Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FÉRIAS NA JAMAICA - 7O. DIA (ULTIMO)

SÉTIMO DIA



Na manhã seguinte, eu e minha esposa, levantamos cedo e fomos pro salão do café, tomamos café sozinhos e nossos amigos não apareceram. Pensamos em chamá-los, mas como a noite anterior fora muito longa, resolvemos não incomodar e retornamos pro quarto pra trocar de roupa e irmos pra piscina. Minha esposa exagerou no bikini do dia. A parte de baixo era apenas uma tirinha de lycra em volta da cintura com lacinhos nos dois lados. A parte da frente era um pedacinho de tule que sá cobria os pelinhos na parte de cima da bucetinha, e daí pra baixo nada mais era do que uma tirinha que entrava na buceta como um fio dental e deixava a buceta abraçando o bikini. A parte de cima, era um pedacinho de tule branco que mal cobria os bicos dos peitos além de ser totalmente transparente. Por cima ela vestiu um shortinho e fomos pra piscina. Encontramos um lugar, reservamos mais duas espreguiçadeiras e nos sentamos, não demorou muito e vimos nossos amigos chegando, o Garreth, pra variar, de bermuda e chinelos, mas a Julia, veio vestida para matar. Estava com um vestidinho azul clarinho, todo transparente e um maiô inteiriço em formato de V gigante. O vértice mal cobria a bucetinha raspadinha dela, quase dava pra ver o clitáris e na parte de cima apenas uma tirinha que não cobria nada, os peitos grandes e duros ficavam pra fora. A lateral do maiô era nada, não tinha nada, e a parte de trás, apenas desciam as tirinhas pelas costas até entrar na bunda dela para se juntar com o pedacinho de pano que cobria a buceta. Eles disseram que demoraram pois tinham passado na lojinha do hotel para comprar o descrito maiô para nossa despedida. Agradecemos o carinho e evidentemente elogiamos muito a roupa da Julia, mas infelizmente não podíamos fazer o mesmo com a roupa do Garreth, eles disseram o mesmo de nás dois e ficamos rindo e brincando sobre a roupa das duas.

As brincadeiras já haviam começado e o pessoal já estava bem animado, então anunciaram que ia começar o concurso de bikini mais sexy, as duas nem hesitaram, e já foram correndo para se candidatar. Depois de quase meia hora de gritarias aplausos e vaias, ficaram cinco mulheres e as duas estavam entre elas. Apenas cinco no palco ao lado da piscina disputavam os gritos da galera, e as duas estavam “jogando juntas”, uma passando a mão na outra, alisando a bunda uma da outra, dando selinhos, apertando os biquinhos dos peitos e puxando, enfim, estavam realmente desequilibrando. Na minha opinião, deveria ter ganho uma morena que estava com apenas três adesivos espalhados pelo corpo, um em cada bico dos peitos e um na buceta, mas a performance das duas levantou a galera, e o premio foi exatamente para elas, e para comemorar as duas se beijaram, um chupão mesmo, na boca e as mãos na bunda uma da outra. Receberam duas toalhas de praia (uma cada uma) e vieram sentar-se ao nosso lado, parecia um reality-show, viraram celebridades instantâneas, muita gente veio pra tirar fotos das duas e com as duas, sentadas, em pé, sozinhas, em dupla, abraçando outras mulheres, casais e outros homens, e as duas atendiam a todo mundo com a maior boa vontade e simpatia. A pose mais pedida era apertar e puxar os biquinhos dos peitos da Julia e apertar a bunda da minha esposa, ou então close da buceta dela “abraçando” o bikini. Teve um rapaz, que mal devia ter 20 anos que ficou no meio das duas, abraçou a Julia até que a mão dele alcançou o peito dela para puxar o biquinho do peito, e a outra mão ele passou pela bunda da minha esposa até chegar na buceta, com o pulso entre as pernas dela e a mão sobre a buceta. Achamos tão legal que eu e o Garreth tiramos uma cada um assim também.

Mal deu tempo de elas sentarem, e já estavam chamando para outra brincadeira, a melhor engolidora de bananas, e lá foram as duas de novo. Cada uma recebia uma banana e a que apresentasse a melhor performance, ganhava. Dessa vez, apesar da ajuda do pessoal, não deu pras duas, pois 3 mulheres faziam o gênero “garganta profunda” e levaram o prêmio, mas o assédio às duas continuou, com fotos e etc. Um pouco depois veio a brincadeira do chocolate para casais, as duas nos tiraram das espreguiçadeiras e fomos para o palco, quando já estávamos lá em cima, as duas resolveram trocar os pares, eu fiquei com a Julia e minha esposa com o Garreth. A brincadeira era simples, um dos pares deitava-se no chão, o outro ficava de pé, e havia um tempo, um minuto pra “limpar” o companheiro. Alguns funcionários do hotel, passavam com um frasco de cobertura de chocolate e jogavam em quem estava deitado e o outro par tinha de lamber o chocolate, depois quem lambia era lambido. Primeiro foram os homens, nos deitamos no chão e o pessoal veio jogando chocolate, eu estava de sunga, normal, nada demais, mas já estava de pau duro, e dava pra ver pelo volume e eu não tinha o menor constrangimento, pois visivelmente eu não era o único naquela situação. Quando chegou a minha vez de receber o chocolate, o rapaz pediu para que eu fechasse os olhos e ele foi derramando, no rosto, pescoço, mamilos, barriga, umbigo e parou por ai. A safada da Julia, gritou que ainda faltava um pedaço, como eu estava de olhos fechados, sá deu pra sentir minha sunga sendo puxada pra baixo, meu pau pulando pra fora, o pessoal aplaudindo e uma coisa melada sendo derramada na meu cacete. Como a sunga foi puxada pra baixo de qualquer jeito, estava incomodando, sem abrir os olhos tentei dar uma arrumada, e acharam que eu ia me cobrir, ouvi os gritos de “não mexa, não mexa”, mas sá me arrumei, ouvi um apito e a lambeção começou. A Julia começou pelo meu rosto, olhos, boca, e foi descendo, quando ela chegou nos mamilos eu já havia conseguido abrir os olhos sá vi aqueles peitos maravilhosos no meu rosto e ela virada com a bunda pra piscina, era a única que estava nessa posição, bem arreganhada. Uma das mãos ela usava para se apoiar no chão e a outra ela tocava a buceta por cima do bikini, o pessoal na frente do palco foi ao delírio, aí ela chegou no meu pau, fui o único a receber chocolate no pinto, ela não podia me tocar, abocanhou meu cacete e pra surpresa geral, enquanto ela me chupava, puxou o maiô pro lado e enfiou um dos dedos na buceta. A gritaria foi geral. Mesmo que eu não fizesse mais nada acredito já havíamos ganhado a disputa. Arrumei a sunga, me levantei e as mulheres deitaram no chão, vieram três moças jogando o chocolate nas mulheres a loirinha não era a única com os peitos de fora, mas certamente eram os mais bonitos, recebeu uma dose no rosto e quando chegou nos peitos, foi uma festa, pareciam dois sundays tamanho família, sá faltava a castanha picada. Deram o sinal e a lambeção começou, não fiquei na mesma posição que ela, ábvio, e enquanto eu lambia, ela levantava o quadril e simulava uma masturbação, o apito tocou e evidentemente ganhamos. Nosso prêmio foi um par de canecas para cerveja, estávamos ainda sujos de chocolate, não dava pra limpar 100%, fomos até as espreguiçadeiras deixar as canecas e no meio do caminho, minha esposa reclamava brincando que a amiga havia trapaceado. Deixamos as canecas e fomos pras duchas, o resto do chocolate de dissolveu e o bikini da minha esposa, que já era transparente, ficou escandalosamente transparente, voltamos e nos jogamos na piscina. Ficamos um pouco dentro dÂ’água pois o sol já estava bem forte, e resolvemos almoçar, nos secamos rapidamente e fomos pro restaurante. Minha esposa com o shortinho e a parte de cima transparente e a Julia com o maiô azul escuro em V e o vestidinho azul claro.

Apás o almoço, resolvemos ir para os grandes colchões que ficavam ao lado do prédio sob uma tenda e ainda embaixo de algumas palmeiras, eram três grandes colchões, em um deles havia um casal e os outros dois estavam vazios. Deitamos no mais afastado de todos, apesar do sol forte, a brisa do mar deixava o ambiente agradabilíssimo. Minha esposa puxou o assunto dizendo que sá tinha perdido a competição do chocolate por que a amiga tinha “jogado sujo” em tom de brincadeira, a Julia respondeu que ganhamos juntos e que minha lambida tinha sido melhor que a do Garreth, o Garreth tomou as dores da minha esposa e reafirmou que a Julia é que tinha feito trapaça, logicamente, saí em defesa da loirinha e a discussão ficou mais animada, as duas falando, rindo e sacaneando conosco, até que minha esposa deu a idéia de uma nova competição pra tirar a forra. Ela ia pagar um boquete pro Garreth e a Julia ia pagar um boquete pra mim, e quem fizesse o parceiro gozar primeiro, ganhava a disputa. Eu e o Garreth caímos na risada, e passamos a nos chamar de homens objetos, as duas ficaram animadinhas e resolveram que iriam começar naquele momento. Nás dois reclamamos que havíamos acabado de almoçar e que assim ia ficar difícil, a Julia emendou que se a gente não topasse, elas iam chupar os primeiros caras que vissem pela frente, mudamos de opinião na hora.

