Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUANDO COMECEI A TER TESÃO POR ZOOFILIA...

Engraçado como muitas pessoas fantasiam certas fodas ao ponto de dizerem que numa primeira vez conseguiram acomodar um cacete descomunal de um jumento no Cu, as vezes chego a duvidar de tais relatos, pois praticante de zoofilia desde os meus 19 anos, sei muito bem o quanto mede um pau de um jumento, para quem não sabe é bem mais grosso e grande do que o de um cavalo e quando gozam chega a encher quase dois copos americanos de porra viscosa, grossa e com um odor indiscutível de sexo, porra esta que muitas vezes me esbaldei no sitio aonde me criei, sei que somente uma pessoa com uma boa dilatação anal é capaz de suportar uma jeba equina no Cu, as vezes sendo até difícil de abocanhar a cabeçona do pau com a boca, consegui esta façanha apás varias tentativas, mas somente com cacete de cavalo, já que a chapeleta do pau de jumento é bem maior, neste ultimo eu sá lambia e sugava o canal da uretra pois não cabia na minha boca, no cu até hoje eu não consegui suportar um pau cavalar, me contentava em apenas receber as pulsadas dos cacetes dos cavalos e dos jumentos na minha bunda e na porta do meu cu faminto porém, apertado para estes deliciosos paus....mas como tudo começou ?

Nasci e me criei num sitio no norte do Brasil, aos 08 anos fui molestado pelo caseiro dos meus pais, um senhor moreno de 60 anos que me fudeu várias vezes e me mostrou o caminho da zoofilia... ahhh, o Sr Juvenal era um pernambucano separado da mulher e aos 40 anos foi trabalhar para meus pais no sitio aonde nás morávamos, era calado, trabalhador e muito prestativo, morava numa casa de pau á pique no meio do pasto aonde ficavam uma montoeira de coisas como remédios para os animais, maquinas agrícolas, ferramentas, rações e sementes, as vezes quando meus pais precisavam dele, mandava eu o chamar, e num destes dias eu o vi nu pois estava trocando de roupas para poder jantar lá em casa e como tinha apenas 08 anos fiquei “abismado” com o tamanho do pau dele e por ser cheio de pêlos diferente do meu, fiz um monte de perguntas queria pegar mas tudo na maior inocência, cheguei até a comentar na frente dos meus pais que eu tinha visto o “pipi” do Sr Juvenal e que era muito feio, o coitado levou uma bronca e prometeu à minha mãe não ficar mais pelado na minha frente, desde este dia eu fiquei curioso pra saber porque o pipi dele era diferente, mas ele dizia que quando eu crescesse o meu iria ficar daquele jeito, mas eu queria saber mais então ele brigava comigo e dizia que iria falar aos meus pais e que eu levaria uma surra, um dia cheguei a fazer chantagem, dizendo que falaria para minha mãe que ele ficou nu na minha frente se por acaso ele não colocasse o pau dele pra fora para eu ver, não aguentando minhas frequentes perguntas e minha curiosidade e creio eu que também o tesão ele cedeu, deixou eu pegar, apalpar, e fui ficando mais safado, balançava e apertava aquele monte de nervos pretos e cheio de veias salientes no qual se sustentava um saco grande com bolas enormes então percebi que ele gostava daquilo pois seu cacete ficava duro, começou a pegar no meu pau também e bolinar no meu cuzinho liso de criança, aquilo me dava uma sensação boa, ele tirou meu short e me colocou de quatro apoiado em uma “cangalha”(tipo de sela artesanal ), foi numa das prateleiras da sua cozinha e pegou um pote de mel, lambuzou seus dedos e passou no meu cu, que neste momento não sabia porque, estava piscando que nem vaga-lume em noites escuras, então senti sua língua a desbravar meu rabo com uma vontade animalesca, ouvia seus urros e as investidas fortes daquela língua querendo invadir minha alma, senti algo estranho, não sabia oque era prazer carnal, mas aquilo era muito bom....

