Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PAPAI E SUA CADELA (GAY-TEEN)

Ola, me chamo Daniel (mas me chamam de Dany), tenho 19 anos, sou branquinho, cabelos lisos, olhos castanhos, afeminado, pinto de 15cm, poucos pentelhinhos, bunda arredondada e arrebitada, lisa por natureza. Além dos mamilos pequenos e rosados desde pequeno. Meus amigos sempre me encoxavam me apertavam me abraçavam, bem como meu pai que adora me fazer sentar no seu colo. Meu pai é alto e forte dono de uma delícia de 21x5 cm. Durante a semana meu pai sempre me leva pra dormir com ele em seu quarto e por diversas vezes senti o pau de papai duro encostando em mim. E ele pensando que eu dormia chegava tirar meu pijama e gozar muita porra bem na entrada do meu cú. Depois ele se virava e dormia. Não sabia direito por que ele fazia aquilo, mas adorava, sentia aquele melado e levava a minha boca e ficava lambendo os dedos e depois dormia. Sou filho único de meus pais, minha mãe que trabalha a semana inteira em uma empresa em São Paulo, fico em casa no período da tarde sozinho, apenas a noite papai vem dormir comigo. Um mês atrás minha mãe avisa que ia fazer uma viagem importante com pessoal da empresa e que eu ia ficar sozinho em casa por 3 semanas, e meu pai tinha alguns compromissos e não podia ficar comigo, achei o máximo poder ficar somente eu em casa, aproveitei e fui no quarto de meus pais, lá tem vídeo cassete, aproveitei pra ver alguns filmes, sabia que meu pai tinha comprado alguns filmes e que tinha escondido, achei eles dentro de uma caixa no guarda-roupa, não tinha nada escrito, quando coloquei vi que era pornôs, fiquei eletrizado com o que vi, era um vídeo onde uma mulher fazia sexo violento com um homem, de tudo quanto era jeito, aproveitei e relaxei era umas 6 horas da tarde, fiquei peladinho alisando meu pauzinho, que tava meladinho, ficava me imaginando no lugar dela, (bom esqueci de contar eu era virgem até então, nunca tinha pego em um pau apenas visto em revistas) tinha gozado varias vezes com aquelas cenas, de repente ouvi uma voz perguntado se tava gostando do vídeo, quando olhei era meu pai, fiquei gelado de medo, perdi até a voz na hora, gaguejava de medo, já tava imaginando que ele ia me bater, levantei tentando esconder, meu pauzinho mas ele pegou falou pra mim acalmar que apenas ele estava em casa e que os compromissos não tinham dado certo, e que ele entendia minha curiosidade por sexo, alias falou que era normal, e que minha mãe já devia ter falado comigo sobre sexo e esclarecidos minhas duvidas, falou se eu quisesse poderia terminar de ver o filme o filme, que ele ia tomar banho, tentei ficar mais calmo, mas tava meio assustado e com vergonha nem terminei de assistir o filme, papai saiu do banho vestiu uma roupa e disse que ia sair para comprar algumas coisas, aproveitei e fui tomar meu banho, ainda tava meio assustado com o flagrante que ele me deu, fiquei uns 30 minutos no banho. Papai voltou e foi ao meu quarto perguntar o que eu queria jantar, falei pra ele para comprar uma pizza pra gente, jantamos e eu não comentei nada com ele sobre o ocorrido, nem ele me disse nada, fui pro meu quarto terminar meus trabalhos escolares, era umas 10:30 da noite ele foi no meu quarto e me chamou disse se eu que queria assistir um filme junto com ele, fiquei com vontade de ver mas fingi que não queria ver, perguntei que filme era ele disse que era do mesmo tipo que eu tava vendo mas um pouco diferente, ele disse que eu poderia ver, mas que não devia contar pra minha mãe pois ela não ia gostar de saber que eu tava assistindo filmes desse tipo, concordei com ele, falei que eu já ia, peguei fui trocar de roupa vesti meu pijama de dormir e fui ao quarto de meu pai, quando o filme começou e vi que era sá homens como ele havia dito, ele falou que esse filme era lançamento e que era muito bem recomendado, o filme começou e eu ali ao lado dele notei que ele tava de pau duro, tinha um volume bem grande no calção dele, e começou o filme com um homem muito forte e mais um que parecia ser mais novo, magrinho e afeminado como eu, numa sauna, se beijando com muita vontade, o menor beijava o pau do outro por cima da sunga, quando ele tirou a sunga do cara eu disse:



-- Nossa!!



O ator tinha um baita de um pau, papai notou e disse:



-- O que foi filhinho?



Ai eu falei pra ele se existia um pau daquele tamanho e grossura, ele disse que sim e perguntou se eu já tinha visto um pau grande bem de perto, disse que não, falei:



-- Papai eu sou virgem se esqueceu mas queria ver pois estou curioso pra ver um bem grande como esse do vídeo.



O filme rolava solto na tela quando o cara começou a comer o mais novo de quatro no cúzinho, eu não aguentei a tanta excitação enfiei a mão no meu shortinho e comecei a alisar meu pau que tava melado nessa altura comecei uma punheta ao lado dele, papai viu e parou ate de olhar para o filme, senti um fogo tomando conta do meu corpo estava desejando ser fudido queria fazer igual a carinha do filme, gozar com um pau na bunda, ele não tirava os olhos de mim, notei que ele me desejava não como filhinho dele mas sim como uma putinha, ele não aguentou muito tempo e falou pra mim:



-- Tira a roupa, e fica nu, que vou te ensinar algumas coisas!



Tirei a camisetinha e em seguida o shortinho, mostrando minha bundinha, ele ficou louco de tesão na hora, e disse:



-- Que bundinha, lisinha ta do jeito que eu gosto.



Pediu pra mim ficar de quatro na beirada da cama e para abrir bem as pernas, ele se ajoelhou e começou a alisar meu cúzinho com as mão, a partir desse momento eu não me contive mais, comecei a aproveitar as caricias dele, ele passava o dedo na entradinha do meu cúzinho me levando a gemer gostoso, nem nas minhas punhetas tinha sentido algo tão gostoso assim, ele chupou minhas orelhas e disse no meu ouvido:



-- Você quer ser a menina do papai? Putinha e cadelinha do papai? Quer que eu trate como menina?



-- Ai eu quero papai, mas sá se o senhor me comer igual o cara do filme!



-- Tudo bem filhinha!



Ele pega o saco com as compras que havia feito e tira uma coleira de couro pra cachorro (ia ser literalmente a cadela do meu pai) e coloca no meu pescoço. Me olho no espelho e falo:



-- Ai, papai, to parecendo uma cachorrinha.



-- Vai se acostumando filhinha, sempre que estiver-mos a sáis em casa, vai usar essa coleira.



Em seguida ele me puxa pela corrente.



-- Vem cadelinha, vamos na cozinha preparar seu "enema"!



-- Enema? Que é isso papai?



-- É um remedinho pra deixar seu rabinho bem limpo.



Ele mistura meio litro de água com meio litro de leite morno e uma colher de mel. Fiquei curioso pra saber como seria esse tal de "enema". Depois me levou ao banheiro e pegou uma seringa gigante de 200ml (prápria pra "enema" segundo ele).



-- Fica de quatro na frente do papai, vou aplicar todo esse liquido no seu cúzinho e depois vai no vaso sanitário e faz força pra fazer coco.



Depois que ele aplicou tudo comecei sentir uma vontade louca de fazer coco. Me me mandou sentar no vaso e jogo toda aquela água. Era muito gostoso aquilo.



-- Papai que remédio gostoso, já acabou?



-- Ainda não filhinha, vamos repetir mais 4 ou 6 vezes agora sá com água.



