Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DESCOBRI QUE MINHA MULHER ME TRAI !

Tenho 32 anos, casado a 7 anos. Não temos filhos e moramos no Rio de Janeiro. Estamos juntos a sete anos e sempre tivemos uma vida sexual intensa, desde o início do namoro. A cerca de seis meses tive meu sácio sequestrado e libertado depois do pagamento de resgate. Logo assim que foi solto ele começou a receber ameaças pelo telefone da casa dele, dizendo que se ele falasse muito sobre o sequestro iriam mata-lo e a mim também. Para não traumatizar ainda mais nossas famílias foi sugerido que não contássemos a ninguém sobre estas ameaças . Fomos orientados por agentes da polícia federal a grampearmos todos os nossos telefones para tentarmos identificar quem nos ameaçava. É neste ponto que a histária realmente começa... Minha mulher se chama Dani, tem 29 anos, 1,75m, não sei seu peso mas não é gorda nem magra, normal. Seios médios e bunda deliciosa. Um dia estava eu escutando as fitas gravadas pelo grampo do telefone de minha casa e fiquei surpreso com a conversa que ouvi. Dani conversava com uma amiga que ela considera como a melhor amiga, Ana, apesar de ela estar morando em outra cidade já a algum tempo. Comecei a escutar e o papo rolava normal, coisas de mulher, estava quase adiantando a fita quando escutei a amiga dela falar : “e aí, tem dado muito ? “ e as duas caíram na gargalhada. Resolvi ver até aonde aquilo ia, sem nem imaginar o que estava por vir. Dani disse que tinha dado muito na terça. Fiquei chocado pois terça tinha ido a São Paulo e não tinha dormido em casa. Fiquei sem saber o que fazer mas continuei a escutar. A amiga perguntou, deu pra quem ? Dani falou que deu pro de sempre. Quase tive um enfarte. Minha mulher me traía e não era a primeira vez. Dani continuou : Terça ele estava delicioso, fui pra casa dele umas 2 da tarde e voltei quase 19 da noite, matei a faculdade e tudo. Ele me pediu pra levar uma bolsa com as lingeries mais bonitas que eu tivesse e algumas roupas sensuais e sapatos. Quando cheguei ele não estava (a safada tinha a chave da casa dele), entrei e encontrei um bilhete em cima da mesa que dizia: Coloque a bolsa no quarto, vista-se com um conjunto de lingerie, uma roupa sensual e coloque um sapato bonito. Me espere na sala bebendo o vinho que deixei na bar, no balde de gelo e ligue o vídeo, a fita está dentro. Ela ia contando, sua amiga sá fala e aí, e depois, conta, e eu cada vez ficava mais sem saber o que fazer. Ela continuou contado que colocou uma calcinha e soutien pretos minúscula, e transparente, colocou por cima da calcinha uma outra calcinha maior preta também, uma meia 78 preta, um vestido florido que eu sempre achei que ela fica com cara de vagabunda, uma sandália de salto e se pintou. Foi pra sala, colocou o vinho na taça sentou no sofá e ligou o vídeo. O filme começou e ela contou que rolava uma transa entre um casal, com a mulher chupando o cara, sendo chupada, dando de quatro e de repente aparece mais um homem e a mulher fica dando de quatro e chupando o outro homem. Ela continuou contando o filme e sá me lembro que os dois terminam por gozar na cara da mulher. Dani disse que a esta altura estava molhada de tesão quando o tal amante dela chegou. Disse que ele chegou com umas sacolas de compras, uma filmadora e sentou-se ao lado dela. Ele se serviu de vinho, bebeu e começaram a se beijar. Ela disse que ele mandou ela se levantar e desfilar pra ele. Quando ela se levantou ele pegou a filmadora e começou a filmar. Ela protestou, disse que não queria ser filmada. Ele levantou e deu um tapa na cara dela, disse que ela era a puta dele e que devia fazer o que ele mandasse. Minha vontade era de matar ela e ele, mas não sei porque continuei a escutar a fita. Ela então falou pra amiga que continuou a desfilar e ele filmando. Mandou ela tirar o vestido e ficar passeando pela sala. Depois mandou que ela fosse até a varanda do apartamento sá de calcinha soutien meias e sandália. Ela contou que acha que uns 2 vizinhos de outro prédio a viram na varanda e falou que isso deu muito tesão nela. Ela voltou pra dentro e ele colocou a filmadora num tripé de uma forma que filmava a sala toda. Chegou junto dela e começou a sugar seus peitos que são lindos diga-se de passagem. Tirou seu soutien, e ficou lambendo. Depois mando ela colocar um pé em cima de uma cadeira e ir tirando a meia e depois a outra meia. Mandou ela tirar a calcinha e ela contou que ele adorou quando ela tirou e apareceu a calcinha minúscula transparente . Neste ponto ela estava com a calcinha e as sandálias e nada mais. Sentou ela no sofá e ela disse que ele a chupou por uns 19 minutos, e que toda vez que ela dizia que ia gozar ele diminuía o ritmo e depois voltava e ficou assim durante o tempo todo, ela quase gozava, ele diminuía, voltava até que ele mandou ela se ajoelhar no chão, de quatro e se apoiar no sofá. Ele pegou alguma coisa na bolsa, ela disse não ter visto o que era, e voltou a chupar, agora por trás, alternava entre sua bucetinha e seu cuzinho, enfiando a língua ora num ora noutro. Ela disse que estava nas nuvens. Ele começou a enfiar um dedo em seu cuzinho, ela reclamou, ele deu um