Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PUTARIA NO BARCO.

Putaria no barco.



Olá meus queridos, eu sei que ando sumida, mas eu tb sou filha de Deus e estive aproveitando as minhas férias, fora as festas de fim de ano e carnaval...

Enfim, eu me diverti muito, relaxei bastante, e obviamente trepei muiiiiito!

Tenho muita coisa boa para contar pra vcs, então relatarei aqui as coisas meio fora de ordem, espero que vcs não se importem e que gozem gostoso.

Como em todos meus contos, começarei me descrevendo, meu nome é Carla, tenho 37 anos, sou branca, tenho cabelos longos e castanhos (atualmente loira) assim como os meus olhos, tenho 1,55m, peso 65kg e a minha principal característica é o meu bumbum grande que mede 127cm e tenho os seios médios. Sou casada há 4 anos e não tenho filhos.

Eu e o meu maridinho corninho resolvemos viajar durante as minhas férias para o litoral, na chamada Costa Verde, onde fica Angra, Paraty, Itaguaí...

Escolhemos um desses lugares e fomos viajar, chegamos lá ainda de manhã, deixamos nossas coisas numa pousada, tomamos um banho, demos uma foda rapidinha e saimos pra almoçar. Mesmo de tarde e com o horário de verão, o sol estava de rachar. Estávamos dispostos a conhecer melhor a cidade, e nada melhor que conhecer as ilhas e praias desse lugar. Não sou adepta do uso de biquinis, sou frequentadora de praias naturistas, mas como não tive escolha naquele momento, usei um biquini que pra variar foi engolido pelo meu bundão, cobrindo na parte da frente muito mal a minha buceta. Meu corninho adora quando uso esse tipo de biquini...

Enrolei me numa canga e fomos para o cais da cidade onde ficam os barcos, saveiros, lanchas, etc... Meu maridinho e eu estávamos procurando duas coisas que eram importantes para um bom passeio, um barco em bom estado e confortável e tb um bom marinheiro em todos os sentidos se é que vc me entende.

Em meio a tantas opções acabamos achando Valdir, um moreno bronzeado graças ao sol, cabelos crespos castanhos claro bem curto, olhos castanhos esverdeados, rosto largo e aparentando ter uns 30 e poucos anos ou até menos. Ele vestia uma camiseta tipo regata branca e uma bermuda tb branca, seus braços eram bem fortes, não definidos, mas largos assim como seu peitoral e suas coxas, barriga reta... resumindo, era um tesão de homem na nossa frente.

Depois de negociarmos com ele dois dias de passeio em seu barco, sem perder tempo partimos. Eu tive total certeza que daquele passeio ia sair uma bela sacanagem, desde o momento em que ele me estendeu a sua mão forte e grossa pra me ajudar a embarcar em seu barco.

O passeio começou com Valdir nos mostrando lindas ilhas, uma mais bonita que a outra. Tirei a minha canga e a estendi na proa do barco, senti que despertei olhares, tanto de Valdir como do meu corninho que estava ao seu lado conversando sobre o passeio.

Fiquei deitada de bruços tomando um solzinho no bundão, doida pra me livrar do biquini que me incomodava. Foi quando meu maridinho chega perto de mim e pergunta se eu queria beber algo, e eu o respondi dizendo que ele sabia muito bem o que eu queria beber... Então ele me perguntou: "Está aprovado?" apenas balancei a cabeça positivamente com um leve sorriso nos lábios.

Então meu maridinho voltou para perto de Valdir e pediu que nos levasse para uma ilha mais sossegada que ele conhecia. E alí permaneceu ao seu lado conversando práximo ao seu ouvido, pois o barulho do motor era muito alto, mas pelos olhares dos dois pude notar que o assunto não era mais o passeio...

