Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

INQUILINA PAGANDO ALUGUEL3- DONA DE CASA - ESPOSA

Para Fechar a Trilogia...



Aconselho quem acessou este conto (que é o melhor de todos até agora...) que leia na ordem (partes 1, 2 e por fim este), para não perdeu nem uma gota da excitação e do tesão que a Trilogia tras....



Uma nova trilogia continuará esta série e já está no forno. Escrevam-me e me adicionem no msn que eu respondo 'a todos e envio fragmentos exclusivos das continuações para vc´s... [email protected]



Vamos ao Conto...



Já estava anoitecendo quando meu marido chegou, tentei tratá-lo normalmente para que não desconfiasse que eu tinha sido uma puta para o nosso senhorio naquela tarde, ele me beijou como sempre faz e quando me viu com um dos meus shorts curto e agarrado de cor azul, passou a mão pela minha buceta me causando arrepio, parecia querer constatar que tudo estava bem com meu sexo apesar de nada saber sobre Sr. João e eu, e em seguida ele me disse:



-Quero foder a buceta gostosa de minha esposinha hoje.



Eu sorri excitada e respondi:



-Não vejo a hora meu amor.



Então conversamos um pouco e ele foi tomar banho enquanto eu terminava o preparo do jantar, depois enquanto jantávamos, ele me contou como foi seu dia e eu contei como tinha sido o meu exceto à parte em que eu gozei no pau do nosso vizinho dos fundos.



Depois do jantar nos sentamos na varanda atrás da casa como sempre fazíamos e ficamos conversando e tomando o café, e como sempre acontecia o Sr. João veio ate ali e ficamos conversando com ele, não sabia como me comportar na frente dele, mas tentei ser mais natural possível, de vez em quando aproveitando a distração do meu marido aquele velho safado corria os olhos pelas minhas coxas e nos meus seios sem sutiã debaixo da blusinha que eu usava, fazendo os bicos dos meus seios ficarem inchados de tesão mostrando-se pontiagudos na blusa, em certo momento meu marido foi ate o banheiro e o Sr. João numa atitude descarada, agarrou meus seios e apertou meus mamilos duros que ficaram mais inchados ainda de tesão, depois enfiou a mão entre minhas coxas e massageou meu sexo me deixando com tesão na mesma hora, eu contrariada o empurrei para longe de mim antes que meu marido voltasse, e ele num gesto vulgar pegou no cacete duro por cima da calça e me mostrou como estava grande por minha causa, aquilo fez minha buceta encharcar no mesmo instante.



Quando meu marido voltou do banheiro eu fechei as pernas para que ele não percebesse minha excitação, caso meu sexo molhasse o tecido do short como antes, continuamos a conversar e o Sr. João sem nunca ter me consultado antes foi dizendo ao meu marido:



-Ronaldo, tenho visto que você trabalha muito e sei que sua esposa esta sem emprego, e sei também da formação superior que ela tem, mas apesar dessa formação vejo que ela cuida muito bem da casa e queria propor uma coisa a vocês, eu tinha uma senhora que fazia a arrumação em minha casa e preparava o almoço mas ela adoeceu e creio que não volta mais, então pensei se você não concordaria que sua esposa fizesse esses trabalhos para mim e assim eu poderia ajudar vocês descontando o valor do trabalho dela no valor do aluguel, ou pagaria em dinheiro a ela para que use como quiser.



Meu marido Ronaldo mesmo surpreso com a proposta, agradeceu a consideração e disse:



-Bem Sr. João, por mim tudo bem, acho mesmo que isso ajudaria no orçamento, mas quem decide é a Marta.



E dizendo isso meu marido olhou pra mim esperando uma resposta. Fiquei com pena do meu marido nessa hora, mal sabia ele que as intenções daquele velho tarado eram outras e bem mais sárdidas, mas querendo ajudar meu marido nos custos da casa e sabendo que o que aquele coroa safado queria, aconteceria de qualquer maneira mesmo, eu concordei dizendo: -Se eu puder ter tempo de arrumar a minha casa depois, acho que não tem problema.



Então o Sr. João para reforçar sua estratégia me tranquilizou dizendo: -Claro que você vai ter tempo de arrumar sua casa filha, na minha casa o trabalho é pouco.



