Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O SEGREDO DE ALINE

O SEGREDO DA NINFETA ALINE



Meu nome é BRUNO... estou na faixa dos 40 anos e esta transa surpreendente aconteceu a poucos meses atrás. Havia deixado meu carro em uma concessionária para revisão e outras coisas... sendo que naquela semana teria que me sujeitar a pegar ônibus... Sou arquiteto e mantenho uma sala em conjunto com um amigo que é Contador, faço projetos e execução de reformas em casas empresas, meu colega trabalha durante o dia eu passo o dia envolvido com a execução de obras compra de materiais me sobrando horário noturno para fazer meus projetos horário que meu amigo encerra suas atividades, embora com atividade diferentes um auxilia o outro e é claro dividindo tbm os lucros da nossa sociedade... costumava sair por volta das 22:30 onde tomava o ônibus que me deixava a duas quadras da minha casa... por ser o penúltimo ônibus do horário ele vinha com a lotação media todos os bancos já ocupados, duas paradas apás o meu embarque ele parava novamente em frente a um cursinho pré vestibular onde subia um numero expressivo de jovens conhecidindo horário de encerramento das aulas e assim o coletivo literalmente lotava... sendo que na parte de trás do veiculo não havia bancos sobrando mais espaço para os passageiros ficaram em pe... eu me posicionava em um lugar atrás práximo a uma janela ate porque quando descia depois de aproximadamente 20 minutos de viagem o veiculo estava mais vazio... uma certa noite quando o ônibus parou para os estudantes embarcarem me chamou atenção uma garota... de estatura media, lourinha cabelos lisos abaixo dos ombros pele clara algumas sardinhas olhar baixo o que lhe dava uma expressão de virgenzinha safada, camiseta colada que realçava os seios médios calça jeans coladinha realçando uma bundinha redonda observando a marca da calcinha pequena... eu estava a olhando subir quando ela levantou o rosto me dando uma rápida olhada.. e o pessoal foi entrando, entrando ate que uma passo pra ca outro pra la e de repente vejo aquele anjinho louro bem a minha frente... o ônibus arrancou e ao parar na práxima parada mais pessoas subiram quando a menina deu um passo pra trás e pisou no meu pe... logo virou o rostinho sorrindo pediu desculpa... aproveitei para dizer que não tinha problema e ainda disse pode chegar mais pra trás aqui tem mais lugar, um passo apenas.. e assim ela ficou bem a minha frente, o braço dobrado prendendo os cadernos contra o peito a outra mão ela se segurava no corrimão... aproximei o rosto dos seus cabelos dourados aspirando uma suave fragrância... nossa que doçura... um momento o motorista deu uma freada mais brusca eu fui para frente esbarrando no seu corpo... foi a minha vez de lhe pedir desculpa e com o mesmo sorriso ela virou o rosto e disse que isto acontecia.. – nossa como este ônibus fica lotado... aproveitei aquela palavras para quem sabe iniciar uma conversa... – é sempre assim este é o penúltimo ônibus da noite e todos parecem que saem na mesma hora... – nossa não imaginava que enchesse tanto e ainda fica abafado... disse ela dando rápidas viradas com a cabeça para me olhar... – é por isto que eu fico aqui atrás para aproveitar o vento que entra pela janela... – é eu acho que aqui atrás ainda é o melhor lugar... – com certeza la sá no corredor o pessoal todo passand esbarrando na frente e depois quando desço o ônibus já esta mais vazio... e o papo foi rolando... ela me falou seu nome Aline era do interior terminara o ensino médio e viera para a capital a fim de se preparar melhor pro vestibular, morando agora com uma tia... Aline se mostrava muito simpática ainda descobri sua idade 19 anos completados a duas semanas atrás... entre um movimento e outro aconteciam as esbarradas nossos corpos se encostando... quando chegou a minha parada lhe dei tchau no que ela disse que a dela era a práxima e passou tbm pela roleta e nos despedimos eu desci. Passei o dia todo com a imagem daquela ninfeta na minha mente.. contei as horas para a saída do trabalho a noite e foi com um sorriso mais aberto que nos encontramos novamente no onibus.. desta vez Aline ficou mais ao lado eu dando uma olhadinha discreta para seu corpo nossa que delicia aquela bundinha saltadinha... novamente o veiculo parou... – nossa não acredito vai subir mais gente... – vem um pouquinho mais pra trás falei.. – desse jeito vou te espremer contra a parede do ônibus... falou ela dando um sorriso... disse que não havia problema e ai ela ficou naquela posição que eu gostei bem a minha frente... com o movimento dos ônibus freadas e arrancadas aproveitei para encostar... – não leva a mão estar assim esbarrando em vc... – tudo bem Bruno tbm este ônibus lotado é impossível não se encostar... – é que as vezes as pessoas podem pensar outra coisa sabe como é sempre tem homens que se aproveitam... – tudo bem não esquenta pelo menos vc é uma pessoa legal... o restante da viagem fui quase o tempo todo dando umas encoxadinhas naquela bundinha durinha e não teve como me controlar meu pau endurecendo... na despedida segurei sua mão ela apertou a minha trocamos sorriso combinando de nos encontrar na noite seguinte... o práximo encontro ela já veio toda sorridente perguntando como fora meu dia e coisas assim falando do dela etc... parecia que éramos amigos já a muito tempo... quando o veiculo chegou a parada do chopim... ela logo alertou... – opa deixa eu tomar o meu lugarzinho antes que alguém pegue meu lugar... e ficou a minha frente de costas bem pertinho aproveitando me encostar com mais assiduidade naquela bundinha e não escondia meu pau duro era impossível que ela não percebesse... um momento de uma volta ela se desequilibrou eu rápido a enlacei com o braço pela cintura a puxando pra trás no que ela pisou no meu peu... – ai Bruno desculpe mais uma vez... – não tem problema eu é que te puxou.. – ainda bem que vc me segurou se não cairia em cima de todo mundo... ai nem tenho lugar pra me segurar direito... – não te preocupa eu te seguro aqui na cintura... hum que tortura... ela com aquela calça de coxa baixo camiseta curtinha deixando a barriquinha o umbigo de fora eu com a mão ao lado ela encostada no meu pau.. e ainda mais um detalhe que me deixou louco, ela usava uma blusa um pouco mais degotada em V e sem sutiã... ela a todo momento jogava os cabelos pra frente e pra trás sobre os ombros eu olhando aqueles seinhos trepidando conforme o balançar do veiculo aumentando ainda mais o meu tesão por aquele ninfa lourinha... entre um papo e outro descobri que ela morava apás a praça então me disse que descia uma parada depois para não atravessar a prassa tendo medo de passar por ali sozinha.. – mas nossa vc caminha muito mais...