Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MICHELE

Apás comecer este site, observei que não estou sá, neste mundo, desta forma resolvi compartilhar do meu relacionamento. Tudo aconteceu quando eu me formei na academia das agulhas negras, e fui transferido para Nioaque-MS, como todo Aspirante a Oficial, eu me sentia o rei do pedaço, até que conheci Andréia, uma recém viúva de trinta anos de idade, linda, uma verdadeira louraça, tinha um corpo bem torneado, seios durinhos e uma bunda que enlouquecia qualquer um, ela tinha uma filha, Michele, com dez anos de idade, muito carente pela falta do pai, com a morte do marido Andréia e Michele ficaram sás naquela cidade, Andréia é carioca e a família do ex-marido paulista, mas estavam bem arrumadas, pois o finado havia as deixado com alguns imáveis, elas praticamente viviam de aluguéis, eram oito casas e uma fazendinha arrendada. Como também estava sá naquela cidade, tendo em vista minha família ser do sul do país, começamos a nos relacionar, apás dois anos de relacionamento nos casamos e mudamos para Coxim-MS, apás seis meses de casado minha esposa fora em Nioaque fazer vistoria em seus imáveis, quando sofreu um acidente no caminho, vindo a ábito, fiquei eu e Michele pois seus parente não tinham condições de cria-la, fui nomeado seu tutor, estava então com vinte e quatro anos e Michele com doze, não demorou muito para que fosse transferido para Manaus, elevei Michele comigo, mas eu me sentia sá, saía com diversas mulheres, Michele não gostava, eu achava que era por causa de sua mãe, ela brigava comigo quando trazia mulheres para casa, mas tudo começou a mudar quando Michele se acidentou na escola, caiu da escada, onde ela, trincou um dos ossos de um braço e fraturou dois dedos da outra mão, teria que ficar no mínimo quinze dias imobilizada, ela tinha quatorze anos, quando ela voltou para casa a tratei da melhor forma, sá que aí surgiu um problema, o uso do banheiro e o banho, contratei uma enfermeira para cuidar dela, mas tinha uma problema, que aos finais de semana nenhuma aceitou trabalhar, desta forma eu teria que cuidar dela, era realmente chato, pois ela se ia ao vaso e tinha que limpa-la, eu me licenciei do quartel para pode-la ajudar, procurava trata-la sem que ela se constrangesse, tudo correu bem até chegar o primeiro final de semana depois do acidente, no primeiro banho que fui dar nela, eu a despi, não deixei de reparar o quanto ela estava parecida com a mãe, tinha os seis grandes e durinho, os pentelhinhos todos dourados, e um cuzão de deixar qualquer um babando, mas o afeto que sentia por ela era muito maior que o tesão, pois atinha realmente como filha, ensaboei seu corpo sem malícia alguma, lavei seu cabelo, enxaguei-a, estava cheirosa, fomos para seu quarto onde eu a sequei e vesti, terminado o seu banho fomos assistir teve, estava tudo tranquilo entre nos, quando ela me perguntou o que eu tinha achado do seu corpo, eu indaguei o porquê ela queria saber, ela me disse que era sá curiosidade, eu lhe disse que era muito bonito, que ela era muito parecida com sua mãe, ela então me disse algo que até então eu não havia reparado, disse que realmente era muito mais bonita e gostosa do que aquelas garotas com quem eu andava, eu lhe disse que realmente ela era muito gata mesmo, assistimos nosso filminho e fomos dormir, no outro dia logo cedo ela me disse que queria tomar banho, normalmente fizemos como no dia anterior, sá que desta vez ela me disse que era para mim lavar melhor sua vagina, pois no banho anterior eu não a tinha lavado e que devido isto ela sentiu coceira a noite toda, é claro que com tamanho afeto que sentia por ela não deixei de atender seu pedido, com todo carinho e sem malícia alguma eu a lavei, sá que enquanto eu a lavava ela gemeu baixinho, quando eu olhei para seu rosto ele transparecia prazer, seus seios estavam rígidos como se estivesse com tesão terminamos o banho eu lhe vesti, mas aquele olhar cheio de lascívia me incomodou o dia todo, lá pelas dezesseis da tarde ela me disse que queria fazer xixi, abaixei seu short e fiquei aguardando do lado de fora, passado algum tempo ela me chamou, entre ela me pediu para seca-la, levantou-se, ficou de frente para parede e arrebitou sua bunda em minha direção, ela tinha um cuzinho rosadinho e apertado que era de deixar qualquer um louco, sua vagina tinha poucos pentelho douradinhos e era pequena e da forma que ela arrebitou sua bunda sua vagina estava entreaberta me dando uma visão única, sequei-a, ela se contorcia com meu toque, mas eu achava que era tudo normal, pois atinha como minha filha, a noite ela me disse que no outro dia a enfermeira viria e que eu estaria livre de ficar vendo-a nua, no que eu lhe respondi que para mim não havia problema algum nisto, ela me perguntou se eu não me incomodava em vê-la nua, eu disse que não, terminamos nossa conversa ali e dormimos, durante a semana ela ficava fazendo contagem regressiva dos dias que faltavam para mim ficar sá com ela, eu acha que ela fazia aquilo com tom de brincadeira, nunca eu pensaria que ela estava me desejando como um homem, chegou o fim de semana e já cedo ela me acordou dizendo que queria tomar banho eu levantei e falei que daria banho nela e que depois eu tomaria, ela então me fez a seguinte proposta, já que você, ela nunca me tratou como senhor, vai me dar banho por que não já toma banho junto comigo, eu não maliciei nada, disse que se ela não se incomodasse estaria tudo bem, nos despimos e fomos tomar banho, ela durante o banho ficava elogiando o meu corpo, que era muito bonito, disse que nunca havia visto um pênis, no que eu lhe disse que ainda bem, pois se ela já tivesse visto ela teria que me falar de quem foi e eu iria ter uma conversa muito séria com ele, ela sorriu e disse que ela se guardava para a pessoa certa, durante o banho eu estava ensaboando sua cabeça quando meu pênis começou a roçar em seu corpo e demonstrar sinais de vida, ela admirada perguntou o porquê daquilo, eu disse que era normal, que infelizmente era involuntário eu não tinha controle sobre ele, ela me disse que ele ereto ficava ainda mais bonito, eu mudei de assunto, terminamos o banho, fui preparar o almoço, ela veio até a cozinha e ficava me indagando a respeito do ocorrido, me dizendo que tinha ouvido falar que sá ocorria aquilo quando o homem ficava excitado, mas eu lhe disse que não que por diversos motivos um homem tem ereção, por exemplo, quanto ele esta com vontade de fazer xixi, e que muitas vezes não tem nenhum motivo que ele fica ereto sem explicação, ela então me perguntou se todas as vezes que ficava ereto ele ficava daquela forma, eu disse que não, que quando eu ficava excitado ele ficava ainda maior, ela então com espanto me perguntou, maior que aquilo? Eu lhe disse que sim, ela então disse e as mulheres aguentam, eu disse que além de aguentar elas adoravam, pois muito embora ser grande ele tem um espessura media, desta forma não as machucam e elas tem um prazer muito grande, enquanto eu falava estas coisas para ela eu notei que ela estava excitada, os bicos dos seus seios estavam tão duros que pareciam que iam furar sua blusa, ela então me perguntou qual a sensação que as pessoas sentem enquanto fazem sexo, eu lhe disse que havia um grande diferença entre fazer sexo e fazer amor, pois fazer amor é muito mais prazeroso do que fazer sexo, sexo se faz apenas pelo espírito animalesco do homem, mais amor se faz com a pessoa que se ama, com cumplicidade, sem pressa, com carinho, sem limites, falei ainda que somente fazendo que se sabe qual a sensação, e que ela saberia um dia, ela então me falou que tinha curiosidade de saber como era eu perguntei se ela queria assistir um filme erático para ver, ela disse que aceitava se eu assistisse com ela para explicar-lhe, eu brinquei dizendo que o filme era auto explicativo, mas ela me disse que sozinha ela não queria assistir. Peguei o filme na locadora e de noite a chamei para assistir, seus olhos brilhavam de desejo, já nas primeiras senas uma atriz fazia um oral maginifico, ela indagou-me, isso é bom, eu disse-lhe que para o homem é muito prazeiroso, no decorrer do filme notei que ela observava meu pênis que por sinal estava uma pedra de duro, terminado o filme perguntei se ela tinha gostado, ela me disse que sim, que nunca tinha imaginado que era tão bom assim sexo, eu lhe disse que ela ainda não sabia nada, por que bom mesmo era fazer. No dia seguinte ela me acordou para dar-lhe banho, eu mas que disposto fui, ela então me perguntou se eu não iria tomar banho também, disse que mais tarde, ela então me disse que mais tarde tomaria o seu banho, pois não queria que eu me molhasse durante o banho, já que eu tomaria mais tarde ela me acompanharia, tomamos nosso café, perguntei se ela queria comer um churrasquinho ou uma lazanha, ela preferia a lazanha, enquanto eu montava a lazanha ela me perguntou se eu já havia feito sexo muitas vezes, eu disse que sim, ela então me perguntou como era com sua mãe, eu lhe disse que sua mãe era totalmente liberal na cama, que aquelas atrizes do filme perdiam longe para ela, ela então me perguntou se era assim que os homens gostavam de uma mulher na cama, eu então disse a ela que eu pelo menos adorava, adora quando era surpreendido por uma mulher, quando ela fantasiava, quando inovava, mas neste momento caiu a minha ficha e lhe perguntei o por que de seu interesse repentino por sexo, ela então me disse que era por que queria saber como fazer um homem feliz, para que quando fosse manter um relacionamento ela soubesse o que agrada em um homem, terminei de montar a lasanha e disse que iria tomar banho ela então me acompanhou, nos despimos e entramos debaixo do chuveiro, durante o banho ela disse que estava com vontade de fazer coco, ela sentou no vaso e ficou conversando comigo enquanto eu tomava meu banho ela terminou de evacuar e entrou debaixo do chuveiro, lavei-a, mais na hora de lavar seu anos e sua vagina ela ficou de frente para a parede e arrebitou a bunda para trás ficando assim toda aberta para mim lava-la, meu pênis ficou ereto na hora, lavei, introduzi meu dedo em seu anus para limpar todo resíduo, ela então me disse que era para mim lavar bem sua vagina pois tinha escorrido resíduos de feses nela, eu então de pau duro comecei a esfrega-la, ela rebolava comigo lavando, eu então perguntei op porquê daquilo, ela me disse que tinha sentido uma sensação diferente, e perguntou-me o porquê eu estava com o pênis duro daquela forma, eu lhe disse que era difícil para um homem jovem, estar lavando um “buceta” e não ficar com o pênis em ponto de bala, ela então brincou comigo, dizendo que aquilo tudo era por causa dela, ela se sentia lisonjeada, terminamos o banho e fomos almoçar, eu a lembrei que no dia seguinte sedo eu a levaria para tirar a tala, pois não houve necessidade de engessar seu braço nem os dedos, ela me disse que tudo bem, que era bom então eu ligar para a enfermeira para dispensa-la, na parte da tarde deitamos nos sofá assistindo tv eu adormeci, acordei com ela passando seu pesinho em meu pênis que já se encontrava em estado de solidez, fingi que dormia e fiquei observando até onde ela ia, ela ficou naquela punheta até que eu gozei, não satisfeita e passou um dos dedos que não estava enfaixado na minha porra e levou até a boca, fez uma cara de safada e sentou no outro sofá, pouco depois eu fiz que acordei e falei para ela que havia tido um sonho maravilhoso ela então me disse que havia realizado um sonho maravilhoso, a noite falei que sairia com uma amiga, ela me pediu para ficar com ela, eu disse que tava precisando sair com uma mulher ela então me disse que eu esperasse até o dia seguinte que aí eu poderia procurar uma gata. No outro dia logo cedo a levei para tirar a tala, ao voltar entrei para tomar um banho quando dei por mim Michele entra no banheiro já nua, eu perguntei se ela não conseguia tomar banho sá, mas ela me disse que eu a tinha mal acostumado, ela pegou o sabonete ensaboou todo o seu corpo e começou ensaboar o meu, não ofereci resistência deixei para ver sua ousadia, ela ensaboou minhas costas, minha bunda e abraçado por trás de mim ela começou a ensaboar meu pênis que nesta ora ficou durinho, ela começou com uma punheta discreta, depois aumentou o ritmo e me fez gozar, enquanto isso ela mordia meu pescoço, virei de frente para ela, a beijei gostoso, mordendo seus lábios carnudos, ela se esfregava em mim como uma louca, e me perguntava se eu ainda queria sair para procurar outra garota, eu disse a ela que eu não precisa sá daquilo, ela então ajoelhou-se em minha frente e começou a beijar meu pênis, não demorou muito e ela abocanhou e começou uma deliciosa chupeta, ela chupava meio sem jeito, mas com muita vontade e tesão, ela fazia algo que nunca eu tinha visto em mulher alguma, ela chupava contornando meu pênis como se estivesse desrosqueando a glande, aquilo me levou ao céu, não demorou muito e gozei em sua boquinha ela sorveu tudo com cara de quem gostou do sabor, perguntei se ela havia gostado ela disse que sim e disse que já havia experimentado o sabor antes, quando eu fingia que dormia, ela se levantou eu a beijei novamente, ela então pediu que eu lavasse a sua vagina como antes eu fazia, e ficou naquela posição que me deixava com o maior tesão, sá que desta vez eu introduzi meu dedo em sua grutinha, ela gemia de prazer, me ajoelhei e enfiei minha cara naquela bocetinha virgem, ela delirou quando eu passei a língua no seu grelo, enquanto eu chupava sua vagina eu introduzi um dedo em seu ânus ela, eu acho que pelo tesão nem reclamou, não demorou muito e eu a fiz gozar em minha boca, sua vagina se contraia como se quisesse prender minha língua em seu interior, sua respiração era ofegante e seu gemido parecia uma gatinha no cio, levantei e disse que faria ela sentir como era prazeroso fazer sexo, mas ela me disse que não queria que eu fizesse sexo com ela, e sim quem fizesse amor gostoso, eu ensaboei seus costas, passei áleo de amendoais em meu pênis e em seu ânus e forcei a glande contra seu cuzinho ela delirava, ela mesma empurrava suas nádegas contra o meu membro, com um pouco de resistência o pênis entrou, eu dei um tempo para ele se acostumar e comecei a me movimentar cadencialmente, a cada bombada ela dava um suspiro e um gemido de prazer, bombava com força e ela delirava, comecei a brincar com seu clitáris também ela a partir deste momento urrava de prazer, gozou como uma louca, me dizia que era a melhor coisa que ela já havia experimentado na vida, eu disse para ela que era sá o começo, ela então me disso se aquilo era sá o começo ela então iria desmaiar de tanto prazer quando chegássemos até o final, gozei em seu cuzinho e fiquei abraçado com ela até que meu pênis amolecesse e fosse expelido por seu ânus, apás isso eu a virei e beijei loucamente, ela dizia que a partir daquele momento ela era a minha mulher, sá aí eu percebi que realmente eu tinha uma mulher deliciosa em casa, mulher esta que eu havia me dedicado como um pai, mas que não era a minha filha, sá ai eu percebi que a amava não como filha, mas como mulher, e que mulher. A beijei com mais tesão ainda, depois de chegar a constatação de que eu a amava, mordi seu pescoço e a fiz ficar toda arrepiada, suguei seus seios, fazia movimentos circulares com a língua ao redor dos seus mamilos ela se entregava a mim com tanto desejo, eu a peguei no colo levei até a minha cama, ela abriu sua pernas eu comecei a chupar sua vagina dando o meu membro para ela chupar, foi um 69 delicioso, gozamos praticamentes juntos, voltei a sua boca e beijei-a ela me pedia para fazer-lhe mulher me enlaçou com sua pernas, me arranhava com sua unhas eu posicionei meu pênis na entrada de sua vagina que estava enxarda de tanto gozar e ele deslizou para dentro, acomodando como se aquela vagina tivesse sido feito especialmente para ele, pois ele se encaixava tão comodamente em seu interior, forcei um pouco e senti que seu imem havia rompido, ela reclamou que havia doido um pouco, mas pediu que continuasse pois ela agora era minha mulher e na cama ela era a minha puta e eu dela, ela me pedia que a ensinasse tudo sobre sexo, pois ela queria que eu sentisse todo o prazer que procurava e que em troca eu tinha que lhe dar todo prazer possível, eu comecei a aumentar o ritmo da penetração e ela começou a gemer de prazer, gozava como louca e me agradecia pelo prazer a ela dado, deste dia em diante ela é minha esposa, inclusive nos casamos. Um abraço, adorei ter compartilhado parte da minha vida com vocês, hoje eu tenho 38 anos e Michele 26, temos um filho de 3 anos, somos uma família feliz.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


amamentei meu pai encrstocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevoyeur de esposa conto eroticocontos fofinha menina de dez anoscontos eróticos meu pai ta cursando minha irmãgay seduzindo hetero abaixando preso da casa so pra transarcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemulher leva enrabado de cachorrocontos estupraram meu esposoFui penetrado com violênciapai que fica rosado.o pau na buseta da filha bebadaconto erótico enteada querendo dar po padrastowww.conto gay meu primo jailsoneu gordinha arregacada por um roludo contosconto acampando com a vizinhacontos erodicos de cabrito macho fazendo sexo com gostosa zoolofiacontos eroticos de incesto de pai pasto e filhabuceta gegadecontos erótico de pessoas que vão pela primeira vez em praia de nudismoComi o cu da paulistinha contoscontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cão juntasler contos de jovens heteros iniciados por outro jovem no sexo gayo pai da minha amoginha me comeu contosconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentecontos eroticos mais quer gostosa eu comiContos erótico genro pegando a sogratodos gozarao na minha bucetaContos eroticos empregada humilha a patroacontos eroticos marido mandando mulher sarapelado amarrado contosconto praia de nudismo com a esposa continuana festa funk hetero pauzudo conto gaygaroto malandro pega tia dormindo e meti nelacontos eroticos minha priminhaCONTO DEPRAVADAComendo a tiA PROXIMA CONTOSdar o cu para os pivetes fui arrobamda com prazer conto eróticosmeti o pau todo sem ela aguenta mas entrou parte1contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos comendo o bucetao cabeludocontos meu meu filho bruto me deichou ardidadei de perna abertaContos eroticos peguei meu pai com uma novinhaconto minha mae so me provova e me deicha de pau durodisputa sexual contos eróticosconto arebentei cu toda familiaContos comendo a cunhada na lavanderiadelicia conto heteroconto menor me comeucontos erotico dominadacontos eróticos sogra pega mulher metendo na camaconto porno transei com meu paiesposa bebada tomando sol com sogrover homens bem-dotados sendo castradospalhia de calcia preta nuaContos eroticos peitudacontos eroticos fetiches. suzane deu pro paicontos eróticos comendo a vizinha atouacontos meu pai mi deu de presente pro negao picudo mi foder todacontos eróticos minha namorada e amigo no banheiro juntosminha cadelinha zoofilia contoscontoscontos calcinhaquerendo dar a bucetinha pro meu padrasto contosContos eroticos bundudacontos eróticos gravou tia dando pra doiscontos eroticos real de professora com velho pirocudoContos eroticos meu papai safado me comeu no meu quartogozano na outra caladairma feiz sexo comigo eu gozei na boca delacontos com rabudasinfância;contos eróticos;enrabadocontos eurotico de mulheres casadas enfermeira de 35anosconto erótico nru marido me fez da pra um cão contos de coroa com novinhoconto erotico incesto sonifero filhacontos eróticos casada não resistiu e traiupau etrano de maujeito nu cu porno com muitadorContos de transas com dotadoscontos eroticos trai meu marido com meu chefe