forte tapa na sua bunda e colocou o dedo todo. Ela disse que gemeu alto e ele a chamou de puta vagabunda. De repente ela sentiu algo vibrando nas suas pernas e quando deu conta ele passava um vibrador em suas coxas. Voltou a lamber seu cuzinho deixando ele todo molhado de saliva. Deitou por baixo dela e mandou ela esfregar a buceta em sua cara. Enquanto ele a chupava, começou a enfiar o vibrador no seu cuzinho, que até então ela nunca tinha dado pra mim. Ela conta que com o tesão que estava colocou a mão pra trás e ela mesmo começou a enfiar o vibrador na bunda. Disse que entrou tudo, e que ficava enfiando e tirando sem parar e que estava adorando, e ele não parava de chupa-la. Ele saiu debaixo dela e mandou ela continuar enfiando o vibrador no cuzinho, de quatro, pra ele assistir e ela fez. Mandou ela sentar no sofá e ficar alternando entre chupar o vibrador e enfiar agora na buceta, que ela disse escorria de tanto tesão e molhava suas coxas. Ela não aguentou e gozou gritando. Ele foi pra varanda, sentou-se numa cadeira já sá de cueca, mandou ela ir pro quarto se trocar e colocar outra roupa. Neste ponto sua amiga dava pequenos gemidos do outro lado da linha e eu me peguei batendo uma punheta com o pau doendo de tão duro e não entendi como podia estar sentindo tesão em escutar minha mulher contar a uma amiga uma foda que tinha dado com seu amante. Dani falou que voltou pra sala com uma mini saia azul e um top branco, sem calcinha. Ele a chamou pra varanda e mandou ela ficar de quatro e chupar o pau dele. Ela disse que obedeceu e que o tesão vinha cada vez maior por saber que algum vizinho podia estar observando, ela de quatro, a mini saia no meio da bunda mostrando tudo, ele acariciando seus peitos enquanto ela o chupava. Ela falou pra amiga que ele demorava horas pra gozar e que quando gozava era tanta quantidade que ela nunca tinha visto igual nem em filmes. Disse também que o pau dele era de tamanho um pouco maior que o meu . Ela ficou uns cinco minutos chupando ele, e disse que as vezes ele dava uns tapinhas de leve na cara dela que faziam ela ficar com a xana toda melada. Levou ela, a filmadora e o vibrador pro quarto. Mandou ela novamente trocar de roupa. Ela colocou uma calcinha vermelha, um espartilho e meias 78 também vermelhas, um sapato de salto. Ele deitou na cama, ela veio por cima puxou a calcinha pro lado e sentou em seu pau. Ela gozou na hora, e continuou a subir e descer. Virou de costas pra ele e voltou a sentar no pau dele enquanto ele dava tapas em sua bunda. Ela arqueava o corpo pra frente e deixava seu cuzinho exposto, e ele ia enfiando o dedo, depois começou a enfiar o vibrador. Ela gozou de novo e gemia muito alto. Ela disse que ele a chamava de vagabunda piranha o tempo todo e isso a deixava com mais tesão. Colocou ela de quatro e começou a comer sua xana. Depois tirou o pau e direcionou pro seu cuzinho e começou a forçar. Entrou tudo. Ela gemia cada vez mais alto e ele puxava seus cabelos e dava tapas na sua bunda. Ela esticou a mão e pegou o vibrador que estava jogado na cama e começou a enfiar na xana. Ele adorou e disse que o que ela queria eram dois paus de verdade e ela já gozando de novo disse que sim, que queria mesmo. Ele começou a gemer e disse que iria gozar. Pra meu espanto ( se é que depois de tudo que ouvi alguma coisa ainda podia me espantar e pasmem, muitas coisas ainda iriam me espantar mesmo ) pediu pra ele gozar na cara dela. Não acreditei, sempre pedi isso pra ela e eram raras as vezes que ela deixava e mesmo assim sá no rosto. Ele ficou de pé, ela se ajoelhou em sua frente e ele gozou. Gozou em sua cara e dentro de sua boca. Ela chupava o pau dele sem para e depois o que ficou em seu rosto ela ia passando o dedo e lambendo. Não acreditei e gozei, e gozei muito. Fiquei sem entender como estava sentindo tanto tesão. Acho que sua amiga do telefone também gozou pelos gemidos que escutei. Os dois caíram na cama e ficaram por lá quietos. Algum tempo depois ele mandou ela pegar uma taça de vinho pra ele. Ela voltou com o vinho e disse que era a última taça, a garrafa tinha terminado. Mais uma surpresa. Ele mandou que ela colocasse uma outra roupa. Ela coloca um vestido colado ao corpo, sem soutien, e ele manda ela colocar uma calcinha bem pequena, toda enfiada na bunda, marcando o vestido e mandou que ela fosse no vizinho que era amigo dele e pegasse uma garrafa de vinho que ele tinha deixado lá. Ela hesitou por um momento mas acabou indo. Dani contou pra amiga que tocou a campainha e um homem lindo, alto, bem gostoso ( como ela disse ) atendeu vestindo apenas uma toalha e com os cabelos molhados. Ela falou que estava ali para pegar uma garrafa de vinho que o vizinho disse ter deixado na geladeira dele. Ele fez com que ela entrasse, sentasse no sofá enquanto ele pegava o vinho. Voltou com a garrafa gelada, ela se levantou agradeceu e foi até a porta. Ao se despedir ele deu dois beijinhos em seu rosto e disse em seu ouvido: você está linda nesta roupa e adorei a performance da varanda. Ela ficou sem ação e foi embora. Chegando no apartamento do amante ela contou que ele estava rindo. Ela ficou brava e disse se ele sabia que o vizinho estava