Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A MINHA AMIGA COME MEU BURAQUINHO

Eu pertenço a uma família evangélica fervorosa. Meu marido, com quem sou casada há 21 anos, é contra o sexo anal. Eu sempre quis experimentar. Uma vez, durante um momento íntimo, sugeri que ele me penetrasse no ânus. Ele disse não e ainda me xingou. Disse-me que aquele orifício foi feito para sair fezes e não para entrar o pênis. Sexo anal é contra os princípios da igreja. Eu o amo muito, aceito ele do jeitinho que é. Faz parte de suas crenças. Eu não consigo ser como ele e questiono sim qualquer coisa que não entendo. Que o Senhor perdoe-me, mas confesso, para você que está lendo este meu relato, que eu dei meu cu e adorei. (risos) Nos dias que eu dei (e não foram poucos), tive muitos orgasmos.rnEu tenho uma amiga de longa data. Denise. Estudamos juntas desde pequeninas. Apenas na faculdade fizemos cursos diferentes. Eu cursei odontologia e ela pedagogia. Eu sou mamãe de dois filhos. Igor (18 anos) e Roberto (15 anos). Denise é mamãe de três filhos. Patrícia (19 anos), Letícia (17anos) e Carla (16 anos). Denise está separada há cinco anos e mora com suas crias. Lindas! Ela é minha madrinha de casamento. Um dia, conversando com ela em sua casa, como de costume, falávamos de nossas vidas íntimas. Denise tinha acabado de se separar. (seis meses) Estava carente! Eu não sou boba... Aproveitei-me disso! (que Deus me perdoe ? risos) Ela, na ocasião, havia me contado mais uma de suas noites de amor com seu ex marido. Ele sempre enfiava no buraquinho dela. (e ela adorava, viu!) Fiquei excitada pela maneira que ela me confidenciou. Muitos detalhes! Tomei coragem e disse-a, sem cerimônias:rn- Dê... Eu quero dar meu cu para você! Aceita?rnEstávamos, até então, descontraídas. Notei que, depois do meu convite, Denise ficou sem graça. Séria! Um silêncio tomou conta da sala. Instantes depois, ela quebrou o gelo e me disse:rn- Aaai, Lú... Assim você me deixa sem graça! Que coisa!rnEu sorri para ela e abri meu coração:rn- Denise, eu sempre tive vontade de experimentar e meu marido nada. Ainda me xinga! Eu o amo demais para dar meu buraquinho para outro homem. Não quero traí-lo. Não é do meu feitio. (esta é a sorte dele) Por isso, quero dar para você. Eu confio em ti. Se você topar, ficarei hiper feliz.rnDenise comentou:rnLú... Se você der para mim, será uma traição do mesmo jeito. Você não acha?rnEu mantive a minha posição:rn- Dê... Eu quero dar meu cu para você! Aceita? Eu sei que será uma traição... Mas me sentirei melhor por você ser minha amiga e não uma pessoa qualquer.rnDenise, muito sem graça, olhou-me. Sorriu e disse:rn- Mas eu não tenho pinto, Lú!rnEu suspirei e falei:rn- Eu sei, Dê. Você pode vestir uma cinta com pênis e me penetrar. Topa?rnDenise disse-me que iria pensar. Acabamos mudando de assunto. Eu senti que ela passou a me olhar de um jeito diferente. Ela parecia estar conseguindo ver, pela primeira vez, desde que nos conhecemos, a mulher que eu sou. Ela não estava vendo apenas a amiga dela, mas uma fêmea carente. Isto eu pude sentir, claramente, nos olhares carinhosos que ela passou a ter sobre mim. O tempo passou! Eu sempre oferecendo meu buraquinho para ela, mesmo que em tom de brincadeira. Denise orientando-me a comprar brinquedinhos em sex shop. Lubrificantes à base de água. Incentivando-me a brincar comigo mesma!rnFoi um período (3 meses) de muito aprendizado. Meu ânus estava acostumando-se receber, sem dores e nem traumas, vários brinquedinhos quando eu me masturbava. Diversos tamanhos e modelos. (risos) rnEu comecei a notar que eu