Repetimos mais 3 vezes e a água já estava saindo transparente, sinal que meu cúzinho estava limpo, pronto pra ser arrombando. Papai me puxa pela corrente e me da um beijo bem gostoso e demorado.



-- Vamos pro quarto filhinha? Papai vai te dar um segundo remedinho!



No quarto ele pega umas cápsulas de remédio, mas vazias e um saquinho c vários comprimidos coloridos e com desenhos, quebra 1 comprimido inteiro fazendo virar pá, coloca dentro da cápsula. Eu apenas observava curioso.



-- Pra que serve esse remédio papai?



-- É pra triplicar o seu tesão ate de manhã filhinha e vai dilatar o seu cúzinho, pois hoje vou meter meu pau com força ate as bolas!



-- Papai o senhor sabe que não consigo engolir essas cápsulas grandes.



-- Eu sei minha putinha, mas você vai engolir por outro lugar!



-- Como assim?



-- Vou colocar no seu rabinho cadelinha.



Ele começou a chupar meu cúzinho, e meteu a cápsula, quando senti a língua dele na entrada do meu cú foi como se eu tomasse um choque pelo corpo, sentia a língua dele se mexendo dentro de mim, e não demorei pra gozar com aquela louca chupada que ele fazia, e ele dizia:



-- Goza cadelinha, goza cadelinha, com esse remédio não vai parar de gozar.



Passaram uns 40 minutos e o remedinho começou a fazer efeito, sentia meu corpo pegando fogo, respiração ficou ofegante, minha pele ficou sensível ao toque, meu cú não parava de piscar. Falei pra ele:



-- Papai, to com tesão louco na bunda. Quero sentir seu pau arrombando meu cú, igual o cara ta fazendo no outro. Me fode papai! Fode sua cachorrinha por favor!



Ele pegou e disse que tava na hora de conhecer uma boa pica e aprender primeiro a fazer uma chupeta, quando ele abaixou a bermuda, saltou na minha cara uma baita de pica, grossa e cheia de veias, igualzinha ao do filme que estávamos vendo.



-- Puxa papai, como seu pau é cabeçudo e bem grosso.



Ele mandou eu pegar na pica dele, tava quente feito um ferro de passar roupa, pulsava na minha mão e tinha uma cabeça brilhante feito uma maçã, saiu um liquido meio incolor do pau dele, que deixou minha mão lisa, fiquei segurando o pau dele por uns segundos, e resolvi fazer como carinha fazia no filme, comecei a chupar a cabeça do pau dele, senti que o liquido era meio salgado, ele me dizia:



-- Chupa feito um picolé, vai põe tudo na boca putinha.



Tesão não parava de subir, tentava enfiar o pau dele mas não ia, derrepente, ele forçou um pouco e o pau foi na minha goela, engasguei com o pau dele, ele dava risada, comecei a pegar um pouco mais da manha de como fazer uma chupeta, ele começou a gemer mais alto e acabou gozando na minha boca, ele dizia:



-- Engoli minha porra cadelinha, foi desse porra que você nasceu sua putinha. Engoli bem devagar. A partir de hoje vou alimentar minha putinha com porra do papai todos os dias!



Fiquei brincando com o esperma dele na minha boca, aquele leite grosso, salgado e gosmento parece ate cola, ele ficava dando risada, perguntou se gostei de tomar leitinho, disse que sim, que era quentinho, meio doce, salgado e ao mesmo tempo ácido. Chamou-me na cama ao lado dele, e disse:



-- Papai vai fazer uma coisa mais gostosa agora.



Pegou levantou minhas pernas, pegou enfiou dois dedos de uma vez no meu cú e falou:



-- Cúzinho ta bem aberto. Ta pronto pra receber a pica do papai, eu tirei o cabaço da sua mãe e vou tirar o seu também cadelinha.



-- Tira meu cabaço papai! Fode todas minhas preguinhas virgens.



Virei e mostrei o cúzinho pra ele.



