Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

OBJETO SEXUAL DO PADRASTO E DO IRMÃO

Objeto sexual do padrasto e do irmão





Meu nome é Vanessa e essa é mais uma de minhas aventuras, para os que não me conhecem vou me descrever, tenho 19 anos, sou morena clara de cabelos lisos um pouco abaixo dos ombros, castanhos claros, olhos cor de mel, 1,70m e 58 kg, tenho um corpinho bem modelado pois gosto de esportes, volley natação e já fiz karatê. Tenho um bumbum redondinho e arrebitado, seios médios e redondinhos e durinhos com os bicos rosadinhos e bicudinhos do tipo que ficam quase furando a camiseta quando estou sem sutiã, o que é quase sempre. Os homens vivem mexendo comigo, dizendo que sou linda e maravilhosa. Bem vamos à histária......

Meu padrasto sempre que pode vem me comer, desde os meus 19 anos, se ficamos sozinhos em casa é trepada na certa. Ele não quer nem saber se estou menstruada, mete na minha xana e no meu cuzinho. E até hoje ninguém sabia de nada, quer dizer, até ontem...

O Léo (meu irmão mais velho) também sempre me come, desde o dia que descobriu que eu não era mais virgem (perdi a minha virgindade com meu tio aos 19 anos), sempre que estamos sozinhos em casa nás transamos. E a gente sempre vai acampar, nos acampamentos rola muita coisa (já escrevi três aventuras minhas nesses acampamentos). Mas até ontem o Léo não sabia que nosso padrasto me comia também, o meu padrasto sabe que o Léo me come. O Léo sá sabia que quem tinha tirado o meu cabaço foi meu tio.

Bom nesse fim de semana, minha mãe foi viajar. Ela arrumou um serviço que ela tem que viajar de vez em quando, e ela fica alguns dias fora de casa. Meu padrasto e o Léo já ficaram eufáricos planejando me comer de todas as maneiras, mas separados, é claro. Mas meu padrasto, desde que ficou sabendo que o Léo me come, ficou doido para dar um jeito de me comer junto com Léo. Ele disse que ia ser uma loucura ele na minha frente metendo na minha xana e o Léo atrás, atolado no meu cuzinho. Eu fiquei com medo da reação do Léo quando ficasse sabendo e nem sei se ele ia topar me comer junto com nosso padrasto. Mas meu padrasto me falou que ia dar um jeito de nos pegar no flagra para poder entrar na brincadeira.

No Sábado de manhã ele pegou o carro e saiu dizendo que ia voltar sá à noite. O Léo já me olhou sorrindo e passando a mão no pau dele. Subi para o meu quarto e fiquei no computador numa sala de bate-papo, esperando o Léo. Enquanto ele não subia, eu fui ficando excitada vendo fotos e teclando com alguns caras. O Léo demorou a subir, achei até que ele não ia querer fazer nada naquele dia, cheguei a gozar umas duas vezes sá vendo as fotos e teclando com os caras.

Quando o Léo chegou ele trazia uma caixa, ele ficou do meu lado vendo o que eu tava teclando e falou: “Começou a brincar sozinha né? Nem me esperou...” Aí ele sentou na minha cama e abriu a caixa. Foi me mostrando os brinquedinhos que ele tinha arranjado. Tinha uns 3 cacetes de borracha, um vibrador, 4 algemas e mais algumas coisas que eu nem sei para que servem.

Ele tirou a roupa e foi dizendo que o dia ia ser muito bom, que ele ia passar o dia inteiro me comendo. Eu tirei a roupa e fiquei vendo aqueles brinquedinhos, um dos cacetes era igual a um pinto mesmo, sá que com a cabe;ca enorme, um outro era maior, tinha uns 20cm e a cabeça era toda espinhuda. O terceiro era um cacete negro enorme, montruoso, devia ter uns 30cm ou mais e era tão grosso que minha mão nem fechava, devia Ter uns 8cm de diâmetro.

Enquanto eu ficava olhando aquilo, o Léo já foi chupando meus peitinhos e enfiando seu dedo na minha xana. Ele quis logo me comer e me pôs de 4 na beira da cama. Ele meteu com vontade e começou a socar lá no fundo com o seu pau. Ele mandou eu chupar um dos cacetes. Eu peguei o menor e fiquei chupando enquanto ele metia com força. Depois de uns 19 minutos ele gozou.... eu reclamei: “Mas já? Eu nem gozei ainda...”Aí ele me disse: “Calma, você vai gozar muito ainda, o dia está sá começando” Então ele deitou na cama e mandou eu sentar no cacete dele, mas mandou eu sentar com o cú no pau dele. Ele lambuzou meu cuzinho com vaselina e eu sentei de frente para ele, devagarinho, o pau dele foi entrando cm por cm. Como eu gosto disso! Depois que entrou tudo eu fiquei cavalgando nele até que ele mandou eu parar e pegou o cacete de borracha menor e meteu ele na minha xana. Ela ainda tava escorrendo a porra dele e isso ajudou porque a cabeça desse cacete era muito maior que a do Léo. O Léo foi empurrando o cacete de borracha para dentro de mim e aquela cabeçona ia abrindo caminho e entrando, cada vez mais fundo, até que entrou tudo, que gostoso....