Elas então mandaram que nás nos deitássemos um ao lado do outro e no centro do colchão, a Julia tirou minha sunga, eu já estava de pau duro, enquanto isso minha esposa tirou a bermuda do Garreth, ele também estava em ponto de bala, elas começaram a dizer que seria fácil nos fazer gozar, minha esposa já sabendo que a Julia não gostava que gozassem dentro da boca, foi logo provocando, pra ver se fazia a outra desistir,

- tem que gozar dentro da boca ta ?

- mas aí como uma vai saber que o outro já gozou ?

- quem sentir primeiro empurra a outra – Retrucou minha esposa putinha.

- tá certo – Concordou a Julia.

Então elas começaram, minha esposa que gosta mais, foi muito mais bem sucedida, chupava a cabeça do pau do Garreth com a boca e com a mão punhetava ele loucamente, a Julia tentava imitar, mas ainda tinha muito que aprender, não demorou muito e minha esposa deu um empurrãozinho da Julia e deixou escorrer um pouco da porra do Garreth pelo canto da boca, achei que ela fosse parar, mas continuou chupando o pau dele e punhetando sá que mais devagar subindo e descendo a mão junto com a boca, a Julia ainda me punhetava e chupava, avisei que ia gozar, pois sabia da restrição dela, mas ela fez sinal para que eu gozasse na boquinha dela, até que gozei também. Ela fez o mesmo, tocou no ombro da minha esposa indicando que eu também havia gozado e também continuou a me chupar, enquanto eu ainda gozava na boquinha linda dela, e qual não foi minha surpresa quando elas engoliram tudo, não sobrou nada, nem no meu pau, nem no pau do Garreth, as duas, simplesmente devoraram nossa porra inteirinha. Como não podia deixar de ser minha esposa ficou tirando onda da Julia, enquanto eu ganhava uns tapinhas da loirinha dizendo que eu tinha “segurado” pra fazê-la perder. Simplesmente eu não parava de dar risadas, o que contagiou os outros, e ficamos os 4 deitados e rindo, até que as duas se ofereceram pra buscar alguma coisa pra bebermos. Pedimos uma cerveja cada, elas saíram dizendo que voltariam logo, demoraram um pouco mas voltaram rápido, com nossas cervejas e duas margueritas, o bikini da minha esposa estava totalmente enfiado na buceta, um fio dental vaginal, e estava linda. Como havia andado um pouco com as mãos ocupadas, ele tinha entrado mais ainda, o da Julia não tapava nada mesmo, e vieram falando que haviam sido chamadas por uns casais para irem para as jacuzzi, e perguntaram de podiam ir, olhamos um pro outro enquanto tomávamos nossa cerveja e elas sentavam pra beber as margueritas, e decidimos que iríamos todos juntos, pegamos as coisas e nos dirigimos às jacuzzi. Quando chegamos lá elas foram recebidas com aplausos e gritos pelos 4 casais que já estavam lá, exatamente os 4 que as haviam chamado, e elas retribuíram a recepção com reboladas, beijinhos e acenos. Ajeitamos as coisas nas espreguiçadeiras e fomos pras jacuzzi, cumprimentamos a todos, entramos e nos apresentamos. Eram 4 casais americanos, que haviam se conhecido no hotel, e dois desses casais já se conheciam anteriormente e eram companheiros de swing.

Enquanto a apresentação acontecia, eu já antevia o que estava pra acontecer, pois ali nas jacuzziÂ’s o sexo era bem solto mesmo. Não demorou muito e a brincadeira começou. Estávamos todos dentro da jacuzzi, sentados em volta, sempre um homem e uma mulher, em casais. Os dois casais que já eram companheiros de swing, resolveram quebrar o gelo, as mulheres tiraram os shorts dos maridos, levantavam eles da água até fazer o pau aparecer, chupavam e mergulhava junto com eles, tiravam a cabeça da água ... levantavam os maridos novamente e os mergulhavam de novo, até que uma começou a passar a mão na outra e ficaram brincando com um cara sá. As duas se beijavam e se tocavam, em torno de um homem, puxaram os bikines de lado e esfregavam os peitos uma na outra, enquanto dividiam beijos no pau dele, o homem que havia “sobrado” veio na direção da Julia, engatinhando por dentro da água, pegou um dos pés dela, tirou da água e começou a chupá-lo, pegou o outro pé e colocou no ombro dele, enquanto isso, os casais já foram se animando, eu olhava hipnotizado a forma como o pé da Julia era beijado, chupado e lambido, e não percebi que os outros casais também estavam com duas mulheres e um homem, e haviam liberado o outro, que foi sorrateiramente, e pegou o outro pé da Julia, ela perdeu o equilíbrio quando ambos os pés foram retirados da água, sentou no colo do Garreth para facilitar seus pés serem chupados. Eu e minha putinha começamos a nos beijar enquanto tentávamos olhar os dois beijando os pés da Julia, o que estava mais perto da minha esposa, começou a passar a mão na perna dela, e logo estava na coxa, pegou um dos pés dela, e ficou beijando dois pés, um da Julia e o outro da minha esposa, não demorou e a Julia reclamou que estava sendo traída, ela colocou o pé no tárax do cara e o empurrou levemente, fazendo-o cair, o outro segurou o pé dela e chamou outro para ajudá-lo e foi atendido, enquanto isso o que havia sido rejeitado pela Julia, tornou a pegar o pé da minha esposa, e chamou o outro pra ser ajudado, minha linda não perdeu o equilíbrio, e ficou sendo chupada nos pés pelos dois. Dei uma olhada em volta em pude ver que estavam formados 4 grupos, dois deles com 2 mulheres e um homem e outros dois com uma mulher e 3 homens.

Enquanto eu olhava a cena, a Julia foi retirada do colo do Garreth e estava ajoelhada na Jacuzzi, sendo tocada nos seios pelos outros dois homens e pelo Garreth, os peitos dela estavam sendo chupados por dois ou por três, ela no meio, era girada lentamente enquanto era beijada e chupada, minha esposa foi puxada levemente pelos pés, eu segurei o corpo dela e a fiz boiar sobre a água, um dos caras que estava beijando um dos seus pés, ficou ao lado e passou a chupar um seio seu, o outro meio que me ajudou a manter minha esposa sobre a água, mas colocou cada coxa dela em um ombro e começou a chupar a buceta dela por cima do bikine, e logo foi colocado de lado, expondo aquela bucetinha linda e gostosa, eu comecei a beijar o outro seio e a tocar na bunda dela, ela boiava e estava de olhos fechados, curtindo os carinhos e os toques, passei a mão pela bunda dela, e pude sentir que haviam mais outra duas mãos, cada um dos homens que a estava beijando estava apertando a bundinha dela. Os dois trocaram de posição e quem estava na buceta, veio para o peito e o outro passou a chupar-lhe a bucetinha, aproveitei e olhei mais uma vez para o ambiente, não me importei muito com os outros, fiquei olhando mais pra Julia, que continuava ajoelhada e estava chupando 3 paus, o Garreth e os outros dois já haviam tirado os shorts e ofereciam os cacetes pra Julia, que punhetava dois e enfiava outro na boca, metia dois na boca e punhetava outro, enquanto minha esposa era chupada por outros 3, resolvi passar a mão na bunda dela novamente, as mãos continuavam a tocá-la, não somente na bunda, mas no corpo todo, seios, coxas, barriga, rosto, enfiávamos os dedos na buceta dela e oferecíamos para que ela os chupasse, enfiávamos no cuzinho e fazíamos o mesmo, ela chupava com gosto, até que o cara que estava chupando o outro peito dela, levantou, tirou o short e ofereceu o pau pra ela chupar, não havia posição boa, ela levantou, saiu da jacuzzi e foi pra uma das espreguiçadeiras, nos chamou com um aceno, deitou-se na espreguiçadeira com as pernas bem abertas e cada um tomou um lugar diferente, eu fiquei na buceta, o que estava sendo chupado, pegou um dos seios dela, enquanto o outro também tirou o short e ofereceu o pau pra ela chupar, ela pegou o pau dele com vontade, eu chupava a bucetinha dela e enfiava os dedos nela, ora na buceta, ora no cuzinho. Quanto mais eu acelerava os movimentos, com mais vontade ela chupava o pau do cara que estava em pé, troquei de posição com o cara que estava sendo chupado, ofereci meu pau pra minha puta safada, enquanto ela recebia dedadas e chupadas na buceta e no cuzinho.