-- Papai comprou um lubrificante pro seu cúzinho e ate uma pomadinha ANALgésica pra passar depois, por que hoje papai vai arrombar seu cúzinho.



-- Tudo bem então, vem fuder sua cachorra!



Fiquei de quatro novamente e senti um liquido geladinho caindo em direção ao meu cúzinho, papai pegou o dedo e começou a lambuzar o meu cúzinho. começou a soca dois dedos, perguntava se doía, eu dizia que não. Quando me toquei já estava c quatro dedos no cú. Dois de cada mão. Ele brincava, abria meu cú e cuspia, fazendo me delirar de tesão.



-- Que cúzinho lindo tem minha filhinha.



Ficamos assim durante uns minutos bem deliciosos pra mim, pedi pra ele:



-- Vem papai, põe esse pau no meu cú, depois goza na minha boca!



Ele lambuzou o pau de gel e veio atrás de mim, pediu pra mim levantar mais a bundinha e me ajeitou na cama de um jeito que meu cúzinho ficava bem na mira do pau, pedi:



Mete, mete papai! Fode as preguinhas do meu cúzinho. Fode cúzinho da sua cadela!



Aos poucos fui sentindo o pau forçando passagem no meu cúzinho, ele dizia:



-- Agora filhinha, respira fundo, relaxa, isso, sente o pau do papai deslizar pelo teu cúzinho, relaxa mais, respira, te entrega, dá o teu cabaço pro papai, dá!



-- Ai como é grosso, é demais. Ta tudo dentro, papai?



-- Bota as mãozinhas pra trás que tu vai sentir.



Passei as mãos entre nossos corpos e encontrei mais da metade pra fora do meu cú, e disse:



-- Ai meu deus, eu vou morrer papai, é caralho demais!



-- Tá doendo? Quer que tire?



-- Não, tá doendo sá um pouquinho, mas tá bom. Nossa que coisa enorme, tô sentindo o cabeção dentro de mim, ui ui. Que pau grosso papai, tá me rasgando.



Ele pedia pra relaxar, ele falava:



-- Papai vai colocar mais remedinho e seu cú vai seu cú vai se dilatar por completo.



Ele pegou um daqueles comprimidos com marca de carros, partiu metade e amassou tudo até ficar pá, passou no cabeção do seu pau e misturou c o gel, virando umas pasta.



-- Quando eu meter tudo minha putinha vai pro céu. Vou fuder esse cúzinho tão gostoso que você nunca mais vai querer outra coisa que não seja a pica grossa do seu papai.



E assim foi. Meteu tudo, ate as bolas baterem nas minhas bolas. Ele dizia:



-- Relaxa que agora já entrou tudo e não tem jeito mais vou bombar e estourar esse cú apertado.



Ele puxou o pau pra fora, devagar, parecendo uma locomotiva saindo do túnel, ate a cabeça aflorar entre os lábios inchados do meu cú.



-- Ai papai, tô me sentindo tão vazia... Bota de novo!



Ele meti o pau de volta, desta vez de uma sá estocada, ate o talo, batendo o cabeção no fundo com toda força.



-- Ai! Assim dái!



-- Dái mas tu gosta, cachorra. Seu cúzinho virou uma bucetinha, minha putinha, e vai fazer o teu macho gozar e te encher de porra!



-- Não hoje quero que goze sá na minha boca!



Ele puxava o corpo pra trás até a cabeça do pau aparecer e empurrava tudo ate as bolas como ele dizia alias falava muitas coisas como:



-- Ai filhinha seu cúzinho é gostoso demais, vou fuder seu rabo e gozar na sua boca todos os dias, meu neném, meu pau tá adorando fuder você. Joga sua bunda p cima, joga contra o pau do papai, ajuda papai meter mais fundo, isso filhinha. Fode o pau do papai.



