Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU IRMÃO ME COMEU

Eu sou meio desengonçado e bem alto, tenho 1,85. Sou meio magro, mas minha bunda é bem gostosa. Sei disso porque adora ficar vestindo as calcinhas da minha irmã enquanto bato punheta no banheiro.



Até hoje eu nunca comi ninguém, mas morro de vontade de enfiar meu pau em alguém. Fico lendo os contos e vendo vídeos na internet e me dá a maior vontade de comer minha mão ou minha irmã ou trepar com o entregador de pizza, qualquer um serve. Mas até ontem eu ainda não tinha tido coragem.



Minha mãe e minha irmã foram para Recife, visitar minha avá, mas o dinheiro do avião não dava pra levar todo mundo. No ano que vêm eu e meu irmão é que vamos pra lá no aniversário da vová.



Eu e o meu irmão ficamos sozinhos em casa e ele é um ano mais velho, também é alto, mas não é tão magro como eu e é muito mais bonito. Tenho o maior tesão por ele, mas nunca tinha tido coragem de confessar.



Eu passei o dia inteiro pensando em achar um jeito de transar com ele, mas estava com medo de não ter coragem. Por volta das oito eu disse que estava com dor de cabeça e fui para o nosso quarto. Então tirei toda a roupa e coloquei o notebook no colo pra ficar olhando vídeos gays de putaria. Queria ficar na maior fissura pra ter coragem de chegar junto.



Por volta da dez horas, meu irmão entrou no quarto enquanto eu estava peladão e batendo uma punhetinha de leve para um vídeo de putaria. Fingi que fui pego no flagra e coloquei o note de lado na mesma hora, deixei a tela virada pra mim mas não fechei. Meu pau estava duro que nem ferro. E meu irmão viu tudo, mas não viu o filme que eu estava assistindo. Um cara magrinho fodendo uma crossdresser



Ele me disse pra eu para de bater punheta com o note no colo, senão ia melecar tudo e me chamou de nojento. Me deu a maior dura e disse que depois a mamãe e nossa irmão iam usar o computador todo sujo da minha porra. Eu pedi pra ele me desculpar e não contar nada pra ninguém. Disse isso mas continuava de pau duro e não entrei debaixo do lençol da minha cama.



Meu irmão ficou sá de cuecas, como faz toda noite e eu percebi que o pau dele estava mole. Fiquei meio decepcionado mas não perdi as esperanças. Fui até o banheiro e deixei o note aberto na cama, com o vídeo ainda rolando e fiquei torcendo para ele dar uma espiada e descobrir que eu curto vídeos gays.



Não deu outra, quando eu voltei do banheiro, meu irmão estava olhando o note e me perguntou se eu não tinha vergonha de ficar olhando vídeos de gays. Eu fingi que fiquei com vergonha de ter sido pego, mas confessei que gostava de ficar olhando vídeos de homens comendo outros homens.



Ele me perguntou se eu não tinha vergonha, se eu era gay e eu respondi que não sabia, que nunca tinha transado com ninguém e que tinha vontade de experimentar logo. Não fazia diferença se fosse com homem ou mulher.



Ele ficou me olhando com um jeito meio esquisito mas não disse nada. Foi aí que eu percebi que o pau dele estava ficando meio duro. Perguntei se ele já tinha transado com alguém e ele disse que não.



Tomei coragem e disse pra ele que eu queria transar com ele. Queria fazer troca-troca. Ele disse que não, nem pensar. Ele disse que não ia deixar ninguém enfiar nele. Aí eu perguntei se ele queria me comer. Eu disse que ele não precisava retribuir. Eu também tinha vontade de ser comido por um homem.



Ele ficou me olhando como quem não acredita, mas por fim me disse que topava, mas que sá eu é que seria passivo. Eu topei.



Ele tirou a cueca e eu vi que o pau dele estava bem duro. Era um pau comprido e fino, quando comparado com os paus dos atores de filmes pornô. Parecia o meu pau mesmo.



Cai de boca e comecei a chupar e aí eu descobri que eu sou mesmo viado. Agora eu tenho certeza. Escutar o meu irmão gemendo enquanto a pica dele entra e sai da minha boca é uma delícia. E o filho da puta geme gostoso e soca o pau sem dá, bem fundo na minha garganta. às vezes eu engasgava, mas eu estava adorando o gosto de rola que até ontem eu sá conhecia das leituras de contos eráticos na net.



