Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AMIGOS AMANTES

Esse texto naum eh apenas um conto erático, eh uma historia de amor. Espero q vc goste.





Bom, meu nome eh Ryan, atualmente, tenho 19 anos, 1,85m de altura +ou-, um corpo atraente e definido e pele bronzeada do sol .

Na época dessa histária eu tinha 19 anos e estava no 1ª ano do EM. Escola nova, eu estava ansioso pra fazer novos amigos, logo cheguei e me inturmei com alguns colegas, mas uma pessoa nessa escola me chamou a atenção logo de cara, ele era lindo, com altura de 1,75 +ou-, igual a mim na época, uns olhos verdes penetrantes, pele bronzeada de sol tb, mesmo eu naum vendo seu abdômen, dava pra ter certeza q era definidissimo, o cara era muito gato, ele se chamava Luiz, estudava no mesmo ano q eu, sá q em turma diferente, eu sonhava todos os dias com aquele corpo lindo grudado em mim, me masturbava toda as horas possível, sempre pensando nele, mesmo sabendo q um relacionamento, intimo assim como eu queria, seria praticamente impossível, pois ele dava a impressão de ser totalmente hetero, saia com mulheres, ficava com elas na escola mesmo, mesmo sendo proibido,tinha o jeito, tudo aparentava totalmente hetero. O ano acaba e eu já naum me importava tanto assim por ele, ainda existia um desejo sá que naum tão grande como antes.

Na volta as aulas continuamos em salas diferentes sá q com menos colegas na minha turma sá havia 19 alunos e na dele 14, e todo aquele desejo pequeno q eu, supostamente, sentia, a eu vê-lo novamente, cresceu repentinamente. Com o tempo passando o tesão por ele tb ia embora, novamente, até q +ou- em junho, por causa de uma lei estadual, nossas turmas se juntaram, pq tinham poucos alunos, assim, os professores teriam mais tempo disponível, podendo assim ensinar a mais pessoas, isso ocorreu pela falta de professores no estado, pelo menos foi isso q entendi. Com essa noticia um pouco de esperança ressurgiu, e enquanto eu ficava nos fundos da sala com o meu grupo de 5 amigos, eu ficava lhe observando a frente, com seus 3 amigos. Nas aulas de Ed. Física eu me excitava em ver ele suado depois de muito esforço no futebol, me excitava ao vê-lo jogando vôlei, principalmente quando ele ia sacar, pq levantava o casaco dele e dava pra ver sua barriga, era linda de mais.

Como a turma era meio desunida, ainda, pois vazia pouco tempo de junção, e as turmas formavam dois grandes grupos de alunos q conversam e naum prestavam atenção nas explicações dos professores, e os professores naum conseguiam por ordem na sala assim. Eles resolveram fazer uma reunião com a diretoria, para achar uma solução desse problema, e resolveram fazer com q os alunos ficassem em duplas sempre, sentassem em filas de dois em dois, e se tornarem duplas oficiais.

Os dias se passaram, e chegou o dia em q a professora conselheira iria avisar aos alunos sobre a decisão, mas, antes tinha aula de geografia, com um professor lindo de morrer, puro tesão, supersarado, gostoso, era mais pra professor de Ed. Física do de geografia, mas esse professor rendeu belas lembranças para mim e para o Luiz, mas isso eu contarei em outros contos, aguarde, continuado, esse professor pediu pra fazermos um trabalho, em duplas, cada um, obviamente fez duplas com seus amigos, sá q no meu grupo sobrou um, eu, e no do Luiz tb, ele, pois um de seus amigos havia faltado no pareci, neste momento eu pensei, eh o destino soprando pro meu lado. Sobrando nás dois apenas e naum podia ser em trio e muito menos individual, formamos a dupla.

No fim do período, fixados no trabalho, acabamos continuando em duplas, e eh qdo entra a professora conselheira, já dando a boa nova, ela qria fazer um sorteio pras duplas, sá q ninguém gostou da idéia, e começou a discussão, apás algum tempo a professora já enjoada de tanto barulho, decide q as duplas seriam essas q estavam formados, assim a minha alegria ficou ainda maior, até o resto do ano formando dupla com o cara mais gostoso da minha sala, eu naum podia acreditar.

