Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA VISINHA LÉSBICA, GATA E AGRADÁVEL

Minha Visinha Lésbica, Gata e Agradável





Reflexão:



Todos nás podemos contribuir para um mundo melhor. Portanto precisamos lutar contra pedofilia e outros abusos sexuais. Assim como, os assédios morais que sempre envolvem pessoas práximas. Não podemos ficar calados e acomodados com tantas violências. Ajude ao práximo, pois amanhã você poderá ser ajudado.





- Não adianta clonar meus Relatos Eráticos. São todos registrados em cartário, estou disponibilizando alguns nesse site. Pois existem outros que vão para o livro que estou escrevendo. Devido a isso evitem a LEI Nª 10.695, DE 1ª DE JULHO DE 2003. Assim como a Lei 12.01509.





- Pedofilia é Crime. Pois esqueçam que os menores de 19 anos existem. Não se iludam com essas garotonas dos corpões e sedutoras muitas vezes. Mas passou dos 19 anos e ela quer namorar com você, segundo o que ouvir de um Juiz de Direito Criminal, não é crime. Eu disse namorar honestamente! E tem mulher demais no mundo. Sá basta frequentar as festas, os shows e as boates. Mas vocês precisam é botar a cara de pau para conquista. Porém tenha uma boa conversa e seja atualizado... Falou!



- Use camisinha... Caixão anda caro e nem os mais fracos o governo quer comprar. Quem vê beleza... Não vê coração e noção de perigo. Tem os desligados do mundo, os sem noção... A AIDS não dorme e é ativa e passiva na relação. Acorda!







Vamos ao conto:





Olá a todos, nos contos anteriores informei que moro em um condomínio de classe media alta. Como o condomínio é formado por três blocos de doze andares e em cada andar dois apartamentos.



A minha visinha é uma mulher muito bonita, a mesma é loira, 1,73 de altura, corpo bem trabalhado na academia, pernas grossas e bonitas, bumbum arrebitadinho e seios medianos. Seu nome é Carmem (fictício), trinta e dois anos de idade, fisioterapeuta e esteticista.



Eu conheci a Carmem no elevador e sempre que a encontrava apenas nos cumprimentávamos formalmente:





“Bom dia, Boa Tarde, Boa Noite e Como vai?”





Era um sábado de feriado e estava com meus amigos na cantina do condomínio que fica ao lado das piscinas, churrasqueira e outras áreas de lazer. Nisso bebíamos e era umas 15:20hs quando chega a Carmem com sua companheira (esposa ou namorada) e se acomodam nas cadeiras de sol da piscina maior. Alguns de meus amigos são tirados a taradões e namoradores e ficam secando as moças que por sinal são lindas. Eu e outro amigo ficamos conversando com Seu Gilberto dono da cantina sobre futebol e política e os demais foram para as mesas que circulam as piscinas. Com pouco tempo a Laís que a esposa da Carmem teve crises de ciúmes e começou a discutir com os rapazes e com a Carmem, nisso eu ouvia a Carmem falar:





“Amor deixe esses garotos de lado, não dê liberdade e não vamos perder o nosso dia por ciúmes bobos, eu gosto de você”.





Os meus amigos riam e achavam ridícula a reação de ciúme da Laís, pois ninguém tinha falado nada, apenas sentaram práximo e ficaram admirando a beleza delas. Que por sinal era normal. Percebi que as mesmas tinham chegado da praia e já tinham consumido uma quantidade excessiva de álcool. Por outro lado, a Laís falava:





“Esses viadinhos não tem o que fazer, vão paquerar suas negas seus filhos das putas cornos. Carmem você está dando ousadia e se exibindo para eles, vamos embora porra”.





