Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CÁTIA RECUPERA A TEZÃO DO PAI II

Cátia nunca se sentiu tão pervertida quanto agora que tem a rola de outro homem deslizando pelo seu rabinho. Seu amante é um cinquentão e ela prápria tem 23 aninhos, sásia da atriz Ana Paula Arásio, casada e mãe de Kelly de cinco anos.



Cátia dentro de quatro horas tem que pegar o avião que irá levá-la ao encontro do marido que trabalha em Brasília. O seu enrabador é quem irá levá-la até o aeroporto. Por enquanto ele está em pleno gozo anal com aquela deusa de sexo, que está com o busto e o belíssimo rosto encostados no colchão enquanto suas ancas estão suspensas apoiadas nos joelhos, sentido os suaves empurrões que o sodomisador lhe dá de encontro aos seus cheios glúteos! Cátia tem esta coisa, diríamos tara, por homens bem mais velhos! Até aí, tudo normal. São apenas dois adultos fazendo amor de modo consensual.



Se não fosse pelo detalhe que eles são... pai e filha!



Mas, voltemos uma hora atrás quando o telefone toca na mansão do pai de Cátia.



- Alô! Bom dia! Eu sou a vereadora Elisa Pitanga... eu gostaria de falar com a dra. Diana, por favor.



- Sinto lhe informar, vereadora Elisa, que o dr. Luiz e sua esposa Diana foram à casa de sua filha Cátia. Saíram já há meia hora. - informa o criado.



- Oh! Obrigada e bom dia.



Eliza, de também 23 anos, casada com o herdeiro de um conglomerado de igrejas evangélicas, tem a aparência da atriz Isabela Filardis. Seu passado se mescla com o da família de Cátia a partir que ela foi trabalhar na casa dela como babá, levada pelo seu professor Bruno, sogro de Cátia. Fato, foi o professor e sogro Bruno quem as iniciou na arte da sodomia!



A vereadora Elisa se elegeu através da comunidade das igrejas. A histária é meio nebulosa. Enfim, ela passou a frequentar outros níveis de classe social mais elevado e devido a sua natureza sexual, ela amealhava alguns amantes fixos e de repente se apaixonara pela sua primeira amante fêmea! E ela é Diana, a mãe de Cátia!



Diana fora envolvida, aparentemente contra a vontade, num ménage à trois algumas semanas antes e agora Elisa estava com essa fissura de tê-la novamente. Assim, ela guarda seu apetrecho sexual "babalu", um consolo de material siliconado inteligente, na bolsa. Dispensa os seguranças, telefona pro maridinho-corno que vai a uma reunião importante e que não poderá aceitar telefonemas. Entra no Saga-Miúra e ruma para o apê de Cátia.



- Oi! Que bom que chegaram! Cátia vô e vá estão aqui! - grita Cátia para a aloirada Kelly que se aproxima e é abraçada por Luiz e Diana.



- Pai, assim que mamãe levar a Kelly e eu tomar um banho, você poderá me levar ao aeroporto, tá bem?



- Bem, voces pelos menos têm umas duas horas pra fazerem isso - Comenta Diana, aliviada por ser seu marido quem levará sua filha.



Duas semanas atrás foi o sogro de Cátia quem a levou "bastante cedo" ao aeroporto . Como Diana sabia que sua filha estava tendo um caso com o sogro, ela foi tentar desmascará-los e culminou com seu envolvimento no tal ménage à trois com Elisa e um dos sácios de Luiz, o que lhe foi benéfico sexualmente!



Vinte minutos depois, Diana e Kelly deixam o apartamento e um aparvalhado Luiz está tensamente sentado enquanto Cátia, com as mãos nos quadris, o encara com ar meio atrevido e sensual ao mesmo tempo. Embora vestida com um robe do dia a dia, Luiz nota que ela está de sapatos altos.



- Por...favor minha...filha...



