Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RETRATO DE UMA PUTA... A EXPERIENCIA

Retrato De Uma Puta... a experiencia





As saias estavam bem curtinhas a maquiagem mais pesada o pedantismo nos áculos escuros, no andar, a pele não era mais alva ganhou um bronze liberdade, não podia ver homens, rebolava os quadris, tinha uma bunda gostosa e sabia disso as calças eram sempre justinhas a marca da calcinha mexia com o imaginário dos homens, tudo isso sá fazia meu poder crescer.

O “nego” meu marido passou a reclamar, fingia ser muda, não escutava. Até que um dia me encostou na parede exigiu que eu mudasse de comportamento, falou que até os vizinhos reprovam meu jeito de vestir. Comecei a chorar... a lamentar meu destino...que queria morrer.

__ Por que a inveja dos outros tinha o poder de destruir nosso casamento, eu não compreendo!?

__ Você tá com essa gente ou tá comigo?

__ Desculpe amor! Com você é claro.

Deixava ele a seco por muito dias, um dia era dor de cabeça no outro cansaço, cuidar de criança .Seu interesse por mim aumentava consideravelmente, quanto mais isso acontecia menos eu deixava me tocar, bastava me ver com aquelas roupas me fazia um elogio, andava sempre de pau duro certa vez percebi que se masturbava por baixo do lençol me vendo trocar de roupa, era a única coisa que permitia a ele “Me ver nua.

__Tem uma festa amanhã a noite, eles querem nos levar, você vai?

__Vou falar com o“nego”, mais deixa comigo vou sim.

__Não tem nada demais, é uma novena,sá vou dormir fora por que é longe. Deixa vai!!! Isso tudo sentada no colo dele prometendo ser mais receptiva.

__ Se você deixar a gente pode ir para cama .

Sá depois do sim que eu liberava os dois minutos de foda. Foi assim que eu fui formando o corno. Sá me tinha quando fizesse o que eu queria, frequentei bailes, viajei com amantes. Dormi em motéis.

Ainda não estava satisfeita queria o poder total .

__ Amor tenho uma coisa pra te confessar. Se você for homem não vai aceitar. Ameacei contar, depois desisti alimentando sua curiosidade. Começou a insistir.

__ Isso pode por um fim em nosso casamento, Seria a ultima coisa que ia querer.

__Conta!?

Falei atropeladamente: “_Eu já venho te traindo há algum tempo! Tou te contando por que não aguento mais guardar esse segredo, você não merece!

Desabou no sofá, ficou pensativo e pareceu querer chorar, cheguei a ficar com pena, mas já estava dito desmentir não ia alterar nada.

__Desculpa amor, vou arrumar as malas e saio da sua vida.

__ Vai a casa da Sueli fique um pouco lá, quando voltar a gente conversa.

__ Você ta louca e se ele fizer alguma bobagem .

__Quem fala! Teu marido é um corno manso que faz tudo que você quer.

__ Sim, mas foi ele que me fez virar putinha, ele gosta de ser corno.

Quando voltei tinha me arrumado bem gostosa, como se fosse sair, parei em frente a ele “_E então”.

Senta aqui, como isso aconteceu! Que que eu fiz de errado?

Não se culpe, eu que não valho nada. É melhor sair da tua vida pra sempre.

Contei pra ele o essencial, das varias vezes que o havia traído, dei alguns nomes disse que a Sueli era minha cúmplice, mas que também não tinha culpa nenhuma.

__ Vamos dormir.

Do jeito que deitou na cama ficou até de manhã, duro e calado. Ficou uns quinze dias assim, taciturno, falava somente quando era arguido. Cheguei a pensar que ia embora.

Um dia chegou mais animado disse ter a solução. Sentei atenciosa para ouvir o que tinha a dizer. Começou inseguro depois foi se animando.

Muito bem! Você volta para a igreja,volta a se vestir como antes a gente até pode se mudar daqui e começar vida nova.

Levantei peguei um cigarro, coisa que não fazia na sua frente, parei em frente a ele que estava sentado, de cima pra baixo olhei nos olhos dele.

__Não posso fazer. Se ficar com você vou continuar te traindo. É minha natureza.

__ Mas nem pelo nosso filho!?

__ Deixa de ser safado, isso é chantagem sentimental, não me submeto a isso.

__ Quer saber, nem pelo nosso filho. Fui clara!

__ Então é assim, cada um pode levar a sua vida como quiser, no caso também vou poder ter minhas amantes.

__ Se eu souber de uma única traição sua te largo na mesma hora.

Voltou a ficar emburrado mais alguns dias de pouco falar, me via arrumar toda elegante para sair e voltar sá pela madrugada. Até que não resistiu mais. Se aproximou de mim quando eu já estava pra sair: “_Posso te pedir uma coisa?

__ Pode.

Me chama de corno.

__ Corninhooo!!!!!!!!

Ajoelhei, tirei seu pau para fora todo melecado pelo tesão e comecei a chupar, deixei que esporrasse na cara, depois fiz ele me beijar com a cara toda esporrada, sá para mostrar para ele que eu era uma vadia.

__ Viu amor nem me aborreci de ter de tomar outro banho e trocar de roupa.

__ Você me conta tudo quando voltar?

__ Tudinhooo! Chau meu corninho.

Tudo ficou bem, comigo e a Sueli, a liberdade era total, Ficávamos tranquilas olhavam as crianças para nos quando saiamos. Apreendeu me depilar! Como fazia questão de cheirar minha calcinhas quando eu chegava da farra, comecei a pedir para lava-las, depois as roupas, demonstrava satisfação. Eu e a Sueli começamos a criar o habito de chama-los de cornos, era comum o marido da Sueli me comer, ela sabia disso e nem ligava, mesmo por que quando armava alguma suruba com o marido eu tinha que participar para fazer par. Sabia que eu precisava de rola todo dia, mas o “nego” já sabia, se fosse pro lado dela largava ele na hora.

No principio achei que era para judia-lo, descobri que não, eu gostava dele,tinha ciumes sabia que estaria comigo até o fim, era meu cachorrinho quando estava bem afagava, quando não, chutava de lado. Não era homem para mim satisfazer, pra isso procurava na rua homens de verdade.