Quando estava sendo chupado, olhei mais uma vez para a jacuzzi, a putaria era total, um homem estava deitado na borda, com a pernas pra dentro da jacuzzi, uma mulher estava sentada no pau dele enquanto chupava a buceta da outra e enfiava ao dedos. Outras duas estavam sentadas e se masturbavam, enquanto se beijavam com um cacete entre as bocas e a Julia estava de pé dentro da enorme banheira com água até os joelhos, apoiada com as mãos na borda da jacuzzi, com a pernas abertas a bunda pra cima, sendo chupada por um e chupando o cacete do Garreth e do outro ao mesmo tempo. O que estava chupando os peitos da minha putinha, levantou-se e ofereceu o pau para ser chupado junto com meu, minha putinha estava de olhos fechados e sá percebeu o outro pau quando ele foi esfregado no seu rosto, o cara que estava chupando ela, parou de uma hora pra outra, e se afastou, deixei o pau do outro sá pra ela e fui chupar sua buceta, o cara que a estava chupando fora pegar camisinhas, deixou o pacotinho na mesinha ao lado e ofereceu o pau para ser disputado pela boca da minha putinha, quando ela parava de chupar um e abocanhava o outro, recebia pancadinhas de leve do outro cacete no rosto e nos peitos, comecei a ouvir os miados da Julia, e o cara que havia ido pegar as camisinhas colocou uma, levantei e passei a bater de leve com o pau no rosto da minha putinha, enquanto o cara que havia colocado uma camisinha começou a enfiar o pau na buceta da minha esposa.

O Garreth estava deitado no chão com a Julia agachada sobre ele subindo e descendo no pau dele, enquanto chupava dois cacetes que eram oferecidos pra ela, um de cada lado, os dois que estavam ao lado dela, a ajudavam a subir e a descer no pau do Garreth, eles a puxavam pelos braços e a soltavam, o outro cara que dava o pau pra minha putinha chupar, parou e foi colocar a camisinha, e o que a estava comendo enfiava o pau na buceta, tirava, e enfiava no cu, hora na frente, hora na bundinha, ele então, tirou tudo, fez com ela levantasse e se deitou no lugar dela, ela passou as pernas sobre ele e sentou no pau, descendo e subindo, enquanto fechava os olhos e aproveitava o cacete, o outro ficou em pé, a segurou pelos cabelos, puxou a cabeça dela pra trás, deu um beijo, a empurrou pra frente, deixando a bundinha dela toda para cima, e começou a meter no cuzinho dela, ela fechou os olhos e pediu pra ser rasgada, os dois metiam com vontade e ela gritava pra ser rasgada com força ... mais ... força ... vai ... gritava ela, tomei o lugar do cara que metia no cuzinho dela, eu passei pra posição dele e enterrei com força naquela bundinha linda, ela gritou e pediu mais ... mais forte ... tirei meu pau e vi que o cuzinho ela estava todo arrombado, meti dois dedos, e depois o terceiro, com força e com violência, ela gritou que queria mais, tirei os dedos, vi que ela estava toda arreganhada com um pau dentro da buceta, abri bem o cuzinho dela com os dedos, coloquei meu pau no rabinho dela e fui metendo, ela tinha dois paus dentro, meti com força e ela gritou pedindo mais ... vai com força !!!! trocamos de posição mais uma vez e o que dava o pau pra ela chupar deitou-se na espreguiçadeira, ela sentou sobre o pau dele e ele metia de baixo pra cima, o que estava deitado, levantou e foi metendo com força no cuzinho dela, mexendo, tirando e botando dentro da bundinha dela, não demorou e ele tirou a camisinha e gozou nas costas dela, deixando um trilho de porra até o meio das costas, retornei e voltei a bombar na bundinha dela, o cara que já havia gozado nas costas dela, ficou ao lado, e deu o pau mole ainda pingando pra ela chupar, ela disse pra meter tudo e voltou a mexer como uma louca, chegando a fazer expressão de raiva, o outro pau que estava dentro dela começou a gozar, ela também começou a gozar, fiz força pra gozar logo e terminarmos juntos, ela gritava como uma louca e rebolava o máximo que conseguia, até que se jogou sobre o peito do cara que estava deitado na espreguiçadeira, enquanto tremia e levava choques pelo corpo. Tirei meu pau de dentro da bundinha dela, mas o outro cacete ainda continuava dentro e ela repousava sobre o corpo do cara na espreguiçadeira, ela estava toda arreganhada e arregaçada, a buceta era uma buraco enorme, e o cuzinho piscava feito louco querendo fechar novamente, nunca a tinha visto tão arrombada desse jeito.

Passei a observar o que estava acontecendo com a Julia e com o Garreth, um dos colchonetes que cobria as espreguiçadeiras havia sido colocado no chão e os homens revezavam-se deitando nele, e a Julia sempre agachada, subindo e descendo nos cacetes que se revezavam dentro dela, enquanto tinha sempre dois cacetes para chupar. Quando um estava deitado, sempre haviam outros dois a segurá-la pelo braço para ajudar no sobe e desce, camisinhas eram trocadas a todo tempo, o que deitava vestia e quando levantava tirava a camisinha e dava o pau pra ela chupar, foi então que aconteceu o inesperado, um dos homens que estava com duas mulheres dentro da Jacuzzi, havia sido deixado de lado, enquanto as duas se tocavam e se beijavam, chegou perto da Julia, por trás, o Garreth estava ao lado dela, sendo chupado e auxiliando o sobe e desce, ele puxou com força o cabelo dela, fazendo seu rosto ficar bem pra cima, o que estava ao lado do Garreth começou a gozar no rosto e nos cabelos dela, achei que ela fosse reclamar, mas ao invés de reclamar ela pediu pra que batessem nela. O que puxava seus cabelos deu um tapinha de leve no rosto, ela pediu mais, o Garreth deu um outro, um pouco mais forte, ela pediu mais, o cara que a segurava pelos cabelos, a soltou e a empurrou pra frente, ela perdeu o equilíbrio e ajoelhou-se no colchonete sem tirar o pau do outro de dentro da buceta, empinou o rabinho, o cara colocou uma camisinha e começou a forçar a entrada no cuzinho dela, ela reclamou e disse que ali não, ele atendeu aos pedidos dela, e fez o mais inusitado, pegou o pau que estava dentro dela, tirou e enfiou o seu no lugar, e meteu com força, ela deu um gritinho e pediu mais, o cara começou a meter com mais força, enquanto ela rebolava pedia mais e pra baterem nela, o homem começou a dar tapas na bunda, e ela pedia mais, o que teve o pau retirado dela levantou-se, tirou a camisinha e deu o pau pra ela chupar, enquanto dava-lhe tapas no rosto, o que estava metendo na buceta dela tirou o pau pra fora, tirou a camisinha, o Garreth já ia intervir, quando ele começou a gozar nas costas dela, o outro tirou o pau da boca e punhetava-se enquanto esporrava da cara e no cabelo, o Garreth correu e deu o pau pra ela chupar ela pegou e começou a mamar com vontade, não demorou muito e o Garreth começou a gozar também, mas dentro da boca da safadinha. Ela estava toda suja, duas gozadas na cara e nos cabelos, uma nas costas e a gozada do namorado na boca.

Entramos todos na jacuzzi, pra relaxar e pra nos lavar. Nossas mulheres estavam completamente arrombadas e cansadas, nás também estávamos imprestáveis, ficamos ali relaxando um pouco, mas realmente queríamos sair o quanto antes e buscar um lugar mais calmo. Depois de alguns minutos, resolvemos nos retirar, cumprimentamos a todos e retornamos para as piscinas.

No caminho entre as jacuzzis e as piscinas, deu pra perceber que as duas estavam totalmente arrombadas, e quando estávamos nos preparando para deitar nas espreguiçadeiras, fiquei impressionado pois deu pra ver nitidamente que o cuzinho da minha esposa ainda estava completamente aberto, um buraco sá, e a buceta das duas completamente inchadas e ainda abertas, pois o bikine estava totalmente enfiado e o cuzinho da minha esposa apresentava duas meias luas ao lado do fiozinho que tentava cobrir o buraco, a bunda da Julia ainda estava vermelha, apresentando as marcas dos tapas que ela havia recebido. Ficamos na sombra e o Garreth foi pegar cerveja pra todos, enquanto arrumávamos os apetrechos, toalhas, protetor solar, etc. Quando ele retornou, já estávamos deitados e o Garreth passou e olhou para o meio das pernas as duas, inchadas, as bucetas praticamente de fora, e comentou que nunca havia visto duas bucetas tão arrombadas e duas putas tão safadas, a Julia atirou uma toalha nele, e minha esposa jogou a sandália, ele quase deixou as cervejas caírem e a Julia emendou dizendo que nossa despedida tinha de ser em grande estilo, afinal de contas merecíamos, minha putinha emendou dizendo que quem merecia eram todos nás e que nossas vontades tinham de ser feitas, afinal aquele lugar era diferente e tínhamos de curtir e aproveitar pois não sabíamos quando voltaríamos e muito menos se voltaríamos à Jamaica ou se tornaríamos a nos encontrar novamente. Esse comentário, apesar de lacônico era verdadeiro, pois realmente nos fez aterrisar que nossas férias estavam acabando e que seria muito difícil nos encontrarmos novamente.

