Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ESTUPRADA POR 4

Sou morena, seios grandes e coxas grossas.

Estava viajando sozinha à noite pro interior para visitar parentes quando parei em um posto de caminhoneiros para comprar agua.

Vestia um shortinho jeans e uma blusa branca sem sutia, pois fazia mto calor.

Quando entrei no restaurante para comprar a água, vi que estava meio vazio. Estavam lá apenas o balconista e 3 caminhoneiros sentados em uma mesa. Todos ficaram me olhando e cochichando.

Pedi minha água e a chave do banheiro.

Entrei no banheiro, fiz xixi e qdo estava lavando minhas mãos a porta se abre e vejo balconista entrando e fechando a porta. Comecei a gritar, até que ele me deu uma bofetada que me fez cair no chão. Então sinto seu corpo deitando sobre o meu. Comecei a me debater e ele me xingava e me batia, segurando meus braços e dizendo que sá podia ser uma puta pra usar ese tipo de roupa e que era rola que eu estava procurando.

Sá sentia seu corpo fedido e suado, sua barriga gorda e suas lambidas em meu rosto.

Ele rasgou minha blusa, tiro meu shortinho, rasgou minha calcinha e me deixou cmpletamente nua.

Tirou seu pau pra fora e pude ver a grossura dele. Continuei gritando, não podia acreditar que nenyhum dos 3 estava ouvindo!

Me desesperei quando ele começou a forçar o pau na minha buceta, tentava escpar, mas era inutil, ele me segurava e me batia no rosto dizendo que ia me deixar toda arrombada.

Desisti de lutar quando senti a cabeça do pau entrando com dificuldade na minha buceta, centimetro por centimetro, enquanto ele gemia no meu ouvido me chamando de cadela, vagabunda, etc.

Seu pau entrava cada vez mais fundo, me rasgando, até que ele conseguiu meter até o talo. Pude sentir suas bolas baterem quando ele enterrou seu pau grosso e duro.

Então ele começou a socar.

Ele não tinha tirado uma peça de roupa. Estava sá com o cacete pra fora me fudendo como uma vadia qualquer naquele banheiro imundo.

Ele viu que eu parei de lutar e disse "viu como era isso que vc queria? agora aproveita esse cacete te comendo já q é isso que vc gosta"

comecei a chorar e vi que isso o excitou mais ainda, aumentando o ritmo das estocadas. O filho da puta começou a bombar cada vez mais forte, urrando de prazer, até que senti seu gozo preenchendo minha buceta. Ele ainda ficou uns instantes dentro de mim até se recuperar, até que se levantou me puxando pelos cabelos e me forçando a ficar de pe.

Pedi pra ele me deixar ir embora e ele falou que estava sá começando e que ainda ia levar mta rola.

Ele foi me arrastando pelos cabelos de volta pro restaurante que já esav todo fechado. A porra ia escorrendo pelas minhas pernas e quando entramos vi os 3 caminhoneiros ainda sentados lá. Ele me jogou no chão e eu tentei correr, mas fui impedida por um deles, um homem alto e barbudo que disse "achei que vc n ia terminar de comer ela nunca!" e o balconista respondeu "estava domando ela p vcs!"

Nisso um dos que estavam sentados se levantou e foi cuidar a porta enquanto o outro tirou o pau pra fora e me mandou chupar. disse que não e levei um tapa no rosto que me fez cair de costas. O barbudo se aproveitou e puxou minha bunda pra cima e começou a forçar seu pau no meu cu. Enquanto isso o outro enfiou seu pau com violencia na minha boca, me fazendo engolir todo e forçando minha cabeça pra frente e pra tras.

Vendo que não estava conseguindo me penetrar, o barbudo pediu ao balconista um pote de manteiga e os dois começaram a lambuzar minha bunda.

eu queria gritar, mas aquele pau na minha boca abafava qualquer som.

Sentia varios dedos penetrando meu cu, não sabia nem de qm eram mais.

O barbudo recomeçou sua tentativa e desta vez não houve resistencia, o cacete entrou facil e ele pode me enrabar com força, enquanto segurava na minha cintura.

aquele balconista gordo ria e acariciava seu pau, que ja estava ficando duro novamente.

senti aquele pau pulsando na minha boca e tentei me disvencilhar pra não engolir a porra, mas o balconista ajudou a segurar minha cabeça e os jatos foram direto na minha garganta, me fazendo engasgar. Ninguém se importava, continuavam metendo. Quando minha boca ficou livre, nao tive nem tempo de respirar, o balconista já foi metendo seupau pra dentro e mandando eu olhar pra ele enquanto chupava.

Obedeci e mamei enquanto era currada numa foda que parecia que não terminava nunca.

o barbudo batia na minha bunda e metia com força, sem piedade do meu cuzinho que já estava todo arrombado.

