Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FILHAS SAFADINHAS II

Filhas Safadinhas IIrnComo meu escritário fica também em casa e Joana minha mulher trabalha no Departamento Administrativo de um grande banco, ela costuma acordar bem antes de mim para se aprontar para o trabalho e muitas vezes me deixa ainda dormindo, porém sempre vem se despedir com um beijinho na boca antes de sair. O Felipe sai com ela, pois ela o deixa na escola que fica no caminho para o Banco. A Carol continua dormindo, pois estuda à tarde e eu costumo geralmente acordá-la um pouco antes do meio dia para se aprontar para a escola e almoçar. Esse era a rotina diária de uma família feliz, ou quase feliz até ali, pois eu descobri que fomos muito mais felizes depois daquele episádio que aconteceu na casa do Joel, o fotágrafo de pinto grande e grosso, juntamente com a Priscila, sua filhinha deliciosa.rnDepois de alguns dias desse acontecimento que me deixa muito excitado toda vez que me lembro, eu estava ainda deitado em minha cama logo depois de Joana sair, completamente pelado como costumamos dormir, apenas se cobrimos com um lençol nos dias mais frios. E aquele dia estava bem quente, e eu ainda meio sonolento senti alguém me beijando na boca, pensei que a Joana houvesse voltado por ter esquecido algo, então como naquela noite não havia tido relações sexuais com ela, eu estava louco para transar, e aproveitei para um beijo mais ardente naquela boquinha que estava ali me oferecendo a linguinha para ser sorvida pela minha boca. Sá que nessa ânsia de beijar e tesão que sentia, eu passei a mão em volta da cabecinha dela para puxá-la mais pra mim e senti que os cabelos estavam mais volumosos e diferentes do que a Joana costuma arrumar pois os cabelos dela são muito lisos e percebi que não era a Joana, mas sim a Carol, minha filha, que correspondia plenamente aos meus afagos, deitando-se ao meu lado, também peladinha e oferecia-se todinha com os mesmos jeitinhos da mãe quando está com um fogo enorme e quer pinto urgente. Nessa hora involuntariamente eu quis resistir um pouco, mas foi nesse instante que a Carol pegou com sua mãozinha a minha cabeça e puxou-a para si mordendo levemente meus lábios e procurando com sua linguinha a minha língua de modo que as duas se entrelaçaram numa deliciosa sucção mútua e logo apás, ela com aquele jeitinho sapeca sussurrou práximo ao meu ouvido:rn- Paizinho gostosinho da Carol, essa noite eu sonhei com aquele dia lá no estúdio de seu amigo, eu gostei muito porque no sonho era você que enfiava todo o seu pinto no meu cuzinho até eu sentir novamente aquelas sensações deliciosas que me arrepiava todinha da cabeça aos pés, enquanto ele colocava o pinto dele na perereca da Priscila, filha dele, e ela gemia muito dizendo pro pai dela colocar o pinto mais rápido, mais rápido, foi quando acordei com os gritos e berros dela e quando acordei a minha xoxotinha tava toda molhadinha, parece até que eu tinha feito xixi na cama, mas aí eu vi que não era xixi, mas sim aquela aguinha que saía de minha xoxota quando eu estava querendo muito que o Joel e você colocassem o pinto em mim. rnNessa hora sá de ouvir aquelas palavras meu cacete já tava enrijecendo, que tesão enorme de ouvir isso de uma pequena boquinha linda e com uma voz sedutora daquelas.rnE ela continuou falando:rn- O que eu quero agora é que você não me diga não e faça comigo tudo aquilo que eu quiser e eu faça com você tudo o que eu tiver vontade. Pode ser assim, meu paizinho lindo? Falou isso com a maior cara de safadinha e com um olharzinho tão cativante que era impossível negar tal pedido.rnApenas consenti com a cabeça, já antevendo que iria rolar muito prazer e sacanagem, pois a Carol tava mesmo determinada a gozar de qualquer jeito e a determinação dela era ter aquele pinto novamente na sua perereca e no seu cuzinho e para isso ela foi bastante convincente no seu pedido.rnEm seguida ela deu mais uma mordidinha na minha língua e agora com a vozinha mais sedutora que me deixou mais excitado, disse:rn- ?Papai, pepala essa linguinha que quelo sentii ela todinha dentlo da minha peleleca, que poi falá nela, palexe que tá pegandu fogo di tão quentinha, papito?! E acho que ela também tá com muita saudade do seu pinto, falou e ao mesmo tempo esfregou sua mãozinha na xoxota e depois deu uma pegada no meu pau enquanto apontava com o dedinho