Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ESPOSA PUTA, MARIDO CORNO

Esposa puta, marido cornornrnMinha esposa adora foder. Trepamos de todos os jeitos, ela me dá a buceta, de vez em quando o cu, mama minha vara até o gozo e bebe tudinho, enfim, somos felizes na cama. Ela é uma branquinha tesuda, cabelos pretos, olhos também, pernas bonitas, coxas grossas, pouca bunda, peitinhos pequenos, boquinha de puta. Dama na sociedade e puta na cama.rnQueria vê-la tomar outra caceta e disse a ela. No começo relutou, mas fui aos poucos fazendo sua cabeça. Quando estávamos fudendo eu falava sacanagens sobre outro macho bem no seu ouvido:rn-- Já pensou, hein, outra pica dura agora pra você mamar enquanto toma na buceta?rnEla delirava, se excitava claramente, aumentava os movimentos e gemia mais forte. Um dia, antes de sairmos pro trabalho ela estava mamando minha vara, eu sentado ela ajoelhada entre minhas pernas e eu mandei:rn-- Queria você agora de quatro, mamando minha vara e um macho comendo sua buceta por trás... Ela respondeu na hora, tirando o pau da boca.rn-- Então arranja um macho pra mim, não é isso que você quer?rnVoltou a mamar com gosto até que enchi sua boca de porra. Ela bebeu tudo como sempre, pois adora o gosto.rn-- Pode deixar que vou arranjar um macho pra comer sua buceta minha putinha safada...rnFomos trabalhar e decidi procurar um garoto de programa para nás. Para começar era melhor um serviço profissional, depois veríamos o que fazer. Fiz contato com um rapaz pelo telefone e marquei para a tarde seguinte uma ida ao apartamento dele com minha esposa.rnChegada a hora fomos de táxi até uma rua em Copacabana e entramos no prédio que era correto e discreto.rn-- Boa tarde, vão entrando e ficando à vontade...rnEra um rapaz louro alto e forte que nos recebeu apenas com uma bermuda de surf e o peito musculoso de fora. Ele falou:rn-- Podem sentar, vou tomar uma ducha e volto logo.rnSaiu da peça, uma sala prápria para o sexo. Ma cama bem grande, frigobar, televisão passando um filme de sacanagem, uma mesa e duas poltronas.rnMinha esposa ficou em pé no meio da sala um pouco sem jeito. Aproximei-me abracei ela forte já passando a mão nos seus peitinhos que era a melhor maneira de excitá-la. Ela gemia no meu ouvido e se esfregava em mim.rn-- Gostei de ver, os dois já se preparando.rnOlhei e Beto já estava nu diante de nás, com o pau duro apontando para cima. Minha esposa me agarrou mais forte e eu disse pra ela:rn-- Olhe aí a vara dura que você queria, vai lá, pega nela...rnEla avançou para o rapaz e pegou na ferramenta dura. Beto começou a acariciar minha mulher e isso, como eu previa, me encheu de tesão. Fui logo tirando a roupa e fiquei nu em instantes. Aproximei-me dos dois e minha esposa, ainda totalmente vestida, ficou com dois machos nus e de geba dura à sua disposição. Quem nunca deu sua esposa para outro macho não sabe como é bom ver sua querida pegar numa vara dura que não é a sua. Ela pegou uma vara em cada mão e sem parar de olhar as duas, tocava uma punheta bem de leve para nás. Assim uma mulher se transforma em fêmea, com duas picas nas mãos à sua disposição.rnSem tirara as roupas, minha esposa se ajoelhou diante de nás e ficou brincando com as gebas. Punheteava, alisava, encostava as duas no rosto, até que começou a lamber Beto. Colocou a pica na boca e mamou sem parar de pegar na minha que vendo isso estalou de tão dura.rnMinha esposa mamando num macho jovem e bonito e pegando na minha pica. Coisa de louco. Ela tirou a pica de Beto da boca e mamou a minha durante um bom tempo. Parou de mamar e começou a esfregar nossas varas uma contra a outra, o que foi gostoso demais. Sentia a pica de Beto pulsar contra a minha e ela foi alternando, mamando cada uma, esfregando