E em seguida continuou falando e mentiu descaradamente para o meu marido ouvir deixando claro somente pra mim qual era sua verdadeira intenção: -E alem do mais fico fora de casa quase todas as manhas e assim sua esposa poderá trabalhar sossegada.



Aquilo que ele disse era uma grande mentira, ele quase nunca saía de casa durante a manha, disse aquilo apenas para tirar qualquer duvida que meu marido pudesse ter em relação as suas intenções, dizendo que não estava em casa de manhã deixaria meu marido mais tranquilo sabendo que eu não ficaria sozinha com aquele homem dentro de sua casa.



Mas se eu conheço bem meu marido ele nunca desconfiaria de sua esposa ou mesmo do Sr. João que tinha idade pra ser meu pai, então depois de acertarmos tudo, inclusive a quantia que eu ganharia com meus serviços, entramos em nossa casa despedindo-se do Sr. João.



Enquanto eu escovava os dentes no banheiro, percebi que na realidade aceitando aquele serviço, eu estaria me prestando ao papel de prostituta, porque alem dele me pagar pela arrumação em sua casa também estaria pagando pelo meu serviço sexual, que certamente eu prestaria a ele já que eu estava hipnotizada pelo pau daquele homem, a sensação de estar sendo usada por ele e estar ajudando-o a enganar meu marido, deveria me deixar envergonhada, mas ao invés disso fiquei excitadíssima e com minha buceta pegando fogo, então tirei minha roupa e fui para o quarto e abocanhei a rola de meu marido sem ele esperar, mamei gulosamente aquele pau ate deixa-lo duro como ferro, depois enterrei aquela vara na minha buceta e comecei a cavalgar como uma puta no cacete do meu amado.



Ronaldo estranhou minha tara e me perguntou porque meu sexo estava tão molhado, então eu respondi que era por causa do que ele tinha me dito quando chegou dizendo que queria "foder sua esposinha hoje", então meu marido começou a me foder com força do jeito que eu gosto sem saber que na verdade, eu estava cavalgando sua rola e imaginando o que iria acontecer comigo nos práximos dias enquanto ele estava no trabalho.



Na manha seguinte acordei e preparei o café para o meu marido, e depois que ele saiu eu fui tomar um banho e me preparar para o meu primeiro dia de serviço na casa do Sr. João que ficava nos fundos da minha prápria casa.



Já estava muito ansiosa e excitada quando comecei a me vestir, então coloquei a menor e mais sensual calcinha que eu tinha na gaveta, era uma peça muito pequena toda rendada e extremamente cavada, vesti um outro short de algodão (tenho vários) de cor bege muito agarrado e curto como todos que tenho, uma blusinha de alcinhas que cobriam meus seios sem sutiã, e que no comprimento ficava acima do umbigo em vários centímetros.



Senti-me vulgar e atraente, e vestida assim fui ate os fundos onde ficava a casa do Sr. João que já estava acordado também, ele me convidou a entrar e elogiou minhas roupas dizendo:



-Nossa filha, você esta muito bonita, é bom para um velho como eu acordar com uma visão dessas.



Eu ri do seu comentário e disfarçando minha excitação perguntei por onde ele queria que eu começasse, então ele me disse para começar lavando a louça enquanto ele preparava um café fresquinho para nos dois.



O Sr. João passava o café sentado junto à mesa enquanto seus olhos passeavam na minha bunda grande, eu junto a pia lavava louças e sentia seu olhar no meu traseiro, então de vez em quando eu puxava o short para cima fazendo com ele enterrasse mais em minha bunda e revelando os detalhes sensuais da minha minúscula calcinha.



Terminei de lavar a pouca louça que havia, e então tomamos o café junto da mesa conversando banalidades, apesar do tesão que dominava nos dois, depois comecei a arrumação da casa e o Sr. João me seguia o tempo todo conversando comigo e admirando meu rebolado exagerado, cada vez que eu me abaixava para varrer debaixo de um mável, ele ficava calado e massageava o pau duro dentro da calça.