- Não adianta resistir "seo" Luiz! Voce começou e agora vai ter que... continuar!



-Meu deus! Não não! Foi voce... se lembra?!



-Que importa isso agora? Diga não... e eu paro...agorinha... Vai, vai paizinho safado! Pede pra eu parar...pede!- Enquanto fala, Cátia vais suspendendo a bainha do robe até aparecer a parte inferior de sua xaninha peladinha!



- Ficou mudo, meu safadinho?...Sacaninha de pai que quer comer a filhinha! - A reação de Luiz, embora impassível, é tomar todo o brandy num gole sá! Sua filha tem esse poder de lhe fazer o milagre de enrijecer seu pênis! E somente ela!!



Cátia se aproxima da poltrona, põe os joelhos em cada braço da poltrona e simplesmente se deixa ficar com seu torso práximo ao rosto de Luiz. Sá ela dá um leve sorriso quando ouve o copo cair no assoalho. Luiz, como um adolescente desesperado passa ambas mãos por baixo do robe e apalpa as nádegas da filha!



- Seu pervertido! Canalha safado! - Cátia lhe afasta as mãos e depois lhe tapeia a face surpresa de seu pai!- Safado sem vergonha...quer comer a prápria filhinha...não quer? Voce gostou de me ver nuinha, não gostou pai safadinho?! Tá lembrando de sua rolona no rego de minha bundinha? Voce gozou gostoso? Gozou? Vai... fala. meu paizinho sem-vergonha!!



- Sim!...Sim! É verdade! Eu lhe amo como filha e te desejo como a mulher da minha vida!! Eu estou em suas mãos, minha filhinha. Papai te ama!



-Mas tá com a rola dura por minha causa, sua filhinha incestuosa...adúltera! Meu querido paizinho é um canalha! Ele corneia meu maridinho, né coroa gostosão?!



Luiz, mais uma vez tenta agarrar as coxas e a bunda da filha enquanto tenta beijar-lhe a barriguinha através do tecido do robe. Cátia dá risadinhas enquanto empurra de volta a cabeça do pai. Lhe chega mesmo a lhe aplicar alguns tapas na cabeça. Isto sá faz ele se moderar um pouco. Cátia, então, lhe segura o rosto com ambas as mãos e ela prápria vai se agachando até seus lábios encontrarem os lábios dele!



Ainda se beijando, Cátia segura as duas lapelas do robe e num forte puxão o abre, fazendo os botões serem arrancados! Seu pai tem agora o belo par de seios a sua disposição! Cátia abraça a cabeça do pai, esfregando-a em seu busto, enquanto ele tenta beijar-lhe os doces mamilos cor de pêssego! Ela solta pequenos gritinhos e dar risadinhas ao mesmo tempo!



- Pai sacana...sem-vergonha...gostooooso!!



Depois de alguns minutos, Cátia o faz levantar-se, beija-o novamente e dando meia volta, ela senta-se na poltrona e lhe abre a barguilha!



-Filhinha queriiiida! - Exclama Luiz quando os lábios ovalados de sua filha lhe engolfa o pênis!



O tarugo de seu pai é mediano. Nada comparado com o de seu sogro Bruno! Mas Cátia o chupa com vontade! Ela acha muito fácil tê-lo inteiro dentro da boquinha e conseguir lamber o saco dele ao mesmo tempo!



- Agora é sua vez! Como estou no meu período fértil, voce vai ter que dar mais atenção ao meu cusinho! Pois é sá ele que voce vai comer dessa vez!!



Luiz, totalmente em êxtase celestial, não entende de início o que sua filhinha está dizendo. Ele pede que ela repita e então ele se apavora! Como negar isso à sua filhinha que lhe fizera um boquete divino?!



- Sabe...Cátia...minha filhinha, eu não sei... como fazer...como fazer...isso!



- Ah! O safadinho sem-vergonha é cabaço em minete!! Que vergonha, "seo" Luiz! Nunca ter chupado uma buceta!! Venha aqui, seu safadinho da filhinha, vem aqui!



