Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

VIOLÊNCIA (VERÍDICO)

Violência (verídico)



Infelizmente o acesso a casa onde moro é um pouco complicado, tenho que passar por uma rua de baixa movimentação, luminosidade e segurança. Justamente por isso costumo evitar repetir sempre os mesmos horários e quase nunca passo a noite.

Muitos casais usam essa rua para namorar. É normal encontrarmos carros, algumas vezes caminhões, parados na rua sempre com filme bastante escuro para que ninguém veja e atrapalhe o namoro dos casais.

Confesso que todas as vezes que saio de casa, o caminho até o ponto de ônibus é sempre um sofrimento para mim, pois essa rua não inspira nenhuma confiança.

Certo dia, eu já tinha subido uns 200 metros quando sinto algo estranho. Dou uma olhada de rabo de olho e vejo um Chevette verde, velho, com o filme bem escuro subindo a rua bem devagar.

Apressei levemente o passo, para não chamara atenção, mas percebo que o carro não passava por mim.

Olhei novamente de canto de olho e vi que o tal Chevette estava claramente acompanhando a minha subida. Segui sem olhar pra traz, apressando mais um pouco o meu passo.

Quando estava chegando em uma curva dessa rua o Chevette deu uma arrancada e parou enviesado na minha frente, meu coração disparou. Pensei: vou ser assaltada. Então a porta do carro foi aberta, um homem com uma meia na cabeça me segurou, me sacudiu e me jogou dentro do carro, sem que eu conseguisse esboçar nenhuma forma de defesa a não ser gritar socorro.

Logo que fui jogada no banco de traz do carro percebi que havia três homens e todos com meias na cabeça. Enquanto eu pedia para que eles não me machucassem, dizia que não tinha dinheiro e coisas do tipo, o homem que estava no banco de traz ao meu lado começou a envolver minha cabeça com uma fita crepe, tampando meus olhos. Depois de estar vendada é que eles me falaram: vai pensando que você vai ter que escolher, se você vai nos ajudar por bem ou por mal.

Nesse instante meu coração virou uma pedra de gelo. Perguntei pra onde eles estavam me levando e o que eles queriam que eu fizesse? Eles nada respondiam.

Até que o carro parou. Eles me tiraram de dentro do carro e me conduziram uns 19 metros, o local era aberto.

Chegando nesse local eles me perguntaram se eu havia decidido. Se eu ia ajudar por bem ou por mal.

Perguntei que tipo de ajuda, então levei um forte tapa no rosto que perdi até a orientação. E a pergunta me foi repetida novamente.

Eu respondi que ia ajudar.

Então começaram a abrir os botões da minha blusa e calça, minha sandália foi tirada. Em poucos instantes eu estava completamente nua. Quando senti os três homens começando a se esfregar em mim e que entendi o que estava para acontecer.

Perguntei que tipo de ajuda era essa? Que o que eles queriam era me estuprar. Aí eles falaram que era por isso que eles tinham perguntado se seria por bem ou por mal.

Fui colocada deitada de lado, com a minha perna esquerda erguida. Um dos homens chupava a minha xoxota, o outro o meu cu, toda a minha bunda e costas, e o outro os meus seios e pescoço. Assim eles ficaram durante um bom tempo, até que comecei a sentir que meu corpo amolecia devido ao forte tesão que eu já estava sentindo.

O homem que estava me lambendo atrás começou a penetrar o meu anus, sem modificar a posição. Confesso que a sensação era muito boa.

O homem que estava chupando os meus peitos parou, em seguida senti um pau encostar em meus lábios. Abri a boca para ele entrar e fechei meus lábios abocanhando aquele pênis.

Apás algumas estocadas em minha bunda o homem que estava chupando a minha xoxota me penetrou. Sá nessa hora eles mudaram a posição. Fiquei sentada sobre um dos homens com a minha bunda completamente preenchida, enquanto o outro me penetrava na frente e o outro seguia num forte movimento de vai e vem na minha boca.

