Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O NAMORADINHO DA MINHA MELHOR AMIGA (GABS_02)

Algumas coisas acontecem e a gente nem percebe. Quando se dá conta, já foi. Foi assim que eu passei da fase de olhar os garotos, ficar imaginando as coisas e depois me acabar na punheta trancado no quarto, no banheiro.

Meu nome é Gabriel, tenho 1m74, 63kg. Cabelos castanho claro lisos, olhos castanho-esverdeados, branco, às vezes meio queimado de praia e piscina.



PARTE 2



Nem preciso dizer que dormi feito um anjo naquela noite, depois de pela primeira vez ter sido beijado por um garoto, e ainda mais aquele delicioso do André! E depois da primeira vez que chupei e fui chupado.

Mas lágico que bati uma antes de dormir...

No dia seguinte acordei cedo ultra animado para ir à escola ver o meu... Meu o quê? Namorado não, pois era da minha melhor amiga. Amigo não sei, pois até o dia anterior raramente trocávamos mais que dez palavras por semana, sei lá. É o que aconteceu de repente.

Cheguei na escola bem cheiroso, cabelo arrumadinho, tanto que as meninas repararam na produção e queriam saber o porque disso. Fingi que não era nem comigo.

Fiquei aguardando o André chegar ansiosamente, nem imagino o porquê.

Quando ele entrou, imaginei que fosse conversar comigo, que as coisas seriam diferentes, mas, para meu espanto, ele basicamente me ignorou. Como tivera sido em todos os dias da minha vida antes de ontem.

Nem preciso dizer que acabou com meu dia! Na hora da saída, nem fiquei muito de conversa e fui logo me encaminhando pra casa, que fica a uns 4km da escola, mas que eu sempre volto à pé.

Quando viro a primeira esquina levo um susto, o André me esperava ali.



-O que voce tá fazendo aqui? Voce mora pro outro lado, André!

-Eu tava pensando se eu podia almoçar na sua casa... Aí a gente já começava a fazer o trabalho mais cedo. - e me deu uma cutucada com o cotovelo.

-Pode ir - falei meio com desprezo.

-Tá tudo bem? - Inferiu ele.

-Tá ué. Sá achei que a partir de agora a gente fosse ficar mais amigo - falei tentando parecer nada como cobrança.

-Eu achei que voce não gostasse do meu estilo... Mas se é assim - me abraçou pelo ombro e puxou pra perto dele - seremos muito mais amigos na escola também.



Falei pra ele me soltar. Sei lá, dois moleques abraçados no meio da rua não pega bem hoje, na época então...

Na minha cabeça ainda estava tudo muito confuso. Eu tinha adorado o que aconteceu mas não tinha a menor idéia de como me comportar daquele momento em diante. Acredito que nem ele sabia o que estava fazendo nem onde estava se metendo.

Assim que entramos em casa, ele foi logo passando a mão na minha bunda e me abraçando, beijando meu pescoço. Fomos direto até ao quarto e em poucos instantes estávamos sem roupa. Começamos um 69. Nos chupamos por cerca de 19 minutos depois deitei na cama e ele veio por cima de mim, me beijando e roçando seu pau em mim, separou minhas pernas e senti o pau dele passando no meu cu e isso estava me deixando com muito tesão. O André parecia ser muito carinhoso, considerando o que tinha acontecido até então.



-Voce quer, Gabs?



Respondi com um aceno. Ele então pegou seu pau e começou a esfregar no meu cuzinho, lubrificou um pouco com seu cuspe e voltou a me beijar enquanto forçava seu pau contra mim, se esfregando em mim. Eu, naturalmente ergui um pouco minhas pernas e continuei decidido a me entregar àquele garoto lindo.

Senti que o pau dele encaixou se na entradinha do meu cu. Passei a mão no pau dele e estava babando. Direcionei ele e senti que começou a entrar. Dei um gemidinho e meu garoto me fala pra eu ficar relaxado, se doesse era sá pedir, que ele pararia. Ele me beijava e aos poucos ia forçando o pau pra dentro. Senti um pouco de desconforto mas estava delirando com tudo aquilo.



-Tá gostoso, bebê? - Era a primeira vez que o André me chamava assim.

-Ahan.



