Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CUNHADA, CUNHADINHA - PARTE I - (COMO TUDO COMEÇOU)

Sou casado a 5 anos e nunca desejei ter com minha cunhada alguma coisa apesar de sempre enxerga a belíssima mulher que ela é, "Thatiana" é morena 1,68 de altura, olhos verdes, cabelos cacheadinhos, seios médios, cintura perfeita e cochas bem roliças forjadas com muita malhação, sempre mirei sua traseira fenomenal quando chegava da academia com aquela malha apertada moldando todo seu corpo escultural, alias qualquer homem no seu estado natural olharia aquele "vezinho" de sua raxinha, entalhado com perfeita simetria entre suas cochas, dando aquele toque de pecado quando passava pela sala da casa de minha sogra esbanjando simpatia com uma lindo sorriso no rosto, o que me deixava super contente sá de pensar em como sou privilegiado em ter perto de mim tão belas mulheres, já que minha esposa, dois anos mais velha do que ela, voltavam sempre juntas da academia e me lascava logo um beijo de boa noite, e saia para pegar suas coisas para irmos para nossa casa. Mas daí a ter alguma coisa com minha cunhadinha, nem em fantasia !. Tudo começou quando determinada manhã, recebo um telefonema de "thati"(minha cunhada) perguntando se eu poderia almoçar na casa de minha sogra, pois estava com algumas duvidas em digitar um trabalho para faculdade e queria uma ajudinha minha, como não havia marcado nada para o almoço, disse que sempre era bom filar um rango, e que chegaria por volta do meio dia, cheguei, cumprimentei minha sogra e perguntei pela "thati", me disse que estava me esperando em seu quarto. Chegando lá tive a primeira surpresa ela não estava sá, uma amiga que vazia parte de seu grupo no trabalho estava ditando um texto enquanto ela digitava, quando me viu disse que estava aliviada em me ver, e queria que eu explicasse ou fizesse umas tabelas no texto e uma planilha com uns cálculos de peso e massa corporal para uma matéria da faculdade, disse alô para sua amiguinha e vi que não era nada de complicado e fui explicando com fazer, enquanto isso não pude deixar de perceber as lindas cochas de sua amiga morena de tanta praia, cabelos longos e negros e uma micro-saia e um top de malha desenhando seus pequenos e pontiagudos seios ... lindíssima com seus olhos castanhos e uma boquinha de tirar o fôlego de qualquer um. De vez em quando eu me perdia nas explicações mas fingia esta pensando, sá para apreciar aquele monumento ao meu lado. Quando acabamos, sentei-me na cama por traz das duas e peguei uma revista para fingir que estava folheando enquanto deslumbrava aquela morena colossal, logo em seguida ela se levantou do banquinho onde estava sentada me deixando desta vez quase hipnotizado com seus pelinhos dourados e com sua deliciosa marca de biquíni que aparecia acima da mini-saia, logo minha cunhadinha se levantou também e deu lugar a coleguinha tesuda, ai em um relance de maldade de pensamento passei a observar as tão belas cochas de thatiana, que se agachou ate o micro para pegar um disquete que havia gravado, sua sainha de um tecido molinho subiu tanto que a coitada tentou segura-lo sem sucesso e quase perdeu o equilíbrio quando percebeu que eu poderia esta olhando para ela, desviei o olhar para revista, mas, pude ver antes dela se recompor sua deliciosa bundinha durinha, que me deixou muito excitado sá de imaginar o resto daquela escultura, ela se levantou olhando para mim sá então olhei para ela e perguntei se já havia terminado, ela disse que sim dizendo que a amiga iria gravar outros arquivos e já íamos almoçar, esperamos