Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O CORôA DE PIRINÓPOLIS

Resolvi sair de Brasília para passear em Prinenápolis. Epois, aproveitei para conhecer o parque, um lugar especial, com alguns morros altos, que dá para ver ao longe. Eu fui de carro, estacionei perto do morro e subi. Fiquei lá em cima durante quase uma hora e resolvi descer.

Quando estava chegando embaixo, indo para o carro, vi que chegou um Passat cheo de gente. Mas o que me chamou a atenção foi o motorista. Eles desceram, havia um senhor, uma senhora, um casal novo e três crianças. Logo percebi ser todos da mesma família. Fui conversar com eles e descobri que eram de uma cidade perto, chamada Uruaçu. Me perguntaram onde era a trilha ara subir o morro, e eu indiquei a eles. Mas eu ficava olhando para o corôa, um senhor de mais ou menos 65 anos, cabelos grisalhos repartido ao lado, olhos azuis, bigode grisalho, ele usava uma calça azul marinho, camisas de manga comprida, mas dava de ver o barriguinha dele, um corpo bonito. Era alto e forte.

Eles começaram a subir o morro e vi que o senhor estava ficando. De repente ele se virou para mim e disse que iria colocar água no radiador do carro, pois estava esquentando bastante. Me perguntou onde poderia conseguir água, então disse que um pouco mais abaixo, seguindo a estrada tinha uma fonte, poderia ter água lá. Resolvi ir com ele, levando uma garrafa para pegar a água.

No caminho, quase fechado por árvores, íamos conversando sobre aquele lugar. Ele era o pai da moça e avô das três crianças que estava com eles. Estavam paseando para comemorar o aniversário do genro dele.

Eu resolvi arriscar alguma coisa, e disse para esperar um pouco que iria dar uma mijada. Me virei para o lado do mato, tirei o pau e fiquei segurando ele, mas não era para mijar, era sá para ver se ele olhava. Ele ficou parado, olhando o mato mas eu percebia que de vez em quando olhava rápido para mim. Meu pau estava ficando duro e comecei a mexer na cabeça do pau... Então olhei para ele e disse:

- Eu quero mijar mas não consigo mijar de pau duro.

Ele olhor para meu pau e deu uma risadinha e se virou. Guardei meu pau e continuamos. Fomos conversando até chegar na bica, no final de uma estradinha, perto de uma casa abandonada. Lá ele colocou água no radiador e de repente ele se virou e ví que ia mijar. Eu fui discretamente ao lado dele, tirei meu pau de novo e fingi que queria mijar. Ele segurava o pau dele mole, e saia um pouco de mijo, mas bem pouco, de repente parou. Eu olhava para o pau dele e disse:

- O senhor também não consegue mijar...

- Pois é, eu tinha tanta vontade mas sai pouco.

- Eu sou assim quando estou de pau duro. Veja, do jeito que estou não consigo mijar.

Mostrei a ele o meu pau duro pra caramba. Comecei a balançar para ele ver. Ele olhava para os lados, como que procurando para ver se havia alguém nos vendo.

- por que você fica assim rapaz? – Ele me perguntou.

- Não sei, acordei com tesão, desde cedo estou assim.

- Não bate punheta?

- Claro, mas hoje não bati. Prefiro uma mão no meu pau, daí eu gozo mais ligeiro.

Ele deu um sorriso, olhou mais uma vez para meu pau e guardou o pau dele. Daí eu faleu para não guardar, que eu queria ver. Ele me disse que tinha que voltar. Eu disse que primeiro eu ia bater uma punheta e que iria gozar logo, daí a gente volta junto. Então ele me disse para gozar então.

Em comecei a bater uma punheta em pé, e disse para ele também tirar o dele para fora. Ele disse que não, para eu bater sozinho. Fui me aproximando dele e batendo.

- Deixa eu seu pau de novo, não tem ninguém aqui! Tira ele.

- Não rapaz, pode bater você mesmo.

