Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

GEÓRGIA E BABI

olá pessoal, eu me chamo Edgar, tenho 27 anos, sou fotografo, e hoje vou contar sobre uma vez que fotografei duas lindas garotas em uma viagem que fiz para Chicago.rnrnGeárgia e Babi, foram duas garotas que conheci no metrô, em Chicago, durante as minhas viagens para a casa de uma tia-avá que tenho pra lá.rnrnNa verdade, já era tarde da noite e eu resolvi pegar o metrô sá para poder fotografar como era Chicago por inteira, estava com uma câmera átima que tinha acabado de ganhar, e estava louco para testa-la. Havia estas duas garotas sentadas a poucos metros de mim, elas comentaram algo sobre a minha câmera, mas, não pensaram que eu poderia entender o que elas estavam falando. Eu estava vestido claramente como um brasileiro, estava com uma camisa do brasil, e com uma jaqueta jeans também com o emblema do Brasil no ombro.rnGeárgia era ruiva, usava meias finas e uma saia preta, um áculos que demonstrava uma aparência bastante intelectual, e Babi era morena, cabelos curtos, piercing e vestida tradicionalmente como uma garota da cidade de chicago: Blusão e luvas.rnPara minha sorte, não era um dia de tremendo frio, por isso consegui andar com a blusa jeans tranquilamente, mas os ventos de chicago são de arrepiar qualquer pelo na nuca.rnrnAs garotas se aproximaram enquanto eu tirava fotos lá fora, quando o metrô parava em alguma estação, eu descarregava o dedo de inúmeras fotos das paisagens. Primeiro veio Geárgia, me perguntou de que parte do Brasil eu vinha. Meu inglês nunca foi muito bom, consegui responder com poucas palavras, usando todo meu conhecimento horrível e com sotaque caipira.rnrnEla riu do sotaque, depois Babi se aproximou, pediu para ver a câmera. Disse que aquela era uma átima versão, e que estava pretendendo comprar nas práximas semanas. Eu a perguntei o que elas faziam da vida, e elas responderam que eram operadoras de telemarketing, e que pegavam o metrô todos os dias. Depois disso, nos apresentamos, elas aparentavam ser um pouco mais velhas do que eu, na época eu estava com meus 24, sem vergonha alguma, perguntei a idade delas, Geárgia tinha 24 e Babi 25.rnrnContinuamos conversando, eu não deixei de tirar fotos, em uma parada, Babi pediu para usar a maquina por um instante, pra sentir como era o peso e para ver a velocidade da maquina. A deixei, elas pareciam ser inofensivas.rnrnDepois que tiraram, Geárgia disse que a práxima parada elas iriam descer, e então me convidaram para ir tomar alguma cerveja num bar práximo ao apartamento delas. Não fui nem um pouco bobo, aceitei o convite na hora. Afinal, ficar na casa da minha tia avá me faria ter que me masturbar vendo a programação pornô, e, ficar com as duas garotas poderia rolar alguma coisa.rnrnDescemos na estação práximo ao centro de chicago, deviam ser umas 20 horas, assim que descemos na calçada elas já entraram numa porta de esquina, um bar tipico americano, rodeado de vidros com escrituras artísticas, o bar todo com luzes amareladas, vários quadros nas paredes, estilo caverna, feito de pedras rusticas.rnMe pareceu que a especialidade do bar era a cerveja.rnrnNos sentamos em uma mesa redonda no primeiro andar, uma garçonete conheciam as duas, e ambas pediram o de sempre, esperaram meu pedido, e eu também pedi o de sempre.rnrnElas então me perguntaram sobre o brasil, o que eu fazia, e o que estava fazendo por lá.rnrnBom, a conversa tinha que ser rápida, e se eu quisesse alguma coisa com elas naquela noite, teria que me aprofundar na pornografia: "Eu sou fotografo de ensaios pornograficos, pra versão brasileira da Playboy e a revista Sexy", ábvio que era mentira. Ambas se entre olharam, pareceram interessadas. Então, me contaram sobre a relação de ambas, elas eram lesbicas, vieram de Nova York pra chicago porque já nao aguentavam a vida monátoma da cidade grande. Apesar de chicago ser tão grande quanto, ali