Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TRAÍ MEU NAMORADO COM UM COROA EMPREGADO DO MEU PA

Trai meu namorado com um coroa empregado do meu pai.



Meu nome é Carla e já deixei relatada aqui neste site a historia que aconteceu comigo de quando meu marido deixou que eu transase com seu melhor amigo ( ID 41777). Hoje vou lhes contar uma historia que aconteceu comigo quando eu tinha apenas 19 anos.

Como já disse em outra ocasião, sou loura, 1,70 de altura cabelos compridos até os ombros. Tenho seios médios e bunda redondinha.

Na época, eu estudava direito na PUC e, meu pai era dono de uma transportadora em SP. Eu diria que nos éramos bem de vida.

A histária que vou relatar aconteceu no carnaval de 1999, e é tão louca que nem eu mesma consigo acreditar, mas é a pura verdade.

Como eu já disse, era carnaval e o Arnaldo, meu namorado na época, tinha viajado a negácios, e como eu não curtia muito carnaval, decidi passar esses dias de folia em nossa chácara no interior.

Meu pai não gostou da idéia de me deixar sozinha na chácara e então ele mandou que o Jonas me acompanhasse.

O Jonas era empregado de nossa casa e de, extrema confiança de meu pai. Dos seus 50 anos 30 foram dedicados a nossa família. Ele fazia de tudo, desde motorista a mordomo.

O Jonas praticamente assistiu ao meu nascimento e dos meus irmãos. Era um senhor bem conservado que aparentava ter, 19 anos menos do realmente tinha. Seus cabelos eram grisalhos, era magro e dono de belos traços físicos, o que o deixava muito atraente.

Apesar de maus protestos, pois queria viajar sozinha, partimos para a chácara e o Jonas foi dirigindo.

Nossa propriedade é grande, com um belo pomar, uma enorme casa de dois andares e uma, bela piscina.

A primeira coisa que fiz quando chegamos, foi colocar o biquíni e ir para a piscina enquanto o Jonas preparava o almoço. Como nás nos conhecíamos desde que nasci, eu me sentia bastante a vontade com o Jonas e o considerava como um tio.

Naquela noite, apás o jantar, fomos para a sala de estar apreciar um bom vinho e jogar conversa fora. Como já disse, eu ficava a vontade na presença do Jonas e naquela noite, eu estava vestindo uma camiseta transparente ( sem nada por baixo), e um shortinho curtinho e colado ao corpo. O Jonas, sempre de roupa social, nunca se soltava.

O calor era intenso e nás bebíamos vinho gelado e conversávamos animadamente, quando surgiu o assunto dos bailes de hoje em dia.

- Vocês, jovens não sabem dançar a dois, não têm romantismo – disse ele – Antigamente é que era bom.

- Ah é! Então me ensina a dançar como antigamente que eu quero ver – falei na lata.

Imediatamente, ele foi até o som e colocou um CD, fomos os dois para o centro da sala e começamos a dançar. O vinho subindo em nossas cabeças. O calor da noite. Nossos corpos colados um no outro e, inevitavelmente, foi pintando um clima. Começamos a nos beijar e nos entregamos às caricias.

Nossa! Como ele beijava bem. Suas mãos escorregaram pelas minhas costas e se dedicaram a acraiciar minha bunda. Senti seu pau ficando duro e comecei a me esfregar nele, talvez por puro instinto, como uma fêmea no cio. Eu já estava molhadinha, cheia de tesão e não resistiria se ele quisesse me comer.

- Nossa, Jonas, como você ta excitado?

Foi como se ele levasse um choque.

Largou-me de repente e se afastou envegonhado.

- Perdão! Perdão... Isso é loucura...Nos não podemos...- disse isso e fugiu transtornado enquanto eu fiquei paralisada e sem palavras.

- Que loucura! – Pensei.

Aquela noite não consegui pregar o lho. O desejo me devorava. A verdade era que eu nunca tinha olhado o Jonas como o macho que ele é, e agora encontrava-me queimando de desejo por ele.

No dia seguinte, eu quase não o vi, pois ele me evitou o dia todo. à noite o mesmo desejo que não me deixava dormir.

Decidi. Transaria com ele aquela noite mesmo. Levantei-me, tomei um bom banho pra ficar cheirosa; coloquei uma camisolinha preta bem curtinha que, mal cobria-me a bunda; enfiei-me em uma tanguinha também preta e fui, decidida até o quarto dele.

A porta não estava trancada. Entrei de supetão e flagrei-o de pé no meio do quarto, sá de cueca.

- Carla! Você ficou louca? Volte já pro seu quarto. – Disse ele espantadissimo, tentando cobrir sua semi nudez com o travesseiro.

Eu caminhei lentamente em sua direção, sem nada dizer. O desejo me guiava. Beijei-o longamente e me esfreguei nele como uma puta.

- Eu não sou mais uma menininha – sussurrei no seu ouvido. – Sou um mulher que esta queimando de desejo por você. Me come, por favor, me come agora.

Ele se entregou. Abraçou-me e beijou-me. Seu pau estava super duro e suas mãos apalpavam minha bunda com desejo.

- Adoro essa bunda gostosa.

- Ela é toda sua, pode fazer o que quiser com ela. –Sussurrei.

Suas mãos experientes, retiraram minha camisola e ele passou a chupar meus seios lambendo os mamilos. Sua cueca fora abaixada e seu pau, duro como pedra. Roçava minha bocetinha molhada por cima da calcinha. Teve uma hora que ele encaixou aquela tora na portinha da minha xoxotinha e a única coisa que impedia que ele a penetrasse era o, fino tecido da calcinha.

