Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

VIREI A PUTA DA FAMILIA 4 - FAZENDO DINHEIRO -

Bom, como prometi no conto anterior vou continuar relatando tudo o que passei nas mãos de meu pai e meu irmão desde que tinha xx anos. Todos esses fatos se passaram no fim da década de 90.Minha vida seguia a mesma, escravo sexual deles, sendo fudido no mínimo 2 vezes por dia, e nos fins de semana satisfazendo também todas as vontades e fantasias de meus primos.Porem isso mudou drasticamente depois que meio pai acabou tendo uma “idéia”, bastante ousada e lucrativa. Todos devem se lembrar do boom pelo qual passava a internet no Brasil naqueles tempos. Era um campo aberto de oportunidades irrestritas e sem nenhuma fiscalização.Como já disse anteriormente meu irmão sempre foi super assanhado, e adorava entrar em salas de bate-papo, que era uma super novidade para a época. Acompanhando estas visitas às salas de BP, meu pai pode perceber o grande numero de caras loucos para conseguir fuder com um muleque. Como não sabia mexer direito no PC pediu para que meu irmão começasse a conversar com esses homens. Logo pode perceber que eram tão tarados quanto ele ou meu irmão, a única diferença é que não tinham como realizar suas fantasias.Meu pai podia ser burro para informática, mas tinha faro por dinheiro como poucos, e se pôs a conversar e conhecer melhor esse pessoal. Logo conheceu um cara chamado Henrique, ele era de São Paulo também, morava em Higienápolis, tinha 35 anos e se mostrava taradasso em moleques, sobretudo entre 19 e 19 anos. Conversando com Henrique ele confessou que sempre teve muita tara, já havia até fudido um primo, mas isso fazia muito tempo. O cara tava muito na seca e sem duvida faria qualquer coisa para se “aliviar”.Foi ai que toda essa situação tomou um novo rumo. Apás vários dias conversando com Henrique, conhecendo-o melhor, meu pai tomou coragem e fez a proposta que tinha em mente desde o começo: me ceder para ele; claro com uma contra-partida financeira. Henrique também já confiava mais em meu pai, e mau acreditando no que estava acontecendo imediatamente aceitou a proposta. Então ficou marcado, Henrique viria em casa no práximo sábado, claro trazendo junto o dinheiro em espécie. Sabado chegou, e logo cedo já fui acordado por meu pai: “Acorda logo Caio, vamos te preparar pra quando o Henrique chegar”. Era por volta de 10hs da manha, e ainda sonolento fui levado para tomar banho. Junto com minha mãe ele me deu um grande banho, fiquei até deitado na banheira com água morna e essência, minha mãe falou que aquilo era pra deixa minha pele ainda mais macia. Depois do banho fui levado de volta para o quarto, me colocaram um pijama de Plush e pantufas para que eu não me resfriasse, e então pude tomar meu café da manhã. Quando terminei o café já era quase meio dia e meu pai disse: “ Vamos Caio, marquei com o Henrique às 13hs”. Novamente fui levado para o quarto e minha mãe tratou de retirar o pijama, me deixando novamente completamente nu. Então me colocaram na cama e Danilo pegou um tubo de hidratante e começou a passar em todo meu corpo, sobretudo na bunda e no tárax. Apás receber uma bela seção de massagem minha mãe foi ate uma sacola e pegou uma cueca nova que ela havia comprado. Ela era verdinha bem claro e tinha uns ursinhos desenhados também. Eu a vesti, mas na hora de colocar a roupa tive uma surpresa. Meu pai havia comprado um uniforme infantil do São Paulo e me deu para vestir; perguntei o por que daquilo, e ele responde: “O Henrique tem tara em garoto com uniforme de futebol, e ele é são paulino, então vai vestindo ai”. Coloquei aquele uniforme, que me caiu perfeitamente, claro que não esquecendo do meião também, o tenis, e minha mãe penteou meu cabelo utilizando um pouco de gel, para deixar no lugar.Nos pusemos então a esperar. Pouco tempo depois toca a campainha, e la esta Henrique entrando em nossa casa. Ao entrarem em casa meu pai apresenta a família à ele: “Bom, Henrique, essa é minha esposa, este é o meu filho mais velho, e esse ai é o nosso lolito; “Fala oi pra ele Caio””. Um pouco tímido respondi apenas “Oi”. Henrique não se aguentava de felicidade: “Realmente é uma família linda, mas com o Caiozinho vocês realmente capricharam muito”, e deu uma risada. Meu pai também sorrindo revidou: Â“É verdade; bom o quarto esta preparado para vocês, pode ir la e bom proveito, mas antes já pode deixa aqui comigo o dinheiro”. Então Henrique pega sua carteira tira varias notas de cem dela e começa a pagar meu pai. No total 700 reais. Guarda o restante na carteira, vem em minha direção, faz um carinho em meu rosto e fala: “Vamos la lindinho”.Ao chegarmos no quarto fechamos a porta e ele sentou na