Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU E PEDRO NUMA TARDE INFINITA I

Eu estava louca para fazer sexo, louca mesmo, sempre me esfregava em algo ou sempre estava pegando na minha xoxota. Eu sempre gostei de vestido e de saias e logo aprendi a não usar calcinha, eu já estava com uns 19 anos quando parei de usar calcinha.rn rn Nessa época uma amiga minha tinha perdido a virgindade com o namorado dela e me contou como tudo aconteceu, ela era 3 anos mais velha que eu, mas eu decidir que não iria esperar a idade dela para perder a minha. Eu aos 19 anos já era alta, tinha 1,70, magra com pernas e coxas grossas, bunda grande e seios médios, os garotos da escola me chamavam de gostosa, e eu era mesmo, e adorava deixar os meninos doidos com meus shortinhos, eu fazia muito esporte, sempre estava cercada pelos meninos. Uma ou duas semanas apás a minha amiga me contar sobre o sexo que fez com o namorado, eu resolvi ir para escola sem calcinha, eu estava de saia e me sentia muito sexy. Na hora do intervalo, eu e minha turma ficávamos na parte de trás da escola, embaixo de umas arvores, lá tinha alguns bancos, e era ali que a gente matava aula e fumava também, nesse dia quando a gente estava lá eu falei para uma das meninas que estava sem calcinha e ela ficou pasma e disse que iria contar para o restante do pessoal e contou mesmo, os meninos adoraram saber e ficaram me olhando com curiosidade. A hora foi passando o intervalo acabou e o pessoal resolveu voltar para aula, porem eu e o Pedro ficamos. Assim que estávamos sozinhos o Pedro veio mais para perto de mim. ?Você realmente esta sem calcinha? Sá acredito vendo.? Eu comecei a sorrir e fui me sentar no banco sozinha, bem no meio, com a perna meio aberta, mas sem deixar nada aparecer. ?É claro que estou.? Pedro veio para mais perto. ?Prova então.? Pedro não se aguentava de curiosidade. ?O que eu vou ganhar em troca?? O Pedro sentou apressado ao meu lado, olhando para minha saia que era acima do joelho. ?Eu mostro meu pinto pra você.? Pedro agora me olhava. ?Ok, mas quero que você mostre primeiro.? Ele nem pensou duas vezes, puxou a calça e colocou o pinto pra fora. Eu fiquei de boca aberta, porque nunca tinha visto um pessoalmente, o pinto dele era grande nem fino e nem grosso. Como prometido eu levantei a saia e mostrei minha xoxota, acho que ele também nunca tinham visto uma pessoalmente, e eu para provocar mais, abri as pernas e comecei a passar os dedos por ela, por dentro e por fora. ?Adoro ficar passando a mão nela desse jeito, ela fica molhadinha olha sá.? Meus dedos estavam molhados, eu abri a xoxota e ele não tirava os olhos, e eu continuei esfregando. O Pedro sorria, estava adorando, pegou na minha coxa, me olhou e eu falei que ele podia tocar. Ele meio inseguro passou a mão na minha xoxota e ficou esfregando ela, ele apertava, esfregava e quando tirava a mão logo colocava a outra e eu falava pra esfregar com mais força, ou ficar esfregando somente o grilinho, ele tinha os dedos grossos, pedi pra ele enfiar o dedo, e ele fez, eu sentir doer e me afastei e falei pra ele fazer de novo devagar, e ele fez, mas ele sá colocava a pontinha do dedo e cada vez mais eu ficava molhadinha, já estava até escorrendo um pouco, o Pedro então olhou pra mim, sorriu e começou a me beijar, foi um beijo maravilhoso. A tarde foi caindo e eu tinha que ir pra casa, ai eu pedi segredo, e disse que teria outras vezes. Durante os dias seguinte, continuei indo para aula sem calcinha, e a gente continuou dando uns amassos e claro que o Pedro continuou passando a mão na minha xoxota, porém tudo mudou duas semanas depois quando fui na casa dele. Ele era filho único e não tinha mãe, o pai dele estava assistindo futebol quando