mais um pouco e saímos os três para a cozinha, naquele momento senti que talvez ela teria percebido que eu estava comendo ela com os olhos, brinquei com ela com sempre faço e no final do almoço, fique sabendo que a amiga já estava de saída pois queria encadernar todo o trabalho hoje ainda e estudar um pouco para a apresentação, ela sorriu para mim e nos despedimos, minha cunhada subiu para seu quarto e fiquei com minha sogra conversado um pouco, ela perguntou se estava de saída e disse que ainda teria algum tempo e talvez fosse ver um noticiário na tv antes de voltar ao trabalho.Enquanto minha sogra recolhia os pratos me pediu para avisar a sua filha que iria dar uma saidinha ate ao banco e com sorte voltava logo, subi pelas escadas passei pelo quarto de minha cunhada, não há vi, e fui direto para o quarto da tv, sentei-me e logo ela chegou com cheiro de pasta de dente e perguntando o que estava vendo, sentou-se em uma poltrona quase em frente a minha e cruzou suas lindas perninhas bem acanhadamente, com estivesse querendo esconder um tesouro sagrado dos meus olhos, mas suas cochas apareceram mais ainda, e um tesão me tomou em ver que coisa gostosa é minha cunhada, me lembrei o recado da sua mãe, e depois ela me pareceu relaxar mais com a minha presença, poderia ser apenas minha imaginação, mas suas coxas ficaram mais a amostra e ela quase se deitou no sofá, eu já não estava nem ai para a tv mas sempre com muito cuidado, parecia que ela percebia para onde eu olhava. De repente ela levantou-se e disse que ia deitar-se um pouquinho e saiu da sala com aquela bunda rebolante e provocadora. Verifiquei se ela já estava em seu quarto e afrouxei o cinto e ajeito meu mastro que pedia socorro de tão apertado que estava, quase bati um punhetão para ela ali mesmo na sala de tv. Demorei mais um pouco vendo tv mas nada me fazia prestar atenção no noticiário, e por um momento tive a idéia de bisbilhotar minha cunhadinha dormindo, será se estava deitada com aquela sainha?, fui bem devagar pelo corredor, sá se ouvia o som da tv, até que cheguei ao meu desejado destino, espiei em direção da sua cama e lá estava ela deitada de bumbum para cima, agarrada em uma almofada e suas lindas pernas semi abertas deichando eu sá imaginar a cor de sua calcinha, meu pau endureceu mais ainda e enfiei a mão até ele para conforta-lo e pedir calma, a menina se mexeu, e ai então pude ver seus fundinhos protegidos por uma deliciosa calcinha branca, que ia enfiando em sua bundinha. Para meu desespero, ela que pelo jeito ainda estava acordada enfiou a mão por debaixo da calcinha retirando ela do rego, me presenteando com toda a beleza da visão de sua bunda redondinha e com as duas mãos, ajeitou os dois lados da calcinha de uma sá vez... e logo em seguida puxando a saia até o final, como soubesse que estava sendo observada, sai meio sem jeito e fui direto ao banheiro onde bati uma bronha maravilhosa para aquela bunda fenomenal, sai e fiquei meio desconfiado pois a porta do quarto dela estava fechada, fiquei com medo de dar algum problema aquele dia com minha esposa, mas foi tudo normal, a noite quando cheguei para esperar as duas da academia, encontrei com ela dizendo que não havia ido malhar hoje para estudar mais o trabalho, e me agraceu mais uma vez e saiu toda cheirosinha com cabelo molhado para a faculdade. Logo minha esposa chegou e fui logo dizendo a ela que queria ela do jeito que estava toda suadinha, chegamos em casa e fui logo arrancando sua malha e notei que ela também estava num tesão sá, trepamos como doidos tomamos uma banhos e caímos no sono.