assistindo o lance da varanda, ele disse que sabia, e que tinha certeza que ela tinha ficado com tesão de ter sido observada chupando o pau dele de quatro e com a xana a mostra. Ela se enfureceu e disse que não tinha gostado nada. Ele a deitou na cama, rasgou sua calcinha e começou a lamber sua buceta. Ela estava molhada e ele riu dizendo que ela tinha gostado sim. Ela foi ficando mole e acabou por confirmar ser verdade que tinha gostado. Ele se ajoelhou ao lado dela, deu seu pau pra ela chupar e mandou ela enfiar o vibrador na xana . Ela gemia sem para mesmo com o pau dele na boca. Ele falava que ela queria ter dois paus pra comer ela, que ela era uma puta rampeira. Ela tirou o pau dele da boca e disse, quero, quero dar pra dois machos hoje. Ele se deitou na cama e mandou ela ficar de quatro chupando ele. Ela fazia tudo que ele mandava e além do boquete pegou o vibrador, esfregou na xana pra deixar ele melado e começou a enfiar ele todinho no cuzinho. Ele pedia pra ela enfiar tudo e ficava perguntando se ela queria outro macho. Ela sá balançava a cabeça sem tirar o pau dele da boca dizendo que sim. De repente, ela contou pra amiga, sentiu uma língua na sua boceta, se assustou e tentou levantar mas foi impedida pelo homem que a chupava que segurou pela bunda. Seu amante deu mais um tapa forte em sua cara e disse que ela tinha pedido. Ela continuou a chupar ele, tendo a xana lambida pelo outro que passou a comandar o entra e sai do vibrador em seu cuzinho. Depois ela contou que eles trocaram de posição e o cara se deitou na cama dando seu pau pra ela chupar e o amante foi comendo ela de quatro, sem tirar o vibrador de seu cuzinho. Ela disse que gozou 2 vezes seguidas nessa hora e gritou. O amante a empurrou pra cima do outro cara e fez ela sentar no pau dele com sua xana. Ela acabou de tirar o vestido e ficou nua. O amante se posicionou por trás dela e começou a forçar seu cuzinho, ela disse pra ele meter logo que queria ser toda preenchida pelo dois, e assim ele fez. Eu já estava na segunda punheta e a amiga dela gemia mais forte. Ela pegou o vibrador e ficava chupando ele enquanto levava pau na xana e na bunda. Ela gozou de novo. Eles cansaram e o cara deitou na cama e perguntou onde ela queria que ele gozasse. Ela pediu, por favor, goza na minha cara, seu pau é muito gostoso de chupar e quero sentir seu gosto. Em sete anos de relacionamento muito poucas vezes ela deixou eu gozar em sua cara e num sá dia já ia experimentar o gozo do segundo homem. Ela ficou de quatro por cima dele e começou a chupa-lo, o amante foi por trás e enfiou em sua xana melada. Ficaram assim por algum tempo até que o cara que ela chupava começou a gemer, disse que ia gozar, ela engoliu o pau dele e ele gozou tudo dentro da boca dela. Ela puxou o rosto dele e começou a beija-lo. Mas ele não sabia que a boca dela ainda tinha muita porra e se assustou. Quis sair mas ela o segurou por trás do pescoço e beijou ele deixando a porra escorrer entre a boca dos dois e melar seus peitos. Seu amante vendo aquela cena não aguentou, disse que ia gozar e ela pediu pra ele gozar dentro dela. E assim ele fez, gemendo alto. Ela então pediu pra ele deitar por baixo dela e chupar sua xana toda melada de gozo. Ele deitou e ela passou a esfregar a boceta na cara dele e o gozo dele misturado com o dela escorria pelo canto da boca dele. Ela estava sentada na cara do amante e com os seios melados do gozo que o outro deu em sua boca e escorreu no beijo que deram. Ela pediu pro cara lamber os peitos dela todo melado e foi atendida. E gozou mais uma vez. Eu dei a segunda gozada na punheta, me achando louco de sentir tesão escutando minha mulher contar pra uma amiga que tinha dado pro amante e pro vizinho dele. Sua amiga diz que achou demais e precisa conhecer este homem, ou melhor, estes homens. Dani diz pra ela que ele deu uma cápia da fita pra ela e que se quiser mandaria por sedex . A amiga falou que queria muito ver a fita. Combinaram que ela mandaria uma cápia no dia seguinte mas que ela tomasse cuidado. A amiga falou que tinha um encontro naquela tarde com um cara que já tinha saído uma vez, da faculdade, mas que sá tinha chupado ele dentro do carro e feito ele gozar em sua boca, e que ela engoliu tudinho, uma vez que ele deu carona pra ela na volta da faculdade, e parou na esquina da casa dela. Disse ainda que quando chegou em casa seu marido já estava e que beijou ela na boca com muito tesão, mas não reparou que ela tinha acabado de chupar e engolir o gozo de outro cara, que ele tinha puxado ela pra cima dele no sofá, ela estava de saia, tirou o pau pra fora e comeu ela ali mesmo, adorando ela estar molhada de tesão. Ela disse que adorou dar pro marido depois de ter chupado o cara e por isso estava tão molhada. Ela contou ainda que pediu pro marido gozar na boca dela, pois queria sentir a diferença do gosto do gozo dos dois e ele não se fez de rogado e gozou tudinho na cara e na boca dela, adorando, pois ela disse que não deixava ele fazer isso muitas vezes, assim como minha mulher faz comigo. Ela disse ainda que uma amiga dela contou que já tinha feito isso sá que pediu pro amante gozar dentro da xana, colocou a calcinha e