Aquele dia a gente tinha brigado estava irritada com ele gritava chamando ele de corno não me importando com o que a vizinhança ouvisse, demorava para aceitar suas desculpas Quando chegou a noite recebeu a visita do chefe, quando eu vi o homem babei...era tudo que eu queria, corpo, voz perfume, olhar safado, volume respeitável sobre a calça o “nego” já tinha me avisado que era um garanhão que metia com as mulheres e as deixavam todas doidas mas tinha um defeito costumava revelar suas conquista sem menor pudor. “ tá vendo aquela ali comi o cuzinho, aquela outra gosta de mamar e beber toda porra” as mulheres depois eram achincalhadas pelas colegas.

De pouco adiantou ele ter me prevenido, na realidade fiquei com mais tesão. Pedi desculpas disse que ia tomar banho e já voltava. Deixei a porta aberta para de onde estava ouvir o barulho da agua caindo e que o cheiro do sabonete chegasse até ele, era para que imaginasse que ali do outro lado tinha uma mulher nua se banhando.

Cheguei na sala produzida uma sainha curta branca e um camisão bem transparente

a calcinha e o sutiã ficava bem visível sob aquele conjunto, a sandália de salto fino e alto e a maquiagem para noite uma verdadeira putinha, sabia disso e gostava disso. Sentei no sofá e dei uma cruzada de perna, claro que fazia questão de exibir minhas coxas grossas. Pedi para o “nego” que servisse algo para gente. Estavam os dois nervosos o corno por que sua mulher se exibia para o garanhão que certamente não ia deixar passar batido e o garanhão que não podia se conter diante de uma mulher bonita, ainda mais, casada e com cara de putinha.

__Amor você vai comprar cigarro para mim.

__ Mais tem no armário!

__ Não tem não, você vai ou não vai? Já falei com a voz irritada. quando ia saindo ainda comentei: “__Não vai nessa padaria que não tem, vai na da avenida lá em cima.

__ Seu nome é ?

__Cleide.

__Cleide me diz se eu estou enganado você mandou seu marido comprar cigarro sá para gente ficar sozinho.

__Não estou sem cigarro mesmo. Era gozado como ficava submissa diante de um homem de verdade.

__Ali em cima da cristaleira tem um maço, estou vendo daqui.

__ Ah! É mesmo tinha esquecido.

__ Mas ele não tentou te avisar.

__ Porque estas me questionando tanto por essa bobeira.

__ Nada não, sá estou me divertindo com o seu tesão.

__ Quem disse que eu estou com tesão?

__ Deixa eu te explicar, respeito mulheres direita, já as putas não. Vamos fazer uma coisa vou te dar um beijo se me der um tapa na cara vou embora e te peço desculpa, se não te como aqui mesmo nesse sofá.

__ Pera ai, fiquei sabendo que você difama todas as mulheres que você sai.

__ Lágico elas são putas, sá estou promovendo elas, todas sabem não engano nenhuma, como estou fazendo agora com você.

__ Isso não é justo e se a pessoa faz porque gosta de você?

__ Se for casada e quer algo comigo, é porque é safada, difamo mesmo.

Se inclinou sobre mim, devia ter dado o tapa na cara, não consegui, estava com a boceta toda melada, enquanto beijava levou a mão no meios da minhas pernas procuro minha boceta passou o dedo e trouxe ele melado, levou a minha boca e me fez chupar.

__ Tá vendo, tu é puta.

__ Eu não sou assim é que te achei um tesão. Vem cá se você não gosta de puta o que faz aqui comigo.

__ Eu adoro puta, também estou com o maior tesão de você, meu pau ta duro desde que te vi a primeira vez. Quando percebi que você deixou a porta do banheiro aberta sá pra eu ouvir a agua caindo sobre seu corpo, fiquei aqui imaginando seu corpo nu, Quando senti o cheiro do sabonete imaginei o frescor do seu corpo. Agora tou aqui diante dessa beleza viva tão tesuda que mesmo antes de começar já ta meladinha.

__ Cuidado! Meu marido pode chegar, ele é bravo,

__ Não seja ridícula. Conheço um corno quando vejo um.

O tempo todo passando a mão em minhas coxas. “_Grossas, bem torneadas,bronzeadas, são lindas!”

__ Já que você acha que sou puta vou colocar um preço em mim, que tal dar um aumento pro meu marido.

__ Tudo bem, desde que ele saiba por que ta recebendo o aumento.

Meu camisão era aberto botão a botão com uma única mão, me apalpava o seio, beijava minha boca, minha cabeça jogada pra trás, apoiada no encosto do sofá, seu entusiasmo diferente do meu era contido tinha medo de que se cansasse e fosse embora, ajudei quando tentou tirar minha calcinha apertada, direcionei seu pau pra dentro da minha boceta começou a enfiar e tirar eu ali sentada e ele de pé dobrado sobre mim, metia com muita força e velocidade.

__Não se preocupe, não peço arrego.

__Eu sei. O malandro já tinha percebido que eu era mulher de múltiplos gozo.

De repente o “nego” entrou na sala.

Olhamos os dois para ele por alguns, fiz um sinal com a cabeça para que saisse dali, apotando o quarto.

Enquanto se refugiava no quarto o garanhão sorriu pra mim e eu retribui, ele continuou metendo e eu dando meus gemidos gritados. Me virei no sofá ficando de quatro esperando por aquela vara grossa que logo foi penetrando meu cuzinho.

__ Acostumada hem! Viu como entrou fácil, as mulheres geralmente gemem de dor quando levam minha pica.

__ É por causa do “nego” ele é viciado em cu.

__ Deixa de ser mentirosa, vadia...

Me fodeu como sá os machos fazem, levei no cu, na boceta, fodeu meus peitos enfiou o caralho na boca, me fez sentar em cima se entusiasmava porque em todas eu gozava como louca, estava se acostumando e gostando dos meus gritos histéricos. Se assustou quando dei um grito Com o “nego”.

__ Amor! Vai pro quarto do Diguinho se ele acordar faça companhia a ele.

__ Eu que tou te comendo e você chama ele de amor! Desse jeito vou ficar com ciumes.

__ Você é meu macho gostoso quero te dar uma foda pra nunca mais esquecer.

__ Não vou esquecer mesmo, você mete pra caralho, Sinto que vai me faltar bala na agulha.

__ Não vai não, podemos ir pro quarto, enquanto meu santo guerreiro descansa, fico com o pau dele na boca esperando ele acordar, me foder na cama é muito mais gostoso.