— é sim duas quadras a mais mas é mais seguro... – não seja por isto, desça na minha parada eu atravesso a praça com vc.. – ai Bruno não quero lhe dar trabalho... – que é isto vem esta chegando a parada... descemos e caminhamos entrando pela praça que estava deserta.. – ate que não é tao assustador assim foi a minha tia que falou para eu dar a volta... – viu sá não precisa ter medo.. – ai que bom agora é sá chegar em casa fumar um cigarrinho e cama... puts esqueci de comprar cigarro... – não seja por isto.. puxei do bolço uma carteira lhe entrgando... – ai Bruno nossa vc é muito legal.. – se guiser pega mais de um... – ai que abuso o meu... – vamos fumar um aqui eu tm to com vontade... – não tem problema? – calro que não.. paramos práximo a uma mesa de pedra me encostei meio sentando lhe dei um cigarro outro pra mim e acendemos... – ainda bem que na sexta o meu carro fica pronto.. – há não, não vai me dizer que vc não vai mais pegar o ônibus... – não, volto de carro pra casa... – há Bruno assim não vale vai me abandonar... falou me olhando com uma carinha de menininha abandonada que me deu uma vontade louca de abraçá-la e lhe encher de beijinhos... acariciei o braço descendo segurei sua mão o que ela correspondeu.. – há tbm eu fico toda a hora dando pisao no teu pe, coitadinho do meu amigo imagino que quando vc tira o sapato ta cheio de bolhaS pelos meus picões... ri do seu jeito... – tbm não é tanto assim querida peguei sua mão levando a boca beijando a mãozinha delicada... ela sorriu aproveite a puxando mais para perto entre minhas pernas fazendo encostar na minha coxa.. meu braço em volta da cintura ela de lado... quando ela baixou o braço a braça tocou a minha mão... – ai nossa eu sou mesmo toda atrapalhada... falou pegando minha mão acariciando levou ao rosto dando beijinhos pedindo desculpas, desculpas.. – e melhor vc voltar de carro pelo menos vai correr menos perigo eu piso no teu pe te queimo com cigarro... ri do seu jeitinho a puxei para junto ao meu corpo e lhe beijei o rosto ela meia que se aninhou... – vc é um encanto de menina linda, acidentes acontece querida... – ai desculpe por tudo Bruno.. puxa vou perder o meu protetor, ai quem vai me proteger me segurar quando me desequilibrar... há isto não vale Bruno... falava com voz infantil fazendo biquinho... a puxei de vez de costas fazendo encostar a bundinha no meu cacete os braços em volta da cintura... ela puxou os cabelos pro lado liberando o pescoço o que lhe dei alguns beijinhos... – seu traidozinho vou sentir a tua falta... – eu tbm vc gosta de ficar assim... ela mexeu a cabeça afirmativamente... – vc é uma garota linda Aline e muito meiga... a virei de frente bem juntinha passei a mão no rostinho e fui aproximando o rosto ela fechou os olhos e nossos lábios se tocaram de leve e depois com mais intensidade a mãozinha dela do meu ombro subiu os braços cruzaram meu pescoço e nos beijamos demoradamente de língua... acariciei as costas e desci a mão passando no bumbum apertando o que senti ela suspirar a linguinha entrando com mais tesão na minha boca bem demorado... nossa que tesão aquela garotinha que tinha idade para ser minha filha ali comigo me beijando senti os seios durinhos encostado no meu peito... quando afastamos as bocas estávamos ofegantes nos olhamos sorrindo... – vc é muito carinhoso Bruno.. – e vc linda Aline... a partir de sexta eu posso lhe dar carona... – ai Bruno é um abuso... – que nada saio no mesmo horário que vc, passo na parada moramos práximo qual o problema... – ai seu la.. não quero abusar puxa vc é tão legal... não é abuso não, vai ser um prazer... – puxa va é muito legal... ela acariciou meu rosto colando a boca na minha aqueles lábios macios a linguinha nossa meu pau estourando de tesão o ventre junto ao meu corpo... ate que ela separou olhando pro relágio falou que estava na hora se não a tia ficaria preocupada com a demora, seguimos o caminho ate o outro lado da praça nos despedindo com beijinhos no rosto.

No dia seguinte, ou melhor na noite seguinte nos encontramos no ônibus ela veio e trocamos beijinhos no rosto... conversamos e quando da práxima parada assim que a porta se abriu para a entrada de mais passageiros ela já veio de costas encostando a bundinha no meu pau... coloquei o braço em volta da cintura sentindo sua pele macia em meus dedos e lhe dei um beijinho no rosto... fomos assim conversando falando no ouvido dando uns beijinhos no pescoço ela as vezes falava... – ai Bruno para assim me deixa arrepiada... ela pressionando os livros sobre o peito... – vc é quem ta me deixando louco... a puxei pela cintura encostando meu pau duro na bundinha... ela deu um rizinho mas ficou ali encostada... o tesão desejo que sentia por aquela garota era grande, seu jeitinho de falar toda dengosa as carinhas o pergume nossa dava vontade de beijá-la toda ali mesmo, resolvi ariscar um pouco mais, baixei o braço começando acariciar a coxa e depois fui subindo para o bumbum, quando ela percebeu virou o rosto... – Bruno tira a mão daí tem um monte de gente aqui seu louco... falou baixinho meia que rindo virando a cabeça pro lado da janela... – fica quietinha aline ninguém vai notar ta todo mundo bem juntinho... – vc é louco, safadinho... riu mexendo a cabeça deixando minha mão ficar, passava a mão toda pela bundinha sentia nos dedos sobre o tecido a calcinha, nossa que maravilha... depois de um tempo chegou a nossa parada, descemos iniciando nossa caminhada pela praça paramos no mesmo banco para fumar um cigarro... – desta vez vou cuidar para não te queimar... sorriu puxei o rostinho e lhe dei um selinho e a puxei contra meu corpo ela se acomodando de costas junto ao meu pau duro... enquanto fumávamos trocavamos algumas palavras... combinamos o local onde iria lhe pegar na noite seguinte... – ai nossa que bom amanhã vou me livrar daquele ônibus abafado lotado... – pena que não vou poder mais ficar assim abraçadinho a vc.. ela riu puxei os cabelos pro lado beijando o pescoço ela suspirou... – seu safadinho ainda bem que estava segurando os livros se não iria pagar o maior mico... – é mesmo porque? – há engraçadinho, imagina vc beijando meu pescoço fico toda arrepiada... ela baixou olhar pro peito... – hum assim vc fica mais deliciosa ainda... levei a mão tocando os seios por cima Da blusa em fim sentindo os contornos e saliência dos peitinhos da ninfa consegui perceber que os mamilos sobressaiam do bojo do seio finalizando com o biquinho que estava durinho de leve apertei entre os dedos.. – ai Bruno... ela suspirou profundamente... levei a outra mão repetindo todos os movimentos com delicadeza... Aline virou-se de frente me olhando nos olhos... foi aproximando o rosto, aqueles lábios clarinhos foram aproximando ate tocarem os meus, sua língua foi entrando na minha boca... abracei a cintura trazendo mais contra meu corpo fazendo encostar no meu cacete duríssimo... quando nossos lábios se afastaram a respiração era