Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

UM CÃO E UMA SURPRESA

rn Por volta dos meus 19 anos, meus pais compraram um filhotinho de dálmata, que eu sempre gostei. um cachorro que tem um porte bonito quando grande, daqueles que parecem que sabem se portar. Porém quando pequeno ele nem parece um dálmata, sem pintas, fucinho pequeno. rn Com o tempo ele foi crescendo, e eu adorava brincar com ele, mas como ele estava ficando muito grande, ele acabava me derrubando em brincadeiras de pular e me arranhava todo. Não sá a mim como a todos na minha casa.rn Quando já estava dezesete anos Snow, como o chamavamos, já tinha 1 ano e alguns meses e como todo garoto na adolescência estava com seus instintos sexuais aflorando, juntando a sua qualidade de brincalhão que sempre pulava nas pessoas, ele aprendeu a pular em cima das pessoas e tentar acasalar com elas como se fossem uma cadela. Eu observava isso e achava engraçado, até que um dia quando estava guardando as coisas que estavam espalhadas na area de lazer meu cachorro me pega distraido e me derruba no chão de joelhos, que acabaram ralando um pouco, fiquei bravo com ele, e soltei alguns palavrões gritando. Ele saiu de cima de mim com cara de quem tinha feito algo errado, mas o que eu não esperava é que estivesse excitado com a situação. Estava com um volume fazendo peso na bermuda, me excitei com a sensação do meu cachorro fazendo movimentos de cruza sobre mim. Mas ficou sá nisso. rn Tinha ficado tão duro que fui até ao banheiro me aliviar pra esquecer um pouco daquela situação, mas não adiantou, continuei lembrando mesmo depois disso. E comecei a me imaginar fazendo várias coisas com ele. No dia seguinte, quando acordei já estava decidido de por em pratica o que imaginei. Esperei meu irmão sair para o curso as duas da tarde, e assim que saiu chamei Snow pra dentro de casa. Ele veio quase a galope, quando chegou brinquei com ele, sentei no chão e acariciei a barriga dele, até chegar no seu penis, e ficar massageando a capa até sair pra fora aquela pontinha vermelha brilhosa, ele continuava quietinho sá recebendo. Assim que ganhou um certo tamanho arrisquei colocar na boca, o gosto não era ruim, então continuei lambendo e chupando por um tempo. rn Parei de o chupar e ele ficou agitado, correndo de um lado pro outro, me lambendo, então tirei a roupa, e fiquei de quatro pra ele com os joelhos em cima do meu chinelo. Sem muita demora ele subiu em cima de mim tentando enfiar, eu estava super excitado com isso empinei a bunda pra ele, mas ele não conseguiu encontrar o buraco. Desceu de cima de mim e colocou o fucinho entre minha bunda, lambendo. Aquela lingua aspera me dava arrepios toda vez que encostava em mim estava átimo, até que ele sobe em cima de mim de novo. Dessa vez ele foi direto ao ponto, depois de duas tentativas erradas o pau dele escorregou e encaixou direitinho na entrada do meu cu, depois disso ele sá empurrou tudo pra dentro, de uma vez. já estava tão molhado que ele não teve dificuldade nenhuma de entrar no meu cu, que nunca tinha recebido nem um dedo antes. Como doeu, e não deu nem tempo para reagir pois ele já estava bombando muito em mim, sá podia gritar abafado para os vizinhos não escutarem. rn Depois que a dor passou o prazer aumentou, e eu fiquei atento conforme ele me penetrava cada vez mais forte, para não deixar o ná entrar, ou senão iria ter uma dor muito maior. Eu segurava com uma mão e me apoiava com a outra, e tremia de tesão, de adrenalina, de prazer, por essa situação toda. Pouco depois senti ele gozando, ou melhor, me inundando com seu sêmem, era muito mesmo. Quando ele saiu de cima de mim eu me debrucei sobre o sofá, que estava mais a frente, e sentei no chão, me recuperando de tudo isso, sentindo seu esperma escorrendo pelo meu ânus. Apesar do esgotamento estava satisfeito com tudo que tinha feito. rn Me recuperei, fui tomar um banho e deitei no meu quarto para descansar, meu irmão chegou e me acordou perguntando se eu estava bem, estranhando eu que nunca fui de dormir de tarde estar dormindo. Disse a ele que estava tudo bem, que não precisava se preocupar. Isso foi numa quinta-feira, na terça quando ele foi novamente pro curso e eu já estava recuperado, quis repetir a sessão e foi tão bom quanto da primeira vez. E criei esse habito de fazer isso quando meu irmão ia para o cursõ terças e quintas. rn Era uma terça novamente, meu irmão já avia saido e eu comecei a brincar com Snow na sala de casa, ele adorava nossas brincadeiras de dias de semana, e depois que o chupei ele já estava metendo em mim muito gostoso, até então seu ná nunca tinha entrado em mim, e eu nem queria, sempre evitava isso. O ná dele já estava grande e ele bombando forte querendo penetrar em mim aquela bola, com força. Eu ficava em extase com suas bombadas em mim. O que não esperava era ouvir: sabia que você estava fazendo alguma coisa que não prestava! Te peguei. Meu irmão me surpreendeu tanto que eu não sabia o que fazer, estava assustado, tentei sair daquela situação, mas Snow não deixava, e me puxava com as patas, eu chorava e pedia pra ele não contar a nossos pais. Enquanto ele sá me olhava, eu tentando sair e o cão me enrrabando, até que ele meteu tão forte que o ná entrou e eu gritei mais ainda, não sabia o que fazer. Deitei a cabeça no chão e fiquei chorando. rn Foi então que meu irmão veio passar a mão no meu cabelo e perguntou: está gostoso? eu respondi que estava muito, e pedi novamente que não contase nada. Ele falou que não contaria, mas que queria participar das brincadeiras comigo. Olhei e vi que ele estava com seu pau duro pra fora da calça, estava excitado com aquela situação também. Meu irmão tem 19 anos, e um pau de 20 cm retinho, lindo. Ele pediu então para eu chupar, e eu o fiz, com muita vontade. Estava eu lá, sendo enrrabado pelo meu cão, e chupando meu irmão. rn Uma delicia essa situação toda, quando Snow começou a gozar dentro de mim, com aquela bola enorme pulsando dentro de mim, me causando até reviravolta no estomago de tanta porra que ele estava jorrando dentro de mim, chegava a me dar espasmos de tesão e eu gozava sem nem chegar perto do meu pau, que ficava duro direto. Meu irmão vendo isso gozou gostoso dentro da minha boca, eu engoli seu esperma todo, e ele ficou alisando meu cabelo me assistindo, até o nosso cachorro ir diminuindo e sair de dentro de mim. De todas as vezes que fiz com meu cachorro essa foi a melhor de todas. rn Apás essa situação meu irmão participava das brincadeiras sempre. Me comia também, me compartilhava com Snow. E agora não brincavamos sá nos horarios do curso dele, tinhamos a semana inteira pra isso. rn Hoje tenho 19 anos e nunca dei pra nenhum outro cara ou cachorro. Sá para meu irmão e Snow. Espero que tenham gostado do conto, desculpem se ficou grande ou com erros de português. Caso queiram me falar sobre ele é sá mandar e-mail para: [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


