Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO A EMPREGADA PEITUDA II – A SACANAGEM CONTI

Comendo a empregada peituda II – a sacanagem continua.





A saga sexual continuou. A cozinheira gostosa continuava trabalhando em minha casa e continua com sua tara insana. Não era todos os dias que conseguíamos transar ou fazer uma sacanagem, mas os olhares eram constantes. Aos sábados, quando todos meus parentes saiam a Cozinheira, já se encostava, roçando aquela bunda murcha ou aqueles peitos maravilhosos. Vinha sempre com a boca entreaberta, pedindo um beijo. Ou o meu falo. O beijo era um pretexto para começar as sacanagens. Chupava seus peitos, mordiscava aqueles bicos enormes, tirava sua roupa por completo. E sempre terminava com aquela boca carnuda engolindo meu pênis. E como chupava, lambia a cabeça, engolia toda a extensão do membro, e ainda massageava meus testículos, sorvia meu saco de forma fantástica. Sempre era um gozo cavalar, mas quase nunca chegávamos a cápula. Mas essa sina estava por acabar. Em um final de semana prolongado, meus familiares foram viajar para o interior e achei que ficaria em casa sozinho por três dias, mas tive uma surpresa agradável. Na manhã do feriado fui acordado pelo soar da campainha. Fui atender a porta bradando contra todos e contra tudo. Quando abri a porta da sala, tomei um susto. A Cozinheira estava a minha frente com uma roupa branca apertada e com aquela cara de safada corriqueira. Perguntei o que ela queria e ela não se fez de rogada. De forma rápida e sem pestanejar apontou para mim. Meio atordoado, fiz com que ela entrasse. Estava apenas com o short do pijama e meu pênis latejava e se eriçava de forma rápida e violenta. A Cozinheira não pensou duas vezes, arrancou minha roupa e começou aquela fantástica chupada de sempre. Estava tendo ali a melhor chupada de minha vida, e não demorou muito a gozar. Enchi a boca daquela vadia, o semen escorria pelo canto da boca e molhava seus peitos. A Cozinheira engoliu o que estava em sua boca e limpou o que estava em seu corpo. Continuou a chupar meu falo, desta feita de forma calma e propositalmente esperando que recupera-se minhas forças. Ela queria mais. Quando estava quase em ponto de bala, ela me fez deitar no chão. Fui obediente. Quando estava deitado, a negra vadia, fez um curto show particular. Tirava sua roupa e rebolava na minha direção. Já nua, a Cozinheira se posicionou sobre meu rosto. Pousou sua buceta na minha boca. Não pensei duas vezes. Chupei como um louco; enfiava minha língua naquela buceta molhada e desta feita pelada, sem nenhum pelo. Tocava seus peitos, e sentia que aquela mulher estava práximo a gozar. E não tardou. Seu gozo inundou minha face. Minhas mãos sentia seu corpo estremecendo. Deitou-se ao meu lado com a feição de satisfeita. Mero descanso. Começamos a nos beijar, ainda lado a lado; não tardou meu membro se animar. Aquela negra já estava sobre mim, roçando os peitos e aquela buceta no meu corpo. Me arrumei para meter na gruta dos prazeres, seria mesmo sem camisinha. Coloquei a cabeça do pau na buceta, comecei a enfiar e ela pediu para parar. Levantou-se e pegou sua bolsa, tirou um frasco e uma camisinha. Colocou o preservativo em mim e se virou de costas para mim. Desceu aquela buceta gostosa sobre meu pau e começou a cavalgar. Maravilhoso. Levantei um pouco o dorso e segurei seus peitos. O ritmo começou a aumentar. Comecei a arfar, prenuncio de meu gozo. A vadia percebeu. Parou seus movimentos e sussurrou em meu ouvido: “Come meu cu”. Não acreditava. Quase gozei com a frase. Tirou o pau da buceta, tirou a camisinha e lambuzou meu mastro com um unguento que estava no frasco. Ficou de cácoras e guiou-me ao seu cu. Primeiro foi devagar, percebia que era dolorido para ela, mas ela não desistia, nem ao menos reclamava. Forçava mais para baixo, gemendo baixinho. Por fim todo o membro estava dentro daquela pequena mulher, e ela começou a se mexer, nada compassado e ritmado, como antes. Desta feita, a Cozinheira estava louca, pulava como uma cabrita ensandecida, tentava movimentar meu quadril, mas não tinha como. A loucura tomou conta daquela vadia gostosa. Seu cu “mordia” meu pau e sentia suas nádegas contraindo de forma animalesca. Sentia seu corpo esquentando e suas mãos procurando algum apoio. Esticou os braços e segurando em minhas pernas fazia seu cu engolir meu pau. Ficamos alguns minutos nessa movimentação, quando subitamente sentia meu pau ser estrangulado por aquele ânus negro. Era o aviso do gozo da minha puta de plantão. Queria gozar junto e comecei a estocar com mais força. Não tardou gozarmos juntos, uma catarse sexual, mistura de sensações e de fluídos. Caímos desfalecidos lado a lado. Adormecemos, exaustos. Acordei no meio da tarde, ainda no chão da sala, com um bilhete: “Feche a porta. Volto amanhã”. Foi então que percebi que a minha Cozinheira tinha vindo apenas para ser traçada e estava louca para ganhar estocadas no cú. Volto no outro dia como se nada tivesse acontecido. Limpou a cozinha, fez o almoço e se foi. Duas semanas depois pediu demissão e nunca a mais a vi. Infelizmente.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