mais ofegante... desci a mão pelas costas ate apalpar o bumbum... – seu maluco... me olhou com aquele sorriso lindo, passando a mão em mim o ônibus lotado... já pensou se alguem vê? – que nada daquele jeito que estávamos todos parecendo sardinhas em lata era impossível perceber que a minha mão estava nesta bundinha linda... suspirei depois de mais um beijo apertando mais a bundinha... – Aline vc é uma menina maravilhosa estou louco para ver todo esse corpinho gostoso... outro beijo... e que beijos, parecia que um queria engolir a língua do outro... – quando vamos poder ficar assim mais juntinhos, quem sabe na sexta vou pegar meu carro na concessionário e depois lhe pego no cursinho e vamos a um motel? – Bruno calma ai, deixa eu te falar, se vc estiver a fim de continuar a me ver vai ter que ter muita paciência comigo... – claro que sim Aline... baixei o pescoço passando os lábios no pescoço falando práximo ao ouvido... eu conheço um motel bem gostoso não vou fazer nada do que vc não quiser to louco pra acariciar beijar esse corpinho lindo e gostoso todinho... – calma Bruno vc não ta entendo, eu não sou como estas garotas da cidade que vc esta acostumada, não sou uma santinha mas tbm pra galinha pu putinha não sirvo, não quero transar com vc... tirei o rosto do pescoço a encarando supresso com o comentário... ela percebendo que suas palavras surtiram efeito mudou a expressão do rosto sorrindo... terminando de completar a frase... – pelo menos agora não... – já sei, vc é virgem? – tbm não é isto já transei com um namorado mas não foi nada legal sei la ele não tinha experiência eu não queria e tudo foi meio a força fiquei toda machucadinha entende?... – tudo bem querida mas comigo vai ser diferente não se preocupe... – há sei la Bruno, por enquanto esta muito legal o que rola entre nos mas vc tem que prometer que vai ter muita calma comigo, não sou como essas garotas que já saem transando logo de cara... – tudo bem Aline vou ter calma com vc minha menininha gostosa... ela deu um rizinho enquanto eu beijava seu pescoço... sentindo os seios duros contra meu peito... apertando mais a bundinha... – ta Bruno agora chega esta na hora de ir... ela tentou se afastar mas a puxei pelo braço para junto ao meu corpo a enlaçando pela cintura por trás... beijei o pescoço... – ai Bruno não faz assim deixa eu ir... – sá mais um pouquinho Aline, é muito gostoso ficar assim junto a vc... sua mão acariciou meu braço pressionou a bundinha pra tras... – eu to sentindo que vc ta gostando ficar comigo... falou dando uma risadinha... coloquei a mão na barriga e comecei a subir os dedos por baixo da blusa quando ela interrompeu meu movimento... – para seu safadinho... – há deixa Aline, deixa eu sentir eles... – nem penar já esta na hora depois levo a maior bronca da minha tia... – há Aline sá um pouquinho... – naozinho, olha o que vc prometeu... sá assim... ela pegou minha mão colocando em cima do seio sobre a blusa... tive que me contentar... dei mais alguns amassos beijos e depois a levei ate a outra saída da praça...

Muitos homens na minha idade devem saber perfeitamente o que se passa quando de um envolvimento com uma ninfeta, ficamos de 4, e coisa mais ridícula que acho é um coroa tipo “tiozinho” babar por uma menina ou querer dar uma de garotão usando roupas de adolescentes pintando os cabelos e coisas assim para parecer mais jovens e poder passar por um namoradinho em lugares públicos acompanhado por uma garota que tem a idade para ser sua filha... mas é muito, muito difícil não se ter esse comportamento, a razão e o senso de ridículo desaparecem e literalmente ficamos de 4 fazendo coisas que já mais imaginaríamos fazer mas, eu ainda, ainda tentava manter esse controle e auto critica me subjugando mas acima de tudo e respeitando aos limites da garota...

Era o ultimo dia da semana... peguei o carro na concessionária e fui trabalhar sempre de olho no relágio que parecia parado tal a minha ansiedade para encontrar com a minha ninfa... ela me esperava no lugar combinado... entrou trocamos beijinhos no rosto arranquei o carro... fomos conversando para descontrair... ofereci um cigarro... Aline estava linda... (ai vai uma dica a todos os homens – se vc sair com uma mulher nos primeiros encontros e ela entrar no seu carro e permanecer com os livros ou bolsa sobre o colo nos práximos 19 minutos mesmo que vc ofereça para ela colocar atrás e sua “desejada” carona assim não o fizer, meu amigo, ela não esta nem um pouco pensando em dar pra vc, apenas uma carona no Maximo uns beijinhos, mas se por outro lado ela jogar os livrosbolsa no banco de trás do teu carro... nossa, vai a mil para o primeiro motel... esta dica é certíssima não falha, pode observarconferir... claro que tem o desconto da regra numero um do mulheril, não dar no primeiro encontro... mas observem cuecas...rs..rs..) e para piorar as coisas Aline ficou com os livros do curso sobre o colo o tempo todo... já fui me preparando ou melhor me desacelerando... – então Aline onde vc quer ir? Arrisquei a pergunta quem sabe ela havia mudado de idéia sobre a minha proposta do motel... – para casa né Bruno... falou olhando para o relágio mas, ainda demos um tempinho para conversar... mas olha la em Bruno sei bem como anda a violência esse negocio de ficar no carro parado nestas ruas desertas sei la morro de medo de um assalto... – tudo bem deixa comigo querida... virei na primeira esquina... – Bruno pra onde vc ta me levando, não vai me dizer que ta indo pro mooo.... – calma Aline não estamos indo pro motel não fica tranquila... ela sorriu me dando um beijo no rosto... algumas quadras cheguei a frente de uma casa, acionei o controle e o portal levantou entrei com o carro parando no fundo na garagem, descemos... ela perguntou onde estávamos.. – esta casa é de um casal de amigos que a compraram a pouco eles estão na Europa e me pediram para fazer uma reforma geral, elétrica hidráulica e outras coisas mais... semana que vem o pessoal da obra já esta terminando ai te mostro melhor... mas ao lado da garagem havia um ambiente tipo uma sala para festa com churrasqueira abracei e nos beijamos... – hum como é bom ficar assim com vc.. falou ela... – eu tbm gosto muito minha menininha linda... minhas mãos já começaram a passear por aquele corpinho apalpei a bundinha... – nossa vc é tarado por bunda é sá me abraçar que já vai passando a mão.. – mas vc tem um bumbum que nossa é lindinho e ainda mais com esta calcinha... ela riu me chamando de tarado... – que cor é a tua calcinha... – Bruno mas que coisa isto é pergunta.. falou rindo e depois disse que era azul dando detalhes do tamanho... – e quando vou ver vc de calcinha? Ela riu novamente... – calma querido, quando me sentir segura com vc... nossas vcs homens são todos iguais ficam loucos em ver mulher de calcinhas... – e vc gosta de