Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AMIGO GAY ENSINANDO ESPOSA A DAR O CÚ: PARTE 1

Meu nome é Carlos, tenho 43 anos e minha esposa é Roberta e tem 42 anos. Fui o primeiro homem dela, e com isso não tinha experimentado outra rola. Em um fim de semana estávamos sem nada programado para fazer e tomando café na manhã de sábado resolvemos ir para o litoral ( moramos em São Paulo ) e fazer o tradicional bate-volta, pois não tínhamos onde pernoitar. Depois de brincarmos no mar, fomos até um quiosque para tomar uma cerveja. Quando estávamos sentados na mesa batendo papo e comendo alguns petiscos, apareceu um amigo ( Paulo ) que trabalha com a minha esposa. Ele é gay assumido e em uma festa conhecemos o seu parceiro que mora com ele. É um cara legal e como não temos preconceitos com gays nos damos muito bem. Ele tem bastante liberdade tanto com a minha esposa como com outras amigas do trabalho.

Depois de um bom tempo batendo papo quando resolvemos voltar para casa o Paulo questionou que iríamos voltar com o corpo com areia e o sal do mar.

- Não tem problema, a viajem é curta. Falei

- Eu estou hospedado na casa de uma prima, e estou sozinho. Se vocês quiserem podem ir até lá comigo, tomam um banho e depois vão pra casa.

Minha esposa aceitou o convite e como a casa era um pouco longe, falou para ir conosco no carro, pois ele estava com uma bicicleta. O nosso carro é uma pickup da Fiat com cabine simples. Falei para colocar a bicicleta na caçamba e ir na cabine, pois além de proibido seria perigoso ir lá trás.

A minha esposa ficou entre nás dois, e logo depois que saímos ela falou que estava de mau jeito por causa do freio de mão.

- Paulo, como nás somos amigos bastante tempo, temos bastante liberdade, eu vou levantar e você fica direito no banco, que eu vou sentar no seu colo.

Ele ficou um pouco sem jeito diante do pedido, mas acabou fazendo o que ele mandou. Ela ficou de costas para a porta e o Paulo me questionou.

- Você não liga por ela estar sentada no meu colo?

A minha esposa respondeu antes que eu falasse alguma coisa.

- Além da nossa amizade, da liberdade que temos um com o outro, tenho certeza que você não irá fofocar com o pessoal do trabalho. E tenho que admitir que pelo fato de você ser gay eu não ligo em sentar no seu colo. É claro que se fosse com outro eu não faria isso.

Continuamos o caminho deste jeito, lembrando que o Paulo estava somente de sunga, e a minha esposa estava com um biquíni pequeno, e a parte de cima deixava a maior parte dos seus seios à mostra. Depois do banho a Roberta colocou um short pequeno e bem justo que marcava muito o seu corpo, com um top que realçava os seios e eu fiquei de bermudas. Enquanto o Paulo foi tomar banho eu brinquei com a Roberta como era sentar no colo de um gay. Ela deu risada e confirmou que sentiu o volume que ele tinha na sunga, e perguntou se eu não estava com ciúmes. Respondi que não, porém pelo fato dele ser gay, e ela confiava muito na discrição dele e não iria contar o fato no trabalho.

Depois que ele voltou do banho ficamos na sala batendo papo e tomando cerveja, eu estava sentado em um banco e ela estava com o Paulo no sofá, quando a Roberta fez um comentário que tinha esquecido o creme para passar depois da praia. O Paulo falou que tinha um creme bom para isso e ofereceu para ela passar. Depois de passar nas pernas ela pediu para o Paulo passar nas suas costas. Ela pediu para ele abrir as pernas e sentou entre elas ficando de costas para ele. Logo em seguida tanto eu como o Paulo ficamos surpresos, pois ela tirou o top para facilitar ele passar o creme.

- Paulo, pelo mesmo motivo que eu sento no seu colo, eu não ligo em mostrar os meus seios para você, e fazer topless é muito comum.

Depois que ele terminou de passar nas costas, ela falou:

- Você tem as mãos muito macias, aproveita e passa na parte da frente.

Falando isso deitou o corpo no seu peito e ele começou a passar o creme na sua barriga.

- Faça o serviço completo e pode passar também nos meus seios

O Paulo um pouco acanhado pela minha presença cumpriu as ordens da Roberta.

Em seguida a Roberta nos surpreendeu novamente.

- Paulo, se eu te fizer uma pergunta indiscreta você não fica bravo comigo? E se não quiser não precisa responder.

- Pode perguntar.

