Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUARTO ALUGADO

Meu nome é Márcia Moreno, costumo utilizar o apelido de Marcinha_Academia, já que sou fissurada em academia (2 horas por dia malhando). É muito saudável, além de manter a forma. Bom, tenho seios grandes (admito que coloquei silicone para ter o tamanho ideal para mim, 450ml), bumbum grande e muito malhado (está é minha paixão e tenho orgulho de dizer que é totalmente natural, e bem redondinho também!), coxas trabalhadas, 1.66m, 59Kg, cintura fina, bem como da minha mãe.

Por que me descrever tanto? Sou muito ligada a corpo, e admito que gosto de me exibir, acho que não faz mal pra ninguém, não acha? Como gosto de escrever e agora estou de bobeira, porque estou de férias e está chovendo muito aqui no litoral, então resolvi contar alguns segredinhos que me excitam muito sá de lembrar.

Gosto muito de pegar um bronze, principalmente em praias lindas, e tenho algumas praias prediletas totalmente vazias que ficam no meio da estrada entre algumas cidades do litoral norte de São Paulo. Estas praias são boas por serem pouco conhecidas, então geralmente não tem ninguém nelas, e confesso que gosto de ficar totalmente nua quando vou a estas praias.

Pois bem, no último feriado fui direto para uma destas praias, que não contarei onde fica, senão já sei que vou encontrar gente lá da práxima vez. Como acabei deixando para última hora, foi muito difícil encontrar um lugar para dormir, como costumo fazer. Para minha sorte encontrei um lugar com uma placa “Temos vagas” e, apesar de ser uma casa bem feinha e em uma parte da periferia, era o que tinha. Toquei a campainha e fui atendido por um cara, lá com seus 47 anos, sá de bermuda e aquela barriguinha bem peluda, mas ele foi bem simpático comigo e conseguiu minha confiança. Era a casa dele e havia um quarto no corredor lateral, abaixo do quarto dele que ficava no segundo andar. Casa bem simples, toda de bloco e sem acabamento, uma cama bem velhinha de solteiro, mas ainda estava de pé! Como passaria cinco dias lá e o preço estava realmente muito em conta, quase de graça, resolvi ficar. Coloquei minhas coisas no quarto, coloquei meu biquíni, peguei o kit-praia (bronzeador, áculos de sol, muita água, frutas, chinelo e canga), e corri para o carro. Em 19 minutos estava na praia e, como de costume, estava completamente vazia. Como a praia é bem estreita, é sá olhar para os lados para saber se tem mais alguém, e a praia era todinha minha novamente! Tirei a parte de cima do biquíni e fiquei sá de fio dental, passei bronzeador por todo o corpo, estiquei minha toalha e deitei para cima, muito tranquila. Fiquei lá ouvindo som do mar, descansando e assando ao sol maravilhoso. Depois de 1 hora fui dar um mergulho bem gostoso, ainda sá de fio dental, e voltei para deitar, mas desta vez para manter minha marquinha no bumbum. Deitei de bruços e fiquei olhando o horizonte calmamente. Apás mais uma hora fui dar outro mergulho e recolhi minhas coisas para voltar para meu quarto alugado. Quando levantei e terminei de dobrar minha toalha, tive a impressão de ver alguém andando no mato indo embora. Fiquei olhando mais um pouco e não vi mais nada, então coloquei meu biquíni de volta e fui para o carro. Cheguei a casa e fui direto para meu quarto para tomar um banho bem gostoso. O banheiro ficava bem do lado da escada que dava para o quarto do dono da casa, mas nem havia me atentado sobre isto na hora. Comecei a tomar meu banho muito relaxada, e quando fui desligar o chuveiro percebi de canto de olho que havia alguém me olhando do alto da escada, mas quando virei não vi nada. Deitei um pouco para dormir e não me