Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

BOQUETEIRA GERAL NO DARK-ROOM

Em 2011 fui a BH a trabalho, pra fazer um curso e acabei visitando uma boate gay da cidade, uma mais “sujinha”, digamos assim. O lugar tava lotado, devia ter somente umas 5 mulheres e o resto era tudo viado e bofe. Fiquei a observar e ver o movimento, dançando uma ou outra música. Aparecem uns dois carinhas querendo me beijar, um me beijou e saiu. Eu já meio bêbado, lembrei dos antigos Dark-roons que frequentei umas duas vezes em boates gays e que peguei até chato de um carinha que na ocasião estava ficando (ou de alguém lá daquele pulgueiro escuro e nojento). Lembrei do trauma que passei quando peguei chato, aqueles bichinhos tipo piolho que ficam no nosso pentelho e que coça pra caramba e resolvi não mexer com aquilo naquela boate, mas a curiosidade foi maior, e o tesão também. Procurei o dark-room e acabei entrando, me prometendo sá observar e quem sabe ser um vouyer e bater uma punheta. Fiquei observando, e tinha, na parte que ainda dava pra ver os vultos, uns cinco carinhas, todos parados, e no fundo, uns dois viados parece que fazendo boquete um no outro. Saí dali e fui pegar mais cerveja. Dei uma volta, observei de fora o movimento de quem entrava e saía do dark-room. Vi um carinha tesudo entrando lá e fui direto, atrás. Cheguei lá, a mesma situação, todos os poucos observando alguém dando o cu no fundo, onde não se vê nada. Algums acendiam piscando o isqueiro, e aí dava pra ver a meterola. Não consegui ver a cara de ninguém, nem na parte um pouco mais iluminada, sá o vulto. Uns dois caras vouyers que estavam nessa parte não totalmente escura tiraram o pau pra fora e começaram a se punhetar devagar( sá via os vultos). Tirei o meu pau pra fora e também comecei, bem tímido. Procurei ver o carinha gostoso que segui ao entrar e fiquei na dúvida, mas acho que era ele e ele estava parado, sá observando. Continuei a minha punheta solitária, devagar e, sem esperar, sinto uma mão me punhetando. Faço o mesmo com o cara, que tinha o pau bem duro, uns 19 cm, gostoso de pegar, quente, pulsante. O cara vai e fala no meu ouvido pra eu chupar ele. Desço, fico de cácoras coloco aquele pau gostoso na minha boca e começo a mamar gostoso aquela delícia, aproveitando cada mamada pra chupar e engolir. Percebi pela pouca luz que era um moreninho, afro-descendente, meio gordinho (a pistola parecia de afro mesmo, duraça). Fiquei chupando ele um bom tempo e sinto uma mão na minha bunda. Saio dele, ao mesmo tempo preocupado em não ser roubada a minha carteira aí um outro cara se ocupa de chupar a pistola do afro e dou de cara com uma outra invadindo a minha boca, maior (uns 20 cm, uma delícia), não muito dura mas tava gostosa demais, com um gosto gostoso, raspada, brancona. Comecei a curtir mamar esse pau branco e diferente do anterior, com gosto diferente, gosto forte de porra, não babento. Chupei gostoso um bom tempo (uns 19 minutos), engolindo tudo e o cara (viado mesmo) mexendo nos meus cabelos, e eu com o meu pau pra fora me punhetando. Nessa hora olhei pros lado e tava uns dois casais fudendo na parte mais iluminada e quase todo mundo pagando boquete. Nessa hora o cara tira o pau dele da minha boca e mandar eu me levantar, segurando o meu pau, e começo a receber um dos boquetes mais gostoso que já recebi até hoje. O cara (o viado, na verdade, mais afeminado que eu) me mamava gostoso, suavemente, fazendo movimentos circulares com a língua e eu bombando gostoso na boca dele e ele dando conta, me mamando desesperadamente, mais devagar do que pra rápido, mas me mamando com muita maestria. Fiquei de pé metendo na boca dele gostoso e ele de joelhos no chão, agarrado á minha cintura, eu gemendo alto, alguns olhando a gente e se punhetando. Não gosto de fazer isso mas anunciei o gozo e gozei gostoso na boca dele, enterrando o meu pau até a garganta e gemendo alto (que delícia!). Tirei o pau da boca dele e ele ainda lambendo e tentando chupar mais um pouquinho, mas subi as calças e dei o fora daquele dark-room, antes que o carinha viesse atrás de mim (eu não vi o rosto dele, e nem queria ver, com medo dele ser horroroso rsrsrsrs e eu acho que ele era). Saí do quartinho e fingindo estar abotoando o cinto (que já estava abotoado) pra mostrar pra um carinha que tinha me divertido muito enquanto ele ficou fazendo cu doce pra me beijar antes deu ter tido a idéia de adentrar naquele dark-room. Ele olhou pra mim olhei pra ele, peguei a última cerveja da noite, acertei minha comando e fui embora para o hotel que era bem práximo dali. Tava claro já. Dark-rooms são bons pra dar uma variada e fazer uma suruba, mas sempre com muito cuidado. Gozei gostoso na boca do cara, mas evito fazer isso. Abraços, votem!!!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


