Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RESGUARDANDO A NAMORADA I

Carla tinha cabelos negros, pele bem branca, seios médios e empinados, bunda daquelas redondinhas, pernas bem torneadas.

E eu nem acreditava que estava namorando com aquela garota tão perfeita. Ela era um tesão, desejo de qualquer pessoa.

Isso eu garanto porque meus práprios amigos falavam que ela era muito gostosa. E quando eu saia com ela não tinha um que não olhava.

E eu namorando aquele avião todo. Como tive uma criação meio rígida quando criança, sempre cresci ouvindo certos valores que hoje acho

totalmente inválidos de que as mulheres tem que ser tratadas que nem flores, que certas coisas não se deve fazer com a namorada e outras baboseiras assim.

Continuando...Seu corpo era tão perfeito e seu rosto tão lindo que quando começamos a transar depois de um mês de namoro,

sá lambia seus seios bem devagar sem chupar, lambia sua bucetinha com cuidado sem enfiar dedos nem nada,

e na hora da penetração enfiava meu pau bem devagar sá depois de bem lubrificada. Tudo isso para conservar ao

máximo seu corpo escultural. E nunca tinha pedido para ela chupar meu pau, sempre achei que aquele rostinho era muito lindo

para fazer esses tipos de coisa. E também o tesão que eu tinha por ela e por aquele corpo meu pau já ficava duro sá de ficar

nos amassos e ela pegar no meu pau. Algumas vezes ela fez que ia chupar meu pau e até pediu para chupá-lo, mas eu falei que

ela não precisava fazer aquilo. Depois disso não tocamos mais no assunto.

Faziamos sexo apenas de sábado, sá de papai e mamãe básico porque não ficava obrigando ela a fazer posições que mulheres safadas faziam.

E gozava meio rápido para não deixá-la de buceta arrombada e lágico o tesão por ela era grande. Em dez minutinhos ou menos de penetração já era.

Mesmo nos encontrando dia de semana e aos domingos. Sempre que a coisa esquentava nos beijos

na sala da minha casa ou na dela eu sempre inventava algo para esfriar o clima e pararmos por alí, sempre querendo poupar

aquela delícia de mulher para continuar com aquele corpo perfeito sempre.

Nesses dias eu chegava em casa depois e batia uma punheta pensando nela e aí me acalmava.

Passado uns 3 meses fui percebendo que Carla estava ficando com mais vontade de sexo do que antes, todos os dias que ficávamos sozinhos

ela já começava a se esfregar em mim e ficava pegando no meu pau por cima da calça. Lágico que eu quase não aguentava e já me dava a maior

vontade de fazer besteira arrancar a roupa dela e trepar. Mas continuei me segurando e fazendo sexo com ela sá aos sábados.

E Carla cada vez mais sedenta por sexo, até que um dia no meio da semana quando estávamos na sala de casa e meus pais tinham saído

resolvi satisfazer a vontade dela e a minha. Fizemos aquele mesmo sexo de sempre tudo na boa. Mas mesmo assim ela continuava

com suas vontades. Um dia ela conversou comigo que ela precisava dar mais de um dia por semana, que estava ficando muito excitada,

que ela precisava de sexo, que estava pensando nisso toda hora, às vezes ficava molhada à toa. Aì eu expliquei pra ela que a gente precisva

se segurar um pouco com isso e não fazermos toda hora, porque daqui um tempo seu corpo não ia ser o mesmo que ela era linda e que

deveria conservar assim. Mas ela contestou e falou que se aumentássemos pelo menos sá mais uma vez por semana não ia acontecer nada,

que era preciso. Aí ela me contou que seu estado estava tão crítico que na volta da escola no ônibus sá de passar um office boy pelo corredor

apertado por trás dela (coisa que ela odiava) ela se molhou toda, ela não ia fazer nada lágico, mas estava ficando necessitada. Chegou em

casa naquele dia e se masturbou gostoso pensando mil coisas.

Eu fiquei com um cipumes danado na hora. Ela me entendeu e concordou também, e acabamos chegando num acordo e resolvemos transar duas vezes por semana.

Ficamos mais uns 2 meses nesse esquema e percebi que Carla ainda assim começou a se esfregar em mim outros dias. e fui percebendo que ela

foi mudando um pouco seu comportamento, estava ficando mais solta, com mais intimidades e brincadeiras que ela não fazia com os outros

antes. Nada vulgar mais um pouquinho mais de intimidade com todos. Tipo quando íamos a praia de vez enquando em vez de pedir pra eu passar bronzeador

nela, pedia para um de nossos amigos e ela de biquini era estonteante. Percebi que era por conta da sua excitação e vontade de dar, mas sabia que Carla não sairia

daquilo mesmo e continuei do mesmo jeito.

Uma vez fomos para um sítio de um amigo nosso ficar uns 3 dias. Nás e vários amigos nossos. Alguns solteiros e alguns casais tbém.