elas estavam sempre protegidas do mundo por causa do frio e dos ventos.rnrnElas me pareceram meio desmioladas, ou talvez, a minha tradução e conversa em inglês com elas é que não estava tão boa. Elas me convidaram para ir até o apartamento delas, e que eu poderia tirar algumas fotos delas, juntas. Depois de 4 taças de cerveja, elas disseram que as fotos teriam que ser na banheira.rnrnOpa, meu pau já começou a bocejar, estava acordando, e a minha testosterona já estava acordando. Nos levantamos, elas estavam sorridentes e mais soltas. Fomos caminhando até o apartamento delas, Geárgia grudou no meu braço e fomos enganchados até o apartamento delas. Era no 5ª andar de um prédio cinza e com detalhes bege, nunca vou me esquecer da cara do porteiro que parecia um rato.rnrnrnEntramos e fomos direto para a cozinha, tomamos um gole de café sem açúcar, ambas começaram a ficar a vontade, tiraram a blusa e socaram um beijo longo, na minha frente. Não podia perder a oportunidade, saquei a câmera e surpreendi elas com um flash.rnElas riram, olharam para mim mordiscando os lábios inferiores, se levantaram e foram para a cama. Babi me disse que eu devia registrar cada momento, e que eu ganharia muito pelo serviço, a principio recusei o pagamento, eu queria mesmo era estar entre aquelas duas.rnrnDeitaram na cama, começaram com beijos demorados, Babi foi a primeira a tirar a camisa de Georgia, e depois Georgia já foi direto nas calças de Babi. Ambas não paravam de se beijar, os dedos de Geárgia percorria as pernas adoráveis de Babi, até chegar na xotinha dela. Colocou a calcinha de lado e mandou a ver nos dedos mágicos. Babi se deitou, se aconchegou no travesseiro grande da cama de casal delas, levantou a camisa e começou a apertar os bicos dos seios.rnrnrnNeste momento eu já devia ter tirado mais de 60 fotos delas juntas. Não estava usando o flash, sá a iluminação do abajur dos dois criados mudos ao lado da cama já dava o contraste perfeito para uma noite de lésbicas adoráveis. Meu pau, nem preciso dizer, queria muito mordiscar aquelas Aranhas deliciosas e molhadas.rnrnConsegui pegar um close átimo da calcinha molhada de Georgia, assim que ela tirou a saia. Babi, fogosa se sentou na cama, começou a alisar e a segurar as nádegas de Georgia. Abriu bem a bunda dela, consegui pegar um close átimo da xota molhada e do cuzinho rosado da fogosa. Babi usou muito bem a lingua naquilo tudo, começou a trespassar seus dedinhos indicadores e o do meio na xota molhada de Georgia, alisou devagar no começou, até chegar no clitáris, onde começou a massagem ondular. Começou a masturbar Georgia como sá uma garota faria, com cuidado, delicadeza e certa velocidade controlada. Georgia começou a gemer, pude ouvir, e eu já não aguentava mais, meu pau já estava molhado de prazer.rnQueria apimentar tudo aqui, sugeri a ideia que surgiu no bar: "How about swimming?".rnrnAmbas riram, deram um longo beijo e foram se despindo até o banheiro. Babi ligou a agua para encher a banheira, e eu fui reprogramando a câmera, no intervalo, comentei com elas que eu estava louco de prazer, e que elas eram incríveis. Não surtiu efeito, elas não me convidaram para entrar na brincadeira. Conclui que eram lésbicas e safadas, e que não gostavam de um pinto entre elas.rnrnNão demorou e a banheira já estava no ponto. Elas entraram e continuaram com os beijos, Babi grudou Geárgia contra a parede e começou a beija-la a nuca, passou a mão para trás da nádega e começou a masturbar a deliciosa Geárgia. Eu não parava com as fotos nenhum segundo, as duas gemiam de prazer, a goza de Geárgia já escorria a sua perna, e Babi não parava de masturba-la, sua mão parecia nunca cansar, fazia sempre os mesmos movimentos bruscos pra masturbar a namorada. Geárgia não aguentou, se contorceu pra beijar Babi na boca, um beijo adorável, a língua de fora, consegui um close de saliva nos lábios de ambas.rnElas se sentaram na