Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DOMESTICAÇÃO - FINAL

Domesticação - final



Cativeiro



Fui jogado de bruços no chão do furgão, meus pés e mãos foram atados sem muita gentileza. Fui mantido na posição durante todo o trajeto, que parecia não acabar nunca. Tentei pedir que me deixassem virar um pouco, como resposta senti um pé sobre minha nuca. Gemi com a dor, eles acharam muito engraçado. Meu corpo formigava, meus pulsos latejavam, respirava com dificuldade. Mais uma vez implorei para que deixassem mudar um pouco de posição, mas não houve trégua. Desmaiei.

Acordei num quarto amplo, imaculadamente limpo e bem mobiliado. Continuava amarrado, os braços doendo infernalmente, o medo e a fome também me atormentavam. Não esperei muito para ter companhia. Um dos homens que haviam me trazido entrara. Era forte e alto como convém aos seguranças. Aproximou-se e me apanhou pelo pescoço, sua pegada era forte, mas não pressionou o suficiente para sufocar. Evidentemente ele ganhou toda a minha atenção. O homem começou a me instruir. Fiquei sabendo que eu era um filho da puta arrogante e que pagaria por ter recusado os favores de João e que aprenderia a apreciar sua companhia. Não quisera amá-lo então iria temê-lo e que o azar era meu. Que deveria me comportar com humildade diante dele e que deveria fazer tudo o que ele ordenasse. Em seguida, me desamarrou e mandou que tomasse banho e me preparasse para meu senhor.

Quando finalmente me soltou murmurei “Meu Deus!” ao que respondeu “O seu deus é João Scorpio!” e desferiu tremendo tapa que me jogou longe. Assim que me vi desamarrado fui cumprir suas ordens. Tomei banho, fiz a barba, escovei os dentes tudo sob sua supervisão. Estava tão vexado que mantinha a cabeça baixa. Ganhei uma calça de pijama de seda, um chinelo de dedo com finas tiras de couro e uma corrente no pescoço. Dessa maneira fui conduzido, ou melhor, arrastado para a presença do meu senhor.



Descoberta



João estava sentado numa poltrona, parecia um rei todo empertigado feliz da vida. Fui arremessado aos seus pés, a ponta da corrente foi entregue a ele. Não pronunciou palavra, como estava de cabeça baixa vi seu sapato se movimentando na direção de meu rosto. Senti enganchar-se sob meu queixo e dessa forma, erguer meu rosto para que nossos olhos se encontrassem, vi a excitação que ele sentia. Depois percorreu meu rosto com o pé até que o posicionou perto da minha boca. Estava tão amedrontado que parecia que não era eu ali. Não preciso dizer da humilhação que sentia. “Lamba”, ordenou. “Por favor, não faça isso!” supliquei entre o desespero e o choro. A dureza de seu olhar e um puxão na corrente não me deixaram dúvidas, não cederia aos meus apelos, então pousei a língua sobre o sapato ele. “A sola”, ordenou com crueldade na voz. Tive que me contorcer para alcançar a sola do sapato e lambi. Satisfeito com a minha obediência afastou meu rosto com um pequeno e desdenhoso chute.

“A braguilha” disse abrindo as pernas. Incrédulo, vi minhas mãos tentando abri-la, como tremesse muito tive dificuldade com o cinto, podia ver o volume que se formara sob sua calça. Consegui finalmente abrir o zíper e vi a proporção da dor que me aguardava, estava rijo, era grosso e enorme . Comecei a chorar e paralisei, não consegui tocar nele. João deu novo puxão na corrente que fez meu rosto tocar aquele membro enorme, começou a esfregá-lo na minha cara. “Faça, se você se recusar ou se me morder arranco seus dentes.” Apavorado abri a boca e abocanhei com todo o cuidado a cabeça do pênis. João soltou um grunhido e forçou ele todo para dentro quase me sufocando. “Chupa, você sabe como é.” Comecei a sugar e lamber, ele ria quando sentia minhas ânsias de vômito, gostava bastante da sensação da boca vibrando no seu pau, “Ahhh! Delícia! Minha delicia!!!” Descobriu rapidamente que meus gemidos também poderiam ser fonte de prazer. Por isso, cravou as unhas nas minhas costas e eu gemi como um louco. João gozou profusamente na minha boca, engoli seu gozo, ele não precisava falar que era isso que deveria fazer, estava bastante ábvio e eu apreciava meus dentes.

