Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O DIA EM QUE VIREI PUTA DO AMIGO PASSIVO.

Bom, me chamo Paulo, tenho uma namorada que me ama, sou corretor de seguros e assim como todo mundo, tenho amigos gays. Um deles em especial vive tentando me atiçar a participar de brincadeiras e festinhas, as vezes me bate uma vontade imensa mas o que seria de mim depois? e se um dos integrantes da "festinha" fosse um conhecido no qual nunca esperaria isso de mim? Pois bem, sempre me mantive no meu lugar, me esquivando e rindo pra nao ir. Fora as fotos de amigos dele com mastruços de fora e as experiencias que ele conta sobre isso. Isso ja me renderam muitas punhetas sozinho mas nada alem.



Devido ao transito e a minha falta de paciência com engarrafamentos, costumo deixar o carro perto da academia onde malho, que fica num ponto entre casa e o trabalho. Um belo dia saí do trabalho e chovia muito. Peguei o onibus como de costume e ao descer no ponto, encontrei esse meu amigo gay na parada esperando o ônibus para ir pra casa.



"- Olá Carlinhos!" disse eu ao meu amigo.



Ele me respondeu e nos abraçamos, como bons e velhos amigos que somos.



"- Pra onde esta indo, Paulo?"

"- Estou indo pegar o carro e ir pra casa, vem q te dou uma carona!"

"- Mas eu moro depois de voce, e esta chovendo" - disse Carlos com receio de me dar trabalho

"- Vamos, anda! Colocaremos o papo em dia."



Pegamos o carro e fomos pra casa, a rodovia estava vazia pois eram umas 21 horas e todos ja tinham vazado pra casa na chuva. Papo vai, papo vem, comecei a me lembrar das histárias dele e dos convites.



"- Carlinhos, queria te pedir uma favor simples" - disse eu ofegante de nervoso e coração palpitando forte.

"- Claro Paulo, diga"

"- Cara deixa eu Segurar seu pau? Parece bobeira mas vc ja sabe q eu tinha essa curiosidade de segurar um e como você é meu amigo me sinto mais a vontade..."



Ele colocou o pau pra fora, tava meio borrachudo mas podia-se notar uma leve diferença na textura pois aquilo tinha o excitado um pouco. Era um cacete bonito, moreno e de cabeça avermelhada. Ele notou que eu tava tremendo muito e disse pra eu prestar a atenção no transito. Eu segurei akele mastruço e comecei a acariciar enquanto iamos pra casa. Logo ele ficou duro feito rocha e eu comecei a socar uma pra ele. O rosto dele era de quem tava adorando, dava gemidinhas e dizia q esse dia ia chegar mesmo.



Daí eu disse: "- Cara, dane-se o mundo hoje, vamo até o fim? Vamos nos divertir, ta chovendo muito!"

Ele sen titubear disse: "- Vamos, vamos eu quero isso sim."



Como naquele horário era o da academia, ninguem conhecido ia me ligar....entramos num motel que era ate mesmo depois da casa dele. Por vergonha escolhi um motel dakeles que você não ve a cara de funcionario algum até pagar a conta. Eu tremia muito, muito mesmo, minha mente brigava comigo, era a razão brigando com o tesão. Entramos no quarto e ele me ofereceu um tal de "barba, cabelo e bigode" e q eu jamais esqueceria isso. Fomos pro banho e la nos banhamos e rolou muito sarro, chupadas etc. Ah, esqueci de mencionar que ele é passivo, mas naquele dia ele pediu pra ser o ativo, e me fez repetir varias vezes q eu era a menina dele. Nos enxugamos e fomos pra cama. Num tinha nada de romantico nao, era aquele sarro com raiva e tesão, parecia q estavamos nos alimentando um do outro. desci e caí de boca nakele pau duro(adoro falar "caíd e boca") chupava aquele cacete com muita vontade, estava delicioso e cheiroso, passava a lingua e mamava como se fosse uma refeição, chupei muito o saco dele, as bolas o pau dele era grosso e grande nao conseguia enfiar tudo na boca, dava aquela ansia de vomito qdo batia na goela mas era aquilo que eu queria, me engasgar muito. Ele tava assustado de como eu tinha virado uma puta e comentou isso...eu disse que era um desejo oculto e que eu me masturbava muito pensando no que ele me dizia na net quando conversavamos. Ele perguntou se podia estocar em mim com o cacete e eu disse pra ir devagar pois até então eu enfiava coisas finas no rabo pra gozar. Ele bezuntou o cacete com MANTEIGA do frigobar, podem acreditar,

e começou sá com a cabeca e ia estocando devagar e movimentando lentamente até eu me acostumar com a situação.



"- Estoca com raiva, com força! Estoura meu cu agora!" - disse eu adorando a situação

"- Cara, tem certeza? Amanha vc vai se arrepender disso"

"- Sim sim, sou tua puta me arromba agora"