Continuamos sentados na sombra, bebendo e tentando acertar como e onde poderíamos nos encontrar novamente, muitas idéias surgiram e alguns planos foram traçados, mas nada de forma definitiva. O que ficou realmente acertado é que não perderíamos o contato, quando percebemos já era quase fim da tarde e resolvemos retornar aos quartos, tomarmos banho, descansar e nos prepararmos para nossa última noite no paraíso. Quando estávamos indo para os quartos, resolvemos, por sorte, ver qual seria o tema da festa, e qual não foi nossa alegria ao sabermos que seria festa a fantasia, e que o hotel estaria emprestando fantasias e que elas poderiam ser emprestadas ou compradas na lojinha, rapidamente nos dirigimos até a loja, e percebemos que ela já estava bem cheia. As fantasias colocadas à venda eram inúmeras e de muito bom gosto, mas as que estavam destinadas ao empréstimo já estavam praticamente esgotadas e não havia muita variedade, nos apressamos em escolher algo, eu e o Garreth logo escolhemos as nossas, na área dos empréstimos, eu iria de Fred Flintstone e ele de Soldado, mas as duas, somente pra variar, não conseguiam decidir com que roupa iriam, até que a Julia avisou que estava desistindo e que iria comprar uma, minha esposa olhou pra mim, como que falando que estava pensando em comprar uma também, acenei positivamente com a cabeça e ganhei um selinho de obrigado. Enquanto as duas escolhiam, e desistiam sucessivamente, nás dois ficávamos brincando com elas sobre a indecisão feminina. Não demorou muito e fomos expulsos da lojinha e mandados aos quartos, enquanto elas escolhiam as roupas. Subimos, cada um pro seu quarto, eu tomei um banho, deitei na cama e dormi e não vi quando ela entrou no quarto.

Por volta das oito da noite fui acordado por minha esposa, ela estava de camiseta, short jeans e muito maquiada, estava me chamando para jantar pois o Garreth e a Julia já deviam estar no restaurante. Perguntei o que ela havia comprado e recebi como resposta que seria uma surpresa, retruquei um pouco, mas foi em vão, vesti uma camiseta e uma bermuda, calcei os chinelos e fomos pro restaurante, ao entrarmos avistamos nossos amigos acenando em uma mesa e nos sentamos com eles. A Julia elogiou bastante a maquiagem da minha esposa e essa prontamente ofereceu-se para maquiar a amiga, e foi recebida com entusiasmo, perguntei mais uma vez qual havia sido a fantasia escolhida pelas duas, fui apoiado pelo Garreth e recebemos das duas respostas evasivas e indiretas. Durante o jantar, ficou acertado que eu pegaria minha fantasia e desceria pro apartamento dos nossos amigos, e que as duas iriam se arrumar no nosso apartamento, pois elas queriam ficar lindas e nos surpreender. Aceitamos sem maiores imposições, terminamos de jantar, subimos todos juntos, peguei minha fantasia e desci pela escada, toquei no apartamento dos nossos amigos e a Julia abriu a porta com uma sacola enorme na mão, que parecia ter umas dez fantasias e não apenas uma, me deu um selinho e despediu-se, entrei cumprimentei o Garreth e em menos de 19 minutos estávamos vestidos, eu de Fred e ele de Soldado do Exército, ficamos bebendo e vendo TV por mais de meia hora, até que resolvemos ligar para apartamento, pois elas já estavam demorando muito e a música vinda do salão de festas já podia ser ouvida, e além do mais que hoje seria uma festa aberta, o salão iria lotar. Elas ainda não estavam prontas, grande novidade, já esperávamos por isso, nos mandaram ir na frente pra pegar uma mesa pois elas ainda iriam demorar mais um pouco. Fechamos a porta e descemos.

Quando chegamos no salão, para nossa surpresa, a quantidade de pessoas já era grande e não havia mais nenhuma mesa disponível, fomos pro bar, pedimos dois jonnies e ficamos olhando o ambiente. As fantasias dos homens eram mais divertidas, engraçadas, algumas até ridículas, tinha um fantasiado de neném, com fralda e tudo, por outro lado, as fantasias das mulheres tinham um único tema, o sexo. Cada uma mais sexy e sensual do que a outra, e de todos os gostos e bolsos, desde uma simples camiseta rasgada, até vestidos longos com transparências e decotes, estavam realmente lindas e sensuais. Ficamos comentando e conversando sobre as fantasias que víamos enquanto e já estávamos na segunda dose. O tempo ia passando e nada das nossas mulheres aparecerem, e já estávamos ficando apreensivos. Resolvemos ir até o saguão e ligar pro apartamento, peguei o fone e o sinal do outro lado indicava que estava chamando, mas ninguém atendia. Foi quando o Garreth me tocou no ombro, e as vimos saindo do elevador, minha esposa estava vestindo uma roupa de dança do ventre, preta e dourada, sutien meia taça todo bordado com pedrinhas pretas e douradas, um cinto baixo com o mesmo trabalho e da mesma cor, do cinto pendiam inúmeros conjuntos de contas também pretas e douradas, em uma espécie de cortininha tão curta que as bochechas da bundinha ficavam pra fora. A Julia estava com um vestidinho branco, tipo melindrosa, com uma série de cortininhas ao longo do vestido, também muito curtinho. Elas passaram e não nos viram, eu já ia chamá-las, mas o Garreth me conteve e disse pra irmos atrás delas sem nos apresentarmos e brincar um pouco com elas.

Elas andavam a passos largos em direção ao salão, passaram pelos seguranças e entraram, entramos logo atrás. Elas pararam na entrada e começaram a nos procurar, sem sucesso, estávamos um pouco atrás e nos escondemos na multidão enquanto elas andavam pelo salão a nos procurar. Tinham quase conseguido chegar até o bar, quando o grupo de quatro casais, que estiveram conosco nas jacuzzis durante a tarde as interpelou. Conversaram um pouco, como que perguntando se haviam nos visto, tentaram continuar andando, mas foram convencidas amigavelmente a ficar por ali, pois certamente nos encontrariam cedo ou tarde e sentaram-se à mesa com eles. No novo arranjo das cadeiras, minha esposa sentou-se no meio de dois homens um deles a havia comido de tarde e o outro estivera com a Julia, a Julia por sua vez sentou-se entre um homem, que não havia ficado com nenhuma delas durante a tarde e uma mulher. Aparentemente falavam das fantasias, o assunto mais ábvio de todos. Uma das mulheres levantou e exibiu a sua fantasia, era uma roupinha de enfermeira com chapeuzinho e tudo, o símbolo da cruz vermelha, uma saia bem curtinha e meias 58, uma outra com roupa de sado masoquista foi a segunda, a terceira estava de empregadinha, a Julia foi a quarta, levantou-se e deu uma rodadinha, fazendo com que as cortininhas que compunham sua fantasia se mexessem pelo ar, mostrando que não estava com mais nada por baixo, minha putinha foi a quinta, levantou-se e ensaiou dois passinhos de dança do ventre, virou-se colocou as mão no encosto da cadeira e fez um movimento que jogou as continhas pra cima, deixando bem claro que não tinha mais nada por baixo, e a sexta levantou-se a seu tempo, estava com uma roupinha de criança, com pirulito e tudo, fez uma carinha de dengosa, segurou as pontas da saia com os dedos e fez um cumprimento, mostrando que também não tinha mais nada por baixo. Três deles foram até o bar, pegar bebidas para todos, enquanto isso as seis mulheres levantaram-se e começaram a dançar na frente das duas mesas, e o quarto homem ficou sentado. Nossas mulheres estavam esquadrinhando o salão a nossa procura, em vão, estávamos bem posicionados, e fora do campo de visão das duas, os que foram pegar as bebidas voltaram com duas enormes bandejas contendo bebidas e duas grandes porções de salgadinhos, colocaram tudo na mesa, um deles sentou e dois deles se juntaram às seis para dançar. Um deles passou o braço em torno de duas das mulheres que estavam com eles, o outro abraçou uma delas e passou o braço pela cintura da minha putinha, ambos foram bem recebidos, estavam em uma rodinha e elas começaram a se alternar no centro, dançando um pouco e dando a vez à outra. Primeiro foi a vestidinha de criança, com pirulitinho e tudo, entrou dançou, e saiu, depois foi a vez da Julia, foi pro meio da rodinha, dançou um pouco e foi abraçada por trás pela que estava vestida como sado ... as duas dançaram um pouco e a mulher fez questão de abrir a cortininha da Julia pra mostrar bem os peitos gostosos dela, a Julia voltou pro seu lugar e essa ficou, recebendo palmadas no bumbum dos outros, depois foi a vez da minha putinha, logo quando ela deu o primeiro passo o homem que estava ao seu lado entrou também, ele a rodeava com as pernas enquanto ela se esfregava nele cada vez que ela virava, a mão dele passeava por sua bunda, levantando as continhas. Cada uma foi uma vez, e voltaram pela segunda vez, a cada nova entrada o clima ia esquentando, até que começaram as brincadeiras, e a primeira foi a do trem etílico, e todos foram participar, resolvemos nos apresentar nesse momento, tomando o lugar dos dois que seguravam cada uma delas pela cintura, passeamos um pouco e retornamos para a perto da mesa, elas perguntaram onde estávamos e contamos tudo. As elogiamos bastante e fomos retribuídos com beijinhos e bebidinhas.