Fiquei rebolando com o cacete do Léo no meu cuzinho e com aquele cacete de borracha na minha xana. O Léo estava adorando, olhava para minha xana e sorria. Comecei a gozar, gemia alto e até gritei. Quando acabei de gozar nosso padrasto entra no quarto e nos flagra naquela cena. O Léo se assustou e não sabia o que fazer, ele começou a gagejar e a atentar se explicar, mas nosso padrasto tranquilizou ele dizendo que já sabia que a gente transava, mas que agora eu ia Ter que dar para ele também senão ele contaria tudo para a nossa mãe. O Léo ficou com medo, mas também ficou puto. Puxa, o nosso padrasto querer se aproveitar da irmãzinha querida dele.... mas ele não podia falar nada, e como ele viu que eu aceitei, ele ficou mais tranquilo, mas morrendo de ciúmes, agora ele ia Ter que me dividir com ele em casa.

Mas isso foi sá no começo, depois de algum tempo tudo virou farra, o Léo nem se importava mais. Bom, meu padrasto veio logo tirando o pau prá fora e me dando para chupar. Eu ainda tava sentada em cima do Léo com o pau dele atolado no meu cú (nem com essa situação o pau dele amoleceu), e o cacete de borracha enfiado na minha xana. Nosso padrasto foi tirando a roupa e ficou peladão, e ficou passando a mão nos meus peitinhos, eu engolia o pau dele e ele gemia. Depois de algum tempo assim ele disse que queria comer a minha buceta e me deitou na cama. Ele tirou o pau de borracha de dentro de mim de uma vez sá, foi uma sensação deliciosa. Quando aquela cabeçona saiu fez até um barulho, tipo quando a gente tira rolha de garrafa. Ele olhou para aquela cabeçona e disse: “Nossa! Você aguentou tudo isso?” E olhou para os outros brinquedinhos, dando um sorriso malicioso. Ele veio por cima de mim e meteu o pau dele, entrou com certa facilidade... também com aquela cabeçona de pau de borracha.... Ele ficou metendo, me chamando de gostosa e chupando o cacete de borracha, dizendo que queria sentir o meu gosto. O Léo ficou em pé ao nosso lado com uma cara de ciúmes, aí eu chamei ele e comecei a chupar o pau dele.

Meu padrasto dizia: Ïsso minha filhinha putinha, que cena gostosa, eu te comendo e você chupando o pau do seu irmão. Vai ser melhor ainda quando você estiver com um cacete na xana e outro no cú, certo Léo?” O Léo abriu um sorriso e disse: Â“É isso aí pai, vamos comer essa minha irmã putinha e fazer dela o nosso objeto sexual...”

Aí meu padrasto se deitou e mandou eu sentar no pau dele, eu obedeci. Sentei devagarinho, rebolando, e o pau dele entrando devagarinho na minha xana (que já tinha voltado ao normal, apertadinha), ele delirou e mandou o Léo ir lá atrás de mim e meter no meu cuzinho. O Léo veio e começou a meter, devagarinho e a cada estocada que ele dava eu apertava mais a minha xana e estrangulava o pau do meu padrasto, ele adorou a sensação. Disse que a minha xana tava mordendo o pau dele. O Léo enfiou tudo e começou o vai e vém, e meu padrasto também, eu fui à loucura, aquilo era demais, meu padrasto e meu irmão metendo em mim juntos, um na buceta e outro no cú... que loucura....não era a primeira vez que eu fiz isso, mas a sensação de estar fazendo algo proibido, de incesto, era muito bom, que tesão.... se minha mãe nos pega nessa situação ela nos mata, e morre do coração....

Meu padrasto começou a gozar, eu sentia os jatos de porra dele batendo lá no fundo da minha buceta, e ele gozava e o Léo metendo mais rápido, até que eu também comecei a gozar, eu sentia arrepios de prazer. E meu padrasto ainda tava gozando, eu comecei a gritar e a dizer um monte de palavrões, xingava eles, dizia para eles me estuprarem, que eu era uma puta, que eles podiam fazer o que quisessem comigo.... estava bom demais, aí o Léo começou a gozar também, meu padrasto ainda tava gozando e eu sentia a porra dos dois, um na buceta e no cú, me sentia a rainha das putas. Que delícia nás três gozando juntinhos, meu padrasto terminou de gozar e ficou quietinho, sá sentindo a minha xaninha mordendo o pau dele, e o Léo ainda gozava no meu cuzinho e eu também gozava. Meu padrasto falou que nunca ele tinha gozado tanto assim, que tinha sido a melhor foda da vida dele, melhor do que a primeira vez que ele me comeu (mas isso ele me disse depis longe do Léo, pois para o Léo, aquela era a primeira vez que eu estava dando para ele). E ele disse que nem a minha mãe era tão gostosa como eu.