Ficamos uns 50 minutos assim, depois pegou saiu de cima de mim e falou pra mim sentar no pau dele, subi e pus o pau na entrada da bundinha que já tava toda arrombada, ele pedia pra rebolar no pau dele, comecei a gemer tava gostoso naquela posição, senti que ficou mais agressivo, ele enfiou o pau na minha bunda e começou a socar mais forte, me puxava pra baixo fazendo eu sentar com força e esmagar suas bolas, o saco dele batia em mim fazendo barulho, comecei a gemer um pouco mais alto, dava meus gritinhos:



-- Ai, aiiiii,aaaaiiiii..... Ai meu deus, eu vou morrer, que caralho gostoso, mete com força vai, arromba sua filhinha. Fode sua cadela, me faz sua putinha.



Nisso ele deu um grito e disse que ia gozar. Saí de cima daquela delicia de pau e fui de boca, como havia feito enema seu pau tava limpo, logo senti vários jatos de porra na minha boca. Limpei tudo.



-- Nossa papai, você continua durão! Temos que dar um jeito nisso. Deixa eu sentar no seu colo de novo, e meter essa pica na minha bundinha, aproveitando que já tá todo melada.



-- Que filhinha tarada heim?



-- Você também, papai, você gosta de comer sua prápria filha, seu tarado gostoso!



-- Anda cadela, senta logo aqui que eu tô louco de tesão por você!



-- Olha papai, meu cú tá meladinho prontinho pra engolir seu pau.



Subi e pus o pau na entrada do cú e disse:



-- Seu pau ta muito duro papai, assim meu cúzinho vai ficar todo estourado de vez.



Comecei a rebolar no pau dele, descia ate as bolas, tava me sentindo cheia com o pau dele, sentia cada veia daquela pica.



Acelerei o ritmo, tirava ate a cabeça e sentava com força o saco dele batia em mim fazendo barulho, comecei a gemer um pouco mais alto, dava meus gritinhos:



-- Ai, aiiiii, aaaaiiiiiiii... Papai eu to gozando, aiiiii aaaiiiaaii aaaaai!!!! Que pau gosotoso!! Me puxa pela coleira, não tem pena do meu cú!!! Mete esse caralho! Arromba seu filhinho louco por pau. Mostra que é meu dono. Me fode meu macho!!!



Nisso ele deu um urro e acelerou mais ainda, senti a porra dele me inundando por dentro, dizia:



-- Goza papai, me enche de porra, goza dentro, me inunda por dentro.



Já estava amanhecendo, fui ao banheiro e vi que escorria porra na minha perna, tomei um banho e quando voltei mandou empinar minha bunda pra ele e passou ANALgésico, dormimos juntos, ele pegou no sono rapidamente estava exausto de tanto me comer, eu custei pra dormir tava com a bunda dolorida, também aguentei um pau de 21x5 cm (eu medi depois) por mais de 5 horas, tava bem contente pois sabia que agora eu ia poder fazer e pedir qualquer coisa pra ele em troca da minha bundinha. Acordei com papai nú de pau duro me levando café na cama, ele disse que nem pra minha mãe ele tinha feito isso, adorei aquilo me sentia a garota mais feliz do mundo, ele disse que tinha saído e tinha comprado algumas coisas e que tinha comprado um anestésico pra cavalo (Ketamina) em liquido e seringas pra aplicar nos lábios do meu cuzinho, disse que era mais forte que o remédio anterior, tomei o café na cama com ele. Quando percebi que nao havia manteiga no pão e disse:



-- Não tem nada no pão, papai! Sá pão puro é ruim.



-- E quem disse que vai comer pão puro, vou fazer você gozar no seu pão! Vai comer sua porra no seu café todos os dias!



-- Ai que delicia, mete rapidinho no meu rabinho papai? Meu cúzinho não para de piscar.