A medida que a noite ia avançando as pessoas iam se soltando e as brincadeiras iam se sucedendo, estávamos, os quatro somente, em pé entre a mesa e a parede, e os outros oito estavam na frente da mesa, voltados pro salão, fomos chamados a nos juntarmos ao grupo e assim fizemos, demos a volta na mesa, minha putinha foi caminhando com os braços levantados simulando passos de dança do ventre, quando chegamos um dos caras que a tinha fudido no cuzinho, a segurou pela cintura fazendo com que seu corpo ficasse bem colado no dela, deu um giro, a segurou pelo bumbum, uma mão em cada um e a colocou no meio da roda, ela passou a rebolar como uma dançarina de dança do ventre e era abraçada por todo mundo, chegou na frente do Garreth, passou a dançar como se somente os dois estivessem no salão, o abraçou e ele colocou as mãos na bunda dela, abriu ela todinha e a ficou tocando, na bunda e nas coxas, enquanto isso a Julia veio na minha direção e me fez abraçá-la por trás, a segurei pela cintura, ela pegou minhas mãos e colocou nos seios dela enquanto pressionava a bunda no meu pau, ficamos assim um tempo, ela pediu pra que apertasse os seios dela, atendi prontamente ela disse pra que segurasse sá os biquinhos e puxasse com força, atendi na hora. Quando olhei pra minha putinha, ela estava com os braços em volta do pescoço do Garreth, ele ainda estava com as mãos na bunda dela, e ela se esfregava nele então chegou um dos homens que havia ficado com a Julia de tarde e a abraçou por trás se esfregando nela, a bunda dela estava bem aberta pelas mãos do Garreth e o outro começou a passar as mãos nela, bunda, coxas, buceta, cintura, peitos, costas, enfim nela inteira, o que tinha enrabado minha putinha de tarde ficou na frente da Julia, a segurou pela cintura e começou a passar a mão pelo corpo dela, fazendo levantar as cortininhas e mostrando seu corpo. Enquanto isso as outras mulheres eram também tocadas e beijadas, eu estava com a Julia e com o que tinha arrombado o cu da minha putinha de tarde e o Garreth estava com a minha esposa e com o que tinha gozado nas costas da Julia na parte da tarde, fomos nos aproximando um do outro, a Julia virou-se de frente pra mim e pediu que chupasse seus peitos, quando comecei a atender o pedido, ela pegou minha mão e colocou na bucetinha dela, comecei a tocá-la e a enfiar meus dedos nela, ela pediu pra passar nos peitos dela e chupar sentindo seu gosto, atendi, e enquanto beijava os peitões com gosto de buceta, o cara que estava comigo, enfiou os dedos nela e passou nos lábios dela, e ela começou a chupar os dedos dele e os enfiava na boca, resolvi fazer o mesmo, enfiei um dedo na bucetinha depilada e ensopada dela, mexi um pouco, ela começou a me beijar na boca, senti a mão do outro sobre a minha e em seguida senti que havia outro dedo dentro dela, tirei o dedo e dei para que ela o chupasse, meu dedo foi chupado com gosto e com muita sensualidade enquanto ela pressionava o quadril no meu pau eu sentia a mão do outro a tocando. Olhei pra minha esposa no momento em que o cara que a segurava por trás abriu o zíper, tirou o pau pra fora e começou a esfregar nela, ela percebeu que estava pra ser comida ali mesmo, e com a mão impediu que fosse enrabada o cara entendeu o recado, guardou o cacete e passou a enfiar o dedo no cuzinho dela, enquanto o Garreth enfiava os dedos na buceta, então o que tinha ficado deitado na espreguiçadeira com ela de tarde se aproximou, afastando o outro, tomou seu lugar, ficou sá encoxando ela, e alisando suas pernas, ela começou a beijar o Garreth na boca, não se importando muito com o outro, ele passou a tocar nos peitos dela por cima do sutien, em seguida os puxou para o lado, soltando os peitinhos dela e os apertando, um peito em cada mão. O cara que foi afastado da minha esposa, veio para o meu lado e afastou o que estava dedando a Julia, tomou a posição dele, e continou a enfiar os dedos nela, abriu o zíper novamente e colocou o pau pra fora, e começou a esfregar na entrada na bucetinha e na entrada do cuzinho, ela também percebeu que estava prestes a ser comida ali mesmo, mas não fez nenhuma menção de impedir, pelo contrário, empinou a bunda pra facilitar a entrada do cacete na buceta dela, e o pau foi entrando e abrindo caminho, foi quando resolvi tocá-la e senti que ele não estava de camisinha, falei no ouvido dela o que estava acontecendo e ela em um movimento sá livrou-se do cacete, virou de costas pra mim, de frente pra ele e falou que sem proteção não podia, o cara entendeu o recado, colocou o pau de volta dentro da calça e foi até a mulher que estava vestida de enfermeira, ela estava sentada em uma cadeira, no colo de um outro cara, se mexendo de forma contida e ritmada, havia uma bolsinha presa do cinto dela, ele a abriu, tirou de dentro algumas camisinhas, fechou a bolsa novamente e retornou pra perto da gente, mostrou um envelopinho pra Julia, beijou o envelope e a fez virar-se pra mim, tirou o pau pra fora, colocou a camisinha, e voltou a procurar o buraquinho da bucetinha dela, ela empinou o rabinho e foi recebendo o pau dele dentro dela. No início ela estava na ponta dos pés, e foi descendo devagar sentindo bem o cacete entrando, um pouco depois ela se virou, tirou o pau de dentro dela, ficou de frente pro cara e de costas pra mim, levantou minha roupa e tentou tirar meu pau pra fora, mas não conseguiu, eu mesmo o fiz, e comecei a receber carinhos na cabeça do pau, ela direcionou meu pau pra entrada do cuzinho dela, e estava tentando enfiar de qualquer jeito, mas estava seca, e não ia entrar, enfiei na buceta dela, ela fez menção que ali não, fiquei sem entender se ela não queria ser comida ou se era sá pra meter no cuzinho ... ela virou a cabeça e falou que era pra meter no cu, avisei que não tinha camisinha e qual não foi a minha surpresa quando ela disse que não tinha problema. Não pensei duas vezes, passei o dedo indicador na boca e fui abrindo caminho naquele cuzinho apertadinho, mexi um pouco, tirei o dedo e coloquei meu pau na entradinha dele, fui forçando a entrada, percebi que ela não estava confortável e perguntei se queria que eu parasse, ela disse que queria ser arrombada, arregaçada, queria sentir tudo, parei um pouco e voltei a enfiar, e a tirar, meu pau entrava cada vez mais e ela mordia os lábios, segurava meu quadril, impedia que eu avançasse e novamente me puxava, estava sendo arregaçada mesmo, do jeito que ela queria, o cuzinho era muito apertadinho, e eu estava com muito tesão, falei no ouvido dela que estava prestes a gozar, ela respondeu pra encher o cuzinho dela com meu leitinho ... não precisou falar duas vezes ... gozei muito gostoso no cuzinho dela, e enquanto gozava ouvia ela falando pra meter gostoso, e comer o cuzinho dela que era meu. Parei de gozar, não queria tirar o pau daquele rabinho, mas não teve jeito, por mais que eu quisesse continuar, a ereção estava terminando, a soltei e me sentei na mesa pra tomar uma cerveja, e a Julia se sentou ao meu lado. Olhei em volta e achei minha putinha, ela estava em pé, ao lado da mesa, com os dois peitos pra fora, e um cara na frente dela, com um peito em cada mão, o Garreth estava de pé, atrás dela, metendo ... bombando com vontade, sá não dava pra saber se no cuzinho ou na bucetinha, ele estava encostado na parede, segurando ela pelo quadril e enterrando com força, pela frente dela o cara apertava os peitos dela com vontade, apertando os biquinhos puxando e apertando, enquanto era tocada, e o Garreth enfiando dentro dela, então a vi pedindo pra ele gozar dentro do cuzinho dela, e percebi que o outro estava com os dedos na buceta e o pau do Garreth estava era dentro do rabinho mesmo. Ele metia sem dá e ela fazia cara de quem estava adorando, até que pude perceber que ele gozou, ainda ficou mais um pouco, até que tirou o pau dela e avistou a mim e a Julia, colocou o pau pra dentro da calça e deixou minha putinha sozinha com o outro, ela deu um beijo nele, colocou os peitinhos pra dentro, sentou-se ao nosso lado, pediu uma cerveja e perguntou pra Julia como tinha sido, ela disse que foi átimo e fiquei sem entender muito bem o que havia acontecido, elas disseram que iriam ao banheiro se recompor, levantaram-se e saíram. Eu e o Garreth ficamos sentados bebendo sem comentar que havíamos comido o cuzinho da mulher do outro sem camisinha, sá soubemos que tinha sido uma combinação delas quando elas voltaram do banheiro e nos contaram que haviam acertado isso e perguntaram se havíamos gostado da surpresa, dissemos que sim, mas tanto eu quanto o Garreth ficamos meio cabreiros em saber que elas treparam com outro homem sem proteção nenhuma.