as duas contra o rosto, uma na outra, botou as duas na boca ao mesmo tempo, tocando punheta devagar.rnMinha linda esposinha virando puta, eu virando corno. Ela ajoelhada e toda vestida como esposa e mulher direita, manuseando duas ferramentas duras que estavam se aproximando do gozo. De repente gozei no seu rosto e Beto me seguiu, molhando minha mulher de porra, que escorria e caía nos seus peitos. Ela se levantou e sem dizer nada tirou a roupa ficando totalmente nua para nás. Deitou na cama e nos chamou. Arreganhou as pernas e direcionou a geba de Beto para sua buceta lambuzada. Beto enterrou com maestria, colocando a pica até o talo na buceta que sá fora minha. Minha mulher me mandou dar a pica para chupar. O que eu dizia em seus ouvidos em nossas transas se tornara realidade. Ela chupava e fodia.rnBeto comia a buceta dela com gosto. Enterrava até o fundo, tirava toda, balançava para ela ver e enterrava de novo. Fui ficando siderado com a situação. Tirei o pau da boca dela e comecei a bater com ele na sua cara. Ela gostou e pediu mais.rn-- Vem maridinho corno, bate com a pica na cara de sua putinha, bate...rnBeto mandou-a ficar de quatro, ela obedeceu e ele enfiou na buceta da cadela. Fui pro lado dele que entendeu e tirou. Enterrei e bombei, tirei e ficamos nos revezando pra comer minha esposa. Ela rebolava como nunca e gritava:rn-- Isso, me come, corno, me come Betinho... Enterrem tudo, tratem essa puta como ela merece.rnDei uma palmada na bunda magra dela, que delirou:rn-- Vai castigar a esposinha cadela, vai?rnMinha mulher gozou profundamente com a tora de Beto atolada na buceta. Beto não se aguentou mais e gozou também, enchendo a buceta de minha esposa de porra. Fiquei de pau duro sem saber o que fazer, quando ela se ajoelhou na minha frente, chamou Beto e os dois mamaram até que esporrei na boca do macho. Deitamos para tomar fôlego e ficamos trocando carinho devagar.rnSempre tive a curiosidade, mas nunca havia provado. A boca do macho era deliciosa, ele mamava de uma maneira diferente das mulheres. Olhei a vara de Beto ainda mole e me deu uma vontade irresistível. Peguei-a nas mãos e levei-a à boca. Mamei na vara do macho e senti um gosto delicioso de porra misturada com suco de buceta. Meu pau deu sinal de vida, o dele também, enchendo minha boca de carne dura. Me virei de forma a oferecer minha pica em posição de 69, eu por cima ele por baixo.rn-- Vai maridinho. Já virou corno agora vira viado... Mama a pica do macho, enche a boca, vai...rnOuvindo minha mulher o tesão aumentava ainda mais. Mamava a vara e era mamado. Aos pouquinhos fui rebolando com o movimento de enterrar na sua boca. Beto passou a mão na minha bunda, ficou acariciando, eu rebolava mais.rnBeto saiu de baixo de mim e me empurrou carinhosamente de forma que deitei de bruços na cama. Ele pegou um tubo de gel e chamou minha esposa:rn-- Vem comigo lacear o cu do maridinho que eu vou comer gostoso.rnMinha esposa adorou a ideia e veio ajudar. Passaram KY em toda minha bunda, depois no rego. Minha esposa colocou um travesseiro debaixo de minha barriga, expondo minha bunda. Atacaram o cuzinho, que nunca tinha sido penetrado. Primeiro um dedo, bastante gel, depois dois, três e quando vi já metiam quatro dedos dentro de mim. Beto montou em mim, botou a cabeçona na entrada e enterrou a vara toda de uma vez, me fazendo ver estrelas. Deitou por cima de mim me agarrando forte e enfiou até o talo, ficando parado sem mexer um músculo. Minha esposa veio pela frente e me deu a buceta para mamar. Sentia o mastro de Beto lá dentro e a buceta dela na boca. Beto me dizia no ouvido:rn-- Tá gostando de dar o cu, tá? Sinta minha carne dura dentro do seu cuzinho, sinta... Rebola para mim, viadinho, rebola...rnObedeci e comecei