foi correndo pra casa dar pro marido toda melada de gozo de outro macho. Eu já estava de pau duro pela terceira vez. Elas combinaram de se falar no fim de semana, era sexta feira e fiquei ansioso por saber da transa da amiga de Dani com seu amante. Eu estava no escritário, trancado na minha sala, e pedi pra secretária um jornal de classificados. No final do dia tinha contratado um detetive pra vigiar minha mulher, que me contasse onde ela estava indo, tirasse fotos, filmasse tudo que pudesse. Mas o pior é que eu não estava com raiva e sim com tesão. Estava confuso, mas com tesão. Queria saber mais, a quanto tempo ela dava pra esse cara, se tinham outros, e queria saber quem era o cara. Contratei também uma empresa de segurança domiciliar que instalava aparelhos de escuta e de filmagem. Marquei para o dia seguinte a instalação em minha casa de escutas, e câmeras escondidas. Coloquei nos quartos, na sala, na cozinha, nos banheiros. Um vídeo especial pra cada câmera que gravaria a semana inteira, e instalei em meu escritário no trabalho uma tv, e dois vídeos para poder editar as fitas. Marquei com o detetive todos os sábados na parte da manha em meu escritário onde ele poderia me repassar o material conseguido e depois eu poderia editar as fitas de casa e as que ele filmasse. Liguei pra minha mulher e disse que passaríamos o fim de semana na praia, para poder deixar livre a casa pra instalação do equipamento, dispensei a empregada no sábado e fui pra casa. Como chego por volta das 20 horas e minha mulher sá chega por volta das 22:30 da faculdade, resolvi vasculhar a casa em busca da tal fita. Procurei bastante e achei um fundo falso em uma gaveta e lá estava a tal fita. Também olhei em seu armário e encontrei todas as roupas que ela descreveu no telefone pra amiga, até mesmo a calcinha rasgada. Coloquei tudo de volta no lugar e fui assistir a fita. Não acreditava, estava tudo realmente filmado, tudinho que ela contou, nem mais nem menos, e toquei mais duas punhetas assistindo ao filme. Ela parecia uma profissional, tesudíssima, e adorei a parte em que o amante goza na cara dela a primeira vez, adorei ela com o vibrador na bundinha, mais ainda ela dando pra dois machos, um gozando na sua cara e o outro na xana. Coloquei a fita de volta no lugar e esperei ela chegar. Por volta de 22:45 ela chegou, estava com uma saia até o joelho preta, uma blusa de botões creme meio transparente, um soutien creme meia taça que a deixa com os seios parecendo maiores e uma sandália de salto não muito alto. Assim que ela chegou me encontrou assistindo a um filme pornô que coloquei de propásito. Pedi que ela me preparasse um whisky e sentasse ao meu lado. Fiquei com ela recostada ao sofá e com suas pernas em cima de mim e ficamos bebendo e assistindo ao filme. Ela nunca se mostrou fã de filme pornô e as vezes reclamava quando me pagava assistindo, mas naquele dia ficou quieta olhando para o filme. Rolava uma cena de uma mulher e 2 caras que deixei no ponto de propásito. Comecei a acariciar suas pernas, subindo até as coxas e descobri uma minúscula calcinha de renda toda enfiadinha na bunda. Ela já dava sinais de excitação pois estava úmida. Comecei a beijar seus pés e fui subindo até suas coxas, puxei sua calcinha pro lado e demoradamente a chupei até ela gozar. Coloquei ela de quatro no chão apoiada no sofá e voltei a lhe chupar, agora também lambendo o cuzinho dela. Enfiava minha língua e sentia ele se abrir um pouco. Deixei ela toda melada de saliva e comecei a esfregar meu pau na entrada de sua xana e logo depois comecei a entrar bem devagar. Fiquei entrando e saindo lentamente, sentindo ela pulsar no meu pau. Ela ainda estava vestida, a saia na cintura, a calcinha puxada pro lado, a blusa aberta, um dos seios pra fora do soutien que eu acariciava. Comecei a passar o dedo em seu cuzinho e ela começou a rebolar um pouco, tentei enfiar mas ela não deixou. Continuei lentamente no entra e sai, torturando ela. Quando eu entrava todo ela dava um gemido delicioso. Comecei a acelerar, ela esticou uma das mãos para trás e começou a acariciar o clitáris. Isso me deu um tesão maior do que eu já estava e comecei a acelerar os movimentos. Ela gemia mais forte e voltei a entrar e sair lentamente, queria prolongar aquela foda que estava deliciosa. Deitei no chão e pedi que ela sentasse sobre meu pau. Ela começou a deslizar em cima de mim e tirou os dois seios pra fora do soutien. Com uma mão ela acariciava os seios e com a outra ela dedilhava o grelinho. Puxei a mão dela do grelinho e passei a lamber seus dedos um por um, deixando eles melados. Ela voltava com a mão pra xana e depois me dava pra lamber. Ela começou a gemer mais alto e a ficar ofegante, levou as duas mãos para os seios e começou a aperta-los. Levei minhas mãos a sua bunda e também a apertava. Passei a esfregar um dedo em seu cuzinho, ela disse que ia gozar, acelerou, enfiei um pouco o dedo e ela não reclamou. Acelerou mais, enfiei o dedo todo e fazia ele entrar e sair, ela gritou que estava gozando, disse que ia gozar e que queria gozar na sua cara. Ela não deixou, pediu pra eu gozar dentro e me derramei dentro de sua xana quente e molhada. Num movimento