beirada da cama: “Vem ca gostosinho, senta aqui no meu colo”. Fui ate ele e sentei em uma de suas pernas, ele com uma das mãos me abraça e com a outra fica alisando minhas coxas, sempre deslizando-a por baixo do calção e chegando ate meu pintinho: “Garoto, você me custou uma boa grana, mas tenho certeza que vai valer cada centavo”. Eu dei uma risadinha, e ele logo emendou outra pergunta: “Em que posição você gosta mais de ser comido por seu pai e seu irmão, por que quero que seja gostoso pra nos dois”, logo emendei: “Eles fazem de tudo comigo, mas a que me sinto melhor é de lado, tipo conchinha”. “Beleza”, disse ele, e já foi tratando de retirar sua roupa. Vendo aquilo tratei de fazer o mesmo, onde fui prontamente interrompido: “ Calma ai gatinho, eu mesmo quero tirar peça por peça desse uniforme, sá vai deitando na cama que eu já vou também”. Tirei meu tênis e fiz o que ele mandou, ele vendo aquela cena ficou com o pau completamente duro, subiu na cama pela parte dos pés e veio engatinhando em minha direção, ajoelhou por sobre mim e começou a alisar meu cabelo e meu rosto: “Esse gel deixou seu cabelo todo durinho, uma delicia rsrs”, e apás falar isso aproximou seu rosto do meu e começou a me beijar. Claro que eu já estava craque em dar beijo de língua e correspondi totalmente sua investida. Acho que ficamos ali trocando beijos por uns bons 5 minutos, o cara não se cansava, ele então começou a beijar meu queixo, depois meu peito e minha barriga, por cima do uniforme mesmo: ” Vamos tirar essa camisa, deixa eu ver o que tem escondido ai em baixo”. Eu apenas ergui os braços e ele calmamente começou a retirar a camisa, tomando todo cuidado pra não desmanchar meu penteado. “Nossa, que pele mais macia, todo lisinho, meu Deus, to no paraíso rsrs”. Colocou a camiseta na cabeceira e novamente voltou a beijar e lamber meu corpo, dando grande ênfase aos mamilos e ao umbigo. Ele lambia, beijava, chupava, eu já estava ficando todo babado.Ele parou, recuou um pouco, e passou a retirar meu meião, sempre com muito carinho, ia tirando e beijando minha perna, até que no fim delicadamente deu uma leve chupadinha em cada dedo dos dois pés. Eu estava adorando aquilo, finalmente alguém carinhoso que parecia realmente me amar. Henrique então olha para mim e começa a tentar tirar meu calção, eu apenas dei uma levantadinha no corpo para que pudesse sair com mais facilidade. Ao ver a cueca que eu estava usando ele ficou ainda mais ligadão: “ Que cuequinha linda, não sabia que o meu garotinho gostava de ursinhos”, e começa a tira-la também, eu novamente faço o mesmo movimento para facilitar a saída. Henrique então começa a brincar com meu pau, que logo fica duro, devia medir uns 19 ou 11cm, ele brincava utilizando as mãos e eventualmente dava umas chupadinhas. Ele olha para mim e fala: “Vira de costas gostosinho”, virei e fiquei com a bunda completamente exposta. Ele se debruça sobre mim e começa a fazer algo que nunca tinha experimentado, começa a lamber meu rego e meu cu, as vezes até acabava enfiando a língua dentro. Foi muito gostoso, pela primeira vez sentia prazer com tudo aquilo. O cara era mestre nisso, ficou um tempão no cunete, quando terminou se deitou sobre mim, me segurou firme pela cintura e nos viramos na cama de modo que acabamos na posição de conchinha que havia falado ser a minha preferida. “Ta pronto Caio, posso manda ver?” Com um balançar de cabeça concordei com ele.Ele posicionou o pau na entrada de meu cu e lentamente foi penetrando até o talo. Seu pinto não era grande, uns 19 cm, o que facilitou tudo. Com o braço esquerdo ele me segurava firme pela cintura e enquanto bombava o pau dava mordiscadas na minha orelha e fala sacanagens: “Como que um menino pode ter um cu tão gostosinho assim”, “Agora eu sei por que sei pai cobrou tão caro”, “Esse cu deixa qualquer puta por ai passando vergonha”. Henrique varia seções de rápidas bombadas com momentos de cadencia, era sempre rápido, devagar, rápido, devagar. Entao ele me virou e acabei sentado em cima dele, ainda com o pau dentro do cu, mas de costas para ele: “Cavalga meu lindo, cavalga no seu macho”. Daí pra frente foram somente movimentos rápidos, muito intensos, dava pra sentir que seu pau ia ate o fim. De repente ele fala: “Vem Caio, vou gozar”, rapidamente sai de cima dele e coloquei minha boca perto do pau, e sem precisar ser tocado ele gozou. Quatro belas esporradas na minha cara. Ele praticamente desfaleceu na cama, eu aproveitei lambi o resto de porra que ficou no pau dele e deitei sobre ele colocando a cabeça sobre seu peito. Henrique, mudo, apenas me acariciava. “Vamos Henrique, se quiser pode tomar banho aqui”“Obrigado, mas prefiro apenas uma toalha pra me limpar”“Vou pedir uma pra minha mãe”, então levantei da cama e fui saindo do quarto, Henrique então me indagou: “Vai sair assim pelado, com a cara cheia de porra?” “Po, eles já estão mais que acostumados em me ver assim”. Levei a toalha para ele e disse que o esperaria na sala. Uns 19 minutos depois ele apareceu na sala e estávamos todos esperando ele, meu pai disse: “ E ai, que achou?”, Henrique respondeu: “Cara, com sinceridade, esse cu deixa qualquer um louco”. Meu pai então falou: “Legal, fico feliz que tenha gostado; e então vai querer mais vezes?”