importei. Acordei já de noite e fui comer alguma coisa na rua. Depois de passear bastante voltei para meu quarto para dormir, e adoro dormir totalmente nua, me faz bem. Bom, acordei de manhã e estava chovendo horrores, então fiquei no meu quarto lendo e ouvindo música. Infelizmente passou o dia inteiro chovendo e eu fiquei parada lá até anoitecer. Estava tão forte a chuva que nem tentei sair de casa para comer, pois as ruas estavam inundadas. Quando menos esperava o dono bate na porta e me convida para jantar com ele. Agradeci e acabei aceitando, visto que estava “morta” de fome. Enquanto jantava conversamos um pouco para conhecer melhor um ao outro e ele contou algumas histárias da cidade e da juventude dele. Apás três horas de janta, papo e um pouco de televisão, agradeci muito e dei boa noite, indo direto para o meu quarto. No dia seguinte, advinha? Ainda estava chovendo, e um bocado. Estava super impaciente e de saco-cheio, cansada de ficar trancada esperando a chuva passar para curtir novamente aquela praia maravilhosa. Bom, o dia passou, de novo, e acabamos jantando novamente e ficamos assistindo filme até uma da manhã. Então repeti meu ritual e fui para a cama. No meio da madrugada acordei com um barulho, baixo, mas acordei. Olhei ao redor e não vi nada, então voltei a dormir. Não sei ao certo quanto tempo depois, mas acordei com muito sono ainda e sentindo uma mão na minha bunda... fiquei assustada e abri o olho bem devagar, quando vi o dono da casa do lado da cama acariciando minha bunda bem devagar, um pouco ofegante, e vi de relance o pênis dele para fora da cueca...minha NOSSA, parecia grande e bem encorpado! Fechei s olhos e me mexi para assustá-lo, fingindo estar dormindo, então ele saiu correndo do quarto e fechou a porta devagar. Voltei a dormir e, no dia seguinte, estava chovendo. Não estava forte a chuva, mas ainda estava chovendo. Arrisquei sair quando parou a chuva, por volta das 17:00, e fui correr para manter minha forma física, pois já estava morrendo de saudades da academia. Começou uma chuva torrencial na volta, por volta das 17:50, e faltavam cinco quadras ainda. Resumindo, cheguei encharcada em casa, cumprimentei o dono da casa, o Sr. Arnaldo, que estava no portão olhando para a rua e fui para o banho. Percebi que, logo que o cumprimentei, ele nem respondeu e ficou me secando, e sá no banho percebi o motivo: havia saído de top branco de algodão, e com a chuva meus seios estavam completamente à amostra e bem arrepiados. Como meu top ficou molhado, além de transparente mostrou como meus seios são redondos por conta dos 450ml de silicone.

Olhei discretamente para cima enquanto estava no banho e lá estava ele me observando, e acho que ele sabia que eu tinha percebido, mas o safado arriscou ficar olhando mais um tempo. Acho que foi o efeito do marasmo de tanto ficar esperando no quarto, pois estava irritadíssima, mas fiquei excitada na hora, pude sentir claramente minha xoxotinha ficar toda lubrificada e quente. Instintivamente acabei provocando ele, massageando meus seios de forma circular e apertando eles um contra o outro, com os braços embaixo para deixá-los mais voluptuosos (e olha que eles já são bem grandes), beliscando e torcendo levemente os biquinhos. Então me curvei totalmente com a bunda virada para a janela para pegar minha esponja no chão, deixando minha bunda totalmente aberta, e acho que ele gostou de ver que eu sou totalmente lisinha (frente e verso), ainda mais com a marca de fio-dental, pois quando levantei bem devagar ensaboando minha bunda e olhei, vi claramente ele acariciando um volume considerável dentro da bermuda, então ele correu para dentro.