rápido escorreguei por baixo dela e comecei a chupar sua xana segurando ela pelas cintura. Ela tentou sair mas segurei firme e não resistiu ao novo gozo . Nunca imaginei que chuparia minha mulher apás ter gozado dentro dela, mas adorei. Ela caiu pro lado, ficamos recuperando o fôlego e fomos tomar banho juntos. Apás o banho nos deitamos, conversamos sobre o dia de cada um, sobre a viagem do dia seguinte e dormimos. Sábado de manha arrumamos as coisas e fomos pra praia, deixando o caminho livre para o pessoal instalar os equipamentos que encomendei.O fim de semana foi normal, transamos varias vezes mas sem toda aquela volúpia da sexta a noite. Pedi varias vezes para comer sua bundinha mas ela não deixou, nem deixou por o dedo de novo. Também pedi para deixar gozar na sua boca ou no seu rosto e ela também não deixou. Na volta, domingo a noite, inventei que na semana passada tinha ficado na varanda enquanto ela não chegava da aula e tinha visto um casal no prédio em frente com a janela do quarto aberta, e eles estavam transado. Contei que peguei um bináculo que tenho em casa e fiquei observando e conforme ia contando comecei a acariciar suas pernas. Ela estava de vestido e isso facilitava minhas carícias. Fui contando como eles estavam transando etc e tal e ela ficava cada vez mais excitada, os bicos dos seios quase furavam o vestido, ela estava sem soutien, e ela abriu minha calça e ficamos trocando carícias, ela me masturbando e eu dedilhando seu grelinho. Ela reclinou o banco, parou de me acariciar, colocou os seios pra fora, e ficou acariciando eles. Falei que algum outro carro ou caminhão poderia ver ela com os seios de fora e ela mandou que continuasse a contar o que eu tinha assistido. Fui contando e e ela começou a gemer mais, alguns carros passavam ao nosso lado e olhavam ela com os seios de fora, ela percebia mas nem ligava. Foi quando disse que apareceu mais um cara no quarto e os dois homens começaram a lamber e a comer a mulher de todas as maneiras. Ela mordeu os lábios, apertou mais os seios, eu acelerei o dedo e ela gozou soltando um gemido alto. No mesmo instante ela se debruçou sobre meu pau e começou a chupa-lo avidamente, eu já estava tendo que me segurar pra não gozar, ela olhou pra mim e pediu pra continuar contando o que eles fizeram. Hesitei mas resolvi correr o risco e disse o que tinha acontecido quando assisti ela dando pros dois caras na fita. Que colocaram a mulher de quatro, um a comia por trás na xana e o outro ela chupava. Contei que deu pra ver nitidamente que o cara que a comia gozou dentro dela, deitou na cama por baixo dela e a chupou depois de ter gozado, por isso me deu tesão de fazer o mesmo com ela na sexta-feira a noite, ela acelerou o boquete, falei que o outro gozou na cara da mulher e que eles se beijaram depois. Ela tirou meu pau da boca, arregalou os olhos meio que assustada, mas pediu deliciosamente, goza na minha boca. Não resisti e assim que ela voltou a me chupar de uma tremenda gozada na boca dela, que ela deixou escorrer pelo queixo e veio me beijar. Aceitei o beijo e foi delicioso. Nunca imaginei que seria tão bom. Nos recompomos e seguimos viagem. Chegando em casa fui reparar na instalação e pasmem, era muito perfeita, algumas câmeras sá descobri na segunda-feira. O vídeo ficava numa gaveta trancada do meu escritário e estava tudo perfeito. Ela não percebeu nada. Já na cama tentei transar com ela de novo com a intenção de ver a fita no dia seguinte para experimentar as novidades, mas ela alegou cansaço, ainda cutuquei ela dizendo que nunca a tinha visto tão tesuda como na sexta e como na estrada, e quis saber se na sexta foi por causa do filme e ela desconversou. Quis saber se na estrada foi por causa do perigo de alguém ver ela com os seios de fora ou se foi pela historia que contei. Ela novamente deu uma desculpa qualquer e foi dormir. Segunda-feira fui trabalhar mas minha cabeça não parava de pensar nos acontecimentos da semana passada, não entendia como eu estava com tanto tesão de saber que minha mulher tinha me traído. Levei a fita dela com o amante pro escritário, fiz uma cápia e coloquei no lugar de volta a noite sem que ela notasse nada. A semana transcorreu normal, cada dia escutava as fitas do grampo no telefone do dia anterior mas não tinha nada especial. As fitas das câmeras também não mostraram nada demais. Na quinta-feira liguei pra casa por volta das 14:00 horas e Dani me disse que ia pra academia, que iria voltar a fazer ginástica. Achei estranho, ela nunca gostou muito de ginástica, mas ela disse que estava se sentindo meio gorda etc e tal, aquelas coisas que sá as mulheres acham, pois achava que ela estava deliciosa. Pensei que se houvesse qualquer coisa o detetive descobriria e eu ficaria sabendo no sábado. Quando cheguei em casa a noite ela já estava na faculdade e como estava sozinho peguei as fitas para ver se tinha algo, como ela tinha se arrumado pra ir pra academia, como tinha ido pra faculdade etc... estava me tornado obcecado por aquilo tudo. Tinha umas 3 horas sozinho e dava tempo bastante. Sala, quarto, quarto de hospedes, escritário, nada. Na fita de nosso banheiro vi ela se arrumando pra academia, uma