João acariciou minha cabeça. “Bom menino”. Depois me arrastou para a cama. João arrancou a calça do pijama que eu ainda vestia “Você é lindo!” e começou a conhecer meu corpo. Apalpa, beija, morde se esfrega em mim dando especial atenção aos mamilos. “Aaaii! não! Aaaii!”, me devorou com os olhos, a boca e as mãos tudo junto. Por fim ordenou “De quatro”. Gemendo obedeci. “Que bunda mais linda você tem!” acariciou-a e logo enfiou um dedo em mim. “E esse cu tão bem feito e apertadinho!”. Senti que espalhava algo viscoso nele e então começou a se enfiar. “Faz força pra fora seu puto, senão vai doer muito mais. Ninguém te ensinou nada?” fiz como ele mandou e então arremeteu, penetrou afoito e fundo. Para minha surpresa a dor veio acompanhada de prazer, jamais imaginara uma coisa dessas. Envergonhado percebi que queria aquilo, comecei a rebolar timidamente de início. Ele bombava ritmada e firmemente. Riu vitorioso, cheio de si. “Sabia que era uma puta.” Cavalgou sobre meu corpo agora dácil, aberto e à sua disposição até que nossos gemidos se confundiram em tremendo gozo: prazer e dor em uníssono!

Hoje tenho imáveis, ações e muito dinheiro, mas isso significa muito pouco perto do prazer que sinto em pertencer a ele. Estamos juntos há dois gloriosos anos. Ele governa meu corpo e meus sentidos.

- Greg cheguei!

Ajoelho-me diante dele beijo seus pés e respondo.

- Que bom que está em casa meu Senhor João Scorpio.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos anal no acampamentocontos eroticos gay meu tio de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosContos fudendo gostoso minhaContos eróticos de Gay Fui Dormir na casa do meu Amigocontos eróticos calcinha furadacontos eroticos mamando o peitao da patricinhacontos de cdzinhas orientaiscontos eroticos espermacontos eroticos me encostou na paredecontos putona tia marta sua bundacasa dos contos putinha desde novinhasexo com vizinha muito rabuda vigiadoConto erotico gay de calcinha para coroascontos eróticos sobre sobrinhabucetudacontos eroticos jovem transando com a negra escrava parte 1conto erotico comi o cu da minha madrinhacontos eroticos minha mae e meus amigos armandocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos uma amiga vendeu a buceta da minha esposaComtos casadas fodidas pelo filho novinho do vizinhoencostei o braco na buceta da cunhada contoscontos eroticos esposa safada pintada de indiaminha bunda grande contoporno meu primo e um jegue minha mulher adorouComi minhas afilhadas parte 2contos etoticosúltimo contos anal de sobrinhaminha filha fudendo com nosso impregados contosconto erotico eu gozei dentrocontos eroticos comendo a tabata mulher do amigoCasa dos contos eroticos gay amarrade e emrabado por quatro amigos taradosconto noiva liberada no carnavalbeliche conto heterochantageada e humilhada pela empregada negraconto erotico cavalo enfiou tudo na minha mulherMinha filha Caçula contos eroticosnovos contos eróticos entre namorados dpcontos fudendo com priminhs de dose snosconto erotico filha de comedor e putaconto patricinha puta turbinadacontos eroticos incesto fudendo minha filha com meu melhor amigoContos eróticos velhascontos verídicos com garotas teenscontos eróticos minha nora cuidando de mimmeu patrão me pegou mastubando e chantageia conto eróticocontos erotico com deficienteChiquinha gostosa melada de tesãocom minha filhinha novinha contos eróticossafadas gostando de ser tateadacontos eróticos de amigos com mts mamadascontos eroticos grelo sugadocontos eroticos fui bem comida feito puta e chingada de vadia com o tio na fazendaconto gay aloprado gostoso virei putacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto comi minha mae quando tinha dez anoscontos eróticos e fetiches paguei boquete no meu irmãode tanto insistir em ver minha mulher em cima de outro pau ...enfiando a perna da capeira na bucetacontos eróticos praia de nudismo dois idosos gays fudendo contoserotico minha filha bota a mãopai com filha muito novinha contoscontos minha filha 11aninhoscontos eroticos .na pica do meu filhãolesbicas se vingando de garota da escolaahora que paugozacontos eroticos gays , o pai do meu amigo , meu primeiro acho adultocontoseroticos minha tia era puta e eu nao sabiaContos eróticos curtos de tia fodendo com cachorroporno de tia cabelo cachaedo loira meia idade peluda com sobrinhoconto eróticos zoofilia estrupei cadelanifeta cor de jambo no vidio mobilisardentinhas ninfetasfotos de priguitinhas lindasCONTOS: TOPO TUDO POR UM HETERO PARTE 1 E 2pornô doido a tia convencia sobrinha a chupalacontos erotico castiguei a buceta da vadia