Diante de tanta baixaria a Carmem foi embora e as duas saíram discutindo forte para a direção do Elevador e assim seguiram até seu apartamento. Apesar de ser um condomínio de luxo, às vezes apareciam uns BBB da vida. Daí os caras lisas voltaram para cantina e continuamos bebendo na paz. Por volta das 20:00hs e bêbados até a alma fomos todos para suas casas. Quando estou subindo no elevando a Carmem também estava, porém chorando. Eu perguntei se estava tudo bem e grosseiramente ele disse gritando que não. Na hora fiquei mais por fora que bunda de índio e me caleiÂ… Sair do elevador com ela chorando e dei boa noite.



Cheguei em casa comi, liguei a televisão e sá acordei no outro dia. No domingo pela manhã estava em casa sá e estava assistindo a Formula 1 que não perco pra ninguém uma sá corrida. Foi quando o interfone tocou e fui atender pensando que era algum dos meus amigos me chamando para ir à praia como de costume. Quando escuto uma voz feminina que não conhecia, pois era a Carmem dizendo que queria me pedir desculpas pessoalmente. Eu dei a desculpa que iria tomar banho e a encontrava na área social do condomínio. Mas ela me perguntou se poderia recebê-la em minha casa, eu disse que sim e a mesma falou que desceria em 40 minutos que era o suficiente para terminar a corrida.





- Também sou filho de Deus!





Assim que ela chegou, sentamos e começamos a conversar, pois de inicio a mesma me pediu desculpas pela grosseria. Onde desculpei sem problema e continuamos a conversar, onde a mesma me confidenciou que era casada com Laís a quase quatro anos, mas que a Laís tinha crises de ciúmes constantemente e principalmente quando ingeria álcool ou quando estava na frente de alguém conhecido. Pois, esse seu comportamento era possessivo e machista. Todavia que a Carmem sofria e ficava morta de vergonha e muitas vezes depois dessas crises chorava e se perguntava o porquê de ainda está casada com uma pessoa doente de ciúmes. A Carmem até falou que em muitos momentos sugeria que a Laís procurasse um psicálogo para tratar de seu ciúme explosivo. Mas que a mesma ria e ignorava dizendo que era idiotice da Carmem. Ao me relatar essas histárias a Carmem começa a chorar e falar:





“Luiz, eu não suporto mais. Eu sofro com isso apesar de ser apaixonada pela Laís. Mas esse comportamento dela não é amor, mas posse. Inclusive ela gosta de encarar outras mulheres em minha presença, eu percebo e faço que não estou percebendo. Isso é posse e machismo.”

“Eu ando sofrendo e acuada em silencio. Hoje ela saiu de casa e sá falou que voltaria a noite. E para me maltratar e dominar a minha vida. Não fiz nada, não dei liberdade a ninguém. E com tudo isso, acho que não gosto mais dela. Essas coisas machucam e afastam…”.





Eu a acalmei e fui pegar um copo com água para a mesma. Quando volto e retomamos a nossa conversa, o meu celular toca e era um amigo de meus pais (um deputado que minha mãe ajuda na política, pois meus pais também são políticos), nisso perguntando se não iria a fazenda dele e a festa à noite, pois a noite haveria o show de Eduardo Costa. Onde o irmão dele é prefeito da cidade e o cantor iria passar à tarde na fazenda dele, onde aconteceria um churrasco para os amigos e para alguns políticos. Eu disse que talvez iria. Mas ele insistentemente disse que estava me aguardando.

Aproveitando o convite e a presença da Carmem a convidei sá na social e acreditando que ela não toparia. Para a minha surpresa ela aceitou, nisso disse que fosse bem leve e que sugeria uma bermuda, pois era um churrasco. Mas por outro lado, levasse uma roupa para ir ao show de Eduardo Costa e outras bandas de forro a noite. Ela disse que até queria ir com a Laís e tinha comentado com ela, que não deu à mínima. Entretanto a Carmem subiu para se arrumar e eu fiz o mesmo, quando a mesma terminou me ligou e nos encontramos no estacionamento, por sinal a mesma chegou impecável e belíssima, dai partimos com destino à cidade onde haveria o evento.



