Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TROCA-TROCA

Troca-trocarnNa minha rua tinha uma turma de amigos que gostava de jogar bola o dia inteiro. Todos juntos nos divertíamos demais muito unidos. à noite depois do jantar já era diferente. Uma parte brincava de pique ou outra coisa, e alguns meninos sumiam sem que soubesse por que. Como era novo na turma não perguntava nada, mas percebia que os que ficavam trocavam sorrisos marotos. Resolvi tirar isso a limpo. Um dia não apareci nas brincadeiras da noite e fiquei à espreita para seguir os fujões.rnUm grupinho de três passou no lugar onde os outros estavam e saiu andando pela rua em direção ao terreno baldio onde de dia jogávamos bola. Fui atrás tomando cuidado para não ser visto. Eles entraram no terreno e foram para o fundo, onde havia algumas árvores. Perdi-os de vista e me aproximei bem devagar, me escondendo atrás de uns arbustos. Os meninos estavam sentados um ao lado do outro e esfregavam seus paus, olhando fixamente um para o outro. Meu coração ficou aos pulos com o susto que tomei.rnUm deles tirou a pica pra fora e começou a tocar uma punheta, seguido pelos outros. Logo cada um pegou na caceta do outro com caras de safados e tocando uma no parceiro. Fiquei de pau duro e botei pra fora, tocando uma também.rn-- O que é que você tá fazendo aí?rnTremi de medo com aquela voz atrás de mim. Era mais um que chegava para a sacanagem e que me surpreendeu de pau na mão.rn-- Nada não, sá tava olhando...rn-- Olhando e pelo visto gostando, tá tocando punheta... Venha se juntar a nás, não tenha vergonha.rnLevantei-me e segui meu colega. Os três interromperam as punhetas para nos receber:rn-- E aí? Trouxe ele também?rn-- Estava olhando atrás da moita e tocando punheta...rn-- Senta aqui, entra no jogo...rnTodos riram, descontraindo o ambiente. Sentei-me na rodinha e tirei a pica pra fora. Logo uma mão se apresentou e apertou minha tora. Peguei uma também e senti como era gostosa.rnPela primeira vez pegava na caceta de outro macho. Dura e macia ao mesmo tempo, quente, pulsante, parece ter vida prápria... Passei a mão levemente, como gostava de fazer comigo. Aos poucos fui apertando e soltando. A geba pulava quando a soltava. Dura de tesão, eu fechava a mão com força, vendo meu parceiro fechar os olhos de prazer.rn-- Caralho, ele pega na pica demais de gostoso... Filho da puta faz mais, faz...rnTodos tinham uma pica nas mãos e os gemidos aumentavam. Minha geba era acariciada pelo que me surpreendera na moita. Ele era carinhos e sabia o que fazer. Estava quase gozando e ele parou um pouco para prolongar. Fiz o mesmo no meu machinho pauzudo. Senti uma boca envolver minha ferramenta.rn-- Ai que delícia essa boca...rnCaí de boca na caceta do outro e mamei com gosto. Cada um agora tinha um mastro na boca. Ninguém falava de boca cheia, mas os gemidos aumentavam. A situação me deixava louco de tesão e não resisti mais. Gozei esporrando na boca do menino e senti um jato na minha boca. Meu macho também gozava. Gemidos fortes anunciavam o gozo coletivo. Todos esporraram praticamente ao mesmo tempo e todos bebiam porra com prazer.rnNunca tinha passado na minha cabeça fazer uma coisa dessas, mas estava feliz e ainda cheio de tesão, o pau continuava duro. Meu macho tirou sua geba da minha boca e deitou-se com a bundinha pra cima.rn-- Vem cá, come meu cu, goza dentro de mim como eu gozei dentro de você...rnDeitei por cima dele, abri bem as nádegas dele e me encaixei. Cuzinho ainda seco, ele disse:rn-- Lambe meu cu, lambe, encha ele de cuspe...rnCaí de boca no seu cuzinho e senti alguém abrindo meu rego e lambendo também. Adorei aquilo e nem olhei para ver quem era. Lambia e era lambido. Rebolava e sentia o buraquinho rosado na minha boca. O tesão me dominava e o que eu mais queria era comer e dar o cu...rnMinha ferramenta tesa começou a entrar aos poucos no cuzinho do meu machinho de porra gostosa. Ainda era lambido, sensação deliciosa. Meu menino me ajudava rebolando e empurrando a bunda contra mim. Entrou a cabeça e ele gemeu:rn-- Isso, agora vai entrando devagar... Enterra até o talo...rnObedeci e atochei até minhas bolas encostarem na bunda dele. Parei para sentir minha caceta apertada no cuzinho dele e meu amigo aproveitou-se da situação, começando a enterrar a geba no meu cu. Doeu mas a excitação me tomava totalmente. Quando passou a cabeça dei um suspiro de alívio, mas ele enterrou o resto de uma vez. Acabei caindo por cima do meu machinho, enterrando o pouco que faltava. O trenzinho estava completo. Eu comia um cu e dava o cu. Caralho, nunca pensei que