhos ao sentir aquela língua tão macia acariciando a cabeça do meu pau, e no momento mesmo em que abria a boca para gemer, outra língua tão macia quanto invadiu a minha boca; era Ana Cristina que me beijava deliciosamente. Me entreguei totalmente e deixei que minha duas lindas princesas fizessem de mim o que quisessem, pois depois de ter realizado meu sonho de ver duas gatas se amando, tudo o que viesse mais era lucro. E o que veio foi maravilhoso.

SE ALGUMA GATA QUIZER MAIS DETALHES, OU SE CORRESPONDER, É SÓ MANDAR UM E-MAIL. [email protected], estou on line todos os dias no msn. (DIURNO)

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


sexo Sátão garotas da noite prazer na piscina com minha sobrinha - contos eroticosvideo porno de garotinhas com olhinho vidradocontosputinhascontos de zoofilia com antacontos de insesto fatos.comreaiscontos.gay chupando pau do pedreiro coroa safadocomo supa a boceta ligada tonadocontos de zoofilia com varios caescontos eróticos espoza rabuda e traficantescheguei em casa e peguei meu amigo comendo meu primocontos gemi grita olha corninhocontos eróticos putinha novinha rabudascomto mesmo falando que era casada o policial me comeuCunhada dormindo com a bundinha descobertacontos duas pica no cucontos u caras muito bemdotado arobou a buceta da mia mulhe na mia frete contoscontos ela me punhetoufudeu a priminha de olhos fechadoporno brasileiro tia pasando u pano na casa e pega sobrinho na punhetaContos eroticoscomendo varias negona contos chavecando o cuzinho da coroacontos menina do papaicontos torei a vizinha de treze aninhos e pagueicontos de seios bicudoscontos eroticos/paguei pra comer o cuzinhopapai me comeu contocontos eroticos no escuro alguem colocou o pau entre minhas coxassexo contos eroticos como tio poulao comeu aninhacontos eroticos dando aulas ao sobrinholer contos eroticos fortesfilhinha tezudinha contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentee Deus que cavalo inteiro transando ai ele tem pinando amolecer botar a mão na orelha Ela empinacontos gay menina loucasdesde menino desejei ser enrabado por um velho bem safadocontos eroticos venha ca sua puta safada,eu vou arrombar seu cu de cadelacontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentefudenso com a mulher do meu amigo na xasa delemaecontopornoo que acontece se ficar com penis infiando 30hora parado dentro da bucetaver conto erotico sob velhos etrupadorecontos filhinha brincando com a picacontos oamigo do meu marido 2Virgem inocente contoconto erotico mulher fodendo com varios vizinhosContos eroticos : a amiga japonesa da minha maediario de corno contoscontos eróticos traição a amiga gostosa da minha mulher ela me deu a chave do apartamento delaContoseroticosnafazendamostrei os meus seios webcamPadrinho iniciando afilhada novinha contos eroticosmocinha do cu guloso contocontoseroticos as 2 filhas daminha visinha vierao brincar com minha filhinha wuen brincou foi eugarota da buceta grande cetado nado negãocazal gay fudedo gostoso ao vivocontos erotico reais inserto. gay cu arrombadoconto comi uma buceta muito apertada que doeu meu paucontos eroticos lutinhacontos eróticos minha vida depois do filhoContos eroticos gosto de estupro seiosolhei aquele pauzao do cara meu marido nao percebeucontos papai me arromboudei para meu genromeu marido levou dois amigos dele em casa para churrasco e tomar cerveja conto erótico transei com os doiscontos eróticos minha buceta pegando fogo i.piscandosobrinho viadinho da titia tarada conto gaycontos: sentei no colo do velhocontos eroticos meu irmao e meu amante incestominha mulher pegou eu dando para o piscineiromae acorda de fio dental vai na varandacontosgay no vestiarioporno conto mae gravedaconto eróticos a patinha da minha sograconto esposa ajudou dar banho no bebadoContos eroticos minha irman roqueiraeu confesso sou puta desde novinhacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos com fotos flagrei meu marido com a viúva do vizinhoBusca por contos de esposa reais, que vai para balada e deixa o marido transtornado quando ela demora no banheiro e pega ela transando no estacionamento