da outra mão para ele e em seguida o colocou na entrada da sua grutinha esfregando-o várias vezes do clitárizinho até a entrada da pequena vagina dando ao mesmo tempo uns gemidinhos de excitação, o que me fez aumentar ainda mais o desejo em possuí-la de todas as formas. Ela continuou com aquela linguagem dizendo:rn- ?Veza voxê mesmo, papai, veza que ela tá loquinha pla senti o teu gostinho e quelo sintii essa delíxia de pinto dentlo da minha boquinha, ááá! Mostrando com o dedinho a xoxotinha e apontando para a boquinha foi se virando de modo que se acavalou em cima de meu peito com aquela bundinha gostosa virada pra mim enquanto com a sua boquinha tentava alcançar meu pinto que nesse instante também estava muito quente e duro e já soltando as primeiras gotinhas que iriam mais tarde lubrificar aquele cuzinho lindo e gostoso que o Joel havia descabaçado dias atrás enquanto eu comia aquela xoxotinha deliciosa que antes tinha sido desvirginada pelo pinto enorme e grosso do Joel. E se ajeitava de modo que sua xoxotinha alcançasse minha boca, e ao mesmo tempo ela também alcançasse com sua boquinha o meu pinto quente.rnVocês não imaginam o quanto é gostosa essa sensação de ter ali a filhinha sedenta por sexo, completamente à disposição e com um fogo enorme na xoxotinha, a ser amenizado mais tarde pelo meu pinto que seria acolhido naqueles buraquinhos quentinhos oferecidos por ela, que naquele momento, com sua linguinha quente dava voltas e voltas entrelaçando-se em volta do meu pau, que pulava freneticamente dentro daquela boquinha que mal o continha, deixando- me tão excitado e tão descontrolado que já era quase impossível conter os espasmos que estavam vindo. rnEu me lembrava de quanto sofri para por o meu pinto naquela grutinha pequena enquanto ela gemia de prazer dizendo que estava doendo mas aguentava porque queria sentir meu pinto todo dentro da sua perereca enquanto o Joel colocava o enorme pinto dele no seu cuzinho. Ela esperneava muito agarradinha com os braços em mim, um em volta do meu pescoço e outro nas minhas costas me puxando para ela, e com o meu pau todo dentro dela rebolava a bundinha com o pinto do Joel enterrado no seu cuzinho e gritando: - Ta doendo muito papai, ta doendo muito, mas, por favor, continuem mexendo em mim, mete forte papai, enfia rápido em mim, Joelzinho! Não pare de meter seu piiinnnto, não aguento mais, mas eu quero mais, eu mereeeeço!!! Ahhhh, to sentindo uns arrepios que vão da minha nuca para todo o meu corpo, minha perereca queima, não tá sentindo ela quente no seu pinto, papai? E meu cuzinho tá ardendo com esse pintão todo em mim! E dizia mais: - Me façam mulher, me faça ser mulher paizinho, me faça ser mulher Joel com esses pintos mexendo dentro de mim!!! Me arrebentem!!! rnNossa, eu não imaginava ouvir aquilo da Carol, um corpinho pequenino, sem curvas, mas com um fogo enorme, dentro daquela xoxotinha rosada e do bumbum gostosinho.rnIsso me excitava muito mais e meu pau estava em ponto de bala. Eu estava me contendo pra não ejacular logo naquela boquinha sedenta enquanto chupava com avidez o sumo que saia da xoxotinha dela em minha boca e ela se mexia muito em cima de mim procurando sentir o maior prazer possível de modo que eu tinha que segurar bem forte as suas coxas com minhas mãos para que ela continuasse ao alcance de minha boca e língua. Ela lambia o meu pau do saco até a glande e fazia isso repetidamente e algumas vezes o colocava na boca e ia o engolindo todo até o saco e fazia isso num movimento de vai e vem tão intenso que eu sentia seus pequenos lábios apertarem meu cacete dentro daquela boquinha e que o mesmo parecia querer rasgá-los. E quando ela podia falar dizia:rn- Paizinho, teu pinto é uma delícia, ele é quentinho, tem um gostinho que não sei se é salgado ou doce. E já to sentindo aqueles arrepios de novo na minha perereca com a sua língua mexendo muito dentro dela. Por favor, continua tá!! Ahhh!!! Eu mereço, eu mereço, que coisa gostoooosa! Meu corpo todo tá pegando fogo! Eu tenho muita sorte de poder sentir isso!rnEla tinha um apetite voraz que às vezes eu sentia que ela queria me engolir inteiro começando pelo pinto pois o mesmo encostava na sua garganta e voltava até a pontinha da língua quando ela aproveitava para dar umas mordidinhas na glande que me deixavam maluco de tesão. Que sensação maravilhosa aquela. Eu percebia que