Carla estava um tesão de minisaia e biquini. E percebi que Paulo um amigo do Caio dono da casa que era novo na turma não tirava os olhos dela

e fazia brincadeiras com Carla. E como ela ultimamente estava mais solta correspondia suas brincadeiras, mas não se insinuando pra ele

sá que como ele era novo e não conhecia ela e nem a galera direito às vezes exagerava um pouco nas brincadeiras.

Fizemos um churrasco e muita bebida, que foi esticar de tarde até a noite. Todos nás bebemos bastante. eu mesmo já estava bem bêbado

e Carla também estava bem alegre. A certa altura da noite onde todos já tinham ido dormir, Eu e Carla sentamos no sofá, e pelo calor intenso Carla estava sá de biquini.

Ela começou a me beijar, eu estava muito bêbado sem entender muito as coisas. De repente chegou Paulo interrompendo sentando do lado de Carla e perguntando se a gente

queria bebida. Carla rindo falou que queria, logo ele saiu da sala e foi buscar para ela. Carla se ajeitou no sofá com as pernas esticadas no sofá

e ficando metade do corpo no meu colo e voltou a me beijar. Logo chegou Paulo com cerveja pra ela. Ele pediu para sentar ela encolheu as pernas dando espaço no sofá

e depois que ele se sentou ela voltou a esticar as pernas no colo dele. Paulo deu a cerveja pra ela e acabou derramando um pouco nela,

ele se desculpou limpando a cerveja que pingou nas suas coxas. Ele também estava meio bêbado, não que nem eu mas estava.

E os dois ficaram bebendo e conversando, nem sei o que, porque não estava entendendo muito bem.

Sá ouvi uma hora que ele elogiou ela pra mim e eu nem respondi nada. E depois ele perguntou pra Carla se ela estava sentindo.

Carla rindo respondeu que sim mexendo as pernas que estavam no colo dele. E Paulo acariciava as pernas dela, ele já estava com as mãos apoiadas

nas pernas dela desde que sentou no sofá.

Eu via que Carla com olhares risonhos começara a passar o pé no pau do Paulo por cima da bermuda e ele começou a passar a mão nas coxas dela.

Tudo aquilo na minha frente e eu não conseguia nem me mexer nem falar.

Paulo começou a subir a mão e apertou seus seios afastando o biquini e mostrando os bicos dos seios, ele comçou a brincar com os biquinhos.

Carla falou;

- Vc tá me deixando melada Paulo.

Paulo:

- E vc me deixou de pau duro.

Paulo passou a mão no meio das pernas da Carla e enfiou o dedo debaixo do biquini, Carla abriu as pernas na hora (gemendo) para facilitar seu dedo

na sua bucetinha. Depois ele tirou seu dedo todo melado mostrando pra gente e colocou na boca experimentando o gosto de minha namorada.

Paulo logo tirou o pau duro pra fora, Carla saiu do meu colo segurou o pênis dele e ficou me olhando e segurando. Ela sentou no chão de frente pra

ele, olhou pra mim novamente e falou que ia chupar aquela pica, a única coisa que fiz foi balançar a cabeça com um sim.

Ela começou a lamber, chupar e babar no pau do Paulo que nem uma louca e falava que sonhava com uma rola na boca. E falava que eu não deixava ela fazer isso.

Eu sá olhava.

Paulo falava:

- Então chupa sua gostosa, chupa meu pau que agora ele tá deixando. O meu pau ele deixa vc chupar.

Depois Carla se levantou, tirou a parte debaixo do biquini, subiu em cima de Paulo com o pau dele duro esfregando na sua buceta e saindo por trás na sua bunda,

esfregando os peitos na cara dele. Ele chupava seus seios e Carla melava o pau dele todo com a buceta pingando de tesão.

Depois de um tempo assim, Paulo colocou Carla de pernas abertas no sofá e começou a chupar sua buceta.

Carla gemia e gozava na boca dele. E falava para eu olhar o que ele estava fazendo com ela para eu aprender como se fodia uma mulher.

Paulo se levantou e me falou:

- Agora vc vai aprender como se mete uma rola numa gostosa.

Carla:

- Enfia logo esse cacetão na minha bucetinha, enfia porra...tô louca pra dar pra vc. Me come gostoso.

Ele não sabe me comer gostoso.

Paulo segurou seu pau e começou a enfiar na bucetinha dela. Começou devagar porque ela era apertada e seu pau também era grande.

O meu mede 17cm e não é grosso, o dele parecia ter uns 25cm e era muito mais grosso que o meu.

Começou a bombar na buceta dela com o pau todo lá dentro, Carla delirava.

- Isso... ai que coisa boa, nunca tive um sexo tão bom assim.

Paulo ficou comendo ela por algum tempo assim e depois pediu para ela ficar de quatro.

Carla se posicinou de quatro com a bunda bem arrebitada pra ele e virava para o lado me olhando e rindo com cara de puta excitada.

Paulo começou a dar fortes estocadas na sua buceta, fazendo-a gemer e gozar.

Minha namoradinha estava sendo literalmente fodida e arregaçada na minha frente. E eu bêbado não conseguia nem levantar a mão,

então sá ficava olhando.