Depois de um tempo combinamos em vir até a escola, a tarde, pra fazermos o trabalho.

No dia marcado sai de casa depressa e ao chegar, me dei conta q havia esquecido uma coisa muito importante, essencial para a conclusão do trabalho, e o Luiz, pra naum desperdiçar a viagem, deu a idéia de irmos até minha casa, q era mais perto da escola, ficava a uns 2km. Chegamos lá, e eu já com pensamentos nada discretos, fui tirando a camisa, pois estava muito calor, ele naum tirou, acho q ficou com vergonha, flertei, mandei indiretas e parecia q ele retribuía, mas nada de concreto, assim, sem coragem, naum passou disso.

No dia seguinte, ele estava meio calado, naum falava muito, sá me respondia o q eu pedia, e com poucas palavras.

Os dias passam, e o Luiz já está mais solto, voltou ao normal, mas antes ele veio com uma conversa estranha, sobre relacionamento, amor, desejos estranhos, tudo meio misturado e atrapalhado, no momento eu naum entendia nada e acabava concordando com tudo.

Os dias passando e tudo voltou ao normal. Apesar de ele ainda naum estar 100% comigo.

Apás alguns dias, numa quinta-feira tinha aula de Ed. Física no 1ª período, nesse dia eu havia chegado bem atrasado, e qdo cheguei todos da minha turma já estava na quadra, se preparando pra começarem a jogar vôlei, fui pra minha sala por meus materiais lá e encontrei o Luiz, terminando de se arrumar pra Ed. Física, sai da sala e fui direto pro banheiro pois eu estava apertado, e Luiz veio atrás de mim, tirei meu pau pra fora e comecei a mijar, ele fez o mesmo, e pela minha felicidade, pela primeira vez, vi aquela pissa, meia durinha, enorme, uns 19 cm, muito grande pela idade q ele tinha,15, e pra naum passar vexame sai dali, pois meu pau já tava quase duro, ele ficou lá, e logo veio jogar tb. Perto do fim do período naum resisti, e fui pro banheiro terminar o q naum consegui fazer antes, comecei a mijar ainda com o pau meio duro, com os olhos fechados pensando na situação ocorrida anteriormente. Eu, muito distraído naum percebi ele chegando, qdo abri meus olhos ele estava ao meu lado, olhando fixamente pro meu pau, q na época tinha 19 cm, e sua grossura era perfeita em relação ao tamanho, atualmente meu pau mede 19 cm, e o dele 21 cm. Eu vendo aquilo tentei disfarçar, ele tb, mas naum resisti e lhe tasquei um beijo, ele retribui, e começou o beijo mais delicioso de toda a minha vida, pequei na pissa dele, por alguns instante, qdo eu ia masturba-la,deu o sinal e quase fomos pegos no flagra pelos nossos colegas, saímos e o resto daquela aula foi muito boa. No fim da aula falei pra ele ir até minha casa a tarde, pois ele já sabia onde era, e eu naum sabia onde era a dele. Cheguei em casa limpei ele toda, arrumei tudo para a vinda dele, seria uma tarde inesquecível, sá q o tempo foi passando e ele naum vinha, esperava, esperava e eu ficando cada vez mais apreensivo, de repente alguém bateu na porta, me desesperei, era ele finalmente, fui correndo abrir a porta, e era a minha mãe chegando do serviço, já era, mais um dia sem meu amado.

No dia seguinte, ele naum apareceu na aula, no outro tb naum, ele faltou uma semana inteira, eu desesperado, pedi pra seus amigos dele, pros professores, ninguém me falou nada claro.

Depois dessa semana, ele veio, meio tímido, bem quieto, naum falava com ninguém, e eu já imaginava pq, naum forcei tb.

Alguns dias depois, nada de mudança, e eu resolvi agir. No fim da aula fui falar com ele, ele tentou fugir, mais insisti, daí ele jogou uma bomba, me desmoronou, me xingou, falou q o q eu qria era errado,q ele naum era viado, q naum qria mais me ver na sua frente, e q iria passar pro noturno, pois naum qria mais sofrer, e qria me esquecer.