O Léo terminou e se deitou em cima de mim, fiquei ensanduichada entre eles e ainda estava acabando de gozar. Acho que fiquei uns 5 minutos gozando sem parar, de relágio, mas parecia que tinha sido por uma hora inteira, eu fiquei exausta. Meu padrasto me perguntou se eu havia gostado e me disse que aquilo era sá o começo....

Ficamos deitados um tempo nos recobrando e ficamos conversando outras coisas, até que eu perguntei o que eles iam fazer com os outros brinquedinhos. Eles se olharam e sorriram dizendo: “ Espere para ver”.

Depois de mais ou menos meia hora meu padrasto me pediu para chupar ele, para “acordar” o menino. Fiquei chupando ele e o Léo. Logo depois eles já estavam de pau duro.

Dessa vez meu padrasto falou pro Léo se deitar e eu ir em cima dele que ele queria comer o meu cuzinho. Sentei no Léo e o pau dele escorregou para dentro com facilidade, minha xaninha estava escorrendo a porra do meu padrasto misturada com a do Léo, da primeira gozada dele. Me deitei em cima do Léo e ele abriu a minha bunda para nosso padrasto ter uma visão melhor do meu cuzinho. Ele veio pra cima de mim e encaixou o pau dele dizendo que nem ia precisar lubrificar meu cuzinho porque ele tava cheio de porra do Léo. Ele foi enfiando devagarinho, entrou a cabeça e ele ficou paradinho, sá sentido meu cuzinho apertar o pau dele. Depois ele começou o vai e vém e cada vez ia enfiando mais, e o Léo gemendo embaixo de mim dizendo que estava sentido a minha xana morder o pau dele. Quando meu padrasto enfiou tudo ele começou a bombar rápido dizendo que o meu cuzinho era o mais gostoso do mundo, e o Léo concordou e começou a bombar na minha xana com força. Como é bom Ter 2 cacetes bombando ao mesmo tempo no meu cú e na minha buceta. Dessa vez eu é que comecei a gozar primeiro, gemia e chamava eles de putos, tarados, dizia que eles estavam me estuprando e que eu ia contar tudo para a minha mãe. Eles me diziam que eu era puta, vadia e que eu era escrava deles. Estava acabando de gozar quando o Léo disse que ia gozar, me padrasto acelerou os movimentos diquendo que ia também, e quando eles começaram a gozar eu comecei a gozar de novo, sentir aqueles jatos de porra dentro de mim me deixam louca. Eles acabaram de gozar e eu ainda estava gozando. Depois ficamos deitados na cama abraçadinhos e cansados.

O Léo disse que o pau dele já estava doendo, ele tinha gozado 3 vezes seguidas em pouco mais de uma hora. Meu padrasto disse que precisava de um descanso também. Aí eu para sacanear com eles disse: “Eu ainda não...”

Meu padrasto sorriu e disse: “ Espere sá...”

Ficamos falando um monte de bobagens, do que a gente (eu e o Léo) já tinha feito, de planos que meu padrasto tinha para nás, viagens acampamento e muitas outras coisas que nás poderíamos fazer. Depois de um descanso fomos para a cozinha fazer um lanche, de leve, os três pelados, nunca tínhamos ficado assim à vontade antes, os três juntos em casa. Meu padrasto se arrumou logo e nos chamou para o quarto de novo, dessa vez ele disse que ia ser no dele, na cama de casal.

Ele trouxe os brinquedinhos e mandou eu me deitar na cama. Ele algemou meus braços na cabeceira da cama e amarrou com uma corda meus pés na parte de baixo, me deixando presa e de pernas abertas. Lá estava eu, pelada, amarrada e completamente indefesa e à mercê daqueles dois tarados. Como eles ainda estavam com seus paus doendo eles usaram os de borracha em mim. Meu padrasto pegou o pau menor e começou a enfiá-lo em mim, antes ele mandou o Léo me chupar e deixar a minha xana molhadinha. Ele colocou aquela cabeçona na entrada, mandou o Léo abrir a minha bucetinha com as mãos e começou a forçar, bem devagarinho, e aquela cabeçona foi abrindo passagem e entrando. Os dois diziam que era delicioso ver aquela cabeçona sumindo na minha xana, eu ia gemendo e mordendo os lábios. Meu padrasto começou a tirar e a enfiar enquanto o Léo chupava meus peitos e beijava a minha boca. Meu padrasto acelerou os movimentos e com uma das mãos ficava esfregando e apertando meu grelinho. Comecei a gozar, gozei prá caramba, e eles se divertindo com o meu corpo. Mel mel começou a escorrer da minha xana, aí meu padrasto disse: “Agora você está pronta para a segunda etapa...”

