Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUE AMOR DE CUNHADA 1





Atualmente estou separado, tenho 34 anos, 1,82 e sou bem magro, mas essa histária ocorreu quando eu tinha 30 anos e minha ex-mulher 27 anos. Ela tem um irmão também casado, com uma mulher que vou chamar, Maria (nome fantasia).



Maria é uma dessas mulheres simples, humilde mas com uma feminilidade a flor da pele. Aliás pele bem clara, cabelos louros claros(pintados)., olhos azuis, um sorriso maravilhoso, dentes perfeitos, um verdadeiro anjo, e um corpo de deixar qualquer um de pau duro sá de ver.



Eu tive a felicidade de fazer parte desta família e ter pôr perto sempre minha querida cunhada. Gostamos muito de acampar, a minha família e a de meu cunhado também, ele é um cara super bacana, mas muito fechado e quase nunca o via fazendo carinho em sua esposa, eu sempre fui mais festeiro. Há 4 anos atrás, resolvemos fazer um acampamento gigante., e levamos toda a nossa família.



A data coincidiu com a do carnaval e teríamos, 7 dias maravilhosos para descansar. A minha cunhada sempre teve muito carinho comigo, principalmente quando seu marido não estava pôr perto, o tom de nossas conversas e até os olhares ficavam diferentes, mas como não ousava nada além do parentesco, sempre ficava pôr isso mesmo.



Eu sempre desde que a conheci tive pôr ela uma tara incrível, a ponto de às vezes ficar tremulo sá de pegar em suas mãos. Aquele acampamento prometia, pois desde o começo ela me cercava e perguntava sempre sobre a montagem da barraca para ajudar seu marido. Já na chegada ela usava uma bermudinha bem justa o que deixava de fora aquelas pernas lisinhas e deliciosas, sem fazer muita força eu ficava excitado e meu pau doía, porque não podia deixar aparecer meu estado.



Bem no primeiro dia foi a euforia da montagem das barracas, fizemos um lanche conversamos um pouco e fomos logo dormir. Estávamos em 19 pessoas divididas em 2 barracas. As barracas eram daquelas, tipo bangalôs, com dois quartos, separados e fechados com zíper. A minha era mais velha e o fundo dos panos dos quartos já estavam um pouco rasgados, de tanto a garotada puxar, e acabou rasgando um pouco mais, até ai tudo bem.



No dia seguinte no domingo de carnaval, levantamos cedo, fizemos café, quando ela abriu o zíper da sua barraca a visão do paraíso caiu bem em frente a mim., sá de camisetinha meia longa e calcinha, aquilo realmente me deixou espantado, com o pau duro na hora, o que ela percebeu e fitou pôr alguns segundos minha ereção, fiz questão de não disfarçar e deixei rolar. Com a voz meio tremula ela perguntou se havia água no nosso cantil, que ela havia esquecido de encher o deles, eu prontamente disse que sim, peguei uma jarra enchi de água e levei até a barraca dela, bem em frente a minha, minha mulher ainda estava se trocando e meu cunhado ainda dormia.



Entrei, e ela como num gesto alucinado tocou pôr querer no meu pau, quando foi pegar a jarra, confesso que a emoção era tanta que se ela não segurasse a jarra, ia cair no chão.



Instintivamente coloquei minha mão em um dos seus seios, sá cobertos pôr aquele tecido fino da camiseta, e percebi o biquinho durinho e cheio de tesão., ela ficou vermelha e deu um aperto no meu pau como quem diz. - Até logo mais.



Escutei meu cunhado tossir, então sai de quatro fazendo o possivel para deixar meu pinto mais mole, mas ia ser difícil, e aquele dia seria meu martírio. Brincamos o dia todo, almoçamos, passeamos e sempre que podia dava uma encostadinha naquela bundinha, sempre sem querer e muito discretamente, sá não sabia o que viria a noite.



Em certo momento quando ficamos a sás ela me disse., hoje você não me escapa, quero ser mico de circo se não arrebentar meu rabo no seu pinto. Aquilo me deixou mais alucinado ainda, eu quase dei bandeira pra todo mundo de tão emocionado.