Depois de um bom tempo deitada sob o sol me reuni aos dois que estavam na parte coberta do barco, que é onde fica o timão. Valdir nos avisou que já estávamos práximos à ilha, faltando poucos minutos para chegar. Foi quando meu corninho safado perguntou a Valdir se eu poderia tomar a direção do barco, como as ilhas estavam distantes, e não haviam outros barcos por perto ele deixou, mas avisou que o timão poderia dar umas guinadas fortes e que eu teria que segurar firme. Sem perder tempo, meu marido fala para Valdir "Ajuda ela então rapaz, vai guiando ela e dando uma força pra não termos problemas."

Valdir se posicionou por trás de mim demonstrando cautela, mas pra descontraí-lo eu brincava dizendo que o barco ia virar se ele não me ajudasse direito... Coloquei minhas mãos sobre as dele e notei que sua respiração estava ficando ofegante, eu notei isso pq a sua boca estava há poucos centímetros do meu ouvido, eu olhava para o meu chifrudinho e via em seu rosto o sorriso típico de quando ele me vê com outros homens, aproveitei o balanço do mar e provoquei Valdir dando bundadas pra trás que acertaram o seu pau duro, ele recuava um pouco, mas eu notei que ele não conseguia resistir o meu rabão com o fio dental enterrado no meu rêgo roçando no seu caralho duro feito pedra.

Os olhos do meu marido brilhavam, e o seu pauzão já estava quase escapando da sunga, tamanho tesão que ele sentia em ver Valdir encoxando a esposinha putona dele. Mas como tudo que é bom dura pouco, já estávamos chegando práximo à ilha, Valdir tomou o comando do barco, mas ainda mantinha o pau duro sobre a bermuda. Ele ancorou o barco à uma certa distância da praia, e meu maridinho com o tesão tomando conta dele pulou na água, era um lugar paradisíaco, a água clarinha, era possível ver os peixes, e ver tb a pirocona dura do meu corninho pra fora da sunga sendo punhetada por ele. Eu estava debruçada na beiradinha do barco empinando o meu bundão apreciando a punheta que o meu marido batia, quando olho para trás e vejo Valdir com a mão direita dentro da bermuda acariciando a sua rola, sem graça ele solta rapidamente o pau e se vira de costas. Ironicamente pergunto se ele estava com coceira e ele me deu apenas um sorriso como resposta.

Depois de gozar e recuperar o fôlego, meu maridinho piscou o olho pra mim e nadou em direção à praia, e como eu estava doida pra gozar tb, fiquei no barco com Valdir puxando conversa, eu disse a ele que daria um mergulho e se ele não queria vir comigo, educadamente ele recusou dizendo que estava sem sunga, aí eu disse "Ué, cai de cueca, nás não ligamos..." Sem graça, Valdir disse que nem de cueca estava, foi aí que pensei, por isso que eu senti a rola desse puto batendo duro no meu rabo... Cheia de tesão, tirei a parte de cima do meu biquini, e logo em seguida a parte inferior, e falei "É assim que eu gosto de ir à praia, toda nua, se quiser cair na água pelado tb pode vir..."

Valdir não conseguia mais conter o seu tesão diante a tanta safadeza, me virei, para o mar e me debrucei novamente na beira do barco, mas dessa vez me inclinei mais pois arrumei uma desculpa de que queria ver se a água estava fria. Fiquei com o popozão todo à mostra pra ele, deixando arreganhado o meu cuzão e a minha xoxota que já estava ensopada naquele momento. Foi quando senti um leve arrepio no meu cú, olhei para trás e vi, era Valdir cheirando o meu rabo, no mesmo instante puxei a cabeça dele contra o meu rabão e esfreguei bem o meu anelzinho no seu nariz, senti tb sua lingua massagear a minha buceta, e as mordidinhas fortes que ele dava no meu grelinho, sua língua provava todo o mel que a minha xoxota exalava e passeava tb pelo buraco do meu cú que ficava piscando pedindo uma rola. Adoro ser bem chupada, e gozar na boca de um macho guloso.