E Cátia se esparrama na poltrona lhe exibindo o rosado da xaninha, abrindo-a com os delicados dedinhos e um arrasador sorriso sacana nos lábios brilhantes de pré-esperma de seu pai!



- Não...não...não Cátinha! Não me peça pra fazer isso...por favor!



Cátia, fica surpresa pela primeira vez. Suas fartas sobrancelhas se franzem de modo irresistível. E com um sorriso nos lábios, ela se ajeita até segurar a gravata do pai e vai puxando firmemente até que seus rostos fiquem frente a frente. Ele o beija até saliva escorrer pelos lábios de ambos! Ela desfaz o beijo, mas ainda o segurando bem firme, fazendo a face de seu pai avermelhar-se ela lhe diz com o ar zangado:



- Deixa de frescura...velho canalha! Se ajoelha e reza! E bebe toda água benta que eu jorrar em tua cara! Ajoelha, agora!



Cátia nota uma leve hesitação no pai. Ela afasta seu rosto do dele e lhe dá uma bofetada com a mão livre enquanto com a outra, puxa com mais força a gravata para baixo!



Luiz desaba de joelhos, chegando a machucar-se. Mas toda essa performance de humilhação lhe acende todos os desejos! E ele sabe que nunca agradecerá o bastante a sua querida filha Cátia!!



-Faz como eu te mandar...paizinho querido! - Cátia volta a ser a doce filhinha. E suavemente vem trazendo a boca do pai para perto de sua xaninha, já brilhante de expectativa pela língua dele!



O aroma da bocetinha de sua filha lhe penetra as narinas como um forte afrodisíaco e súbito ele sente uma necessidade vital de saber qual o gosto daquelas estufadas carnes rosadinhas! E assim Luiz se rende aos doces encantos vaginais de sua linda filha Cátia!



-Assim...assiiimmm, paizinho! chupa...chupa gostoooosinho...chupa a xaninha de sua filhinha...sua putinha agora!



Luiz tem o bom gosto de beijar e chupar aqueles lábios como se fossem de uma boca! Ele cola sua boca na entrada da xaninha dela e solta sua língua como se fosse uma serpente em fuga! Sua recompensa é ouvir sua bela filha dar um longo suspiro! Ao olhar por cima do monte de vênus, ele quase goza ao ver os lânguidos olhos azuis de Cátia arregalarem-se por um segundo e voltarem a semi cerrarem-se com um sorriso de satisfação nos lábios! "Ah! Se ela me esbofeteasse agora!" - pensa



Nisso, a discreta campainha do interfone toca!



Elisa sorri, sem demonstrar a inquietação que sente, para o recepcionista que de vez em quando a olha enquanto segura o auscultador no ouvido. Ele nunca vira vira lábios tão naturalmente rosados numa pessoa escura. Além de estar fascinado por toda beleza daquela escultural mulata!



Cátia e o pai tentam ignorar a campainha. Sabem que não é ninguém conhecido. Mas a insistência da campainha os deixa desconcentrados. É Cátia quem atende o interfone.



-Oi, sou eu Elisa! Sua ex-baba! Estou subindo!



Cátia não tem tempo de replicar e olha apavorada para seu pai! Ela vai até o banheiro se recompor. Luiz ajeita por demasiado tempo a gravata e Cátia, voltando do banheiro, lhe repreende;



-Pai! Deixa a gravata pra lá! Põe o pau pra dentro das calças!



- Não consigo! "Ele" não quer amolecer!



Cátia vai até ele. Desabotoa o botão da cintura, abre toda a barguilha, apalpa a média manjuba do pai e com esforço a recoloca dentro da cueca samba-canção. Ela sente um tremor ao manusear a rola do pai!



-Pôxa! Como está dura!! Maravilha!! Sente lá e disfarce com a aba do paletá essa beleza durinha!- E Cátia sai pra atender a porta...