Terminei meu banho, mas ainda estava excitada e ao mesmo tempo um pouco enojada, porque o cara era velho, barrigudo e um pouco feio, mas de alguma forma isto me deixou louca. É como diz o velho ditado: “Não cuspa para cima para não cair na testa!”. Era uma típica situação destas, eu jamais em sã consciência me sentiria tentada por um velho daquele, mas é exatamente o que estava acontecendo. Levei um susto quando estava me enxugando, pois o primeiro pensamento que me veio à mente foi: “Hum, será que ele está se masturbando?”, seguido de uma vontade louca de subir até o quarto dele para ajudá-lo na masturbação. Pensei comigo mesma: “Uma mulher deliciosa e sensual como eu dando pra um cara daquele? Devo estar louca!” e fui lavar o rosto com água fria. Não aguentei muitos segundos e acabei subindo sá de toalha para espiar. Quando cheguei à porta entreaberta do quarto, olhei para dentro do quarto dele e o vi totalmente pelado, deitado na cama se masturbando... e que cena...ele tinha um pênis consideravelmente grosso, parecia um touro, e meu instinto me deixou molhada novamente, podia sentir minha xoxotinha toda meladinha e quente, e instintivamente comecei a apertar com força meus seios, deixando a toalha cair no chão. Foi uma loucura, pois a escada não era coberta e qualquer um na rua poderia me ver lá no topo totalmente nua me acariciando, mas nem pensei nisso na hora, estava tonta de tesão.

Corri de volta para meu quarto e esperei que ele saísse do quarto dele. Estava de noite já, então como de costume, jantamos juntos, mas desta vez eu caprichei. Estava usando um vestido soltinho de visco lycra bem curto e com um decote até a parte debaixo dos seios (quase dá para ver os bicos), que é feito para usar com sutiã estampado, pois a idéia é deixar o sutiã aparecendo mesmo, mas sem sutiã... fica mais provocante que uma lingerie! Para completar, estava sem sutiã, para meus seios ficarem bem expostos e darem “aquela” balançadinha quando eu me movimentasse e para ele poder perceber perfeitamente quando estivesse com biquinho arrepiado, e estava também sem calcinha, pois tinha algumas coisinhas em mente (gosto de ser muito provocante e ardente quando provoco os homens, acho engraçadinho quando ficam doidos como crianças). Logo que entrei na sala e sentei à mesa, ele ficou me olhando quase de boca aberta, vidrado nos meus seios que estavam quase pra fora por conta do decote abusado do vestido e, modéstia à parte, meus seios são lindos. Dei uma risadinha tímida e me servi. Fomos comendo e desta vez ele não estava falando nada, e percebi que a todo instante ele colocava a mão por baixo da mesa, mexia em alguma coisa e depois voltava com a mão para os talheres para comer. Não sou boba e já imaginava o que era. Levantei para pegar mais salada e voltei com a vasilha na mão para colocar um pouco no prato dele também, então aproveitei para abaixar e deixar meus seios bem perto do rosto dele. Como o tecido do vestido é visco lycra, o tecido é bem molinho e o decote acaba ficando totalmente aberto quando eu me abaixo. Nossa ele fez uma cara de tarado olhando meus seios... e isto me excitou...estava semi nua na frente dele me oferecendo...então deixei o garfo de salada cair no chão e, “sem querer”, quando fui pegar chutei um pouco para perto do sofá, então fui até lá e, ao invés de me agachar, eu me curvei completamente para pegar o garfo de salada no chão, mostrando completamente minha bunda e minha xoxotinha sem calcinha. O vestido era tão curtinho que a parte da saia foi para as costas enquanto me curvava, e fiquei literalmente nua da cintura para baixo, e escutei um alto: “Meu Deus do céu...”, e o velho estava com cara de pânico já. Fingi que nada havia acontecido e voltei para a mesa para comer a salada.

