Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

GOZANDO PELO CUZINHO II

GAZANDO PELO CUZINHO II



O segurança ficou fissurado em mim. Não esquecia a foda que demos em seu apartamento. Eu também. O assédio era insistente. Bilhetinhos, cartinhas que me entregava como se fosse correspondência que chegava na recepção. Dizia-se apaixonado. Não conseguia esquecer da minha bunda, da minha boca, do jeito sensual e submisso meu na hora h. Guardava minha calcinha, que deixei para ele, como um troféu de guerreiro. Sonhava que estava me enrabando, como meu cuzinho novamente.



Na práxima vez queria passar uma tarde inteira no motel comigo. “Quero você vestida inteira de menina no motel pra mim”, escreveu num dos bilhetes. Pensei que fosse passageiro, mas a insistência ficava cada vez mais séria. Decorrido mais ou menos uns dois meses, resolvi ceder. Eu também não esquecia sua vara gostosa e seus dedos penetrantes.



Discretamente, sem ninguém percebe disse: te espero no motel tal amanhã, às 4 horas da tarde. Aquele que fica... e expliquei direitinho para não haver desencontro. Ele entendeu e citou outra referência perto, confirmando o endereço. à noite fiz os preparativos. Comprei umas roupinhas marquei uma depilação geral para a manhã seguinte.



Além da lingerie, a depilação provoca um efeito mágico em mim também. Tudo lisinho, me sinto uma “perfeita gatinha.” LProntinha para dar prazer a um homem de verdade. Fiz um lanche rápido e fui para o motel me preparar lá para esperar o digamos “namorado.” – Paguei a diária antecipado e peguei uma suíte grande, luxuosa e toda espelhada. Afinal, o encontro era especial, eu também estava louco para dar novamente para o meu segurança. Um macho inesquecível.



Tomei um longo banho, louco de tesão, pensando naquele monumento. Depois comecei a metamorfose. Passei gel no cabelo, penteado para frente, fiquei parecendo uma mulher de cabelinho curto. Batom vermelho, os lábios ficaram com aparência de mais carnudos. Calcinha rosa de babadinhos, tesão, tesão. Mini blusa e micro saia rodadinha. Uma sandália prateada. Pronto, estava irreconhecível. Arrebitei a bunda e comecei a treinar a andar com aquele salto, rebolando e me olhando nos espelhos. Não aguentava de tesão para dar para o meu macho que chegaria em seguida.



Deveria ter dito para ele vir antes. Pô, falta uma hora ainda. Não aguento esperar tanto tempo assim, pensei. Liguei o som e dancei, rebolei para passar o tempo. Faltando dez minutos para as 19 horas a moça da portaria perguntando se eu autorizaria a entra dele. Meu coração acelerou as batidas. Ele entrou. Nosssaaaaaaaaaa, é você mesmo? Sou e dei uma rodadinha, aparecendo a calcinha. Levantei a micro saia ainda mais e perguntei: gostou? Linda, maravilhosa. Desfile pra mim, vai. Desfilei, rebolei, fiz gestos sensuais. Ele aplaudiu, assoviou, ficou louco de tesão. Sou toda sua, meu tesão.



Abriu os braços e disse: venha. Fui. Ele abraçou-me e deu um longo beijo de língua, quase perdi o fôlego. Enquanto beijava, apertava, amassava minhas nádegas. E não parava de beijar, língua dentro da minha garganta. Mordeu meu pescoço,chupava meus peitos. Queria me engulir de tanto tesão. Envolvido nos seus braços, me virei e rebolei esfregando a bunda no pau dele, cuzinho pesicando. Mexia feita uma mulherzinha. Me pegou por trás, virou minha cabeça e, de novo, o beijão na boca. Puxado para trás, meu pau duríssimo, saltou fora da calcinha. A imagem refletida no espelho era sensacional.



Me virei, desabotoei a cinta dele o deixei sá de cueca, pauzão fazendo um imenso volume. Comecei um lento trabalho para tirar sua cueca com os dentes. Como é lindo o seu pau,disse. É todo seu, ele falou. Deitou de barriga pra cima na cama com o pau para cima, parecia uma estaca. Entrei no meio das pernas dele, mais ou menos naquela posição de ioga. Peguei o pau com as duas mãos, admirando como um super troféu e comecei alisar, sentir, num ritual bem lento. Lambendo os lábios olhava para ele, que recebia os carinhos com satisfação. Não tinha pressa, tínhamos a tarde toda e queria sentir centímetro pro centímetro aquela vara. Dava até coceira nas minha mãos.