No meio da noite acordei lembrando da bundinha maravilhosa da thati, e olhando minha linda esposa que dormia inocente com uma linda camisola rosa transparente, de costas para mim, olhei para sua bundinha e vi quanto elas eram parecidas, minha esposa tinha cabelos lisos e um pouco mais clara que minha cunhada, mas o corpo eram bem parecidos, ela era pouca mais baixinha que a thati e talvez por minha cunhada ser mas nova seu corpinho parecia ter um não sei o que a mais, mas o fato que passei a mão naquela bundinha e comecei a ficar tesudo, minha esposa não acordava, então mesmo com ela dormindo sentei-me na cama e comecei a puxar bem devagar sua calcinha por debaixo da camisola e ela nada de acordar, comecei a beijar as costas de suas coxas e fui subindo até aquela maravilhosa bundinha com uma marquinha de seu biquíni, ela se mexeu e se esparramou-se todinha na cama, ainda dormindo e gostando do que estava fazendo, cheguei ate seu lindo reginho traseiro e passei a enfiar a língua, e com uma das mãos, procurei entre suas pernas sua xotinha, que quando toquei simplesmente mergulhei o dedo de tão alagada ela já estava, ela gemeu e empinou sua bundinha para cima, me deixando seu rabinho bem a mostra, não pensei duas vezes, e tasquei a língua naquela rodinha maravilhosa enquanto massageava sua vulva com o dedão, ela já não sabia o que fazer com as mãos me procurando e abrindo suas nádegas, pedindo sem palavras para eu não parar, comecei a massagear aquele rabinho, que já havia comido, mas, poucas veses porque apesar d´ela gostar, não era sua preferência, quando ela conseguiu achar meu pau duro feito pedra, sussurrou com uma voz rouca de quem acaba de acordar, "enfia logo esse pau ai dentro", e se ajoelhou... e eu sem deichar de passar a língua naquele cuzão maravilhoso, ajeitei meu pau na portinha, e lebrei logo da thati deitadinha com aquele rabão para cima, fui enfiando devagar... e com uma das mãos fui batendo uma siririca bem devagarsinho enquanto meu pau entrava. Na primeira bonbada minha esposa deu um gemido alto e pediu mais. Ai pareceu que ela ligou uma motor movido a tezão e comecei a bombar elouquecidamente, as vezes retirava tudo e colocava de vez, ela gemia e estica os braços como estivesse querendo agarrar algo no ar ficamos mais um pouco daquele jeito, ate que Lea me pediu para se virar de frente e abriu as pernas dizendo que queria minha língua em sua xota, passei a chupa-la fazendo ela gozar varias vezes com dois dedos bombando seu cu, quando senti que ela estava molinha de tanto gozar, tirei minha cara de sua xota, e enfiei de uma vez sá no fundo de sua rachinha... bombei com meu pau ate deixa-lo bem lubrificado, e preparando novamente seu cuzinho, com dois dedos que entraram e saíram antes de meu mastro, enterrei mastro e fui bombando e ela pedindo para ir mais forte e que queria sentir minha porra escorreu pelo seu rabo, bombei ate que senti que ela também ia gozar, por que estava quase perdedo o ar, e quando ela gozou e amoleceu as perninhas, arreganhei mais ainda aquelas coxinhas e despejei toda minha porra dentro de seu cuzinho, beijei sua boca e imaginei como seria com minha cunhada, uma loucura.

Nos dias que se passaram, passei a frequentar mais vezes o almoço na casa de minha sogra... coisa muito normal, via o noticiário da tv e ia trabalhar. Mas sempre dava um jeito de dar uma espiadinha na minha cunhada, deitadinha na cama ou se amostrando no sofá da sala. Parecia que as vezes me esperava, e quando não ia, me perguntava porque não havia aparecido. Nos fins de semana a coisa se repetia e quando estávamos a sás, ela me parecia bem mais descontraída, e alguns lances, desses que agente fraga sem querem começaram a ocorrer com mais frequência do que o habitual. Certa manhã de sábado havíamos chegado cedo para irmos a feira que é perto da casa de minha sogra, tomamos café todos juntos e logo depois subi até o quarto de solteira de minha esposa para deixar umas balsas, antes de sairmos; quando saia do quarto, notei movimento no banheiro e ao chegar mais perto peguei minha cunhadinha retirando sua linda blusinha, e me dando o prazer de apreciar seus lindos seios, com biquinhos rosa chá tão durinhos que realmente seria um pecado usar sutiã, fiquei imável para que não me visse, ela acariciou levemente as duas perinhas e pegou outra blusa em seguida vestiu. Aproveitei e sai de fininho. Outra vez, quando cheguei ela estava fazendo suas unhas com esmalte, algodão e todas aquelas coisas que mulher usa para isso, foi sá minha esposa sai da sala ela imediatamente como se fosse a coisa mais normal do mundo, encolheu uma da pernas para limpar as unhas dos pés com algodão e acetona, e talvez sem querer me mostrou sua rachinha encoberta por uma deliciosa calcinha de renda vermelha, me ajeitei para mirar melhor aquilo tudo, e com certeza ela também notou, mas deu a entender que não havia percebido, enquanto ela limpava o esmalte da unhas as vazes abria mais ainda suas perninhas, e sua calcinha foi enterrando em sua grutinha inchada, meu pau quase saiu da bermuda naquela hora, ele terminou e começou a pintar novamente e tirar o excesso com um palito, a mente da gente pode até pregar peças no nosso dia a dia, mais tinha certeza que ela estava me provocando, e dava para ver uma manchinha molhada no fundo de sua