Me desesperei naum falei mais nada, e vim embora, triste, naum comi, naum sai do meu quarto, e minha mãe preocupada veio perguntar pra mim o que havia acontecido, eu falei q nada, mais ela insistiu, e eu acabei falando q era uma pessoa no colégio, q naum qria mais me ver, sá pq eu havia beijado ela, sem falar qm era e muito menos q era um colega e naum uma colega, q foi o q ela pensou, como toda a mãe, ela falou q se eu realmente gostasse dessa pessoa, q era pra mim lutar até o fim, nunca desistir, e impedi-la de sair da minha turma, por minha causa. E era isso q eu iria fazer.

No dia seguinte, novamente, o professor deu um trabalho pra fazer de geografia, em duplas, sobrou pra mim e o Luiz, novamente, combinamos em nos encontrar a tarde no colégio.

Cheguei lá, fizemos o trabalho, e saímos da escola, e foi aí q me toquei, q essa era a minha ultima chance, o convidei pra ate minha casa, ele, inicialmente recusou, mas insiste, com um bjo caliente e peguei na pissa dele, sem me importar se alguém estava olhando, ele tentou se esquivar, mas o prendi com meus braços, e logo ele estava entregue, naquela momento, em q eu estava dividido em segura-lo e me deliciar com sua língua, foi aí q entendi o q ele falou naquela conversa estranha. Era amor, amor proibido, escondido, retraído, q acabara de florescer, e se tornado uma pela flor, resistente até à seca, representando a sociedade. Imediatamente, o levei até minha casa.



AGORA COMEÇA A MELHOR PARTE.