calça de ginástica, um top e um blusão por cima, bem recatada até. Pra faculdade foi de calça jeans e de camisa de botão. Normal. Faltava a cozinha e a área de serviço que dava pra ver o quarto da empregada. Não estava nem animado de ver pois achava que não tinha nada. Mas, resolvi assistir pra ver o que a empregada fazia durante a tarde quando Dani saía. Ela trabalhava normalmente na cozinha, preparando o jantar, lavando, foi passar roupa etc Até que a campainha tocou e era o namorado dela. Já o tinha visto algumas vezes indo busca-la mas não sabia que quando não tinha ninguém em casa que ela o deixava subir. Eles trocaram beijos, conversaram, ele bebeu refrigerante, comeu bolo, e ficou observando ela acabar o trabalho. Ela estava na pia acabando de lavar a louça quando ele veio por trás e começou a se esfregar nela, ela mandou ele parar, ele beijou seu pescoço, ela se virou e começaram a se agarrar. Ela olhava o relágio e devia estar com medo de alguém chegar mas não conseguia parar. Foram para o quarto de empregada. A fita ficou mostrando sá a cozinha vazia. Peguei a fita da área, que mostrava uma boa parte do quarto de empregada e fui adiantando até chegar ao ponto em que eles entraram se agarrando no quarto. Tiraram as roupas, ela tinha um corpo normal, peitos médios, bunda média etc.. nada fenomenal, mas dava pro gasto. Ele tinha um pouco de barriga mas tinha um pau bem grande. Ela chupava ele enquanto ele dedilhava sua xana. Ele a colocou de quatro e começou a comer sua boceta, ele era bem grande e uma parte do pau ficava pra fora, as vezes ele colocava tudo e escutava o gemido dela. Ele se deitou na cama e ela veio por cima dele e sentou com a xana no pau dele e foi descendo devagar ate entrar tudinho. Neste momento, no canto da imagem na tv, vejo uma sombra se mover devagar e aparece Dani na área de serviço, com a calça de ginástica, sem o blusão, sá com o top, descalça e andando na ponta dos pés. A empregada gemia bastante e ao entrar em casa ela deve ter ouvido e foi ver o que acontecia. Ela se colocou de uma maneira que conseguia ver parte da foda deles sem que eles a vissem. Ela ficou parada pouco a frente da câmera e a visão que eu tinha de Dani era de cima, não muito boa, não conseguia ver seu rosto. A empregadinha tirou o pau do namorado de dentro de sua xana e apontou pro cuzinho. Não acreditei que ela aguentaria aquilo tudo, mas ela foi descendo ate a metade, subiu e começou a ir e vir ate entrar tudo, seus gemidos eram mais altos, o ritmo acelerou, Dani colocou a mão por dentro da calça e com a outra tirou um dos seios pra fora do top e ficou acariciando. Não demorou a empregadinha gozou e o namorado gozou dentro dela. Quando ele saiu escorria leite pelas coxas morenas da empregadinha. Dani saiu da mesma maneira que entrou, sem ser notada. Eles se arrumaram e foram embora sem perceber a presença de minha mulher em casa. Quando Dani chegou eu assistia a um filme no quarto, ela foi tomar banho, e foi para o escritário pois tinha que terminar um trabalho da faculdade. Continuei a assistir o filme e escutei o telefone tocar. Fui ver se era pra mim, mas era Ana, sua melhor amiga, aquela pra quem ela contou toda a foda que teve com o amante. Fechei a porta do escritário para deixa-la a vontade. Continuei a ver o filme e acabei por adormecer. Acordei sá de manha, me arrumei e fui pro trabalho. Peguei a fita do grampo, coloquei uma nova no lugar e fui. Na parte da manha não tive tempo pra nada, estava muito atarefado. Na hora do almoço fui escutar a fita. Começou com aquele papo furado, etc e tal, até que Ana perguntou se Dani tinha aprontado por aqueles dias. Ela disse que não mas que talvez o veria amanha ( hoje no caso ). Comentou da nossa transa de sexta-feira passada dizendo que eu estava assistindo ao filme etc e tal e que tinha sido deliciosa, que eu estava diferente. Falou do fim de semana e contou da volta na estrada, todos os detalhes, que sentiu muito tesão de estar com os seios a mostra e que algumas pessoas de outros carros a tinham visto assim, contou que eu tinha visto a transa dos vizinhos com o bináculo, que no meio da transa apareceu outro homem, que ela ficou com mais tesão ainda, e achou estranho que eu contei que eles tinham gozado na vizinha quase como acontecera com ela, mas achou que fosse coincidência. Que tinha deixado eu gozar na boca dela e que me beijou depois e adorou. Contou que tinha visto a empregada dando pro namorado, todos os detalhes, e que não sabia como ela aguentava um pau enorme daquele em se cuzinho. Dani perguntou então pra Ana como tinha sido a transa dela com o amante que ela falou que encontraria naquela tarde que se falaram ao telefone. Ana contou que foi ao encontro dele num motel, que ligou antes e pediu que ele levasse a filmadora. Quando chegou ele já estava com tudo preparado, vinho, a filmadora posicionada. Ele estava deitado na cama vendo tv, ela disse que foi com um saia comprida abaixo do joelho, de botas altas, uma blusa de crepe preta transparente, sem soutien, disse que tava de soutien preto mas tirou qundo chegou na garagem do motel. E sem calcinha. Tirou também na garagem. Começou a beber vinho com ele, se