calcinha revelando seu tesão naquele momento, eu já nem tirava o olho de sua raxa, e ela se deliciava pintando as unhas. O melhor de tudo foi quando minha esposa chegou de volta na sala, ela imediatamente achou outra posição para pintar as unhas, se traindo para mim e me olhando sá para confirmar, esticou as pés para mim e minha esposa e perguntou se estava ficando bom seu trabalho, na mesma hora disse que bom estava, mas eu ficaria melhor se fosse vermelho, senti seu rosto avermelhar bem levemente, e minha esposa disse que o rosa estava átimo e que eu não entendia nada de unhas. Ela sorriu para mim e tudo ficou assim. Mas a confirmação definitiva veio numa tarde em que fui visitar um cliente e levei maior cano do mesmo, sem ter nada o que fazer, resolvi ir embora mais cedo fui até a casa de minha sogra e a encontrei na cozinha fazendo macarrão caseiro, toda cheia de farinha. Falei com ela e reclamei de uma pequena dor de cabeça, (doido para subir e ver a thati), que iria deitar um pouco lá encima, ela me disse que estava sozinha e que ainda iria aproveitar e fazer um pão também, subi e realmente a thati não estava não havia nada para fazer então realmente deitei no quarto que era da minha esposa quando solteira que fica de frente para o quarto da irmã. Já estava quase adormecendo quando ela chegou meio apressada arrancando os tenis, eu deitado na cama continuei, ela largou algumas coisas na cama sumindo por alguns instantes do meu campo de visão e retornou abrindo as portas do seu guarda roupas, fiquei estático quando começou a puxar sua camiseta me deixando amostra suas lindas costas nuas e largou no chão, mexeu na roupas penduradas e de um movimento desceu seu lido shortinho me revelando sua lida bundinha cravada com uma tamguinha escura quase preta, ficou imoveu por um tempo e ainda de costas alisou com as duas mãos seus seios, em seguida abaixou a mão direita e passou pela sua xana, meu pau latejava vendo aquela bunda e toda aquela movimentação com as mãos, derrepente ela arranca toda sua calcinha até o chão enfia a mão por trás de sua bundinha arrebitada procurando seu clitáris, e da um pequeno urro de prazer, não aguentando mais se vira para porta empurra ela como pode e se joga na cama. E eu não poderia perder esse show, imediatamente cheguei perto da porta e vi thatiana, deitada com as pernas arreganhadas, e dois dedos esfregando com vontade aquela gruta peludinha, soltando pequenos grunhidos e sons sem nexo, na tive duvida saquei meu pau, que latejava dentro da calça, e acariciei-o com muito gosto vendo aquela maravilhosa cena, ela derrepente se virou me mostrando seu lindo buraquinho e os dois dedos agora mais sedentos alcançavam seu cuzinho e retornavam as veses penetrando em sua vagina, eu já não aguentava mais quando no meio de todo aqueles gemidos ela disse bem claramente, ai cunhadinho porque você não esta aqui agora?, eu de sopetão engasguei batia cabeça na porta, ai não teve jeito tossindo muito entrei no quarto, com ela de rabo para cima perguntando... "-- Alguém ai me chamou?", Ela na hora se assustou, sentando e cobrindo seus seios com um dos braços e a outra mão tapando seu sexo, e arregalou os olhos quando viu o tamanho de minha jeba para fora da calça, e entendeu na hora o que estava acontecendo, ... "-- me espionando outra vez né... seu safadinho", ela nua na minha frente eu com o pau totalmente duro em sua frente, respondi ... "-Então você já me viu te olhando, quando vc me chamou não teve jeito.", - dizendo isso me aproximei da menina que não tirava os olhos de meu mastro e encostei-o em seu rostinho quente, ela sorriu para mim e disse..."termina logo o que eu comecei, chupa aki e me faz gozar", e foi logo abrindo as perninhas me deixando de cara com aquela grutinha molhada e peluda, abaixei e comecei beijando suas coxas e descendo bem lentamente para aquele poço dos desejos profundos, quando toquei com a língua e senti a quentura de sua vulva, interrei minha língua,e com o dedão massageando seu cuzinho a menina chega a levantar suas ancas e sufocou um grito de prazer, fiquei lambendo cada centímetro daquela bucetinha, enquanto ela assanhava meus cabelos e pedia para não parar que ela queria gozar do jeito que sempre sonhava comigo, mas alguns minutos subindo e descendo ate o seu cusinho com a língua e ela simplesmente, se esticou toda na cama e arreganhou as pernas dando um tremos nas pernas e cintura gozando em minha boca que não para nada, quando notei que ela havia relaxado olhei para ela, e disse "vamos logo já esta quase na hora de sua irmã chegar, agente continua em uma outra hora", ela sentou agarrando meu pau e batendo uma pequena punhetinha disse "eu não vejo a hora", e enfiou toda a glande na boca dando uma mamadinha sá para me deixar mais tesudo ainda, depois tirou de sua boquinha olhou para mim e disse "vai logo lá pra baixo, amanhã cedo a mamãe vai sair e sá volta depois do meio dia, já disse para ela que era para não se preocupar com o almoço que eu me virava sozinha, mas pelo jeito vou ter companhia, então te veja as nove, vê se não demora ta!", ouvindo aquilo tudo me arrumei e sai pisando em nuvens e fui al banheiro lavar meu rosto que estava com aquele maravilhoso cheiro da buceta de minha cunhada, porque no outro dia bem cedo.. O RESTO EU CONTO NA CONTINUAÇÃO...



