Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA MULHER É UMA PUTA (REAL)

Bom esse é o primeiro de muitos relatos que aqui farei. Meu nome é Ricardo (Fictício) e minha esposa se chama Mayara (Fictício), somos do interior de SP, Eu tenho 30 anos, sou branco, 1,63 cm e mais ou menos 70 kg, me acho bonito e minha esposa também acha, Ela tem 20 anos, morena, uns 1.65 cm e uns 51 kg, cabelos cacheados, ela é linda, gostosa, tem uma pele maravilhosa, boca carnuda, enfim, onde ela passa os homens ficam excitados. Sempre nos demos muito bem principalmente na cama, sempre me achei muito safado e nunca achei que fosse achar uma companheira como eu, mas me surpreendi, pois Mayara aceitava todas as minhas fantasias e loucuras, pois até eu achava loucura meus desejos. Mas vamos para o primeiro relato.

Eu e Mayara sempre fodiamos muito gostoso, não gostávamos de fazer amor, e sim sexo, no começo do namoro, sempre queríamos fazer algo diferente, ela comprava fantasias, me fazia striper, usávamos chicotes (Ela adora apanhar, na bunda e na cara), mas fomos realizando as nossas fantasias muito rápido, adorávamos transar em lugares públicos, nos provocar na multidão, mas enfim as fantasias mais comuns e fáceis de realizar foram acabando, mas tínhamos muito mais em nossas mentes, pelo menos eu sempre tinha. Porém minhas fantasias envolviam outras pessoas e Mayara era hiper ciumenta, não conseguia imaginar outra mulher junto conosco, mesmo que fosse sá ela que fosse transar com a outra mulher, ela não aceitava isso de jeito nenhum e olha que ela era louca pra transar com outra garota, mas seu ciúmes era muito maior. Em nossas transas sempre nos provocávamos com conversas safadas do tipo, você queria estar chupando uma xana agora né, queria uma garota te dominando, ela adorava, ficava louca e gozava muito, mas sá ficávamos nas conversas mesmo. Nessa época ainda namorávamos, e às vezes até brigávamos com essas conversas de ter outra mulher na cama, ela afirmava que tinha vontade, mas não queria nem mais falar do assunto se não íamos largar, então não falava mais, pelo menos tentava né. Mas durante nossas transas comecei a ter outra fantasia, não consegui transar com Mayara sem imaginar ela com outro, quando ela me chupava queria ver ela chupando outro, quando me tocava queria ver ela tocando outro, até que não aguentei mais e sempre atiçava ela em nossas transas, ficava falando enquanto ela me chupava “Vai chupa vadia, você queria estar chupando a rola de outro né cachorra, fala eu sei que queria” e ela balançava com a cabeça afirmando, mas eu fazia com que ela falasse, então ela tirava meu pau da boca, me olhava com cara de safada e falava “ Eu quero, você sabe que eu quero, eu sou safada, eu quero outra rola, eu quero porra” Nossa, como isso me dava tesão, mas sá ficava nisso, pois eu nunca teria coragem de fazer isso com ela, afinal sempre a amei e amo muito, depois ficava super irritado comigo por esses pensamentos. Assim foi ate nos casarmos.

Já no nosso primeiro ano de casamento, minha esposa safada como sempre, começou novamente a falar de transar com uma mulher, ela queria muito ser dominada por uma mulher, mas ainda dizia ter muito ciúmes, eu dizia que não queria participar, mas que teria que ser na minha presença, mas mesmo assim ela não aceitava, mas sempre falava que morria de vontade, acho que ela estava louca pra ouvir eu dizer “ esta bem, pode transar com uma garota”, mas não nunca, eu queria ver, tinha que ser na minha presença.

Minha esposa realmente é muito linda, já recebeu e recebe muita cantada de outras mulheres, principalmente em seu trabalho, e sempre que ela é cantada ela me fala, e eu tento atiçar ela, fico falando “e ela era bonita? Fazia seu tipo? E ai você vai ligar pra ela?” ela sempre sá sorria, mas o grande dia estava chegando.