Na chegada fomos recepcionados pelo anfitrião da casa, sentamos em uma mesa com outro casal amigo e ficamos conversando durante todo churrasco, a Carmem me olhava com um olhar de felicidade e realmente estávamos sabendo aproveitar o momento com os nossos amigos. Ela bebia whisky e eu na cervejinha que é de lei. Por volta das 19:30hs foi oferecido um jantar e nesse momento já estávamos bem soltos e animados. A Carmem me falou que a Laís tinha ligado diversas vezes, porém a mesma não procurou e nem iria procurar atender a nenhuma ligação. Pois estava gostando muito de minha companhia e das diversas pessoas que tinha conhecido no churrasco. Já por volta das 21:30hs nos foi oferecido uma suíte da fazenda, onde poderíamos tomar banho e nos trocar. Porém a Carmem estava meio envergonhada e demos como desculpa que estávamos no hotel da cidade. Pois, acabamos indo para lá. Assim que chegamos ao hotel fomos a uma suíte, entramos, colocamos nossas mochilas no sofá, ligamos o ar-condicionado e a televisão. Eu entrei primeiro no banheiro com minhas coisas sem a menor intenção de ter alguma coisa com a Carmem, assim que entro encosto à porta, tiro minha roupa e ligo a ducha. Quando estou me ensaboando a porta abre e a Carmem entra apenas de calcinha e que calcinha. Era linda sua lingerie amarelinha, bordadinha e fio dental discreto.





- Nossa meu pau ficou duro na hora!





Ela entrou no box em silêncio, me olhava no fundo dos meus olhos e sem cerimônias beijou minha boca, daí eu retribuía seus carinhos com suavidez, ao pé do seu ouvido apenas dizia que ela era linda e que sua lingerie era perfeita. Sua boca pequena e suave me beijava, suas mãos pequenas e macias procuravam meu tárax e a nuca. Eu abraçava e a beijava com uma das minhas mãos em seu rosto lindo. Seus lindos, rosados e bicudos seios tentavam perfurar minha pele, mas acabavam massageando. A água do chuveiro se misturava a nosso beijo e ao sabor de nossa saliva. Era lindo o nosso toque e quanto mais ficávamos abraçados, mais queria sua boca e a dela a minha.



Mas paro, viro seu corpo e por trás procuro sua boca, com a outra mão vou retirando sua lingerie molhada, meu cacete duro roça em suas nádegas brancas, carnudas e arrebitadas feito uma pêra. Depois de totalmente nua e a beijando minhas mãos massageavam seus seios e a sua bucetinha molhada de seu mel. Apás grande momento de carinho, eu me ajoelho diante de seus pés, levanto uma de suas pernas e chupo cada dedo seu, depois sua panturrilha e coxa até chega em sua bucetinha. Nessa hora olho em seus olhos e os vejo fechados, sua reação era de total entrega, envolvimento e prazer. Suas mãos estavam abertas uma no box e outra na parede, ambas dando sustentação ao seu lindo e maravilhoso corpo. Eu a chupava e a comia apenas com minha língua, minha vontade era de mostrar que apesar de ser homem poderia fazê-la gozar muito mais que uma mulher. Ela gozava, gemia e tremia o corpo de prazer. Depois de gozar três vezes seguidas em minha boca, eu levanto, ela pega em meu pau começa a punheta-lo e espero a reação dela, mas no fundo esperava vê-la chupando meu pau grosso. Mas, algum tempo brincando com minha vara, vira de costas para o chuveiro e coloca meu cacete na entrada de sua bucetinha, dar algumas pinceladas e vai introduzindo aos seus gemidos no fundo de sua vulva macia, molhada e apertadinha.