Se vc gostou do conto vote nele que segunda parte já esta pronta.



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto - so cabia um dedinho na bucetinha delaachou gorda no mato e rasgou cu delacontos bebendo porrscontos de incesto minha filha sendo comidaContos eroticos forcadocomenho a vinsinhA e gozando drntro de lacomo deixar namorado e amigos deles loucos para me fuder contodei pro cara da vendinha contos eróticosconto seduziu heterocontos eroticos enrabada pelo professor de academiaconto menage masculinoContos pornos-estuprei minha avóConto erotico vizinha bobinhacontos eróticos coroas lindascontos com teens sentando na ro do pri com doze anoscontos erotocos meu pai me pegou metendo na minha maecontoso tecnico em informatica me comeucasa do conto sendo chantageado por 2contos eróticos convenci meu marido a comer sua filhacontos de rabudasconto eróticos comi minha prima mae solteira carenteconto uma viagem muito gostosacontos de travestis comendo os patroescontos estorei o cu da minha empregada com pau exagerado de grossoÇonto eroticos seduzindo e comendo a cunhadaLóira safada narra conto metendo na coberturacontos eroticos pintinhocontos ninfeta lesbica fodde casada hererocontos eroticos arrombando a gordafilhinha do amigo meu de treze aninhos louca pra ve a picacontoseroticospossuidacontos eroticos dando pra o jumentoOfereci meu cupassagem erótica eu vou a loira gostosona na f*** boacontos eroticos comendo o preciosoFazendo uma suruba coma sogra e o sogro contoscontos eroticos para sua rola ta arrebentando meu cucontoseroticosdeflorandocontos mulher infiel marido atento incestodando o cu no cine aroucheConto minha mae deu o cu na frente do meu paifofinha putaria goiania contostesudas contosou casada madura mas na chacara bati uma punheta pro visinhoTenho uma tara incrível em ver mulheres lutando e foi com muito custo que consegui convencer minha então noiva a se atracar com mulheres semi nua, e em algumas lutas completamente nua, para o meu prazer. às vezes fico com peso na consciência pois ofudendo a filha da empregada contos eróticoscontos eróticos irmãos paiminha iniciação gay contoscontos eroticos dei pra variosmulher escanxa no cachorro e goza gostosocontos erotico gay quando mim focarao a bebe leite de varioshistoria e contos lesbica primeira vez com minha babacontos eroticos forçacontos veridicos de japa com dotados de pau gigantesconto erotico dando minha bucetinha pro enfeemeiro da minha amigacontos de coroas casadas comendo as e amigas com pinto de borrchas cinta lesbicascontos durante a balada com meu irmaocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos cunhado retardadosaliva contos eroticoscomedo tudo que e tipo de putinhas e putinhosadoro sentar no colo do meu padrastocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eroticos cumi mi.ha cunhada carlaver dvd porno homems chupa bucetas de baicho da mesa tira calcinha do ladoMamadas no pau do papai contoseroticosme comeram contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentesogra chortinho provocando genro cozinha lavandocontos eroticos gay aposta de video game na infanciacontos duas gostosas dando o cu para um cara pausudoenfiei tudo naquele cucontos eroticos arrombando a gorda