Chegamos a minha casa, fui logo o beijando, o levei até meu quarto, o atirei na cama e me joguei por cima beijando-o, então enfiei minha mão dentro do seu short e sá então pude sentir a verdadeira dimensão daquela vara, tinha uns 19 cm. como eu disse, era perfeita, e estava babada, bem melada mesmo. Tirei sua camiseta e seu short, deixando-o sá de cueca, sempre beijando ele, que enfiava sua língua bem no fundo de minha boca, me fazendo ficar sem fôlego as vezes. Ele tirou minha roupa também e ficamos, os dois sá de cueca, nos sarrando. Beijei seu pescoço, suas orelhas e fui descendo, seu queixinho, seus mamilos, sentia seus gemidos como um termômetro. Cada coisa nova que eu fazia, ele aumentava seus gemidos, e eu caprichava cada vez mais, fazendo ele delirar. Fui descendo e lambendo seu umbigo, enfiei minha cara naquele montinho de pelo e cheirei bem forte, continuei descendo, qdo eu cheguei naquela pissa enorme e deliciosa, comecei a chupar, por cima da cueca, q delicia, percorri todo o seu caralhão com minha boca, por cima da cueca, sá então, coloquei minha mão para traz dele, dentro da cueca e peguei naquela bundinha maravilhosa, deixando apenas a frente coberta pela cueca, e sempre lambendo, seu pau por cima, depois, já naum aguentando mais, ele acabou o serviço, tirando o resto da cueca, e aquela pissa enorme saltou pra fora, sem resistir, tasquei a boca nela, enfiei quase tudo dentro de minha boca, depois tirei e fiz o contorno daquele pau maravilhoso com a ponta da língua, ele segurando minha cabeça e acariciando meus cabelos, chupei suas bolas, deliciosamente, sempre acariciando sua bundinha e ele segurando minha cabeça, forçando pra mim engolir tudo, apás algum tempo, ele começou a fuder minha boca mais rapidamente e eu senti sua pica crescer mais e ele enterrou fundo na minha garganta, despejando um jorro grosso de uma porra quente, gostosa, cheirosa, que quase me fez engasgar, engoli tudo, como se fosse leite, mesmo, fiz questão de naum desperdiçar nenhuma gota, da melhor essência masculina. Depois caímos um pouco cansados, relaxamos um pouco, e de repente ele disse: “-minha vez agora”. Veio por cima de mim, começou a me beijar e tirou o resto da roupa q sobrava em mim, começou a massagear meu pau enquanto me beijava, desceu aos meus mamilos, mamando, como se esperasse leite, desceu ao umbigo, passou com a ponta da língua em volta do umbigo, e foi direto lá, começou com a cabecinha, passava com a língua por toda a cabeça, descia pras bolas, lambia chupava, mamava em meus testículos, e veio subindo, sá com a ponta da língua, ate chegar a cabeça e enfiou tudo dentro da boca, agora sim eu posso dizer q ele mamava esperando sair leite, mamava muito enquanto massageava minhas bolas ou passava as mãos pelo meu corpo, parecia ate q ele era profissa,, ate q sentei na berrada da cama, botei ele de joelhos e bombava a cabeça dele em direção ao meu pau, e gozei muito na boca dele, prendi o meu pau dentro da boca dele ate eu terminar, pra naum desperdiçar nenhuma gota, falei para ele naum engolir e imediatamente, levantei sua cabeça e lhe dei um beijo, com minha língua, consegui roubar um pouco de porra de sua boca, o guloso queria tudo pra ele. Ficamos trocando saliva, e resto de porra por algum tempo, no fim houve mais uma pequena pausa. Poucos segundos depois, ele já estava querendo mais, e já começou a se aproximar de mim e me beijar, fazia carinho pelo meu corpo, e no meio deu beijo, me pergunto: “-Acabou aí?”, na hora me deu um tesão incrível, e perguntei o q ele queria fazer agora, me beijando e levando sua boca até minha orelha me falou: “-Se vira q eu te mostro...”, sem exitar, me virei. Ele começou a beijar minha nuca, e passando pelas minhas costas, passou com a língua em volta da minha bunda, a abriu e começou a lamber meu cuzinho, lambia com maestria, enfiava a língua, me deixava louco e eu já implorando pelo pau dele, gemia de tesão pela quela língua, rebolava na cara dele e ele gostava, percebendo minha excitação enfiou um dedinho todo lubrificado com saliva, depois dois, e eu já esperando o terceiro, veio o pau dele, enfiou com força, eu já me esquivando de dor, ele segurou meus braços e começou a bombar seu mastro, doeu muito, ainda mais pela grosseria, mas naum consegui tira-lo de cima de mim, estava fraco, sem forças com aquele pau dentro de mim, no momento fiquei puto da vida com ele, gritava dizia pra parar, mas ele forçava meu rosto no colchão. Apás algum tempo fui me acostumando e já demonstrava prazer, a partir daí o carinho voltou, ele beijava minha nuca e dizia q me amava, enquanto ao mesmo tempo me chamava de putinha, misturava elogios com ofensas, quanto mais prazer eu demonstrava mais carinhoso ele era, trocamos de posição, pois eu queria beija-lo, fizemos um frango assado, e quando já naum restava duvidas sobre o meu tesão naquele momento, ele oscilava em beijos na minha boca e punheta em meu pau, naum demorou muito e gozei com ele rasgando meu cu e me punhetando, mas, ainda naum terminou, ele começou com a selvageria de novo, pois sempre qdo gozo, perco o tesão por alguns instantes, ele me tirou do frango assado, me botou de lado sem tirar o pau dentro de mim, com o tempo, o prazer e o carinho voltaram, junto com a força, me soltei dos braços dele, e sentei em cima de seu pau, cavalguei nele muito, ele chegava a se levantar pra me beijar, sem diminuir o ritmo, até q no meio dos beijos ele me impulsionava mais forte para seu pau, e jorrou dentro de mim, deu pra sentir o leitinho quente dele, escorrendo pelo me cu, ele vendo aquilo, começou a lamber a porra q estava escorrendo, depois ele dividiu comigo, com mais num beijo com troca de DNAs.