Carla depois de levar muita rola de quatro pediu para Paulo deixar ela sentar na rola dele.

Depressa ele tirou da buceta dela, sentou no sofá e Carla segurou o pau dele na base todo melado de buceta, ela tinha gozado muito já.

Carla se posicinou em cima dele de joelhos no sofá e começou a colocar a rola dele na buceta. Começou abaixando devagar e rebolando

bem de leve. Aí quando entrava um pouco mais que a cabeça do pau ela tirava e fazia a mesma coisa, fez isso repetidas vezes.

Depois ela mudou um pouco enfiando a metade do pau na buceta fazia um pouco de vai e vem e tirava novamente. O cara estava ficando louco

de tesão com aquilo. Logo ela também não aguentou com a brincadeira e começou a sentar forte no pau dele. Cavalgou com força, rebolava com o pau

inteiro na buceta, depois ficou fazendo molvimentos rápidos, enfiava o pau todo e ficava esfregando o grelo nele. Vi que ela estava indo a loucura novamente

e começava a gozar e a gemer alto.

Deopis dessa loucura toda Paulo falou que ia gozar. Carla louca de tesão tirou o pau dele da buceta se abaixou com a cara no pau dele e pediu

para ele gozar na sua cara.

Paulo na hora começou a bater uma punheta com o rosto dela bem perto da cabeça do seu pau.

De repente vários jatos de porra começam a espirrar no rosto da minha namorada. Foram tantos jatos de porra que pingava tudo nos seus seios,

sujou até o cabelo de porra. E para finalizar Carla ainda punhetou ele um pouco tirando as últimas gotas e chupou a cabeça do pau dele

fazendo o cara até estremecer de tesão.

Depois ela ficou um tempo segurando o pau dele com o rosto cheio de porra e olhando pra ele com cara de safada. Paulo estava um pouco ofegante ainda,

se recuperando do sexo animal com minha namorada.

Logo ele foi embora para um dos quartos, Carla se limpou e fomos para o nosso quarto tbém. Ela ajudou a me levantar e eu fui até o quarto segurando

nela, pois estava bem bêbado ainda.

O resto desse final de semana continua no práximo conto...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos ninfeta lesbica fodde casada hereroswing porno mulheres vao sem calcinhaconto erotico minha namorada trouxe amiga pra fuder com a gentecontos eroticos fui comida igual puta e chingadapai com filha muito novinha contoscorno participou contopau duro micaelaconto erótico de crente novinha que adora dar a b*****video porno de garotinhas com olhinho vidradocontos eróticos se esfregando em coisascontos de coroa com novinhonossa minha mae bu comer xvcontos eroticos cavaloDanadinha sapeca contosminha esposa de shortinho na obracontos eroticos de tio fodendo sobrinha a forçacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos com mulher deficienteconto clube de amamentacao de adultoscontos eroticos entiado madrasta gordacontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosminha mulher se exibiu pra várioscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentetravesti pito duroquero ver menininho dançando com shortinho dando molecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos maes e filhas straponfui cagar gostoso mulher contos eroticoscontos de casadas com quantos homens ja transaram antes de conhecerem o maridocontos eroticos arrombando a gordavelha aqueles tempos do capô de fusca bem rapadinhavirei puto dos segurancas sadomasoquismo conto gaycontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de coroa com novinhoimcestos minha filha novinha cabacinho quiz fuder compapai vcontos com priminha safadinhas de dez aninhosmae filho incesto contosproposta indecente de colega porno de trabalho a casadaconto erotico lesbico chupa meu grelinho ai vou gozar isso não para ai ai ai to gozandocontos gay favelacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteCONTOS EROTICOS pivetes safadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteTitias esperientes c. sobrinhos videos. buceta de cajaraFui fudido pelo velho contos gayconto real casada moro na casa do fundoaconto eroticos entre primosDando o cuzinho para outro homem da pica gostosa, contos gays que dão tesãocontos/piroca grossa/dp/conto gay virei namorado do tio viuvoentão abri as pernas dela e peguei naqueles peitinhos pequenos e gostosocontos pornôs e sou putinha da escolacontoseroticoscomcadelasconto sozinha em casa peguei meu pai fudendo minha maeRoseli gemendo com pau na b*****contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteSebastião, o vaqueiro que gostava de cavalgar 2contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentetava me masturbando e meu namorado chego e me chupougay engole esperma contoninfetas com vestidos beijando peitoral dos travestisa morena virtual itaperuna rjÇonto casada dado iii rabocoroa raspadinha gozando contoscontos deu o cu para o cachorraContos de idosas loiras com mais de 70 anos dando cu para negros bem dotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteConto erotico negao casada loiraesfregando na irma caçula contoscontos eróticos travesti dando o cu para homem do pau grandecheirei o fundinho da calcinha usada da minha tia safada contosdei para o papai contoscontos eroticos gay entre primosContos sempre fui viadinho dos homens da familiaresguardando a namorada contoxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta dela