Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMO É MARAVILHOSO DIVIDIR QUE A GENTE AMA

rnrnrnrnEsta é uma historia absolutamente verdadeira. Talvez alguns detalhes possam ser esquecidos, afinal, é impossível colocar todas as sensações no papel, mas certamente a essência estará descrita.rnLá estávamos nás mais uma vez. Já fazia certo tempo que isto não acontecia, o que me deixava um tanto quanto ansiosa, afinal, estar ali, naquele motel, com meu esposo, um moreno, 35 anos, corpo maravilhoso, junto com a minha comadre, uma executiva de 25 anos como eu, me deixava excitada e ansiosa.rnA última vez que a gente fez amor a três tinha sido há uns três anos. Depois disto, a correria profissional de todos nás, aliada a uma certa reserva da junior, tinha nos deixado somente com uma relação conjugal normal. Não que não fosse gostoso, afinal, o junior é eximia quando se trata de sexo. Faz um boquete que deixa qualquer um nas nuvens e sempre incrementa as relações com uma criatividade que é digna das putinhas mais depravadas.rnEstar ali, não tinha começado naquele dia. Afinal, a gente sempre curte cada momento, principalmente e especialmente os preparativos. Umas duas semanas antes, combinamos, ou melhor, minha comadre combinou com a Patrícia, como seria a nossa tão esperada ida ao motel a três. Isto aconteceu, porque tanto eu quanto o Junior, provocamos a minha comadre. Ela estava precisando de um dinheirinho extra, e nás, como que prevendo o que aconteceria, decidimos ajudá-la se ela topasse ser a nossa escrava por 4 horas. Sá quem já vivenciou uma situação destas, sabe o erotismo que isto implica. De repente, estávamos os três sentados e o Junior informando à comadre patricia, que no dia D, queria fazer o rabinho dela. Ela, como sempre, relutava dizendo que isto não seria possível, que doía demais, etc, estas coisas que a maioria das mulheres fala.rnAfinal, combinamos que daqui a poucos dias, aquela nova aventura seria vivida. Eu deixei o Junior combinar o que queira e fiquei sá ouvindo os dois conversando. Fiquei muito excitada ouvindo os dois. Incrível, como é gostoso ver a mmeu marido e minha comadre, combinando com treparíamos. A Patrícia foi dormir e eu continuei conversando com o Junior. Até que eu determinado momento, excitados pelo que acabávamos de combinar e movidos já por umas doses de uísque meu marido propôs que fossemos rever as filmagens que eu tinha de outras aventuras nossas. Incrível, a excitação nossa, vendo uns 19 anos de filmagens que eu guardo num DVD. Confesso que tanto eu quanto ele tivemos que nos controlar muito para não transar vendo a minha deliciosa e diversas poses e cenas, dignas de uma grande atriz. Sá não fizemos isto porque as minhas filhas estavam em casa e certamente não entenderia sem pegassem eu e meu marido, alem do mais vendo cenas que ninguém imagina que existam.rnIsto é apenas para introduzir a historia, afinal, poucos dias depois lá estávamos nás: eu, a Patrícia e o Junior, deitados numa mesma cama, num maravilhoso motel de nossa cidade.rnDepois de tomar umas bebidas, começamos a provocar a Patrícia. O Junior beijava a orelha direita dela, enquanto eu, fazia o mesmo com a esquerda. Eu tirei o pé esquerdo da bota dela, seguido pela meia, e ele fez o mesmo com o pé direito. Na sequência, eu desnudei a calça dela, enquanto o Junior contemplava a cena. Incrível, como é delicioso despir a mulher que a gente ama com a esposa contemplando. Depois que eu deixei ela sá com a calcinha, saí da cama e fiquei de frente, tomando uma dose, enquanto o meu melhor marido tratou de tirar o resto da roupa dela.rnAssim que ela ficou nua, eu tirei a minha roupa ficando somente com ade calcinha . Pedi pra ela tirar a roupa do meu marido. Rimos muito quando ela o deixou de cueca, pois sem combinarmos, tanto ele quanto eu estávamos de cueca brancaeu de calcinha branca, muito parecida uma com a outra.rnLentamente tirei a calcinha da Patrícia e comecei a beijar o seu pé.Fui fazendo isto bem lentamente, beijando e mordiscando e subindo até a sua gruta maravilhosa, que nesta altura já estava brilhando de tão molhada. Cheguei nela e dei umas lambidas bem leves, deixando a Patrícia louca para ser chupada. Enquanto