também ela já não aguentava porque remexia mais rápido com a sua linguinha o meu pau e pelos gemidinhos de prazer que dava, aí eu dei umas mordidinhas de leve no seu clitáris vibrando a língua sobre ele, foi quando ela começou a tremer e eu senti os primeiros espasmos da sua pequena vagina em minha boca, ela tava tendo os primeiros orgasmos e a reação do meu pinto foi imediata, não aguentei mais e comecei a ejacular tanto naquela boquinha deliciosa e ela apertou mais os lábios não permitindo que meu pinto escapasse mais de sua boquinha.rn- Que tesão você me dá filhinha! Oh!! Carolzinha querida, que delícia de boquinha você tem, filhinha maravilhosa!!! rnMeu pinto não parava de pulsar naquela maravilhosa boquinha quente. Quando a porra já estava escorrendo para fora de sua boquinha e ela continuava com os espasmos da vagina provenientes dos múltiplos orgasmos que estava tendo que não paravam nunca, ela dizia com muita excitação ainda e se mexendo muito sobre mim:rn-Papai, que delícia esse seu pinto, que delícia, por favor, continua mexendo sua língua em mim, não para, não para, por favor, que eu continuo sentir essa sensação gostosa que vai da minha nuca até minha xoxotinha e começa de novo. Ah papai!!!!! Delíííííciaaaaa!!! Mexe muito, continua mexendo a língua, Vaaaai!!! Me chupa, papai, continua me chupando forte!!! Morde ela, papai, morde minha perereca! Quero sentir isso mais e mais!!! Eu disse:rn- Filhinha, você tá gozando, isso que você tá sentindo é o maior prazer que uma mulher pode ter com um homem. Goza minha Carolzinha, goza muito na boquinha do papai. Enquanto ela continuava a verter o seu líquido que saía das paredes daquela grutinha rosada e escorria em minha boca, ela gritava sem parar pedindo pra eu continuar.rn- Tô gozando, papai, tô gozando na sua boquinha, que coisa gostosa é isso! Quero mais, papai, por favor, continua, coloca esse pinto em mim logo, eu não aguento mais, eu preciso sentir mais. Ahhhhhh!rn- Você vai colocar, né, papai? Quero sentir esse pinto durinho dentro de minha perereca de novo. Lembra que você prometeu, hem! Você tem que colocar ele também atrás, tá! No meu cuzinho! Quando eu senti o pinto do seu amigo Joel atrás de mim e seu pinto na frente, foi muuuuuito bom, eu senti aqueles arrepios bem fortes no corpo inteiro. Mas hoje eu gostei muito, sá que precisamos continuar nossa brincadeira outras vezes. Muitas vezes. Agora eu sou sua, de corpo inteiro. Minha perereca é sua, meu cuzinho é seu, minha boquinha é sua, mas seu pinto é meu. Eu ainda to com muita vontade de pinto! Essa coisa gostosa que você tem no meio de suas pernas e que me faz sentir esses arrepios são a melhor coisa do mundo. Já to com ciúmes da mamãe. Dizia isso com uma naturalidade que me espantava e com aquela carinha de safadinha e de menina sapeca.rnCaramba, eu não sabia que havia gerado uma filha que gostasse tanto de gozar como a Carol e que fosse gostar tanto de pinto, além disso, aprendesse rapidinho a me deixar com muito tesão. Eu imaginava ela ainda um bebezinho que usava fraldas e que há pouco tempo atrás sá sabia chupar os seios da Joana e agora, vejam sá, gosta mesmo de chupar, mas agora trocou os seios e as fraldas por um pinto grande que também a deixa muito saciada e feliz. O mesmo pinto que um dia fez ela, de onde ela saiu pra dentro da xoxota de sua mãe, ela adora e fez dele seu brinquedinho preferido. Feliz de quem for comê-la como o Joel e eu fizemos. Nás gozamos muito. Na primeira vez, nás quatro, eu, a Carol, o Joel e sua filhinha Priscila. Agora eu e ela. Minha menininha é uma delícia! E tem a xoxotinha mais bonita do mundo, é rosadinha, pequenina e adora engolir pintos. Mas é melhor estar preparado, pois a menina é muito sapeca e fogosinha.rnVocês podem imaginar o que continuou acontecendo depois. Tive que me recuperar em alguns minutos pois ela havia secado todo o meu líquido com sua boquinha sedenta e sinceramente, aquilo que acabara de acontecer me deixou exausto, e olha que com a Joana, minha mulher, eu dou várias metidas em horas e continuo com o pinto enrijecido, mas a Carolzinha conseguiu me sugar as energias de tal forma que precisei recuperar-me alguns minutos para o práximo ato.rnEnquanto eu escrevia esse relato meu pinto estava babando, já estava até soltando as gotinhas que tanto deliciam minha filhinha. De tanto tesão que fico sá de pensar nisso