Chegou a noite e começamos a nos preparar para ir dormir, ela começou a falar com a garotada e propôs, que como nás queríamos dormir mais tarde, que crianças dormiriam todas, na barraca dela e ela e o seu marido dormiriam na nossa.



É claro concordei de imediato sem saber de que maneira iria comer aquele rabo. Não foi difícil de adivinhar. Eu e minha mulher ficamos é claro num quarto e ela e o meu cunhado no outro. Esperamos um pouco mais, jogamos baralho e bebemos bastante, uísque e cerveja. Eu confesso que o álcool não fazia efeito de tanta emoção que sentia e finalmente fomos nos deitar. Entrando na barraca ela ficou do lado esquerdo com o marido e eu com minha mulher do lado direito.



Discretamente e naturalmente eu me deitei ao lado esquerdo da minha mulher, de modo que fiquei com a cara na parede do meio do quarto, ela pôr sua vez deitou-se do lado direito do marido de modo que ficou do meu lado. Podia sentir sua respiração. Imaginem a cena. Minha mulher dormiu logo, e meu cunhado também porque era tarde e tínhamos bebido bastante, mas não nás.



Esperei até ouvir a respiração e roncos quando uma mãozinha entrou pôr baixo do pano e pegou na minha mão, alisando. Puxei sua mão um pouquinho mais e coloquei no meu pau, a essa altura a bermuda e a cueca já estavam arriadas. eu sentia a mão dela tremer e fazendo movimentos ela apertava cada vez mais meu pau.



Enfiei minhas duas mãos pôr baixo do pano e cheguei até suas pernas, alisei bastante até chegar naquela maravilha de bundinha, lisinha, pôr cima da calcinha, e cheguei até a bucetinha, que percebi já tinha encharcado a calcinha. Suavemente puxei a calcinha pra baixo ajudado pôr ela, tudo com muita calma pra não fazer barulho e já tentando segurar ao máximo o barulho da respiração.



Estava escuro e não pude contemplar aquela maravilha, e o pano da barraca também atrapalhava um pouco, mas tudo bem. Os carinhos foram ficando mais intensos, coloquei um dedo na bucetinha dela mexendo com seu grelo ao que ela deixava as vezes escapar um suspiro mais forte e com a outra mão alisando sua bundinha e aproveitando o mel da sua buceta, enfiei um dedo também no seu Cu, fazendo círculos e aquele vai e vem fui deixando ela maluca.



Foi ela quem pediu e começou com tudo .



Fiz um esboço de tentar me virar e consegui baixar um pouco minha cabeça ficando na cara daquela bucetinha maravilhosa. Comecei lambendo seus grandes lábios, chupei com muita calma e muito tesão, metendo um dedo no seu Cu. Quando senti na minha boca o cuzinho piscando, notei que ela estava gozando gostoso.



Ai foi minha vez, nos mexemos e ela deu um jeito e colocou meu pau na boca, dando umas mordidas deliciosas e sugando até onde conseguia ir, garganta adentro, não demorei muito e gozei alucinadamente naquela boquinha deliciosa, e percebi que ela bebeu tudinho sem deixar cair uma gotinha.



Ficamos assim pôr mais uns minutos, quando meu pau já estava duro de novo, puxei sua bunda quase toda pra dentro da minha parte da barraca, e como já estava lambuzadinha não perdi muito tempo e coloquei meu pau nas suas coxas e procurei seu Cu, mas ela pegando minha rola dirigiu para sua buceta pôr trás, e me puxou com toda força, fazendo que entrasse tudo até o saco, sá ouvi um gemidinho que em seguida disfarçou dando uma tossida.



Foi um vai e vem compassado para não acordar os outros, e a sensação de estar fodendo a mulher de um cara com ele do lado e a sua mulher do seu outro é a coisa mais louca do mundo, nunca ouvi e nem vi isso em lugar nenhum.



Bem, depois de alguns minutos gozei feito um cavalo e inundei aquela buceta. Descansamos um pouco quando percebi alguns movimentos na barraca e não era comigo, fiquei quieto e fazendo um pouco de esforço com a penumbra da lua consegui perceber minha cunhada chupando o pau do meu cunhado e ao mesmo tempo empurrava sua bundinha contra mim.