Foi então que eu “acidentalmente” (como sou desastrada, não?) deixei cair um pouco de salada no chão, e me abaixei para pegar embaixo da mesa... era bem o que eu imaginava...o velho estava com o pênis para fora da bermuda, e colocava a mão para baixo da mesa de vez em quando para mexer nele enquanto me olhava. O pênis dele não estava totalmente duro, mas já estava crescidinho... e era grosso como eu me lembrava...lembrei imediatamente da cena que eu vi no quarto dele enquanto ele se masturbava....nossa, aquilo tirou o restinho de sanidade que eu tinha. Ele se assustou e enquanto eu entrei por debaixo da mesa ele gritou: “Não, deixe que eu limpo, sente-se, sente-se!”, mas quando ele fez menção de se levantar da cadeira eu fui mais rápida e rapidamente suguei o pênis dele para dentro da minha boca para segurá-lo sentado lá... a reação foi imediata, como um cachorrinho...ele se acalmou e sentou na hora! Ele levantou a toalha da mesa para ver, e não acreditou no que viu. Eu tirei o pênis dele da boca e dei um sorrisinho. Continuei olhando fixamente para os olhos dele e fui chegando bem devagar perto do pênis dele e fui colocando minha língua vagarosamente nele, fazendo movimentos circulares para fazer o bichinho levantar. Fiquei intercalando entre beijinhos e lambidinhas circulares na cabecinha. Ele sá dizia: “Puta que pariu!”. Parei de provocar ele, saí debaixo da mesa e pedi para ele se levantar. Quando se levantou, eu o agarrei pelo pinto e o puxei até o sofá, então o empurrei para que ele caísse sentado no sofá. Gentilmente me agachei na frente dele, agarrei aquele pinto grosso que estava ficando bem duro já, e caí de boca, colocando ele lá no fundo, e tirando ele chupando com bastante vontade. Então segurei o pinto dele com uma mão e chupava com gosto enquanto o masturbava com a mão. O velho gemia como louco! Tirava o pinto dele da minha boca, levantava o pinto e subia desde as bolas dele lambendo, e quando chegava à cabecinha, abocanhava o pinto dele com tudo até o fundo da garganta e ficava chupando ferozmente. Neste ponto eu mesma estava encharcada de tesão, e com a outra mão fiquei me masturbando, massageando meu clitáris. Abri bem o meu decote e coloquei meus seios para fora, coloquei o pinto dele entre meus seios, apertei os seios contra o pinto dele com as mãos e comecei a fazer a famosa e deliciosa “espanhola”, chupando a cabecinha do pinto enquanto o masturbava com meus seios. Fiz então algo que sá faço quando estou realmente absurdamente excitada. Comecei a chupar bem rápido e com força, apertando com muita força os seios com o pinto dele entre eles e balançando para cima e para baixo rápido, e chupando com cada vez mais força e mais rápido, até que... ele jorrou jatos de gozo na minha boca, e eu não me aguentava de tesão, cheguei a gemer alto enquanto ele gozava dentro da minha boca, enquanto deixava escorrer um pouco do gozo pelo pinto dele até os meus seios, lubrificando mais ainda eles, e continuei balançando e apertando forte os seios masturbando ele com o gozo lubrificando tudo, enquanto ele gozava mais um pouco na minha boca, e estava tão louca de tesão e chupava forte a cabecinha do pinto dele, tomando todo o gozo que restava. Nossa, isso foi muita loucura, estava há dois dias com um tesão ardente me matando e sem nada de bom para fazer, e estava descontando nele. Havia chupado ele por cerca de 20 minutos até ele gozar.

Mesmo depois de chupar todo o restinho de gozo dele, não conseguia parar de tanto tesão, e continuei chupando...queria me saciar...então tirava o pinto dele da minha boca e esfregava com força nos meus seios, espalhando o gozo que havia escorrido, então ficava batendo o pinto dele nos meus seios e voltava a chupar freneticamente esfregando ele entre meus seios. Continuei neste ritual por uns 19 minutos, até que o pinto dele começou a ficar muito duro novamente. Então repentinamente ele me segurou pelos braços com força e me arremessou em cima do sofá. Levei um susto na hora e fiquei sentada sem reação, e ele não perdeu tempo, voou de boca na minha xoxotinha e começou a chupar e lamber freneticamente.