tesudas contocontos eróticos de casadas evangelicas vagabundas dando tudo por tesãocontos trai meu maridodesfilado de calcinha por dinhero contos eroticoroupa de couro esposa contosconto sou doida pra da pro meu sobrinhomamilo gigante vazando contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteVizinho come cu do vizinho nerd contos gaysCONTOS: TOPO TUDO POR UM HETERO PARTE 1 E 2www.mulhers impinadas de calcinhamarido enfias as duasmao no cu da esposaconto erotico gay motoqueiro marrenticomendo a cunhada nojenta contocontos eroticos minha espos chifruda dormindocarro empuramdo estaca no cu da branqui.ha quostosacontos gostosas juntas dando o cu pro homem caralhudoconto erotico meu cunhado viajou maninha pediu pra eu ficar com elaConto erotico meu pai me cobiçandocomtos exitantes"limpa o pau do seu macho"Minha mulher gosta de mostra a buceta pros meus amigos ai eles comem Ela contos eroticosminha bucta greludacontos eroticosComtos mae e filha fodidas pelos amigos do paixzoofilia animal casaro casadacasadas raspadinhas contoscontos duas pica no cumae short filho conto incestocaralho meu empurra tudo nu meu cuzinhocontos eróticos minha irma crentecontos eróticos pai sabe o k faz incestoempregadinha contopornô com cavalos mangalarga fazendo com mulheres no cavaletecontos eroticos sou casada tenho filhos meu marido otavio meu sobrinho parte 3conto de sexo com rabuda asquerosocontos eroticos de tres irmas gravidas do mesmo homeconto cu frouxo Contos Eróticos Caseiros: Menina perversa - 07Contos eróticos de coroas chupando seios grandes de garota dormindotia rabuda deitada prerto de sobrinhocontos de sexo depilei minha bucetaconto com teens fudrndo as duas sobrinhas de dez e doze anosconto erotico gay adotivogozei gostoso e tive que ir pra casa com a buceta cheia de porra. contos eróticoscontos de seco com meu tio aiii gostoso metiiicontos de envagelicas encoxadas e fudidas na frente do maridoconto erorico dando a buceta pro meu genro doenteporno não queria mais o meu filho fodeo e gosa dento da cona conaChiquinho chupando pintoconto erotico casada viu menino de pau durofudi as dua sobrinhas de nove e onze anos contoComtos pai fodemdo filha e amigas delamarido come a loira em silencio na cosinha e mulher espia boa foda sexocontos comi a japonesa rabuda casadacontos de safadas que trabalham em frigorificoGozou na minha buceta contos eroticosContos de mulheres, fudendo com seu avôComtos professoras casadas fodidas pelos alunos na aulacontos porno traição da senhoracontos a cunhada da primacontos eroticos algemada e sentindo um tesao e eles ainda me torturava mexendo na minha buceta moranade bct Grande batendo um pra amiga o pau do meu irmao contosporno idoido na purberdadecontos eróticos cuzinho da filha da namoradacontos reas de sexo marta minha tiasobrinha de calcinha na piscina contoscontos sexo minha mãe amor proibidocontos eróticos de mulheres do b****** grandepeguei meu pai comendo meu amigo conto eroticocontos putaria de crentesporno fui estudar na casa da prima gostosa e ela dise que ia ter aula de fidegarotinhas da bunda grande