Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA COMADRE É UM TESÃO

Parte I

Conheci minha comadre em uma empresa em 1996, estava em uma entrevista com meu antigo chefe, quando ela entrou e começou a subir a escadas, eu pensei meu Deus de onde saiu este avião, neste momento qualquer valor que me fosse oferecido eu aceitaria o emprego, enfim fui contratado, fiz amizade com ela e comecei a criar intimidades, passava a mão na bunda dela (que diga-se de passagem é um senhor bundão) ela mandava eu parar mas nunca brigou comigo, sá aqueles para vai, passou-se o tempo eu estava para casar e devido a nossa intimidades pedi a ela que a minha despedida de solteiro fosse com ela, ela relutou bastante, mas um dia ela disse espera acabar meu resguardo e a gente vai, pois tinha dado a luz pouco tempo, mas o danado do marido dela engravidou ela antes de acabar o resguardo. Ai mudei de empresa e tínhamos pouco contato, mas um dia encontrei com o marido dela e ele disse que ela não estava satisfeita com o emprego, foi onde eu liguei para ela e falei para ela fazer uma ficha na empresa que trabalhava, pois lá contratava direto, e ela fez e para minha sorte passou. Começamos a trabalhar juntos e por consequência minhas invertidas nela começaram também, foi quando comecei a levar ela para casa de moto, e comecei a pedir para ela enfiar a mão na minha calça e bater uma punheta para mim, onde ela começou, depois de muito ficar alisando meu pau e meu saco ela parou de repente, perguntei por que havia parado, ela disse que estava gozando, então foi onde eu disse para não parar e que continuasse até gozar, fui para uma rua escura tirei meu pau, pedi para ela agachar e enfiei ele todinho em sua boca, e ela chupou até que eu enchesse a boca dela com meu leite. Deixei ela em casa e combinamos que finalmente eu iria leva-la para um motel.



Parte II

Marcamos o motel saímos do serviço e ela ainda quis dar para trás, continuei a insistir até que ela criou coragem, aproveitamos que tinha uma palestra no serviço e fugimos dela e fomos para o motel, ela chegando lá foi direto para o banheiro tomar um banho, fiquei pelado deitado na cama esperado, quando ela veio, meu amor, fiquei louco a mulher era perfeita, tinha um bucetão a coisa mais bonita e uma bunda que deixaria a Gretche com inveja, veio para cima de mim como uma louca, dizendo: você não queria me comer agora come, foi onde falei calma comadre, vamos aproveitar o momento, e comecei a beija-la e chupar seu seios que pareciam mais duas maças rosadinhas, quando enfiei meu pau naquele bucetão a mulher ficou doida, falava palavras do tipo, você queria agora mete gostoso este cacetão em minha buceta, insistiu tanto que me fez trair pela primeira vez o meu marido, agora ele é um chifrudo, come, come com gosto sua comadre e mete nela até gozarmos e não paramos na primeira, depois de tudo acabado, já com nossas roupas ela me perguntou: é comadre você queria comer minha bundinha não é? Foi quando eu falei: Se é que pode se chamar este bundinha né comadre, mas não se preocupe, tudo vem a seu tempo, e na hora certa vou gozar muito dentro desta bundinha ta bom? Foi onde ela concordou.



Na segunda vez depois de um ano, pois minha comadre é muito medrosa, marcamos um motel, isso depois de insistir muito, chegando lá como sempre ela ia tomar seu banho, quando voltou eu já estava deitado de pau na mão, onde ela veio se arrastando na cama e pegou meu pau e começou a chupa-lo e foi uma chupada tão gostosa que tremi na cama, depois que acabei de gozar na boca dela ela engoliu e me perguntou: Será que aguento este bichão no meu cuzinho, virei para ela e disse sá a um jeito de saber comadre, é colocando ele lá, foi quando ela falou ele é muito grosso, vamos tentar se eu pedir para parar você para, claro que concordei prontamente, ela deu mais uma chupada para deixar ele bem molhadinho e ficou de quatro, “visão dos Deuses”, quando mirei e comecei a enfiar, cada empurradinha que dava era um gemido dela, perguntei se queria que parasse, ela disse não quero que enfie até o talo, foi que fiz o que fez ela dar um suspiro profundo, e continuei entrando e saindo até ela gozar e eu também, satisfeitos fomos para casa, onde ela foi massageando meu pau em cima da moto até chegar perto da casa dela.