O Sr Juvenal então se deitou de peito pra cima com aquele pau enorme que me assustava pois não consegui imaginar naquele momento como meu pinto chegaria um dia a ficar como aquele dele, me puxou e mandou ficar de cácoras na sua cara, sua língua me penetrava até aonde ele conseguia ele lambia meu cu como eu lambia as colheres de pau suja de melado quando minha mãe os fazia, não se contendo mais de tesão ele começou a enfiar aqueles dedos grossos e calejados no meu cu, no começo senti um desconforto era como que estivesse “cagando pra dentro”, mas eu também estava extasiado pelo tesão, de repente aquele homem com cheiro forte de trabalhador que fumava cachimbo com tabaco de corda levantou e vi no seu rosto um sorriso malicioso quando ele enfiou seu pau latejando dentro do pote de mel e me pediu para mamar aquele cacete que escorria mel juntamente com um liquido viscoso, como se eu fosse um bezerro faminto quando mamava nas tetas das vacas, assim o fiz, claro que sem pratica nenhuma, sempre gostei de mel então comecei a chupar aquele pau que mal cabia na minha boca, as vezes o Sr Juvenal era bruto, puxava meus cabelos quando eu encostava os dentes na cabeçona do seu pau ou socava de uma vez na minha goela aquela jeba preta, enquanto fudia meu cu com os seus dedos lambuzado também com mel quando bruscamente ele acelerou os movimentos de vai e vem do seu cacete e falou que o que saísse do seu pau na minha boca era para eu engolir tudo, foi quando senti o corpo dele tremer, ele se esticava como minhoca no asfalto quente e começou a urrar como uma vaca parindo em seguida senti apenas 03 jatos de um liquido viscoso, com uma mistura de amargo, salgado, azedo e doce na minha goela, no inicio me deu vontade de vomitar mas ele fechou minha boca atolando aquele cacetão lá dentro da minha goela, aqueles 03 jatos eram suficientes para encher uma xícara de café, eu queria mais brincadeira mas ele pediu para me vestir e irmos no igarapé (rio), tomarmos banho, perguntei porque aquele mijo que saiu do seu pau era diferente dos outros mijo que eu já tinha visto, ele com um tom meio medroso disse que quando eu crescesse e ficasse com o meu pinto cabeludo igual o dele eu iria saber, me pediu as vezes me ameaçando que se eu contasse para alguém eu iria apanhar dele e jamais iria deixar eu brincar com seu pau de novo, prometi e assim o fiz nunca contei a ninguém sobre nossas brincadeiras pois teve muitas outras que irei contando com o tempo a todos deste site, inclusive quando ele arregaçou meu cu me deixando quase 19 dias com medo de cagar de tão dolorido que meu rabo ficou apás ser fudido freneticamente por aquele pau cavalar....

Terei relatos também nas sessões de zoofilia, incesto e gays e se você gostou dos meus relatos saiba que são veridicos e se curtir fodas bem safadas é sá me escrever....sou moreno claro, 1.77cm, 82 kg, nada afeminado e nem curto, muito puto e depravado....meu email é [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


assistir videos de porno de coroas gostosas da interntwCONTO DEPRAVADAcontos erticos de ninfetasconto sentado no colo e jogandocontos eroticos minha mae e meus amigos armandoTrempando em cima da lancha com o coroa conto eroticoquero ver a rola no cú da Chiquinha gritando vídeo pornôconto erotico gay: tenho cinquwnta anos e dei meu rabo para um garoto de desessetecontos enteadabotou tudo nela bebadacontos zoo meu marido sem eu saber viciou o cao passando minhas calcinhas para ele cheirarconto erotico comeu e surroucontos comendo gay na vielaconto porn insetuosomulher passa muita margarina no proprio cuPresentes grandes para minha esposa contos eroticosajudei o bêbado e ele comeu meu cuzinhoconto gay pirocao imensoesposa de bebado nao tem dono contosOlha so pai como ta minha bucetinhacriando o sobrinho banho contosuco de uma magrela trepando em pornô famíliacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComendo cu de mulher dormindo conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticostio e sobrinhapau duro micaelacontos eróticos com senhor de idade com rapazContos erótico Lara a experientezoofilia negao comenorme pau deixando putia loucacaipirinha conto eroticocontos roticos botA pra cagacomi minha mana casadaconto erótico enteada querendo dar po padrastona davela os homens nao tem frescura conto eroticocurra gordinha contoconto erotico masticou minha buceta estrubocontos de gays como foi sua primeira vezcontos eroticos arrombando a gordacontos minha cunhada puta na praia com sua irma com fil dental e eu passei a mao nelas duascomto imcesto familia praiacontos di mulheris que ralaram pela primeira vezjapa enfia o dedo no seu cu virgemconto o Pastor me comeuminha esposa e sua namoradinha contoconto chantageei minha irma evangelicaConto comida por velhos sexomeu padrasto meu donocontos gay negrinhoa prima da minha madrasta contos eróticocontos eroticos comi minha sogra de calcinha fio dentalcontos com fotos esposas com a buceta cheia de porra de negrosbucetiha tihoputa que mora no bairro portãoconto comi minha mae na prisaóContos eróticos gay comi o cu guri pequenomulheres casadas de shortihno bunbumgrandecú guloso contos reaisMeu nome é dado (apelidio),tenho 35 anos e minha esposa mara tem 32 anos.Somos simpaticos ,com caracteristicas bem Brasileira .conto erotico barzinho depois servicomulher com contracionar peladacontos eróticos chantagiei estrupei minha irmazinhacontos gays transei com meu amigocontos de travesti no onibuscontos de lesbianismo no acampamento de escoteirasContos eroticos da esposa safada com o marido deficientecontos eroticos diretores de escola chantageando novinhas virgenscontos incesto mãe fofinhaconto meu amigo comer minha esposaMinha prima me cantou contosseu madruga coloca pau no cu da dona florindagay na dp de pica gg contoscomi minha tia contocontos duas gostosas dando o cu para um cara pausudochupando igual pirulito - contos eroticosbucrtinas novinhas