Quando finalmente senti os jatos de porra inundarem a minha bunda, o balconista afastou o pau e começou a gozar na minha cara.

Estava humilhada e toda suja do gozo daqueles 3 homens nojentos. Comecei a me levantar pra ir embora, mas o barbudo me puxou pelos cabelos e chamou o que estava na porta. "vc ainda tem que fazer o nosso amigo aqui gozar. o coitado estava vigiando a porta enqto vc aproveitava e vc não vai retribuir esse favor?" Eles riam enqto e implorava pra ir embora.

Vi que o vigia da porta estava um pouco timido, mas os outros começaram a provocar "vc não vai comer ela?? é veado por acaso?" "come logo, essa puta já ta toda fudida mesmo! E aposto que adorou!"

Então ele tomou coragem e me jogou em cima da mesa, abriu kinhas pernas e enfiou o pau todo de uma vez na minha buceta dolorida e gozada. Metia com violencia, arrancando gritos de mim, apesar de seu pau não ser mto grande, era grosso e parecia me rasgar ao meio.

Eu não conseguia nem chorar mais, fiquei quieta, sentindo suas estocdas, ouvindo as risadas dos outros, e esperando ele gozar. Mas ele tirou o pau e me mandou virar de costas. Obedeci com medo de apanhar, então ele abriu minha bunda, ficou olhando meu cu arrombado e gozado, mostrando pros amigos e rindo.

Então ele começou a enfiar devagar o pau, de proposito pra me fazer sentir dor. E foi me enrabando devagar, metendo até o talo e tirando, metendo e tirando, naquele vai e vem que estava me rasgando toda, por uns 19 min. Até que ele começou a bombar mais forte, e foi mais uns 5 min até ele gozar.

Depois eles me deixaram pegar minhas roupas no banheiro e pude ir embora dauqele lugar horrivel

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Xvidio mulhes que anda a noiteLóira safada narra conto metendo na coberturacontoseróticos/negropauzudoesfregacao de rola contos amigos punheteirosVizinha gostosa contos RuivaVizinha magrinha de cabelos preto fada do sexoprovoquei o velho e fui fudidasou uma safada/contoscontos deixa tiotia gosta de ver pau enorme de sobrinanos 90ho classico eu e minha mulher fudemos com nosso caseiro e suas filhas juntos contosconto esposa assediando garotoeu e minha amiga na pousada- conto eróticocoroa da buceta amaciada contoscontos eróticos de c**** a v******** de minha mulher deu para uma cunhadinhacontos eróticos incesto dando leite na boca da minha filhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteCU arrombado ABERTO madrasta contocontos eroticos escravizou minha namoradadescasados do litoral bundudatorando a coroa de bundão e cinturinha e bucetão carnudoContos homem fudendo a vizinha lesbicacontos chorei na picamais que irmaos contos eróticos virgenscontos fingi que dormia e comi minha filhaConto meu marido me devorou na madrugadacontos intimo de uma enteadaconto eroticos entre primosmoranade bct Grande batendo um pra amiga contos com fotos tia e sobrinho baixinho realsarrando a tia de saia curtinha contocomendo o primo e olhando pela janela Contos reais de sodomiacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosMinha irma adolecente taradinha em conto eroticocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos a calcinha da patroacontos eróticos de irmão irmão comendo a mulher no outroconto erodico a familia na praia de nudismocontos eroticos.os velhos meterao gostoso em mimmocinha do cu guloso contocontos eroticos um menino ou um homemTransando com cunhado na carrinha e meu marido nem percebeupelado com uma travesti contos eróticosCantos erótico minha irmã grito quando estava cumendo ela buceta carnuda comtos de sexo lesbicas conto gay virei viadinhodando transito por ter medo de multada fudercontos eróticos de prima e irmãmoças peladas passando margarina no corpo inteiro ate no cuquando era pequena mamava na pica do meu tiocontos eroticos punhetascontos de sexo pau e pau mais eu prefiro grande e grosso no cuzinhoporno travesti rosadinha menininhacontos erótico paizão enrabar filho gayConsolado pela sobrinhas contos eróticoscomeu cu da coroade 30anossguarda noturno maduro conto gayconto erótico infâncianegra da pra um de4 e chupa do outro por dificuldade em motelLóira safada narra conto metendo na coberturacontos heroticos de rapazes que foram comidos e descobriram que eram gayscontos eroticos com mae e filho e pai assistindocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomtos eroticosgarotascontos eróticos lesbicas dominando esposas heterosocar pasta de dente na vagina aperta.conto erótico garota da academia bombado no jumentohome pega amulher de com o melho amigo transano e fi loucopai e filinha pequen q deixa pai come ela contoscontos erotico com irmaocontos de sexo casado trocando cucontos eroticos algemada e sentindo um tesao e eles ainda me torturava mexendo na minha buceta