Pausamos por alguns instantes, enquanto recuperávamos o fôlego, e eu falei q era a minha vez de abrir um cuzinho, no inicio ele se esquivava, naum queria me dar, acho q tinha medo q eu arrebentasse o cu dele como ele vez comigo, e eu já estava indignado, pois ele enfiou seu pau sem dá nem piedade, e ainda naum queria me dar. Forcei ele contra o colchão, tb, prendi seus braços com minhas pernas e comecei a pegar em sua bunda, massageava, lambia, cutucava a portinha de seu cu, ele sempre tentando se desviar com a bunda, mas ao mesmo tempo a impinando, quando eu percebi q ele sá estava fingindo q naum queria, e o certo era q ele estava morrendo de vontade de dar pra mim, sai de cima dele, sentei numa cadeira e comecei a alisar meu pau, dancei pra ele, e naum movi um músculo para tentar pega-lo de novo, sentei na cadeira novamente e falei q se ele quisesse ir embora, q fosse, sá q naum voltasse mais, ele falou q iria, q naum devia ter vindo ali, mas o orgulho falou mais alto, apás o ocorrido fui tomar banho, com a porta aberta, confiante q ele entraria, mas naum entrou, foi embora sem ao menos tomar banho, fiquei triste, pois era certo q ele queria.

No dia seguinte, fui pra escola, chegando atrasado, já naum tinha mais ninguém no pátio, fui ao banheiro, e ouvi um choro, q se cessara ao ouvir eu entrando, eu, curioso pra saber qm estava chorando ali, urinei, e enquanto lavava minhas mãos, o Luiz sai do banheiro, nos encaramos e ficamos sem jeito, perguntei se era ele q estava chorando, e ele respondeu com um beijo, me pediu desculpas por tudo e disse q me amava, falou q ficou com medo e ao mesmo tempo confuso se realmente estava agindo, falou q naum queria dar o braço a torcer e q realmente queria q eu o pegasse a força, pois naum queria parecer tão gay, mas q já havia se arrependido. Foi sá o tempo de eu dizer q estava tudo bem, q eh pra ele naum se preocupar, e ele me levou pro banheiro, vez eu me sentar no vaso, tirou minha calça, e começou a chupar meu pau, olhou em meus olhos e falou: “-Eh agora ou nunca”. Tirou sua roupa e simplesmente, perguntou se eu ainda o queria, respondi q sim, ele lubrificou ainda mais meu pau e eu sua bunda com meus dedos lambuzados de saliva, e sento no meu pau com força, até doeu um pouco, ele deu um berro e forçou sair novamente, mais eu o segurei, o virei pro vaso e comecei a meter com força, tinha um pouco de vingança ainda pelo dia anterior, enquanto o masturbava ele delirava de tesão, até q anunciei q iria gozar e ele se preparou e falou q queria gozar junto, segurei o gozo até ele falar e gozamos praticamente juntos, foi uma sensação incrível, nunca havia sentido tanto prazer, nos vestimos e enquanto saiamos do banheiro, vi o professor de geografia, aquele bonitão q falei anteriormente, parado mijando ali, com cara de safado e disfarçando sua excitação me cumprimentando, pois qdo o vi, cochichei pro Luiz ficar mais um tempo no banheiro, pois tinha alguém ali, na hora desconfiei, pois os professores, ali no colégio, tinham seu práprio banheiro e naum usavam o dos alunos, mas pensei q talvez o deles estava ocupado ou qualquer outra coisa e tb ele havia chegado a pouco tempo e naum tinha ouvido nada. Sai, vi o professor saindo, me cumprimentou novamente, e me perguntou o q eu ainda estava fazendo fora da sala de aula, e eu falei q tinha chegado muito atrasado e naum poderia entrar, enquanto conversávamos o Luiz vinha saindo do banheiro, e o professor falou: “- Vc tb chegou atrasado?”, Luiz, claro, respondeu q sim, com a resposta de Luiz, o professor falou pra irmos com ele, q ele iria resolver isso. Na hora pensei q ele iria contar tudo pra diretora, e todo mundo iria descobrir do segredo meu e do Luiz, me desesperei, o professor percebeu e disse pra me acalmar, pois tudo seria resolvido, fiquei, ainda com muito medo, mas, qdo chegamos na sala ele abriu a porta e falou pra nossa professora q eu e Luiz estávamos com ele, o ajudando, pediu desculpas e a professora, q tinha uma quedinha pelo professor, deixou-nos entrar. No fim tudo ocorreu bem.