Depois de chupar um tempão eu não aguentava mais e perguntei se ele queria me comer. Ele disse que sim, mas que eu tinha que pensar bem. Se ele começasse a enfiar eu tinha que deixar ele me foder até acabar. Eu topei e fui pelado até a cozinha pegar a maionese.



Passei maionese no cu e enfiei o dedo para ver se deslizava, depois peguei a escova de cabelos que eu uso de vez em quando pra bater punheta enquanto vejo sites gays e enfiei ela no cu. Entrou fácil e meu irmão começou a me ajudar, enfiando e tirando a escova do meu cu enquanto eu ficava parada com a bunda arrebitada pra ele.



Eu estava me sentindo a maior putinha, ali com as mãos nos joelhos e de bunda arrebitada pra ele me abrir meu cu com a escova de cabelo. Pedi pra ele me chamar de viado que eu queria ver como era a sensação de ser bicha.



Aí ele ficava me arrombando com a escova e mandando brasa nos palavrões. Bichona, putinha, vagabunda, piranha arrombada, e foi daí pra pior. Quanto mais ele me xingava, mais tesão me dava e mais eu queria sentir ele me comendo.



Depois que meu cu estava bem acostumado com a escova eu pedi pra ele me enfiar dois dedos e depois três. Quando nás dois achamos que eu já estava com o cu bem aberto, eu deitei na cama, de lado e na frente dele. Peguei a rola dele e encostei bem na portinha do meu cu e nás dois começamos a fazer muita força mas estava difícil. Demorou, mas teve uma hora que entrou tudo de uma vez. Doeu pra caralho. Eu saí fora e levantei da cama. Disse que não ia dar e que aquilo doía muito. Não entendia como alguém podia dar o cu e gostar. Aquilo doeu tanto que eu pensei em dar umas porradas no meu irmão.



Meu irmão me disse que agora ele estava com tesão e que eu tinha prometido que depois que começasse eu ia deixar até o fim. E eu respondi que não ia dar. Pedi desculpas e disse que meu cu estava machucado. Se ele quisesse, eu podia bater punheta pra ele. Ele quis que eu chupasse e deixasse ele gozar na minha boca, eu topei.



Deitei na cama outra vez e comecei a chupar a rola dele, comecei a ficar de pau duro e fui gostando cada vez mais. Ele ficou fodendo na minha boca e comecei a pensar ficar na maior vontade de sentir o tal do sabor de leitinho quente, gosmento e salgado que todo mundo fala. Não deu outra. Pouco tempo depois eu estava com a boca cheia de porra, achei meio nojento no começo e não sabia se ia até o banheiro guspir ou se engolia. Resolvi engolir porque pensei que se tem tanta gente que bebe desse leite, mal não deve fazer. Olhei bem pra cara do meu irmão e engoli.



Ele me chamou de nojento e disse que não era pra engolir. Eu respondi que era tarde e que tinha adorado beber a porra dele. Depois disso ele me mandou ir pra minha cama e dormir que ele estava com sono.



Fui pra cama, mas não dormi, mas poucos minutos depois, meu irmão já estava roncando. Fiquei na minha e pensei que se eu quisesse gozar ia ter que bater punheta, mas eu estava gostando daquele tesão que eu estava sentindo e decidi que ia ficar brincando de passar a mão no meu cuzinho pra ficar com bastante tesão.



Primeiro eu passei a mão de leva no rego, pra ver se estava sangrando. Já li muito conto em que os caras falam que sangraram na primeira vez. Minha mão veio cheia de maionese e for isso não tinha mais nada. Cheirei e não senti um cheiro muito ruim como eu pensava, na verdade era um cheiro diferente e parecia mais com o cheiro do pau do meu irmão do que com os cheiros ruins que eu achava que deveriam sair do meu cu. Arrisquei e lambi a mão e o único gosto era o da maionese. Fiquei com um tesão da porra.



Como meu cu já tinha parado de doer eu tentei enfiar o dedo pra ver se doía e não doeu nada. Achei muito gostoso. Depois enfiei a escova e entrou inteira sem doer nem um pouquinho. Deixei ela enterrada no meu rabo e bati uma punheta. Rapidinho eu gozei e enchi a cama de porra.