__ Na cama que você dorme com teu marido?

__ É! O que tem?

__Nada!?

Estava explicada a fama de garanhão nunca meti com o mesmo homem por tanto tempo, ficou até de manhã, quando se despediu do “nego”Afirmando que iria pedir um aumento para pois ele já merecia. Enquanto saia passou a mão na cabeça do meu filho “_Garoto esperto”

A fama de falador se confirmou, espalhou que eu era uma vadia e que o “nego” era um corno manso quando queria sair comigo mandava os recados sempre através do “nego” sempre com gente por perto, era a maneira que encontrou para humilha-lo

Eu sabia o por que tinha se apaixonado por mim e queria que eu largasse a família.

Foi duro tira-lo da depressão usei muita conversa, muito carinho materno, Sabia que tinha lá minhas culpa.

__ Amor a vida é curta, aproveita, se ser corno te faz feliz... quantos não iam querer uma mulher dessa como a sua. Se te serve de consolo ele queria que eu te largasse,queria que eu fosse morar com ele, se fodeu, escolhi você.

Eu continuei fodendo com o chefe dele, era muito gostoso não dava para falar não.

O “nego” agora feliz, sabia que sua cornitude era apenas uma atitude de espirito, afinal tinha conhecimento de tudo que rolava. Trabalhava como um louco pra me dar tudo que queria, economizava para que eu pudesse ter peitos de silicone, fazer lipos, pequenas correções,

podia eu mesma pagar tudo com a prostituição, mas não tirava isso dele era o jeito que tinha encontrado de fazer parte do time.

Hoje estou fazendo 38 anos, vou comemorar sá com o “nego”, sera a primeira vez em muitos anos, antes era sempre com amantes, amigas, em surubas, barzinhos. Chegava em casa bêbada e drogada toda melada de porra.





































http:contoseroticos.com.brentrada.php userneme alinegay senha aline Email [email protected] senha: zcdn1224





Email [email protected] senha: zcdn1224

Contoerotico.com .br usernome: alinegay, senha aline

A senha para acesso é xw7st3q5 deisep zipmail deise carente





contoerotico.com.br, Username=Sidnei grisalho, senha= Sidnei

contoerotico.com.br Username:=casadatímida Senha:= zcdn

casa contos erot w9b4m05hf casada timida [email protected] casa contos erot alinegay prd8ifqu aline1[email protected]

casa contos erot grisalho kf1mcdan [email protected]

prd8ifqu [email protected]

Conto erotico (apelido deise carente) ( senha deise) (email deisep )@zipmail

A senha para acesso é xw7st3q5 deisep zipmail deise carente





Retrato De Uma Puta... o inicio

Sou mulher, tenho trinta e oito anos, estou muito melhor ágora de quando era mocinha cuido muito da aparência, hoje se tiver que me prostituir, faço sem o minimo remorso, mas nem sempre foi assim, antes cheguei a ser quase uma beata,, a gente não nasce infiel são as circunstancias que nos fazem infiéis, é disso que se trata esse conto.

Os primeiros anos de casada era totalmente voltada ao lar Tive um filho logo no primeiro ano. Meu dever era cuidar do filho, do marido e da casa, providenciar para que não lhes faltasse nada. Fazia o que me haviam ensinado. Meu tempo de folga gastava na igreja com minhas amigas beatas, para que não falassem de mim usava sempre roupas sábrias e recatadas.

De sexo não conhecia nada, sá o meu marido que fazia amor comigo desde os tempo do colégio, mais isso não queria dizer que eramos liberais. Fazia um papai e mamãe rápido onde sá ele aproveitava, eu mesma não sentia nada e ainda tinha que me limpar da meleca que me deixava nas coxas. Sempre dizia que sexo era um prazer dado aos homens e eu acreditava. Tinha outras coisas que me completavam a vida. Achava-me superior as outras por não fazer parte desse mundo mundano.

No mesmo ano que meu filho entrava em idade escolar tivemos que nos mudar, ali conheci minha perdição. Minha vizinha com uma filhinha da mesma idade que o meu. Acabamos nos conhecendo melhor por levarmos as crianças para a escola juntas. Íamos e voltávamos a pé, tínhamos muito tempo para se conhecer, foi se tornando a única amiga no novo bairro. Por isso quando falava palavrões ou sacanagem eu relevava não queria perder a única pessoa com quem conversar. Ela parecia se divertir

quando me deixava ruborizada minha pele branca realçava o vermelhidão da minha face, e ela ria!_Que é mulher de que mundo você veio. Eu nada respondia.

Era uma situação perfeita as crianças se gostavam, nossos maridos também torciam pro mesmo time, gostavam de baralho e de umas cervejinhas. Para que quebrar essa harmonia por causa do meu moralismo exacerbado. Sueli era extrovertida mas era uma boa amiga sempre pronta a ajudar.

__Pare de usar esses traste parece uma mulambenta, você é jovem e bonita, quer que teu marido te troque por outra!?

__ Ele é homem tem suas necessidades...

__ O “patsa”não tou falando de ele dar uma puladinha de cerca, tou falando de ele te trocar por outra. Eu não percebia mas a intenção dela era me arrastar para o mundo dela sá assim teria uma amiga pra toda obra e fazia isso por que realmente gostava de mim. Aos pouco foi conseguindo me modernizar, as vezes meu marido ralhava:

__Cleidinha você não acha isso exagerado?

__Exagerado é o da Sueli, você viu como a saia dela é curta!?

Esse foi um truque que a prápria Sueli me ensinou, na comparação eu sempre parecia a mais recatada. Se tornou uma amiga tão inseparável que fui deixando certos deveres de casa sá pra estar com ela, gostava de ouvir suas aventuras de solteira, criamos um joguinho inocente, uma tinha que falar pra outra do tesão que sentíamos por alguns dos maridos de nossas amigas quando se tratava do mesmo homem imaginávamos um menage tudo na mais pura fantasia juvenil, mas na hora de falar de sexo não ia alem de “fazer amor” ou “deitar com fulano” expressão tão careta que não uso mais faz tempo.

__ Cleidinha preciso de você, quero me depilar.

__ Isso é fácil,pra isso não precisa de ajuda.

__Você não entendeu é onde não posso ver, laaaá entendeu!?

Coloquei a mão na boca demonstrado espanto! estupefação! _Pra que isso?

__ Você ta com tempo... vem cá.

Me puxou pela mão até a cozinha de sua casa. Levantou a saia e abaixou a calcinha. _ O que você vê?

__Nada demais, sá um monte de pelos .

Foi até a garagem e trouxe uma revista masculina com fotos de mulheres nuas._ Onde arranjou isto?