beijaram, se acariciaram. Contou que estava morrendo de tesão por causa da historia de Dani e acabou contando pro amante enquanto ele a chupava, deitada na cama, de roupa e bota, com a saia levantada. Ela ia contando e ele a chupando. Quando chegou na parte de Dani com dois homens ela foi ficando cada vez mais molhada, ele acelerou o ritmo e perguntava pra ela se ela queria também dar pra dois homens. Ela disse que sim e gozou com ele lambendo sua xana e enfiando dois dedos em seu cuzinho. Ele a levantou, encostou ela numa parede de costas, levantou sua saia e começou a enfiar em sua bunda. Dava estocadas fortes e ela quase não se aguentava de pé. Suas mãos suavam, suas coxas estavam molhadas do mel que descia de sua xana, ela gozou, ele continuou a comer sua bunda, ela disse que queria que ele gozasse em sua boca e ele assim o fez, e ela engoliu tudinho. Dani arfava do outro lado da linha. Ana contou que eles conversaram a respeito da transa dela e ele achou demais. Ela foi tomar um banho e escutou ele falando no celular. Saiu do banho e perguntou mas ele desconversou. Foram pra hidro, pra piscina, pra sauna, rolou umas sacanagens, chupa aqui e ali etc e tal. A campainha toca ele vai atender, demora um pouco e volta. Ana pergunta o que era e ele diz que tem uma surpresa, se ela está afim? Ela fica curiosa mas ele pega um lenço, venda seus olhos, manda ela colocar a bota, ( ela diz que ficou linda nua de bota ), e a faz deitar na cama. Ela escuta a porta se abrir e passos. Começa a ficar com um frio na barriga e arrepiada. Ele vai falar sacanagens no ouvido dela, lambe seu pescoço e manda ela abrir as pernas. De repente ela sente uma língua quente em sua xana e começa a se remexer. Ele coloca o pau na boca dela e manda ela chupar. Ela conta que nunca tinha sido chupada tão bem, que estava uma delicia, o ritmo, a pressão, a língua descia por toda sua bocetinha e ia até o cuzinho e voltava. Era demais e ela gozou, forte, gemendo e gritando. Ele tirou o pau de sua boca e ela recebeu um beijo de uma boca muito delicada e doce, que tinha o gosto de sua xana. Enquanto ela era beijada ele se deitou por cima dela e começou a penetra-la lentamente, enfiando tudinho, mas devagar. Sua venda foi tirada e ela não acreditou no que via. Ela tinha sido chupada e beijada por outra mulher. Uma mulher alta, 1,85m, olhos e cabelos pretos, pele clarinha, um corpo escultural, como se fosse modelo de revista masculina. Sua primeira reação foi de espanto, mas seu beijo era tão envolvente e o amante lhe comendo estava tão gostoso que ela deixou rolar. A mulher passou a lhe lamber os peitos o pescoço, a boca, tudo. Estava delicioso. Ele deitou e mandou Ana vir por cima dele. Ela foi e sentou com tudo. Subia e descia. A mulher ficou por trás dela e lambia sua bunda e seu cuzinho. Ela delirava. A mulher foi lhe beijar a boca de novo, os peitos, ela retribuía cada vez mais. Ana passou a chupar os peitos da mulher também, achou delicioso. Ele tirou Ana de cima dele e a colocou de quatro e foi comendo sua xaninha por trás. A mulher colocou a cabeça por baixo de Ana e começou a lamber o pau dele e a xana dela. Ana delirava, gemia, escorria de tesão. A mulher se ajeitou de uma maneira que sua boceta ficava perto da boca de Ana e não teve jeito, o tesão era tanto que Ana não resistiu e passou a chupar a mulher também. Ficaram nessa até ele dizer que ia gozar, Ana acelerou a chupada, a mulher também e gozaram os três. A mulher gozou na boca de Ana, que gozou sendo chupada por ela e fodida por ele. Ele gozou dentro de Ana e saiu de dentro dela deixando a xana toda gozada a disposição da mulher, que chupou tudo, ficando com o rosto melado de porra e gozo dela. Depois elas se beijaram e misturaram ainda mais aquele gozo que parecia interminável. Descansaram, a mulher foi embora, era uma garota de programa, eles também foram. A fita ficou com ela. Dani disse que achou o máximo, nunca se imaginou com uma mulher, mas que depois de Ana ter gostado tanto tinha ficado com tesão de experimentar. Dani pediu que Ana lhe mandasse uma cápia da fita, e combinaram de se falar para Dani contar a tarde que ia ter daqui a pouco. Cheguei em casa cheio de tesão e fui ver as fitas. Nada. A empregada não deu pro namorado, Dani ficou em casa até 17:00 horas tomou banho e se arrumou. E que arrumação. Saia de couro marrom, meias bege sem ligas, calcinha toda de renda marrom, blusa branca de botões, sem soutien, batom marrom e pintou as unhas de marrom também. Ela tem pele clara e ficou muito bem nesta combinação.Saiu. Nada nas fitas mais, nem no grampo. Ela chegou cedo, por volta das 20:30. Queria ir direto pro banho. Disse que a aula acabara cedo. Saímos pra jantar com uns amigos e chegamos tarde, transamos, normal, e dormimos. Sábado disse que tinha de passar no escritário para pegar uns documentos, e fui me encontrar com o detetive. Ele me entregou um relatário, disse que ainda não tinha conseguido tirar fotos ou filmar mas que tinha algo. Paguei a semana dele e pedi que continuasse. Fui embora e parei o carro na garagem de casa e comecei a ler o tal relatário. Nada demais nos primeiros dias, ela foi pra faculdade, casa da mãe