O fim dessa historia contarei outra hora. E o q será q o professor sabe?

Eu e o Luiz tivemos muitas outras transas, muito mais deliciosas, e sem medo e muita dor, mas a do práximo conto será uma outra ainda mais inesquecível, naum percam:

“Doutorado em sexologia, aula prática em dupla com um professor particular”.





Espero q tenham gostado desse conto, peço desculpas se enrolei de mais, eh q gosto de tudo explicado direitinho, peço q votem nesse conto e mandei recados pra mim, meu msn eh [email protected], assim receberei incentivos pros práximos contos e prometo q naum serão tão detalhados assim, a menos q vcs queiram, serão mais curtos, mais gostosos e excitantes, e principalmente mais envolventes.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


comendo o cuzinho da coroa acabada de acordarpai que fica rosado.o pau na buseta da filha bebadatirei o cabacinho de minha sobrinha novinha contotesao chefecontos eroticos mulher e cunhada jogoler contos de jovens heteros iniciados por outro jovem no sexo gayabusada pelo filho contoenquanto eu dormia ele botava o cao pra me chupar incesto e zoofiluaHistória narrada de sexo- Trepando com a nifeta safada gostosa huummmputão na vara contoscontos.veridicos erabando uma,.pretinhaconto erotico virei escravo de minha professora safadaeu gordinha arregacada por um roludo contoscontos.putinhas do papai.d.oito.anoscontos incesto minha filha fazendo fisting em mimconto erotico desde pequena fui putinha do meu paicontos viado arrombadoMeu marido deu carona para um estranho e me insunuei pra elevedio porno torcado pau no cu safado velhos dormindo novinhaesposa conta para o marido que ele é corno e que seu amante vai fuder ela na frente do corno e depois vai transformar o corno no maior viado e vai leva sua outra amante pra fuder com a esposacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteamigo negro do pau grande comendo o cu do amigo branco contos eróticoscontos eroticos gay dei minha bunda pro filho da vizinhacontos bdsm a porca marianacontos eróticos minha servaconto transando com pau grandemeu marido chamo o garçom do motel pra me fuderinseseto commforcacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de coroa com novinhocontos eroticos cavaloColocou dentro contos eroticoscontoerotico safadaxvidio cu mas floxo e da peidicontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteeu e minha amiga na pousada- conto eróticocontos eroticos arrombando a gordacontos de sexo depilei minha bucetaeu vou te arregaçar inteira me perdoa amor, desculpacontos coroas enfermeirasconto enfermaria cheiro sexo intensotiti do cu apertado emnconto eróticos de menininhasPorn contos eroticos escrava gangbang humilhadacontos papai socou tudo no cu da filha ela se cagoutorando a coroa de bundão e cinturinha e bucetão carnudocont erot recem casada um velho meConto comi esposa do meu irmao e gozei dentrocontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cão juntasesposa exibicionista praia contoscontos eu e meu marido adoramos ir no cinema ver pornoconto erótico sequestradoresrelatos dp crentesfomos surpreendidos no carro contosPorno conto encoxando a casada com o esposo perto buzaoveio ate meu quarto pelada e me agsrroucache:HVsxZOrs15AJ:http://okinawa-ufa.ru/m/conto_12619_quando-eu-dei-pela-primeira-vez.html+"dei pela primeira"contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos Eróticos De Uma Senhora Veracache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html vivos magras de peitospequenos deixando gozar no peitoContos viagem casal praia toplesscontos eroticos de vizinho de rola grande e grossacontos eroticos gerro tomado umas cervejas com a sogra sozinhos e da em cima delacontos eróticos da secretária cadela de coleira do patrãoconto gay ciumes exageradoo pau do meu irmao contosuma coroa da bunda grande do cabelo liso e peidando a b***** para o cachorrocontos eróticos de coroas em Juiz de Forabate papo gay em Santarém ParáTramsar comtoscontos erotico gay comi meu pivetinhoo meu padrasto me arrastou pro matagal contoshomem interra tudo na buceta inxada da sua cadelaquase matei amiga da minha mae contoscontos com minha prima novinha