- Deixa eu colocar minha mão nele então. Encostei minha mão por cima da calça dele e apertei de leve o pau. Senti o volume do cacete dele... Era muito tesão. Ele ficava todo tímido e não queria. Eu comecei a baixar o zíper dele enquanto eu me masturbava. Vi a cueca azul dele e coloquei a mão por cima. Levei a mão por dentro, e pude sentir que estava ficando mais durinho. Tirei para fora e comecei a mexer nele. Ele estava gostando daquilo mas ainda estava com medo. Olhava para todos os lados, preocupado se alguém chegasse. Eu encostei os dois pintos e batia os dois juntos, então ele ficou muito excitado, eu coloquei meu pau para dentro da calça dele e apertava no meio das suas pernas. Coloquei minha mão na bunda dele, por cima da caça e pude perceber uma gostosa bunda, grande, macia, me deu muita vontade de tirar toda a calça dele e comeu aquela bunda... De repente peguei a mão dele e coloquei no meu pau. Ele não quis mas acabou aceitando aquilo e começou a me masturbar devagar. Era muito bom. Eu então me abaixei, fiquei de joelhos na frente dele e comecei a chupá-lo. Ele se mexia muito de tesão e gemia alto... Acho que nunca tinha sido chupado por ninguém. Eu colocava todo o pau dele na minha boca, até o fundo. Ele estava quase gozando. Tirei o pau da boca e pude ver que era um pau bonito. A cabeça rosada, mais ou menos uns 19 centímetros, e bem duro! Eu tentei puxar a caça dele até os pés, mas ele não quis. Então chamei ele mais para dentro do mato, onde poderíamos ficar mais a vontade. Ele disse que tinha que ser rápido, que precisava voltar.

Entramos uns 19 metros mato adentro, tirei minha calça e minha camisa, fiquei totalmente pelado. Puxei a calça dele até os pés, e voltei a chupar o pau dele. Ele segurava minha cabeça e apertava contra o pau dele, era gostoso. Pedi para ee se deitar em cima da minha caça e camisa. Ele se deitou e eu me deitei ao contrário, e coloquei o pau dele na minha boca, e aos poucos ia aproximando meu pau no rosto dele. Ele segurava e me mstubava. Pedi para ele colocar na boca mas não queria. Com a mão por tráz, eu colocava minha mão na bunda dele, e fui colocando o dedo e vi que ele não reclamava. Fui com a língua quase no cú dele, e sentia que ele gemia mais alto de tesão. Então pedi para se deitar de bunda pra cima, Ele teve receio mas virou-se de lado. Eu fui beijando a bunda branca, macia, abri a bunda e vi seu cu vermelhinho, com alguns pêlos ao lado, joguei um pouco de saliva e comecei a colocar meu dedo em volta, ele estava mexendo a bunda, gostando. Passei saliva na cabeça do meu pau, fui um pouco mais pra cima e pedi se posso gozar em cima da bunda dele. Ele disse que eu tinha que ser rápido, que eles poderia ter chegado até o carro. Eu então batia punheta, encostando meu pau no meio da bunda dele, encostando o pau no cú dele. Vez em quando eu parava e apertava a cabeça um pouco no buraquinho e voltava a me masturbar. Apertava mais um pouco se vi que a cabeça começou a entrar Comecei a aprtar um pouco mais e senti que a cabeça entrou. Eu tirava e colocava a cabeça lá dentro... de repente senti tanto tesão que estava para gozar, quando senti saindo pôrra, e apertei mais e mais, até que o gozo veio intensa,mente e apertei até o final dentro dele! Eu estava gozando tanto, que tirava e colocava o pau no cú dele bem no fundo, enquanto ele gemia e dizia que estava doendo muito e me empurrava com a mão, mas a pôrra estava saindoe eu sentindo aquela bunda, aquele cuzinho daquele senhor... Eu gozei e me deitei em cima dele, beijando seu pescoço...

Ele queria se levantar, eu então tirei meu pau devagar de dentro dele, ele se virou, ficou de joelhos de frente para mim e mostrou seu pau duro. Eu me deitei e ele colocou o pau na minha boca, ele se ajoelhou por sobre meu pescoço e começou a se masturbar, de modo que em menos de um minuto ele colocou o pau na minha boca e senti o esperma saindo... Saia muito e ele respirava fundo, gemia e apertava meu rosto com as mãos. Ele ficou olhando para baixo e vendo seu pau na minha boca, e ficou gemendo ainda com o gozo. Então saiu de cima de mim, limpou o pau e se vestiu.

