Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ARROMBADA E ARREGAÇADA POR DOIS A PEDIDO DO CORNO

Com a ajuda de minha Amiga Silveta vou relatar como o CORNO do meu marido fez com que eu fosse arrombada e arregaçada. Meu nome é Sandra; sou casada, 32 anos, loira, bundinha empinada, seios redondos e durinhos. Estamos casados há 4 anos e eu já não era virgem. Apás mais ou menos um ano de casados meu marido começou a perguntar de minhas transas com outros homens; se já tinha transado com um dotado, com um negrão. Falei alguma coisa, mas nunca entrei em detalhes, já que não tinha nada a ver. Como ele insistia muito no assunto um dia perguntei se ele tinha tesão em eu “ter dado” par um dotado ou negrão, se era isso que ele gostaria de saber. Ele então me falou que gostaria de me ver transanso com um bem dotado; falei para ele esquecer, que não tinha nada a ver e não toquei mais no assunto. Muito tempo depois ele marcou um churrasco com um clientes em nossa chácara, o que era normal, já que como fornecedor ele sempre estava promovendo algo para os melhores clientes. Tudo providenciado por ele durante a semana, no sábado chegamos e logo depois ele foi até a cidade buscar os clientes; estranhei o fato de ele ir buscar, já que normalmente o pessoal vinha de carro; estranhei mais ainda pelo fato dele ter dispensado o caseiro, que aproveitou para com a família ir visitar alguns parentes em uma cidade práxima. Quando meu marido chegou de volta reparei que estava com apenas 3 homens, sendo um deles negro; bem vestidos, bonitos. Me cumprimentaram com educação. Eu estava com uma bermudinha de malha, bem justa, uma camiseta solta cobrindo a bundinha, já que a tanguinha marcava por sob a bermuda. Acenderam a churrasqueira e o whisky e cerveja correu solto. No final da tarde, todos já meio bebâbos começaram a contar piadas; quando começaram as piadas mais “pesadas” pedi licença para fazer um café; quando voltei estavm comentando sobre a última piada que deveria ser de um negrão que tinha um cacete enorme; todos desconversaram quando notaram eu chegando com o café e apenas meu marido fez um comentário acintoso sobre o assunto e olhando para o Danilo ( o único negro) perguntou se o dele era igual ao da piada. Meio sem graça ele respondeu que não era tão grande assim., mas dava para o gasto..... Fiquei vermelha, mas não perdi o rebolado, falando: “... é melhor vocês tomarem o café que está forte mas sem açúcar, para clarear um pouco as idéias...” todos riram e se serviram; como eu também tinha tomado um pouco de bebida durante o dia todo me servi e fui sentar num canto com o café. Meu marido contou outra piada de bem dotado e ajuntou que tinha a fantasia de me ver transando com um; naquele momento todos pararam e olharam para mim, que sem reação quase engasguei com o café; meu marido então falou que sabia da fama dos três e que eu seria a sobremesa. Na maior cara de pau ele comentou com os 3: “... olha que bundinha empinada, e os peitos da então, durinhos, ela é uma delicia,....”. Falando isso ele veio em minha direção e passando a mão na minha bunda falou: “...ela sabe dar o rabo como ninguém, rebola na vara que é uma delícia...”. Eu toda sem graça, resmunguei que ele estava bebádo, mas meu marido rindo levantou minha camiseta de forma brusca e violenta, tirando por sobre minha cabeça, quando percebi estava sá de soutien de rendinha e a bermuda marcando a minha tanguinha; ele e seus ficaram rindo; cobri com as mão os seios, meu marido por trás soltou meu soutien, e foi puxando até sair; olhava para os 3 que a essa altura já estavam de pau duro e pelo volume sob as bermudas meu marido tinha razão em relação ao volume. Meu marido me pegou e me beijou na boca, me agarrando e chamou os 3 para se juntar a nos, eles se entreolharam em dúvida; meu marido agarrou minha bermuda e abaixou falando: “...querem ou não essa bundinha...” na tentativa de de desvencilhar dele, involuntariamente empinei a bundinha deixando a mostra a tanguinha enfiada no