A noite foi avançando e perguntamos se elas haviam preparado mais alguma coisa, as duas se olharam e riram, certamente haviam preparado algo sim, insistimos, e as duas escaparam pela tangente. Não fizemos mais perguntas, e ficamos um tempo sentados e bebendo, até que minha putinha foi chamada pra dançar pela mulher vestida de enfermeira, e depois por um dos caras que a comeu de tarde, o assédio na Julia era também intenso e elas resolveram falar o que haviam “tramado”. Primeiro elas acertaram que iram fazer de tudo para nos agradar e que seriam nossas “escravas” e que sá iram fazer o que nás disséssemos para elas fazerem, e como primeira realização transaram com a gente sem camisinha, mas como o Garreth ainda podia ter filhos acertaram que seria por trás, e eu faria o mesmo para não ser diferente, por isso a Julia ficou comigo e minha esposa com o Garreth. E agora que vocês já sabem ... o que querem que nás duas façamos ???

Aquilo foi uma surpresa e tanto, tanto pra mim quanto pro Garreth, não estávamos esperando aquilo, então o Garreth perguntou, quem mandava em quem e quem obedecia, a Julia logo respondeu, que ela era minha e minha esposa era dele. UAU !!!! que responsabilidade !!!!

- Então meninos ... quais são os seus desejos ? – Perguntou minha putinha ansiosa por uma sacanagem.

Eu e o Garreth hesitamos por alguns momentos, pois não queríamos ultrapassar nenhum limite com a mulher do outro, embora já tivéssemos transado muito e quebrado qualquer tipo de barreira sexual. Ele tomou a iniciativa e disse pra minha esposa, quero que você vá pro meio daquela roda, comporte-se como uma puta vagabunda safada, mas não deixe ninguém meter o cacete em você. Minha esposa fez uma cara de feliz da vida e emendou um sim senhor, na sequência, mandei a Julia fazer o mesmo, mas antes ela deveria pegar mais dois jonnies, um pra mim e outro pro Garreth. Enquanto a Julia ia enfrentar o bar lotado, minha putinha entrava na roda, com os braços pra cima e executando passos da dança do ventre, foi recebida com alegria e logo um espaço foi aberto pra ela. Assim que vagou um lugar no meio, ela entrou, mas levou com ela o único homem que ainda não havia metido nem nela e nem na Julia. Ela colocou as mãos dele na sua cintura e o deixou por trás, rebolava e girava, a distancia entre os dois foi encurtando, até que ela passava a bunda de forma bem sensual no pau dele. Quando isso aconteceu, ela deslizou as mãos dele para a barriga dela, depois para as coxas e ai pra buceta, ele a abraçava por trás, enfiava as mãos por baixo das contas e tocava a buceta dela, ela olhou pro cara que havia arregaçado o cuzinho dela e o chamou com um dedinho, ouve um gritinho do pessoal que estava na roda, e o cara se aproximou, ela pegou as mãos dele as colocou na cintura dela, e em seguida as deslizou para a bunda. Ela estava no meio de dois sendo apalpada nas coxas e no bumbum .... nesse momento a Julia chegou com nossas bebidas, olhou para a amiga e perguntou pra mim se podia ir também, respondi que sim, e lá se foi ... poucos minutos depois estava dançando ao lado da minha putinha, ficou sozinha por pouco tempo, logo um dos caras que a comeu de tarde já a estava abraçando pela cintura, e não demorou muito já estava sendo tocada nos peitos. O cara passava os dedos para abrir a cortininha e exibir os peitos, ela os deixava ser agarrados, enquanto isso, a parte de cima da fantasia da minha esposa foi desabotoada, ela livrou-se do sutien e o jogou na direção do Garreth e logo foi cercada por um terceiro, um deles encostou-se nela por trás e ela encostou a bunda no pau dele, os outros dois chupavam seus peitos, os apertavam e a tocavam por baixo da fantasia, as mãos eram enfiadas com vontade na buceta e no cuzinho dela, ora um, ora dois, ora três dedos revezavam-se abrindo a buceta e o rabinho dela, o que a estava tocando por trás tirou o pau pra fora e começou a esfregar na bunda dela, pude ver que ele estava tentando enfiar nela, mas ela sempre escapava, enquanto isso, a Julia chegou puxando o cara que estava com ela pela mão, ficou ao lado da amiga e abraçou um dos caras que beijava os peitos da minha esposa, cada uma ficou com dois, e a sacanagem prosseguiu com as duas sendo estupradas por dedos e chupadas nos peitos. A cena era de puro tesão, minha putinha, somente com um cinto de dança do ventre e nua da cintura pra cima, e a Julia com um vestidinho de melindrosa, no meio da roda sendo tocada e chupada por todos, os homens revezavam-se sempre em duplas, um pela frente e outro por trás, exibindo os peitos das duas e metendo os dedos na buceta e no rabinho delas, não demorou muito e uma das mulheres tomou o lugar de um homem que chupava os peitos da Julia e passou a tocá-la da buceta, uma outra fez o mesmo com minha esposa, e logo em seguida outras duas tomaram os lugares dos outros e elas estavam sendo tocadas agora por quatro mulheres, enquanto os homens faziam a roda, nem a Julia nem minha putinha esperavam por isso e logo todas estavam se tocando mutuamente, não dava mais pra saber quem era a puta de quem, seis mulheres se agarrando na nossa frente, saias sendo levantadas, bucetas tendo dedos enfiados, peitos sendo chupados de todas elas e por todas elas, a putaria demorou um pouco e sá foi parar quando anunciaram que haveria um concurso de fantasias e todos se sentaram na mesa, minha esposa pegou o sutiem que estava com o Garreth e o colocou novamente.

O concurso começou, as fantasias estavam lindas, inesperadamente a Julia disse que não estava com vontade de assistir, minha esposa disse o mesmo e perguntaram se nás não queríamos subir pro quarto com elas, pois hoje elas iriam fazer tudo o que mandássemos. Aceitamos e saímos à francesa, no elevador apenas o botão do andar onde ficava meu quarto foi apertado, caminhamos abraçados pelo corredor e as duas disseram para que entrássemos primeiro. O quarto estava completamente arrumado, não havia nada fora do lugar, além disso havia velas espalhadas por todo lado e de diversas cores e formatos. O quarto estava lindo, elas tinham caprichado e pudemos entender o motivo pelo qual haviam demorado. Elogiamos o ambiente e o bom gosto, ouvimos que uma vez que elas seriam nossas escravas, que fosse em um ambiente apropriado. Como eu estaria indo embora, eu teria prioridade em fazer os pedidos, depois seria a vez do Garreth. Pensei em ser gentil e ofereci a minha vez ao Garreth, ele prontamente recusou, eu insisti, ele aceitou. As duas perguntaram qual seria o desejo dele ... ele hesitou um pouco mas vaticinou ... há dois dias atrás, vocês duas ficaram com ele na cama, e eu fiquei olhando .... queria a mesma coisa. As duas se entreolharam com um ar de AAAHHHH TADINHO por causa do pedido dele, a Julia estendeu a mão e o chamou com carinho pra perto dela, deu um abraço gostoso e um beijo demorado, enquanto o beijava, esticou a mão pra minha esposa, a segurou pelo pulso a puxou pra perto deles, minha putinha os abraçou e foi retribuída, ela começou a beijar o rosto do Garreth, e logo o estava beijando na boca, a Julia fez e mesmo e os três se beijaram ao mesmo tempo, o Garreth tinha uma mão na bunda da minha mulher e outra na bunda da Julia, a Julia também tinha uma mão na bunda da amiga e com a outra tocava o pau do namorado por cima da calça e minha safadinha tocava o bumbum da amiga e o bumbum dele. As duas começaram a tirar a roupa dele, camisa, sapatos meias, calça e cueca, em seguida foi a vez da Julia, que somente removeu o vestido por cima da cabeça e por fim desabotoaram o sutiem da minha esposa e puxaram o cinturão que prendia as cortininhas de contas pra baixo, os três ficaram completamente nus, elas começaram a beijar o Garreth, foram descendo ... se abaixaram ... e começaram a chupar o pau dele, primeiro se revezando, cada vez uma delas abocanhava o pau dele e depois as duas já disputavam com a língua qual delas abocanhava o pau dele ... as duas começaram a se beijar e a se tocar, enquanto chupavam o pau entre elas.