passamos pela sala e fomos para o quarto. Assim que cheguei no quarto já fiquei nua. Deitei na cama com a perna aberta e o Pedro ficou nessa de ficar passando a mão na minha xoxota e eu já não queria somente aquilo. ?Faz outra coisa Pedro, sá isso não tem graça.? O Pedro ficou me olhando sem saber o que fazer. ?Você quer que eu coloque meu pinto nela?? Eu na hora fiquei animada, mas para nossa surpresa o pai dele estava na porta do quarto olhando pra gente. Primeiramente eu fiquei com medo, mas depois com a cara mais safada do mundo disse: ?Quero que você coloque teu pinto na minha xoxota sim (eu falava com o Pedro mais olhava para o Sr Mendes), mas se você não souber como fazer seu pai pode te mostrar. O Sr quer pegar na minha xoxota? Vem pegar nela vem, olha sá, ela esta aberta molhadinha te chamando.? Eu abri mais as pernas na direção do Pai do Pedro e fiz sinal com a mão para ele. Ele sorriu e veio na minha direção, passou a mão na minha xoxota e olhou para o filho sorrindo. ?Muito bem garoto, quando uma puta abre as pernas e te oferece a xoxota, você tem que comer, e essa putinha aqui é linda e gostosa, então eu vou comer ela e você fica olhando e aprende como fazer pra depois fazer a mesma coisa.? Eu me animei mais ainda. ?Me come mesmo, mas eu sou virgem, nunca dei pra ninguém, apenas deixou o Pedro passar a mão, mas eu deixo o Sr me comer.? Ele levantou o rosto deu uma gargalhada. ?Putinha, você querendo ou não eu vou te comer, vou comer tua xoxotinha (nessa hora ele apertou ela) e vou comer o teu cu da mesma forma que eu como o cu dele.? E começou a sorrir de novo. O Pedro tava tão calado e sentado em um canto, que eu quase nem reparei nele, na verdade eu fiquei meio assustada com a forma que o Sr Mendes gargalhava e falava aquelas coisas, eu já estava arrependida. ?Pedro, vai buscar o lubrificante, hoje vou me divertir bastante.? Nem tive tempo de olhar se o Pedro obedeceu, mas tenho certeza que sim, o Sr Mendes me puxou pelas pernas e caiu de boca na minha xoxota, na mesma hora eu me arrepiei toda, era uma maravilha sentir a língua dele me lambendo, chupando meu buraco, e às vezes ele cuspia na minha xoxota e esfregava-a, minha xoxota pulsava e eu respirava tão rápido e me contorcia toda, eu estava sentindo prazer. Quando ele achou que foi o suficiente, arreganhou mais a minha xoxota preparando para colocar aquele pau duro e grande dele. ?Vai doer um pouquinho agora sua putinha.? E eu senti a cabeça do pau dele entrando em mim, e já estava doendo, e ele continuou forçando para dentro. ?Não para, ta doendo, chega, chega, não quero mais não.? Eu estava sentindo muita dor, mas ele apenas gargalhava e forçava mais aquele pau para dentro, eu já estava chorando, tentava de toda forma escapar dele, mas não conseguia e de uma vez sá ele enfiou o pau com tudo e começou o movimento de vai e vem, e aquilo me rasgou e me queimou por dentro e eu já estava chorando pedindo para ele parar, porque tava doendo muito, mas quanto mais eu pedia para ele parar, com mais força ele fazia, era um vai e vem tão forte que eu sentia as bolas dele me batendo. Ele não parava, gemia com gosto e ficou me socando aquele pau por uns 19 minutos com força, depois começou a diminuir a velocidade, e eu achei que finalmente iria terminar ele tirou o pau de mim. Olhou pra minha xoxota, passou a mão nela e disse: ?Ela ainda não ta toda arregaçada, precisa de mais pau duro entrando e saindo. Você não queria ser fudida, agora eu vou te fuder.? Ele continuou, me socava com tanta força que eu perdi as forças, sentia cada vez mais dor, minha xoxota tava queimando, mas o pior era quando ele diminuía a velocidade, quase parando e começava de novo, parece que ele sabia que doía mais, depois de muito tempo que eu não soube estipular, ele parou. ?Vem cá Pedro, abre a boca.? Eu estava encolhida na cama chorando com muita dor, olhei para o Pedro bem na hora que ele coloca o pinto na boca do filho e gozava. ?Engole tudo.? O Pedro obedeceu, e ele deu outra gargalhada. Olhei para mim e eu tinha sangue escorrendo pelas pernas, o pano de cama do Pedro também estava todo cheio de sangue.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


