Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DEI, CHUPEI, FUI HUMILHADO NO CINE IRIS


Dois dias depois tive outra folga grande e fui de novo no Cine Iris. Cheguei cedo, antes das duas já estava lá. Não adiantou muito porque sá depois das três começaram a chegar machos mais interessantes, fora os velhos e esquisitos que frequentam o local.
Eu estava em baixo circulando quando dei de cara com um cara com um magrão alto, de camiseta machão e bermuda, por volta de uns 2830 anos. O cara não era dos mais bonitos, mas dei uma olhada de cima em baixo. O cara não se tocou, continuou assistindo o filme. Como não sou de insistir, deixei de lado e segui circulando, fui pro terceiro andar. Quando voltei pro segundo andar, o cara magro estava encostado na parede e sozinho. Achei que poderia dar pé e me aproximei, puxando papo. Soube que ele era de Niterái e era tímido, sá respondia o que eu perguntava. Cheguei a pensar em desistir, até que resolvi ser bem direto: - Você gosta de fazer o que? – Bom..., eu curto comer.... disse ele. Percebi que a coisa estava meio sem jeito e disse que eu gostava de chupar.... tava procurando algo gostoso pra por na boca. O papo rolou mais uns cinco minutos e resolvi me afastar, indo para o peitoril ver o filme de lá.
Passou-se um tempo e o cara veio do meu lado, falando: - Olha... vamos fazer meio a meio? Você chupa primeiro e depois eu te como, tá ok?, e sua mão já estava na minha bunda, alisando ela toda. – Você vai adorar dar pra mim... vamos? E foi me empurrando pro fundão do mezanino do segundo andar, um lugar que tem mesas e é mais escuro, onde rolam verdadeiras orgias naquele cinema. É muito frequente rolar ali transas entre 3 ou 4 caras.
Nos enfiamos no meio de um grupo de caras que estavam por ali, uns fudendo outros sendo chupados e outros apenas se masturbando assitindo. O clima era erático e logo eu e o Jurandir, esse era o nome do magrão, já estávamos embalados. Alisei a rola dele por cima da bermuda dessas de tactel e percebi que estava sem cueca; enquanto ele alisava minha bunda, meu peito e me dava um amasso. Naquela hora era tudo ou nada: ou eu entrava na transa e concordava em dar pra ele depois ou me mandava. Resolvi ter certeza da coisa: - Você tem camisinha? – Tenho, disse ele, e tirou um pacotinho com três do bolso. Naquelas alturas eu já estava alisando o pau dele, meio duro, e senti que não tinha volta.
Jurandir abriu a bermuda e eu me ajoelhei em sua frente. Seu pau era totalmente depilado, ele não tinha um fio de pentelho nem em cima nem nas bolas. E, para minha surpresa, se revelou bem maior do que eu podia imaginar, uma vez que Jurandir era magro. A rola tinha perto de 20 centímetros e era grossa, com um cabeção bem pronunciado. Adorei, é claro, e comecei a sorver, primeiro sá a cabeça e depois descendo pelas laterais, sentindo o gosto e o cheiro de meu novo macho. Ele devia ter tomado banho não fazia muito tempo, pois ainda cheirava a sabonete. Sem pelos pra atrapalhar, logo minha boca gulosa desceu firme e eu abocanhei toda a pica, enterrando tudo até a garganta. Foi bem gostoso sentir esse primeiro contato profundo. Jurandir deu um suspiro longo de tesão, e percebi que adorou. Ficamos ali mais uns cinco minutos, mas a posição estava incômoda. Disse a ele para irmos mais pro fundo, onde me sentei numa cadeira. O problema é que ali a coisa estava fervendo. Bem ao meu lado outro cara chupava um negrão. Mais perto, um outro dava o cu; e vários caras se espremiam no entremeio para apreciar as cenas.
Fiquei sentado e Jurandir entre minhas pernas de pé. Para mim ficou melhor, e pude me dedicar a chupar aquele pau tesudo com dedicação. Ele curtia a chupeta babada (como eu gosto de fazer), e logo sua rola estava escorrendo saliva. Um cara parou de lado e ficou apreciando, muito perto de mim. Jurandir não fazia por menos e socava a pica em minha boca, em movimentos de quadril pra frente e pra trás. Vendo a cara de tesão do cara ao lado, que já tinha posto seu pau pra fora e se masturbava, Jurandir fazia comentários com ele: - Caralho... como chupa bem.... á sá... entra todinha..... O cara de lado devia ter uns 40 anos, não muito alto mas troncudo, estava de jeans. Tinha uma pica grossinha, que eu via pelo canto do olho, pois ele estava praticamente grudado em nás. As vezes ele acariciava minha cabeça e a segurava pela nuca, no momentos em que Jurandir enterrava todo seu pau na minha goela.
