Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AMIGA GORDA

Era novembro. O ano letivo esta quase terminando e com ele ia-se o meu quarto ano de engenheira química. Foi um ano muito complicado, tive muitas dificuldades para conciliar o trabalho e a faculdade, mas no final estava dando tudo certo. Foi tão complicado que acabei perdendo minha namorada no ultimo mês sob a alegação de não lhe dar mais atenção e ainda não havia saído com nenhuma garota da minha sala, embora minha fama de garanhão me credenciasse com algumas belas meninas. Eu realmente não era de se jogar fora, bem pelo contrario: sou moreno, tenho 1.92 – 90 quilos, cabelos e olhos castanhos –

mas quando a maré não esta boa não adianta... E como não podia deixar de ser, foi minha amiga Ana, quem me alertou, em tom de zombaria, quanto a esse detalhe durante uma conversa aonde eu reclamava da falta de tempo para mim mesmo. “E o pior Fé, é que essa falta de tempo acabou fazendo com que esse ano você não comesse nenhuma das meninas da sala!” – disse ela gargalhando.

Ana era minha melhor amiga, nos conhecíamos desde os tempos de colégio, e por afinidade acabamos fazendo o vestibular na mesma faculdade. Ana é uma moça de 23 anos, tem um rosto muito lindo com uma pintinha preta do lado esquerdo do rosto – é loira, com cabelos lisos para baixo dos ombros - baixinha – tem por volta de 1.55m de altura, é bem gordinha – embora ela nunca revele o peso deve ter algo em torno de 70 quilos.

Era sempre Ana quem me ajudava com a mulherada, me dizendo quem estava afim de mim ou mesmo onde é que eu poderia investir e seguramente me dar bem. Ela chegou ao ponto de arrumar um esquema com uma professora e ainda ficar na porta de guardas enquanto a professora me fazia uma chupeta dentro da sala de aula vazia. Mas eu pelo contrario ao invés de ajuda-la com os caras, ficava morrendo de ciúmes quando ela aparecia com um namorado novo ( Ana apesar de não seguir um padrão de beleza convencional era muito assediada pelos rapazes das faculdade ), e mais mortificado de ciúmes eu ficava quando ela resolvia me contar sua aventuras sexuais. Mas era ciúmes de irmão, e nenhum irmão fica feliz de saber que um fulano qualquer estava comendo sua irmã dentro do carro. Ela achava graça dos meus ciúmes e dizia que ter um guarda-costas de1.92m de altura a fazia ficar bem mais tranquila.

No final da ultima semana Ana veio me dizer que a galera estava organizando um grande bota-fora de ano letivo, e que como ainda não tinham lugar ela estava pensando em ceder sua casa, já que os pais dela estavam viajando. Eu adorei a idéia, ainda mais por ser na casa dela que já conhecia tão bem. Com a minha aprovação Ana colocou a casa a disposição, e o bota-fora foi marcado para na noite da 6a-feira daquela semana.

Eu numa medida meio que desesperada fui conversar com Ana sobre as amigas dela, queria saber se ela não tinha ninguém para eu comer na casa dela como fazíamos quando adolescentes. Ela disse que tinha algumas que sempre pagavam um sapinho, mas que iria mexer os pauzinhos dela para ver se colocava alguem como comigo no quarto dela.

Chegou a 6a-feira. O bota-fora seria a partir das 22hs., mas pela manha tivemos aula normalmente, foi então que Ana me disse já tinha arrumado uma companhia para mim. Antes, claro, me deu um sermão dizendo que eu tinha que arrumar uma namorada e parar com aquela galinhagem toda, mas acabou cedendo dizendo que a garota não era muito difícil e se eu não tivesse perdido o jeito era sá levar ela para o quarto e comer na festa mesmo. Eu já conhecia a garota de vista, era de uma sala vizinha a nossa, não era bonita, mas era bem gostosa. Fiz alguns planos para a noite, a garota não escaparia!

Deixei para chegar no bota-fora um pouco mais tarde, por volta de meia noite, a maioria dos convidados já estavam la. Cumprimentei a maioria das pessoas, e pude notar que a festa era um sucesso, pois a casa estava cheia e a galera super animada. Quem não parecia nada animada era Ana, apesar de estar super produzida com um vestido decotado que sugeria a fartura dos seios, ela estava sentada num conto da sala com uma cara meio triste e uma garrafa de vinho na mão. Me aproximei e perguntei o que havia acontecido e ela me disse que tinha convidado um rapaz que ela estava afim para ir a festa e o cara tinha dado o bolo. Brinquei com ela dizendo que pelo menos assim eu não teria que bater em ninguém. Foi quando ela me disse que era para eu tirar meu cavalinho da chuva, porque ela não era a única na festa que tinha tomado um bolo – “ Pois é Romeu, roubaram o carro da sua Julieta na saída da faculdade e ela não quer saber de festa “. Quando ouvi aquilo não sabia o que pensar, bom, pensei no monte de camisinhas que eu tinha colocado na carteira e que eu poderia brincar de bexiga com elas.