Ele pegou o outro cacete que tinha uns 20 cm e a cabeça toda espinhuda, ele tirou o menor na minha xana e cuspiu na cabeça do espinhudo. Ele começou a enfiar o espinhudo, o Léo ajudou de novo. Aquela cabeça ia entrando e os espinhos dela iam me dando uma sensação esquisita, sentia arrepios e muito tesão, aqueles espinhos me devam uma espécie de choques a medida que iam entrando e raspando a minha bucetinha pelo lado de dentro, parecia que me rasgavam. Meu padrasto foi enfiando, enfiando, até que ele entrou quase todo, e começou o vai e vém, eu pulava de tesão, aquela pau era uma coisa doida, me arrobava toda lá no fundo. Aí o Léo pegou o pau menor todo lambuzado e começou a enfiar ele no meu cuzinho. Fiquei mais doida ainda. O Léo ia empurrando aquela cabeçona na entrada do meu cú, mas ele não entrava estava difícil. Eu falei que ele podia forçar e relaxei o cuzinho. Ele enfiou com força e a cabeça entrou.... nossa! Me arrombou o cuzinho, ví estrelas e gritei. O Léo ficou preocupado e quis tirar, mas meu padrasto disse para enfiar o resto que eu acostumava, o pior era a cabeça e ela já tinha entrado. Eles ficaram no vai e vém com aqueles dois paus, puta que pariu, que sensação doida! Eu gritava e gemia alto, eles adoravam, ficavam me admirando e me chamando de puta, cadela no cio, de égua, que a minha buceta e meu cú iam ficar totalmente arrombados. Como se não bastasse isso, meu padrasto pegou o vibrador e disse que ia enfiá-lo na minha buceta junto com o outro cacete. Eu disse que não ia aguentar e o Léo disse também, aquilo ia rasgar a minha buceta. Mas ele lambuzou o vibrador no meu suco e colocou na porta da minha buceta. Ele ligou o vibrador e ficou brincando com o meu grelinho. Ele disse: “Relaxa, você vai aguentar, a sua buceta aguenta, eu sei...” E começou a enfiar, ainda bem que ele é liso. Minha buceta foi alargando e o vibrador foi entrando, não sei como. O Léo nem acreditava, ele até parou de meter o outro cacete no meu cú. Sentia minha buceta rasgando, imagine um pau enorme enfiado todo e eles enfiando mais um vibrador no meu buraquinho apertado.

Falei chorando que minha buceta ia ficar larga e que nunca mais ia ser a mesma. Meu padrasto me disse: “Que nada, a sua buceta é elástica, igual à da sua mãe, ela aguenta coisa até maior e depois volta a ficar apertadinha de novo, ela não está rasgando não, não se preocupe.”

E o vibrador entrou todo, putz, aquele troço vibrando lá dentro de mim junto com um pau enorme todo atolado na minha buceta e outro no cú. Que delícia!

O vibrador estava enfiado entre o maior e o que estava no meu cuzinho. Meu padrasto deixou ele ligado todo enfiado em mim, e com o outro fazia um vai e vém. às vezes os dois saíam juntos e ele enfiava os dois juntos de novo. E o Léo movimentava o outro no meu cuzinho. Nisso meu padrasto enfiou a cara no meio das minhas pernas e ficou lambendo meu grelinho, o Léo ficou chupando meus peitos e de vez em quando dava o pau dele para eu chupar. Meu padrasto disse: “Nossa que cena linda! Temos que registrá-la para que a gente possa ver outras vezes depois.” Nisso ele largou os cacetes enfiados em mim e saiu.

Ele voltou com uma filmadora na mão dizendo que já tinha deixado ela preparada para esse momento. Ele falou para o Léo se afastar e me deixar sozinha algemada na cama e com aqueles 3 cacetes enfiados em mim. Ele me filmou todinha, deu closes na minha bucetinha e cuzinho, dos meus peitos e da minha cara de sofrimento e puro tesão. Depois colocou a filmadora num local estratégico onde me aparecia toda e ele e o Léo vieram para cima de mim, me chupando, colocando o pau deles na minha boca e socando os três cacetes para dentro e para fora. Eu gozei umas três vezes e depois eles ficaram se revezando, cada hora um ficava filmando e o outro ficava judiando de mim. De vez em quando eles tiravam os cacetes da minha xana ou do meu cú e metiam os cacetes deles. E eles reclamavam: “Nossa, como a sua buceta ficou larga! Está entrando fácil” Gozei mais uma vez. Ficamos nisso por um tempão.

