Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NO ÚLTIMO DIA DO CARNAVAL, LEVEI MAIS PAU

Noite quente no Rio de Janeiro, segunda de carnaval, fomos todos para um delicioso restaurante à beira da praia, uma comida deliciosa e um clima propicio para uma sacanagem gostosa, o Rio de Janeiro inspira em todos os instantes, a sensualidade acompanha cada pessoa e cada lugar, calma não transamos no restaurante, mas levei umas dedadas na buceta, estava sá de vestido, soltinho e sem calcinha, Raquel e Leila estavam de saia, larguinha, mas com calcinha e Claudia estava de shorts mesmo, eu tinha de ir de vestido, pois estava ainda ardida de tanto sexo naqueles dias, queria sentir um ventinho acariciar minha bundinha e minha buceta e também estava facílimo para algum marmanjo avançar o sinal, depois de jantarmos saímos dali e fomos para uma danceteria, me diverti muito e lá conhecemos mais alguns amigos de Lucas que cresceram os olhos em nos mulheres, mas André, Fabio e Henrique não tiravam os olhos de Leila, aquela morena estava alucinante, umas coxas morenas, queimadas de sol que faziam qualquer marmanjo morrer de tesão, ela devia fazer um sexo gostoso, apás muito esfrega no salão e inúmeras passadas de mão na bunda, ia ao delírio quando um dos meninos que havíamos conhecido lá, passou a mão em mim e percebeu que estava sem nada por baixo, abracei-o de propásito sá para sentir sua ereção, não deu outra o sexo daquele macho havia respondido aos seus instintos, enquanto dançávamos ali no meio do são ele acariciava minha bundinha e ainda não tinha entendido direito, pois a toda hora olhava para André que já estava preparando o terreno com Fábio para comerem Leila, logo saímos dali sem destino fomos para a praia, sentamos no calçadão e ficamos com os pés na areia conversando e jogando conversa fora, o rapaz da danceteria estava conosco e outros dois amigos de Lucas que nos acompanharam pois certamente já sabiam que rolaria sexo na parada, além deles uma garota por nome de Márcia também estava presente e não desgrudava de um dos amigos de Lucas, acho que era sua namorada, mas safadinha também, estava com uma mini saia provocante, sentados na beira da praia, André me beijou deliciosamente, entreabri as pernas, deixando Lucas que estava sentado na areia ver minha buceta, ele olhou para Sandro e o chamou, ele se sentou ao lado de Lucas e quando viu minha xana ficou alucinado, ele era imprevisível, olhou para André e perguntou se ele era manso, eu não aguentei e cai na risada, Lucas deu um esporro no amigo espontâneo e André nem respondeu, continuou a me beijar e levantou um pouco o vestido para os rapazes terem uma visão melhor, olhei para trás e vi Leila, Fábio e um doa amigos de Lucas saindo em direção ao mar, nisso Lucas esticou a perna e tocou minha buceta com o dedão do pé, fiquei louquinha de tesão, Sandro já alisava a rola por cima do shorts e percebi-se que estava descontrolado e louco para me foder, era garoto ainda, se tanto tinha uns 21 ou 22 anos, mas era bonito, moreno queimado de sol, olhos claros, que era seu charme, Lucas tirou o dedão e eu ordenei que voltasse a enfiar seu dedo em mim, queria gozar ali, André se levantou e olhou em direção ao mar mirando os três que já se perdiam na água, os movimentos de Lucas continuaram e me fizeram gozar ali na calçada, ele era discreto e como Sandro e André estavam um de frente para o outro quem passava na calçada nem percebia, uma vez que minha buceta estava direcionada para o mar, gozei gostoso como uma cadela, mordendo o dedão de Lucas ensopado pela minha buceta, levantei e sugeri que fossemos todos para Omar e sai correndo na areia, deixando meus sapatos jogados, todos foram para o mar, as meninas estava de saia e mini saia, portanto era mais fácil escapar das ondas e não molhar a roupa, e mesmo que molhassem, não teriam problemas, mas eu não, se molhasse o vestido ficaria