Troquei as mãos pela boca. Língua, lábios. Outro demorado ritual. Enfiava até a garganta, repetia, repetia. Sugava como uma chupeta, sentia o sabor da pica. Dava delicadas mordidas. Virava, pegava metade da pica com os lábios, ia da cabeça a base. Ele mexia, gemia e dizia: chupe, chupe minha putinha. Como você chupa gostosooooo. Assim, assim. Voltava a engulir novamente, a cada engulida experimentava um cm a mais. Me posicionei melhor comecei a sugar, mamar com força. Queria comer aquele pau. Sugar, apergar com a língua e os lábios. É assim que se sente um home. Que delícia chupar um cacete assim. Gozei pelo pau. Inundei o lençol.



Ele ainda não. Continuei a sugar. De repente começou a foder minha boca, com movimentos bruscos para cima. Gozou. Espalhou porro por todos os lados, atingindo algumas gostas na minha cabeça e nas minhas costas. Extasiou-se. Ficou aquela gotinha final na cabeçona. Ainda duro, continuei a sugar. Gosto de pegar essas gotinhas para sentir o gosto na boca. É o final de uma chupada sensacional. Suguei até amolecer bem. Adoro chupar assim



Deitei ao seu lado. Ta linda minha mulherzinha, hein? Me arrumei pra você. Novo beijo na boca. A foda continuou direto. Abriu e levantou minhas pernas e na posição de frango assado e chupou meu cuzinho, mais ou menos uns quinze minutos, em várias posições. Peguei no seu pau, já estava pronto novamente. Dá ele pra mim, tesão, dá. Meu cuzinho ta pegando fogo. Me pôs de bruços e começou a enfiar o dedão. Primeiro você vai gozar no meu dedo. Molhou bem e enfiou. Enfiou inteiro. Rebolava, levantava a bunda, uiiuiuiiiiiiiii, assimmmmmmmm, como a tua putinha com o dedo, coma. Tirou e começou a colocar os dois dedos.



Não, você vai rasgar meu cuzinho, não. Não, eles são muito grandes. Cuspiu no meu cuzinho, colocou os dedos na minha boca e disse: molhe bem e fique bem quietinha que é melhor. Enfiou ate a garganta. Tirou e introduziu no meu cuzinho. Colocou até o fundo, tirava e colocava novamente. Quando tirava, eu levantava os quadris, meu cuzinho parece que acompanhava seus dedos. Veja no espelho seu cuzinho sendo arrombado, sua puta safada. Ficou de pé, com os dedos enterrados no meu rabo, me levantava levemente da cama, pressionando as paredes e o anelzinho. Goze nos meus dedos puta safada, goze. Gozei. Ficou tudo escuro e perdi a consciência por alguns segundos. Um gozo anal profundo.



Deitei relaxado, me espreguiçando na cama. Espere aí, putinha, agora é a minha vez. Me puxou e fiquei de 4 na cama. Enfiou o pauzão de uma vez sá. Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, uiiiiiiiiiiuiiiiiiiiiiiiii, uauuauuuuuuuuuauuua, é maior do que os seus dedos. Ao receber o pau inteiro dentro, meu pau murchou, a pressão interna puxava tudo. Pau mole e recolhido. O prazer era sá no cu, inteiramente invadio por uma vara. Abra mais, abra sua puta. Abra. Abri, arreganhei-me todo. Su tua mulher, tua putinha. Sentia a cabeça roçando lá nas profundezas. Empinei a bunda mais. Ele pegou no meu ombro e puxou com força. Colocava e tirava cada vez com maior energia, estava descontrolado, queria me foder de um modo diferente, selvagem. Nunca tinha sido fudido assim.