Eu sempre busco minha gatinha no serviço dela, então esse dia, se não me engano foi em abril de 2008, fui buscá-la e ela estava com uma amiga, ao chegar ela perguntou se tinha como dar uma carona pra ela, por que ela havia começado a trabalhar na loja naquele dia e por coincidência morava no mesmo bairro que nás, eu respondi que sim é claro, afinal Carla (Fictício) a nova amiga da minha mulher também era um mulherão, morena clara, cabelos pintados de loiro, pernas bem torneadas e um bumbum de deixar qualquer um de pau duro, era o tipo de mulher que minha esposa desejava com certeza. Levamos então Carla até sua casa, realmente morava bem práximo de nás, apenas a 3 quadras. Então essas caronas viraram rotina, Carla sempre ia e voltava conosco. Mais ou menos um mês depois de conhecer Carla, minha gatinha depois de tomar umas comigo em casa começou a falar de Carla, dizer que ela era muito legal, simpática e super amiga, e eu sá ouvindo, então ela começou a falar da beleza de Carla, do seu cabelo, do seu corpo e falou muito da bunda dela, então me perguntou se eu não achava Carla bonita, eu odiava quando ela fazia essas perguntas, por que se eu dissesse que sim, ela ia morrer de ciúmes, então eu sempre dizia, eu acho você bem mais bonita, embora realmente eu a ache a mais linda. Então ela disse que Carla tinha confessado pra ela que era bissexual, então na hora já falei, ai, é sua chance, da em cima dela. Então Mayara me disse, não preciso dar em cima dela, ela da em cima de mim quase todos os dias. Nossa, a essa altura eu já estava imaginando loucuras, então falei, “Mas e ai, vc vai topar?”, e pra minha surpresa minha gatinha disse “Ai, ela é linda, é muito gostosa, eu quero, mas tenho ciúmes de você”, então comecei novamente dizendo, “ Amor, é vc que vai transar com ela, mas assim como você tem fantasia eu também tenho e a minha é ver você e outra garota, para de ser boba, eu amo você”, e ela me disse, “Ai esta bem eu vou pensar”. Não era muito o que eu queria ouvir, mas foi melhor que um não.

Depois de umas 2 semanas Mayara quis queimar uma carne no final de semana, compramos tudo, principalmente cerveja é claro, chegamos em casa, acendi a churrasqueira, enquanto já tomava a primeira cerveja e Mayara foi tomar banho, quando ela retornou, eu estava na terceira cerveja e a carne já assando, Mayara estava linda, um tesão, estava vestindo um short curtíssimo de lycra branco, chegava a mostrar a voltinha da sua bunda, e estava sem blusa, sá com um biquíni azul, ela sempre ficava bem a vontade em casa e nos churrascos, afinal não tínhamos filhos e quase sempre era sá eu e ela nos churrascos, mas para minha surpresa a Carla apareceu, trazendo uma panela de arroz branco, nossa que mulher era aquela, estava linda, vestindo um short jeans não tão curto como da minha mulher e uma blusinha regata branca, fiquei super surpreso dela estar ali, afinal minha mulher não disse que a tinha convidado. As duas não paravam de conversar, rir, se elogiar, uma passava a mão no cabelo da outra, e eu ali, tomando as minhas cervejas e meio que fora da conversa, também tentando disfarçar minhas olhadas pra perna da Carla, pois sei que se Mayara visse o bicho ia pegar. Depois de já termos comido bastante, deixei a churrasqueira de lado e me sentei com elas, que já estavam bem alegrinhas devido à cerveja, e não nego que também estava. Então perguntei a Carla se ela não namorava e ela disse que já tinha um ano que estava solteira e que não queria nada sério, queria curtir muito ainda, então Mayara disse que ela estava certinha mesmo. Carla começou a reclamar de calor, afinal estava mesmo, então minha mulher perguntou se ela não queria tirar a blusa, e ficar mais a vontade, Carla não pensou duas vezes e quando vi já estava tirando a blusa, na minha cabeça parecia que ela estava fazendo bem devagar, tudo estava em câmera lenta, então pude ver que além da bunda gostosa ela tinha os seios maravilhosos também. Conversa vai e vem, minha gatinha não falou nada, simplesmente