“ Não se desespere. Abra a geladeira e procure uma garrafa de vinho italiano que eu escondi atrás das alfaces. Na verdade eram três garrafas, mas duas eu bebi assim que fiquei sabendo que tomei um bolo “ – Segui o conselho de Ana e fui direto ao vinho. Voltei o canto da sala aonde ela estava sentada e tomamos o vinho em alguns minutos. Ela disse que a festa estava muito boa, mas que ela queria mesmo era beber. Como eu disse que queria o mesmo, então pediu para que eu a esperasse no quarto dela, pois iria “assaltar” as bebidas particulares do pai dela e já me encontraria no quarto para enchermos a cara e ouvir um som qualquer que não fosse dançante. Nem esperei ela terminar de falar e segui direto para o quarto dela. Com a liberdade de quem entrava naquele quarto desde os 19 anos coloquei um cd com musicas bem lentas para tocar e fiquei deitado na cama dela. Uns 19 minutos depois ela entrou. Trazia uma sacola cheia de bebidas importadas – “ Ei, desse jeito a gente entra em coma alcoálico antes das 2hs. da manha”.- Ela rui e disse que era melhor sobrar que faltar. Abriu uma outra garrafa de vinha e veio se deitar comigo na cama. Conversamos um pouco e Ana pediu para que eu fizesse uma massagem nos pés dela. Eu concordei na hora, não seria a primeira massagem que eu fazia nos pés dela. Ela deitou-se em posição de 69 e eu comei a massagear os pezinhos pequenos dela, um a um, revezando entre eles. Ambos já estávamos meio bêbados, e Ana começou falar de sexo. Disse que não transava a 6 meses, e que estava muito carente. Eu também já sobre efeito do álcool disse que estava sem sexo há 1 mês, e já não estava mais me aguentando de tanto bater punheta – rimos muito. De repente Ana começou a passar o pé que não estava sendo massageado no meu peito – aquilo era muito gostoso. Eu retribui passando a massagem do pé para a perna toda. Começamos a nos acariciar naquela massagem mutua. Quando eu me dei por conta esta de pau duro e não tinha mais como disfarçar, então resolvi entrar no jogo e fazer como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo – e continuei a acariciar as coxas de Ana. Foi quando ela resolveu quebrar o silencio – “ Caralho, Fe, seu pau deve ser enorme! Por baixo da calca já parece enorme” – naquele momento me dei por conta que Ana nunca tinha me visto nu, e empurrado pelo álcool perguntei – “ Você quer ver?” – Ela balançou a cabecinha de forma positiva. Eu sem pensar no que estava fazendo acomodei as pernas dela na cama e abri as minhas calças, meu pau já estava duro feito ferro. Ana soltou um gritinho de exclamação – “Nossa!!! Nunca vi um desse tamanhão!” - é uma rola grande 22 cm de comprimento por 8 cm de largura. Eu continuei deitado enquanto Ana se sentou em minhas pernas para admirar meu pau. Ela perguntou se podia tocar, eu já quase sem controle disse que sim.

Ana começou tocando levemente, meio que com vergonha. Eu fechei os olhos e tentei relaxar. Ela continuou tocando, agora passava as palmas e as costas das mãos. Era muito gostoso. Ana tomada pelo tesão não se controlou e começou a me punhetar bem devargazinho, gradativamente aumentou a velocidade, ela massageava a cabeça do meu pau com maestria... eu soltei um gemidinho. Ela gostou da minha reação. Eu continuava de olhos fechados aproveitando aquela situação deliciosa quando fui surpreendido com a sensação da língua de Ana percorrendo meu pau. Abri os olhos e me deparei com uma cena linda. Aquele rostinho lindo com aquela pintinha charmosissima me fazia uma chupeta, segura meu pau com as duas mãos e chupava muito gostoso. Fechei os olhos novamente e acariciei os cabelos sedosos dela. Ela me chupou por uns 19 minutos seguidos eu já me segurava para não gozar, quando ela disse que era melhor parar, e me pediu desculpas. Eu segurei ela pela nuca e beijei-lhe a boca. Ela não conseguiu dizer nada. E lentamente comecei a despi-la, sem parar de beija-la por um momento sequer eu a despi por completo. Vislumbrei seus seios fartos e rijos e os chupei desesperadamente! Ela gemia feito louca enquanto eu mamava nos seus seios. Eu me esbaldava naquele mundo de carne macia, os bicos dos seios eram enormes e estavam muito duros. Continuei beijando o corpo dela todo, até chegar na bucetinha dela, era completamente depilada... Linda! E chupei como nunca havia chupado uma mulher antes! Lambei o grelinho dela ate a exaustão... Ela gemia alto!!!! Minha língua corria da entradinha da xaninha até o grelinho como se escorregasse numa superfície lisa como gelo, mas quente feito fogo. Durante alguns minutos fiquei chupando aquela bucetinha linda, mas Ana me fez para disse que não aguentava mais, que queria sentir o meu pauzao dentro dela. Eu me deitei na cama, Ana ficou de pé sobre mim e começou lentamente a descer... Quando encostou a bucetinha no meu pau ela tremeu todo o corpo. Eu acomodei a cabeça do meu pau na entrada da xaninha, e ela começou a descer lentamente... Gemendo... Para quem disse que nunca havia encarado um pau como o meu ate que Ana se saiu bem, sentou-se com coragem, apoiou as mãos no meu peito e começou a subir e descer. Conforme ela se movimentava meu pau latejava dentro dela... Em pouco tempo ela já esta cavalgando em cima de mim... Pulava... Gemia... Gritava de prazer com minha rola entupindo a bucetinha dela. Ela gozou duas vezes enquanto cavalgava no meu pau, eu já estava quase estourando em gozo quando ela pediu – “ Goza nos meus peitos, Fe ” – Ela deitou-se para trás lentamente fazendo com que meu pau saísse da sua bucetinha – Pude ver nesse momento que a xaninha dela ficou bem esfolada. Me ajoelhei de forma que ela ficasse no meio das minhas pernas e gozei.... Foram varias jatos de porra que se espalharam pela sua barriga, pelos peitões e chegou até no rosto. Ela ficou literalmente lavada de porra! Ficamos deitados lado a lado sem falar nada... Muitos minutos depois tomamos um banho bem gostoso juntos! Dormimos abraçadinhos e logo pela manhã tivemos uma nova seção de sexo. Mas essa é um historia que a gente deixa para outro dia.