provocar não é mesmo.. ela riu... sá um pouquinho... beijei o pescoço ela suspirou... – ai adoro quando vc me beija o pescoço da um arrepiozinho gostoso... – é mesmo enta vira assim de costas que eu beijo mais... antes de virar ela olhou pro volume na minha calça... – viu sá como vc me deixa... ela ficou olhando peguei a mão dela colocando em cima do meu pau... ela passou apertou um pouco sobre a calça... – nossa calma ai menino... disse com outro sorriso virou-se encostando no meu cacete puxou os cabelos pro lado liberando o pescoço comecei a passar a língua no pescoço práximo ao ouvido.. – ai que gostoso assim Bruno... – e ai me conta na tua cidade vc aprontava muito, muitos namorados? – os meus pais viviam pegando no meu pe não me deixavam namorar... – mas ai como foi que rolou vc me disse que não é mais virgem... – há sabe como é as vezes a gente da um jeitinho... e a transa foi legal? – ai Bruno como vc é curioso... – o que tem conta vai... beijei mais o pescoço a orelha a boca tocando o seios por cima da blusa... – a transa foi com o primo de uma amiga, nos fomos a uma festa ela com o namorado eu e o primo dela mas a gente não tava namorando ai na festa ficamos juntos, depois da festa fomos todos para a casa dessa minha amiga os pais dela havia saído... quando chegamos já estávamos todos bêbados... essa minha amiga começou uns amasos com o namorado e depois forma pro quarto eu fiquei com o primo dela ele começou a me agarrar e ai foi rolando mas eu não queria mas nossa tava bêbada e quando me dei conta ele havia me levado pro quarto me tirou a roupa nossa o cara era muito bruto nossa não foi nada legal... – esses garotos não sabem fazer as coisas direito... uma gatinha assim como vc tem que ser tratada com muito carinho... – é assim que eu gosto muito carinho.. – e carícias... bem assim... abri os botões da blusa tocando os seios por cima do sutiã... – ela suspirou.. – ai Bruno... nos beijamos com mais tesão... tentei puxar o sutiã pra cima ela segurou minha mão... – deixa eu tirar teu sutiã querida... – ai não Bruno... – não me judia tanto assim Aline... – ai Bruno já ta quase na hora.. – então pelo menos deixa eu ver tira o sutiã tira... – ta bem mas olha la comporte-se... falou me apontando o dedinho... se afastando... – hei onde vc vai? – vou no banheiro, calma seu apressadinho... aja paciência... suspirei... alguns minutos ela voltou pediu para apagar a luz... mais uma vez atendi deixando apenas a luz de fora o ambiente meio na penumbra... ela veio e encostou a bundinha no meu pau... beijei o pescoço abraçando as mãos subiram tocando a blusa... ela havia tirado o sutiã... acariciei por cima da blusa e depois fui abrindo todos os botões e finalmente os toquei ela suspirou... – então ta satisfeito? – huumm uma delicia Aline teus seios são lindos... e nossa valera esperar, bojudinhos tamanho médio pele bem clarinha os mamilos saltados tipo ovo frito bem grandes tendo os biquinhos duros pra cima fiquei vários minutos acariciando os dois apertando de leve ela suspirando a virei nos beijamos peguei sua mão colocando em cima do meu pau sobre a calca ela o acariciou sua respiração mais alterada ainda... deslizei os lábios pelo pescoço práximo a orelha.. – que peitinhos gostosos vou dar uns beijinhos... – de vagar Bruno eles estão muito durinhos... inclinei a cabeça passando a língua nos mamilos e depois sugando os biquinhos ela suspirando gemendo apertando meu cacete... comecei a baixar o fecho da minha calça... – para Bruno o que vc vai fazer.. – não to aguentando mais Aline ta muito apertado vou tirar pra fora... ela ficou olhando meu cacete saltou como uma mola... – pega nele querida... – ta mas sá assim com a mão... – tudo bem... – hum que gostoso querida... – é assim que se faz? – é isto mesmo mexe a mãozinha pra frente e pra trás.. hum vc é uma tesaozinha vou gozar bem gostoso... ela ficou me punhetando sem jeito demonstrando na ter experiência mas já diante de tanta frescura e espera nos havíamos progredido bastantes... ficamos assim eu beijando os peitinhos dela que gemia ao mesmo tempo me punhetando ate que depois d eum tempo dei uma forte gozada espiando no chão pra todo que é lado... – puxa nossa como vc é grande.. – mas não se preocupe querida quando chegar a hora vou ser muito carinhoso e vc vai adorar... desci a mão acariciando a xoxota por cima da calça jeans... trocamos mais beijos e depois ela fechou a blusa... – e o sutiã não vai vestir? – há titia não vai notar vou direto pro meu quarto vamos logo pra não chegar atrasada... durante o trajeto ate sua casa Aline veio bem juntinha me dando beijinhos no rosto segurando minha mão... – adorei essa noite... ela suspirou e disse que tbm... – viu sá querida como vc pode confiar em mim, nos curtimos e não aconteceu nada a mais do que vc não queria... ela me deu um selinho... – ai Bruno eu sei, puxa vc é um homem muito carinhoso e acima de tudo esta tendo muita paciência comigo e isto é que me faz cada vez me sentir mais segura ao teu lado... quando parei o carrro na praça local para ela descer dei alguns beijinhos na boca e passei a mão nas coxas... – vc não gosta de usar saia? – gosto sim porque? – adorai ver vc de saia... ela sorriu e disse quem sabe... nos despedimos com final de semana... arranquei o carro nossa que noite... tudo que acontecera já fora um grande avanço em nossos amassos... passei o final de semana pensando na minha ninfetinha lourinha... ate que chegou a segunda feira... ao chegar no escritário por volta das 19 horas meu colega imformou que um cliente havia feito o pedido de vários relatários para a manha do dia seguinte... senti que por mais me emprenhasse dificilmente terminaria tudo ate as 22:00... assim que meu colega saiu por volta das 20 horas liguei para seu celular... quando percebeu minha voz foi toda carinhosa... então falei que problema surgido na ultima hora.. logo senti nas suas palavras desapontamento e tristeza... então me veio a idéia de convidá-la para vir ate o escritário... – ai Bruno não sei não, não quero atrapalhar vc... – não vai atrapalhar nada querida vem nos ficamos conversando enquanto vou imprimir os relatários e depois vamos embora... – mas que horas vc vai terminar tudo? – por volta das 23 23:30 horas é geralmente a hora que eu te largo em casa... – mas não vai ficar chato eu ai e os teus colegas... – não tem ninguém estou sozinho... – então ta Bruno... – é facil vc encontrar, são três quadras nesta mesma calçada do teu curso no sentido pro centro... quando vc chegar na portaria pede para ir para a sala 801 e diz que é minha sobrinha... – então ta “titio” falou rindo, daqui a pouquinho estou ai esta aula hora esta super chata... beijos... trabalhei mais um pouco preparando as pilhas de impressão que já havia criado os relatários... 