Depois de algum tempo eu e Jurandir conseguíamos sincronizar legal, ele metendo e eu abrindo a garganta pra receber seu caralho sem engasgar nem tossir. Vendo aquela metida facial supertesuda, o cara do lado devia estar delirando de tesão, pois me incentivava a chupar mais, me acariciava o corpo e, alguma vezes, chegou a esfregar seu pau no meu rosto e pescoço. Enfim, o clima era de tesão em grau máximo.
Devia fazer já uns 20 minutos que Jurandir estava fodendo a minha boca e achei que ele tinha esquecido o sexo anal. Que nada! Ele tirou a rola e falou: - Agora baixa a bermuda.... quero te comer, seu putinho.... encher teu cu de porra. Enquanto eu me despia, ele encapou o pau. Virei de costas pra ele e, apoiando na cadeira, me curvei até onde deu. Nisso senti Jurandir dar uma cuspida em meu cu, passar a mão com bastante saliva e enfiar a ponta de um dedo. Olhei pra tráz e vi ele passando saliva no seu pau. Logo procurava meu cu, passava o cabeção e me segurava com a outra mão. Quase dei um urro quando a cabeça entrou, pois a forçada foi total. Mas ele estava no auge do tesão e não ia controlar mesmo; eu, também tomado pelo tesão, aguentei firme e deixei rolar. Doeu na hora que entrou, pois a pica era grossa. Ele se curvou sobre mim, com meia rola dentro do meu cu, me alisava as costas e me chupava o pescoço. – Cuzinho apertado, cara... pensei que você fosse arrombado.... vou esperar um pouco. Eu estava retesado, pela dor e pela má posição, mas me segurei e me concentrei em relaxar. O cara que tava de lado começou a mexer nas minhas polpas, abrindo minhas nádegas, o que acabou ajudando. E Jurandir, aproveitando a situação, deu uma cravada funda, entrando todinho em mim. – Calma... já entrou.... agora vai ser sá alegria.... relaxa.... putinha tesuda.... puta cu gostoso.... vou te arrombar legal, vai passar a tarde toda dando a bunda.....chupeteiro e cuzudo.... viado tesudo, adoro arrombar um cu. E, no meio dessa putaria toda, logo começou a deslizar seu pau pra frente e para tráz. Suei pra aguentar no começo, mas fui relaxando e comecei a curtir.
O cara de lado, nessas alturas, estava em minha frente, alisando seu pau e me fazendo carinhos o tempo todo. Numa hora pegou minha cabeça e dirigiu pra seu pau. Eu, que já estava me achando uma puta, tremendo todo de tesão com as investidas fundas do Jurandir, apenas abri os lábios e deixei seu cacete entrar em minha boca. Jurandir, vendo a cena, não sei se ficou com raiva ou com mais tesão e falava pro outro cara: - Mete mesmo... nessa bicha chupadora..... tá com pau no cu mas o negácio dela é beber porra...sá se satisfaz com a boca toda esporrada... paulista veio pro Rio dar o cu e chupar pica.... safada.... vai chupar todos os caras aqui do lado.... vai todo mundo gozar na boca dessa cadela chupadora.... E, nesses momentos, dava tapas em minha bunda, se exibindo para os demais machos ali ao lado. Eu me sentia humilhado, mas fazer o que? De fato, eu estava dando com muito prazer pra um cacetão enterrado no meu cu e com a boca ocupada em mamar outro cacete gostoso.
O cara de lado segurava minha cabeça e metia firme. Seu pau não se comparava com o do Jurandir, mas era tesudo, muito duro e ele sem dúvida estava no auge do tesão. Eu me sentia todo sacudido, com as investidas firmes do Jurandir atrás e com o outro pela frente. Minha nossa, como eu estava adorando aquilo tudo.