Cátia tinha esta "coisas" por homens bem maduros. Ela é casada com Rafael um pouco mais velho que ela, que tem 23 aninhos. Sua aparência faz com que as pessoas a confundam com a atriz Anapaula Arásio, embora Cátia seja mais pernuda e bunduda. Mas, voltando ao assunto de sua tara, Cátia é amante de seu sogro desde os dezessete anos. Ou seja o pai corneia o filho!



No momento Cátia está na soleira da porta de seu belo apartamento esperando que Elisa saia pelo elevador privado. Dez minutos atrás, Cátia tinha chupado a rola de seu pai quase fazendo ele explodir dentro de sua boquinha!



Sim, Cátia e seu pai Luiz, cinquentão, presidente de uma respeitadíssima firma de advocacia, tornaram-se amantes um dia antes. Cátia simplesmente não sabe explicar o porquê desta sua tezão por homens velhos... e ainda mais, seu paizinho!



- Olá! Eu quis fazer uma surpresa pra dra. Diana... e fui informada que ela veio pra cá! - explica Elisa, depois de beijar ambas as faces de Cátia.



-Ah, que pena! Ela se foi há mais ou menos vinte minutos atrás. Mas ela está em casa agora. Vai tomar conta de minha filha Kelly enquanto eu estiver em Brasília. - responde Cátia, fazendo menção para que Elisa entre.



- Bom... eu não quero incomodar...Oh! Olá, como vai? - Elisa vê Luiz e o cumprimenta. Ele se levanta para apertar-lhe a mão. Aí todos se dão conta da jeba duríssima de Luiz dentro das calças!



- Creio que já... a conheço! - tenta disfarçar Luiz. Mas a vermelhidão em seu rosto e a gagueira, tornam o bulbo em sua barguilha mais em evidência!- ... é a vereadora Elisa Pitanga, não... é ...verdade?



- Sim. E tempos atrás fui babá da Kelly, né Cátia? - Ela olha Cátia zombeteiramente, pois já adivinhou o que está acontecendo! Ambas já dividem o mesmo homem, o sogro de Cátia, o professor Bruno!



Cátia nunca fez um ménage à trois com Elisa e Bruno. Agora ali, surgiu a oportunidade de pelo menos uma ver o corpo da outra! O macho em questão, Luiz, será mero coadujavante!



- "Seo" Luiz aqui, é um tremendo velho sacana! Não é que ele quer me comer! Sua prápria filhinha!!- Cátia fala isso de repente se aproximando de Luiz e pondo a mão em cima do volume de suas calças! Ela sabe que Elisa já notou o lance entre ele e o pai, portanto, sá pra garantir que aquele relacionamento incestuoso não saia dali, Cátia achou por bem envolver Elisa e ao mesmo tempo se divertir.



- Que isso?...minha filha... eu nunca... eu nunca...fiz



- Cala a boca, Luiz! Voce é um canalha pervertido, sim! Está se aproveitando da sua condição de pai pra submeter Cátia, sua filha, às suas taras!! Abominável!! Temos que castigá-lo, não é Cátia?



- Isso mesmo... gostosa!- Elisa sente os eferomas no ar ao escutar Cátia lhe dizendo isto! Ela passa por Luiz e o empurra para lado fazendo-o cair sentado na poltrona e pára frente a Cátia, demorando-se alguns segundos admirando-a. A coisa é recíproca pelo lado de Cátia.



Elisa é uma beleza estonteante. Uma mistura de Isabel Filardis com Camila Pitanga. Ela é casada e vereadora. Eleita pelos milhares de fies da congregação evangélica que seu marido é o bispo-mor.



Luiz vê estupefato as duas se abraçarem enquanto se beijam e seus corpos se mexem e se esfregam um no outro de modo sensual. Em minutos as duas estão se agarrando febrilmente e Cátia, depois de ter seu robe arrancada por Elisa, pega sua mão e a puxa para o quarto!