Quando eu chorei e disse que não aguentava mais eles me soltaram as mãos e as pernas, que ficaram até marcadas. Eu mal conseguia tirar os cacetes de dentro de mim. Tirei eles um a um, bem devagarinho, pois me davam choques de tesão sá de encostar neles. E meu padrasto filmando tudo. Fomos tomar banho, e eles tiveram que me carregar e me colocar na banheira. O Léo me levou uma vitamina de maçã, eu nem aguentava comer. Coloquei a minha mão na minha xana e ela estava arrombada, alargada, achei que ela não voltaria mais ao normal. Meu cuzinho estava anestesiado e inchado. Saí dalí direto para a cama e dormí até o outro dia. Apaguei!

Quando eu acordei no outro dia, me levantei e a primeira coisa que fiz foi olhar a minha xana com um espelho, ela estava vermelha mas tinha voltado ao normal, apertadinha. Desci para tomar café pelada mesmo. Meu padrasto já estava tomando café, sá de cueca. Ele me abraçou e me deu um beijo na boca delicioso. Me sentou no colo e me perguntou como eu estava e o que eu tinha achado do dia anterior. Eu disse que estava átima e que tinha adorado, e disse que minha bucetinha tinha voltado ao normal. Eu sentei em outra cadeira e abri as pernas para ele ver. Ele mandou eu ficar naquela posição e foi pegar a filmadora. Colocou ela filmando e lambuzou minha xaninha com mel e ficou lambendo. Que delícia! Ele lambuzou o pau dele com o mel e me deu para chupar. Nisso chegou o Léo reclamando: “Puxa já começaram e nem me chamaram...” Eles me deitaram em cima da mesa e me lambuzaram toda de mel, meus peitos, minha barriga, minha xana e meu cuzinho. Ficaram me chupando e eu chupando o pau deles lambuzados de mel. Gozei gostoso. Tomei o café toda melada mesmo e depois fui tomar banho.

Saí do banho e meu padrasto nos chamou para o quarto dele de novo, disse que hoje ia ser a continuação de ontem... eu arrepiei sá de imaginar que ia passar por aquilo de novo e o que mais eles estavam aprontando. Pedi para não ser algemada na cama como ontem, meu padrasto disse que tudo bem, mas que depois ia me amarrar os braços para a surpresa final.

Eles posicionaram a câmera e começaram a me chupar. Depois veio meu padrasto e meteu na minha xana e eu chupando o Léo. Depois e Léo deitou e eu sentei no pau dele e meu padrasto meteu no meu cuzinho, ficamos assim até nás três gozarmos. Meu padrasto disse que eu precisava ficar muito lubrificada e para isso eles tinham que me encher de porra. Eu fui ficando curiosa, mas não perguntei nada. Eles vieram de novo com os paus de borracha e fizeram igual ontem. O Léo pegou a filmadora e ficou filmando de perto a minha bucetinha sendo alargada com aquele cacete espinhudo e o vibrador juntos e o meu cuzinho sendo invadido pelo outro da cabeça grande. Meu padrasto enfiou tudo sem dá e me fez gozar de novo.

Eu ainda estava meio bamba quando o meu padrasto disse: “ Agora é que nás vamos ver até onde você aguenta!”

Eu me assustei e olhei para ele se levantando para pegar o terceiro cacete de borracha, o negro, lembram dele? Pois é, era o maior deles, um troço gigante. Fiquei muda. Meu padrasto lambuzou ele de vaselina e eu fiquei pensando onde ele ia enfiar aquilo, afinal eu já estava totalmente preenchida. Ela mandou eu ficar deitada e algemou minhas mãos para cima na cabeceira da cama. Ele mandou o Léo ficar filmando tudo de pertinho.

Eu estava deitada de barriga para cima e algemada, meu padrasto me mandou abrir bem as pernas que ele ia trocar os brinquedinhos de lugar. Ele tirou o vibrador o depois o espinhudo da minha buceta e o outro do meu cuzinho, então olhou para a minha buceta e perguntou para o léo se ela estava alargada o bastante para aguentar o negro. Aí ele colocou a cabeça daquele puta cacete preto na entrada da minha buceta e começou a empurrar. Mesmo lambuzada a cabeça custou para entrar, ela foi entrando devagarinho e abrindo mais a minha buceta, estava me arrombando mais ainda. Eu gritava e chorava, pedia para eles pararem mas eles não pararam, meu padrasto ia forçando e o cacete ia entrando. Quando ele já tinha entrado uns 19 cm ele parou e falou para eu relaxar que já tinha entrado a metade. Eu soluçando disse espantada: “Metade? Sá?” E eu achei que tinha entrado tudo, aquele cacete estava me preenchendo toda e disse que não aguentava mais. Mas meu padrasto disse: “Vamos ver...” E começou a fazer um vai e vém, e com uma das mãos ficava esfregando e apertando o meu grelinho. Eu fui relaxando e gostando, já não chorava mais e ele ia enfiando mais, pouco a pouco, cm por cm. O Léo estava com os olhos arregalados, tinha hora que ele até se esquecia da filmadora, a filmagem ficou meio tremida, tinha hora que ele filmava o chão de tão bobo que ele ficou.