O primeiro a gozar foi o cara de lado. Segurou firme minha cabeça e soltou seus jatões todos dentro da minha boca. Ao perceber o cara gozando, Jurandir acelerou suas metidas e falava junto ao meu ouvido: - ... tá gostando da porra, gulosa... chupa tudo... até ficar limpo, cachorra chupadora de pau..... E, me dando uma mordida no ombro, senti sua investida fatal, aquela de quem começa a gozar, inteiramente cravado até o talo. Em vários espamos, sua pica pulsava dentro do meu cu, eu sabia que ele estava ejaculando fartamente, pois me apertava contra seu corpo e respirava com sofreguidão.
Quando consegui me recuperar de todas essas sensações de prazer, cuspi no chão a porra que havia recebido na boca, mas Jurandir ainda estava dentro de mim, meio apoiado sobre meu corpo, mas o cara de lado já havia ido embora. Jurandir aos poucos foi ficando novamente em pé e, muito lentamente, foi tirando seu pau de dentro, já na meia bomba. Eu me sentei na cadeira exausto, enquanto ele arrancava a camisinha, deu um ná e me entregou: - Leva de lembranca pra São Paulo.....abotoou a bermuda, deu um sorriso sacana, um tapinha carinhoso no meu rosto e me jogou um beijo, dizendo: - Gostosa....
Dois caras que estavam de lado se punhetando, e que certamente viram toda a cena, logo se aproximaram me oferecendo seus paus. Mas eu não tinha forças pra mais nada, sorri e neguei. Rumei para o banheiro pra me arrumar e voltar correndo pro hotel, me largar na banheira e repousar, depois de mais esta incrível aventura na leiteria do Cine Iris. Não sei quando vou voltar ao Rio, mas espero que muito breve.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos sou casada mas adoro pica de cavaloscontos eroticos com transComtos mulher fodida pelo marido e o filhocontos seduzi minha mãe com o tamanho do meu pauconto erótico de homens que tiveram experiência com alguns homensconto aquela mulher mexeu na minha buceta cu teenrelatos eroticos de casais trocando e os homens se alisandocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos gay empregadinhacontoseroticos as 2 filhas daminha visinha vierao brincar com minha filhinha wuen brincou foi eumeu genro me comeu o cu contosaçeitou suruba com amigos sua vizinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos incesto férias com mamãeempregadinha empolgadasubstitui o papai contos eróticoscontos eroticos arrombando a gordacache:tCqBSJiMNvAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_6_13_orgias.html contos baixinha popozudacomtos de incesto com subrinha bebada depos da balada no carrocorno obrigado a chupar pica contocome o cu da soggra adormecidacontos eroticos fudendo com uma travesticontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos de mulheres tendo suas tetas mamadas por animais e eles metendo nelasver travesti dano o cu pra sincaras r chupano pimtoContos eroticos incesto meu maridoescrava sexual contosfilha minha femea contojovem mostrando os pelinhis fino ds bucetacunhado insistiu ate da uma rapidinha com a cunhadacontos eroticos cunhada me ajudou quando me acidenteiConto Erótico Real - Casada Infelizcontos gays sendo o viadinhos dos adultos que me humilhavamminha mulher deixou a calcinha suja de porra no banheiro contos eroticoscontos lesbicos visita ao ginecologistacontos eroticos viadoConto cm foto d esposa putinhaConto sogra e nora esfregando a buceta na buceta da filhacotos erotocos piscina casadaarrombando a enteada contos eroticosconto gay fui abusado no alfanato pelo os fucionariomulher leva enrabado de cachorroContos vovó no banhoistorias de mulheres fudeno com dogycontos eróticos na plantaçãoler contos de jovens heteros iniciados por outro jovem no sexo gaydanada da minha cunhada louca pra darcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteperdendo a virgindade com o meu namoradocontos eróticos quando tentou por a cabeça senti que não ia caberTio come sobrinha a força contos eroyicosNayara chupando contoIncesto com meu irmao casado eu confessotive que dar contos eróticostrs com minha tia no banheirocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico defia um diero comi ela pornocontos gay puta obedientecontos eróticos minha mãe pintinhovideos para deixar o namoradoexitadoconto gay cu cheio porraContos eroticos minhas irmas e minha mae fizeram um gang bang com muitos negoes no sitiocontos de buceta é cúensinei meu amigo nerd a transar contosencoxado no onibus contos viadinhoela me endinou a roçar grelo com gtelo/contoainda havia dor mamilo grande e pontudo vídeo pornôcontos eroticos bebadacontos eroticos o porteiroconto gay macho arroganteCU arrombado ABERTO madrasta conto