- Não saia dai! - Diz no último momento, virando-se para seu pai.



No quarto, Elisa apresenta o "babalu" para Cátia. Esta ficou febril com a novidade! Se apoderou do babalu e parecia que já era parte de seu corpo há muito tempo! Ela pode conferir a sensação que um homem tem ao enfiar o pênis em qualquer orifício convidativo! E Elisa foi uma excelente provedora de orifícios para Cátia exercer seu gozo "masculino"!! Por incrível que pareça, Elisa conseguiu fazer Cátia gozar, chupando o consolo enfiado na xaninha da filha incestuosa!



- Vem cá, minha mulherzinha! Vamos agora castigar meu pai safadinho!



Luiz, morto de curiosidade e com medo, pois não sabe como lidar com a situação, vê sua filha Cátia com um dos braços em volta dos ombros de Elisa e esta enlaça a cintura de Cátia que também está afagando a mão da mulata. Ao primeiro instante o quadro é belíssimo para Luiz. Duas exuberantes belezas femininas se comportando como discípulas de Safo!



O impacto foi quando Luiz viu o enorme babulu pendurado da vagina de sua filha, parecendo tão real que induzia a gentil e feminina Cátia a agir como um macho!



- Vai lá, beleza! Pega uma pra mim também, putinha! - E Cátia dá um tapinha na imensa e bem torneada bunda de Elisa quando esta se vira pra ir na cozinha!



Cátia está fascinada pela bunda de Elisa! Ela teve dois orgasmos enquanto a comeu com o magnífico babalu!



- Fica nu, paizinho! Voce está prestes a ter a felicidade que milhões de homens nunca tiveram e nunca terão!



Elisa chega trazendo uma bandeja com bebidas. Cátia está ajudando o pai relutante a tirar a roupa enquanto o beija. Elisa senta-se e se serve de uma bebida e fica observando a inglária luta que Luiz trava com sua mente e sua luxuria. Por fim, o cinquentão está nu e ereto! Para Elisa, nada nele lhe atrai. Nem mesmo a pica mediana. O que valeu foi ela ter descoberto seu machinho; Cátia!



- Vai lá, malandro! Leva tua pica pra minha mulher te chupar! - Elisa escuta a ordem de Cátia e embora o pai dela não lhe atraia, ela fará qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, que Cátia lhe ordenar!



Cátia acaricia parte do membro e o saco do pai enquanto a boquinha de Elisa fica sá com a cabeça dentro da boca. Cátia, no momento está imune a sua tara por homens velhos. Ela agora está maravilhada com sua nova conquista, sua namoradinha; Elisa!



- Chupa ela agora, paizinho...chupa minha mulherzinha, chupa...vai, chupa!



Luiz retorna à terra depois de estar nos céus devido as carícias das duas jovens mulheres em sua pica. Mas a menção de chupar uma boceta o desagrada demais... ainda mais a de... Elisa!



-Não, minha filha... isso não! Já é demais!!



- Ah! paizinho... relaxa safadinho! Voce estava indo muito bem comigo! Vamos lá...se entrega total! Voce está sendo egoísta, assim!! Vamos, vamos! É sá se ajoelhar, vai! - E Cátia consegue fazer seu pai dobrar um dos joelhos enquanto ela desesperadamente protesta, temendo olhar pra Elisa que já está recostada na poltrona com as coxas abertas mostrando a beleza de sua xaninha tão cor de rosa quanto a de Cátia!



- Cátia, de jeito nenhum eu farei isto!! Vamos parar por aqui!- Cátia escuta a ladainha do pai, mas está absorta com a beleza da rachinha de sua fêmea! Ela ainda esta com a mão na nuca do pai quando se abaixa ao lado dele e beija apaixonadamente a bocetinha de sua querida! A temperatura da xana de Cátia está tão alta que o babalu, cujo material se enrijece com a temperatura, está tão duro que seria capaz de bater um prego!