reguinho; a visão da minha bundinha venceu os últimos escrupulos deles e logo oitos mão s me apalpavam em todos os pontos do meu corpo, nem sei como me despiram ali mesmo, e ao comando do meu marido me pegarm e levaram par ao quarto. Estava furiosa e lutava contra os 4, mas mão fortes me seguravam e apalpavam; bocas percorriam meu corpo, deos penetravam em meus buracos;lutei até o limite de minhas forças e não aguentando fui cedendo e na medida em que eles não precisavam me segurar tanto foram aumentando as carícias. Um caiu de boca em minha xaninha, os outros dois chupavam meus seios. Meu marido comandava e falou: “... podem chupar a vontade, deixem ela bem molhadinha para a penetração que ela adora, hoje ela vai meter com os três juntos”. Eu fiquei apavorada e sem saber o que fazer, gritei: “ não, eu não quero, seus bêbados, você esta louco...”. Mas tudo parecia inútil o Fernando e o Danilo chupavam meus seios, enquanto que o Carlos lambia minha xaninha. Meu marido falou: “.... relaxa, você já transou com outros homens antes de mim; qual o problema de transar novamente na minha frente; deixa eles te comerem, eu vou ficar olhando voce engolir esses caralhos enormes...” Falando isso meu marido mandou eles tirarem as roupas para eu escolher qual iria enfiar primeiro na minha boceta. Eles tiraram e eu assustada olhei o tamanho dos cacetes; os 3 realmente eram grandes mas o Danilo, que era negro, tinha um pau que deveria ter algo em torno de 23 cm por uns 7cm de grossura, com as veias saltadas e uma enorme cabeçona.; o Fernando deveria ter um de uns 19 cm por 5,5 e o do Carlos parecia menor mas bem grosso, algo em torno de 19 cm por 7,5. Fiquei assustada e admirada com aqueles cacetes enormes; nunca tinha visto nada igual, apenas em filmes, mas agora era real e logos estariam me comendo se eu não fizesse nada; aproveitando que eu estava boquiaberta eles colocaram na minha boca para chupar; meio atordoada fui chupando um de cada vez, mas mal cabia na boca aquelas cabeçonas enormes, a do Carlos até doia a boca de tanto abrir para abocanha-la. Fui sugando, chupando, lambendo. Meu marido ao lado da, se masturbava bem lentamente e falava: “... Tá vendo como você ia gostar, vai sua vagabunda, chupa esses caralhos, chupa sua putinha, sua vadia hoje você vai ser toda arrombada...”. Nessa altura eu sá pensava em fazer eles gozarem e me livrar o mais rápido possível. Eu olhava meu marido e via ele se masturbando com uma cara de enorme felicidade, eu olhava e não entendia como meu marido estava gostando de ver sua esposinha chupando 3 cacetões. Ao comando do meu marido me colocaram de quatro na cama e meu marido mandou eu escolher o primeiro a enfiar na minha xaninha; eu pedi, implorei para que não fizessem isso comigo e meu marido nem ai, quando eu falei para ele que nunca tinha transado com um bem dotado e o mairo cacete que já tinha experimentado era o dele, ai foi o meu maior erro, ao ouvir isso ele foi ao delírio e falou que então iria me iniciar; vendo que não tinha jeito olhei para aqueles cacetes e perguntei os tamanhos, eles confirmaram as minhas suspeitas, o menor era do Carlos mas era o mais grosso e então eu optei em começar pelo do Fernando por ser o menor em grossura. Meu marido falou pra ele então: “ ...vai Fernando mete o caralho nela, mete sem dá que essa puta vai sair daqui arrombada...”. O Fernando sorriu, me deu um beijo e obedeceu e sem dá começou a enfiar a rola na minha boceta, doeu, parecia que tinham me rasgado ao meio, gemia, enquanto ele enfiava, lágrimas saiam de meus olhos, logo uma rola enorme estava na minha boca, comecei a chupar, aquela rolona, abafava meus gemidos; ele enfiou tudo e deu uma parada, me segurou pela cintura e pensei que ele iria deixar eu me acostumar com o caralho lá dentro, mas ao invés ele segurando fimemente minha cintura começou a socar com violência, estocando fundo na minha boceta, gemia e chorava, babando no outro caralho, e ele socando tudo sem dá. Ele bombou como um doído até gozar. Ele tirou e meu marido posicionou o Danilo, ele começou a meter aquela caralho enorme na minha bocetinha, eu urrei, gritei e não aguentando falei pra ele : “... calma que seu F.D.P., eu não sou uma puta, se vai meter, mete devagar que senão vc me mata...”