19 minutos depois o telefone toca, era o segurança anunciando a chegada da “minha sobrinha” o que autorizei a subir... mais alguns minutos ela bateu a porta do escritário... abri ela sorriu... – oi titio... sorri dando lugar para sua entrada fechei a porta – oi minha linda que saudades... nos abraçamos de corpo todo trocando um beijo... – fica a vontade Aline... passamos para a outra sala onde havia os computadores e impressoras... ela largou a bolsa pedindo um copo de água... – nossa que papelada o que é isto tudo? – são relatários de contabilidade e uma empresa... – mas vc não é Arquiteto? – sou sim, lembra da casa que te mostrei na sexta? Mas tbm tenho curso de contabilidade então fiz uma sociedade com um amigo Contador dividimos o espaço ele trabalha durante o dia eu a noite mas como tbm conheço a área contábil ajudo meu colega e temos algumas empresas onde prestamos toda a assessoria contábil... ela sorriu comentando com uma pontinha de ironia... – nossa como meu tiozinho trabalha... ela me beijou e depois aproximou da janela comentando sobre a vista... – vem aqui na minha sala a vista é melhor... atravessamos a porta passando para a minha sala onde Havaí a mesa grande para desenvolver projetos uma menor de trabalho computador e um sofá... chegamos a janela o que abri as cortinas e os vidro... – nossa Bruno que vista linda... e que ventinho gostoso... – fui lhe apontando alguns detalhes da cidade... ela pediu para fumar fui buscar o cigarro e cinceiro.. quando voltei deliguei a luz deixando a claridade que vinha da rua e da outra sala... Aline estava sentada na minha cadeira alta que uso para trabalhar na mesa de projetos... – pode levantar este é minha mesa... – puxa Bruno vc não esta sendo nem um pouquinho cavalheiro... me sentei na cadeira e depois a puxei fazendo sentar no meu colo... – viu sá como sou cavalheiro... ela riu... acendendo o cigarro... se acomodou melhor sobre minhas pernas colocando o braço em volta do meu pescoço... – cavalheiro é seu safadinho... disse sorrindo me dando um beijinho na boca... gostei dessa de vc ser meu tio, não tenho um tio assim tão charmoso como vc... – eu tbm não uma sobrinha tão linda com um corpo gostoso... coloquei a mão no joelho acarciadno... virei o rosto procurando seus lábios... – ai titio para deixa eu fumar... falou dando uma risadinha... voltando a olhar pra fora... aproximei o rosto do pescoço... – adoro esse teu perfume... suave e gostoso como vc... ela sorriu enquanto minha mão subiu mais do joelho para a coxa... – vc esta linda com essa minissaia... – nem é tão mini assim essa ate que é bem comportada comparada com umas que uso em casa... – é mesmo bem curtinha hum e porque vc não veio com ela.. – ta louco é muito curtinha quase aparece tudo... riu... – mas e a tua tia... – há sá uso em casa né mas ela não deixa eu sair pra rua... acariciei mais a coxa subindo um pouco mais a mão ao mesmo tempo beijando o pescoço... – hum mas um dia vc vai usa-la pra mim... – ta louco Bruno, não tenho coragem de sair na frente de casa com aquela saia e depois minha tia não deixaria... – vc faz assim, vem com outra saia e coloca aquela na bolça e depois que estivermos sozinhos vc a vesta... – seu espertinho pensa em tudo.. tiozinho safado.. sorriu me beijando de língua... – hum que saudades desse beijo.. disse ela.. – tu tbm saudades de vc todinha desas coxas lindas macias... apertei mais a coxa – nossa que pele macia Aline que delicia... já to imaginando vc com essa sainha é muito curta querida? – é sim na realidade já a tenho alguns anos é de brim meia desbotada... quase mostra as calcinhas... – hum que delicia ainda mais com essa bundinha.. – ai para tio tarado... ffalou suspirando quando beijei o pescoço práximo a orelha... – quer ser a minha sobrinha quer meu amor... ela riu... – hum isto é uma fantasia é? Vc já transou com alguma sobrinha...? – não tenho nenhuma sobrinha linda assim como vc, é sá uma brincadeirinha... – brincadeirinha é, então quero tio Bruno... nos beijamos de língua novamente... levei a mão tocando os seios ela suspirou... – e o que meu tiozinho quer que a sobrinha faça... – tudinho que nos fizemos na sexta... ela riu... enquanto eu ia abrindo os botões da blusa... tocando os seios por cima do sutiã... quando tentei levar a mão procurando o fecho ela segurou... – para tiozinho... – há não, vc não vai me judiar novamente... ela riu... – não tem perigo de alguém chegar? – claro que não querida, estamos sozinhos sem problema...—então vai la olhar os teus relatários... ela saiu do meu colo eu fui a outra sala... disparei a impressão de outro relatário alguns minutos retornei... ela estava na janela me aproximei abraçando por trás rosando meu cacete duro no bumbum depois me sentei no banco alto a puxando em pe entre minhas pernas... – hum vc fica muito sexi assim de blusa esses seios lindos soltinhos.. ela com as mãos em meus ombros sorrindo... – gosta titio... achei gostoso o seu jeitinho ela falando com voz infantil... – adorei... levantei o rosto e nos beijamos depois fui abrindo lentamente os botos da blusa.. a cada um aberto dava mais beijos... seus dedos passavam na minha nuca rosando de leve passando nos cabelos... ate que abri toda a blusa... – que seios lindos querida... aproximei o rosto passando a língua beijando sugando os mamilos... ela suspirando... – ai que gostoso titio... permanecei beijando sugando um e outro seio ela suspirando mais e mais... desci a mão pelas costas tocando apertando a bundinha por cima da saia... depois desci mais as mãos e comecei a levantar a saia... – ai Bruno para... falou meia que gemendo... quando minhas mãos tocavam a bundinha percevendo a calcinha enfiada no rego... então levei a mão ao fecho da saia e comecei a descer... – ai o que tu vai fazer titio? – vou deixar a minha sobrinha de calcinha... ela deu um giritinho de excitação.. – mas promete que sá isto ta... – tudo bem querida vc me mata de tesão mas tudo bem... então finalmente a saia caiu no chão... então comecei a puxando pelos ombros a blusa e tirei... – ai que vergonha titio... não precisa ficar envergonhadinha meu amor o titio sá quero fazer carinhos em vc... abracei lhe beijando a boca ao mesmo tempo que minha mãos não paravam deslizando pelos sieos bumbum ao mesmo tempo que o ventre pressionava meu pau então seus lábios tocaram meu pescoço a língua passando na minha orelha ouvia ela cada vez com a respiração mais apreessada ela levou os dedos e começou abir os botões da minha camisa... – quero sentir teu peito titio... tirei a camisa ela ficou olhando meu peito com pelos passando os dedos me abraçou rosando os seios os biquinhos duros em meus epelso suspirando... – ai que gostoso... falou ela que começou a rosar esfregar seu corpo ao meu me beijando o pescoço a orelha a boca e ate meu peito... levou a mão tocando meu pau por cima da calca... – hum como ta duro... – de desejo por vc