Elisa delira com a boca de Cátia colada em sua xana. Com os olhos semi abertos ela vê que Cátia está com ajoelhada e o segurando o pai pela nuca. Escuta que ele está protestando, mas não interessa o que ele está dizendo.



-Não Cátia, não! A sua, sim. Eu chupo!... mas não de uma negra!!



O "macho" Cátia não gostou de falarem assim de sua "nêga"! Chegou mesmo a odiar aquele velho, que era seu pai! Ela foi parando aos poucos de lamber a xana de seu novo amor.



- Tá bem, "seo" Luiz! Vamos esquecer isso e continuar com a brincadeira! Voce, ao menos beijaria os peitões dela, não beijaria? Faria uma espanhola?



- O que isso! Espanhola...?



- Deixa pra lá... beija os seios de minha querida que vou no banheiro e já volto!



Quando Cátia voltou trazia um tubo de creme hidratante. Ela viu seu pai ajoelhado entre as maravilhosas coxas de Elisa, mas com o torso levantado, como se evitasse a beijar a boca de Elisa. Esta está com um braço esticado afagando-lhe a mediana ereção dele.



Luiz ainda está em conflito. Aquela estonteante jovem mulata o seduz, mas ele não quer capitular. Não ele, sua posição, sua raça! Sua filha se aproxima por suas costas e ele sente um certo frescor e umidade de algum creme que ela espalha nele. Ela agora encosta seus seios e sua barriga em suas costas e derrama mais de creme entre eles.



Luiz se sente como recheio de um sanduíche e ele está adorando isso! Sua filha se acomoda mais um pouco a suas costas e puxa para si a cabeça de Elisa culminando por beijá-la por cima do ombro dele. Cátia pára de beijar Elisa e procura pela boca do pai! Em seguida volta a beijar Elisa. De vez em quando Luiz sente o babalu esbarrar em seu saco e a parte de trás da coxa. Cátia alterna beijos entre ele e Elisa e de repente...ela penetra o anus de seu pai!!



- Segura ele! Segura firme!!



Luiz já não é forte o suficiente para dominar duas jovens mulheres com força física! O contrário é verdadeiro quanto a Cátia e Elisa! E babalu, infelizmente, penetra inteirinho no cu de um velho! Sá dão alternativa pra Luiz gritar!



-Pede perdão a minha mulher, velho escroto



Lágrimas descem dos olhos de Luiz enquanto cada vez mais seu anus dolorido vai se entregando a dureza do babalu! Cátia empurra sua nuca em direção a xana de Elisa enquanto lhe berra nos ouvidos.



- Chupa e pede perdão! Se não eu não paro!



Bem, esta ordem foi repetida mais algumas vezes e por fim Luiz, mesmo sentindo dores se deleitava com o sabor daquela xaninha da bela mulata!



-Assim...assim, meu paizinho querido! Faz tua filhinha feliz... chupa gostosinho... minha namorada! - Cátia agora trata seu paizinho com as maiores delicadezas!



Elisa não consegue gozar na boca de Luiz. Na verdade ela não pretende nunca gozar com quem quer que seja na presença de seu machinho!



Luiz, no entanto, chega ao orgasmo, mesmo se sentindo desconfortável com o babalu entrando e saindo de seu anus! Uma conjunção de fatos perversos passa por sua mente e a visão de que é sua filhinha que lhe está enchendo o rabo o faz delirar de prazer!



Cátia enquanto empurra seu adorado babalu no cu de seu paizinho, o masturba dizendo palavras carinhos no ouvido dele. Elisa nota que Luiz está concentrado na enrabação que está sofrendo. Assim ela se livra do peso da cabeça dele em suas coxas, se levanta e chega ao lado do corpo dos dois. Cátia está com os joelhos semi flexionados e com o resto do corpo jogado em cima das costa do pai, com sua maravilhosa bundinha ondulando ao movimento de entra e sai do babalu no cu de Luiz. Ela se ajoelha ao lado deles e ergue a cabeça de Cátia e a beija avidamente. Cátia se inebria mais ainda e acelera os movimentos, sem escutar os urros do pai!