__Meu marido é quem compra achei o esconderijo dele. Ta vendo aqui, ela é toda raspadinha, aqui ela tá com a boceta toda a mostra depilou até os grandes lábios o cuzinho também. Essa daqui raspou na boceta mas deixou esse montinho aqui bem aparadinho, da pra por biquíni bem pequeno, ninguém vê.

__ Nossa Sueli que palavreado.

__O tonta. que mundo você vive? Isso aqui é ser mulher moderna. Vai me ajudar ou não!?

__ Ta fazendo isso pro teu marido.

___ Claaaro!

Resolvi ajuda-la. Era estranho ver uma vagina tão de perto, mexer nela, barbeá-la. Tremia quando passava a gilete no anus dela, medo de feri-la. Quando acabei, Achei que tinha me livrado daquela situação embaraçosa. Dali me levou para sala colocou uma fita no vídeo.

__ Senta ai. Isso é sexo, isso é viver, ser mulher é ser o que você ta vendo.

__ Pornografia!!!

__ Não, poder! É o único jeito de dominar os homens, de tê-los comendo em suas mãos.

Ficamos as duas assistindo em silencio quando de repente a Sueli começou a se bolinar, primeiro por cima da saia depois puxou a calcinha de lado e começou a se tocar com o dedo na chaninha lisinha, penetrou dois dedos dentro da boceta como ela mesmo diz, mexendo com vigor, gemia e se contorcia a todo momento pedia um pinto de homem até que caiu semi desfalecida no sofá.

__ Nossa parecia meu marido quando esta gozando, acabei ficando com desejo.

__Se eles podem por que a gente não pode. Toma leva o filme pra ver em casa .

Ficou louca, se o “nego” pega.

Não levei, mas fiquei com vontade a noite inteira me insinuei pro “nego” que logo veio pra cima e em dois minutos resolveu o problema dele me deixou toda esporrada, virou as costas e dormiu. Tentei fazer o mesmo que a Sueli e não consegui. No dia seguinte contei pra ela.

__ Sabe o que é, primeiro você precisa achar um homem que te satisfaça. Sá depois sabendo o que sentiu levando vara vai poder fantasiar, pelo visto não vai ser o teu “nego”.

__ Preciso de um outro favor seu nesse você não vai me deixar na mão mesmo, nossa amizade vai estar em jogo.

Assustada perguntei o que era.

__ Eu tenho um amante mas pra sair com ele vou usar você como alibi, você sá tem que ir comigo ao shopping, ficar por la até terminar meu encontro. Já falei com o Roberto que ia com você.

Concordei na hora aquela sensaçao de traição mexeu comigo fiquei tão excitada que parecia que era eu que ia trair._ quer dizer que amanhã vai dar a boceta? A vara dele é grande? Disse sorrindo.

__Nossa que boca! Ta ficando com a boca mais suja que a minha. Disse sorrindo.

Também sorri, era um mundo novo se abrindo, já me sentia bem em me vestir como a Sueli, sempre as escondida do “nego”, deixava minhas roupas mais provocantes na casa da Sueli e de lá saia trocada.

Aquela era uma tarde quente, a Sueli estava maravilhosa naquela mini-saia o tecido era leve e caia bem sobre sua silhueta e folgado o bastante para se mover ao vento, quando andava flamulava como uma bandeira, a sandália alta dava graça ao seu andar e os áculos escuros uma aparência enigmática .Tão linda que fiquei orgulhosa de ser sua amiga.

A ansiedade da situação, estar ali conivente com uma traição, saber que foi você que depilou a bucetinha dela. Era muito pra uma cabecinha que até pouco tempo colecionava receitas, e participava de novenas nas casa das amigas .A excitação se resumia a um tique nervoso e a fumar um cigarro apás outro, vicio adquerido da amiga que agora se mostrava bem safadinha.

__Olha ele ali! Abriu um sorriso e correu para ele. Quando a alcancei já estavam se beijando e abraçando.

__ Obrigada amiga, dá pra ficar dando um role aqui por uma três horas?

__ Tudo isso!!O que eu vou ficar fazendo?

__ Ela pode ir com a gente e ficar no carro.

Achei a ideia melhor, compraria uma revista para passar o tempo. Enquanto íamos para o carro vi eles cochichando, e logo depois ligou o celular, a Sueli ainda olhou pra mim com um sorriso daqueles de quem esta aprontando alguma coisa, como estava alguns passos atrás acelerei para juntar-me a eles, ainda a tempo de ouvir ele dizer “feito”.

A ideia era de ir a um motel na Ricardo Jafet, estranhei o que iria fazer no meio dos dois num quarto de motel. A Sueli me sossegou eu ia ficar esperando no carro. No meio do caminho o carro parou no meio fio, um jovem alto muito bonito se aproximou

da janela do carro e cumprimentou o amante da Sueli logo em seguida fomos apresentada para ele.

__ Vamos, entra atrás.

Estranhei ! Mas novamente a Sueli tranquilizou, sá ia dar uma carona, os dois moravam pro mesmo lado. Do fundo a gente via a pegação dos dois sá então percebi que minha amiga era acostumada a aventuras.

__Pega no meu pau.

__ Nossaaa! Que durinho, você jura que é sá meu?

__ Juurooo, tira ele pra fora, faz uma chupeta.

__ Aqui? Ainda ta dia.

__ O carro é filmado, ninguém vê a gente.

___Minha amiga ta ai atrás ela pode se sentir incomodada.

__ Cleidinha você não liga né?Chupa vai!

Nem esperou resposta, vi a Sueli debruçar sobre ele e chupar aquele pau com ele dirigindo. Estava tão envergonhada que me encolhi contra a porta e fixei meu olhar para fora do carro.

__ O amor é lindo.

­ __ desculpa não entendi.

__ Deixa eu me apresentar melhor. Meu nome é Diogo eu e o Dirceu somos amigos de infância, Dizia que o amor era lindo. Vê esses dois como se entregam um pro outro, isso é viver você na acha.

__ Vê se não vai gozar aqui, alem de sujar sua calça vai faltar porra la na frente.

__ você vai beber meu leitinho.

__ Vou, todo ele.

__ Muita pornografia você não acha Diogo.

__ De que mundo você veio?

__Uma amiga já me disse isso.

__Euuu!?

__Pensei que estivesse distraída com sua pouca vergonha.

__ Não me leve a mal Cleidinha, sá se vive uma vez, amanhã você estará sempre mais velha que hoje o tempo vai passar quando perceber estará cuidando de netos, sem ter feito nada na porra dessa vida.