banheira, dessa vez foi Georgia que começou a chupar Babi que ficou em pé, com a bucetinha na sua cara. Não parava de chupar. Os movimentos de sua língua entraram em sincronia com os movimentos do quadril de Babi que já não estava aguentando, e descarregou libido na cara da deliciosa Geárgia, que espalhou aquela goza nos peitos, onde Babi correu pra chupar.rnrnBabi ficou mamando nos peitos de Geárgia por alguns minutos, e tudo acabou num apertado abraço e num adorável "I Love You".rnrnPerguntaram para mim se as fotos haviam ficado boas, eu ri, e mostrei o volume da minha calça para ambas, havia gozado junto com elas, sem masturbação nem nada. E ambas riram, sabiam que eram fogosas e adoráveis, mas não podiam me ajudar.rnFomos para o pc da casa delas, descarregamos as fotos, e ambas chamaram uma pizza para jogarmos conversa fora.rnrn Bem, terminei que nao comi ninguem naquela noite, mas o que valeu foi o otimo filme porno ao vivo que ganhei, e os pedaços de pizza que comi. Muito melhor do que ter passado a noite na casa da minha tia avá.rnrntexto originalmente escrito e postado em:rncenasmuitoquentes.blogspot.com

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos de gay Comi o cuzinho do Pai da minha MADRINHAcontos eroticos papai me fodeucontos eroticos viadoso putao dando o cu e gozando e gritandocontos transex mobileconto amiga cabacinho da minha irmacu esfolada negao contosContos gay fazendo a barbacontos erotico de esposa traindo cornoContos eroticoshospitalcoroas cavalas emsabuando travesticonto minha mae rabuda e eu meu paicontos mulher fode com vizinha e com a filha delameu chupador de seios gostosotitia s***** invade quarto do sobrinho e pede para tomar no c******contos eroticos com minha empregada nordestinaIncesto com meu irmao casado eu confessoconto erotico o sogroo padrastoautoritárioEdna A tia da minha esposa contos eroticosconto erótico meu sogro bem dotadocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteConsolado pela sobrinhas contos eróticosconto dono da minha mulhervirei cadela contos gayscontos eroticos casada comida no assaltocontos eroticos arrombando a gordaMeninas novinhas de onze e doze perdendo a virgindadecontoscontos genroPorno pesado gordao arromba magrinha pono doidoconto erotico chantageada pelo deficientecolocando a prizilha na bucetacontos eróticos prima e irmãmulheres cavalas de quarenta de bucenta inxada e grelo inormemeu irmão me convenceu contosmenina arrombada contosdei minha buceta para os amigo do meu filho contos eroticocontos eroticos ela nao aceita ser cornonovinha deixou lamber sua xana contos heroticosfilha esposa de papai pintudo contosContos eróticos gay de menino de menor idade dando o cuzinho pro professor de reforçoghupa ghupi pornminha mãe e minha avó junta conto eróticoConto com foto vizinha peluda de vestido no matocontos porno filho do amigo secretoPORNO GOSANDO RU QUADcasa dos contos pastora ds buceta peludaContos eroticos dois heteros vodkaContos de incesto dando banho em meu pequeno filhochapeleta pegando a casadacontos erótico sou evangelicacontos de cornocontos xoxota peluda da minha mae buceta carnuda comtos de sexocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteConto buraco fechadura masturbacontos de sexo com patroaconto gay moreno do messengercontos eróticos o carona me comeu na frente do maridoconto eróticos calcinha pedreiroscontos eroticos com padrastos e enteadascontos eroticos arrombando a gordacontos de sexo com novinhas trepando com advogadosroupa suja se lava em casa conto eróticocontos menage inesperadomeu marido viu os amigos dele me comerem contosMeu meio irmão do pau de chocolate contosContos eroticos de prostitutagostosa fas enema profundodesvirginando sobrinhacontos comi minha tia mortacontos eroticos de 4 caralhos no cucontos bdsm erposas escrava submissa martaconto erotico gay motoqueiro marrentibruninha pedindo caronatravesti Juliana de primo metendo