não estava em busca de algo para preencher meu cuzinho. Eu desejava, cada vez mais, Denise para trocar carícias comigo e realizar minhas taras. Eu me vi apaixonada pela minha melhor amiga! Ela correspondeu aos meus anseios... Num belo dia, diante de mais um convite meu, Denise disse sim! Eu não acreditei. Bastava eu escolher o dia. Até um brinquedinho bem gostoso ela já tinha. Voltei para casa maravilhada e cheia de idéias. rnAproveitando uma viagem profissional de meu marido, marcamos um encontro íntimo em minha casa. Meu filho mais velho estuda em outra cidade. Meu outro filho estava com o irmão. Eu dei folga para a minha empregada. Pronto... Estávamos sozinhas para nos amarmos durante toda a quinta feira daquela semana de março de 2007.rnEram 10h da manhã quando eu tomei um banho bem gostoso dentro de minha banheira redonda. A suíte ficou com o cheiro dos meus sais de banho. Romã... Refrescante, efervescente e espumante! (relaxa e massageia a pele ? sua ação, esfoliante, deixa a pele lisinha) Ao sair da banheira, me vesti para esperar a minha amiga do peito. rnUm par de meias, pretas, sete oitavos. Uma calcinha de algodão e um mini corselete na mesma cor. (meus seios ficaram à mostra) Prendi meus cabelos (rabo de cavalo) e coloquei brincos de argolas. Passei sombra preta nas pálpebras de meus olhos castanhos escuros e blush nas minhas bochechas. Brilho labial rosa. Tamancos pretos. rnEu estava hiper excitada! Nunca tinha me vestido com aquelas lingeries. Sentia alegria e liberdade. Fiquei admirando-me frente ao espelho. Sem medo. Sem ser criticada pelo meu marido. Olhei para meus cabelos, olhos, boca, orelhas, pescoço, seios, bumbum, vagina, coxas, pés e minhas belas pernas. Eu me virava para lá e para cá. Rebolava. Fazia caras e bocas. Uma delícia. Eu me achei linda. Eu me desejei! Isto foi maravilhoso para levantar a minha auto-estima. (faça este exercício. Fique nua frente ao espelho e ame seu corpo. Deseje-se! Valorize-se!) Claro, eu não sou nenhuma menininha de 19 anos. Tenho celulites, estrias, gordurinhas localizadas em todo o corpo. E qual o problema? Nenhum. O que realmente importa é estar bem com minha cabeça e saber utilizar meu corpo da melhor maneira. Viver a minha sexualidade.rnPor volta do meio dia, Denise chegou. (antes de abrir a porta, vesti um sobretudo preto - fiquei linda!) Portava bolsa e um nécessaire. Cabelos soltos, cheirosos e macios. Blusinha e sandálias laranja. Calça jeans. Batom vermelho e brincos, também de argolas. Cheirosa. Doce perfume!rnEla chegou, cumprimentou-me com beijos no rosto e disse:rn- Amiga... Tem um brinquedinho fantástico pra você aqui dentro de meu nécessaire! Você irá amar! É tudo!rnEu sorri. Excitada por ela e pelo momento já estava! Denise pediu-me para tomar um banho. Queria tirar o suor do corpo. Dia quente.rnApás o banho, vestiu poucas roupas. Calçou as sandálias. Vestiu a calcinha preta de algodão e uma camisete na mesma cor. As duas de preto!rnDenise olhou-me! Seus olhares eram de desejos. Eu senti. Meio sem jeito, disse-me:rn- Tem algo para beber?rnEu nos servi uma bebida ice. Conversamos sentadas na minha cama enquanto assistíamos um canal a cabo, de sexo. Uma cena com tudo a ver... Duas meninas fazendo amor! Denise comentou:rn- Miga, eu não sei se me sairei bem te penetrando com o brinquedinho. Nunca fiz isso! Apenas vi em filmes.rnEu a respondi carinhosamente:rn- Dê, fique tranquila! Somente o fato de você ter aceitado este meu louco convite, já me é o bastante. Somos amigas desde sempre. Tenho segurança contigo. Confiança. Por isto, te escolhi.rnDenise suspirou