Como eu já estava louca de tesão, foi inevitável começar a gemer na hora, e isto deixou ele ainda mais animado. Nossa...sá de lembrar...o melhor é que ele tinha uma língua um pouco comprida e foi espetacular quando ele começou a me lamber por dentro, enfiando a língua toda e mexendo fundo. Eu estava super relaxada e ele estava super excitado, então antes que eu pudesse perceber ele aproveitou que eu estava totalmente meladinha, lubrificou o dedo na minha xoxotinha e, enquanto enfiava a língua e mexia fundo com força, enfiou um dedo no meu cuzinho...AH! Aí eu pirei, comecei a rebolar instintivamente, não tinha como me controlar! E ele enfiando o dedo como se estivesse comendo meu cuzinho...eu já estava pra lá do ponto! Isso durou uns 19 minutos, então ele levantou, puxou minha cabeça com violência pelo cabelo e socou o pinto na minha boca de novo, mas desta vez ele estava no comando...socou bem fundo e ficou forçando, e eu babando como uma doida, então começou a bater o pinto bem fundo, estocando como se fosse minha xoxotinha, e começou a me xingar de cadela e puta. Era monstruoso, mas eu estava amando! Repentinamente ele me deu um tapa na cara, arrancou o pinto da minha boca, me virou de lado com violência. Então colocou a cabecinha do pinto bem na entradinha da minha xoxotinha e foi colocando bem devagar enquanto me segurava com força pelo pescoço, e quanto mais entrava mais tesão eu sentia, estava quase implorando para ele me comer. Nossa, como era grosso aquele pinto, estava forçando minha xoxotinha, e estava uma loucura de tesão! Quando estava quase todo dentro de mim ele socou com tudo o pinto até o fundo da minha xoxotinha e começou a bater com força, me fazendo soltar um grito de tesão e começar a gemer num misto de dor e prazer, porque ele estava me machucando um pouco. Ficou bombando com força de lado na minha xoxotinha por uns cinco minutos, então me puxou com força pelo pescoço, me virou pra cima e começou a falar obscenidades que eu nem me lembro, mas que estavam me deixando mais louca ainda pra dar para aquele velho, e ele voltou a bombar com violência na minha xoxotinha, segurando o meu pescoço e apertando e chupando com força meus seios, falando o quanto “minhas tetas eram deliciosas”. Minha xoxotinha estava tão encharcada de tesão que eu podia sentir escorrer pro sofá e pro meu cuzinho, e ele batia com tanta força que fazia barulho como se ele estivesse dando socos em alguém. Estava em êxtase com aquela situação, aquele cara nojento me comendo com tamanha violência e voracidade, eu completamente rendida por ele, e com certeza mesmo se eu quisesse parar ou fugir não teria como, com ele me segurando pelo pescoço com tamanha força não teria nem como eu me mexer, estava completamente indefesa, e isso me excitou tanto, mas tanto, que eu estava meio tonta de tanta adrenalina. Era quase como estar sendo violentada, mas eu queria ser abusada, estava amando ser a vítima indefesa.