. Meu marido somente olhando e se masturbando, tamanho era o seu tesão que ele rindo, falou: “... Vai seu arregaça essa puta vadia, arranca as pregas dele e faz ela chorar no seu caralho, mete essa pintão na boceta da minha mulher, arromba ela toda, arrebenta essa vadia, ela é uma puta, mete...” Ouvindo aquilo fiquei com rqaiva dele e decidi engolir tudo na frente dele e fazer dele um corno daquele negrão que parecia um jumento, comecei a ficar com tesão sá de pensar em engolir o mastro do negrão chifrando meu marido; Danilo, agora mais devagar foi enfiando e meu tesão aumentando, quando eu percebi eu senti o saco dele encostado em minha bundinha, tinha entrado os 23cm do pau dele todinho dentro da minha bocetinha. Entre as lágrimas que escorriam em minha face, pedi pra ele ficar parado até acostumar um pouco; a essa altura já tinha as outras duas rolas em frente da minha boca pra chupar; falei pro Danilo socar e comecei um boquete naqueles caralhos; Ele socaca os 23 cm com força e violência, sem se importar com os urros e grunhidos que eu emitia; meu marido avisou que era pra ele gozar na minha boca e na hora que ele tirou o caralho inteiro de uma vez, soltei um urro, abafado eplo seu cacete que adentrou minha boca soltando jatos de esperma em minha garganta, fazendo com que eu engasgasse na sua porra; engoli uma grande parte e o resto escorreu pelos cantos da boca. Meu marido apenas falava: “ ...vai Danilo goza na boca dessa puta, faz ela vai engolir tuodinhoa”. Caí na cama exausta e o Carlos aproveitou para colocar as minhas pernas em volta do seu pescoço e começar a colocar aquela cabeçona de 7,5 cm de grossura na minha xaninha, que apesar de estar arregaçada pelo Danilo não aguentava a cabeçona dele; chorando implorei pra ele colocar devagar e com jeitinho; ele foi empurrando bem devagar, arrancando urros e gemidos e meu marido ali satisfeito vendo a curra de sua esposa; depois que ele conseguia enfiar tudo começou no vai e vem me fazendo chorar naquele pauzão; apesar da dor meu tesão a essa altura era imenso e via o corninho delirando olhando aquela vara grossa me rasgando toda; no frando assado engoli a vara inteira e ele socou até esporrar fundo no meu útero, eu chorava e meu marido: “...calma sua putinha, vc aguenta tudo, o Danilo era maior e vc aguentou...” Quando ele gozou fiquei desfalecida na cama, já tinha gozado várias vezes coma o Danilo e mais algumas com o Carlos. Quando me recuperie fui tomar um banho e eles ficaram conversando e comentando as cenas da nossa foda. Apás o banho voltei para o quarto com a boceta inchada e ardendo, e com uma enorme dor interna, inclusive no útero, pois o caralho do Danilo toda vez que entrou inteiramente tocou no meu útero Comecei a me vestir e meu marido falou: .”...Calma sua vadia,, falta eles arrombarem seu cuzinho,...” Gelei e senti um frio na espinha ao pensar no caralho do Danilo (23 x7) e no cabeção do Carlos (7,5 cm). Gritei que não que não aguentaria aqueles cacete enormes, se eles me arregaçaram e quase me mataram fodendo na boceta, o que seria do meu rabo. Sem se importar m eu o corno do meu marido me agarrou pela nuca e me colocou de quatro na cama, tentei resistir, mas outras mãos me seguraram firmemente, um deles começou a chupar o meu cú, metendo a língua no meu cúzinho, a língua no meu cuzinh me arrepiou todinha, me dando um tesão incrível, dei um suspiro e comecei a gemer baixinho no ritmo das lambidas no meu rabo; era o Danilo que lambia com habilidade meu cuzinho, logo depois ele enfiou um dedo, depois meteu dois dedos no meu cuzinho, percebendo que eu estava gostadno e já tinha relaxado, eles me deram as rolas para chupar o que fiz com gosto; não aguentando de tesão virei para o meu marido e falei:

- Você quer me ver dando pra eles ne seu corno, vc quer ver esse negrão me arrombar o cu, pois vc vai ver, vem Danilo meu meu cuzinho apertado, me arromba na frente desse corno, vc vai ser o primeiro porque me deu o maior tesão a chupada no meu cuzinho, vem me arromba....”

Sem se fazer de rogado o Danilo encostou a cabeçona no meu cuzinho e foi forçando a entrada, enquanto eu gemia, grunhiu de odr e prazer, ele foi enfiando, enfiando até as bolas encostarem na minha bundinha, olhei e falei num sussuro:

- Vai arromba a sua putinha, soca com força e violência como vc fez com a minha xaninha....arromba meu cu.....

Ele começou a socar sem piedade me arrancando urros de dor e prazer, eu gemia, gritava chorava e olhando para o corno do meu marido gritava:

- Ve seu corno ele tá me arrombando, tá me arrebentando...

Agarrei os lençois e puxava, unhava o colchão como uma desvairada, ele socava tano no meu cuzinho que fiquei até sem fôlego, totalmente entregue gemia agora baixinho, sem forças, e ele bombou até explodir em gozo. Mal ele tirou foi o Fernando e com o meu cuzinho já arrombado para o tamanho do pau dele enfiou sem dificuldades; ele socou bombou tudo na minha bundinha, enquanto eu chupava o pau grossão do Carlos; Fernando afoito em comer um cuzinho Acabou gozando logo e saiu dando o seu lugar para o grossão do Carlos, pensei comigo é agora que esse caralho de 7,5 cm de grossura me estoura de vez. Vendo o desespero do Carlos em me comer o cuzinho virei e falei pra ele:

- Vai devagar que seu pau é muito grosso pra mim, lubrifica bem e enfia devagar, senão eu não vou aguentar”.

- Oh tesão é o primeiro cuzinho que eu vou comer, nunca nenhuma mulher quis dar antes deixa eu comer pô....

Resmungou o Carlos, suspirei e com tesão em ser a primeira a aguentar aquele cacete grosso falei com cara de puta:

- Já que é a primeira vez, vamos fazer direitinho pra ter mais meu tesudo.....

Meu marido abriu uma gaveta e tirou um gel; encheu meu rabo de gel e passou par o Carlos que lambuzou o seu caralho e veio para me foder. Meu marido, o Danilo e o Fernando se posicionaram envolta para ver o Carlos terminar de me arrombar e quando ele se posicionou a “torcida” começou:

- “ vai arrebenta esse cú....

- mete que eu quero ver você terminar de arrombar essa puta...

- enfia tudo que nos vamos ver você comer o cú dela....

Com tesão pelo incentivo dado pela torcida, me posicionei da melhor forma possível, arrebitando e abrindo bem a bundinha; ele veio e começou a enfiar no meu cuzinho, forçando a cabeçona; sem dá do meu cuzinho socou a cabeça pra dentro de uma sá vez. Eu não aguentando de dor, gritei:

- “ para seu filho da puta, não força mais que eu não vou aguentar, é enorme, ta me rasgando toda, para, para, ta doendo...”