Seu pau era enorme e estava duro como aço. Eu me ajoelhei em sua frente e apliquei-lhe, um gostoso boquete. Acho que ele jamais imaginou que aquela menininha que ele conheceu pudesse lhe fazer uma chupeta.

Aquele pau de meio século, latejava em minha boca e eu o sugava com prazer

- Agora é a minha vez.

Fez com que eu me deitasse em sua cama de solteiro, tirou minha calcinha e mergulhou entre minhas pernas. Lambeu meu clitáris de alto a baixo, saboreou minha boceta como nenhum outro e me deixou louca de tesão.

- Vem, me penetra que eu já não aguento mais. – Falei, gemendo . Ele obedeceu e atolou aquele cacetão duro me comendo num, gostoso papai e mamãe.

Eu soltava gritinhos, completamente alucinada de prazer.

- Que delicia de pau! Como tá duro!

Com movimentos compassados, seu pênis se atolava em minha boceta molhada. Naquele momento eu experimentava orgasmos como nunca havia experimentado na vida. Nossos gemidos quebravam o silêncio.

- Fica de quatro, princesa, quero te comer por trás. ( Princesa era como me chamava quando criança).

Obedeci. Apoiei-me na cabeceira da cama e arrebitei a bunda. Ele atolou gostoso na minha xoxota.

- Eu sempre desejei esta bunda gostosa.

Suas estocadas aceleraram. Agora ele metia com violência e cada vez mais rápido, até que ejaculou dentro de mim. Eu pude sentir os jatos de porra quente me invadindo as entranhas. Gozamos como nunca e dormimos abraçados, completamente exaustos.

No dia seguinte, quando acordei. O Jonas já tinha se levantado. Vi pela janela que ele estava na piscina, e de sunga.

-Nossa! Uma noite de amor muda mesmo um homem. – Pensei sorrindo.

Tomei um banho, vesti meu biquininho amarelo ( apenas a parte de baixo), sá para provoca-lo, é lágico, tomei um rápido café da manhã e fui pra piscina com ele.

Fiquei tomando sol e ele se prontificou a passar bronzeador em mim. Quando me dei conta, estávamos deitados de lado com ele me encoxando e beijando minha nuca. Seu pau, duro para fora da sunga, se esfregava em meu biquíni procurando minha fendinha úmida. Eu o ajudei e puxei a tanga para o lado e a pica deslizou para dentro de mim. Fico molhada sá de lembrar. Transamos ali mesmo, do lado da piscina e gozamos como loucos.

Depois disso, o Jonas se tornou o meu amante e transávamos quase todos os dias e até hoje guardo boas lenbranças do meu amante mais velho.

Email [email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ai amor que delicia isso vai gostosa mete vai contosfui almoçar mas a cunhada e ela me deu foi a buceta so nos dois em casacontos eroticos gay eu viciei e comer cu de menininhos da roçaEmpregada Triscando no meu pau contoRex dando o cupapai safado dando sonífero para filhas bebê e transando com elaslésbicas se ralando incerta com bucetaconto erotici gay dano cu no dia da greves dos motoristo de onibus gay casadocontos eroticos abusada levando tapaContos de zoo dei a buceta pro cavalocontos eróticos velhinho transando com jumentomadrasta e seu consoloo meu padrasto me arrastou pro matagal contoscontos eróticos com enteadaconto patricinha puta turbinadaso sadomasoquismo com maridos e esposas contos eróticoscontos cdzinhasColocou dentro contos eroticosfodendo com desconhecido no motel contosContos erotico amei a fantasia de meu marido mim fode com a pica dele e um penes de borachame depilei pro carnaval contosvoyeur de esposa conto eroticono pau do meu filho contominha esposa tem 1.60cm d bunda enorme contoscontos eróticos massagemsobrinho viadinho da titia tarada conto gaycontos eróticos esposa amanheci toda meladacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos nossas filhinhas safadashttp://comtos eroticos de estuprocontos forçada a ser a puta da empresahomens lanbendo o xinou da mulher na cama fotosele implorou e eu engoli sua porrasou loira baixinha paguei de puta no samba contos eroticoscontos eroticos comendo o cu da vendedora da avoncomendo as jumetinhasmenina matuta contos eroticoscontos eroticos arrombando a gordamulher dismaia na pica do mindigocontos eróticos comi a família da minha mulher inteiraeu quro v chiquinha em pornocontos eroticos aprendendo a fazer meu primeiro boquete com meu padrinho velhocontos eroticos xongando.e batendo.na putavarios me comero s calsinha contos gaycontos eroticos de incesto inversão com mãe e filhinhofudida por incomendacoki a amiga da esposa contoscontos eroticos afilhadacontos eroticos sou uma coroa vagabunda levei o muleke na minha casa e fiz ele comer meu cu e minha bucetasobrinha sapeca tomou no cu contoxvedeo porno cuadinha tava triste cuanhado animou fedendo elaa minha cunhada casada e saia justa contos com fotospedreiro passando a língua no cu do afeminadovideos putas chupando e achado q a pica e poucameu sobrinho pausudo comeu minha filha. conto eróticosconto esposa ajudou dar banho no bebadocontos genroconto seduziu heterocontos eroticos casada comida no assaltoespiando a comadre tomar banho contos eróticosmulheres a mijar por cima da casste grossa do marido contos eróticos de mulheres casadas q já treparam com travesticonto gay meu melhor amigo de 37 anoscontos de esposa pagando aposta do marido pro cunhadoconto erotico incesto sonifero filhacontos eroticos confissões fAmiliarescontos erodicos cunhadinha chupadeira de porracontos gozei no papaicontos erotcos minha sograconto corno calcinhaconto erotico podemos a mae do meu amigocontos gays a goiabawww meucontoerotico.br delisiososfotoxvideoporno