Parte III



Fui convidado para ser padrinho da filha dela o que aceitei prontamente. No aniversário da minha afilhada, fui convidado e fui sozinho, chegando vi que meu compadre estava bebendo além da conta e já comecei a planejar tudo, comecei a sá biliscar meu copo, em um dado momento fui até meu compadre e falei que estava muito embriagado para andar de moto, foi onde ele falou coloca a moto pra dentro que não vou deixar você ir embora deste jeito, hoje você vai dormir na minha casa. Onde obedeci prontamente. Fui para sala tirei a roupa e fiquei sá de cuecas debaixo do cobertor, não demorou muito e ele veio e apagou no sofá, mais pouquinho e lá vem minha comadre levando as crianças para o quarto que adianto não tinha porta, sá uma cortina, esperei um pouco e constatei que meu compadre havia apagado, fui para o quarto e comecei a beija-la e enfiar a mão entre suas pernas para chegar ao ponto principal daquela mulher, foi quando ela começou a gemer e pediu para parar e esperar que ia tomar um banho, fui para meu sofá, me embrulhei e esperei, passou um pouco ela veio, passou por mim e sá olhou para mim o que entendi e fui para seu quarto, e comecei a chupar aquela mulher como nunca havia chupado uma outra, pois o sabor da traição com o perigo é algo inarrável, e quanto mais chupava, enfiava o dedo em seu cuzinho e arrancava suspiros baixinhos dela, pois o marido dormia na sala, foi quando não aguentei mais tirei minha cueca e enfiei sem dá nem piedade naquele bucetão onde ela urrou com muito prazer e fiquei um bom tempo entrando e saído daquela buceta gostosa enquanto meu dedo entrava e saia daquele cuzinho gostoso. Foi quando gozei e enchi aquela buceta com meu gozo, parei um pouco e ela foi para o banheiro do quarto, não me aguentei e fui atrás, quando ela estava na pia com aquele bundão virado para mim, cheguei por trás e comecei a fazer um carinho no seu cangote o qual ela começou a suspirar, foi quando pedi para por no seu cuzinho, ela me perguntou aqui, pois o marido dela estava deitado no sofá com a cabeça no ombro do sofá, se ele abrisse os olhos viria meu pau todinho dentro daquele bundão, foi quando falei sim aqui, ela abaixou mais um pouco empinou a bunda para o meu lado eu fui bem devagarinho enfiando meu pau naquele cu gostoso até entrar tudo e comecei a entrar e sair de dentro dele, ela olhava para o marido embriagado e falava bem baixinho: ta vendo o que se ganha por beber demais, chifre, e começou a pedir mete, mete mais rápido que quero gozar, foi onde eu enfiei com vontade meu pau todinho dentro daquela buceta gostosa, quando estava para gozar pedi a ela para se ajoelhar o que ela atendeu prontamente e eu enfiei meu pau todinho dentro de sua boca e gozei gostoso e ela mais uma vez engoliu tudo e até lambeu os lábios. Nos arrumamos e eu fui acordar meu compadre e falar para ele ir dormir na cama o que ele fez prontamente, passou mais ou menos uma meia hora e meu tesão ainda não havia acabado, fui quase que me arrastando para o quarto deles e como ela estava do lado de fora da cama, enfiei minha mão por debaixo da coberta e fui ao encontro de sua buceta, ela tentou me parar, mas já era tarde, eu estava com a mão lá e ela não podia fazer movimentos bruscos se não acordaria o meu compadre, foi quando emfiei meus dedos em sua buceta e comecei a bombar, meu amor ela dava espasmos de gozo cada vez que meus dedos invadiam suas entranhas, e fiz isso até ela gozar de novo, depois fiquei deitado batendo uma punheta e ela alisando meu cabelo deitadinha em sua cama, quando estava prestes