Virei pra ele e pedi um beijo, como ele me beijou bem, tem uma pegada forte, e enquanto rolava o beijo eu acariciava o seu peito, seus braços, sua bunda, coxas, até ir em direção ao seu pau que já estava quase explodindo. Tirei a sua camisa, e me agachei para poder tirar a sua bermuda, o caralho dele saltou no meu rosto, que rola enorme, grossa, com pêlos levemente claros, um sacão bem avermelhado, a cabeçona do pau já quase roxa de tão dura que estava. Peguei naquela pica e esfreguei no meu rosto, sentindo o cheiro do cassetão duro de Valdir, lambi o seu saco, suas bolas, até que abocanhei com vontade o seu caralhão duro, Valdir forçava contra a minha boquinha gulosa que não dava conta de engolir tudo, eu punhetava o seu pau enquanto mamava, mas ele queria enfiar tudo na minha boca até eu engasgar e babar todo o seu pau.

Punhetando a rola babada de Valdir com uma mão, com a outra peguei na minha bolsa uma camisinha, abri e encapei a criança. Posicionei-me sentada de frente e de pernas abertas pra Valdir deixando a minha xana livre para seu pau, agarrei o com força e beijei aquele homem gostoso, nisso senti um caralho duro forçando contra a minha buceta, não foi difícil penetrar, Valdir me fodia com agressividade, socando tudo até o talo, eu o arranhava as costas e os ombros, e ele me revidava com tapas na minha cara e puxões no cabelo enquanto me xingava de puta de zona pra baixo...

Meu marido já tinha voltado para o barco, e nem percebemos sua presença, ele estava se acabando na punheta vendo outro macho me comendo, chamei o meu corninho pra perto e dei-lhe um beijão na boca enquanto alisava o seu pau e Valdir me fodia a buceta com movimentos rápidos, prestes à gozar. Mas antes que ele gozasse eu queria ser fodida de quatro, meu maridinho deitou-se no chão, caí de boca no seu cassetão duro, salgadinho e com a cabeça melada, e Valdir veio por trás metendo na minha buceta. Não demorou muito gozei gostoso naquela posição... Mas ainda eu tinha dois homens pra satisfazer, como meu marido estava deitado, fiquei por cima dele, encaxei a sua pica na minha xana e comecei a cavalgar nele, olhei pra trás e vi Valdir se punhetando ao nos ver fudendo, chamei-o pra perto e caí de boca na sua rola, que estava com o sabor da minha buceta misturada ao lubrificante da camisinha, chupei seu pau deixando ele bem melado, empinei a minha grande bunda e olhando nos olhos de Valdir pedi "Vem gostoso, mete no meu cú, come meu cuzinho seu puto safado!..." Na mesma hora ele posicionou aquela tora imensa dele no meu anelzinho e foi penetrando, e o meu corninho sá bombando a minha buceta, o cassete de Valdir entrou rasgando no meu bundão, e quanto mais eu pedia pra ele meter devagar, mais ele metia com força, esfolando o meu pobre cuzinho. Que tesão sentir aquelas duas piroconas grandes dentro de mim, uma roçando na outra. Eu gritava palavrões, enquanto era enrabada e fodida na buceta ao mesmo tempo, eu olhava para Valdir e dizia "Vc é muito gostoso, enfia tudo no meu rabão guloso, vai seu puto pirocudo, mete tudo..." Foram as palavras mágicas pra fazer Valdir gozar dentro do meu rabo, tirar o seu caralhão do meu cú e despejar a sua camisinha cheia de porra nas minhas costas, enquanto meu maridinho vendo isso enchia a minha xoxota de porra quente.

Depois dessa foda deliciosa caímos os três na água pra tirar o suor e o gozo que estavam em nossos corpos. Como já estava escurecendo, já era hora de voltar desse passeio maravilhoso, mamando com muito carinho os dois paus que me deram muito prazer naquela tarde, pois no dia seguinte teve mais e a sacanagem começou mais cedo...