Em uma das vezes em que passei ao seu lado, ele pegou minha mão e colocou sobre seu cacete duro por cima do tecido, então eu com uma expressão bem sedutora disse:



-Sr. João, o senhor me contratou para arrumar a casa ou para pegar no seu pau?



E ele com a cara mais cínica do mundo respondeu:



-As duas coisas filha, um velho como eu precisa de uma pessoa como você para arrumar a casa e fazer eu me sentir mais novo e vivo.



Ainda segurando no cacete dele e já massageando a cabeça inchada eu disse:



-Mais porque eu vou conseguir fazer o senhor se sentir mais novo Sr. João?



E ele adorando aquela brincadeira de palavras girou meu corpo e me encoxou esfregando seu pau duro na minha bunda continuou:



-É que você filha, tem a pele cheirosa e macia e sá de sentir a carne do seu sexo jovem gozando no meu, eu já me sinto 20 anos mais novo.



Sua mão começou a massagear minha buceta por cima do tecido molhado do short, e aquele pauzão duro apertando na minha bunda me fazia enlouquecer de tesão, mas tentando dificultar para aquela brincadeira ficar mais gostosa eu dizia:



-Mais eu sou uma mulher casada Sr. João, o senhor não pode ficar me agarrando assim.



Eu disse essas palavras junto com os pequenos gemidos que eu não conseguia segurar mais, e ele percebendo meu joguinho argumentou:



-Eu sei que você é casada filha, mas ontem você experimentou e sabe que eu não tiro nenhum pedaço de você, alem do mais qualquer um que olhar para a sua beleza e seu corpo saberá que você não é mulher para um sá homem, então estou fazendo isso para te deixar mais feliz e assim ajudando seu marido a saciar você, e pelo que percebo você quer e merece ter vários orgasmos tanto à noite como de dia, como seu marido trabalha, eu estou aqui pra faze-la gozar durante o dia e ele faz isso com você à noite, mas se você não quiser filha, eu deixo você em paz pra você trepar sá com seu marido, o que você acha?



Aquele velho safado sabia que eu tinha um vulcão entre as pernas e estava se aproveitando disso, por isso tinha dito toda aquela conversa mole e ainda ameaçando me deixar longe daquele pauzão grosso que me enlouquecia, eu sabendo que não conseguiria mais ficar sem sentar na vara grossa daquele velho tarado mesmo sabendo que estava sendo infiel ao meu marido, empurrei minha bunda contra o cacete daquele safado e disse:



-Sr João o Sr é mesmo um velho safado, esta dizendo estas coisas sá pra poder transar comigo todos os dias, mas já que começou agora vai ter que terminar, eu não vou conseguir trabalhar cheia de tesão como o Sr me deixou.



Ouvindo isso meu senhorio percebeu que eu estava concordando em ser sua amante na ausência de meu marido e sabia que dali em diante eu seria a sua putinha todos os dias, então ele me agarrou com mais força e me encoxou gostosamente fazendo minha buceta molhar a calcinha com meu tesão.



Depois agindo como se fosse meu dono, sentou-se no sofá e sem cerimônia abriu a calça e tirou de lá aquele cacete grosso e muito duro me deixando arrepiada, depois olhou pra mim e disse:



-Vem filha, vem chupar ele um pouco, depois você limpa a casa.



Ouvindo aquilo eu me senti uma verdadeira prostituta, estava preste a executar uma tarefa que agora fazia parte do meu trabalho e ainda estava recebendo dinheiro por isso, mas como minha buceta estava em chamas e eu mesma tinha concordado com aquele trabalho na frente do meu marido, não me fiz de rogada e me ajoelhei entre as pernas daquele homem que agora também era meu patrão e engoli aquela vara dura mamando gulosamente.



Chupei lambi e degustei a rola do meu novo patrão por muito tempo, arrancando gemidos e elogios dele, de quatro ali no chão e com aquela pica grossa na boca, eu rebolava minha bunda grande fazendo o pequeno short entrar nela enlouquecendo mais ainda meu senhorio.



Ele já estava preste a encher minha garganta de porra quando me mandou levantar, eu obedeci e então ele arrancou meu short com violência me deixando sá de calcinha, aquele velho safado parava de me chamar de filha quando estava com tesão e me chamava apenas de nomes obscenos, e foi com essas palavras que ele disse:



-Agora vem aqui minha puta que eu quero foder bem gostoso essa sua buceta carnuda.