eu estava em baixo, com a minha comadre deitada de costas, o meu marido estava incumbido de cuidar da boca e dos seis dela. Lentamente eu ia subindo em direção aos seios e boca, enquanto o meu marido fazia o processo inverso. Quando ele chegava a bucetinha da minha comadre, também não ficava chupando forte, apenas dava pequenas lambidinhas, deixando ela maluca. A minha comadre estava tão excitada que chegava a puxar a cabeça de quem estava em baixo, mas nás combinamos que iríamos continuar aquela tortura e de fato, não deixando que ela gozasse logo, afinal a Patrícia é multi-orgásmica e goza com muita facilidade.rnFicamos neste troca-troca por uns 20 minutos. Até que a Patrícia pediu pra ficarmos em pé, um ao lado do outro, bem pertinho dela, que ajoelhou na cama. Ela, então lentamente, tirou a minha calcinha e deixou calcinha, que nesta altura estava molhadinha. Fez o mesmo com o Junior, que já deixava escorrer uma gotinha de gozo, somente nestas preliminares.rnHabilidosa como é a minha comadre, abocanhou a pica e tratou de alternar chupadas maravilhosas. Teve momentos que ela tentou colocar a dua pica na boca. Obvio, que se ficássemos mais alguns segundos nesta tortura, gozaríamos logo, então jogamos a Patrícia novamente de costas na cama e recomeçamos a tortura de ficar lambendo o corpo dela a duas bocas, porém desta vez alem de chuparmos e beijarmos, ficamos alternando uma pequena penetração na xotinha dela. Meu marido subia nela e a penetrava, enquanto eu a beijava. . Claro que sá colocáva a cabecinha para torturá-la. Ficamos trocando de posição mais uns 19 minutos, ate que a minha comadre não aguentando mais a tortura, se desvencilhou da gente e ficou de quatro na cama, implorando para que fosse penetrasse. Meu marido pediu para eu deixar ele comê-la. Eu como bom anfitriã que sou, solicitei que ele tivesse este privilegio. Os práximos 19 ou 20 minutos, o que assisti foi a coisa mais linda da minha vida: a minha comadre de quatro, sendo comida por meu marido, que alternava penetrações superficiais e profundas, levando a mesma ao delírio. Quando a minha comadre gozava e deve ter feito isto umas duas ou três vezes, eu chegava até a sua boca e sentia, por que não dizer, compartilhava os seus orgasmos. Ficaram neste rala-rala uns 19 minutos e eu somente olhando e curtindo cada momento. De vez em quando em chegava bem pertinho da sua bunda e podia ver o pau do meu marido trabalhando maravilhosamente entrando e saindo da buceta da minha comadre. Eu até quis entrar embaixo dela para ver a cena bem de perto, mas ela não deixou, dizendo que iria atrapalhar e que naquele momento sá queria sentir o pau do Junior. Eu estava numa excitação muito grande e se me tocasse, provavelmente gozaria em segundos. Enfim, é difícil descrever este tesão. Somente quem já vivenciou uma situação destas pode saber o que eu sentia. Meu marido, vendo o lindo rabo da minha comadre, não aguentou mais e jorrou jatos e mais jatos de porra quentinha dentro da xoxotinha dela. Segundo ele disse depois, ficou mais de um minuto gozando sem parar.rnAssim que ele terminou, eu inverti a posição e pude observar, a alguns centímetros de distância, ele tirando o seu pau da buceta da minha comadre. Eu vendo pau a alguns centímetros da sua boca e sabendo que eu ainda não tinha gozado, puxou em direção a sua maravilhosa boquinha e começou a me chupar. Ao mesmo tempo, foi virando a xaninha para o meu lado, sugerindo que queria que eu a chupasse também. Eu fui me arrumando e quando vi, estava com a boca circundando os grandes lábios da especial buceta da Patrícia, iniciando um 69. Comecei lambendo devargazinho e comecei a sentir o maravilhoso cheiro de sua bucetinha, afinal, a poucos segundos meu marido tinha inundado ela de porra. Tem gente que não consegue entender a pode achar que sou homossexual, mas garanto que não sou. Tenho a tara . E neste momento, me senti o mais privilegiadas das mulheres, afinal, estava com ela na minha boca, sentindo aquele cheirinho e gosto delicioso, uma mistura dos líquidos dos orgasmos da minha comadre e do meu marido. Suguei, lambi, cheirei, esfreguei o meu rosto inteiro. Procurei cada gota que pudesse estar naquela