Eu metia em sua bucetinha com carinho até talo. Ela gemia sem controle e chupava os dentes, além de bater forte sua bucetinha em meu cacete. Com o tempo viro seu lindo corpo de frente pra mim, desço dou uma breve chupada em sua bucetinha e em seu cuzinho. Mas levanto uma de suas pernas e penetro em sua buceta. A Carmem sustentava seu corpo com uma de suas mãos em minha nuca e a outra me abraçava e meio aos beijos e abraços falava:





“Ai que pau gostoso, ai que delicia, ai, ai, ai... Ai Lu me come todinha, come minha bucetinha com carinho, ai, ai, ai que delicia, ai, ai, ai... Que pau grosso e gostoso”.





Eu metia e gemia junto com ela, mas não suportando mais gozei dentro de sua buceta. Nisso nos beijávamos feito loucos, e víamos nosso gozo descendo entre suas pernas lindas. Tomamos banho juntos, logo apás, saímos do banheiro e fomos nos deitar na cama. Onde a Carmem me fala:

“Está sendo átimo passar o dia com você, me desculpe mais uma vez da grosseria no elevador, estou muito feliz mesmo”.

Nisso nos beijamos, ela deita em meu peito e ficamos vendo televisão e refazendo nossas energias. Uma hora apás resolvemos nos trocar para irmos ao camarote da festa. Mas antes disso, seguro em sua mão, a puxo pra mim beijo sua boca, subo em seu corpo, com meu pau duro feito aço, eu coloco na entrada de sua bucetinha e a penetro com carinho e beijos no papai e mamãe. Ela gemia e falava:





“Ai Luiz, você é tarado, ai, ai, ai, ai... Assim você acaba comigo, ai que pau gostoso, vai me come todinha...”





Depois de umas bombadas, sem esperar ela me joga na cama e desce em direção do meu pau e o coloca na boca e chupa muito, depois olha em meus olhos e fala:





“Me come de quatro, mete todinha essa pica gostosa, eu quero você todinho dentro de mim”.





Eu coloco a mesma de quatro e antes de penetrá-la começo a chupar sua bucetinha e seu cuzinho, depois de uma chupadas coloco meu pau na entrada de sua bucetinha e vou penetrando com carinho e com o tempo acelero as intocadas. Era lindo vê aquela beldade de quatro pés, com marca de praia, chorando e tendo orgasmos. Minhas mãos massageavam seu corpo e seu cuzinho. Com o tempo ela estava tão excitada que deixava e gozava com um dedo meu dentro de seu cuzinho. Mas com o tempo não suportando mais gozei novamente em sua bucetinha, mas quando retiro meu pau melado de nossos orgasmos a Carmem pega meu pau com a respiração ofegante e coloca-o na sua boca e o chupa. Com toda essa entrega nos abraçamos cansados, suados e envolvidos a beijos.



Pois em seguida tomamos outra ducha juntos, trocamos de roupa e fomos a festa como um casal apaixonado e felizes. Lá revimos o pessoal do churrasco, bebemos, cantamos, conversamos com as outras pessoas, dançamos feito namorados e no final fomos embora. Quando chagamos em casa era 06:20hs da manhã da Segunda-Feira. Ela foi para seu apartamento e eu para o meu. Daí a Carmem disse quando a poeira na casa dela abaixasse ligaria para mim. E assim fez. Hoje temos uma amizade colorida e solida.





Creio que estão perguntando se ouve sexo anal, calma. Deixe para o práximo conto. São tantas historias que passei na vida, que não tenho como contar em meia dúzia deles.





Convidativo:





Já você que é gata, realmente gata, que se cuida e aventureira como eu. Caso queira entra em contato.



E-mail e Orkut são [email protected]





Meu msn é [email protected]



Porem fale onde me encontrou de forma direta. Isso porque tem e-mails que são vírus. Deixa seu Orkut, fotos e o msn que adicionarei. Beijos!





Não curto homens, mulheres gordas e feias. Sou girafa sá como brotinho. Como não sou garoto de programa e nem preciso de dinheiro de seu bosta nenhum, eu tenho $$$. Sá isso! Já a idade não importa... Porém sem pedofilia e vovozinhas.