Saímos do mato, pegamos a garrafa e voltamos conversando como se nada tivesse acontecido. Chegamos no carro dele e pudemos ver o pessoal ainda em cia do morro. Então colocamos a água no carro, e ficamos ali, conversando. Meu carro estava parado ao lado do carro dele, eu me sentei no banco com a porta aberta, tirei minha calça e mostrei meu au duro novamente. Ele ficou me olhando e perguntou se eu ai gozar de novo. Eu disse que tinha muito tesão e que gostei muito dele. Ficou olhando eu me masturbar, pedi para ele mostrar a bunda, ele baixou um pouco a calça, e mostrou a bunda. Eu tocava uma punheta e olhando aquela bunda, não me segurei e disse a ele que iria gozar. A pôrra saiu em espirros na direção dele por várias vezes. Muita pôrra. Ele disse:

- nossa rapaz, que potência!

- Essa é a pôrra que teria ficado dentro de você se viesse aqui mais perto... Essa bunda maravilhosa que você tem... Quando eu te vejo de novo?

- Não sei rapaz.. Olha, o pessoal está voltando.

Eu vesti minha calça, dei a mão para ele e saí com o carro...

Até hoje eu toco punheta quase todos os dias pensando naquela transa, naquela bunda e naquele pau gostoso e durinho...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos de incesto veridicoFodido na construçãomarido corno nao ve mulher paasa a mao no pau d outrocontoerotico safadafui encoxada no tremcontos eroticos q bocA e essa desse baianomarido demarleni ve ela transandoseparada e depilada contoscachorro lambendo buceta.deilhecoroa branca casada dando o cu pro negão conto eróticocontos de quen comeu coroas dos seios bicudosler contos pornô de i****** pistola gostosa do meu filhocontos dp betinha vendo irma fodendoContos fudendo a gravidasou loira engravidei gozoi dentro favela contos eroticosconto humilhadacontos eróticos minha tia de baby dolleroticos sinto uma tesao enorme por ti maea minha cunhada casada e saia justa contos com fotoscontos eroticos alisando a esposa do meu amigocontos sendo escrava por santagemesfregando na irma caçula contosconto eroticos comi minha vizinha de 7aninhoscontos duas putinhas chorando na varacontos eroticos arrombando a gordacontos erótico proibido na net chatagiei a sobrinhaconto erotico casada mete com mendingo fedendo a mijocontos eroticos meu cunhado de cuecacontos eroticos com eletricistaproposta indecente de colega porno de trabalho a casadaContos inserto com as subriascontos pornos fui estuprado na adolescência e gosteicontos das danadinhas perdendo cabaçinhoContos eróticos meu papai me comeucontos gay menino hormonio virou mulhercontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãoMulher pega o marido usando sua tanguinhacontos eroticosirmazinha  Minha vontade era de explodir de tesão quando ela me perguntou isso. Mas me controlei e falei só que sim, que pensava muito nela!! Aí foi meio automático, a gente já estava bem próxima mesmo. Ela se aproximou, eu me aproximei. Não sei bem quem tomou a iniciativa, mas o nosso primeiro beijo rolou ali mesmo. Foi maravilhoso. A lí  conto er seios quadril glandehttp://okinawa-ufa.ru/conto_7625_tirei-o-cabaco-da-prima-dentro-da-cana.htmlConto de machos arregacando os buracos da putacontos gay dando para o cachorroeu quero história comendo a minha vizinha e ela nem dá bolacontos eróticos minha bundaconto erotico comendo mae do analamigocontos virei femea na republica gaySexo vagina primeiro amor contomasagista se marturbando no meio do espediente porContos fulerasContos de incesto minha mae fugiu com outro e eu fiquei com o meu paigarotinhas da bunda grandemulheres estourandasmulher gosta de ficar nua e corpo inteiro melado de margarina budao fudida por varios brutoscontos sobre safadas na academiaconto madrasta tranformo enteado en travestividios novinhas dos mamilps diros pontudoscontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosconto dei minha bucetinha muito novinhaContos eroticos namorada e tioconto primeira peitinhocontos com minha prima novinhacache:K5a2T1gNGzgJ:https://okinawa-ufa.ru/home.php?pag=497 contos eroticos flagrei minha mae fudendo com travesticontos homem chupa rola ricardaocontos eróticos minha sobrinha trazia sua amiguinhas para eu comeraaaaah. chupa minha bucetinha vai. isso. vou gozar na sua boca. me faz gozarcontos erotico na balada com a irmapornodoidonaoconto safadoContos Eróticos MEU BUNDAO filho