e disse-me:rn- Eu irei vestir a cinta com o brinquedinho.rnDenise levantou-se, abriu seu nécessaire e escolheu um brinquedinho. Prendeu a cinta em seu corpo e caminhou até mim com aquele negácio pendurado e balançando. (risos ? ela estava muito engraçada) Um pênis de silicone de tamanho 19 x 4cm. Parou em pé, na beirada da cama. Entrou no clima da sedução! Olhou-me. Chamou-me com seu belo dedo indicador. Engatinhei sobre minha cama e abocanhei aquele troço no meio das pernas dela. Duro ele já estava... Chupei-o! Denise acarinhava-me os cabelos e não tirava os olhos de mim. Suas mãos eram tão macias. Senti uma sinergia entre nás duas. Ela pediu-me que tirasse o sobretudo. (queria me ver) Quando me viu toda produzida, ganhei o dia! Arregalou os olhos nos meus seios de fora:rn- Lú... Que linda! Amei...rnEu me senti a poderosa. (risos) Voltei a empinar meu bumbum e abocanhar aquele negácio de silicone. Meus seios balançavam.rnMeu nome é Luciana, 43 anos, 1,59m, 66Kg, seios e bumbum grandes. Coxas grossas e pele bem cuidada. Denise tem a minha idade, 1,63m, 67Kg, seios médios e bumbum grande. Coxas grossas e pele macia.rnDenise retirou o membro de minha boca, passou lubrificante e pediu-me que virasse o bumbum, permanecendo na posição de quatro. Quando eu me virei e o empinei, ela me apalpou e disse:rn- Miga... Que bundão gostoso! Tire a calcinha?rnEu, maliciosamente, olhei para trás e sussurrei-a, piscando:rn- Tire pra mim, Dê?rnDenise mandou-me fechar as pernas e com as duas mãos revelou meu bumbum macio e liso. Os seios dela roçaram-me, sob camisete. Fiquei ainda mais excitada! Um calor tomava conta de meu corpo. Meu rosto queimava. Disse-me que eu estava super cheirosa. Despejou-me bastante lubrificante na porta do meu ânus. Abriu as bandas de meu bumbum e começou a pressionar o brinquedinho para entrar. Eu grudei em meu travesseiro e fui liberando passagem. Ela, percebendo que eu estava contraindo o buraquinho, parou de introduzir e retirou-o. Passou mais lubrificante e disse-me, carinhosamente:rn- Lú... Relaxe! Faça de conta que você está fazendo cocô. Force para abrir seu ânus. Quando você sentir que entrou um pouco, relaxe. Entendeu?rnEu respondi, suando e excitada:rn- Tudo bem...rnDenise segurou novamente no meu bumbum frio e começou a enfiar, carinhosamente, dentro de meu ânus. Quando a cabeça do pênis de silicone entrou, senti uma dor forte que, logo depois, foi diminuindo e ficando agradável a sensação. Grudei no lençol da cama. Aguentei firme. Segui os conselhos dela. Fiz força com meu ânus para ele abrir e depois fui relaxando a musculatura assim que ele ia me penetrando. Delícia! Denise colocou mais lubrificante. Enfiava lentamente, sem voltar muito para trás. Eu peguei um vibrador, com formato de batom, e fiquei massageando-me o clitáris. Nossa... Muito gostosinho! Ela enfiou-me todo o brinquedinho. Começou a mexer para dentro e para fora, sem tirá-lo! Eu estava realizada! Amei dar o cu. Meu ânus foi moldando-se frente aquele corpo estranho. (risos) Amei sentir uma mulher proporcionando-me prazer. O quadril dela encostava ao meu. Suas coxas. Eu já estava quase gozando quando ela me disse:rn- Está gostosinho, Lú?rnEu nem respondi... Pelas minhas reações, ela logo notou que eu estava gozando. Denise continuou. Apenas tirava-o, de vez em quando, para lubrificar. Os seios dela balançavam sob a camisete e ela também estava hiper excitada. (tinha lambuzado sua calcinha junto comigo) Até tapinhas ela deu no meu quadril. Denise disse-me: rn- Vire... Quero fazer em você te olhando!rnEu me virei. Fiquei de barriga para