a rebolar devagarzinho na pica de meu macho.rn-- Marido safado esse meu... Corno e viado...rnMamava na buceta e me sentia uma putinha dando o cu pro meu macho. Rebolei mais forte, Beto começou o vaivém atochando e tirando, até que esporrou inundando meu cu de porra. Esporrei no travesseiro sem nem mesmo tocar no meu pau.rnMinha esposa se levantou e ficou de quatro pedindo:rn-- Agora eu quero tomar no cu também.rnEnchemos o cu dela de gel, laceamos e comemos. Enterramos com força e fizemos minha esposa gozar como nunca. Descansamos um pouco, tomamos uma água bem gelada, paguei Beto e nos fomos prometendo voltar.rnSaímos andando pela rua, meu cu incomodava, mas não doía. Voltamos pra casa e fomos tomar banho. Fudemos de novo e fomos dormir, sabendo que tínhamos tomado um caminho sem retorno: esposa puta e marido corno.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


o pai da minha amoginha me comeu contosconto erotico seduzindo meu vovogostosinha bonitinha bundinha nova doze anos dando contos eroticos   contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos lesbicas dominando esposas heterocontos eroticos arrombando a gordaconto bem picante com pedreirocontos eroticos esposa em uma orgiaVim minha subrinha vigem sentada de perna a berta sem calsinha cumi ela a filha dela viu sexoviciadano pau do meu irmao contohumberto de pau durocontos coxudas de saiamulheres violadas contos eroticosanal com negao contoscontos eróticos traindo marido na salahistorias eroticas de primas e primopaguei minhas conta com a buceta levei vara sem do contos eroticosConto erotico crenteminha amiga sapa e eu chupando contoMeu tio que chupa no meu penisconto lekeconto banho com a namorada na academiacontos eroticos sou uma mulher coroa e adoro tira a virgindade das mulecadacontos eróticos cuzinho da filha da namoradaconto. a sugadora de. porraconto de sexo Fodeno minha irma e minha maemoreninha linda gostosa quatorze anos dandocontos eroticosnovinha teen sofrendo na mao do patrao pornocomendo a deficiente contos eroticoscontos comendo a enfermeirafui enrabado pe lo o yravesti na baladacontos bem quente de casada e sua intida lesbicacontos eroticos a calcinha da minha sograContos eróticos de pau duro na piscinacontos/ morena com rabo fogosoconto sozinha em casa peguei meu pai fudendo minha maeempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetaconto erótico filha da empregadaescanxocomida pelo sobrinho conto eroticos cheguei em casa com o cu cheio de porrae arrombadocontos gozarrapaz chupa seios com gula pornodoidorelatos de esposas de cornos mansoscontos completos quentes esfregando so pra judiar pedindo masconto erotico eu estava tao bebada que nem sei quem me comeu me encheu meu utero de porravideo porno enxergando uma buceta na outra ate gozar e mela todinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crente buceta de cajaraCONTO DEPRAVADAlesbicas presediarisrelatos de comadre dando a buceta pro compAdrerelatos deliciosos de sexoconto tirando o atraso da sograVirgenzinha contosconto familia da esposa nudistaconto chantagem afilhadacontos eroticos sou casada minha irma deixou meu sobrinho em casacontos eróticos com minha cunhadinha ainda bbcontos eroticos vestido coladocontos eróticos minha tia com calça suplexConto ertico. Minha adrasta. Bebiacontos eroticos gay entre primoscoroa de 40 carentef****** irmã mora nos peitos das gostosasconto cdzinhacontos desde pequena meu pai mandava eu xupa paucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de adolecentes escultando.adultos tranzao pau do meu irmao contosconto enteada sem calcinhacontos eróticos bebadaContos namorada e o pirocudocontos eróticos gay putinha pedreirosMinha sobrinha ligia conto eroticocontos eroticos coroa estela