Quando eu senti a cabeça daquele cacete no meu útero eu falei com o meu padrasto, e ele ainda forçou um pouco para ver se entrava mais, mas doeu e eu reclamei com ele. Ele parou e mediu o que tinha sobrado para fora, sá tinha sobrado uns 5 cm ou menos, ficamos todos abobados. Tinha entrado uns 25 cm e ele tinha a grossura de uns 8 cm, era quase a grossuro do pulso do Léo. Meu padrasto ainda não estava satisfeito, ele me virou de lado e se deitou atrás de mim. Perguntei o que ele ia fazer, ele nem disse nada e começou a meter o pau dele no meu cuzinho. Ele gemia e dizia que era demais, que meu cuzinho estava apertadinho e ele sentia o cacete de borracha enfiado em mim. Eu fui à loucura. Até que o pau do meu padrasto entrou fácil, afinal eu estava com o de borrahca enfiado no cú até pouco tempo atrás. Ele ficou bombandoe mechendo no cacete na minha xana, e o Léo filmando. Depois de uns 19 minutos ele gozou e encheu o meu cuzinho de porra. Ele saiu e trocou com o Léo, ele foi filmar tudo e o Léo foi todo feliz comer o meu cú. O Léo demorou sá uns 5 minutos para gozar e eu gozei de novo, já tinha perdido a conta de quantas vezes gozei.

Depois que o Léo me encheu de porra meu padrasto veio de novo com o cacete espinhudo, me virou de frente de novo e mandou eu abrir as pernas. Começou a enfiar o cacete no meu cuzinho, devagar. Aqueles espinhos iam rasgando as minhas pregas, e o cacete ia entrando... o Leá filmava tudo. Meu padrasto ia forçando e ajudando com o dedo a abrir meu cú, para o cacete entrar direito. Ele meteu os 20 cm daquele cacete no meu cuzinho, sá sobrou um toquinho, e eu fiquei entalada com aqueles dois cacetes enfiados em mim. Minhas pernas estavam dobradas e abertas ao máximo. O Léo cava closes dos cacetes enfiados em mim. A porra que eles tinham gozado no meu cú estava escorrendo pela minha bunda, ela tinha vazado enquanto meu padrasto enfiava aquele cacete no meu cuzinho.

Ele começou a movimentar os dois cacetes dentro de mim e o Léo pôs o pau dele na minha boca para eu chupar e continuava filmando. Gozei deliciosamente, rebolei, urrei e me contorci toda. Sentir aqueles dois cacetes gigantes dentro de mim me dava arrepios, até que desmaiei de tesão. Meu padrasto me contou que depois que desmaiei eles ainda tiraram os cacetes de dentro de mim e me comeram desmaiada, cada um meteu na minha xana e no meu cuzinho. Era uma fantasia deles me comer enquanto eu estivesse dormindo.

Depois ele enfiou os dois cacetes em mim de novo e me carregaram até a varanda, colocaram uma toalha no chão num lugar onde quem chegasse no portão pudesse me ver. Me deitaram de pernas abertas e com os cacetes enfiados em mim e ficaram escondidos filmando a reação das pessoas.

Primeiro foi o carteiro que chegou e ao colocar a carta na caixa me viu. Ele ficou parado sem entender nada, olhou para os lados e para dentro da casa, como não viu ninguém ele colocou o pau prá fora e começou a bater uma punheta. Ele ficou doido. Ele gozou e a porra dele espirrou para dentro do portão, que é de grade, depois ele guardou o pau todo melado e foi embora. Meu irmão ficava perto do muro vendo quem chegava perto, para evitar que alguém conhecido ou algum parente chegasse e visse aquela cena. Eles queriam que quem me visse fosse desconhecido. Daí a pouco chegou um mendigo para pedir comida ou esmola, ele se assustou e nem acreditou no que viu. Tirou o pau pra fora e começou a bater uma punheta e ficou me chamando, para ver se eu acordava. Ele também gozou rapidinho, mas ainda ficou um tempo com o pau prá fora e vendo se eu acordava. Como eu não acordei ele foi embora.