Ele comecou a estocar com força e enquanto isso ele me masturbava. O cel dele tocou muito tivemos que parar pq parecia alguem querendo falar com ele por algo importante. Era o chefe dele pedindo para ele chegar mais cedo amanhã.O clima deu uma esfriada e pedimos algo pra beber. Enquanto isso conversávamos sobre meus desejos ocultos e pq eu nunca queria ceder a isso. Esperamos muito e nada do garçom aparecer. Começamos de sarro denovo já que parecia que tinham nos esquecido. Não sei se a campainha estava quebrada ou se ele abriu de proposito, sá sei que o garçom me apareceu dentro do quarto enquanto eu estava fazendo o mastruço do meu amiguinho passivo que agora era ativo subir. O garçom era coroa, anel no dedo, com aquela cara de que trabalhava ali porque não tinha conseguido nada melhor e tinha família pra sustentar e não trepava há seculos. Ao invés dele deixar a bebida ali e sair, ele ficou parado nos olhando estatelado. Eu não o tinha visto ainda mas Carlinhos acenou pro garçom e mexeu os labios e gestos pedindo pra ele lavar o pau e voltar. O garçom gostou da idéia e quando ele apareceu pelado atrás de mim, Carlinhos disse:

"- Nosso amigo garçom veio participar"



Olhei pra ele, ele com cara de faminto, olhar estranho de quem nunca tinha feito isso. Meu amigo disse que daria as ordens ali na festinha pois ele era o mais experiente em festas gays. o garçom veo brincar conosco, meteu o cacete na boca do Carlinhos enquanto eu mamava o Carlinhos. Pau duro, garlom feliz, Carlinhos ordenou pra ele estocar na minha bunda já que eu era puta....comecei a tremer denovo e mais ainda! O garçom veio com akele pau médio, porem bem grosso e estocou no pobre do cuzinho, já arrombado pelo meu amigo. Gente!! Imagina a cena um cara cheio de pudor(eu), ali de bunda pro ar, um caralho na boca e um no cú. eles revezaram gozaram em mim e os pirulitos ficaram moles. Rapidamente comecei a punhetar eles e logo ficaram duros e a festa recomeçou. O tesão era tanto, que desmaiei. Acordei uns 40 minutos depois, todo melado e o pudor voltou também. Meu amigo perguntou o que tinha achado da noite. Eu disse pra ele que foi uma experiência extraordinária mas que isso não entraria para minha vida como algo casual. Tomamos banho, agora separados, e deixei ele em casa e fui pra minha. O cu ardia muito e passei uma pomada que meu amigo tinha me dado pra essas ocasiões. Ele nunca mais tocou no assunto para me convidar pra outras festas, mas ocasionalmente eu dou uma mamadinha nele no estacionamento quando nos esbarramos na rua.



Um abraço a todos e espero que tenham gostado!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


como faxersexooralcontos eroticos namorada virgem do cornoContos eróticos fériaspura foi dar pra cavalo e acaba com a buceta estoradarelatos minha esposa dando a bundinha eu chupando a x******flgle minha tia ser mastubandocontos a mulher casada aiiiiiiiiiiii meu cuuu ai vou fala para meu maridocontos eróticos rola babonaContos eroticos gay funkeirocontos eroticos acampamento pirenopolisMeu irmao toda hora so quer comer meu cuzinhocontos gays reais/a anaconda do meu primoenrabar a minha mãe e a minha irmãcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos comendo grama grávidaMeti.o.pal.no.cu.de.minha.filha.gravida.dormindo.a bumda que sempre sonhei comemaisexo vidio de zoofilia com travestisvelhos gordos gays contosconto erotico na orgia com sogropapai traindo mamae comigo contos eroticoscontos eróticos casadas vingançagozaram em minha boca durante a viagemxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delacomeu familia toda contos eroticosestupramos uma travesticontos eroticos chupou meu cuzinhofudendo com outro contoscontos me fuderam atraves de chantagenscontos porno de zoofilia minha buceta cabeluda engoliu o pintao do cachorroacampamento com as aluninhas – parte 2 conto eroticoEu fui trabalhar numa empresa eu comi minha patroa japonesa no motel conto eroticocontos de sexo com velhos babõesmulheres violadas contos eroticosminha cunhada me provocandoContos gays amante do tio velho desde de pequeno adoro vpu casar com eleconto dono da minha mulhercontos eroticos com noviinhas sexoalmente precoseseio durinho excitaçãocontoS lambida animal no raboa piriquita da theulma moreninhacontos eroticoso cu da cadelinhacontos eroticos sobre gay arrombado pelo bombeirocumil minha vizinha gostoza fimepornoestiquei os peitos da gostosa contosconto comeu a namorada e a sograContoseroticosnafazendacontos erotico sou cazada beti punheta pro meu amigo pornocontos eróticos sentada no colo do padrasto na frente da mãe na hora da jantacontos eróticos comi minha tia e minha prima minha prima tinha um colchão e uma buceta molhadinha e apertadinha contoseroticos as 2 filhas daminha visinha vierao brincar com minha filhinha wuen brincou foi eucontos trai meu marido com um dono do bar fui busca cervejameu cunhado tirou o cabaço do cú da minha esposameu filho mete o dedo no meu cu e eu gostocontos de dotadosconto erotico gay motoqueiro marrenticontos eróticos casal de coroa fazendo suruba com travecominha sobrinha no motel no meu pau conto eroticocorno gemendo cu contoconto erotico facilitei para fuderem minha mulhereu e minha amiga na pousada- conto eróticoeu confesso caso de incestoMesmo contra a vontade da minha familia eu sou mulher do meu primo viuvo conto eroticoescanxa na picacontos erotico defrorado pelo irmão mas velhocorno no cinema contoseu e minha amiga na pousada- conto erótico"klaudia kolmogorov"contos eróticos mostrei o pau pra minha mãecilindro meloso gostosocontos eróticos minha nora cuidando de mimmeu cuzinho desvirginadocontos de cdzinhas orientaiscontos crossdressers no cinemacontos dei pro mulequinho de rua