. Sem pestanejar Henrique respondeu: “Lágico, pode marcar ai sábado que vem, mas na realidade estive pensando eu outra coisa:Papai:” O que?”Henrique: “Na verdade queria saber se ele poderia passar um fim de semana todo comigo, tipo pegar na sexta e devolver no domingo?”Papai: “Cara, ai fica mais complicado, mas enfim, volta sábado que vem que ai depois a gente conversa”.Henrique se despediu de todos e ao chegar em mim falou: “Tchau meu lindo, pode ter certeza que vou te fazer muito feliz, seus fins de semana vão ser inesquecíveis”. Apás dizer isso se abaixou e me deu outro maravilhoso beijo de língua, fez um carinho na minha bochecha e foi embora.Depois dele ter ido embora meu pai não se aguentava de felicidade: “Não falei Danilo, que esse putinho ia ser nossa poupança? Sá quero ver quando esse ai começar a espalhar pros outros, vai fazer fila ai na porta, rsrs” Então se virou para mim e falou: “Vai tomar um banho, que não quero te fuder sentido o cheiro de porra de outro cara.Naquele sábado ainda fui comido por ele e meu irmão, que ate tentaram um DP, mas não conseguiram. Fiquei tão arregaçado que foi difícil ate ficar deitado pra dormir.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


meu pai tirou meu cabaco e colocou um absorvente para não Vazar conto contos eroticos enganada e oferecida pelo maridoconto praia de nudismo com a esposa continuacontos comi minha cunhada no seu aniversáriocontos/como descabacei minhas filhasconto erotico ele pediu pra bater umazinha pra elecontos malicia incestuosaContos fudendo a coroa gravida casadarelatos comi a gorda na marracuzinho+delicioso contosconto erotico homens castradoslesbicas compircen no culer conto erotico irmao fode a irma no onibosconto eróticos comi rabo mãe doamigoContos no cu da tiacontos eróticos infância gay com gari heteroIncesto com meu irmao casado eu confessovideos de sexo selvagem com mulheres que leva palmadas chineladas na buceta e no anoschupando coroa empinadinha boa de f***cuzinho peidao contos.cornocontos eroticos de virgems estrupadas no mato por 2surba com um casal de amigo sem querer primera ves comtoscomtos bdsmcache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 contos ela me descobriuconto gay fui abusado no alfanato pelo os fucionarioFudendo com vovo contoseroticosa namorada do meu enteado com minha.esposa e eu contoler relato de suruba na casa da comadricontos eróticos de professor Gaycontos eroticos virgem com vovohomen dotado arronba cu rapaz de programabuceta abertassa muito aberta gozadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto chupei a coroacontos eróticos realizando a fantasia da minha mulher no nosso aniversário de casamentoBebada me bulinaram contos eroticosConto de putinha para os tarados da cidadeconto erotico chupeteiro do cine pornoconto gay teencontos mulher desmaio na picachupando com tara e gula a bucetatravesti sadomasoquista na regiaocontos eroticos travesti me comeuconto minha madrasta me transformou em mulhermamae beija filhinha contosconto minha enteada de dez anos sentou no meu pau sem calcinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de mulheres ninfomaniaca por sexofudi a bundinha da juju com minha rola grande contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos se esfregando em coisasconto erótico chupada do nada escondida mel sugar babarCONTOSPORNO.sapecaconto eroticos gay primocontos eroticoseu gostoo d ver meu marido comendo a empregadaputinha desde de novinha cristine contos eroticoscontos eu com namorado eo primo dele com a namorada homem rasga cu de garotinho contosconto erotico mulher deu buceta para mendigoconto trepou cornocontos excitantesde sexoContos erotico comi minha irmã cadeirantemeu marido pois pinto na boca da nossa filha contoscontoeroticos/maefilhaTransando com cunhado na carrinha e meu marido nem percebeuencoxei e dedei minha sobrinhaLóira safada narra conto metendo na coberturaesposa na pescaria contocontos submissa crenteconvencir minha mulher zoofiliaem casa sou a puta da familia contosme larga lençou bom diaContos eroticos saia rodada e de calcinha fio dentalcontos tia me deveconto enfiei a cueca no cu