Depois foi a vez de um senhor de uns 55 anos ou mais, ele estava vendendo uns livros e também não acreditou no que viu. Ficou me chamando um tempo e depois olhou para os lados e para dentro de casa. Como não tinha ninguém ele pôs o pau prá fora e começou a bater uma punheta. Ele gemia e me chamava de gostosa. Foi aí que eu comecei a acordar, eu abri os olhos e vi aquele velho nojento com o pau pra fora batendo uma punheta e me chamando. Eu olhei em volta e não vi ninguém, estava com os dois cacetes de borracha enfiados em mim ainda. Quando eu ia tirar os cacetes e ia embora, eu escutei meu padrasto me chamando e fazendo sinais para eu deixar os cacetes dentro de mim e ir chupar o velho. Primeiro eu não quis, mas aí ele mostrou que estava filmando tudo, aí eu comecei a gostar da idéia. Me levantei com dificuldades e segurando os cacetes com uma mão fui até o portão e me agachei com a boca perto do pau do velho. Ele pôs pau entre as grades e eu comecei a chupar, ele se abaixou para poder passar as mãos nos meus peitos e ficou amassando eles. Ele queria que eu levantasse e virasse a bunda para ele, olhei para o meu padrasto e ele mandou eu fazer o que ele queria, eu tirei o cacete que estava no meu cú e deixei o outro, me virei de costas para o portão e encostei a bunda nele. Ele encaixou o cacete no meu cuzinho que já estava todo relaxado e meteu com força. Ele ficou metendo no meu cuzinho e olhando para os lados para ver se vinha alguém. Ele me levantou e ficou passando a mão nos meus peitinhos e mechendo no cacete que estava na minha xana. Ele me perguntou como eu aguentava um cacete daquele tamanho e perguntou o que estava acontecendo. Eu disse que era uma garota de programa e estava realizando uma fantasia do dono da casa. Ele perguntou porque eu estava largada pelada e sozinha ali, mas eu disse que não sabia. Ele começou a gozar no meu cuzinho e me chamava de linda..... depois que acabou pediu para eu chupar o pau dele e depois deu uma chupada nos meus peitos e foi embora agradecendo e dizendo que eu era muito gostosa e linda.

Eu tirei o outro cacete da minha buceta e falei pro meu padrasto e pro Léo que não acreditava no que eles estavam fazendo comigo. Meu padrasto me disse que estava querendo realizar todas as fantasias perversas dele. Aí ele me levou para o canil e soltou o nosso cachorro, um boxer grande, e me pegou no colo de pernas abertas e colocou minha xana no focinho do cachorro, ele cheirou e começou a me lamber. Nossa que tesão que eu senti, era diferente, a língua dele era mais áspera que dos homens e aquele focinho gelado encostando em mim era uma coisa doida. Mas eu disse que não queria transar com o cachorro não, isso não. Meu padrasto ficou insistindo, mas eu não quis. O Léo concordou, falou que isso era sujeira. Meu padrasto ainda me mostrou o pau do cachorro que já tinha ficado de fora, aquela coisa vermelha. Ele mandou eu pegar e ficar brincando um pouco com ele, o pau estava duro e pingando uma gosminha. Meu padrasto mandou eu chupar o pau do cachorro, mas eu não quis. Ela mandou eu ficar de quatro para o cachorro subir em cima de mim e ficar brincando. Eu disse que não, mas ele disse que era sá um pouquinho, que não precisava transar de verdade, era sá para ele filmar o cachorro fazendo os movimentos em cima de mim. Eu fiquei de quatro e o Léo colocou o cachorro atrás de mim, ele cheirou a minha buceta deu uma lambida e subiu em cima de mim. Eu pedi ao Léo para ficar olhando e não deixar o pau do cachorro entrar em mim. Ele ficou bombando no meio das minhas pernas enquanto meu padrasto filmava. O cachorro estava doidão, e vez em quando o pau dele entrava na minha xana e saía, doía um pouco, pois ele metia com força e rápido. E fiz que ia sair mas o cachorro estava me segurando com as patas da frente, e meu padrasto mandou eu ficar. Uma hora o pau do cachorro entrou e não saiu mais, ficou atolado lá dentro, eu pedi pro Léo tirar, meu padrasto deu um close, mas na hora que o Léo pegou no pau do cachorro e começou a tirar ele rosnou e olhou para o Léo. Nás ficamos com medo e meu padrasto achou melhor continuar e deixar ele acabar. Ele ficou metendo um tempão, e metia cada vez mais fundo, quando ele começou a rosnar de novo nás vimos que ele estava gozando dentro de mim, eu sentia a porra quente dele jorrando na minha buceta. Ele ficou um tempão gozando, era muita porra. Eu estava sentindo uma coisa estufada dentro da minha buceta me incomodando, estava doendo um pouco. Depois meu padrasto falou que era o ná, uma bola que cresce na base do pau do cachorro quando ele goza. E aquilo tinha inchado dentro da minha buceta quando ele estava gozando. Quando o cachorra saiu de cima de mim ele se virou de costas e eu vi que ele estava grudado em mim, o pau dele não queria sair, eu fiquei desesperada, e quando eu tentei sair doeu pra caramba, pra mim e pro cachorro. O Léo tentou tirar mas não dava, doía muito. Tive que ficar de quatro grudada nele até desinchar o pau dele. Meu padrasto achou graça e disse que era exatamente isso que ele queria ver, e continuava filmando. Depois de uma meia hora finalmente o pau do cachorro saiu, começou a escorrer muita porra da minha buceta misturado com sangue, me machuquei nessa. E o cachorro veio me lamber de novo, ele limpou a minha xana todinha.