Papai teve uma idéia maluca, foi na cozinha e voltou com uma lata leite condensado, lambuzou todo seu pau com aquele leite. Como meu cú já estava arrombando pela noite anterior seu pau entrou de uma vez. Ele bombava umas 20 vezes e tirava do meu cú pra chupar seu pau melado de leite. Metia o pau dentro da lata de leite e socava no meu cú. Estava uma delicia, uns 20 minutos depois eu anunciei que ia gozar, papai me fez gozar no meu pão, gozei bastante, leite bem cremoso, seu pau ainda estava como pedra dentro do meu cú. Disse pra ele:



-- Termina de me comer papai.



-- Vou gozar tudo na sua bundinha minha cadela, depois quero cague minha porra no seu pãozinho pra dar um recheio especial.



-- Então goza papai gostoso! Da leitinho pro seu filhinho!



Não demorou muito e papai goza gostoso, sá quem já experimentou uma boa gozada no cú sabe como é uma delicia sentir os jatos! Seu pau estava todo melado de porra, leite condensado e meu liquido anal, no qual fiz questão de limpar com uma chupeta. Coloquei meu pãozinho já umedecido com minha porra, na portinha do meu cú e sá relaxei e começou sair muito leite condensado misturado com porra do meu macho. Em seguida mandou eu comer tudo! Estava uma delícia, pão com minha porra, do papai e mais leite condensado, não existe coisa melhor. (Experimente!)



Depois do café ele disse pra mim vestir uma roupa que nos iríamos sair, passamos o dia inteiro no shopping nos divertindo, a dor na bundinha já não incomodava mais, já estava desejando sentar na rola do papai novamente, queria gozar no seu pau, falei pra ele que tava na hora dele dar o leitinho da sua filhinha, que eu queria mamar, saímos do shopping já tava escuro, notei que papai tentava esconder seu pau duríssimo por debaixo da bermuda, disfarçava com um jornal que ele tinha comprado, papai tinha deixado o carro numa parte meio escura do estacionamento, entramos no carro já foi colocando minha coleira e me disse que eu tinha deixado ele com a pica dura e que tinha de fazer algo pra aliviá-lo, perguntei:



-- O que quer que eu faço papai?



De um jeito bem putinha, e ele:



-- Faz uma chupeta aqui, ninguém vai ver, mas você tem que engolir tudinho que o papai gozar, não pode deixar cair porra no banco viu sua putinha!



Ele abriu a bermuda e me mostrou o pau todo meladão e disse:



-- Vem cai de boca no pau do papai!



Me ajeitei no carro e comecei a chupar o pau dele, já tava acostumando com o gosto dele, dava uns beijinhos na cabeça do pau e depois chupava com força, passava a linguinha em volta da cabeça do pau que tava latejante na minha boca, já tava pegando a pratica do negácio, ele dizia um monte de besteiras pra mim, dizia:



-- Chupa cadelinha, chupa!!!!!!!!!! Aaaaaiiiiiii !!!!!!!! Passa a linguinha na cabeça !!!!!!!!! Aaaaaiiiiiiiiiiiii !!!!!!!!!!! Papai vai gozar agora chupa tudo vaaaaaaaaaiiiiiiiiii !!!!!!!!



-- Goza na minha boca, papai, goza!



Como tinha prometido não deixei uma gota escorrer do pau, fiquei com a boca cheia de porra, me levantei e mostrei pra ele minha boca, ele pediu pra mim abrir a boca, abri e mostrei pra ele minha língua cheia de porra e ele mandou engolir tudo, engoli aquele leite cremoso e viscoso, em menos de dois dias já tinha tomado uma boa quantidade de esperma. Ele dava risada e disse:



-- Vamos pra casa que eu quero arrombar você!