se levantou e retirou seu short, ficando sá de calcinha fio dental branca. Caramba eu estava adorando essa situação, foi quando Carla elogio minha mulher, dizendo que ela era super bonita e gostosa, que eu era um cara de sorte por ter ela. Decidi parar de beber se não ia ficar bêbado e se algo acontecesse eu não ia ver nada. Estava super apertado para ir ao banheiro e não queria sair dali, mas não aguentei e fui, ao retornar que coisa mais linda, vi as duas se beijando, parei para não me verem e pensei, nossa hoje vai rolar. Elas não paravam de se beijar, estavam de pé abraçadas, a Carla de costas pra mim e minha mulher apertando com vontade a bunda dela, meu pau já estava doendo de tão duro, percebi que o tesão delas era muito e que não iam parar de se beijar tão cedo, então fui até a cadeira que estava sentado com elas, mas sem fazer barulho e me sentei e fiquei ali, parado admirando o que eu sempre fantasiei. De repente Carla abriu o olho e me viu, e para minha surpresa, ela não se assustou e deu uma piscada super sensual sem minha esposa perceber. Carla então não deixava minha esposa se virar de frente para mim enquanto estavam se pegando, minha esposa estava muito safada e Carla puxou a calcinha da minha mulher de lado e começo a acariciar seu cuzinho. Minhas fantasias em minha mente sempre foram gostosas, mas vivenciar assim, estava muito perfeito, meu tesão era tanto que me mexi na cadeira, então Mayara se virou e me viu. Mayara me olhou com uma cara de safada que eu nunca tinha visto e falou, “Você ta ai seu cachorro, ta com tesão né, ai você sempre quis ver, então fica sentado ai e olha”. Bom eu já estava olhando é claro, mas adorei ouvir como ela falou. De repente Carla puxou o cabelo da minha mulher, mas puxou com força mesmo e disse, “Vai putinha, ajoelha e tira meu short”, minha gatinha não falou nada, agachou e começo a desabotoar devagar o short de Carla, e de repente Carla lhe deu um tapa na cara, minha esposa gemeu de tesão e Carla disse, “anda vagabunda tira logo, to louca pra esfregar minha buceta na sua cara”, minha mulher sorriu, ela adora ser submissa, adora ordens. Então mais que rápido ela tirou o short de Carla que já estava sem calcinha, e assim como minha mulher ela era toda depilada. Carla se sentou na cadeira e abriu as pernas, minha mulher ali parada na sua frente, então Carla falou, “Vai me chupa logo, ou você quer apanhar?”, minha mulher mais uma vez sorriu e falou,” bate, bate que eu gosto”, acho que a Carla não acreditou no que ouviu, mas gostou de ouvir, pegou minha mulher novamente pelos cabelos, puxou pra perto do rosto dela e olhando nos olhos dela falou, “ahh então você é vagabunda mesmo né, mas você que não me obedece não que você vai ver, então cala a boca e me chupa”, e pelos cabelos enfiou a cara da minha esposa no meio das suas pernas. Minha esposa começou a chupar com vontade, afinal fazia anos que ela queria isso, Carla delirava de tesão e forçava a cara da minha mulher cada vez pra dentro da sua buceta e dizia, “vai safada me chupa, vai eu quero gozar na sua boca, quero te encher de gozo, vaiii chupaa”, minha mulher estava adorando tudo aquilo, então ela parou de chupar, olhou pra mim e falou, “vc ta gosatndo? Ta né, mas vai ficar aii sá olhando viu e se quiser pode bater punheta”. Nossa, a Mayara era muito safada, então tirei meu pau pra fora e comecei a me masturbar. Carla se levantou, tirou o sutiã, levantou minha esposa pelos cabelos e se beijaram, Mayara então começou a pedir, “vaii me bate, bate na minha cara, vaii me bate”, Carla sorriu e disse que não, que ela teria que implorar, Mayara então não parava, “vai porra me bate, eu quero apanhar, por favor me bate, cospe na minha cara, vai me humilha que eu gosto”. Carla então lhe deu um belo tapa na cara que chegou a ficar a marca dos dedos, Mayara tremia de tesão e falava pra bater mais, Carla afastou o rosto de Mayara pelos cabelos e com a outra mão começou uma sessão de espancamento no rosto da minha mulher, o tesão de