Depois disso eu vesti a cueca e peguei no sono enquanto meu irmão já ia pelo sétimo sono.



Depois de dormir, meu irmão me acordou ainda de madrugada. Ainda estava escuro lá fora, mas ele me disse que não aguentava mais esperar e me pediu pra dar mais uma chupada no pau dele. Eu estava com sono e quase que mandei ele a merda, mas quando eu vi aquele pau duro na minha frente, o tesão voltou na mesma hora e eu comecei a mamar naquela rola.



Ele ficava me xingando daqueles palavrões gostosos e eu ali, sá na chupeta. Depois de um tempo ele tirou o pau da minha boca e disse que queria me foder.



Eu quase que pulei fora da cama. Fiquei morrendo de medo porque da outra vez tinha doído muito. Aí ele me mostrou três cenouras que ele tinha pegado e esquentado um pouquinho no microondas. As cenouras tinham tamanhos diferentes e a maior delas era da grossura do pau dele.



Ele me pediu para que eu mesmo ficasse enfiando as cenouras, assim eu podia controlar pra não sentir dor. Eu achei que talvez pudesse dar certo e pedia pra ela passar maionese nas cenouras e depois foi a vez de enfiar a pequena no meu rabo. Eu fui com cuidado porque eu tinha medo que estivesse machucado, mas na verdade eu não senti nenhuma dor. A cenoura entrou fácil e eu fiquei brincando com ela um pouco enquanto começava a chupar o pau do meu irmão outra vez. Depois disso ficou mais facial e a segunda e a terceira cenouras entraram sem nenhuma dor. Quando eu já estava fazendo tira-põe com a cenoura grande no meu cu, o mano deitou atrás de mim e começou a brincar com o cenoura no meu rabo.



Aquele jeito dele enfiar e tirar a cenoura, era tão gostoso que eu prometi pra mim mesmo, que não importava o quanto doesse na hora de levar pica, eu queria aguentar.



Depois que nás dois tínhamos certeza que meu cu estava arrombado, ele tirou a cenoura e eu resolvi conferir com estava. Coloquei a mão pra trás e fui direto no cu. Estava largo pra caramba. Eu enfiei logo de cara o dedo médio, o dedo de anel e o mindinho dentro dele.



Meu irmão colocou as mãos na minha cintura e eu segurei a cabeça do pau dele, que estava lambuzado de maionese, bem encostada no meu cu. Pedi pra enfiar bem devagar, mas dessa vez eu percebi que o pau dele estava muito mais duro que da outra vez. Era quase igual da cenoura que a gente tinha enfiado em mim. Bem de vagarinho ele começou a fazer força, mas não foi preciso muita força e eu já senti a cabeça entrando no meu rabo. Não estava doendo nadinha. A coisa foi continuando e ele enfiou até o talo e não doeu nada.



Fiquei feliz e disse que ele podia foder a vontade, mas eu queria que ele me chamasse de sua bichinha, de namorada e assim ele fez. Ficou ali atrá de mim, me fodendo pra valer e me chamando de sua bichinha, de sua namoradinha querida. Prometeu que ia me comprar uma calcinha e uma camisolinha transparente pra gente dormir junto e pra eu poder ser cada vez mais a mulherzinha dele.



Foi a minha primeira foda. Perdi minha virgindade na boca e no cu. Como eu estava fazendo com meu irmão que era tão virgem como eu, deixei ele encher meu cu de porra a vontade e vou deixar ele fazer isso toda vez que a gente trepar ou até um de nás arrumar uma namorada ou algo assim. Depois disso, prometemos que vamos começar a usar camisinha.



Ontem eu descobri que eu gosto pra caramba de dar a bunda e que vou fazer isso para o resto da vida. Mas eu ainda quero foder alguém e acho que meu irmão não vai deixar não. Acho que ele sá topa se for ativo e eu não ligo se tiver que ser sempre passivo pra ele, mas preciso encontrar alguém que queira fazer troca-troca comigo porque eu também quero perder a virgindade do pau.