Enquanto estava neste misto de pensamentos pervertidos e sendo estocada com violência por ele, nem percebia quando ele tirava o pinto de dentro da minha xoxotinha e enfiava com vontade na minha boca me obrigando a chupá-lo e limpar seu pinto antes de colocar de volta dentro de mim e continuar bombando. Eu nem estava mais pensando, simplesmente chupei vorazmente aquele pinto melado com toda vontade, colocando até o fundo da garganta e chegando com a língua nas bolas dele. Eu fui a perfeita boneca, porque ele fazia o que queria comigo e eu nem reagia, simplesmente gemia e obedecia. Então ele deu um tapão na minha cara, tirou o pinto da minha garganta, me puxou pelo pescoço e me jogou de peito em cima da mesa, derrubando toda a comida no chão. Eu fiquei de costas com a parte de cima do meu corpo deitada na mesa, as pernas em pé e bem abertas com minha bunda completamente aberta e exposta. Eu nem sabia o que iria acontecer, estava apenas esperando com o rosto deitado na mesa e sentindo meu rosto latejar com o tapão que levei, então ele entrou novamente na minha xoxotinha e continuou bombando com força e gemendo muito, eu podia sentir o suor dele pingando na minha bunda e meu lubrificante escorrendo pelas minhas pernas. Minha nossa, sá de lembrar estou molhada de novo, como foi excitante! Ele dava tapas fortes na minha bunda enquanto batia com força seu pinto dentro de mim e eu gemia em um misto de tesão, dor e um pouco de medo. Eu precisava de mais alguma coisa, estava pronta para tudo, e como já tive excelentes experiências com dupla penetração, estava louca para ser abusada novamente por todos os lados. Não sei ao certo quando foi, mas alguém havia entrado na sala enquanto eu estava atordoada com a situação, e ouvi o dono da casa sinalizando alguma coisa, e quando me dei conta tinha um moleque lá com seus 19 anos do meu lado baixando a bermuda e a coisa foi tão insálita e rápida que nem pensei, fui logo abocanhando o pinto do moleque e chupando com toda força. Sá lembro-me de escutar o garoto gritando palavrões e sentindo as pernas dele tremendo, acho que era sua primeira vez ou uma das poucas até o momento. Ele olhava como se não acreditasse na cena e seu pinto ficou duro na hora, e não era mau, era meio grosso e um pouco comprido, e àquela altura do campeonato era tudo muito delicioso para mim.

Finalmente aconteceram duas coisas que eu desejava, mais um pinto para me saciar e senti o que mais amo...o dono da casa tirou o pinto da minha xoxotinha, cuspiu no meu cuzinho e eu senti a cabecinha encostando...nem precisou forçar, eu estava tão relaxada que quando ele pensou em forçar eu relaxei bem meu cuzinho e ele ficou todo aberto, e eu sá ouvi o dono da casa falando: “Puta que pariu, isso é o paraíso!”, e em seguida colocou tudo até o talo dentro da minha bundinha, que sensação maravilhosa! Enquanto ele entrava, eu gemia e suspirava de alívio por finalmente fazer o que mais amo: sexo anal! Ele ficou insano com minha bunda, começou a falar como minha bunda era maravilhosa, perfeita, gigante, durinha e como meu cuzinho era macio! E eu fiquei louca com tantos elogios, comecei a bater minha bunda conta o pinto dele com força e bem rápido, ouvindo os gemidos altos dele e sentindo um monte de suor caindo no meu corpo, enquanto o moleque bombava na minha boca com o pinto e gemia, falando um monte de palavrões, e começou a dar tapas na minha cara...eu estava tão louca que pedi pra bater com mais força, e ele começou a me estapear o rosto com força.