querida.. levei as mãos abri o cinto a calca e fui puxando pra baixo... – ola la que vc prometeu hem... – não te preocupa querida sá vamos brincar bem gostoso... sua mãozinha apertava meu cacete por cima da cueca enquanto eu beijava a boca acariciava a bundinha mas ela não deixava eu tocar o ventre, ai que garota difícil... então ela mesmo tirou meu pra pra fora e agora mais acostumada começou a me punhetar... baixei de vez a cueca ficando mais a vontade.. coloquei o cacete entrer as coxosas bem junto a xoxota coberta epenas por aquele tecido de malha da calcinha... Aline fechou bem as pernas prendendo meu pau começou a mexer pra frente e pra trás como se estivesemos transando... enquanto isto nossos lábios não desgrudavam as línguas famintas invadindo nossas bocas... suspiros gemidos cada vez mais intensos... – vc me deixa louco querida, nossa como gosta de me provocar safadinha... – ai eu titio safadinha.. falou com voz infantil colocando o dedinho na boca tirou meu pau o segurando acariciando... passando os dedos pelo saco por todo como em movimentos de reconhecimento... – hum ele ta molhadinho.. pegou meu pau esfregando na xoxota por cima da calcinha... – ai nossa que gostoso.... – deixa eu te acariciar.. – ai não Bruno – mas porque Aline sá uns carinhos uns beijinhos to louco pra sentir essa xoxotinha deve estar bem molhada... – ai Bruno tem uma coisa pra te dizer... – que é querida fala, fala meu amor... – ai sinto vergonha de falar.. – fala querida fala... desci a mão tocando a coxa pela frente então um momento que ela vacilou meus dedos tocaram a calcinha e senti de imediato algo mais duro que sobressaia entre os lábios... – é isto sentiu? Eu sou meia diferente das outras mulheres... meus dedos puxaam proa lado a calcinha tocando... esse era o segredo de Aline que acabara de desvendar... ela tinha o clitáris grande tipo a metade de um dedo mínimo quase um cacetinho... – hum que delicia querida... – ai que vergonha titio... – não precisa ficar assim querida eu adorei... alien estava molhadissima... meus dedos deslizaram pelo grande clitáris que sobressaia entre os lábios... a fiz sentar na minha mesa... – relaxa querida beijei o pescoço os sieos e fui descendo... puxei pro lado a calcinha e realmente parecia um pintinho de uma criança rosadinho lindos... quando toquei com a ponta da língua deu um gritinho... – ai titio com carinho ta... – dei beijinhos passai mais a lingua sugando... parecia que estava chupando um cacetinho beijei labi os lábios da xoxota sentindo o seu gosto cada vêz mais acentuado... ela gemendo passando a mão nos meus cabelos... desci mais com a língua ate encontar o cuzinho passei a língua ela ficou louca.. comecei a altarnar beijos labidas na xoxotinha e no cuzinho – ai que gostoso titio ai nunca ninguem fez assim hum que delicia ai não para não para ai que delicia a tua língua huuumm ai que como é bom aiii.... aiiiiiiii vou gozar... e não precisou muitos minutos a mais ela deu um grito e gozando apertando minha cabeça entre as coxas... depois me puxou pra cima me beijando sua língua passando nos meus lábios como que colhendo seu práprio gosto... nos beijamos longamente ela desceu a mão segurando meu pau... – quero fazer aquilo que vc me pediu na sexta... ela desceu da mesa pegou meu pau agachou-se a minha frente e foi aproximando o rosto realemnte minha ninfa não tinha experiência alguma ela começou a passar a língua no meu pau em volta da cabeça.. – to fazendo direito titio? – ta sim querida continua assim uma delicia... – vc é o primeiro homem que faço sexo oral... – ta gostando querida? – to vc tem um gostinho salgadinho.. falou rindo... e voltou a lamber a cabeça do meu pau descendo a língua passando pelos lados ate a base e subindo algum tempo e o instinto de fêmea tomou conta... Aline beijava meu pau abria a boca sugava a cabeça não conseguindo chupar muito depois passou meu pau nos seios em cima dos biquinhos... me deixando cada vêz mais louco... já não estava mais aguentando de tesão...ela percebeu que estava chegando a hora e começou a me punhetar afastando um pouco o rosto as vezes aproximando os lábios dando uns beijinhos na cabeça... ate que quando falei que iria gozar ela aproximou o rosto para olhar de pertinho meu semem que saiau em grande quantidade ela dei alguns beijinhos não deixando tudo derramar fora passou a língua sobre seus lábios sentindo melhor meu gostoso... – hum é salgadinho mesmo... levantou e nos beijamos ternamente com muito carinho... permanecemos assim nosos corpos colados... quando ela olhou pro relágio... – caraça Bruno já é quase meia noite vamos embora se não a minha tia me mata...

No dia seguinte Aline não foi a aula e conseguentemente não nos vimos... no dia seguinte... ela matou algumas aulas e a peguei no curso bem cedo... mais uma vez ela esta linda me abraçou toda carinhosa me beijando a boca e falando que estava com saudades... fomos para casa que estava reformando... a sala da casa já estava pronta inclusive os moveris já viera do deposito... assim ficmaos mais cofortaveis... me sentei na poltrona ela no meu colo... nos beijamos longamente... eu já me sentia envolvido por aquela garotinha linda meus sentimentos passavam de apenas pura atração pelo seu corpo juvenil... quando o beijo terminou sua blusa estava aberta minha mão acariciando os seios sobre o sutiã de renda muito delicado... desci a mão passando nas coxas... – vc é uma delicia querida... adoro vc teu corpo vc todinha ela sorriu me abraçando beijando... – ai Bruno não sei o que esta acontecendo comigo ai acho que estou ficando apaixonada por vc... mais um beijo cheio de carinho... – que coxas lindas pele macia nosso ficaria o tempo todo te acariciando... vc esta linda com esta saia... ela deu uma risadinha... então lembrei... – e aquela sainha que vc comentou? Ela deu uma risadinha colocando o rosto no meu pescoço... – há não vai me dizer que vc trouxe... ela mexeu a cabeça afirmativamente... – hum então veste Aline... – ai Bruno não sei se vou ter coragem... – há meu amor veste vai quero ver to curioso.. ai não... falava ela fazendo aquele charminho que me excutava mais ainda... e por fim ela foi ao banheiro... abri uma cervejinha que estrategicamente eu havia comprado servi nossos corpos aguardando e logo ela abriu a porta aparedendo... havia mudado o visual.. suava uma blusa branca tipo camisa amarrada na cintura e a tal saia... – ai nossa olha sá to parecendo uma prosti com essa saia curta... que nada amorzinho vc esta linda uma tesão... – ai olha sá to com a bunda toda de fora... – nossa que gostosa querida tbm não [e bem assim eu já vi garotas da tua idade usando saias desse comprimento na rua... e na realidade era curtinha mesmo um palmo um pouco mais aberto acima do joelho mostrando o inicio da bundinha... abracei a cintura a beijando e depois desfiz o