fosse tão bom. Tesão de macho.rnIniciamos os movimentos devagarzinho e fomos acelerando. Meus machos me mostravam como fazer, davam as dicas, pois eram já experientes na sacanagem. Fui o primeiro a gozar. Inundei o cu de porra e desabei de novo em cima da bunda dele. Concentrei-me apenas em dar o cu. Rebolei gostoso me tornando fêmea do comedor. Delícia! A carne dura entrava e saía ritmadamente. Ele às vezes tirava tudo e depois enterrava de uma vez. Deitou-se nas minhas costas e começou a sussurrar no meu ouvido, seu hálito quente me deixando mais louco:rn-- Rebola gostoso... Rebola no meu mastro duro... Cuzinho apertado e gostoso... Vem comigo que vou gozar.rnEle me puxou deixando-me de quatro e fudeu meu cu sem dá, aumentando o ritmo freneticamente. O machinho debaixo de mim se virou e veio mamar minha geba.rn-- Viado... Mocinha... Toma meu esporro no seu cuzinho...rnEle esporrou no meu cu. Que sensação maravilhosa! Encheu-me de gala e continuava a bombar. Minha ferramenta endureceu na boca ávida e esporrei de novo. Todos gememos, nos soltamos e deitamos exaustos. Os outros já tinham acabado e também se deitaram. Ouvi alguém dizer.rn-- Porra, mais uma pra turma... Aguentou o tranco...rnTodos riram inclusive eu, que senti a verdade daquelas palavras. Essa era minha turma, agora que descobrira o troca-troca, nunca mais iria deixar de curtir essa safadeza.rnAssim me descobri bi. Gosto de buceta, gosto de cu, gosto de caceta. Gosto de comer e de dar. Sou feliz e realizado.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos namorada chupa rola de outro escondidoContos Eróticos Angolanotrveco deicha o cu do mrmanjo escorrendo Leite contos eroticos mae filhavidios porno de homem pegando irmazinhar mulher si mastubando e conceguindo comer a buceta delacontos eroticos minha mulher e o velhoconto trepou cornodar o cu para os pivetes fui arrobamda com prazer conto eróticosEu e minha sobrinha de 19 anos de idade no motel conto eroticoContos homem fudendo a vizinha lesbicame masturbei vendo as calcinhas da vizinha no varalcontos eróticos fui arrombada pelo meu padrasto picudocontos esposa estuprada e arrombadacontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travesticontos gay travesti apostagoogleweblight língua no c* da gordaFilinha chupa pau do papaiabucetas encharcada de babaHistória porno me comeu doeu muitocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteler contos de gay sendo estrupadodepois de brigar namoradas lesbika fodim na istradacontos eroticos traindo marido na Sala ao ladofui estuprado pelo mendigocomeram meu cuzinho conto gaycontos eróticosolha como tá duroContos eroticos chamo vitoria dei pro meu cumhadocontos devorei minha filha putqhumilhado travesti contoscontos eroticos com transsou casada vi o meu vizinho na punhetaCONTO EROTICO: MINHA TIA TURBINADAMeu marido deu carona para um estranho e me insunuei pra elecontos minha sogra me vendeu seu cuzinhocontos eroticos enganada e oferecida pelo maridocontos eróticos tomando banhohomem de calcinha enrabadomaisexo vidio de zoofilia com travestisCasados putinhos contosconto erotico violência coroaler contos eroticos de casais fudendo dentro de cinemas com outros homenscontos eroticos dinheiroComi minha mãe no meu colo contos eróticoscomendo e falando sacanageme gozando contoscontos família liberalcontos dei a xota pro mendigoconto pernas fechadasa foder a policial na rua contosgozei no copo e dei pra minha tia bebeu contosconto erotico carona com o sobrinhoConto erotico, tenho.50 anos e transei com minha vizinha casada de 60 anoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eroticos briguei com o marido dei pra outrovideo porno no cinema julio dantascontos compadre do avô no sítio gaycontos eroticospais e filhas novinhascontos eróticos gay meu meio irmãocontos eroticos mim arreganhei pra papai e ele caiu de boca na minha bucetamarido de marleni vendo ela transarcontos eroticos arrombando a gordacontos erotico o assalto meu marido participoucontos orgia com jogadoresconto duas rolas de 27 cm no cucontos gay encoxado na baladaconto erotico negão fudendo a madrasta 2017contos eróticos comendo a mulher negra do meu paienrabada sem perceber contoscontos porno de incesto real pai filha e mae juntoscontos de velhos taradosou casado meu cunhado vem morar com nós acabei transando com ele contos eróticosContos eróticos d velhos tarados no cemitério contos eroticos filho da minha vizinha amante maravilhosoconto erotico broxei outro comeumulher gosta de ficar nua e corpo inteiro melado de margarina vidios de mendingos dando o cu por drogas