cima e abri minhas pernas. Denise penetrou-me e olhava-me sem parar. Desejamo-nos! Ela chegou perto de mim com seu rosto macio e acabamos nos beijando de língua. Não deu para resistir! Lábios macios, pele lisa e cheirosa. Uau... Eu estava beijando minha melhor amiga enquanto ela me penetrava o ânus! Loucura! Seus cabelos pendurados tocavam-me a pele. Pinicavam-me. As minhas contrações estavam intensas. Meu quadril tremia e eu gemia sem parar. Sua língua lambia a minha. rnO brinquedinho escorregou para fora e nás duas rolamos juntas e nos beijando loucamente sobre a cama. Arranquei sua camisete e logo estava abocanhando aqueles seios maduros. Passando minhas mãos em sua bunda... Seu corpo todo! Quando a toquei, sua calcinha molhada estava sob o brinquedinho! Denise gemia bem gostoso em meu pescoço. Chupou-me os seios. Pescoço e orelhas. Desceu me lambendo até o meio de minhas pernas. Fechou os olhos e esfregou seu rostinho liso na minha xana. Eu vi estrelas! Sua língua entrou-me gostosa. Sugou-me. Abriu, com as pontas dos dedos indicadores, meu clitáris e judiou-me lambendo. Gozei diversas vezes na boca dela. Depois foi a minha vez. rnTirei aquela cinta, com o negácio pendurado, e desci sua calcinha. Abocanhei-lhe os seios. Que gostosos... Pareciam duas almofadas de tão macios! Passei minhas mãos em seu bumbum e vagina. Ela estava encharcada. Quando coloquei minha boca, senti seu líquido escorrer e fiquei louca! Chupei e lambi tudo. As contrações dentro da vagina dela faziam seu quadril tremer na minha boca. Eu senti o sabor de seu mel. Engoli aquele líquido picante e salgadinho. (ácido) Seu reguinho suado e seu cheirinho de cu sem lavar estavam tudo de bom. Enfiei meus dedos e brinquei com seus orifícios. Abria os lábios de sua vagina e enfiava a língua. Depois os dedos. Uau... Como é gostoso chupar uma boceta! Um cu bem gostoso! Batia em seu bumbum enquanto fazíamos meia nove. Trocamos prazer intensamente. Intensos orgasmos naquela quinta feira! Lindo!rnPassamos a nos relacionar sexualmente. Eu continuo com meu marido e Denise, de vez em quando, aparece com um namorado. (mas nunca deixa de me procurar para fazermos amor ? risos) Estamos juntas há quatro anos. rnEu notei que, com ela, sinto prazeres diferentes dos quais tenho com meu marido. Ele quase não me chupa a vagina. Quando chupa, parece que faz de brincadeira. Ele não tem vontade e não se lambuza! O meu cu? Ele nem chega perto. Eu digo a você, que está lendo este relato, que fazer amor com Denise mostrou-me um mundo que, até então, eu desconhecia. Eu sei que este prazer não é apenas por ser uma relação lésbica. Ele acontece pelo fato de, tanto eu quanto ela, nos entregar de corpo e alma. Isto pode ocorrer entre qualquer casal, seja ele de homem e mulher ou homem e homem ou mulher e mulher. Entre quatro paredes vale tudo! Não tenha nojo e experimente o sexo do outro. Brinque... Chupe... Beije... Aproveite!rnNo começo deste ano, meu marido me elogiou na cama. Disse-me que estou gostosa e que eu parei de falar em sexo anal. Porque será? (risos) Que estou sendo uma boa serva do Senhor. Eu o amo, bem como minha família. Vivo minha sexualidade.rnObservação: Com este meu relato, quero deixar claro que não estou fazendo apologia apenas a uma variação no desenvolvimento da sexualidade (lesbianismo) nem incentivando ninguém a abandonar sua religião ou trair seu companheiro (a). Não! Masturbe-se. Conheça seu corpo. Seus orifícios. A forma escolhida por mim pode não ser a escolhida por você. Que Deus nos perdoe! Se eu for para o inferno, tudo bem! Não tenho medo. Pelo menos, aqui na Terra, eu fiz o que eu achei certo fazer. Por amor. Atire a primeira pedra aquele que não tem pecados. (risos) Até o pastor de minha igreja é pecador. Se não fosse, não estaria aqui na Terra. Lembre-se: o diabo sá atenta quem está perto de Deus!rnPessoal, por hoje é sá! Fique em paz e obrigado pela leitura. Beijos.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