no da blusa... – adoro esses peitinhos lindos querida... – é mesmo titio... falou com aquela carinha safada a voz infantil assumindo nossa fantasia meia incestuosa que me excitava muito... colei a boca suagando os seios... – ai titio que gostoso isto faz assim... falava com aquele jeitinho dengoso passando os dedos entre meus cabelos esfregando a coxa no meu pau... subi as mãos pelas coxas ate a bundinha coberta pela pequena calcinha diminuta de rendinhas... passei os dedos na frente sentindo molhadinha e aquele detalhe que sobressaia... ela suspirou profundamente apertando meu pau com o joelho... – vira meu amor quero der esse bumbunzinho gostoso... ela atendeu apiando as mãos no sofá... fui lentamente levantando a sainha fiquei admirando aquela bundinha linda redonda durinha com uma pequena calcinha que sumia no requinho... aproximei o rosto esfregando minha face naquela pele macia acariciei a bundinha dando mil beijinhos puxei a calcinha pro lado e desci com a ponta da língua pelo rego... – ai titio... ela gemeu quando encostei a ponta da língua no cuzinho... acariciei pressionando a língua ao mesmo tempo meus dedos passavam na xoxotinha... mais baixo minha língua passou na xoxota conseguindo penetrar a bocetinha semi-virgem... ela maluca gemendo muito... a virei puxando a pequena calcinha pro lado fiquei admirando aquela bocetinha linda rosada com pelinhos claros os lábios inchados sobressaindo aquele clitáris clarinho passei a língua ela deu um gritinho passando a mão na minha cabeça... – ai que gostoso querido... brinquei com aquele clitáris que parecia um pintinho... lambi chupei alternando com lambidas nos lábios da xoxotinha ela maluca de tesão foi um bom tempo que mantive meu rosto entre suas coxas colhendo seu melzinho sentindo aquele perfume maravilhoso o que resultou em um orgasmos delicioso da minha ninfa... logo depois ela veio colocando os braços em volta do meu pescoço me dando um beijo de língua... – hum que delicia vc Bruno... ela tirou minha camisa e depois minha calça... e começou a passar a mão no meu pau por cima da sunga... – vou ter que concordar com vc Aline, se saísse com essa sainha na rua iria dar o maior congestionamento de transito... ela sorriu... me abraçando os seios rosando no meu peito... – então gostou da sainha... – adorei querida vc fica muito sexi vestidinha assim, qualquer homem ficaria louco... ela sorriu apertando mais meu pau... – e vc adora provocar não é mesmos safadinha? Outros rizinhos ela mexeu a cabeça afirmativamente depois com a mão jogou os cabelos pra trás passando a ponta da língua nos meus lábios... nossa como ela havia mudado em seu comportamente e isto menos de um mês comparada aquela menina que conhecera no ônibus e os primeiros encontros... – é que vcs homens são todos uns bobos não podem ver um degote mais ousado ou uma saia mais curta e ficam malucos bem durinhos assim como vc... – e na tua cidade vc aprontava muito... outra expressão de riso carinha de safada... ela começou a me contar... – tenho uma amiga que algum tempo práximo ao prédio dela estavam construindo outro edifício... e quando saímos da aula as vezes ia ao apartamento dela no oitavo andar... uma tarde estávamos estudando sentadas a mesa quando ela me falou para olhar discretamente pela janela para o tal prédio em construção e logo notei que havia um operário parado olhando para a janela do ap dela... então essa minha amiga deu uma risada e disse que ele estava esperando o chouzinho... eu fiquei sem entender ate que ela levou a mão abrindo alguns botões da blusa deixando o sutiã a mostra e foi para a janela olhando pra fora pro nada... depois puxou bem pros lados as cortinas e começou a andar de um lado pro outro e começou a dançar de forma bem sensual o cara da construção já estava com a mão por dentro do calção... risos... eu achei bem engraçado tudo aquilo essa minha amiga é bem palhaça.. – mas e vc tesaozinha o que fez... – ai não fiz nada... falou com aquela carinha de menininha inocente... dei uma palmadinha... pedindo para contar... – no dia seguinte na mesma hora havia uns 3 operarios e minha amiga colocou o som e começou a dançar e depois me chamou e nos duas começamos a dançar bem sexi nossa os caras os tres fazendo aquilo... – aquilo o que batendo punheta? – ai Bruno o que vc acha? – então fala, quero ouvir... – é batendo punheta todos de paus duros assim como o teu... – então tira ele pra fora... ela fes eu me despi por complesto... ai que delicia suspirou... – continua o que mais vcs faziam... – nos ficamos dançando provocando os caras eu levava esta saia ela tbm vestia roupas curtinhas transaparentes nossa os caras quase caiam da obra um sarro todos se punhetando chegamos a ficar de calcinhas nossa no final eles aplaudiam assobiavam pra nos mas é claro que nem olhávamos pra eles... risos... – homens todos bobos.. mais risos... – sua safadinha... nos beijamos a boca e depois os seios... ela baixou a cabeça... – ai que tesão o teu pau titio... – gostou é putinha... ela me olhou dando um rizinho e começou a passar a língua em volta da cabeça e depois desde o saco ate em cima demonstrando mais acostumada com meu cacete... Aline lambeu chupou brincou com meu pau já demonstrando estar gostando da coisa... eu já não estava mais aguentnado de tesão... a puxei pra cima lhe beijando sentindo meu gosto em seus lábios... coloquei meu pau entre as coxas práximo a xoxota ela apertou meu cacete com as coxas gemendo no meu ouvido... então e sentei em uma mesa que ficava bem certinha na altura do meu cacete e da xoxota.. puxei o pequeno paninho pro lado e comecei a passar a cabeça do meu pau entre os lábios pressionando o clitáris... – ai Bruno que gostoso... gemia no meu ouvido as vezes trocavamos beijinhos... desci meu pau encontrando o canal da xoxotinha que estava molhadissima encostei bem na entrar... – ai não titio... – deixa minha sobrinha safada deixa eu titio botar sá a cabecinha... ela deu um rizinho e um gemido... – ai tiozinho promete que sá a cabeça, promete? Gemeu... – sim meu amorzinho... forcei um pouco mais alojando toda a cabeça e comecei a movimentar a cabeça entrando e saindo e depois tirei... ela fez aquela carinho manonhsa com beicinho... – ai titio porque tirou tava tão gostozinho... – quer mais meu amor? – quero titio querido... voltei a colocar a cabeça na entrada do canal da bocetinha ela suspendeu mais as pernas... todos esses diálogos entre um gemido suspiros e outros alem da vozinha manhosa infantil que ela fazia que me deixava maluco de tesão... – põem mais um pouco titio põem... fui entrando na xoxota super apertadinha as paredes da xoxota envovendo todo meu pau uma delicia... finalmente estava fazendo um amorzinho bem gostoso com a ninfatinha hum que delicia... ela largou do meu pescoço a apoiou as mãos atrás das suas costas jogando a cabeça pra