Depois de um tempo com o pau quase todo dentro de mim, ele começou a movimentar pra frente e pra tras, a cada vez enfiando um pouquinho mais. Quanto mais entrava aquele pauzão dentro de mim, eu gemia mais um pouquinho. Mas também, quase 18cm grosso sendo enfiado dentro de mim. Logo senti o saco dele encostando em mim, porque estava com aquele pau inteiro socado no meu rabo. E foi aumentando a pressão e o ritmo das estocadas e eu comecei a gemer a cada estocada. Ele variava entre me beijar, beijar meu pescoço, falava ao meu ouvido que eu era muito gostoso, que sempre ficava de olho em mim na escola e no clube, que sonhava em foder meu cuzinho, que batia punheta pensando na minha bundinha redondinha lisinha, lembrou da minha chupetinha ontem, que eu era muito safadinho... Eu estava delirando com tudo aquilo. Sá senti um pouco de dor no começo, a esta altura dos acontecimentos sá sentia prazer. Ele passou a bater pra mim enquanto socava. Nás estávamos suando e ele delicadamentee enxugou uma gota de suor que escorria pelo meu rosto com o dorso de sua mão. "Tá gostando, amore" perguntou ele pouco antes de dizer no meu ouvido que iria gozar. Nisso ele aumento o ritmo das estocadas, tirava quase o pau todo do meu rabo e socava inteirinho de novo. Aquele macho lindo estava socando maravilhosamente no meu cuzinho virgem e então deu uma última socada bem fundo, deu um gemido fundo e gozou dentro de mim. Veio e me beijou longamente mas continuou com o pau dentro do meu rabo, que tava ardendo um pouco. Os beijos dele eram incríveis, os melhores que eu já tinha provado na minha vida. Ele deitou na cama e me puxou tudo ainda sem tirar o pau do meu rabo, me ajeitou sentado no pau dele enquanto ele estava deitado. Me puxou pra perto dele, passou um braço por trás da minha cabeça e continuou a me beijar... Arrisquei pensar que eram beijos apaixonados. Eu cheguei bem perto do ouvido dele e disse:



-Voce é delicioso... - e dei uma mordidinha de leve na orelha dele.



Parece ter sido a senha pro pau dele endurecer de novo. Senti aquilo ficar duro dentro do meu cu pulsar. Ele arcou as pernas um pouco, me deixando mais elevado, segurou minha bunda, me deixando abertinho e começou a me erguer e abaixar novamente. Senti uma sensação estranha, devia ser a porra dele toda no meu cu ainda.



-Rebola na minha pica, Gabs, lindinho...

-Assim? - Perguntei com um sorrisinho enquanto rebolava naquele mastro.

-Isso mesmo meu gatinho safado, agora cavalga na pica do teu macho, vai...



Obedeci prontamente. Já tinha visto em filme pornô. Senti algo melado na minha bunda, passei a mão e ele disse que era a porra dele que tava vazando do meu cuzinho "delicioso", o exato adjetivo que ele utilizou.

Eu já tava me sentindo mais à vontade e resolvi inovar, tirei a pica dele do meu cu e sentei nela de uma vez sá. Ele gemeu e quase gritou "delícia", percebi que ele gostou e fiz mais umas três ou quatro vezes. Ele me segurou, passou o dedo no meu cuzinho com o pau dele socado lá dentro e falou que ia gozar de novo. Pegou e me segurou mais alto e foi socando violentamente no meu cu enquanto eu batia pra mim. Logo depois de gozar ele falou pra eu colocar o pau na boca dele. Coloquei e ele mamou, eu gozei logo em seguida. Ele me deitou juntinho dele e me beijou ainda com a boca cheia da minha porra. Coisa estranha, mas gostei daquilo...

Tinhamos chegado em casa meio dia e meia, e a esta altura já era quase duas da tarde. Ficamos ali deitados, nos acariciando, aquele cheiro de porra. Perguntei se ele queria tomar um banho.



-Sá se a gente tomar juntos, pra voce me dar um banho gostoso...



No chuveiro, ele passou sabonete por todo meu corpo, dando trato especial no meu pau, no saco, no meu cuzinho. Depois eu ensaboei ele, aquele pauzão delicioso, que mesmo mole era grossão. Nem dava pra acreditar que aguentei aquilo tudo dentro do meu cu, e ainda levei duas gozadas, sem sequer tirar de dentro de mim.

Depois de me enxaguar, ele mandou eu apoiar as mãos na parede e abrir as pernas, de costas pra ele.



-Por quê? - Perguntei.

-Quero fazer uma coisa que vi num filme pornô.

-O que?

-Vou chupar seu cuzinho lisinho, gatinho.



Eu nunca considerei que fosse sentir um negácio desses na minha vida, mas quando ele começou a lamber o meu rabo, senti uma sensação deliciosa, ele lambia vorazmente, abriu bem minha bunda e ficou socando a língua no meu cuzinho. Eu gemia que nem uma cadelinha no cio.



-André, continua isso, gatão, tá delicioso...

-É? Quer mais?

-To ficando de pau duro de novo...

-Tá mesmo, Gabs. Vou cair de boca aí...



Água correndo pelo meu corpo, aquele garotão me mamando que nem uma criança na mamadeira. Enquanto chupava ele colocou o dedo no meu cu. Isso me acendeu todo e gozei loguinho na boca dele, que engoliu tudinho.