Não tive duvidas, é agora, já de pau batendo na testa de novo, apontei naquele Cu e fui empurrando até sentir a cabeça passando e dai pra frente forçando a entrada daquele Cu maravilhoso, fui enfiando, até sentir minhas bolas bater na bunda.



Imaginem, ela chupando o marido e dando o Cu pra outro homem, sem ninguém saber de nada. Ela fez de propásito, sá minha mulher não poderia acordar, sorte que ela tem o sono pesado. além de ter bebido bastante. Ficamos ali por alguns minutos que pareceram uma eternidade de felicidade e prazer, até que eu não aguentando mais, gozei, mas gozei, ao ponto de quase perder os sentidos, uma verdadeira loucura saber que tinha gozado naquele Cu maravilhoso. Percebi que quase ao mesmo tempo meu cunhado e ela gozaram também, ele deve ter ficado satisfeita de tanta porra, pela boca, buceta e Cú. Realmente foi o dia mais incrível da minha vida, com certeza. Espero que tenham gostado., bem eu adorei., até hoje somos bons amigos e fazemos coisas que sá vendo. eu volto.... continua....



Se quiser fazer comentários interessantes.

Meu msn. [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


andreia baixinha tranzando e tamiriscontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos com fotos de transando com a cunhada casada e com seu marido bi sexualfui arrombada porvarios contoscontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscache:R-bg7J8nF7YJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto_14382_mamae-velha-mais-bucetuda.html Contos eroticos carro lotadocontos eroticos arrombando a gordapai e filinha pequen q deixa pai come ela contoscontos eroticos a calcinha da minha sograver contos eroticos de empresarios comendo o cu de empregadocontos eroticos fudendo com velhocontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos família vavela minha mãe comigo no banheiroele era cheirosinho conto gayxoxota doce contosWwwcasa dos contos meu marido e rasistamasturbando com obras em xasa contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteifeta sandalilhacontos eroticos a bunda gostosa da minha cunhadadetalhes como fui estupradocontos eroticos de pai e filho travesti bundudoela queria dar uma dançadinha no quartoconto estrangeiro picudochapeleta pegando a casadaporno negonas da coixa grosa e budona que a dora pau enore e prra dentrocontos eroticos um menino ou um homemconto erotici com coroas homens de 80 anoscontos de surubas inesperadas com esposaso ft das mulers.de bucetao rncadoscontos eroticos marido pauzudo mulher e novinha trepando juntoscommini vidio porno so rabudas epitudascontos eroticos arrombando a gordavideo sexi coiada esticada de manhã cedocasada funk relatos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentegeovana tira a calcinha e da a bucetacontos de mulher com cachorroPorno conto mae vizinho neguinhocontos er apaga a luzcontos eroticos vô e netospeguei no pau duro e acabei chupandocasada vai dar pra outro macho e leva gelcontos eróticos da quarta-feira de Cinzasesposa raspada contosfui acordar o sogro pauzudoamor to sendo arrombada contoContos eroticos mordedo seioscontosesposasnapraiaamiga da avo conto eroticominha esposa tem 1.60cm d bunda enorme contosconto moreninha do cu largocontos a novinha comadre carentecontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãocontos de incesto gay brincando de lutaconto titia e eu no banhoconto erotico arrombei o travesti do baile funkContos erotocos abusadaContos espiando a sogra lesbicaquad erotico a apostacantos erótico só dei do Forró Bombadocontos veridico meu marido e eu pencava que era mulher mais tevimos a supresa era uma travesti bem dotadoenfiando na bucetavarias coisasdei de perna abertaVe foto de bucta d esposa galadinhacontos eroticos esposas bundudasComi cu clarahistoria quadrinho eroticos de sexo na chuva biConto eu peguei meu genro me brechando no banhocontos eroticod de crentes cuzudascache:D0BhmN44dfMJ:okinawa-ufa.ru/conto_16312_aquela-ninfetinha-me-agarrou-no-jiujitsu.html contos de rabos sendo dilaceradosconto o velho pauzudocontos eroticos arrombando a gordaContos eróticos de Gay O Amigo do meu Pai Comeu Minha Bundinhaa prima da minha madrasta contos erótico