historia comendo eguacontos eróticos de lesbicas na piscinacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteWww.garotinhasafada.comcalcinha usada da vizinha safada contosfamily sex 2 - contos eroticosconto - bundinha durinha , cuzinhoapertadoconto erotico maepornô contos sobrinha se assusta com o pau mostro do tiocontos eroticos frentistacontos eróticos comendo as Vizinhas ciarececontos com teens sentando na ro do pri com doze anoscontos eróticos menino pintinhoContos eroticos incesto meu maridoconto erótico de mãe e filho no ônibuscontos eróticos mulecadaContos nossas filhinhas safadasxcontos de familia minha familia w evangelica mas fpmos na praia de nutismotia tchuca faz o movimento no pirucontos eroticoscomi minha irma apertadinhaconto erótico meu genro me transformou em p***comi e ela nao aguentoucontos eroticos incesto sutiacontos eróticos levei meu filho para a praia de nudismo so para ver o pau delePorno conto a sindica olhando minha picaAbaicha video porno tia de calcinhapeladas com cu e a bunda melada de manteigaconto erotico comendo sogra no veloriocontos minha irmã cuzudacontos eróticos, enteadoesposa soltinha e seria com amigos em casa contoPresentes grandes para minha esposa contos eroticosfodida junto com o marido contos eróticoscontos eroticos de incesto de pai pasto e filhacontoseróticos/negropauzudoeu confesso incestopornô grátis boa f***.com Só conto sogra transando com genrotravesti Juliana de primo metendoconto tia segurou sobrinho para ele dar gay comtos arrobadaConto comendo a gorda casadacontos eroticos tesao na maehistorias eroticas de primas e primoconto minha tia fica pelada na minha frenteComi minha tia de 19 Anoscorno mijado contoso comedor do casal contocontos minha garotinhacontos fui comer uma bct chegou na hora era homemconto: enrabado e mamando outrofilha minha femea contovidio porno enchada qualculadatomando banho de rio com titio contos gaycontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos eu aluguei minha mulhercontos eroticos fudendo com a síndica do prédioConto as primas na roçacontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos meu padrasto meu 1 amorcache:b0LVhW2lUCMJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=22 Tenho 60 anos e minha bunda ta se mais contoscontos eroticos sobre viadinho famintocontos eroticos arrombando a gordacontos dexei minha mulhe tomando no cu na minha frentecasquinha da minha - contos eroticosvê seu pau foi a gota d'agua "contos eroticos gay"A mulher do meu amigo gemeu baixinho na minha vara pra ele não ouvirmulheres da buceta cabeluda que dar e nao aguentou a rola grosa e pedia para parar videocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos traindo marido na Sala ao ladoContos travestis com mulherconto nao guentei a pica de jumento chorei