Eu estava no barzinho, atacando as bebidas e os três deitaram na cama, o Garreth de costas, as duas subiram na cama, ficando uma de cada lado, continuaram a chupar o pau dele e a se beijar, a Julia fez menção que ia cavalgar o namorado, pegou uma camisinha e colocou nele, minha putinha mandou ela sentar ao contrário, de costas pro Garreth e de frente pra mim, a loirinha obedeceu, segurou o pau dele e foi sentando .... bem devagarinho, quando o pau dele entrou todo na buceta dela, minha esposa se deitou parcialmente na cama, da cintura pra cima na cama e as pernas pro chão, posicionou-se entre as pernas do Garreth e começou a chupar o pau dele e a buceta da amiga. A Julia subia e descia e a língua da amiga alisava um cacete e uma buceta ao mesmo tempo, ficaram assim por alguns minutos a Julia levantou um pouco mais e o cacete dele escapou, foi abocanhado, ele retirou o cacete da boquinha dela, levantou-se, mandando que minha esposa não se mexesse e pra voltar a chupar a buceta da amiga, foi obedecido, ele deu a volta por trás, abriu bem a bucetinha dela e começou a meter. O Garreth estava de pé, ao lado da cama, minha esposa com metade do corpo na cama, sendo comida, e chupando a buceta da Julia que estava totalmente deitada, sendo chupada e tocando os práprios os seios ao mesmo tempo. A cena me deu um tesão muito grande, aumentou mais ainda quando o Garreth começou a comer o cuzinho da minha putinha, enquanto ele bombava, ela se tocava, sem parar de chupar a buceta da amiga. Ele tirava o pau do rabinho dela e metia na bucetinha, tirava da bucetinha e metia no rabinho. As duas começaram a gemer ... ele pediu que trocassem de lugar, foi obedecido, agora minha esposa estava sendo chupada pela amiga e ela estava sendo comida pelo namorado. O Garreth começou a colocar o dedo no cuzinho da Julia, ela colocou uma das pernas sobre a cama, ficando bem aberta, ele colocou o pau na entrada do cuzinho dela e foi entrando, ela pedindo mais, e sendo obedecida, ele começou a acelerar os movimentos, tirou o pau, tirou a camisinha, tornou a meter no cuzinho dela, voltou a acelerar os movimentos e gozou, enchendo o cuzinho da loirinha de porra e se jogando na poltrona. Nesse momento, eu achei que as duas fossem parar, mas não, minha esposa continuou sendo chupada e tendo dedos enfiados na buceta e no cuzinho por outra mulher, e estava gostando, miando e rebolando, a Julia fazia com gosto, o Garreth estava sentado na poltrona observando a cena, a loirinha toda arreganhada com um filetinho de porra a escorrer do cuzinho pela lateral da bucetinha.

Quando vi a cena, não resisti, já havia tirado a roupa e meu cacete estava latejando, tomei o lugar que era no Garreth, e fui enfiando no cuzinho da Julia. Nunca foi tão fácil enterrar meu cacete naquele rabinho, ele já estava abertinho e a porra que escorria de dentro dele lubrificou tudo. Meu pau deslizou pra dentro dele muito fácil, mas tão fácil que a Julia comentou que estava muito bom ... continuei bombando, tirando e enfiando novamente, não sabia se olhava pro rabinho dela ou se olhava pra buceta da minha putinha sendo tocada pela amiga. Pedi que as duas trocassem de posição, ajoelhei-me na cama, minha esposa ficou de quatro, e a Julia toda aberta na frente dela. Eu estava comendo a bucetinha da minha mulherzinha enquanto ela chupava a bucetinha e o cuzinho da amiga, e ainda lambia a porra do Garreth que continuava escorrendo, a Julia começou a se tocar também e começou a miar baixinho, fechou os olhos e iniciou a mexer o quadril, segurei os ombros da minha moreninha e passei a meter com força na bucetinha dela, pudemos ver que Julia estava gozando, e logo depois ela deixou o corpo cair pra trás, minha esposa puxava o lençol da cama e eu metia com vontade .... não demorou muito e ela começou a gozar, e na sequencia eu gozei também naquela bucetinha gostosa, nos deitamos na cama e ficamos assim por um tempo.

O Garreth serviu bebidas à todos, ligou a TV em um canal de filme pornô e deitou-se na cama juntando-se a nás. Todos se ajeitaram, eu e o Garreth na lateral da cama e as duas no meio. Não demorou muito e os comentários a respeito da cena que estávamos vendo começaram a surgir, era uma cena onde uma negra transava com dois brancos ao mesmo tempo e eles enfiavam dois cacetes na buceta dela ao mesmo tempo. Como eu ainda não havia realizado desejo nenhum .... desejei fazer o mesmo com as duas.

Minha putinha foi logo virando pra mim e me beijando enquanto me tocava e perguntou bem baixinho no meu ouvido quem seria a primeira, disse que seria ela, recebi um beijo muito gostoso enquanto ela se deitava sobre meu corpo e esfregava seu corpo no meu. Senti que meu pau já estava reagindo, olhei pro lado e os outros dois também se beijavam, a Julia de costas pra mim e de frente pro Garreth, comecei a passar a mão nas costas da loirinha, enquanto massageava a nuca da minha, os toques foram ficando mais pesados, até que a loirinha rolou na cama, puxando o namorado pra cima dela, e os beijos iam esquentando. Percebi que o Garreth estava com a mão na bunda da minha esposa alisando e apertando, ela se levantou, abriu bem as pernas, sentou sobre meu corpo e começou a esfregar a bucetinha no meu cacete, até que o segurou com a mão, colocou na entrada da bucetinha dela e foi descendo, e rebolando, senti meu pau repuxar a medida que ele deslizava com dificuldade pra dentro dela, ela também sentia, voltava e descia mais um pouco, até que tudo entrou, ela então dobrou os joelhos e ficou como um jáquei em um cavalo de corrida, mexendo devagar e sem parar. Senti a mão do Garrreth tocar no meu pau enquanto ele tateava a buceta dela, ele levantou-se, e se posicionou atrás dela, mas ao invés de meter na bucetinha ou no cuzinho, ele começou a lamber ... minha putinha quase foi a loucura, ela toda arreganhada um pau na buceta dela e uma língua entre a buceta e o cuzinho ... o Garrreth demorou-se nesse carinho, até que vestiu uma camisinha, e começou a forçar a entrada na bucetinha dela. Ela reclamou um pouco, e eu podia sentir o pau dele roçando no meu, enquanto enfiava cada vez mais dentro dela, era muito tesão ... tive de me segurar pra não gozar ... quando ele terminou de enfiar tudo, começou a bombar ... ela gritava de tesão, dentro do pouco espaço que tinha, se mexia pra cima e pra baixo e tremia a bundinha, eu também tinha pouco espaço pra mexer, mas mesmo assim metia com vontade. Percebi que ela agarrava o lençol da cama e o puxava com força, gritava pedindo pra ser rasgada, seus gritos foram aumentando de intensidade e o quadril mexia mais rápido, o Garreth a segurava com força pela cintura e metia com força, ela gozava como uma louca, gritava como uma cachorrinha ... até que ela pediu pra parar ... não foi atendida, metíamos com mais força ... segurei um dos peitos dela com a boca e o chupava com vontade, mordia o bico, soltava, ela gritava, gozava, pedia pra parar, não era atendida, tremia novamente, pedia pra ser rasgada, gritava, gozava, pedia pra parar, e dois cacetes enfiados dentro da buceta dela ao mesmo tempo, até que ela falou baixinho no meu ouvido “pare por favor eu não aguento mais”. Fiz um movimento rápido e meu cacete saiu da bucetinha dela, o pau do Garreth saiu juto com o meu, ele levantou-se e ela rolou para o lado da cama, fiquei abraçado com ela um pouco, enquanto ela descansava, levantei-me e fui pegar uma cerveja, olhei pra buceta dela e vi o tamanho do rombo que havíamos deixado. Ela estava toda aberta, o buraco da buceta completamente alargado, as laterais não tocavam uma na outra parecia um túnel.