- Quando você está com o seu parceiro, você é mais ativo ou passivo?

- As duas coisas.

- Como você faz para não sentir dor na hora da penetração no anus?

- No começo doeu um pouco, mais agora já acostumei. Por que esta pergunta?

Eu estava praticamente sem palavras, e somente ria do papo dos dois e imaginando o motivo da pergunta dela, pois uma vez tentamos fazer sexo anal e consegui somente colocar a ponta do meu pau no seu anus, pois ela reclamou de dor e nunca mais ela quis tentar.

- Você promete que posso confiar em você. Não irá contar pra ninguém no nosso trabalho.

- Rô, é claro que pode confiar. Alguma vez eu já de decepcionei?

- Nunca tive pudores com o Carlos, mais uma vez tentamos fazer sexo anal e não conseguimos por causa da dor que senti, e pensei que você poderia me ensinar um jeito para não doer.

- Você está falando sério?

- É claro que estou. O Carlos é meu marido e não vejo problema em fazer com ele, o fato é que eu sinto muita dor.

- Ta legal. Eu tenho uma pomada que é melhor que as outras conhecidas no mercado. Ela além de lubrificar, ela deixa o anus relaxado. Ta na minha mala, e depois eu te empresto.

- Por que depois, e não agora?

- Agora? Fala sério?

- É claro. Em seguida me perguntou

- Você topa Carlos? Desde que casamos você quer me comer por trás. É uma boa oportunidade. Sá que o Paulo vai ficar junto pra me ajudar, já que ele está acostumado. Rsrsrs

- Rô, você está falando sério, ou esta sá me gozando, pelo fato de ser gay?

- Nunca falei tão sério. E repito novamente, eu confio plenamente em você que não irá contar pra ninguém o que está para acontecer aqui.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos porno minha namorada mi engañocontos eróticos chantagiei estrupei minha irmazinhaconto erotico dopei minha espos e comi ela de todo geitoContos eroticos de asados fasemdo trocas com as esposasrelato ocaseiro do sitio arrombou o cu da minha esposacontos eróticos frio chuvaconto no mato espiando a filha tomar banho no riuensetivando ser corno contoscontos de sexo comi minha sogra vadia na frente da irma delacontos eroticos arrombando a gordacontos crossdressers no cinemamedica seduzidapor lesbica historiasEu e minha sobrinha de 19 anos de idade no motel conto eroticocontos eroticos babdido comeram eu e meu maridocontos eróticos ajudei traircontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos zt i: blackmailcontos eroticos de escrava de madameminha buceta gosa de esguinxando contos eroticosContos eroticos de mae e filhoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos d uma mulher virgem amarrada no curral e estupradabuceta praia toninhas currada no caminhao contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de incesto minha filha sendo comidacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentebudao fudida por varios brutoscontos eróticos velhinho transando com jumentocontos me chamo camila transei com felipe meu irmaoconto erótico corno babacafudendo a nora no sitio escondido contocontos eróticos prazer extremocontos eróticos chupando bucetasContos eróticos transei com a mãe casada do meu melhor amigopresenteano minha esposa com outra rola contos eroticoscantos erotico brincando de baralho com sobrinhaCasa dos Conto a beira de uma suruba esposa casadaenfiando a perna da capeira na bucetaNoiva de salto contos eroticosfilha cadela contos eróticoscontos eroticos arrombando a gordatravesti gemendo a ponta da pistolaContos eróticos me violentoucontos erótico de lesbianismovendo a cunhada depilando a buceta contosconto minha irmao feis um boquete pramincontos eróticos levei meu filho para a praia de nudismo so para ver o pau delecontos/como descabacei minhas filhasconto erótico dominando casada bravadoeu meu cu entreu a maoRealizei a fantasia do meu colega e eu virei cornogarota da buceta grande cetado nado negãoContos eroticos de travestis tarados.Contos eroticos tremgozaram em minha boca durante a viagemcomi minha cunhada adrianacontoseroticos minha tia era puta e eu nao sabiacomtos erotico nao resisti passei a mao na rola do entregadorcontos de sexo comi minha sogra vadia na frente da irma delacontos eróticos da casa da irmã queridaestupramos uma travestiminha novinha tarada contogozei gozou dentro dormia contoscontos sexo velhoconto erotico chantageando filha prostitutacontos heroticos gay meu padrinho de vinte anos me comeu dormindo quando eu tinha oito anoscontos eróticos de comi a chata da clasegay doido por rola ..Quando ver uma ao delíriovi minha esposa dando mole contos