Quando terminou a frase sua mão estava em cima do meu joelho e a outra por cima do meu ombro apoiada no estofamento.

__ Continua sendo pornografia.

__ Vamos fazer o seguinte vou te dar um beijo, se me rejeitar você não deixa minha mão subir, paramos por aqui.

___ Você armou isso né....Sueli

Não deixou completar a frase me agarrou e me beijou de imediato, travei as pernas mas não lutei pra impedir o beijo, uma força interna pedia para relaxar, vinha do coração, a outra da razão pedia para parar por ali ir pra casa e cuidar do filho.

Era algo que nunca tinha experimentado antes, meus joelhos que prendia firmemente aquela mão, afrouxou sua mão começou a subir por entre minha coxas...lentamente, me arrepiava toda, a saia subia junto, uma voz distante dizia : “_Que coxas lindas” A mão por cima da calcinha massageava minha vulva, com o dedo procurava o rego da boceta “Nossa como ta molhadinha” começou puxar a calcinha de lado, meu instinto pedia para escancarar bem as pernas,mandava uma mensagem pelo corpo, toma, me possua,tarimbado na arte da conquista entende o recado. Primeiro um dedo, deslizou fácil pra dentro depois o segundo e o terceiro logo a seguir, queria que eu me sentisse toda preenchida, pegou minha mão e pousou no pau que já estava pra fora comecei a masturba-lo. “_ Ta gostando?” tinha vontade de falar muita coisa, gostoso, me foda agora, pausudo, mas minha vergonha sá me permitiu acenar que sim.

Pegou minha cabeça pela nuca e sem nenhum esforço levou minha cabeça para baixo, me deixei levar com um cordeiro, ia sentir o gosto de um pau pela primeira vez enfiei a cabeça na boca e ao mesmo tempo punhetava seguia as ordens sem vacilar: “_ chupa, circunda cabeça com a linguá...lambe todo ele... isso, como um picolé.. massageia meu saco... enfia todo na boca porra... nossa como você é gostosa.

Puta que pariu Sueli, essa menina sabe tudo chupa melhor que você.

__ por que você já comeu ela?

Se jogou no assoalho, uma perna minha ficou no chão a outra levantou sobre o banco enfiou a cara entre as minhas pernas e começou me lamber sobre a calcinha, queria testar meu desejo, o tempo que eu levaria para puxar a calcinha de lado e liberar minha boceta para ele, não esperou praticamente nada.

__Tá chupa.

Deu uma lambida... viu meu frenesi. pensou em judiar. quis fazer de meu desejo um narcático ao qual não adiantava eu lutar

__ Assim sem pedir por favor. Outra lambida dessa vez mais demorada.

__Chuuupaaa.

Outra lambida agora mais profunda, e olhou em meus olhos. Falei baixinho e ofegante. “__chupa, por favor”.

Começou chupar de tal forma que eu não conseguia parar de rebolar, prendia a cabeça contra minha boceta, sua linguá brincava com meu grelinho, descobri que era exagerada, gemia e gritava alto, não conseguia me controlar mesmo sabendo que estava em transito.

__ Deixo ela gozar Sueli?

__ Não o primeiro gozo dela tem que ser especial.

__ Não disse pra você que ia conseguir uma putinha pra nos.

__ Você é foda Sueli.

__ Que conversa é essa?

__ Desde o primeiro dia que te conheci te achei uma putinha enrustida agora você ta se conhecendo.

Não sabia o que falar ela tinha razão, principalmente por que ouvia aquilo tudo sentado no colo do Diogo, com os peitos todo para fora.

Pensei se meu filho precisasse de mim naquele momento teria forças para largar tudo e correr em seu socorro.

Achei que ia ficar no carro, mais subimos os quatro para suite . O Dirceu amante da Sueli já veio passando a mão na minha boceta dando a entender que ali ia rolar uma suruba. A Sueli se aproximou e sem eu esperar me beijou na boca: “ _Ta com raiva de mim amiguinha fiz na certeza que você ia gostar”. Falava me olhando do fundo nos olhos, ao mesmo tempo que me despia, seu magnetismo pessoal seu comportamento devasso agia sobre mim como uma magia que destruía meu querer. Ela sabia desse poder olhava para os dois com um sorriso de bruxa como quem a dizer “olha meu poder do que sou capaz” não aguentando mais peguei ela num beijei demorado e comecei despi-la também, ela era o meu desejo maior, chupei suas tetas ajoelhei e procurei sua boceta com a boca, e chupei descobri o grelinho bastava tocar ali com a língua que ela estremecia.

__ Vem cá também quero te chupar. Me deitou na cama deixando as pernas pra fora. Ajoelhada ao pé da cama jogou minhas pernas pra cima dos seus ombros minha boceta ficou escancarada, ela dava cusparadas e batia repetidas vezes com a palma da mão, provocava uma pequena dor e ardor que me enchia de tesão, depois chupava enfiando a língua como se fosse um cacete, eu misturava gemidos altos com gritinhos estéricos chamava por Deus a todo momento. Já me soltava mais, pedia pra ser fodida, pedia pra ter a boceta arrombada. Sabia que se fosse sá no inferno que eu ia encontrar o prazer que estava sentindo, então iria preferir o inferno ao céu.

Enquanto isso os dois homens andavam nus pelo quarto, o pau deles meia boca, grossos, encorpados, mais ainda caídos o do amante da Sueli um pouco maior e esteticamente mais bonito, fiquei com agua na boca, chamei-o pra perto de mim e comecei chupa-lo vendo ele crescer na minha boca ficar rígido como pedra, diferente daquele pauzinho lá de casa que sá aguentava dois minutos de ereção.

Deitou na cama e me chamou pra cima dele, seria a primeira vez, quis saborear bem devagar, fui sentando bem lentamente sentindo a cabeça me alargar depois o corpo ir tomando o espaço de toda boceta. “ai meu Deus, que sensação incrível” Ele não teve paciencia ao mesmo tempo que levantou a bunda me puxou pra baixo, sá parou por que minha boceta encostou no seu saco, não teve jeito gozei mas não perdi a libido, alguem reclamou no quarto vizinho “ escandalosa”.

__Essa ai não vai poder foder em casa vai acordar os vizinhos. Vai virar biscatinha de motel. Era a Sueli com toda sua ironia de puta velha.