Chegamos em casa, papai me chamou no quarto já tava peladão com o pau apontando pro teto, ele me pegou e começou a me despir feito um tarado, me jogou na cama e me colocou de quatro ele tava bruto comigo, fez vários apliques de anestésico pra cavalo nos lábios do meu cuzinho, o efeito do anestésico subiu rápido e realmente era mais forte que o outro, meu cú se abria sozinho como se quisesse engolir um pau, ele havia comprado aquelas bombas de sucção peniano. Colocou na entrada do meu cú e começou a sugar, meu cú parecia uma flor vermelha brotando e o melhor não sentia dor alguma sá prazer intenso. Depois colocou a bomba naquela pauzão, uns minutos depois seu pau ta enorme parece que tinha crescido uns 2cm. Estava vermelhão com cabeção bem roxo, numa estocada sá ele me penetrou foi até o talo dei um grito com aquilo.



-- Aaahhhiiiiiiiiiii!!! Que delicia de cacete papai! Isso! Arromba sua filhinha. Esse remedinho é muito bom papai. Cabeça ta ficando louca de tanto tesão. Fode, não tem pena por favor!!! Por favor papai soca com mais força! Papai tira um pouco de sangue do meu cuzinho, por favor!



-- Tem certeza meu amor? Papai ficou com vontade também!



-- Tenho, vem cavalo, fode sua égua! Me puxa pela coleira. Aaiiiiiiii que pau gostoso! Que remedinho bom!



Ele metia com força na minha bundinha, pedi pra ele ir mais rápido que tava gostoso que tava gozando com aquilo, e ele dizia:



-- Toma no cú sua filha da puta!!!! É igual a mãe, gosta do pau atolado no cú, goza no pau do papai!



E eu dizia pra ele:



-- Tá bom demais, eu nunca senti algo tão gostoso, papai, ai fode a sua filhinha tarada, fode! Fode sua cachorrinha! Mete!!!!!! mete!!!!!!!! aaaaaaaiiiiiii !!!!!!!! deliciiiiiiiiaaaaaaaaa!!!!! aaaaaaaiiiiiiiiii !!!!!!!



Comecei socar 3 dedos junto com seu pau. Tive um gozo muito intenso, mas queria mais, ele levantou e foi na gaveta do guarda-roupa e pegou um consolo do tamanho do seu pau e voltou pra cama disse assim:



-- Agora é que vou começar arregaçar você cadela. Mete esse consolo na sua bundinha e senta no meu pau, vamos fazer uma dupla penetração. vem filhinha! vamos tirar sangue desse cú guloso!



-- Ai papai, quero ser sua puta pra sempre. Você sabe como criar uma cadela vadia!



Papai aplicou mais um pouco do anestésico pra cavalo e em seguida meteu sá cabeção do pau dele junto c consolo.



-- Papai vai contar ate 3, no 3 você senta com toda força que papai vai meter contra ate erguer você. Vamos estourar as ultimas preguinhas desse cúzinho.



-- Tudo bem papai, me ergue com esse cacete. Me rasga papai! Não tem pena da sua filha.



-- Então vamos lá cadela! Um... Dois!! Três!!!! Toma PUTAAAAAAAAA!!!!!!!!



Eu sentei com toda força e meu pai veio contra, me erguendo no alto. Senti meu cú rasgando. Ficamos grudado ate o talo e ainda fazia força pra entrar mais.



-- AiiiiiiiiI!!!! O senhor é muito gostoso papai! Te amo!!!!! TE AMOO!!! Olha o estrago que você fez no seu filhinho. Ta escorrendo um pouco de sangue. Agora termina o que começou! Vai! Estrupa seu filhinho. Mete sem parar. Me enchi de leitinho!



-- Sua vadia! Hummm..... Aaahhhhh!!! Senta! Issoo!!!



-- Fode meu cuzinho! Soca papai! Aaiiiiii!! Aaiiiiiiiiiiii!!! Me fode todinha, arrebenta sua filhinha! Assim! Continua safado! To gozando de novo papai! Me estrupa cavalo!



-- Aaahhhhhhh!!! Vou gozar!!! AAaaahhhhhhhh to gozando!



-- To sentindo os jatos papai que delicia.



Depois que meu pai gozou no meu cú ele deitou ao meu lado na cama e me beijou longamente.