Colocava bem fundo, Tirava devagar. Virava minha bunda para o espelho. Veja o seu cu como parece uma buceta, toda arreganhada, veja puta safada. Colocava, tirava. Beijava e mordia minha bunda. Quero saborear você. Aiaiiiaaiaiaaiiiiiiiiiiiiiiiii, chega,chega. Nessas alturas eu já tinha gozado pelo cuzinho não sei quantas vezes. Chega, chega, não aguento mais, meu cu ta se incendiando. Quanto mais eu pedia para parar, mais forte ele metia. Abria minhas nádegas, tirava e enfiava o pau. Pegou minhas duas mãos e puxou para trás. Assim ele fazia o balanço da metida. O vai e vem sem fim. Gozei novamente, aquela gozada pelo cu (são contraçoes e uma sensação estranha) Assim, puta safada, ta gostando, ta gostando. Tou, meu super-homem, macho da minha vida. Deliciaaaaaa, uiu, uiu, não aguento mais de tanto gazaer. Agora chega. Goze de novo, goze e me puxava com força. O pau rasgava por dentro. Uuuuuuiuuii, uaaaaaaaaaaaa, apertei o cuzinho, contrai e ele finalmente enchei meu cu de porra. Nunca tinha metido tanto assim e com tanta intensidade.



















VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico o cheiro da minha tiaconto de sexo casada com estaladorcontos de coroa com novinhoContos sogra mulher e cunhadas peladinhas na piscinacontos vendo a irma sendo fodida betinhacontos eróticos meu padrasto lambia minha buceta como loucodando padrasto contos eróticosvou ponha ela no coichoucontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eróticos a aposta da esposacontos gay o menino que era um femea escondidovi minha esposa dando mole contosela pediu pra parar mas continuei empurrando na putacontos eróticos de filha e pai pornodoidolésbicas se ralando incerta com bucetacontos eroticos mae safadacontos duas gostosas dando o cu para um cara pausudoHomem mais velho iniciando duas meninas novinhas as chupar pica contos eroticosContos erotico com equilina da minha patroaempregadinha contocontos eróticos escravo da professoraultimos contos eroticos fazendo a festa da molecadafotos de fodas de buceta gostosa do precinpio ao fim todas as coloca?.contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erotico liberei minha esposa para sair com outro machomeu sobrinho de treze ano conto gayviajando de calça leg contos eroticosConto porno com escravo bem dotadosexo em okinawa casada flagaporn contos eroticos enteada gangbangContos so gosta das grossas no cucontos de coroa com novinholesbica conto professora fisicamulhe sora no pau fudedoMinha madrinha ela mora sozinha com sua filha eu vou sempre na casa da minha madrinha fuder ela eu fui na sua casa ela tava sozinha eu fui com ela pro seu quarto eu tava fundendo ela sua filha chegou sem fazer barulho ela entrou no quarto ela viu eu fundendo minha madrinha ela disse pra minha madrinha que ela queria perder sua virgindade da sua buceta minha madrinha disse pra ela tirar sua roupa pra ela deitar na cama eu chupei sua buceta virgem raspadinha minha madrinha disse pra ela chupar meu pau ela chupou meu pau minha madrinha disse pra ela abri bem suas pernas minha madrinha disse pra eu meter meu pau bem devagar na buceta virgem dela conto eroticominha esposa com dois negros dotados contos e relatos eroticos com fotosmeus peitinhos doíam...andei com a cara gozada na ruacontos eróticos fudendo a puta da minha mulhercontos eroticos arrombando a gordacontos erótico proibido na net chatagiei a sobrinhacontos erroticos de incertos filha amante do Meu primo gay que ve meu paucontosesposasnapraiavidio da dona florinda do chaves nua mostrando a bucetaConto fudendo na frentefui dormir na casa da tia e comeu o HelenaMenina da pracinha, contocontos eroticos incesto fazendo minha filha gozar no meu paucontos comi a colega da minha prima a martinha.Contos etoticos filha rabudalora baixinha de fildental cpm a buceta rasspadinhacontos eroticos pezinhosminha irma uma pretinh que adora trepa comigo pornolascabucetaCaralhogigantedentrocontos.gay chupando pau do pedreiro coroa safadocu arrombado de gorda contosContos.minha.filha.ja.ten.cabelo.na.buceta.Sexo com papai contos eróticodei de perna abertavou ponha ela no coichouconto erotico casada trai com cunhado oContos eroticos empregada humilha a patroaHomem mais velho iniciando duas meninas novinhas as chupar pica contos eroticosMeu nome é Luiza, tenho 26 anos, 1,70 mcontos eroticos arrombando a gordacontos xoxota peluda da minha maecontos minha esposa flagou eu comendo o cu das mulhere da familiaxxvideos porno ci ru filo etupa a mae no crato bazileloquero ver um vídeo de graça de graça rouba pica bem grossa dentro da b***** entrando bem devagarzinho b************Contos eroticos calcinha da vizinhame comia e gozava em minha boca abusorelatos eroticos esposas estupradas