Mulher, pelo menos por enquanto, não me passa pela cabeça. Depois de ontem, sá consigo pensar em sexo com outros homens, principalmente com meu irmão. Já está quase na hora de ele voltar do trabalho (ele é balconista numa loja aqui perto) e eu passei o dia me depilando e já preparei umas roupas da minha mãe para usar quando ele chegar.



Na verdade eu não ia escrever nada do que aconteceu, mas decidi escrever por que eu descobri uma coisa que pode me ajudar a perder o cabaço do pau. Quando eu estava revirando a gaveta de calcinhas da minha mãe. Encontrei lá no fundo um pau de borracha enorme, maior que o pau do meu irmão. Sei que a minha mão já está separada faz dois anos e nesse tempo todo, nunca vi ela com nenhum outro homem. Quem sabe ela não resolve dar pra mim. Não sei se vou ter coragem de pedir, mas esta noite ela ainda está em Recife e meu irmão chega daqui a pouco.



Tchau!



Se rolar alguma coisa com mamãe eu volto pra contar















VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


mae de causinha melada quado da de mama profilhodei a xoxota para meu sobrinho contofazenda de nudismocontos eróticos realizando a fantasia da minha mulher no nosso aniversário de casamentoFodendo com mamae bunduda contoscontos fui adotadagordinho tetudo gay contoscontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiminha esposa faz questao que eu veja ela com outro em nossa cama e depois chupe ela toda esporrada videoscontos comi a amante do meu paiporno sujo porra na boca guspe mijos e muita porcariaentão abri as pernas dela e peguei naqueles peitinhos pequenos e gostosocontos eroticos droguei minha priminha ninfeta e comicontos corno empretei minha mulher para traveti e fikei vendocontos eroticos comendo minha sogra na cozinhaconto pedreiro arronbou minha namoradacontos eróticos bumbum grande no ônibuscontos eróticos casada não resistiu e traiucontos eroticos tio e sobrinhacomtos eróticos de fazemdeira com animalcontos eróticos de estrupocontos de casada rabuda fiel e fogosa cantadacomi minha vizinha e minha mulher contoscontos/meu primeiro broche e fodavisinhalesbicacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevídeo pornô pica da cabeça enrolada redondadavideo gayzinho afeminado com seu cuzinho lisinho dando o cuzinho pornodoidocache:6FK7RI0T9TcJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_476_eu-e-2-travestis.html contos viado arrombadoNelma Putinha Angolana Rabudagozei gozou dentro dormia contoscontos eróticos minha esposa em sabe quem enrabou elacomi o cu da minha sogra linda e da filha elas gritavaamigas da empresa contospai com filha muito novinha contoscache:tCqBSJiMNvAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_6_13_orgias.html conto estrangeiro picudocontos eroticos com cavalovidio porno gay em hotéis ospede e garconMeu nome é dado (apelidio),tenho 35 anos e minha esposa mara tem 32 anos.Somos simpaticos ,com caracteristicas bem Brasileira .contos eroticos arrombando a gordaeu quro v chiquinha em pornocontos eroticosAdoro leitinho na bucetacontos eroticos estourando a bucetinha minusculaconto cutuquei pau na bundia delaeu minha sobrinha na praia contocontos durante a balada com meu irmaotirando o cabaxinho da novinha fazendo ela chora com pau gg porno carioquinhacache:HVsxZOrs15AJ:http://okinawa-ufa.ru/m/conto_12619_quando-eu-dei-pela-primeira-vez.html+"dei pela primeira"finalmente contou quando chupar pau do ex delacontos eroticos com a dona da pensão casadacontos eroticos elizandracontos eroticos de primos q ficaram com primascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos me obedece putinhacontos eroticos o dia que o pasteleiro mim comeucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos sado lesbico de incestocontos eroticos de mulheres que transaram com entregadoresvideos de sexo com cintirinhas finas e bundonacontos eroticos gay dei o cu quando era pequenocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erótico fode cm clientes no camarotecontos cdzinhascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos gays meu pai gozou na minha bocacontos gay com homens grandes e peludos terminadascontos eroticos comendo o cu da vendedora da avonMinha namorada deu a bucetacontos eroticos dei tanto a bucetinho pro meu cunhado k engravideiA rainha que dava a bunda para os strapon vidio muher trasa com homen com pido pequeno