Dessa forma eles ficaram me socando por uns vinte minutos até que o homem encheu a minha boca de porra. Em seguida eu gozei, em silêncio para que eles não percebessem que o meu corpo estava gostando do que ocorria. Senti que tremia levemente, mas como eles me socavam com muita velocidade não devem ter percebido nada. Mais alguns minutos o homem que estava me enrabando saiu de dentro e gozou sobre os meus peitos. Mais alguns poucos minutos o terceiro homem tirou de dentro da minha xoxota, enfiou na minha boca, deu algumas estocadas e gozou abundantemente.

Em seguida eles me conduziram para o carro. Perguntei sobre as minhas roupas e eles me mandaram calar a boca até que eu saltasse do carro.

Até que o carro parou e eles me puseram para fora.

Tirei a fita do rosto, vi que estava na rua onde eles me sequestraram. Para variar a rua estava deserta. Peguei minhas roupas que estavam em uma sacola de supermercados, me vesti e fui pra casa.



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto dopei minha sogra pra meterconto eróticos c novinhabuceta da Chiquinha na minha pistolairma feiz sexo comigo eu gozei na boca delaconto erotico, esposa, buceta alargadaconto erotico com camionistaminha buceta gosa de esguinxando contos eroticoscache:D0BhmN44dfMJ:okinawa-ufa.ru/conto_16312_aquela-ninfetinha-me-agarrou-no-jiujitsu.html contos eroticos fudendo com velhocontos encoxando rabos enormescontos eroticos de menininhascontos eróticos fodida com sadismocontos eroticos ninfetas amazonensesMostre minha rola cabeçuda para o cone e falei que ia comer sua mulher quando eróticoscontos eroticos arrombando a gordaempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetacontos eroticos sexo com minha empregada de vestido curtinhobucetinha esposa ccbconto erotico viado vai pro baile funk e da o cu pro travestiConto erotico no sitio casa de dois comodosmeu filho me comeucontos oamigo do meu marido 2homem comeno a espoza de pois asogracontos de gordinhas casada com roludoconto gay virei viadinhoduas irmas gozando juntas conto eroticocontos eroticos gay dei o cu quando era pequenocontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travesticontos eróticos punheta da primahttp://contos erotico fio suruba preso"relatos eroticos" massage cunadaconto maninhaContos erótico genro pegando a sograconto casada gostosa com negao limpando o jardimpai quero atencao contos eroticoscontos gays festa de inauguacao do cuinhocomi o cu da tia no acampamento na barracacontos eroticos com caescontos eroticos casado medico gordinhocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotíco fui sedusida nova e gosteiconto sexo uma família especial contos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosporno comendo minha cuinhada de peitinho ruivoContos eróticos não queria gozou dentrocontos e vidios de patroas tranxessual fudendo empregadascontos eroticos_meu irmão tem pintinho gostosoContos eroticos seduzi a mae do meu amigo uma coroa bem recatada e dona de casacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos amor gayuma.gradi.rola gozano.nabuçetao que acontece se ficar com penis infiando 30hora parado dentro da bucetamarido chupa seios quando está nervosocontos eroticos arrombando a gordaIrmã Seduz O Irmão (contos EroticosContos Eróticos Nega bebada de leguinchaves comendo cu da chiquinhacontos/minha cona era apertadinha e virgemcontos eroticos seu madruga tirandoo cabaço do cu de kicomama direito vadia csralhoeu quro v chiquinha em pornomeu padrasto me arrombou a força até esfolar minha bucetinhaContos eróticos tetas gigantesboquete mulher de 48 anos contocontos eroticos bem safados e essitante arronbarao meu cusinho com um pepinocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordanovinhas gordinhas cheirinha dos peitinho durinho transando com namorado e o amigo delePorno pesado gordao arromba magrinha pono doidocontos de buceta é cúContos ela deixou comer o cu delamelhores contos gays descobri a putinha que havia em mimcomparando pintos contosbisexual contosnovinha desmaiando na vara grande de dor pelo tamanho