a gozar mais uma vez, criei coragem me levantei e puxei a cabeça dela de encontro a meu pau e gozei em seu rosto, creio até que deve ter respingado um pouco no meu compadre, depois deitei no chão de novo e fiquei alisando sua bucetinha e teve um dado momento que ela virou a bunda para o meu lado, foi quando eu molhei bem meu dedo e enfiei no seu cuzinho e comecei a bombar até ela gozar novamente, foi quando tirei o dedo de seu cuzinho e chupei-o para sentir o gosto daquela bundinha, esperei um pouco e fui dormir feliz da vida, no outro dia meu compadre veio me acordar e ficou falando acorda compadre, acorda, esse aqui se deixar passa um trem em cima dele e ele não acorda, também foi beber muito ontem, não conhece seus limites, bem feito. E eu fiquei sorrindo debaixo da coberta.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos arrombando a gordanovinhaquinzeanostravesti sadomasoquista na regiaoconto aquela mulher mexeu na minha buceta cu teenConto erotico amiguinhaContos no cu da tiaContos Eróticos De. Comi Minha Vizinha Do Ladocontos erotico novinhas inocentesentando na rola do meu pai contos. eróticosCunhada bunda site cellcontos arrombando casadaconto erotico vizinha casada e velho pirocudoConto gay a bermuda recheadacomto imcesto. papai gozamdo na minha boca que emxeu mimha bocaconto erotico casada submissacontos de mulheres ninfomaniaca por sexocontos eroticos arrombando a gordabuceta carnuda comtos de sexofudida por incomendacontos fudendo a crente e o corno ficou olhandoContos de insestos com irmacontos eroticos minha ex namorada e uma putaconto erotico meu melhor presente de aniversario e inesquecivelcontos exitantes meu marido dormindo bebado e eu com outro do ladoidoza caseta toda gozadacontos eróticos pastor compadre d*********** a virgemdona Florinda abrindo pernas mostrando calcinha porncontos de sexo gay meu melhor amigo me seduziu e me fez mulherContos eroticos comi o cu da minha irmacontos eroticospais e filhas novinhascasada pelada em lugares movimentados contosempregadinha contoconto erotico gay: tenho cinquwnta anos e dei meu rabo para um garoto de desesseteconto erótico eu e meus primos nu no lagoContos eróticos mãe nãocontos de travestis comendo os patroescontos sado lesbico de incestocontos veridico meu marido e eu pencava que era mulher mais tevimos a supresa era uma travesti bem dotadocontos eroticos sou a puta dos meus primos piçudosmenininha safada contos eroticosmorena de seios gigantes e cintura fina fundendo com um homemconto espiando transa do tiolesbica humilhada contos eróticosarrombada pelo negão contomacho subjugado a chupar buceadopando sogra contosfotos de buceta sendo lambinda e gritandoContos visitou o culhado na cadeiacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordavi meu afilhado peladocache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 tres comendo uma mulher e um socando no cu do outro uma filinhaiConto erotico seios doloridoscontos eroticos vestido coladocomtos de incesto com subrinha bebada depos da balada no carrocontos eroticos arrombando a gordacasada e o negrinho tarado contosjoice cavalo deu o cucontos dei p meu irmaoNovinha apavorada com anaconda gigantesexo gemidossscontos sexo minha madrinha esposapegando hetero casado conto gayComi minha prima safadinha contozoofilia custou cara e mulher nao aguentou estocada do cavcontos de casadas que se entregam a outro homemUm cao mais novo do q 9 meses ele pode ficar engatado em mulherseduzudo e fudido contos gaycontos eroticos garotinha minusculacontoerotico virgem pai 2filhas