Mayara era tanto que ela quase gozou apanhando, então Carla puxou seu rosto com força e cuspiu na cara da minha mulher, minha mulher ria de tesão e pedia mais e eu ali, sá na punheta. Carla a ordenou que se abaixasse novamente para chupar mais, minha mulher agachou e Carla se virou de costas, que bunda era aquela, minha esposa apertou com vontade aquela bunda, que eu já estava doido pra comer, então Carla se curvou e abriu a bunda com as mão e disse, “vem, agora eu quero que lambe o meu cú, mas é pra lamber com vontade”, minha mulher que já não se aguentava de tesão enfiou a cara na bunda da Carla e começou a lamber, lambia com vontade mesmo e Carla gemia muito, então depois de alguns minutos Carla disse, “vai fode meu rabo, enfia sua língua, vai fode”. Minha esposa enfiava a língua com vontade e Carla gemia muito, então minha mulher lambeu um dedo e enfiou com vontade naquela bunda linda e Carla adorou pedindo pra enfiar mais um dedo, o que Mayara fez com gosto, ela enfiava e tirava o dedo bem rápido e eu ali me punhetando, vendo tudo. Mayara as vezes tirava os dedos e lambia com cara de safada, então ela lambendo os dedos olhou pra mim e disse, “quer sentir o gosto quer? Vai fica querendo é sá meu” e voltou a lamber o cuzinho da Carla, enfiando a língua toda lá dentro. Carla disse que estava cansada da posição e chamou pra ir pra dentro da casa, levantaram e foram pra sala, chegando lá Carla pegou minha mulher pelos cabelos cuspiu na sua cara novamente e falou, “vai vagabunda deita ai no chão que eu vou sentar na sua cara de vadia”, minha esposa deitou e Carla sentou em cima de seu rosto, rebolando e sufocando a Mayara sem dá, Carla começou a gemer muito e dizia que ia gozar, que ia lambuzar a cara da Mayara e era pra ela lamber tudinho, então ela começou a gozar, um gozo misturado com urina e minha mulher lambeu e bebeu tudinho, exceto um pouco que espirrou no chão, então Carla saiu de cima da minha mulher ordenou que minha esposa começasse a lamber o chão da sala e deixasse limpinho, Mayara ficou de quatro e ficou lambendo o chão, então Carla a pegou pelo cabelo e forçava seu rosto contra o chão, eu sá não tinha gozado ainda por que estava me segurando mesmo, por que as duas estavam muito gostosas, eu nem acreditava que aquilo estava acontecendo. Então Carla mandou minha mulher ficar de quatro no sofá e começou a chupar sua bucetinha, Mayara gozou super rápido e Carla não parou de chupar, fazendo minha mulher gozar duas vezes seguida, minha mulher pediu pra Carla fuder o seu cuzinho, que ela adorava dar o cuzinho. Então Carla lambeu dois dedos e enfiou com tudo no cú da minha esposa quee rebolava gostoso nos dedos da Carla, ela começou a enfiar e tirar bem rápido e minha mulher mais uma vez estava gozando e pedindo mais, então Carla colocou mais um dedo, já estava com três dedos no cú da minha mulher e minha mulher falou, “vai caramba arromba o meu cú, fode ele, eu quero dar, vai fode caralho”. Parecia que a Carla ficou brava com aquilo, ou não acreditava sei lá, então enfio mais um dedo e percebendo que Mayara ficava com mais tesão a cada dedo, ela começou a forçar a mão bem devagar, e logo já estava com todos os dedos no cú da minha mulher, mas a mão não tinha entrado. Carla perguntou pra minha mulher se ela aguentava, se podia forçar e minha mulher como uma cadelinha falou, “eu sou sua puta, faz comigo o que você quiser”, a Carla quase gozou ouvindo isso e eu também, então ela forçou a mão sem dá, e entrou tudo, e sem esperar ela já retirou e enfiou de novo, arrancando um grito de dor da minha esposa, eu já tinha tentando varias vezes fazer fist fucking com ela mas ela não conseguiu e dessa vez a vadia conseguiu. Minha esposa não se aguentava de tanta alegria e tesão e gozou dando o cú pra Carla, deitaram no chão e ficaram alguns minutos abraçadas e eu ali ainda me masturbando. Então a Carla olhou pra minha mulher e apontou pra mim com a cabeça, mas minha esposa falou assim, “não não, ele é sá meu, eu sou sua quando você