Estava louca sentindo aquele pau delicioso no meu cuzinho, aquele corpo suado batendo com força contra a minha bunda, então parei de chupar o moleque, me levantei, tirando o pinto de dentro de minha bunda, e os puxei para o sofá. Como já tenho muita experiência com dupla penetração, tomei o controle da situação. Coloquei o dono da casa sentado no sofá e o moleque em pé na minha frente, então fiquei de costas pro dono da casa e segurei firme o pau dele, direcionando para o meu cuzinho enquanto eu sentava gostoso nele, até as bolas. Quando terminei de sentar no pau dele, puxei o moleque para mim e disse: “Cala a boca e obedece que a titia vai cuidar direitinho de você!”, ele ficou louco! Coloquei o pau do moleque entre meus grandes seios e cuspi para lubrificar, então comecei minha dança especial...comecei a pular com meu cuzinho no colo do dono da casa enquanto meu seios pulavam com o pau do moleque no meio, masturbando ele (espanhola), e eu chupando a cabecinha do pinto do moleque ao mesmo tempo. Esta dança especial durou uns 19 minutos, então parei, saí de cima do dono da casa e disse: “Agora você cala a boca e obedece!”. Fiquei de quatro no sofá e mandei o moleque comer meu cuzinho com vontade enquanto eu chupava o dono da casa. Foi uma loucura, o moleque estava gemendo como criança, doido com meu cuzinho, minha bunda e meu rebolado! Enquanto o dono da casa recebia um belo tratamento entre meus seios, minha boca e minha língua. Não fiquei muito tempo assim porque, quando a coisa estava esquentando, o moleque disse que ia gozar, então prontamente tirei ele de dentro de mim e mandei ele ficar quieto um pouco, enquanto eu sentava de novo no pinto do dono da casa. Eu estava nas nuvens de tanto prazer, não que eles fossem espetaculares, porque não tinham nada de mais, mas a situação e os pintos estavam me deixando insana! O moleque, então, falou: “Deixa eu comer seu cuzinho sá mais um pouco, tia?” e eu dei um sorrisinho safado. Deitei o dono da casa no chão e afundei o pinto dele na minha bucetinha, ficando por cima dele, então falei para o moleque aproveitar meu cuzinho à vontade enquanto brincava com o dono da casa (que estava todo vermelho e suado, quase morto!). então o moleque foi entrando bem devagar para não gozar e começou a mexer...foi gostoso, mas eu acelerei e comecei a bater minha bunda contra o pinto dele pra deixá-lo louco! Enquanto isso eu pulava no pinto do dono da casa e batia na cara dele com meus seios com força, e ele me lambuzando com a língua tentando chupar meus seios enquanto eles batiam nele.

Não deu 19 minutos de sexo e o moleque falou que ia gozar então eu não pensei duas vezes, tirei o pinto da minha bunda e puxei ele pra minha frente, caindo de boca no pinto dele chupando e masturbando bem rápido. Ele começou a gemer feito um louco, todo suado, e de repente disparou jatos de porra na minha boca enquanto eu ainda pulava no colo do dono da casa e ele com o dedo no meu cuzinho. Enquanto ele gozava eu continuava chupando e deixando o gozo cair para fora da minha boca em meus seios, espalhando e esfregando com minhas duas mãos. O moleque tremeu e caiu sentado no chão, enquanto eu olhava pra ele com cara de capetinha lambendo todo o gozo dos meus seios, cuspindo um pouco de volta e engolindo um pouco. Chamei-o novamente em seguida e cai de boca de novo, e ele subiu rapidinho, então mandei bombar com toda a força no meu cuzinho que eu queria gozar, e ele prontamente obedeceu. Depois de uns 19 minutos na minha bunda ele gozou lá dentro, mas eu ainda não tinha chegado lá, e ele deitou. O dono da casa me ergueu com toda a força e me jogou de quatro no sofá, entrando com tudo na minha bunda de novo, e eu gemendo de tesão. Ele me puxando pelo cabelo e estapeando minha bunda bombou de forma tão violenta que eu comecei a gritar de dor e tesão, e o moleque veio chupar meus seios enquanto isso, então finalmente gozei! Minha nossa, eu gritei tão alto e tremi tanto com o orgasmo! Foi uma loucura sem igual! Depois de bons minutos eu estava quase sem forças, então ele tirou o pinto do meu cuzinho, me puxou pelo cabelo até o chão e me colocou de joelho. Prontamente eu caí de boca naquele pinto delicioso e melado, e ele batendo rápido, com força e até minha garganta, me puxando pelo cabelo. Então ele tirou rapidamente o pinto da minha boca e mirou no meu rosto, jorrando jatos enormes de gozo no meu rosto e nos meus seios, e eu louca engolindo e esfregando o resto nos seios! Não aguentei e chupei o pau dele até limpar tudo, e ele sentou no sofá exausto.