Depois que nos secamos, ele comentou que estava com fome.



-Vou preparar alguma coisa pra voce.

-Não precisa amore...

-Claro que precisa, tem que repor suas energias. Vou fazer uma saladinha e esquentar nhoque, voce gosta?

-Qualquer coisa que voce fizer vai estar bom.



Almoçamos, fizemos um pouco do trabalho, mas ainda havia muito pra fazer e eu estava absolutamente disposto a fazer tudo sozinho e passar mais quantas tardes pudesse fazendo amor com aquele garoto lindo.

Quase cinco horas da tarde, paramos o trabalho e fomos assistir um pouco de televisão no sofá. Sentei ao lado dele, mas ele me puxou pra perto dele, encostando minha cabeça no peito dele e ficou segurando minha mão e acariciando meus cabelos. Eu acabei cochilando recostado ao peito dele. Ele me acordou com um beijo, lá pelas seis e meia.



-Gabs, lindinho, acho que tá na hora de eu ir embora.

-Nossa, seis e meia já? Daqui a pouco minha mãe chega.

-Quer ir dormir lá em casa?

-Não posso, temos um trabalho a fazer, lembra?

-É verdade, disse ele sorrindo. - E me deu um beijo na boca.



Foi-se meu macho embora e eu voltei ao trabalho mas sem esquecer por um segundo aquela tarde que passei dando pela primeira vez. Fui dormir sentindo desconforto no meu cu, mas super ansioso por fazer tudo aquilo novamente o mais breve possível.

Na tarde seguinte foi quase tudo a mesma coisa, mas sentei na pica dele ali no sofá mesmo... Dessa vez me concentrei e não deixei ele me comer a tarde toda, obriguei-o a fazer um pouco do trabalho.

Mais umas tardes, mais umas fodas, o trabalho ficou pronto. Entregamos numa sexta feira e combinei que ia dormir na casa dele, minha mãe já tinha autorizado também...



Eu estava apaixonado totalmente por ele, estávamos passando quase todas as tardes juntos há quase um mês, era final de novembro... Quem estava bem preocupada era a Rê. No dia anterior, pela manhã, ela me confidenciou:



-Gabs, acho que o André está ficando com alguém.

-O q-quê? - Perguntei e quase me engasguei sá de ouvir a desconfiança dela.

-É Gabs! Alguma periguete... E deve ser lá do clube, por que ele tá meio distante...

-Como assim, distante?

-Ah, sei lá, até uns tempos atrás ele estava super no meu pé querendo transar comigo, mas agora nem toca no assunto mais. Nem fica passando a mão na minha bunda. Quando me beija parece extremamente frio.

-Rê, acho que voce está exagerando. Eu passei um tempão com ele fazendo aquele trabalho nas últimas semanas e acho que ele gosta muito de voce, por que ele fala de voce toda hora...

-Então voce acha que ele não tá comendo nenhuma vadiazinha por aí.



"Vadiazinha". Pensei que ele não estava comendo nenhuma vadia, estava socando fundo no meu cuzinho quase todo dia.



-Não, Rê. Tenho certeza que ele não está traindo voce.

-Então voce fica de olho pra mim, hein.

-Podexá.



Saímos da escola juntos, o André e eu e fomos direto para o clube, depois iriamos pra casa dele. No vestiário, tive que me segurar pra não cair de boca no pau dele!

Nadamos um pouco, depois ele me deixou na piscina e desceu pra jogar futebol com os garotos. Depois eu fui lá no solário que dava pra ver o campo lá embaixo e fiquei vendo meu macho jogar bola, e fiquei com raiva daqueles moleques encostando nele...

Depois mais tarde, desci lá no bar que fica bem no final do clube, depois dos campos. Já estava fechando a piscina, então a maioria das pessoas já tinha ido embora. Ficamos lá conversando, falei pra ele que estar com ele ali, todos os dias praticamente estando juntos.



-Pra mim também, Gabs, todo esse tempo que a gente tá junto tem sido maravilhoso. Voce é muito especial. - E passou a mão no meu rosto.

-Cuidado... Alguem pode ver voce fazer isso.

-Relaxa nenê, essa é minha área. Nesse horário o povo já foi tudo lá pra cima.



Continuamos conversando ali. Contei que a Renata desconfiava que ele a estava traindo. Ele riu, nás rimos daquilo. Ele rebateu dizendo que seria traição se fosse com uma menina, que comigo não tinha problema... Que lágica mais torta a dele, pensei comigo. Mas nem parei pra pensar na minha lágica, eu traindo minha melhor amiga, transando quase todo dia com o namorado dela...