Luiz sente sua rola inchar e logo apás espirra um pouco de esperma, mas o gozar continua. sua filhinha parece entender isso e permanece lhe acariciando-lhe a pica fortemente até ele sentir os últimos espasmos do êxtase!



Cátia e Elisa paparicam um alquebrado mas satisfeito Luiz, dentro da redonda hidromassagem. As meninas o lavaram todo e com a iminente viagem de Cátia, Luiz propôs a Elisa que se encontrassem novamente.



- Não Luiz! Enquanto meu "homem" estiver fora... eu não dou pra ninguém!



Cátia a puxa para si e a beija, chorando de felicidade!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


flagrei minha maé com socio de meu pai contoscontos eroticos vô e netosCoroa safada Taubatéconto erótico de mãe transformando filho em mocinhameu cuzinho desvirginadoentão abri as pernas dela e peguei naqueles peitinhos pequenos e gostosocontos eroticos enganada e oferecida pelo maridocontos eroticos arrombando a gordaContos eróticos perigosa tentaçãocontos eroticos come minha buceta priminhocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomendo as jumetinhascontos eróticos eu e minha mãe na praiacontos erótico me rasgaram mo acampamentoconto casadaconto erotico de sobrinha nova e tio gostoso fodendo gostsocontos eróticos de mulheres casadas q já treparam com travesticonto minha estagiáriamendigo contos eroticosporno gay contos erticos viajando com o meu padrasto caminhoneirocontos gay fui comida por um cachorroComo posso acaricialo com tesaoquero o pauzão dele no meu cu amor agora fica olhando contosconto erótico dorme pelada com soniferopincelar no cumeu pai comeu meu cuzinho dedo do carromalandro gay passivo dando o cu contocontos incesto mãe fofinhapegando hetero casado conto gaycontos eroticos zoofilia gay usando calcinha e sainha da irma dando tinConto erotico meu cachorro taradorelatos eroticos veridicoscontos eroticos amiga seduz sua amigacontos esposa deu pro sobrinhopapai no cuzinho de mamãe contoscontos eróticos com meu querido irmãovizinho casado comeu minha buceta/contopintaocontosporno com tio acorda subrimha pra fufet com elevidio porno mulher enloquede ao ve um pau grossoviciada em porra caninacontos eroticos depilando a bucetaloira cinquentona muito putonacontos eroticos pagando divida do filhoconto esposa chantagemcontos eroticos traindo marido na Sala ao ladocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentechupou tio i phonecurtos relatos eróticos de estupro forticontos titia mando eu arromba seu cu gordocoroas donas marta,bundudascontos eroticos bebadoscontos gay mamando coroamuito tempo sem mamar no pauporno minha vizinha chama para ajudar e acabada dandocontos eroticos arrombando a gordadepois de mais de 20 anos casados minha esposa topouvanessa traindo hoje com leo cunhado do corno spconto erotico arrombei o travesti do baile funkconto lesbico tia iniciando a sobrinhaContos eroticos gay iniciado pela maecontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos srntar no colo inceztopapai tirou do meu cu quis por na minha bocaaposta inversão contos eróticos VirgemRelatos de sexo tirando com o paiContos eroticos seduzi a mae do meu amigo uma coroa bem recatada e dona de casachantageada e submetida contos eroticoscontos eroticos carro lotado e minha mãe de saia no meu colodepilando a tia contosconto sexo loira e o chefe do cornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentebucetinha gostosa da menina calcinha Contos Maecomeçando se transformar travesti .. encarando pau enormeconto erótico de padrasto tirasem querer vi a rola do meu enteado contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crente