casada e o tarado contosconvidei minha irmã para tomar cerveja e acabamos indo pra um motel contos eróticoscontos eroticos arrombando a gordaConto troquei o oleo com meu patraocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erotico vovo e a vovo lamberam minja bucetacontos eróticos esposa amanheci toda meladaporno fode minha buceta vai étoda sua vaiahhhhcontos eroticos rabudascontos abobrinha na bucetacontos erotico traindo maridocontos eróticos mulher maduramelhores contos gays descobri a putinha que havia em mimcontos eroticos de casadas com instaladorescontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomedor de cu de secretarias casadas casa dos contosConto reunião de familia minha tia travestidei a bunda contosmadre superiora e felino no banheiro e mete nela de sexocasa dos contos roubei a calcinha da minha cunhada pra bater uma punhetam insinuei e fui estrupada e gostei muito contos eroticoscontos eroticos cumendo o cuzao cabeludo da minha maemeu sobrinho entrou no quarto tava dormindo contopeguei no pau duro e acabei chupandomenininhas fudendo com vários cachorros contos eroticoscontos sogra ajudandoChupando o peito da priminha gostosa:*contos eróticosperdendo as pregas do cuzinhocontos eroticos escritos incesto vovô e eu.contos eroticos de incesto: sou cadelinha do meu filho 2conto erotico gay coroa viuvo faz viadinho de femeaContos filha de 7 com papaide tanto insistir em ver minha mulher em cima de outro pau ...conto erotico sougostosa e taradacontos de putaria em familiacontos eróticos sogra vira p*** do genro picudoconto amigo heterocontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiConto gay incesto rocacontos eróticos menino pintinhogostosa qee depois de levarvarias encoxada persebeu qee ta toda gozadaFuderan meu cu e minha esposa ajudou os carasresolvi dar pro meu filho contos eróticos com fotoscache:FPfKk_mm7mAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_9_9_zoofilia.html contos dormi de fio dental e me ferreivídeo pornô caseiro ele comeu minha b***** só na manha meteu bem devagarinhocontos.eroticos.so.taradinhas.de.seis.aninhosprofessor peludo conto gaycontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepriminha abafando primo com sua bucetaos bêbados mais lindas gostosas de todos os tempos pelados mostrando o pauContos eroticos fui comido na locadora d videos pela travesti pauzudaconto tia safada no banhoconto erótico amiga grelo línguacontos eroticos pai estupra filha com amigosnelma putinha rabudagrelao 4cm contoscontos eróticos novinhomeu filho mete o dedo no meu cu e eu gostoContos eróticos de lésbicas gemeas sarrando a bundairma incesto contoscontos compadre do avô no sítio gayEu fui trabalhar numa empresa eu comi minha patroa japonesa no motel conto eroticohistoria de mulher cazada que tranzou com seu cachorro bem grandecontos eu comendo minha esposa meu cachorro trepou nela ela adorocontos porno casadas o negrinho safadocontos eroticos,eu e minha maniia de mini saiacontos eróticos tia chegando da festa bebadaconto minha tia pelada no quintalcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos alisando a esposa do meu amigorainha que gostava de analamo cheirar a boceta da minha esposa pela calça