-- Como você é gostosa minha cadelinha!



Gozamos juntos, eu tava tola molinha e ele suado, falei pra ele:



-- Me leva no colo pro banheiro, vamos tomar banhos juntos.



Ele me pegou no colo e fomos pro banheiro e lá ficamos de sacanagem, ele pediu pra ver meu cúzinho. Escoria muita porra e um pouco de sangue! Engraçado que não sentia dor alguma. O tal anestésico era bom mesmo. Passei o resto da semana dando pra papai e bebendo sua porra, em troca ele me da alguns presentes. Em breve minha mãe ficará um mês ausente. E já planejamos que papai vai me fazer de sua escrava. Serei amarrada. Inclusive já comprou vários comprimidos de viagra. Ele quer me comer com um comprimido no meu cú. Ele ama me comer com esses remedinhos! Transamos por horas! Conto fictício, se gostaram não esqueçam de votar. Escrevam-me! - [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos arrombando a gordacontos tia batendo sirica para o sobrinhocont erot recem casada um velho mecontos eroticos gay mulherzinhaconto eroticos minha irma de vestido rosax vidio comtos eroticos mães inocentecontos eroticos um menino ou um homemtreinando a cadela para zoofiliacontos eroticos ai meu gostoso mim come todinha vai faiz o que vc quiser comigo vai meu gostosoconto ebebedei minha cunhada pra come o cu delacontos marido jogandosocando a mao no cu do namorado tinscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentesandra trasano com amigo na casa delelesbica conto professora fisicacontos eróticos relatados por mulhereshomem de calcinha enrabadosou loira baixinha paguei de puta no samba contos eroticos18oras.pornGay passiva com dois negoes contosfodi minha sobrinhacontos eroticos com mae e filho e pai assistindocontos eroticos arrombando a gordaxvideo zoofilia mulher da a bucetinha apoiada no cavaletecontos eroticos jovem transando com a negra escrava parte 1fudi gostoso no volleyArrombaram minha namoradatem homem on line dar telefne pra foda com mulher casada chupa seu pau deixa chup bucetaEstuprada pelos cachorros contos eroticoscomigo a mulher do meu irmão transando sexo prima irmã titicontos eroticos dando cu pro filhocondos erodicos virgen condos realcontos eroticos nifeta d loja rjmeteu a pica gigantesca na passista deliciosaconto gay sendo estuprado com muita violência e tem muito sangueMuller casada quer jumento para me ter nelacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos erotico amigas devendoporno tia dando bronca e caiu nas labia deledormindo ao lado conto eróticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos eu e minha cunhada pintando o apartamentocoroa grita tica doida paumeu filho contos eroticos incestomeus aluno roludo contoscontos eroticos toda puta tem que da o cu na marra sua cadelaokinawa-ufa.ru chantageadapunhetabdo no hospitalmadame currada no mato contocontoseroticos fiz chantagem com minha chefetrveco deicha o cu do mrmanjo escorrendo Leite comeu familia toda contos eroticoscontos peguei maninha virgem dormindopulando em cima do pau do tiocontos mamando uma pirroca zoofilia com gozadas e enguatesminha mulher quer me fuder o cucontos eróticos de negras dando a b*****Quero o pau do meu filho no meu cucontos eróticos comi minha tiaconto corno sondei ela tava debaixo deleContos eroticos pai q criou a filha sozinha trepando cm a filinha virgemcontos eroticosem familiacontos eroticos que saudade da lingua dela na minha bcontos de fetiches mamaecontos mordidinha na bucetatravesti de microsaia fica de pau duro na ruacontos eroticos meu marido gosta de leitinho na bocaembebedei minha irma e a comi conto eroticoencoxado no onibus contos viadinhocontos irmãzinhaconto erotico meu sogro de 60 anosconto incesto minhas irmãs gritaram no meu paucontos passando pomado no cu da mamae