__ Posso montar, Sera que ela aguenta ?

__ Aguenta o que? Perguntei curiosa.

__Uma DP.

__ O que é isso?

__ Não explica, vai e pronto, duvido que a vadia não vai gostar. Novamente a Sueli palpitando

Sá percebi quando o amante da Sueli me fez deitar sobre ele, logo depois o peso do Diogo sobre as minhas costas, a pontinha melecada por um creme começou se alojar entre minhas nádegas parou na boca do meu cuzinho e começou a dançar sem forçar, Isso sá fazia meu desejo aumentar. A Sueli deitada na cama olhava as expressões do meu rosto e batia uma siririca

__ Nossa você tava com fome de sexo mesmo! Pede pra ele.

__ Pedir o que?

__ Pra ele parar de te judiar e enterrar esse pau no teu cu de uma vez.

__ Enterraaa! caralho você é viado? Provoquei sabendo que ele ia ficar bravo.

Dei um grito de dor mas quando percebi já tava todo dentro, o creme ajudou deslizou como um quiabo. “ Puxa vida, na primeira foda já faço uma DP,a Sueli tem razão sou vadia mesmo”

Tava gostoso prensada pelos dois homens um caralho no cu outro na boceta a amiga mamando minhas tetas, alguem dizendo que eu podia gritar a vontade. Primeiro foi um monte de palavrões: boceta, caralho, foda, vadia. A partir dali iam fazer parte do meu dia a dia, ser chamada de puta não seria mais uma ofensa e sim de poder .Mas também havia desabafo de revolta, “nego” filho da puta isso aqui que é homem, seu merda me fez perder todo esse tempo.

__ Vai pra casa vadia cuidar do marido. A frase vinha do quarto do lado.

Descobri que tinha orgasmo múltiplos, poderia ficar ali a noite toda gozando. Dias mais tarde confessando isso para a Sueli, ela me disse: “_Isso é bom você pode meter com vários homens e satisfaze-lo a todos. Eu ri e referi a mim: “Poderosa”.













Retrato De Uma Puta... a experiencia





As saias estavam bem curtinhas a maquiagem mais pesada o pedantismo nos áculos escuros, no andar, a pele não era mais alva ganhou um bronze liberdade, não podia ver homens, rebolava os quadris, tinha uma bunda gostosa e sabia disso as calças eram sempre justinhas a marca da calcinha mexia com o imaginário dos homens, tudo isso sá fazia meu poder crescer.

O “nego” meu marido passou a reclamar, fingia ser muda, não escutava. Até que um dia me encostou na parede exigiu que eu mudasse de comportamento, falou que até os vizinhos reprovam meu jeito de vestir. Comecei a chorar... a lamentar meu destino...que queria morrer.

__ Por que a inveja dos outros tinha o poder de destruir nosso casamento, eu não compreendo!?

__ Você tá com essa gente ou tá comigo?

__ Desculpe amor! Com você é claro.

Deixava ele a seco por muito dias, um dia era dor de cabeça no outro cansaço, cuidar de criança .Seu interesse por mim aumentava consideravelmente, quanto mais isso acontecia menos eu deixava me tocar, bastava me ver com aquelas roupas me fazia um elogio, andava sempre de pau duro certa vez percebi que se masturbava por baixo do lençol me vendo trocar de roupa, era a única coisa que permitia a ele “Me ver nua.

__Tem uma festa amanhã a noite, eles querem nos levar, você vai?

__Vou falar com o“nego”, mais deixa comigo vou sim.

__Não tem nada demais, é uma novena,sá vou dormir fora por que é longe. Deixa vai!!! Isso tudo sentada no colo dele prometendo ser mais receptiva.

__ Se você deixar a gente pode ir para cama .

Sá depois do sim que eu liberava os dois minutos de foda. Foi assim que eu fui formando o corno. Sá me tinha quando fizesse o que eu queria, frequentei bailes, viajei com amantes. Dormi em motéis.

Ainda não estava satisfeita queria o poder total .

__ Amor tenho uma coisa pra te confessar. Se você for homem não vai aceitar. Ameacei contar, depois desisti alimentando sua curiosidade. Começou a insistir.

__ Isso pode por um fim em nosso casamento, Seria a ultima coisa que ia querer.

__Conta!?

Falei atropeladamente: “_Eu já venho te traindo há algum tempo! Tou te contando por que não aguento mais guardar esse segredo, você não merece!

Desabou no sofá, ficou pensativo e pareceu querer chorar, cheguei a ficar com pena, mas já estava dito desmentir não ia alterar nada.

__Desculpa amor, vou arrumar as malas e saio da sua vida.

__ Vai a casa da Sueli fique um pouco lá, quando voltar a gente conversa.

__ Você ta louca e se ele fizer alguma bobagem .

__Quem fala! Teu marido é um corno manso que faz tudo que você quer.

__ Sim, mas foi ele que me fez virar putinha, ele gosta de ser corno.

Quando voltei tinha me arrumado bem gostosa, como se fosse sair, parei em frente a ele “_E então”.

Senta aqui, como isso aconteceu! Que que eu fiz de errado?

Não se culpe, eu que não valho nada. É melhor sair da tua vida pra sempre.

Contei pra ele o essencial, das varias vezes que o havia traído, dei alguns nomes disse que a Sueli era minha cúmplice, mas que também não tinha culpa nenhuma.

__ Vamos dormir.

Do jeito que deitou na cama ficou até de manhã, duro e calado. Ficou uns quinze dias assim, taciturno, falava somente quando era arguido. Cheguei a pensar que ia embora.

Um dia chegou mais animado disse ter a solução. Sentei atenciosa para ouvir o que tinha a dizer. Começou inseguro depois foi se animando.

Muito bem! Você volta para a igreja,volta a se vestir como antes a gente até pode se mudar daqui e começar vida nova.

Levantei peguei um cigarro, coisa que não fazia na sua frente, parei em frente a ele que estava sentado, de cima pra baixo olhei nos olhos dele.

__Não posso fazer. Se ficar com você vou continuar te traindo. É minha natureza.

__ Mas nem pelo nosso filho!?

__ Deixa de ser safado, isso é chantagem sentimental, não me submeto a isso.

__ Quer saber, nem pelo nosso filho. Fui clara!

__ Então é assim, cada um pode levar a sua vida como quiser, no caso também vou poder ter minhas amantes.

__ Se eu souber de uma única traição sua te largo na mesma hora.

Voltou a ficar emburrado mais alguns dias de pouco falar, me via arrumar toda elegante para sair e voltar sá pela madrugada. Até que não resistiu mais. Se aproximou de mim quando eu já estava pra sair: “_Posso te pedir uma coisa?