Estava quase na hora que o pai dele ia buscar a gente no clube pra ir na casa dele. Antes de subirmos, ele me levou até o banheiro e me tascou um beijão na boca.



Chegamos na casa dele, jantamos com os pais e a irmãzinha dele, que tem 19 anos, conversamos todos ali na mesa. Super educados os pais dele, muito legais mesmo. Fomos deitar e eu já estava esperando pra levar rola de novo. Sá que novamente a vida me surpreendeu.



-Gabs, tá preparado pra uma coisa diferente?

-O que?

-Voce não vai mais ser virgem a partir de hoje.

-André, para de graça, já não sou mais virgem faz tempo. Voce sabe bem disso.

-To dizendo aquí á - pegou no meu pau - vou dar pra voce.



Ele deitou no colchão que tinham colocado no chão pra mim, tirou minha roupa, chupou bastante o meu pau e sentou na minha pica. Eu nem tava acreditando!!! Nunca pensei que aquele machção delicioso sentado na minha pica, e batendo punheta. Eu não demorei mais do que cinco minutos pra gozar e assim que eu gozei ele também gozou, um jato forte que atingiu meu rosto, depois outros atingiram meu peito e barriga. Ele saiu de cima de mim e lambeu meu rosto pra limpar a porra dele, meu peito, minha barriga, chegou no meu pau que já tava mole e começou a chupar mesmo assim, ficou chupando até endurecer de novo. Sentou na minha pica mais uma vez e começou tudo de novo, rebolando, sentando nervosamente até eu gozar de novo. Adormeci ali com ele ao meu lado. Acordei com ele bagunçando sua cama pra não dar na cara que ninguem dormiu ali.

Quando vi que ele estava acordado, puxei ele pro colchão e fiz uma chupeta pra ele e mamei a porra deliciosa daquele garotão antes mesmo de tomar café.

Sábado de tarde voltei pra casa super satisfeito. Minha primeira noite na casa daquele maravilhoso, que na minha cabeça eu chamava de namorado, ainda fui ativo pela primeira vez... O que mais eu poderia querer?

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


evy kethyn istinto ativocontoseroticosnamoradavirgemcontos encesto na praia de nudismocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos meu cunhado lambuzou a minha cara de porraContos eróticos picantes pecadosnegao arombo cu da sogracontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãoContos recebido de sainha sem calcinha clientecoroas enxutas se masturbando com tocas na cabeçamae olhondo filho comtosConto erotico no sitio casa de dois comodosSexo contos visinhos virgindadeMeu ex primo viuvo conto eroticosexo contos eu e meu filho adotivo fizemos sexozoofili negao magro com umaacontos prima novinha dando cuzinho de surpresapelada em casa - contos eroticosconto gay peniscontos eroticos arrombando a gordacu cona mijo enfioucontos eroticos de incesto: manha mae me ensino a Transar 2contos de estruposContos eroticos de travestis tarados.papai tirou do meu cu quis por na minha bocao que acontece se ficar com penis infiando 30hora parado dentro da bucetaVizinha magrinha de cabelos preto fada do sexocontos erotico mayara piercingporno tia boazuda provocando o so brihodei a bunda para o torcedor contosmeu marido adora me ver toda gozadacontos forçada a ser a puta da empresaContos erotico casei com minha primaconto mamando vizinho casadocasada bruna tomamdo gozadaComi o cu das minhas irmas. Contos com fotoscontos gay treinadorcontos: sentei no colo do velhocontos herotico namoradaconto erotico mamae viu eu comendo o papaia cunhada mais nova pede para o seu cunhado gozar em sua boca tem RNA tomar galanegão comendo uma mulher tão Branca tão Branca dobrada fazendo sexoesposa e amigos na cervejada em casa contoeu e meu avô contos gayconto - pediu para mamar no pau ...contos comi minha tia mortaContos eroticoss adoro trepar sem camisinhacontos minha netinha gostosasexo grupal flagrante incesto usando calcinha contosConto meu marido me devorou na madrugadamelhores conto erotico entre genro sogracontos eroticos comendo giovanasadina levano rola na bucetacontos vendo minha prima sendo fodida pelo namorado acabei dando tambe betinhacontos eróticos prima gordinhaconto incesto perdia a aposta meu filho me comeunovinha desmaiando na vara grande de dor pelo tamanhoContos eróticos eu e minha mãe adoramos o Marcos o novo marido da minha tiacontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos meu filho engravidou eu e a sus irma incestoContos travestis com mulherbuceta abertassa muito aberta gozadabruninha pedindo caronacontos eroticos estuprada pelo primo da minha amigacontos menino lizinhoContodeputavideo porno no cinema julio dantascontos de cornosconto de a pica gigante que arrombou meu cu novinhoMinha irma tarada contocontos eroticos na paredeContos de estupro na praiacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotados