Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A SURPRESA

A SURPRESA!











O que vou narrar aqui realmente aconteceu e pra mim foi surpreendente, visto que nunca poderia supor sentir algo semelhante.

Costumo pagar todas as minhas contas em caixas automáticos, pois são mais práticas do que enfrentar as intermináveis filas dos Bancos, mas uma dessas contas extraviou e quando recebi a segunda via, obviamente já estava vencida e o pagamento sá poderia ser efetuado no centro da cidade. Assim sendo, como não havia outra maneira de solucionar o problema, lá fui eu enfrentar condução coletiva, que seria a maneira mais lágica de chegar até o local, afinal estacionar no centro é sempre muito difícil.

Um pouco antes de sair de casa, fiquei sabendo pelos telejornais que o Metrô estava em greve. Sendo o último dia para efetuar o pagamento, não tive como adiar e me dirigi até o ponto de ônibus. Apás alguns minutos de espera subi no veículo que me deixaria mais práximo do endereço para o qual eu me destinava. Por causa da greve, ele estava muito cheio e quase não conseguia me movimentar dentro dele, mas como meu ponto de descida estava muito longe, não me incomodei muito em ficar práximo à porta. Aos poucos fui chegando até o meio do corredor e o ônibus cada vez ia ficando mais cheio.

Depois de uns 40 minutos de viagem, os passageiros mal podiam se mexer de tão apertado que estava e foi quando senti que um sujeito que estava às minhas costas começou a ficar de pau duro e roçar em minha bunda. Sou casado, tenho filhos e me senti indignado com a situação, mas nada poderia fazer porque realmente não dava nem pra se mexer de tão cheio que estava.

Com o trânsito muito ruim, o veículo andava um pouquinho e parava novamente, provocando balanço e o sujeito continuava a se esfregar em mim. Eu já sentia o seu pau completamente rijo passando de um lado ao outro de minha bunda e comecei a ficar de pau duro com aquela situação e não ousava olhar para trás de tanta vergonha que eu estava sentindo, porque além de tudo, sou bastante tímido. Meus pensamentos eram muito estranhos naquele momento, pois eu percebi estar gostando do que sentia.

Nem nos tempos de garoto eu havia tido qualquer contato com o mesmo sexo, nem ao menos tinha feito um troca-troca, como seria normal essa brincadeira entre garotos que estavam descobrindo o sexo. O que aconteceu e que ficou mais práximo disso, foram brincadeiras de masturbação em que cada um praticava a sua pra ver quem gozava primeiro.

A viagem continuava com toda a lentidão, quando pude perceber que apareceu uma folga no corredor bem ao nosso lado e o rapaz continuou onde estava, mas afastou-se um pouco de mim, foi engraçado, eu continuava tendo a sensação de que ele estava com o pau dele no meu rego, mesmo sabendo que isso não era real. Logo o vazio que se fizera foi ocupado por outra pessoa e ele voltou a encostar-se em mim.

Acredito que ele deva ter se sentido mais seguro porque eu não me mexia e não esboçava nenhuma reação proibitiva e que ele estava com tanto tesão naquele momento que se esfregava e até já me cutucava sem nenhum pudor, mesmo quando o ônibus estava parado. Eu quase não podia acreditar, mas cada vez eu gostava mais do que estava sentindo e já estava quase gozando sem sequer tocar meu pau. Foi quando ele me apertou, colocando o pau dele bem em meu rego e claramente senti que ele estava gozando, pois seu pau latejava e pude até sentir também o calor de seu esperma a jorrar em grandes e vigorosas golfadas.

Não me contive e acabei gozando também e gozei muito, sentindo minhas pernas fraquejarem e tendo que me segurar mais forte para não demonstrar o meu estado.

Mesmo depois de ter gozado ele não de desgrudou de minhas nádegas e aos poucos percebi que o molhado da calça dele estava passando para a minha o que me deixou aflito e procurei desviar do pau dele. Cada vez que eu ia para um lado, ele dava um jeitinho, voltava a me encoxar e eu ia para o outro.

Assim foi por mais uns quinze minutos e novamente comecei a sentir que o pau dele estava endurecendo outra vez e não sabia mais o que fazer para evitar que ele manchasse a minha roupa com a porra, que naquela altura já ensopava a dele. Resolvi então ficar de lado, pois quem sabe daquela forma eu pudesse inibi-lo um pouco. Para minha surpresa, ele começou a esfregar o pau dele, agora já completamente duro, em minha mão.

Senti-me ficar rubro, mas não resisti à vontade de virar a palma de minha mão para sentir o pau dele em toda a plenitude, momento em que ele aproveitou para pressioná-lo contra ela e pude sentir que ele realmente estava ensopado, pois chegou a molhar a minha mão. Instintivamente, envolvi com meus dedos aquela coisa dura e senti pela primeira vez um pau em minha mão e que não era o meu. Passando por cima de toda a timidez que sentia naquele momento, passei a esfregá-lo com bastante carinho, bem de leve. Por momentos esfregava e em outros apertava e acabei por masturbá-lo até que gozou novamente.