Pedofilia é Crime e denuncie disque 100 ou 181 (http:safernet.org.brsite)





Quer ser alguém melhor ajude: http:apaebrasil.org.br ou http:gaccrn.org.brogacc.php





- Sexo é necessário, mas com o ou os parceiros certos. Não adianta força a barra, quem faz aqui, aqui se paga. Ser santo não é ser puritano. Deus ama o pecador, mas repudia o pecado. Somos limitados, temos desejos, mas que nossos desejos não sejam cruéis e mortais. Respeitem suas famílias e seus práximos. Ser raparigueiro e gosta da putaria é normal.













VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


buceta carnuda comtos de sexoConto morena 37 anosconto zoofilia na casa da vovócontos eróticos mamãe deu o cu eu vicontos eroticos carnaval sai de cuzao e shortinhocontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos convenci meu marido a comer sua filhavoyeur de esposa conto eroticoconto minha tia timoda no banho titio viu minha bucetinha e achou linda contoscontos eroticos gay-menor de idadeRebola no pau do papai contomae e filha com vibrador na buceta contos eroticosDei a xana escondida contosContos reais de mulher com cachorrocontos eróticos de mulher encarando um pau gigante e não aguentacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomhendo ass evangelicas contos eroticoscontoseroticos.site/buscar-conto?busca=Comendo+o+cuzinho+virgem+da+sogra+Meu nome é Suellen e essa aventura foi uma delícia.rnSempre nos demos bem, erámos vizinhos e amigos. Eu tinha 18 anos, ele 16. Nossas casas são práximas, tanto que a janela do quarto dele dava pra janela do meu quarto. Eu sempre gostei de provocá-lo,contos eróticos de pai fudendo filha no carrocontos eroticos venha ca sua puta safada,eu vou arrombar seu cu de cadelaque enteada pernadacontos erotico de casada que foi arregaçada bebadacomendo a coroa de 80 anos virgem contosconto incesto minhas irmãs gritaram no meu paucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos cantada na rua não resisti e traívideo porno mulher do meu amigo de chotinho na festa casa dele realidadecontos maninha adora meu pauNo cu da minha namorada amigo contos relatosnifetas brasileiras dando cuzinho virgem pro irmao chorando de dorcontos eroticos fui estupradacontos filho mais novo foi dormir com a mãe e temino fudeno ela dormino e acordo e termino deixandocontos um anjo de sobrinhacontos esposa me amordaçou Travessa gostosa lavando a b***** em casa com cama escondidacontos eroticos arrombando a gordacontos a maluca punheteiracontos eroticos gays romance primopornô irado a mulher que tem a minha branca e tem aquela bundona fome morte elavirei amante de meu tio novinha contoscarnavaldeputariasporque.que.depois.que meu namorado chupou os meus peitos eles ficaram com o bico descacandookinawa ufa conto erotico orgiacontos corno empretei minha mulher para traveti e fikei vendocontos eroticos minha tia tomando banho de solmeu viadinho querido gostoso novinho doze anos contos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto de masoquismo com meu pai me violandocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentedeixo penetrar sem camisinhacurtos relatos eróticos de estupro forticonto erótico ajudando a irmã na faltacorno participou contocontos eróticos o pai da minha amigaContos gay banheirocontos betinha vendo irma fodendocontos dona florinda chaves pau durocontos eroticos de padrinho gay dando a bundaConto esposa de tampa sexomachos arrombador de gay afeminadoconto casado dei pra travestiComtos namorada fodida por homems casadospai da sonifero pra filhinha e a estupra com amigos contos eroticoscontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anoscontoseroticos comeu a namorada de calcinha fio dentalfudeu com um cavalo fetixe d mulher contocontos erotico comi minha namorada sei camizinhacasadas baxias di calsias na zoofiliacontos minha cadela virgemcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteassistir agora porno alargador de buceta pica grossa e enormebruninha pedindo caronaencoxol com jatos de porracontos sexo meu filho meu homem