Eu como uma putinha eu obedecia e fazia tudo o que ele queria apenas pra poder sentir aquela vara dentro de mim, então ele afastou minha tanga descobrindo minha buceta e me fez sentar em seu colo de frente para ele, quase tive meu primeiro gozo quando aquele pica grossa afundou dentro da minha buceta encharcada, me agarrei nele e gemi como uma cadela no cio começando a rebolar naquela vara.



Fiquei enlouquecida pulando naquela rola deliciosa como uma vadia, ele ergueu minha blusa e agarrava meus seios com força e chupava como louco enquanto eu pedia para ele não deixar marcas nos meus seios para que meu marido não soubesse que tipo de serviço eu fazia para ele.



Enquanto eu rebolava em cima dele minha buceta engolia todo o cacete do Sr João e deixava seu saco todo molhado com o tesão que escorria de dentro de mim, ele batia na minha bunda me xingando de vagabunda e gostosa o tempo todo, eu pulava na sua vara como uma puta e logo dei sinais de que iria gozar, o Sr João percebendo isso molhou o dedo médio na minha buceta encharcada e enfiou ele todo no meu cu ainda virgem, me causando dor e muito tesão ao mesmo tempo, descontrolada de tesão e rebolando como uma cadela na sua pica, comecei a molhar aquela vara dura e grossa com meu gozo farto e quente e mordendo os lábios para não gritar como uma vadia, derramei vários orgasmos melando todo o pau grosso do meu patrão fazendo por merecer o salário que eu ganharia para ser puta daquele homem.



Cai sobre meu velho safado com o corpo estremecendo de prazer, sentia ainda sua rola dura dentro de mim e seu dedo todo enterrado no meu rabo, e foi aquele dedo alem da vara grossa que me fizera gozar tantas vezes, era a primeira vez que eu sentia meu cu ser penetrado e tinha adorado aquela sensação, meu marido nunca insinuara nenhum desejo em me enrabar, mas agora com aquele dedo dentro do meu rabo eu sabia que em breve eu estaria aguentando o cacetão do meu senhorio na minha bunda grande, e estaria provando daquela forma de prazer que me matava de curiosidade.



Quando me recuperei dos vários gozos que tive me dei conta que eu tinha sentado naquela rola deliciosa sem ele estar usando camisinha, então antes que aquele velho safado enchesse minha buceta com sua porra grossa me levantei, pois eu não queria fazer meu marido criar um filho da minha traição, então para não revelar meus pensamentos eu disse ao meu patrão depravado que queria sentir seu gozo no meu rosto, a maneira que eu disse isso deixou ele muito tarado e então me puxou com força e enfiou sua rola na minha boca, segurando meus cabelos ele fodeu minha garganta com violência me fazendo engasgar com sua pica, em poucos minutos senti ele esporrar e inundar minha boca com seu gozo, tirei o cacete da boca para não me afogar com tanta porra e recebi ainda vários jatos no meu rosto que deixaram minha cara de puta toda melada e cheirando a sexo.



Fiquei ali ainda entre suas pernas mamando seu cacete inchado por muito tempo, ate que estivesse completamente flácido, depois de saciados o Sr João ainda me disse:



-Bem minha delicia, agora alem de esposa do Ronaldo, você é oficialmente também a puta do Sr João, por isso quero que limpe a casa assim como esta vestida, somente de calcinha e não tome banho também, pois quero sentir o cheiro de sexo em você o tempo todo pra me lembrar que você é minha vadiazinha deliciosa.



Achei um pouco humilhante aquela situação mas as fantasias daquele velho safado me excitavam também e eu resolvi obedecer, fiquei somente usando minha pequena calcinha e a curta blusinha enquanto terminava a limpeza da casa com o Sr João me bolinando e enfiando os dedos na minha buceta o tempo todo.