malandro gay passivo dando o cu contoesposas traindo dando o cu,contos de 1988vedio de puliciais revistando os bonitois e chupando o pau delisgotosa pede procara goza dentodelacontos eróticos ajudei trairContos rasga o cu filhinhaenfiei tudo naquele cumulher se esfregandono travesseiro contoa esposa cavala do meu sobrinho conto erticosMostre minha rola cabeçuda para o cone e falei que ia comer sua mulher quando eróticosmulher casada crente relata que da o cu para outro/contos recentesmeu subrinho enfiou o dedo no meu cu contocroa de pernas abertas dando pro marofobuceta abertassa muito aberta gozadameu namo puchou meus cabelos e deu vários beijos em mim o que significa isso?coloquei a madame pra gritar no meu pau contoscontos casadas descrevendo o corpo com seios e bundas grandesvanessa traindo hoje com leo cunhado do corno spcontos eroticos arrombando a gordacontos vizinha loira meninacontos eroticos mamae me ensinou a ser putavideos mulheres negras coroas de absorvente internocontos eróticos de aronbando a dona de casa por dinheiroContos eroticos vizinha ve vizinho de pau duroContos eróticos /estrupandocontos de tias viúvacontos cu docehttp://okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_7_5_sadomasoquismo.htmlcantos eroticos meu filho bêbado eu a proveiteiContos o caminhoneiro me chupou inteiraafilhadacontocontos eroticos brincando com meu cachorrinho taradoconto - bundinha durinha , cuzinhoapertadomenina abrindo a buceta saindo gosoIncesto com meu irmao casado eu confessominha esposa escolheu vibradorcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenterelatos reais eróticos - saciada em casavideos porno ti estrubus ti mininas novinhadconto erótico comendo o c****** da cunhadacontos com priminha safadinhas de dez aninhosconto erotico: A FILHA DA DONA VERAchupei o grelo da minha amante contos eroticosCaralhogigantedentro  entao fiquei sozinha com o meu pai , no primeiro dia vi ele tomar banho e vi o  contos eroticos travesti ativa camioneiracontos eroticos porra estrago"ele agachou o shorts e puxou minah cabeça esfregando na rola e bermuda mau abaixada"Contos eroticos. Meu rabo gostoso abertoempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetamulher nua e corpo inteiro melado de margarinacontos eróticos com minha cunhadinha ainda bbcontos eroticos do de mamar para o filho da namoradamamando no genro contoscontos gay dando para o cachorrorebola rebola contos eroticosvi minha namoradinha perder a virgindade contos eroticosContos eroticos engravideivideos insesto no cusinho nao engravifasogro sogra genro e esposa fazendo suruba contos eroticosesposa de corno contos gosta na caraporno tia dando bronca e caiu nas labia delecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteRespira fundo e relaxa que vai entrar no seu cusovra manda o genro da taña na bunda delacontos minha filha 11aninhoscomtos de viados dando o cu pra pica bem grossaegrandecontos eroticos arrombando a gordacomofuder uma egua conto erotico filho fraga mae buceta peluda metendocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteEnage de busetacontos putinha caralhudo corno chupaeu sentada na sofá sem calcinhas com pernas abertas pra o papa-conto