pelada na praia, então subitamente ao chegar na água olhei para a calçada e vi que estávamos distantes e a penumbra ajudaria, se ficasse pelada ninguém no calçadão perceberia, mas não tive coragem de tirar o vestido, sá levantei deixando minha bundinha exposta. Sandro colou em minha bunda e apertou meus seios, disse em meus ouvidos que estava tirando ele do sério, me virei para ele e o beijei deliciosamente, eu iria fazer aquele macho novinho uivar, ele não se fez de rogado e logo enfia a mão em minha bunda me alisando gostoso, olhei para o lado e Fábio, Leila e Renato se perdiam em direção a umas pedras no canto da praia, iriam meter, senti o dedo de Sandro na buceta, enfiou até o talo, tirou e chupou, fiquei maluca, segurei sua rola dura e ele começou a enfia os dedos em minha xana, não demorou muito para sussurrar em seus ouvidos que estava gozando, o medo de ser flagrada, o medo do mar bravo e escuro e o tesão do sexo me deixaram maluca, André conferia tudo de perto, Sandro era muito espontâneo a ponto de irritar André, enquanto metia o dedo em minha xana e tinha a pica alisada ali na água, olhou para André e disse: Tu é corno manso mesmo, adoro foder na frente de um manso! André em tom irritado, disse: Vai mete ai garoto, e fala menos, saímos dali e fomos em direção aos outros que estavam indo para umas pedras no canto da praia, mas tão logo chegamos e Lucas disse que ali não era um lugar seguro, era perigoso, mas que ele conhecia um lugar ao ar livre que poderíamos fazer uma festinha inesquecível, e assim rumamos todos para uma praia deliciosa já bem afastada do Rio, não sei o nome, mas era muito bonita, bem estávamos, eu, Raquel, Claudia, Leila e a garota que nos acompanhou lá da danceteria, Fábio, André, Lucas, Henrique, Sandro, Renato e o outro cara que também nos acompanhou, cinco mulheres para sete homens, nossos homens estavam afim de traçar a Leila e logo as estratégias estavam na mesa, ou melhor ali na praia, fomos para uma encosta e tinha uma pedra que quando a água do mar batia espirrava água para todo lado, levantei meu vestido e sentei na pedra fria, minha bundinha precisava daquilo, Sandro tirou o pinto para fora, fiquei perplexa, uma rola grande e dura, havia judiado do rapaz, sem cerimônia enfiou em minha boca, chupei aquele garoto, de forma sensual, deixando ele louco de tesão, André veio por trás e disse, pega ai comedor, e jogou umas camisinhas em nossa direção, olhei para ele e ao fundo já via Leila sendo devorada, André sentou-se perto de nás e ficou olhando Sandro me foder, logo o garoto já estava dentro de minha buceta, mexendo loucamente, estava muito excitada naquela noite e logo gozei na vara daquele moleque, André não curtiu muito a foda, percebia que não estava muito à vontade, não sei se pelo local ou pelas companhias, ele havia se chateado com Sandro, não demorou muito e Sandro tirou a pica, tirou a camisinha e gozou em minhas coxas, achei aquilo muito sexy, ele gozou fartamente e minhas coxas ficaram molhadas de porra, André levantou-se e foi ao encontro de Leila e os outros, no caminho já foi abaixando o shorts, olhei para Sandro e resolvi continuar me divertindo com o garoto, virei e me acomodei deitada de bruços na pedra, puxei as tetas para fora e pedi para ele chupar meu cuzinho, o garoto ficou alucinado, mamou gostoso meu anelzinho e logo já enfiava a rola em meu cuzinho ávido por rola, levei as mão por baixo das pernas e iniciei uma caricia gostosa na buceta, logo Renato encostou do outro lado da pedra, com a pica encapada em uma camisinha, pediu que lambesse suas bolas, o que fiz com presteza, senti um toque em minha cabeça e era a cabeça de Raquel que estava deitada de costas na pedra, do outro lado, pronta para tomar na buceta, lambi gostoso a rola de Renato que sem pestanejar já metia na buça de Raquel, que gemia gostoso, minha amiga, Sandro metia com força em meu