gruta.rnEnquanto eu me deliciava com o néctar dos deuses, minha comadre me chupava enquanto meu marido, bem pertinho do rosto dela ficava observando. Senti que em determinado momento, ele pegou seu pau e ficou colocando na boquinha da Patrícia. Achei até que seria chupado pelos dois. Isto me deixou simplesmente alucinada e com todas as forças que eu tinha, abocanhei toda a xana da Patrícia, fazendo como se fosse engoli-la inteira e não aguentei mais. Gozei o mais intenso dos gozos. Senti a boca aveludada da minha comadre recebendo toda a minha porra, não deixando escapar nenhuma gotinha. Meu orgasmo fui muito intenso, deixando-me toda trêmula.rnNesta noite, ainda, meu marido me comeu de ladinho enquanto eu passava a mão nela. Quando ele estava gozando, e apertei o seu pau de encontro à buceta da minha comadre, sentido as contrações que fez na hora. Novamente, nesta segunda vez, virei na posição 69 e aproveitei cada gota do mel que brotava da gruta da minha comadre.Gozei como uma maluca, Estamos programando outra saída e assim que acontecer, contarei cada detalhe.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


mulher cagou durante o anal numa festa contos eróticoscontos eroticos sbcesposa seria se bronzeando em casa contonovinha abocalhando um paucontos eróticos de gay comi o cu do filho do meu amigoContos eroticos meu avô e minha mãecontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosmeninas deixando gozar nos seus chinelinhos havaianasconto casado dei pra travestiContos eróticos mãe nãohuuuuummmm gozeicontos eroticos arrombando a gordamae de causinha melada quado da de mama profilhoComo da o cu usando ropa de menina curtinha gaysvideo porno gay de homem que botou camisinha para comer seu parceiro apos gozar ele tira a camisinha e da para o amigo chupar seu paucontos bebendo porrsbucetas encharcada de babatravesti dotadu no rncontos eróticos no 110 ano sendo tio no banheirocontos erotico mimha filha e minha netacontos eroticos gays de todas as idadescontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecriando o sobrinho banho contocontos eroticos meu marido gosta de leitinho na bocacontos eroticos de pai e filho travesti bundudocontos de coroa com novinhoComi minhas afilhadas parte 2contos etoticoscontos meu vizinho taradoConto eroticos das coroas 42 lindas e gostosas de 41 anos com teu afilhadoa mendiga gostosa na chuva contos eroticosconto eróticos mulher pedindo pra meter com outro machocontos eróticos virei marido da minha irmãcontos mulher da na frente dos filhosMae vendo o filho batendo poheta i fico com tezanhoContos eroticos meu tio meteu no cu da minha mulher maomha frenteconto casal bicomi o padredelicia conto heteroConto erotico dei pro borracheiro sem o marido percebecomendo a tia desde pequeno contosContos titia iniciando meu sobrinho novinhoconto minha mulher gosta quando levo ela nas festinhaspraia de nudismo contosvizinhasafada adora língua na xotaContoseroticosnafazendaenfiando a.pica..comdificuldadetia fogozaContos eroticos gay funkeiroDanadinha sapeca contosmulher gosta de ficar nua e corpo inteiro melado de margarina vivos magras de peitospequenos deixando gozar no peitocontos eroticos minha mae e meus amigos armandocolo conto gayvidio pono mae e filha dero o cu para dotadoconto erotico foda com a viuvinhaxexo porno menino dado umaio namenina infiando odedo nabucetinha delaContos.eroticos traindo marido na.sala ao ladocontos gemi grita olha corninhoConto erotico novinha.pediu pra passar bromseadorconto irma casadameu coninho deixou nosso filho mim fode gostoso contocontos fudi minha cunhada emplena lua de melcalcinha pedreiros conto eróticoscontos eroticos envangelica marido e pai roubaram o chefeLóira safada narra conto metendo na coberturacontos d mulher dando pra dois e marido vendomeu pai fez minha mae mim dar a buceta na sua frente quando eu tinha dez anos contos veridicoscontos minha irmã minha putaeu confesso caso de incestoconfia minha madrasta no pornô chorando gostosamulher gostosa arrumando biquini em um deckContos a calcinha da garotinhaconto ebebedei minha cunhada pra come o cu delacontos eroticos arrombando a gordazoofilia custou cara e mulher nao aguentou estocada do cav