A Julia estava sentada no sofá com o Garreth ao lado dela, ambos estavam dividindo a mesma cerveja, ela estava praticamente deitada, com as pernas sobre as dele, que mulher linda ela é ... e nua, do jeito que estava, os cabelos quase cobrindo os mamilos a bucetinha lisa, os pés perfeitos e bem cuidados, estava mais linda ainda. Eu a havia comido inúmeras vezes e essa provavelmente seria a última, peguei uma cerveja, fiquei em pé ao lado deles, tomei um gole e segurei a mão dela. Ela me fez um carinho na mão com o polegar olhou pra mim com aqueles olhos azuis claros, sorriu, jogou um beijinho, abaixei-me e dei um selinho nela. Fiquei de joelhos no chão e comecei a beijar-lhe os ombros, o colo, passei a beijar de leve os peitos grandes e firmes que ela tinha, ela olhava pro meu rosto enquanto era beijada, levantou uma das pernas, passou por sobre a cabeça do namorado e a colocou no encosto do sofá, o Garreth começou a tocar as coxas dela, e logo em seguida a tocava de leve na lateral da bucetinha, começamos a esquentar os beijos e os toques, enquanto ela deitava mais no sofá, se abria mais ainda, fechava os olhos e murmurava, a puxei pela mão e a coloquei sentada no colo do Garreth, de frente pra mim e de costas pra ele, ela segurou o pau dele, colocou na entrada da bucetinha dela e foi descendo, até que o cacete dele desaparecesse dentro dela, quando isso aconteceu ela recostou o corpo no corpo dele como que oferecendo a bucetinha pra receber o segundo homem dentro dela, coloquei uma camisinha e comecei a esfregar o clitáris dela com meu pau, ela passou a massagear os seios com a mãos, um em cada uma delas, comecei a tentar meter nela, mas a altura e a posição não ajudaram, a segurei pela mão e disse pra irmos pra cama. Minha esposinha arrombadinha ainda estava deitava, o Garreth deitou-se ao lado dela, a Julia sentou nele, e foi logo colocando o pau pra dentro dela, posicionei-me por trás dela, e fui forçando a entrada na bucetinha, apesar de ela parecer menor e mais apertadinha que minha putinha, foi mais fácil do que imaginei, a buceta dela alargou-se rapidamente, e meu cacete deslisou rápido pra dentro dela, agora era a loirinha que tinha dois caralhos enterrados na buceta ao mesmo tempo, não resisti em ver aquele cuzinho rosinha pra cima, enfiei o polegar na boca, o molhei e fui enfiando no cuzinho dela, o Garreth mexia pra baixo e pra cima, ao mesmo tempo que chupava os peitos gostosos, eu metia pra frente e pra trás, e girava o dedo no rabinho dela, não demorou muito e o Garreth deu um tapinha de leve na bundinha dela, ela pediu mais, ele deu, eu dei outro, ela pediu mais, ele bateu novamente, ela pediu mais, com a outra mão segurei o cabelo dela, na altura da nuca e puxei, a cabeça dela recuou até o limite, puxei com mais força e meti com vontade, ela começou a miar, e a apertar um dos mamilos com os dedos, o Garreth chupava o outro peito, eu puxava os cabelos, metia o polegar no rabinho dela, o Garreth dava tapas na bunda e os dois cacetes entravam e saiam daquela bucetinha arrombada com vontade e com uma certa violência. Minha esposa deu um gritinho como quem estava admirando a cena, o Garreth apoiou ambos os braços na cama pra mexer com mais vontade, e com mais força, acompanhei os movimentos dele e também passei a me mexer com mais vigor, enquanto ele entrava e saia rápido, eu praticamente tirava o pau inteiro da buceta dela bem devagar e metia com toda força, ao mesmo tempo a puxava pelo cabelo e enterrava o dedo no cuzinho dela, a cada bombada minha ela gritava, até que o Garreth gozou, ele ainda tentou ficar com o pau enfiado nela, mas escapou e ele não conseguiu enterrar novamente, ele levantou-se e foi pro banheiro tirar a camisinha, fiquei sozinho, tirei o dedo do cuzinho dela e enterrei meu pau com toda força, ela gritou mais uma vez, deitou-se na cama, deixando o quadril bem alto enquanto eu entrava e saia do cuzinho dela, até que eu gozei também, e me larguei na cama.

Estávamos acabados !!!! Cansados !!!! Ficamos deitados um pouco até que minha esposa vaticinou que deveríamos pelo menos dormir um pouco, pois em poucas horas deveríamos ir para o aeroporto. Nos despedimos carinhosamente, eles saíram do quarto, senti um certo vazio, e deitei pra dormir um pouco.

O despertador tocou, aparentemente não havia dormido nada, apesar de saber que tinha desmaiado por quase três horas. Levantamos, fechamos as malas de qualquer jeito, e fomos fazer o check-out. No saguão tinha diversos presentes, encomendamos uma cesta de chocolates e iguarias para nossos amigos, fechamos a conta e entramos na van rumo ao aeroporto em Montego Bay. Dormimos quase a viajem toda, e de madrugada estávamos novamente em Vitária, sabendo que tudo fora realidade, mas achando que havia sido um sonho.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto amiga cabacinho da minha irmaContos eroticos minhas irmas e minha mae fizeram um gang bang com muitos negoes no sitiocontos eroticos arrombando a gordaconto gosto de usar roupas femininasContos eroticos incesto meu maridocontos eróticos namorada de top lesscontos erotico d minha empregada e travesti negra linda virou minha putinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de lesbicas babasconro erotico gay meu tio alopradocontos d zoof minha sobrinha c um cachorrocontos eróticos meu sonho e da pro meu sobrinhocontos eroticos gays,tio jorge me feis mulhersinhaquadrinhos pornos de patrao dominadorcontos eróticos de casadas rabudas traindorasguei a calcinha da minha enteada e me masturbar pornô gostosoporno meu primo e um jegue minha mulher adoroucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteminha mulher enlouqueceu com a piroca enorme do negaoquerendo dar a bucetinha pro meu padrasto contosna casa da cunhada casada contosconto - bundinha durinha , cuzinhoapertadoxzoofilia animal casaro casadacontos eroticos espermacontos sexo minha sogra sua amigagozando vendo a tia lavando roupaconto eRotico os piralhoS m comeraome fez de puta e me estrupkcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos de virgemcontos eróticos convenci meu marido a comer sua filhaconto erotico surpresa na siricacontos o comedor falou o cu da sua mulher é muito gostoso.tava espiando minha tia e comi ela contoscontos comi a sobrinha novinha da minha mulhercontos o avô do meu marido me arromboupai da sonifero pra filha pra fazer sexo historia erotica"klaudia kolmogorov"gordo do apartamento conto eroticoconto ertico lambendo buceta ela gem mtoamor to sendo arrombada contocontos eroticos nudismo mae e filhocontos flagrando a mãe cavalona traindo o pai videos de porno sogro cardando a moracontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de coroa com novinhoempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetacontos eroticos ajudando a enteadinha a fazer tarefa de casadona Florinda abrindo pernas mostrando calcinha porncontos eroticos papai fudendo a filhinhaeu confesso sou puta desde novinhacontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos zoofilia gay usando calcinha e sainha da irma dando tinContos eroticos fraguei minha esposa e sua amigacontos eroticos faxineiracontos eróticos bumbum grande no ônibusComo fazer a mulher se apaixonar pegando a calcinha delacontos/eu e minha mulher fomos assaltados e enrabadosconto gay jornaleiro safadoconto erotico fui no pagode e comi um travestiTransei Com Minha Primacontos chupei um pintaocache:hNEcBAkab0YJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=127 contos eróticos com novinha casada com cara do pau gigantecontos eroticos estourando a bucetinha minusculaconto erótico de incesto de sobrinha e tio casa de conto meu tio morre de ciumes e amor por mimcontos eróticos​, praia de nudismogostosa se deliciando na cademis malhando de perna abertaconto ajudando meu filhotia tesuda contocontoerotico safadaconto erotico traveco e casalcontos eroticos treinamentorelatos eroticos esposas estupradasContos de travestis pauzudoscontos dormindo com a tiatirei a virgindade do meu sobrinho roludo e minha bunda grandecontos eroticos casadas traindo e tranzand cm 2homenscontos eroticos atrizes chupando pau receber