Fernando Noratto

[email protected]



Ps. Estarei aguardando seu e-mail com comentários sobre o conto, certo? Um abraço! E leia tabem o conto "A chefe da minha mãe" tambem de minha autoria.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


quero tua jeba rasgando meu cucontos eroticos arrombando a gordaconto erótico fui forçada a fuderzoofiliacoroas boasempregadinha contopunheta com amigo infanciacontos eróticos minha nora cuidando de mimcontos eroticos arrombando a gordacontoas filha foi pescar com pai e ele atolou no cu dela a geba groossa sem docontos eróticos frio chuvaContos eroticos novinha estuprada pelo borracheirovidios pornu mulhe qUe gota de trasa vetida com fataziacontos eroticos sobre gay arrombado pelo bombeirofinalmente o telefone tocou conto erotico cornocontos de incestos mae puta e filho espertoContoseroticosdevirgemscontos er irmas vizinhacontos eroticos comendo traficanterelatos de ninfetas q foram arrombadas no carnavalincesto realidade fantasias contofoi buscar a cunhada para a festa e meteu gostoso nelacontos eróticos gays perdi minha virgindade com coroa pauzudocontos de mulheres ninfomaniaca por sexocontos ex namoradacontos eroticos arrombando a gordafodemos muito minha mae putacontosvidios de homem dando surra de cinto violenta em novinha dengosa pornôdeixei temperei site logo vou chegar no DPapostei com o cunhado e tive q dar contos eroticosconto erotico calcinha fio dentalcontos eroticos estourando a bucetinha minusculap****** do papai contos eróticoscontos porno rasguei o cu da mamae com ajuda do papaicontos comendo a tia de fio dentalContos eroticos comi um cuzinho no sequestrocontos nininha putaconto erotico namoradinhos de infanciaporno gay pai apostou cu para o vizinhomete mete mais gostoso. história realme larga lençou bom diaconto erotico muito sexo com agalera esposa puta com10 negros marido cornocache:JHUBKjzFag8J:okinawa-ufa.ru/conto-categoria_3_112_heterossexuais.html contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteLóira safada narra conto metendo na coberturacache:ghc1AhqYUekJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/conto_22490_parentes-sacudos-e-safados.html masturbando no banho ponhou nangueira de agua na bucetacontos eroticos estuprada pelo primo da minha amigacontos eróticos sogra vira p*** do genro picudoConto erotico seios doloridosconto erotico cunha gostosacontos eroticos nas prostitutas com mendigosmeu dog fudeu minha mulher e cunhada contoscontos no cu da vizinha marrentaporno filadaputa faz devagar o teu pau é muito grande contos eróticos abusadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos prazer extremoConto gay incesto rocapai quero atencao contos eroticoscontos eroticos sexo com minha empregada de vestido curtinhocontos gay menino hormonio virou mulherviado Aproveita enquanto o mecânico tá embaixo do carro e sinto no seu paucontos eroticos outro pou de presente para minha mulherContoseroticos minha mulher na passagem no anocontos esposa me amordaçou chaves comendo o rabo da chiquinha pornominha sogra e ninfomaniaca contoxvidio das paninhas novinhas na siriricacontos eroticos pivete semenconto herorico comendo enteada na força analconto erótico eu tentei resistircontos gravidavideos de molhe rosado a buseta na onttra e gozando