Já estava naquele ônibus por mais de uma hora e meia e ainda estava longe do meu ponto de descida. Era um turbilhão de pensamentos e novas sensações, me sentia bastante encabulado e não conseguia entender o que estava acontecendo, mas percebia que estava gostando daquilo tudo.

Logo em seguida de ter gozado novamente, ele encostou-se ao meu rego (pude sentir que estava com o pau à meia-bomba), aproximou sua boca de meu ouvido e bem baixinho falou obrigado, nunca senti tanto tesão e encaminhou-se rapidamente entre as pessoas, para o fundo do ônibus, descendo na primeira parada. Penso que ele já devia ter passado do ponto de descida há muito tempo.

Pude ver o seu rosto pela primeira vez quando, na calçada, ele parou diante do lugar em que eu me encontrava. Não esboçou nenhum gesto, apenas me olhou com um leve sorriso nos lábios e se foi.

O que aconteceu naquele dia, me fez ter a certeza que o tesão não tem gênero, que tanto faz que seja com uma mulher ou com um homem, podemos sentir prazer e deu-me a coragem de procurar alguém na net, já que sou muito tímido para paquerar, e satisfazer o meu desejo de ser passivo; descobrir se realmente foi uma coisa daquele momento ou se vou mesmo gostar de satisfazer completamente alguém do mesmo sexo.



[email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos erotico. por causa da crise meu.marido virou.cornofudida por incomendacontos eroticos chorando com o pau enterrado no cu e o macho arrancando bostacontos-gays sou gay e fui arrombado pelo pauzao grosso e grande do meu patraocontos de encoxada em ônibusContos eroticos de estupro meninascontos eroticos arrombando a gordaconto erotico barzinho depois servicomulher querendo contos eroticospaucontos eroticos arrombando a gordabuceta cavala conto eroticocontos porno pedreiro pica jumentocontos erotikos fui pagar o aluguel e comi o cu da donacontos gay menina loucascontos meu marido nem percebeuFuderan meu cu e minha esposa ajudou os carascasada lesbica com sobrinha contomunher tira a roupa e faz putaria com sua primacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteO reencontro entre prima e primo minha paixão conto eroticocontos eroticos meninos padrinhopio. novia. desmaia. de. fudecontos de mae vadia fazendo orgia com o filho e amigoscontos erotico com deficientecontos eroticos a bunda gostosa da minha cunhadatenho a bunda grande e o quadril largo contosconto herotico engravidem uma branquinhacontos lesbico meus pais viajaramSemen do filho conto eroticodevolvendo esperma no pau do bem dotadoContos virei a puta dos oito negros picudosEu agora eu sou mulher do meu ex primo viuvo conto eroticocontos eroticos esfregando devagarinho o pau por trasconto erotico sougostosa e taradacontos eroticos coroa estelacoroas donas marta,bundudascontos porno gay sobre conhadosdelirando com meus dedinhos contosContos Eroticos Gratis De Gay COMIDOvídeos de porno mulher gazando espirrando no caralho grande tremorokinawa-ufa.ru chantageadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos marido querendo que mulher foda com outro para ele chupar ela em seguidacontos erotico castiguei a buceta da vadiaContos eroticos esposa bebadacontos eróticos vi minha vizinha dando pro meu cãoconto e relato comendo o c****** da cunhadaconto com teens fudrndo as duas sobrinhas de dez e doze anoscontos eroticos gay meu tio de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosvoyeur de esposa conto eroticocontos eróticos gay meu primo cumeu meu cu no sofaContos erotecos de estrupo dentro do baile funkcontos eroticos comendo a velha horrosa dormindocontos eroticos coroa estelamocinha do cu guloso contoflaguei minha esposa varias veses se masturbanocontos minha tia humilhando meu tiocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos cheiro de urinacheguei em casa e peguei meu amigo comendo meu primoContos gay perdi o cabaço com coroaconto comi minha mae na prisaócontos eróticos minha servaContos eróticos fudendo a irmã casadaamor to sendo arrombada contoprovocando meu tio com um short com as popa da bunda de foracontos minha bunda ernome encoxada de pau super duroconto erotico comi o cu da minha irma em casaestiquei os peitos da gostosa contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomecei muito cedo pornodoidoEstourei o cu da crente na viagem contoscache:r63pyaBUP2YJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto-categoria-mais-lidos_4_13_incesto.html contos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosporno velho cafetao ajeita macho pra mulhet de cornoConto meu marido me devorou na madrugadaconto real espiando no buraco casal sexo chacaracontos eroticos velha donzelaa mulher do meu amigo e muito safada contos eroticoscontos eroticos minha tia de saia