Nossa... me atrevo a dizer que foi a maior loucura que já cometi na vida! E foi a loucura mais deliciosa de todas, apesar de estranha e violenta. Ainda deitada no chão, coberta de gozo, comecei a rir por não acreditar no que havia feito aquele dia, e os dois falando como eu era gostosa e um monte de outras coisas que eu nem lembro mais, sinceramente. Naquele mesmo dia peguei minhas coisas e voltei para casa. O dono da casa nem falou em pagamento, mas me obrigou a dar meu telefone para ele... obviamente dei um telefone qualquer que não era meu...quem sabe algum dia eu volte lá, né?



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cesto de roupa sujas contos eróticoscontos eroticos depessoas normais reaisContos porno.em ônibus de viagem com idosocontos eroticos o dia que comi a novinha gordinhaMinha filha Caçula contos eroticosconto erótico garota da academia bombado no jumentoprofessor cacetudo comendo o cuzinho do menino afeminado no banheiroContos eróticos de incesto filhinha caçulinha dando em cima do paihistoria de mulher cazada que deu a.buceta e o cuzinho por seu sogro na marra e ele tinha um pau enorme e grandeContos eróticos Gay de comi o amigo do meu filhocontos eroticos com coroas no cinema pornotomou viagra e meteu na esposadei,dou,e sempre darei a buceta em contosVizinha magrinha de cabelos preto fada do sexocontos bi fui espia meu tio fuder minha tia e dei pro titio com minha tia assistindochupar em tetas impinadasconto erotico velha no cio dando buceta pro cachorrocontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãomeu irmao cacula a puta conto de wallisoContos eroticos mordedo seioscontos eroticos de estuprosno carnaval de ruacoroas ensaboando cacete do jovencontos heroticos de rapazes que foram comidos e descobriram que eram gayscache:R-bg7J8nF7YJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto_14382_mamae-velha-mais-bucetuda.html contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentebuceras com paj giganti dentromae filho incesto contospornodoidonaoVer contos de mulheres no ciopalhia de calcia preta nuacomtoerotico com sobrinhacontos eróticos de professor Gaycontos eroticos arrombando a gordaContos eróticos de Gay Fui Dormir na casa do meu Amigoconto erotico sobrinhacontos sexo cunhadasconto erotico abusarao mim metrocontos eroticos perdendo avirgindade encesto compadreContos gay primeira vezpapai me fudeu gostoso e eu gozei no cacete delcontos eroticos mamae me ensinou a ser putacontos o dia que eu seduzi minha mae rabudarelatos dp crentescontos eroticos traindo marido na Sala ao ladoContos eroticos minha esposa e o senseiContos vovô pegando peitinho da netacalcinha usada da vizinha safada contoscorno gemendo cu contocontos erotico comendo trans no onibusContos pornos-esporrei na comida da cegawww.me confessei e levei pica do primo dotadocontos mulher da na frente dos filhoscontos eróticos corno mansozoofilia cadelagozouConto porno criada na rola do avo dedi pequenacontos eróticos titio encheu minha bucetinha de porra pornorabudas contosduas munhe vai calvaga i da pra a cavalo fude ate goza zoolcontos gay negrinhoenrabando a boneca contosComi minha prima safadinha contoLora dismaiando no cu no anal em tres minutoscontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosconto eroticos aguentei mais d vinte e dois sentimetro d rola d meu sogrocontos eróticos gay lambendo rabo peludo de machocomendo a carlinha casa dos contosContos eróticos de cornocom negão dotadoscontos eróticos de pai e filhatroca troca de homens adultos contosvai me arrombarcontos eroticos incesto a neném do papaicontos er apaga a luzcontos fazendo vovô gozar