cuzinho, mas ele não era tão bom como os outros, era muito afoito e as vezes me machucava, mas estava alucinado, era muito para aquele rapaz tudo aquilo, mas estava quase gozando, quando pedi para aumentar as estocadas e disse que queria gozar pela bunda, Renato ouvindo isso perguntou: onde você ta metendo garoto, e Sandro respondeu: No cu dessa vadia safada, aquelas palavras foram tudo que eu precisava ouvir para gozar na vara daquele garoto, apertei o pinto dele em meu cuzinho enquanto espasmos do meu orgasmo ecoavam pela praia, mais um orgasmo anal, ele não aguentou, tirou a rola pra fora e molhou minhas costas e bunda de porra, urrou de prazer, Raquel e Renato gozaram instantaneamente aos nossos gritos de tesão, Renato encheu o rostinho meigo de Raquel de porra, alucinado, pediu que ficasse naquela posição, pois queria experimentar meu cuzinho, nisso ouvimos gritos de tesão, era Leila que gozava pelo cu e pela boceta com três machos dividindo ela ao meio, ela estava de quatro, levando na boceta e no cu alternadamente com uma rola na boca sempre, era delicioso ver aquela cena, logo Renato encostava a pica na entrada do meu cuzinho, Renato tinha 30 anos, era experiente e me fez gozar como uma cadela, ele gostava de falar palavrões enquanto metia, me chamava de puta, vadia, safada, vagabunda e comia meu cu como deve ser comido o cu de uma cadela vadia, não preciso dizer que logo gozei de novo, mas ele não, continuou metendo gostoso em minha bunda nua e virada para a lua do rio de Janeiro, fodida na praia agora, que delicia, o vento a brisa e rola no cu, havia virado uma puta de primeira, Renato tirou a rola e também gozou em minha bunda, logo o terceiro rapaz que nos acompanhava passava a mão em minha bunda, mas estava cansada e pedi um tempo, saímos e fomos molhar os pés na areia, já era madrugada afora, ainda ouvíamos os gritos de Leila e da outra garota sendo fodidas, Leila experimentou todas as rolas naquela noite, na buceta e no cu, eu fiquei naquelas três fodas, ao voltarmos todos estavam relaxados e pelados, olhando o horizonte, Sergio que estava ainda comigo, disse que queria me foder, disse para ele ir conosco para o hotel, e lá transaríamos gostoso, ficamos jogando conversa fora, todos exaustos, afinal aqueles dias tinham sido do caralho, e das bucetas também, retornamos ao Rio e fomos para o hotel Sandro, Renato e a garota foram embora, Lucas, Leila e Sérgio foram conosco para o hotel, lá Leila, Raquel e Claudia dividiam André e Henrique enquanto eu fui fortemente fodida por Fábio e Sérgio, que revezavam em minha bunda e minha buceta, a certa hora eu já não tinha mais forças, eles metiam a esmo em meus buracos, perdi a conta de quantas vezes gozei nas rolas daqueles machos, no final da noite, todos pelados, dormindo na sala e no quarto, sem donos, curtindo o cansaço de uma noite de foda selvagem, a terça feira raiava com sol forte, mas acordamos depois do meio dia, à tarde fomos curtir a praia, dessa vez o mar mesmo, ficamos no sol e mergulhamos, como adolescentes, sá a nossa turma de amigos, por volta de seis horas voltamos ao hotel, arrumamos nossas coisas e claro, tínhamos que transar gostoso antes de voltar para casa, da janela do hotel vendo a paisagem do Rio, senti as rola de Fábio possuir meu cuzinho, ele falava coisas gostosas em meus ouvidos, me namorava e metia devagar em meu cuzinho já surrado, gozei olhando as ondas, ele apertando meus seios, se declarando para mim, me virei molhadinha de tesão e engoli sua pica dura, nem deu tempo de sentir o calor e sua porra esguichava em meus lábios e minha língua, bebi todo o leite daquele macho gostoso, André fodia Claudia e Henrique comia a Raquel, por último transamos com nossos namorados, a última e a primeira tinha que ser deles, fodemos gostoso e tomamos um banho a seis delicioso, falamos e relembramos todas as fodas e todas as aventuras, já não tínhamos