Bom, gostaria de agradecer à todos que me enviam e-mails me elogiando, me confidenciando suas fantasias, enfim, muito obrigada pelos comentários, não tenham dúvidas de que com isso vcs sá me incentivam cada vez mais a relatar as minhas experiências pra vcs lerem. E saibam que leio a TODOS os e-mails, alguns não consigo responder por falta de tempo, mas saibam que leio todos os e-mails.

Um grande beijo molhado em vcs meus lindos!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ver conto erotico sob velhos taradonovinha desmaiando na vara grande de dor pelo tamanhocontos eróticos​, praia de nudismoesperei meu maridinho fui no quarto rola grossaconto ebebedei minha cunhada pra come o cu delaamigas da empresa contosesposa amiga escrava conto eroticoXupano apiroca doirmao sentada novazo dobanherocontos eroticos arrombando a gordacomedo tudo que e tipo de putinhas e putinhoscache:r63pyaBUP2YJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto-categoria-mais-lidos_4_13_incesto.html porn contos eroticos escrava sexual no bargozei com a linguadela no cuMinha irma tarada contocontos eroticos troca de casal pica ggprimo de rendinha metade da bunda de fora em calcinha cabelo que sai para foracontos eróticos dei o cucontos eroticos arrombando a gordaNo cuzinho desde pequenaCasa dos Contos Eróticos tirando as pregas da sogracontos eróticos de c**** a v******** de minha mulher deu para uma cunhadinhapoi ve a folha fundedo com o primo dentro de casacontos de lesbicas babastravesti pito duro gozanoos pedreiros me estupraram contos eroticosAi tira tira, aguenta sua cadela so vou parar quando eu quiser e quando eu tiver satisfeito piranhahistorias de sexo de mulheres casadas que gosta de ver o marido emrrabadovídeo cunhado faz chantagem para comer a cunhada casadacontos eróticos gay meu primo cumeu meu cu no sofawww.me confessei e levei pica do primo dotadocavalogozou forte na boceta da safadaContos eróticos menina com bucetinha lisinha e putinhaenquanto eu dormia ele botava o cao pra me chupar incesto e zoofilualer historia de sexo entre cunhada e subrinhas com tioconto erotico corno puta e paimeu cachorro taradoContos eroticos como perdi meu cabaço com meu vizinhocontos eróticos minha mãe fumou baseado e comi elacontos eroticos comi toda a familiaContos eróticos picantes pecadosmeu cu e meu genrocontos eroticos cu arrombado na baladacomedo a aluna no motel contoContos gay malucocontos eróticos novinha brincandover contos de lesbicasdei pro cara da vendinha contos eróticostava/sozinho e aproveitou e ligou.pra travesti ativacontos eróticos coroa amiga de minha mãe muito gostosa da buceta grandeconto porno tia do amigo bebadaconto erotico arrombei o travesti do baile funkmeu filho meteu no meu cu ardeu muitonovinha de shortinho curto mostrando os pelinhos das nádegascontos eroticos gay eu sendo arrombado por dois amigos negros do caralhão grossocontos eróticos sadomasoquismo exttemoPorno conto a sindica olhando minha picaEu contratei uma garota pra ela ser meu presente de casamento eu e ela e meu marido fomos pra lancha conto eroticotirei a zorba vesti uma calcinha fui bater uma punheta olhando minha bundadescasados do litoral bundudacontos eróticos vendedor externochaves comendo cu da chiquinhaJá botei ela para transar eu não vai botar o vídeo dela transando gemendo táMinha mãe pois silicone contosmenininha putinhaconto erotico arrombei o travesti do baile funkokinawa ufa conto erotico orgiacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosConto erotico comi a coroa negra amiga da minha maepapai disse que me ama contos eroticosengravidei minha irmã contoscontos eróticos infância gay com gari hetero