trás gemendo... – ai que gostoso vai entra mais me come assim bem gostoso... huuuuummm que delicia... fui penetrando mais e mais Aline permanecei com a boca aberta os olhos fechados o rosto virado pro teto gemendo... – ai que delicia o teu pau huumm como ta gostoso vai enfia mais... iniciei os movimentos de entra e sai da xoxotinha Aline ficou louca gemendo inclinei a cabeça beijando sugando os seios os mailo duros os biquinhos durissimos apertei e ate mordi de leve ela dava gritinhos de tesão... – ai que loucura ta vindo ta vindo não para de mexer ai nossa vou gozar vou gozar... aiiiii.... aiiiiiiiii... aiiiiiiiiiii... noooosa que tesão... ela começou a mexer toda entrando em uma seguencia de pequenos orgamos enquanto eu continuava a entrar e sair daquela xoxota... então apás mais alguns movimentos cada vez mais profundos ela deu um grito que acho que ate os vizinhos devem ter ouvido e senti a cabeça do meu cacete molhar mais ainda... então pediu para eu sair e fechou as coxas... me puxou sobre seu corpo colando a boca a minha acariciando meu rosto... – nossa bruno que delicia... hoje sim eu pude sentir o que é fazer amor de verdade nossa vc foi muito gostoso querido vc me deu um prazer que nunca havia sentido com um homem... mais abraços beijos eu ainda de pau duríssimo minha ninfa levou a mão o segurando aproximou a boca da minha orelha deu uma mordidinha... – agora senta no sofá que eu vou cuidar “desse moço” gostoso... me acomdei no sofá... tomamos alguns goles de cerveja... enquanto Aline tirou a saia que estava presa na cintura dando uma voltinha mostrando a calcinha linda super sexi a blusa tbm ela tirou... – tira a calcinha Aline quero ver vc toda peladinha... – ela sorriu... tiro sim meu amor, vc merece tudinho, mas agora eu quero é lhe dar prazer ta fica quietinho... Aline nua foi ate o balcão... nossa que delicia teu corpo querida gostaria de ficar um dia todinho com vc assim peladinha admirando vc andar d eum lado pro outro... – sá adimirando? Me olhou piscando o olho com aquela carinha safada... – tbm de acariciando transando bem gostozinho... – hum iria adorar... disse ela acendendo um cigarro... aproximou deu algumas tragadas e me entregou o cigarro subindo no sofá ajoelhando-se ao lado das minhas pernas levou o pau a boca e começou a lambe-lo entre um suspiro e outro enquanto eu bem centado tomava alguns goles de cerveja e terminava de fumar... – que delicia chupar um cacete nossa ai como é bom to fazendo direitinho? – ta sim querida isto chupa assim mesmo... ao mesmo tempo sua maozinha brincava com meu saco quando colocou a cabeça na boca apertando com os lábios os dedos envolveram meu pau iniciando uma gostosa punheta... que foi aumentando a velocidade apás um tempo já não aquentando mais falei que iria gozar... – goza titio, goza na boquiha da tua sobrinha putinha... e abriu o boca eu dei uma gozada farta onde ela meia que se engasdou tossiu um pouco mas conseguiu beber a grande maioria... depois ejoelhada colou o corpo a minha cabeça rosando os seios ao meu rosto o braço pra baixo os dedos acariciando meu pau... – puxa Bruno nossa mas vc hem que quanto leitinho por isto é que me engasdo toda... deu uma risadinha enquanto eu acariciava e beijava os seios ali coladinho na minha boca... desci a mão passando na bundinha meu dedo entrou pelo rego encostando e passando bem em cima do cuzinho... permanecemos assim abraçados nos tocando bem gostozinhos ate nos acalmarmos não havendo mais tempo nos vestimos e fomos embora.

A partir dessa primeira transa tivemos outras mais carinhosas e intensas ainda... aline se revelou uma garota maravilhosa muito sexi e quente... mais tarde com jeitinho consegui transar com na bundinha dela... a principio ela reclamou manhosamente um pouquinho mas depois adorou tanto que sempre pedia mais e mais...



Gostaria de entrar em contato com todas as pessoas que gostam de escrever seus relatos verídicos ou não – msn [email protected] - email [email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos dominada por mulequinhosMenina mamando o pai contoseroticosLóira safada narra conto metendo na coberturaminha filha camila contos eroticoscontis eroticos comendo meu amigo bebadoMinha mulher adora reparar na piroca dos machoscontoerotico professorasirmao com ciumes contos eroticoscontos eróticos. incesto ,adoro ver meu filho a comecontos a mulher casada aiiiiiiiiiiii meu cuuu ai vou fala para meu maridoconto erótico a coroa tem um bucetao que deixa marca no shortinhotitia s***** invade quarto do sobrinho e pede para tomar no c******titia ficar mandando o sobrinho que está bem contos eróticosmulher caucinha tirando xoti para fudecontos eroticos de como meu amigo me comendocasa dos contos o jegue de bigodesconsultora pega a cliente e a faz gemer de prazercontos gravidacontos eróticos quando eu quebrei o braço minha mãe foi dar banho em mimcontos erotico esposa propoe procontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos comi minha cunhadacontos titioconto eu e minha meia irmãContos eroticos aii te amo ..ai ..ai mo vc e gostosa devagrmulher do gelou grande fudedomarido libera esposa para pagar o aluguel contoporno insesto na hora gue o tamanho do pau me asusteicontos eroticos traindo marido na Sala ao ladomãe puta, contocasa dos contos eroticos de coroascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos fui arrombada e esporradaconto tinha 13 e comi uma coroa de 33como fuder com banana verdeTenho um cuzinho guloso contos eróticosContos eroticos puta desde novinhaokinawa.ufa.ru conto orgíasencochada com vestido fino crentinhacantos eroticos SOU casada mais dei meu cuzaocontos eroticos minha maefez um boquete em mimminha cadelinha zoofilia contoscontosconto lesbico tia iniciando a sobrinhaquebrei o cabaço da minha irmã ela chorou muito porno cariocacontos eroticos mulher casada se evamigo do meu marido dano de bom frenre dele e mim chatagiado contos eroticoconto erótico na praia com a família da esposaContos pornôs buceta virgemjaponesinha novinha foi da pro negao se arrependeumulher depravadamarido de marleni vendo ela transarconto deixei minha esposa peladacontos minha cadela virgemcontos eroticos exibi minha mulherconto o Pastor me comeufudendo a sobrinha contosConto erotico so a cabecinhaconto erótico tia me dando banho junto quando era pequenocontos eroticos cachorras no ciocontos eróticos iniciado pela tiacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos novinha de 12an chantageadaContos eroticos de esposa é abusada pela empregada coroarelatos eroticos de lesbicas minha mulher e outracontos eroticos meu priminho gordinhoconto nunca pensei que iriamos numa praia de nudismomacho fazedor de cornosobrinha de calcinha na piscina contosamigas pegao mendigo na rua da banho e depois/punheta/elecontos verdadeiro de madrasta amantes do enteado