Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

HELOISA 19 - VIREI A PUTA DOS GAROTOS DA FACULDADE

Conforme contei no último conto que escrevi, me tornei muito volúvel de um ano pra cá. Comecei a dar para muitos caras e isso se tornou frequente. Paguei vários boquetes dentro da sala de aula, sem que ninguém percebesse, vivia no colo dos garotos, as vezes dava pra eles no meio da aula, mas geralmente pro Lu que eu tinha bastante intimidade.



Meu namorado, o Beto, nunca percebeu nem soube de nada, como eu disse, eu dava pra vários caras mas era discreta e tinha boa reputação.



Um belo dia, estava eu na sala concentrada, sozinha em minha mesa resolvendo uns exercicios quando o Lu me chamou para ir até a mesa dele. Tinham mais 3 garotos junto, o Bruno o Lucas e o Marcelo, e eles estavam me convidando para um churrasco da turma que iria acontecer a noite. Arroz de festa, topei na hora e disse que estaria lá as 19h. "Sem o namorado, Helô!".

"Mas é ábvio", respondi. "A festa é da sala apenas."

Juro que falei na inocência.



Cheguei em casa, avisei o Beto. Ele pediu pra que eu fosse dormir lá depois da festa e que ligasse pra ele me buscar. Me senti mais segura assim e topei. Me arrumei perfeitamente linda, um vestidinho preto curto com botas pretas estilo coturno. O cabelo liso até a cintura e uma maquiagem escura. Estava de sutiã preto e sem calcinha pra não marcar na saia do vestido que era justíssimo. Estava provocante, não vulgar. Passei perfume e fui.



Cheguei lá e não vi nenhuma das garotas da sala. Eles estavam todos na sala rindo e fumando, e viraram de súbito quando cheguei. Estavam assustados com a minha beleza, nisso vieram uns 20 e me abraçaram apertado, me deixando no meio. Alguns "sem querer" apalpavam de leve algumas partes do meu corpo e abraçavam novamente. Meu vestido subiu um pouco, entao saí dali e comecei a beber junto. E bebi um bocado de misturas malucas.



Era tarde demais. Eu realmente era a única mulher, e quando me dei conta do quanto bebi, estava sob a mesa da sala, dançando funk sem calcinha, descalça e com o vestido caído nos seios. O Bruno me puxou pra baixo e arrancou meu vestido e meu sutiã, comecei a dançar nua sob a mesa de vidro, feito uma puta. Me esfregava nos vasos, rebolava com o dedo na boca, e todos eles olhando estupefatos ao redor da mesa. Enfiava os dedos na buceta, segurava meus peitos, dançava até o chão. Uma hora deitei no sofá e comecei a me masturbar. Estava nua, até que o primeiro tomou coragem e subiu em cima de mim no sofá, me penetrando sem pedir, enfiando um pau quente e molhado pra dentro de mim. Pegou minhas pernas, jogou pra cima dos seus ombros e começou a bombar forte, na mesma hora que os outros começaram a rir e vieram correndo. Esse primeiro, que não sei o nome, tirou o pau da minha buceta, e me jogou no chão da sala de quarto, deitando por baixo de mim estocando aquela pica grossa com vigor. Nisso o Lu berrou para a festa inteira: "Venham que tem putinha pra todos comerem na sala!"

Não tinha saída mais... veio outro e enfiou no meu cu com tudo, enquanto outro já se acomodava ao lado do que estava estocando e os dois começaram a disputar um espaço na minha buceta até que os dois paus entraram rasgando tudo. Lá dentro era uma briga de paus, dois na buceta, um no cú, até que veio o primeiro na boca, o Lu que mandou eu empinar bastante o rabinho e ficar de quatro feito uma cadelinha que naquela noite eu ia tomar pica a noite inteira. Nisso meteu o pau todo melado na minha boca, chamando mais dois, eram agora três paus na boca, dois na buceta e um no cú. Vários batiam punheta ao redor e gozavam em cima de mim, me chamando de puta vagabunda, molhando meu rabo com porra desconhecida de mais de 20 machos...

Mas não havia recebido tudo ainda. Chupava aqueles três paus, minha boca quase arrebentando quando recebi o segundo pau no meu cu. Estava totalmente arregaçada, haviam 4 caras me comendo, 3 para os quais eu estava pagando boquete, e mais uns 20 gozando em cima de mim. Estava humilhada, de quatro no meio de uma sala levando em todos os buracos. Berravam "vamo lá cadelinha" e eu quieta, submissa, quando saíam um da buceta outro já entrava, a porra escorria e eles revezando meus buracos. Já havia chupado uns 30 paus e engolido muita porra, até de estranhos que eram convidados.

Perto das 6h da manhã o último gozou no meu cu e foi embora. A casa era do Lu, dormi lá mesmo, mas ele não quis dormir comigo por que estava me achando muito nojenta, com porra escorrendo pelo corpo todo e fedendo a homem.

Caguei cerca de 2 litros de porra, e devo ter tomado mais de 1,5 nos boquetes que fiz.



Havia esquecido do Beto! Umas 8h da manhã saí correndo escondida, peguei um taxi e fui até o apartamento do Beto. Entrei sorrateira e deitei ao lado dele. Fiquei pensando na noite maravilhosa que tive, enquanto chupava gostoso o seu pau, minha maneira de dizer bom dia. Daquele dia em diante eu passei a me sentir uma verdadeira puta.