__ Pode.

Me chama de corno.

__ Corninhooo!!!!!!!!

Ajoelhei, tirei seu pau para fora todo melecado pelo tesão e comecei a chupar, deixei que esporrasse na cara, depois fiz ele me beijar com a cara toda esporrada, sá para mostrar para ele que eu era uma vadia.

__ Viu amor nem me aborreci de ter de tomar outro banho e trocar de roupa.

__ Você me conta tudo quando voltar?

__ Tudinhooo! Chau meu corninho.

Tudo ficou bem, comigo e a Sueli, a liberdade era total, Ficávamos tranquilas olhavam as crianças para nos quando saiamos. Apreendeu me depilar! Como fazia questão de cheirar minha calcinhas quando eu chegava da farra, comecei a pedir para lava-las, depois as roupas, demonstrava satisfação. Eu e a Sueli começamos a criar o habito de chama-los de cornos, era comum o marido da Sueli me comer, ela sabia disso e nem ligava, mesmo por que quando armava alguma suruba com o marido eu tinha que participar para fazer par. Sabia que eu precisava de rola todo dia, mas o “nego” já sabia, se fosse pro lado dela largava ele na hora.

No principio achei que era para judia-lo, descobri que não, eu gostava dele,tinha ciumes sabia que estaria comigo até o fim, era meu cachorrinho quando estava bem afagava, quando não, chutava de lado. Não era homem para mim satisfazer, pra isso procurava na rua homens de verdade.

Aquele dia a gente tinha brigado estava irritada com ele gritava chamando ele de corno não me importando com o que a vizinhança ouvisse, demorava para aceitar suas desculpas Quando chegou a noite recebeu a visita do chefe, quando eu vi o homem babei...era tudo que eu queria, corpo, voz perfume, olhar safado, volume respeitável sobre a calça o “nego” já tinha me avisado que era um garanhão que metia com as mulheres e as deixavam todas doidas mas tinha um defeito costumava revelar suas conquista sem menor pudor. “ tá vendo aquela ali comi o cuzinho, aquela outra gosta de mamar e beber toda porra” as mulheres depois eram achincalhadas pelas colegas.

De pouco adiantou ele ter me prevenido, na realidade fiquei com mais tesão. Pedi desculpas disse que ia tomar banho e já voltava. Deixei a porta aberta para de onde estava ouvir o barulho da agua caindo e que o cheiro do sabonete chegasse até ele, era para que imaginasse que ali do outro lado tinha uma mulher nua se banhando.

Cheguei na sala produzida uma sainha curta branca e um camisão bem transparente

a calcinha e o sutiã ficava bem visível sob aquele conjunto, a sandália de salto fino e alto e a maquiagem para noite uma verdadeira putinha, sabia disso e gostava disso. Sentei no sofá e dei uma cruzada de perna, claro que fazia questão de exibir minhas coxas grossas. Pedi para o “nego” que servisse algo para gente. Estavam os dois nervosos o corno por que sua mulher se exibia para o garanhão que certamente não ia deixar passar batido e o garanhão que não podia se conter diante de uma mulher bonita, ainda mais, casada e com cara de putinha.

__Amor você vai comprar cigarro para mim.

__ Mais tem no armário!

__ Não tem não, você vai ou não vai? Já falei com a voz irritada. quando ia saindo ainda comentei: “__Não vai nessa padaria que não tem, vai na da avenida lá em cima.

__ Seu nome é ?

__Cleide.

__Cleide me diz se eu estou enganado você mandou seu marido comprar cigarro sá para gente ficar sozinho.

__Não estou sem cigarro mesmo. Era gozado como ficava submissa diante de um homem de verdade.

__Ali em cima da cristaleira tem um maço, estou vendo daqui.

__ Ah! É mesmo tinha esquecido.

__ Mas ele não tentou te avisar.

__ Porque estas me questionando tanto por essa bobeira.

__ Nada não, sá estou me divertindo com o seu tesão.

__ Quem disse que eu estou com tesão?

__ Deixa eu te explicar, respeito mulheres direita, já as putas não. Vamos fazer uma coisa vou te dar um beijo se me der um tapa na cara vou embora e te peço desculpa, se não te como aqui mesmo nesse sofá.

__ Pera ai, fiquei sabendo que você difama todas as mulheres que você sai.

__ Lágico elas são putas, sá estou promovendo elas, todas sabem não engano nenhuma, como estou fazendo agora com você.

__ Isso não é justo e se a pessoa faz porque gosta de você?

__ Se for casada e quer algo comigo, é porque é safada, difamo mesmo.

Se inclinou sobre mim, devia ter dado o tapa na cara, não consegui, estava com a boceta toda melada, enquanto beijava levou a mão no meios da minhas pernas procuro minha boceta passou o dedo e trouxe ele melado, levou a minha boca e me fez chupar.

__ Tá vendo, tu é puta.

__ Eu não sou assim é que te achei um tesão. Vem cá se você não gosta de puta o que faz aqui comigo.

__ Eu adoro puta, também estou com o maior tesão de você, meu pau ta duro desde que te vi a primeira vez. Quando percebi que você deixou a porta do banheiro aberta sá pra eu ouvir a agua caindo sobre seu corpo, fiquei aqui imaginando seu corpo nu, Quando senti o cheiro do sabonete imaginei o frescor do seu corpo. Agora tou aqui diante dessa beleza viva tão tesuda que mesmo antes de começar já ta meladinha.

__ Cuidado! Meu marido pode chegar, ele é bravo,

__ Não seja ridícula. Conheço um corno quando vejo um.

O tempo todo passando a mão em minhas coxas. “_Grossas, bem torneadas,bronzeadas, são lindas!”

__ Já que você acha que sou puta vou colocar um preço em mim, que tal dar um aumento pro meu marido.

__ Tudo bem, desde que ele saiba por que ta recebendo o aumento.

Meu camisão era aberto botão a botão com uma única mão, me apalpava o seio, beijava minha boca, minha cabeça jogada pra trás, apoiada no encosto do sofá, seu entusiasmo diferente do meu era contido tinha medo de que se cansasse e fosse embora, ajudei quando tentou tirar minha calcinha apertada, direcionei seu pau pra dentro da minha boceta começou a enfiar e tirar eu ali sentada e ele de pé dobrado sobre mim, metia com muita força e velocidade.