mais forças para nada, embarcamos e nos despedimos do Rio, olhando as luzes da Cidade Maravilhosa que tanto prazer nos proporcionou naqueles dias, a terça ainda não havia acabado quando desembarcamos em nossa cidade, fomos cada um para nossas casas, mas nossas vidas não seriam as mesmas apás aquele passeio, Henrique e Claudia continuaram nossos amigos, porém não mais desfrutamos de sexo em comum, logo eles se separaram e perdemos contato com Claudia, Henrique ainda nos vemos mas somente como amigos, já Fábio e Raquel somos mais que amigos, somos amantes, não deu para perder o contato, logo relatarei uma festa legal antes do meu casamento, a participação de Fábio e Raquel em nossa lua de mel e o nosso aniversário de um ano de casamento, Raquel e Fábio ainda estão noivos, mas casados conosco, agradeço mais uma vez a todos os e-mails enviados, um beijo a todos carinhosamente, porque eu sou Bárbara!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos/virgens estuprada pelo padrinhoconto erotico gay no nordesteContos eroticos seduzi a mae do meu amigo uma coroa bem recatada e dona de casachupei a bucetinha carnuda dela contosmeu sogro isasiavel comtocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteao oito ano minha tia me encino a chupa bucetaconto erotFodendo com mamae bunduda contosdei para o papai contoscontos eróticos trai meu marido numa rapidinhacontos primeira ves da minha namorada com um cavalovídeo de bocado de mulher dançando de fio dentalcontoseroticos mae sentada colo filhoirma fazendo faxina levando rola no cuContos eroticoshospitalvalesca chupando e o namorado olhandocache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html porno coroa da boda mole de fiodetaocontos eroticos pegano a moreninhaconto sou doida pra da pro meu sobrinhoContos eroticos orgia forçadaentreguei a filha ao marido contos eroticostesao chefeassistir vídeo de pornô a tia chega a pesar em casa jogar e o sobrinho da mãe com ela e transa com elaMeu pai me comel zoofila contoscontos incesto troca de filhasmoreninha linda gostosa quatorze anos dandocontos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos abusada pelo melhor amigo do maridoquero ver a rola no cú da Chiquinha gritando vídeo pornôContos e vidios eroticos marido tenta convese mulher a fazelo de cornocomi a prima do meu pai com mais de 50 anos contos eroticos publicadosler contos de sexo de mulheres sendo chantageada na estrada e dando cuzinho pra dotadoscontos eróticos de Poucontos eróticos de vários cavaloso padrastoautoritáriocontos eroticos calcinhas usadas da mulher do amigocoletania foto engatada caocontos crente casada vira p*** DVDfilmei minha irmã depois chantagiei contoscontos erótico ginecoligista e novinhacontos er deixa que levoAtraido pela garotinha contos eroticoscontos bi fui espia meu tio fuder minha tia e dei pro titio com minha tia assistindocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos CCBContos eroticos o professor de quimica me comeu varias vesses e tirou minha virgidademasturbei meu melhor amigo contos gaygarotinhas da bunda grandemulheres com biquinis bem atolado na bumda fotoscontos eroticos iniciada pelo pai da minha amigachamei um roludao pra estrupar minha esposaconto com prima casadameu titio gay contoconto fetiche apanhando da namoradaconto real tia se masturbando soeu conto sou casada meu cunhado me pegou a focacontos comi minha tia mortaeu estava louco pra chupar atravesticontos tirar leite eróticosp****** do papai contos eróticosconto erótico dorme pelada com soniferovalesca chupando e o namorado olhandorelatos eroticos romanticotravestis comeu o cu virgem da evangelica,contos eroticoscontos eroticos gay: se tu deixar eu não conto pra ninguemMeu tio que chupa no meu peniscocando a xerecona cabeludona por baixo da saia sem calcinhasmeu marido chamo o garçom do motel pra me fuderfotos porno de meu amigo fudendo minha mae