Depois que terminei a arrumação da casa e fiz o almoço ainda fui obrigada por ele a ficar sentada em seu colo, com sua rola dura novamente entre minhas coxas enquanto ele almoçava, depois como despedida daquele dia ele me mandou ainda mamar mais uma vez sua pica dura, o que fiz prazerosamente de quatro no chão da cozinha, e recebi novamente uma grande gozada na boca e no rosto, e sá então pude ir para minha casa de calcinha carregando meu short na mão e com a cara toda melada de porra do meu patrão e senhorio.



E esse foi o meu primeiro dia de puta domestica naquele emprego que me fez a esposa e a puta mais saciada e feliz do mundo, mas muitas coisas ainda estavam para acontecer, coisas que eu nunca imaginei que poderiam acontecer comigo.



Não deixem de votar, seu voto nos estimula a continuar escrevendo !!!



MUlheres normais, com vidas normais, casadas, carentes, sozinhas, nao deixem de me adicionar... Entendo seu universo e quero muito conhece-la. [email protected]



O autor



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos a enteada bem novinhainiciando um cuzinho virgem contosContos gay carnaval em Veneza relatos eroticos verdadeiros anal com a mulher que cagou no paucontos eroticos reias de padrastoscontos minha prima defisiete me viu batedo umacontos eroticos com transputinha do titoiniciei meu irmaozinho na banhera contosgaycontos eroticos rasgando rabo da gordinhagozando no chinelinho da novinha contosconto ru e minhas filhascontos eu minha namorada e mais dois garotoschantagem com irma contosNo motel minha sobrinha ela chupou meu pau eu chupei sua buceta e fudi ela contos eroticos minha mae gritava no pau do patrao dela contos eroticosCONTOS ERoticos cozinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos eu aluguei minha mulherver so vidio porno marido segurado a esposa pra o amigo pauzudo come buceta i cuhistorias eroticas de onibus lotadosConto leite da tia porncontos eróticos ailhadasContos eroticos pega a força por pmcontos erotico comi minha namorada sei camizinhahomem interra tudo na buceta inxada da sua cadelacrente velha chantageada contos eróticos conto trepada forteo ajudante de pedreiro chupou minha rola quando eu tinha dez anoscontos eroticos sou casada realizei o desejo do meu sobrinhoporno com primas branca de olhos verdes de cabelos ruivos bunda redonda e peito pequeno redondinho / anal/contos eroticos .na pica do meu filhãoconto erotico travesti trabalhando e foi fodida no trabalhoNAmorada ponha o cinto de castidade no namorado pornonamorado enfiando a mao na buchete da namorada safadacontos eroticos lutinhaconto gay cu cheio porraestórias eróticas abusivasgostosinhacontoeroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepeitos da prima pulando fora da blusa no sexoContos com cadelascontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosconvenci meu primo a me fuder bem novinha contosminha tia travesti contospiranhona no pau preto na frente do cornoconto erotico flagracontos de casadas com quantos homens ja transaram antes de conhecerem o maridoVe foto de bucta d esposa galadinhacontos sado marido violentossobrinha de 9 contosde tanto insistir em ver minha mulher em cima de outro pau ... Contos eroticosComeram minha esposa e goram dentro delacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos de homem chupando a buceta esperadacomo minha esposa aguentou 23cm no rabocontos de travestis comendo os patroesinbebedei minha prima e comi bucetinha dela inquanto ela dormiaver tv pornô mulher que tem a vajina muito linda e grade gozando na pica sem para vaquira com o cavalosexo Sátão garotas da noite prazer cache:6FK7RI0T9TcJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_476_eu-e-2-travestis.html Contos comi mae bebadaconto erotico sou gordinha ex maridoContos erotico eu e minha tia no jogo da garrafarolas grandesno cu e gritosContos eroticos minha esposa chorou no pau gigante do recepcionistameu sogro minha sogra e minha esposa fazendo suruba contos eroticosconto erotico mamãe sentando no meu colo no carro lotadoComi minhas afilhadas parte 2contos etoticoscontos eróticos negão sou o cu da minha mulherContos eroticos tio belicao nos seios contos eróticos gravou tia dando pra doispono vinha.neguinhacontos eroticos abusando do garoto da ruapuro sexo sou muito deliciosa viajei com meu filho conto incestocontos eroticos mulher castiga o homem emagando o saco e dando soco no saco