dela, supermercado, academia. Tudo ok . Na sexta-feira, bem, ai tudo mudou. Ela saiu de casa, ele descreveu a roupa certa que ela usava, e disse que ela se encontrou com um homem que pelas características era o amante. Ela estacionou na faculdade e entrou no carro dele e foram para o centro da cidade. Estacionaram e foram para um cinema, um cinema pornô. O detetive entrou logo atrás, eles se acomodaram nas últimas fileiras e o detetive ficou sentado logo atrás e tinha plena visão dos dois. O filme começou, o cinema estava quase vazio. Ele viu o amante a beijando, acariciando seus seios, abrindo dois botões da blusa e deixando seus seios quase a mostra. Subiu sua saia e enfiou a mão dentro de suas pernas e tirou sua calcinha. Botou seu pau pra fora e ela ficou batendo uma punheta pra ele. Logo um homem sentou perto deles, o amante fez um sinal e ele sentou ao lado dela. Começou a acariciar suas coxas e seus seios e botou o pau pra fora também. Ela ficou com dois paus na mão e punhetava eles. Se abaixou e começou a chupar o pau do homem, ele acariciava seus peitos e o amante sá olhava. Não demorou o homem gozou em sua boca. O homem saiu. Seus peitos estavam todo a mostra. Logo depois outro homem veio e sentou ao lado dela, um escuro que lambeu seus peitos, beijou sua boca, deu seu pau pra ela chupar, e depois fez ela sentar em seu colo. O detetive disse que não deu pra ver se ela deu a bunda ou a xana mas que ela gemia bastante e que o pau do cara era enorme. Ela saiu do colo dele, ele disse que viu o cara tirar a camisinha e voltou a chupa-lo e ele gozou tudo nos peitos dela. O amante falou algo no ouvido dela e ela esfregou a mão nos seios e depois lambeu dedo por dedo. O escuro foi embora . Se recompuseram e foram embora. Ela pegou o carro na faculdade e foi pra casa. Subi e ela ainda dormia. Fui verificar a cesta de roupas sujas e encontrei a blusa cheia de manchas de porra, a saia também melecada, mas não encontrei sua calcinha. Minha mulher tinha virado uma puta profissional e eu estava adorando, mas não sabia como seria daqui pra frente. Não sabia se contava pra ela tudo o que sabia ou se esperava. Resolvi esperar. Saímos pra almoçar no sábado. CONTINUA.......

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


meus patroas adoram chupar a minha bucetacontos de assalto com incestorelato de gêmeos que acabou torando sua sogracontos eroticos/estupro/gangbang/final de semana todominha cunhada quis que eu a visse nuacontos eroticos com homens velhosconto erotico minha irmã casadadormindo na casa do amigo contos eroticos gayContos.minha.filha.ja.ten.cabelo.na.buceta.liliane sabe quero seu cuconto erotico sobrinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteCONTO DEPRAVADAcontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos timidas coroasmarido castrado conto eroticocontos desejada pelo cunhadoConto erótico marcinho enteadocontos eroticos arrombando a gordacilindro meloso gostosocumil minha vizinha gostoza fimepornocontos traidoracontos de coroa com novinhocomendo a família toda contos eroticoslesbica dopando a amigaContos eróticos de lésbicas gemeas sarrando a bundacontos de lesbicas coroaso pai da minha amoginha me comeu contosprovocando meu tio com um short com as popa da bunda de forafui errabada pelo meu avotia tesuda contoContos eroticos da esposa safada com o marido deficientecontos eroticos minha baba gostosa perdendo minha virgindadever tv pornô mulher que tem a vajina muito linda e grade gozando na pica sem para vaquira com o cavaloContos eróticos, ai tio, goza na minha mãocontos eroticos minha maefez um boquete em mimcontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos relatados por mulheresadoro andar sem calcinha contoscontos mijou na minha bocaContos gay banheirocontos de sexo falando que cagouconto sozinha em casa peguei meu pai fudendo minha maeminha mulher quer dar o cu p outro na minha frentecontos heroticos de rapazes que foram comidos e descobriram que eram gayscontos de sexo com velhos gayEstupro gay conto gay pedreirocontos depois de 20 anos fui morar com minha mae e no banho ela vou meu rolaoContos eroticos de professora batendo punheta no proprio alunocontos pornos estuprada no assaltomeu cunhado abusa de mimContos eróticos mães com a buceta peluda e cheiro fortecontostesudoso p****** do metrô mulher relata conto eróticocontos duas gostosas dando o cu para um cara pausudopagou pra cunhada,sobrinha,enteada,pra chupar caseiroconto sendo estrupada pelo travestiSexo com papai contos eróticocontos eroticos de transando com a cunhada casada e com seu marido bi sexualcontos eroticos Sofrendo com o pauzaocontos tia pede laber sua xerecacontos erotikos coroa so leva no cu pois esta de chicocontos eroticos sexy romantico e gostosoporn conto com a gerentecontos meu meu filho bruto me deichou ardidacontos fudendo com priminhs de dose snoscontos eroticos tio e sobrinhaconto erotico esposa sozinhacontos ela sentou no meu colo sem calcinhaconto erótico na despedida de solteiro do meu cunhado novinha transa com eleContos eróticos não queria gozou dentromulheres religiosas corpo bonito seio grande quadril largo transandocontos eroticos arrombando a gorda