travesti gemendo a ponta da pistolaconto erotico pastor deseja novinha de pieitos gostos e fartosContos eroticos: Fui forcada por meu pai ohohhconto dei minha buceta pro mendigocontos eroticos da infância incestocomhendo ass evangelicas contos eroticos2paus nu mesmu buracucavalo enchendo a bucetadeporracontoerotico quase corri negrinho caralhudofantasiarnrnhttp:www.swingbrasileiro.com.bralbum.phpconto erotic praia de nudismocontos eroticos diversos safadeza e assanhamentocontos eroticos arrombando a gordachamo me samanta e ao escrever este conto estou com 19 anosContos homem casado se veste de munher e da cucontos eróticos sequestrodei minha buceta para os amigo do meu filho contos eroticoa cunhada mais nova pede para o seu cunhado gozar em sua boca tem RNA tomar galaonto de encesto fui pega minha filinha no precontos eroticos minha namorada virgemcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemae de causinha melada quado da de mama profilhoecotra coroa que.evie vido sexo avivocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos mulher sai para trabalhar com o consolo no cuContos iniciano as garotinhascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteencoxando rabuda no trem casa dos contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepapai descobriu contos eroticosdois gay fudendo violentamentw/entre siquero assistir uma mulher gritando e gemendo na cabeça da Chibata do pônei do cavalo pôneicontos de patroaconto erotico liberei minha mae pro meu amigoMinha prima viu-me a mastusou loira baixinha paguei de puta no samba contos eroticosmeu chefe me chupouzoofilia mulher carente arruma um componheiro pra lir da prazerconto sou. chupeteiraContos eróticos teens troca trocacontos prima novinha dando cuzinho de surpresacontos eroticos gay hormonioscontos: puto dando ao ar livreConto erótico com foto no interior vizinha peludacontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiComtos namorada fodida por homems casadosler contos de sexo de mulheres sendo chantageada na estrada por dotadosso os dotaduscontos eróticos virei marido da minha irmãconto porno de amigas casadas fudendo com machos picudos nas ferias  Marilia e Juliana estavam mais uma vez fr ente a frente para uma dolorosa batalha. Ambas traziam nos corpos as marcas feitas pela outra em combates violentos e sangrentos. Marilia vestia tão somente uma minúscula tanga branca fio dental. Juliana uma  contoseroticosmacontos torei o cucda minga vizinha de treze aninhoa e ela vicioucomi minha prima contos eroticosPresentes grandes para minha esposa contos eroticosvisão dos sonhos dos cornosconto eroticos.chupContos eroticos amorosa amigacontos filhinha brincando com a picacontos erotics maduras tias coroastransformação contos eroticosvideos de molhe rosado a buseta na onttra e gozandotoda noite de madrugada ele me bulinava conto eróticoscontos eroticos meu.padrasto me.comeucontos metendo na tiacontos reais seduzindo com roupa o cunhadoirma fazendo faxina levando rola no cucontos eroticos de despedidas de solteiraVer buceta mulhere mas buntuda do mundo contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eroticos com velhosconto erotico comendo a massatorepeutaMinha tia coroa mostrou seu bucetao peludo contosmeti o cacete na maninha conto