Eu não achei graça, tanto que eu nem gozei e ainda xinguei o meu padrasto. Disse que estava com raiva dele por ter feito isso comigo. Fui tomar banho.

Depois falei que não ia continuar com mais nenhuma sacanagem, eu não aguentava mais, estava com a buceta machucada e meu cuzinho inchado. Mas ficamos na sala conversando sobre tudo o que fizemos e começamos a assitir a fita que meu padrasto tinha filmado.

Nossa! Tem cada cena digna de filme pornô de primeira qualidade. Virei uma puta mesmo. Ficamos todos muito excitados com a fita, mas eu realmente não aguentava fazer mais nada. Quem sabe outro dia quando a gente assistir de novo a fita e eu não estiver esgotada.... Meu padrasto me disse para não tentar transar com o cachorro de novo sozinha porque senão eu posso ficar ainda mais machucada. Que eu sá tinha aguentado porque estava com a buceta alargada por causa do cacetão negro, e ele sabia disso, foi sá por isso que ele me fez transar com o cachorro.

Depois que eu vi a fita é que eu pude ver os detalhes de toda essa sacanagem que fizeram comigo, e agora eu posso contar para você com mais detalhes e me lembrar de muita coisa para poder te escrever, senão acho que nem lembraria de tudo. O Léo até me ajudou a escrever tudo isso. Estou levando 3 dias para poder escrever tudo isso. Comecei no Domingo à noite e estou acabando agora, afinal depois de me recuperar e Léo me parava no meio da histária para dar uma trepadinha comigo, ele diz que fica muito excitado me ajudando a escrever tudo isso e lembrando de tudo. Ele fica me tentando, passando as mãos nos meus peitos, como ele está fazendo agora, e me puxa para me comer.....

Bom acho que acabou por aqui......depois vai ter mais...... principalmente agora que acabaram alguns segredos e muitas barreiras foram ultrapassadas.... quero sá ver o que vem daqui pra frente..... virei um objeto sexual mesmo nas mãos do meu padrasto e do meu irmão.......

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Fui fudido pelo velho contos gayminha esposa adora segurar o pau do meu sobrinholevei minha mulher para 5 dotadoscontos de sexo no bus primeira vezcnto mulher de ssia entra no cineporno pela primeira vez e deu para variosincesto com homens bem velhos e bem dotados com meninas novinhas novos relatosconto zoo velha carentezoofilia dssascontoseroticosnobanheiroconto erotico com o tio no carrover video porno isaura vendo o marido traindo ela transando tambemcontos eroticos de prima puta safada e com um rabo de puta que foi fazer uma visitinha pra tiaContos eroticos dinheirocontos tia preferidacontos eroticos dominada por mulequinhosconto incesto perdia a aposta meu filho me comeumulher dominando casalconto erotico teen gay iniciaçãopedreiro passando a língua no cu do afeminadocontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteenbreaguei minha irmã comi o cu delacantos eróticos d********* para o meu irmãocontos filha bucetudacomo fui estuprada contos eróticoscontos eroticos fetiche trans branquinhaporno os caes mais aloprados do mundo gozando em novinhaso cachorro e o melhor amigo da mulher relatos de zoofiliacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteeu.tinha.cinco.anos.e.ja.dava.o.cu.pro.meu.primo.contos.prpibidoscontos eroticos arrombando a gordaconto porno transei com meu paicontos minha prima defisiete me viu batedo umacontos exitantes meu marido dormindo bebado e eu com outro do ladoler contos de jovens heteros iniciados por outro jovem no sexo gayContos eroticos minha namorada me fez de corno no estacionamentocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentexvidio.esfregando o pau so no short vermelinhoa calcinha toda travada no rabocontos eroticos de vovocontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosContos: namorada safadaconto.erodico.neu.marido.mim.em.sinou.a.ser.safada.na.cancontos minha filha 11aninhosContos eróticos pênis descomunalcache:tCqBSJiMNvAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_6_13_orgias.html Dei o cuzinho quando já era coroa contos eróticoscontos er deixa que levomeus tios uma historia real 1contos tia com fome de picacontos eróticos comendo minha alunavai dar rolê tudo gordona aí tudo mulher gorda só de biquíni bem gordona da bundona bem gorda da bundonaconto mae e filho bebados fazem sexo depois na valta de uma festacontos eroticos pagando divida do filhoxporno ddespistandocontos picantes de lambida na chanacontos eroticos,peguei minha filha e sua amiga transandocalcinhas usadas da minha tia,safada contosconto o cachorro me comeu no celeiro da vovómurhler.abusada.estrupradocontos elas gostam de chupar e punhetamachos colosso por caralhosminha amiga sapa e eu chupando contoxoxota as infinitaschupando até ela gozar dirá cx aodcomparando pintos contospunheta na infancia com amigoesposa fode com doze homensdoeu meu cu entreu a mao