não consegui continuar escrevendo e resolvi me aliviar com uma boa punheta.rnFui ao banheiro e vi duas pequenas calcinhas jogadas no chão recentemente, uma branca com desenhos de coraçõezinhos vermelhos e outra rosinha com uma fitinha borboleta na frente e por instinto peguei-as para vê-las melhor e vi que estavam molhadinhas e com uma cor amareladinha transparente na altura das xoxotinhas, minha excitação aumentou, levei-as ao nariz e quando cheirei uma delas pude sentir aquele cheiro delicioso da perereca da Carol, era como ela gostava de chamar a sua vagina e a outra tinha o mesmo cheirinho mas misturado com um pouquinho de xixi, o que fez meu pinto pulsar novamente pois me lembrei que nessa tarde a Carol não foi para a escola e chamou a prima dela, minha sobrinha Jennifer, da mesma idade dela, para brincarem na piscina. Fui vê-las, porque não sou de ferro e também imagino que se eu não for vê-las agora, elas virão atrás de mim daqui a pouco. Deliciosamente estou conhecendo bem aquela que gerei, e acho que hoje a Carol já induziu a Jennifer para participar das mesmas brincadeiras gostosinhas que ela aprendeu, visto pelas calcinhas molhadas.rnCaros leitores me deem licença que agora preciso ejacular gozando muito nuns buraquinhos de duas meninas safadinhas, pois meu pinto já tá em ponto de bala novamente.rnAhhh!! Que tesão!!!rnrnQuem ler e curtir a fantasia, escreva-nos:[email protected] rnrn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Lóira safada narra conto metendo na coberturacontos eróticos meu primeiro apartamento Contos gay fazendo a barbacontos masturbesposa grupal com 18 aninhos contoscasa dos contos eroticos sou evangelica e trepo com meus cachorrosContos eroticos de incesto familia incetuosa em um gang bang no sitioviajei e transei no onibus marido corno assumidoFotos de mulheres com opriquito melado e de fio dentalCris devassa. contos eroticostravesti pito duro gozanomeu cao taradocache:AQRime9uCcEJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria_9_5_zoofilia.html muher contando istoria erotica na camaconto erotico incesto sonifero filhaxvidio gay coroa 82conto pai ai meu cucontos eroticos separou pra levar picacontos heroticos de rapazes que foram comidos e descobriram que eram gaysporn conto com a gerentecontos de uma novinha q aprendeu a dar a bundinhamulheres lindas de cornos na minha casaaec porno videos bhcontos de sexo com velhos gaycache:A_ULZ8FKkSgJ:okinawa-ufa.ru/home.php amiguinha da minha filha me chupouConto eroticos corno liberal safadovídeos de lésbicas com grandes mentes se massageandoContos de travestis pauzudoscontos heroticos peitõesencesto mae envagelicacontos eroticos de bala hallscu delicioaocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto gay sai da urgia acabadafui dominado pela esposa contosengravidei no mato contoconto erotico chefe do meu marido me bolino por de baixo da mezaconto gay fui abusado no alfanato pelo os fucionarioconto erótico com foto titio me rasgoucontos eroticos arrombando a gordacontoseroticosnobanheirotravesti de vestido e botinha querendo pica na bundinhamenor violou a mae gorda fodeu conto eroticoconto erotico minha prima que considero irmãcontos eroticos arrombando a gordacontos... me atrasei para casar pois estava sendo arregaçada por carios negoesa primeira vez que transei com dois homenscontos eroticos com a velha vizinha cabeludaconto erótico "Olá a todos, me chamo guilherme e hoje tenho 20 anos, a histária que vou "meu maridinho notou que fiquei tesuda roludoConto erótico gay de um pai com filho da vizinhatreinando para ser puta contos eroticosContos eroticos dois heteros vodkacontos esposa carona para travesticontos eroticos mae e filhocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComo da o cu usando ropa de menina curtinha gayszoofilia gay extraordinárias bizarrosvidio porno enchada qualculadacontos eroticos eu e meu padrastocontos eroticos vizinhas camaradasconto gay coroa buchudoContos eroticos minha amiga me contouEu agora eu sou mulher do meu ex primo viuvo conto eroticocaravda pica imenca rasgando bucetaassisti vídeo porno de mulher de chortinho curto depano fino ela dentro de casaContos eróticos com mulher amamentando bebê e homem ficou excitado.conto virgem estrupdacontos.de.velha.crente.taradacontos porno casada abusada no assalto no acampamentocontos eroticos punheta no.onibus