Resolvi virar uma vagabunda de verdade, e comecei a aceitar os convites para ser a putinha das festas, com muita frequência passaram a acontecer. Toda semana o Lu perguntava sem mais rodeios "E aí Helo, topa ser nossa putinha findi?"

Conheci lugares lindos, me levaram pra praia, pra churrascos, viagens mil. A cláusula deles era eu viajar ou ir as festas totalmente disponivel, poderia estar no onibus dormindo, todos podiam me comer a qualquer hora que quissessem, sem pedir. Não foram poucas as vezes que eu acordei com alguém metendo no meu cu (eu tinha que viajar no onibus pelada) e outro na buceta. Passava horas chupando os paus deles, e tinha que engolir toda a porra.



Na sala de aula todos me respeitavam, mas sabiam que eu era a putinha e me tratavam com intimidade já. Todos já tinham me comido, até mesmo os casados, então passei a me soltar mais ainda. Virei amante de boa parte deles, e dava regularmente pra todos, inclusive pros casados quando me levavam pra "comer fora". Paguei um boquete uma vez pro Jorge, um casado, dentro do seu carro em frente sua casa, sua mulher chegando e eu ali chupando, fiz ele gozar na minha boca e ela veio falar conosco. Eu falava com aquela porra grudando no dente e escorrendo na boca. Ela percebeu que eu estava babando gozo do seu marido, e o proibiu de me encontrar. Não conseguiu. Nos encontramos quase todo dia pra transar no carro dele.



Tudo isso durou meio ano até eu conhecer o Carlos, um moreno de olho azul que mudou minha vida sexual pra sempre. Mas isso fica pra outro conto.



Garotas que se sentem assim ou fazem isso e querem desabafar e ter uma amiga, ou garotas que querem ser assim e não sabem como fazerem isso sem que ninguém as perceba? Homens que querem me comer? Tenho fotos e MSN, webcam. Posso selecionar os melhores e-mails para contato posterior e encontros. Me escreva! Você poderá me ver na webcam, garantido.

[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


"ele agachou o shorts e puxou minah cabeça esfregando na rola e bermuda mau abaixada"contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteEngoxadas pegando no pauconto de a pica gigante que arrombou meu cu novinhominha mae gritava no pau do patrao dela contos eroticosTenho 60 anos e minha bunda ta se mais contosfinalmente contou quando chupar pau do ex delacontos eroticos arrombando a gordavelho fogoso conto eroticomeu filho e tudo dotado cu contos eroticoscontos erótico de coroas casados trancando com novinho BA baladasconto assaltantes fodem a casada no assaltocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninaconto esposa se transforma na casa de swingConto erótico namorada mestiçaconto humilhada pelo meu Dominadorcontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos elizandracontos eroticos de homens cdzinhascontos arrombando casadacontos dormindo com a tiaminha tia é demais ela chupa eu gozo e ela continua chupandoviciada em porra caninacontos eroticos comi a irmazinhajogando nas duas pontas trailer porno travestispoi ve a folha fundedo com o primo dentro de casaestrepi com baxinha bucetao.comconto comendo a mulher casadaconto erótico fode cm clientes no camarotecontos eroticos deixei minha namorada no camping e quando voltei ela tava com outrozoofilia umcacete enorme pra pequena puta  Minha vontade era de explodir de tesão quando ela me perguntou isso. Mas me controlei e falei só que sim, que pensava muito nela!! Aí foi meio automático, a gente já estava bem próxima mesmo. Ela se aproximou, eu me aproximei. Não sei bem quem tomou a iniciativa, mas o nosso primeiro beijo rolou ali mesmo. Foi maravilhoso. A lí  contoseroticoscomcadelastratano da titia com rolafilmei minha irmã depois chantagiei contosconto esposa chantagemcontos de sexo de tias com sobrinhoscontos eroticos estuprosa com a cunhada casada na estrada contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos gays metropai fode fia a forsa contosmeu cachorro tem pau gostosocontos eroticos ajudando a enteadinha a fazer tarefa de casana viajem de trabalho a mulher transa com o chefe e gostou contoconto de medica lesbicacache:Z27QSQh68NwJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto_3473_meu-vizinho-fofo.html contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecocando a xerecona cabeludona por baixo da saia sem calcinhascontos eroticos gays romance primocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos crente casada vira p*** DVDcontos eroticos rasgando rabo da gordinhahomem sendo estrupado en oficinacontos eróticos comi a família da minha mulher inteiracontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiSemen do filho conto eroticohomem gritado de dor porno abertando suas bolasporno cunhada seio duro violadapapai me come porfavor contos eroticosNo cuzinho desde pequenacontos eroticos gays , o pai do meu amigo , meu primeiro acho adultocontos no cuzinho da crenteContos eroticos moreninha fudendo gostoso com seu vovo a troco de dinheirocontos reais seduzindo com roupa o cunhadoContos eroticos de solteiras rabudasgritando e pedindo pra nao botar pois doi pra nao perde o cabacocontos dentistas safadaencesto mae envagelica