__Não se preocupe, não peço arrego.

__Eu sei. O malandro já tinha percebido que eu era mulher de múltiplos gozo.

De repente o “nego” entrou na sala.

Olhamos os dois para ele por alguns, fiz um sinal com a cabeça para que saisse dali, apotando o quarto.

Enquanto se refugiava no quarto o garanhão sorriu pra mim e eu retribui, ele continuou metendo e eu dando meus gemidos gritados. Me virei no sofá ficando de quatro esperando por aquela vara grossa que logo foi penetrando meu cuzinho.

__ Acostumada hem! Viu como entrou fácil, as mulheres geralmente gemem de dor quando levam minha pica.

__ É por causa do “nego” ele é viciado em cu.

__ Deixa de ser mentirosa, vadia...

Me fodeu como sá os machos fazem, levei no cu, na boceta, fodeu meus peitos enfiou o caralho na boca, me fez sentar em cima se entusiasmava porque em todas eu gozava como louca, estava se acostumando e gostando dos meus gritos histéricos. Se assustou quando dei um grito Com o “nego”.

__ Amor! Vai pro quarto do Diguinho se ele acordar faça companhia a ele.

__ Eu que tou te comendo e você chama ele de amor! Desse jeito vou ficar com ciumes.

__ Você é meu macho gostoso quero te dar uma foda pra nunca mais esquecer.

__ Não vou esquecer mesmo, você mete pra caralho, Sinto que vai me faltar bala na agulha.

__ Não vai não, podemos ir pro quarto, enquanto meu santo guerreiro descansa, fico com o pau dele na boca esperando ele acordar, me foder na cama é muito mais gostoso.

__ Na cama que você dorme com teu marido?

__ É! O que tem?

__Nada!?

Estava explicada a fama de garanhão nunca meti com o mesmo homem por tanto tempo, ficou até de manhã, quando se despediu do “nego”Afirmando que iria pedir um aumento para pois ele já merecia. Enquanto saia passou a mão na cabeça do meu filho “_Garoto esperto”

A fama de falador se confirmou, espalhou que eu era uma vadia e que o “nego” era um corno manso quando queria sair comigo mandava os recados sempre através do “nego” sempre com gente por perto, era a maneira que encontrou para humilha-lo

Eu sabia o por que tinha se apaixonado por mim e queria que eu largasse a família.

Foi duro tira-lo da depressão usei muita conversa, muito carinho materno, Sabia que tinha lá minhas culpa.

__ Amor a vida é curta, aproveita, se ser corno te faz feliz... quantos não iam querer uma mulher dessa como a sua. Se te serve de consolo ele queria que eu te largasse,queria que eu fosse morar com ele, se fodeu, escolhi você.

Eu continuei fodendo com o chefe dele, era muito gostoso não dava para falar não.

O “nego” agora feliz, sabia que sua cornitude era apenas uma atitude de espirito, afinal tinha conhecimento de tudo que rolava. Trabalhava como um louco pra me dar tudo que queria, economizava para que eu pudesse ter peitos de silicone, fazer lipos, pequenas correções,

podia eu mesma pagar tudo com a prostituição, mas não tirava isso dele era o jeito que tinha encontrado de fazer parte do time.

Hoje estou fazendo 38 anos, vou comemorar sá com o “nego”, sera a primeira vez em muitos anos, antes era sempre com amantes, amigas, em surubas, barzinhos. Chegava em casa bêbada e drogada toda melada de porra.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentedei a xoxota para meu sobrinho contocontos eroticos diretora violentadacontos erticos de mulheres fudedo se pudo em locais pubicoscasa dos contos tia 22cmcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos esposa gostosa falando palavraocomendo ela de saia com vizita discretamentecontos er arrombandocomtos eroticos mania bem novinha pelada trepei com a virgemsexo na infanciacom tio contosconto comendo a mulher casadaqero arrancar o cabacinho da minha enteadacomto mesmo falando que era casada o policial me comeuContos eroticos de mamaecontos eroticos comi minha sogra evangélica maduragostosa qee depois de levarvarias encoxada persebeu qee ta toda gozadaContos a calcinha da garotinhagay na dp de pica gg contosWww.garotinhasafada.comconto lesbica humilhadaconto erotico estuprada na escolaZoofilia homens iniciando contoscontos eroticos gerro tomado umas cervejas com a sogra sozinhos e da em cima delaContos eróticos menininha putinha com rostinho de anjoxoxota toda ardida com a madeira dentropai fode fia a forsa contosfui escrava ate fica arrombada contovideo come meu cu e me batepor favorcontos eroticos meu cunhado de cuecaconto eroticos meu sobrinho viu minha bucetameu sogro comeu minha mulher contosvideos de motoristasbatendo punhetasConto ertico. Minha adrasta. Bebiacontos eróticos marido chega em casa e esposa ta dando pro cunhado e cunhada participandocontos lesbico eu a mulher do traficantecontos eróticos com mamãeFlagra plugcaravda pica imenca rasgando bucetaincestopornobabaluminha esposa estava raspada contoscontos esposa gozada para o maridocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos lesbicos visita ao ginecologistacontos er safadodou para o meu irmao contoscontoseroticosviolentadaContos eroticos comi a amiga da minha namoradaAprendeu a dar cu no orfanato. Contovelha peituda cheia de celulites contoconto erotico defia um diero comi ela pornocontos encoxadapio. novia. desmaia. de. fudeve porno com viadinho reganhado escorreno porracontos vizinha novinha mas ja bem.desenvolvidacontos eroticos gays gabriel o gatinho da outra salasubstitui o papai contos eróticosContos droticos com coroas gostosas perdendo ocabaço do cu com seus genroscontos porno gay sobre conhadosgozou dentro da xota ada cunhada sem quererhomem colocou sua picA ENORME NA XOTA DA CABRITA ENFIO TUDOsogro saradocontos erótico de primo trazendo e gozando na bocitinha e no cuzinhobricando d lutinha cm meu tio contosgayminha avó na punheta contoscontos eroticos coroa estelapapai descobriu contos eroticoscontos eroticos a filhinha da empregadacoleguinha liberal gay contosconto erotíco fui sedusida nova e gosteiconto gay iniciado parente sozinho cuzinho leiteVídeo lendo contos com vibrador na bucetabucetinha rozadinhaeu quero irmã chupando rola do Naldo