quiser mas ele é sá meu” e veio e começou a me chupar como uma putinha, ela chupa muito, mas muito bem mesmo, colocava meu pau todo na boca ate engasgar e segurava ele lá dentro, depois tirava da boca e me punhetava bem gostoso, chupava e me masturbava ao mesmo tempo e eu não consegui me segurar mais e enchi a boca dela de porra, ela olhou pra mim, abriu a boca me mostrando minha porra e engoliu tudo de boca aberta como ela adora fazer, em seguida foi e deu um beijo na boca da Carla e foram juntas tomar banho enquanto eu fiquei ali, no sofá da sala nem acreditando no que havia acontecido. Bom galera esse é sá um dos fatos ocorridos, depois disso aconteceu muito mais, tanto com a Carla quanto com... deixa pra práxima né, depois conto mais da nossa vida sexual. Abraços a todos e quem quiser pode enviar e-mail.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos coroa velhosou uma safada/contoscomi minha tia conto realistacontos eroticos de casada pagando aposta do maridoconto erotico arrombei o travesti do baile funkcontos eroticos comendo a funcionaria novata casada da lojaxvidios gemios incestoEstouraram meu cuzinho na viagem contosEu fui trabalhar numa empresa eu comi minha patroa japonesa no motel conto eroticocontos ele tinha um pau grande e grosso me fudeu eu era novinho Contos obsenos da minha infanciaContos eroticos estupros coletivos veriticoscontos eu marido na prai de nudismocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContoseroticosdevirgemsconto o cunhado da minha muhler encheu a boceta delaContos eróticos dei meu curso para um cavalocontos eroticos o cara me deixa loucasem piedade nem caridade no cu da putinhameu chupador de seios gostosocontos mia gostosa mulhe teve sua buceta aregasada pro seus amates muitos roludoscontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosria gosa pra mincontos eroticos arrombando a gordaele era um lindo anjohuuuuummmm gozeicontos eroticos paulo e bruna parte 2contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos meninos padrinhocontos eroticos arrombando a gordaContos currada 28cmconto erotico pastor deseja novinha de pieitos gostos e fartospassei de fio dental na frente do meu cunhado:contocontos eróticos espiandocontos heroticos peitõescontos de sexo a patroa me estuprouContos anal bumbum gigante coroaconto chantagem enteadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepresenteano minha esposa com outra rola contos eroticoscontos erotico meu cunhado e meu sogro me estupraramcontos porno chupetinho para um adultocontos eróticospadrastoeenteadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentehoje morena bonita eu estou querendo te pegar gostoso hoje morena bonita todos têmpau pulsou na bocacontos e videos verdadeiros de cunhado transando com a cunhada e a filha delavideos de motoristasbatendo punhetasreal conto cunhadocontos eroticos de casadas que encarou um pau gigantescoconto erotico com ajuda da minha virei cadela do meu cachorrocontos fui brincar amoite de esconde esconde e dei o cu pra todos mulequescontos d mulher dando pra dois e marido vendocontos eriticos mulher casada em onibus lotadocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevelha gorda submissa contos eroticosA Família sacanagem na praiacontos arrombando casadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erotiocs de quando fiquei com meu primo luccabuceta carnuda comtos de sexoesposa comvemceu maridu deixa. ela da para outro..comtos eroticosrapaz chupa seios com gula pornodoidoContos milha prima super greludacontos erroticos de incertos filha amante do conto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentebucetinha virgem bem pequenininho viscosaminha amiga pervertidaconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentemeu professor meu namorado contos gayconto veridico gozada dentro xoxota recifecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentefiz sexo com meu padrasto contostreinando a cadela para zoofiliamae e dia acradando o filho na punheta