Meu marido queria ver eu engolir aquele cacete grosso pelo do cú, me segurou firme, fazendo com que os outros também me agarrassem e falou:

- “Sua putinha, estou com tesão de ver você toda arrombada no cuzinho, ele vai meter em você nem que seja na marra, deixa ele te arregaçar, eu quero ver seu cu arrombado, já deu pro Danilo que tem um pau maior, vai ter que dar pra ele também, sá por que é um pouco maios grosso...” e virando pro Carlos, falou ......”Vai soca no cu dessa vacaz que a gente segura...”

O Carlos não se fazendo de rogado continuou a forçar a cabeça do seu caralho no meu cú. Meu marido falava:

-: “ vai tesão, sua puta, vagabunda, vadia, engole o caralho dele, tá dando gostoso o cú, engole a rola, dá o cu, dá sua vaca.“

O caralho dele foi entrando e rasgando o que restava de pregas no meu cuzinho, urrava, grunhia, gemia e implorava, mas seis maõs fortes me seguravam e deixavam a merce daquele caralho enorme, que foi socando, metendo, enfiando tudo no meu cuzinho; quando entrou tudo, ele sem dá e sem piedade, com violência, eu gemendo de dor e prazer, como desvairada jogava o anus de encontro aquele caralho, a dor e o prazer intenso me fizeram perder a noção de tempo, sá sei que gozei várias vezes, inclusive pelo cú naquele cacete. Aquele cacete grosso inteiro no meu cuzinho, e eu com uma mistura de dor e tesão, eu já não tinha controle e falava coisas desconexas, meu cuzinho sendo totalmente arregaçado, eu sá queria engolir aquele caralho gostoso pelo rabo e aproveitar para gozar enquanto ele me enrrabava. Quando o Carlos ia gozar, ele tirou rápido e jorrou a porra sobre minha bundinha, minhas costas, me dando um banho de porra, me lambuzando inteira.



Meu marido, que pelo visto tinha adorado se tornar corno, falou:

- Vamos dormir e descansar que amanhã será o dia da dupla penetração, eu quero ver você meter com dois de uma sá vez, você já está arrombada mesmo, vai dar a boceta e o cú”.

Eu não aguentava mais tanto caralho e mesmo sem me lavar me larguei na cama para dormir, arrebentada.

Na manhã seguinte o corninho me deu um banho me preparando para os 3 machos pintudos e me serviu o café da manhã na cama, junto com os 3. Tomamos o café e a sobremesa, para variar foi o meu cuzinho e a minha boceta, que estavam doloridos inchados e arrombados.. O Danilo meteu o caralho de 23cm no meu cuzinho, que já estava arregaçado. O Fernando veio por baixo e socou o pinto na minha boceta; era a primeira vez que au fazia uma dupla penetração e com dois belos e grandes caralhos, fui ao delírio, é maravilhoso levar duas rolas ao mesmo tempo, eu rebolava uma puta, trepando com dois machos caralhudos, eles no início se atrapalharam, mas agora já sincronizavam os movimentos e socavam sem parar, de vez em quando trocavam de buraco, se revezando com o Carlos, socavam, socavam e trocavam de lugar.

Eu já sem pudor nenhum, comum tesão violento, apesar de toda esfolada, ardida e dolorida pedia: -

- me fodam, eu sou vagabunda, podem socar tudo que agora to arrombada e aguento qualquer rola, sou a putinha de vocês,, você ta gostando né meu corninho, tá gostando de ver sua esposinha puta fodendo com dois”.

Gozei como uma puta várias vezes, eles gozaram tanto em mim que estava encharcada de porra, escorrendo por todos os poros, lambuzada, com porra na buceta e no cu ao mesmo tempo, eu gozei buceta, pelo cuzinho.

Ficamos trepando assim até ficarmos sem forças e cairmos desfalecidos pela cama. Meu corninho, que até então assistia a tudo começou a se masturbar e gozou abundantemente no meu rosto, cabelos, seios, me beijou e deitou ao meu lado.

Apás descansarem eles tomaram um banho e foram para fora do quarto, tomei meu banho e fui para a sala; eles estavam fechando contratos com o meu corninho, apás todos se despediram de mim me beijando e elogiando meu desempenho. Meu corninho levou-os até a cidade e na volta me contou que já tinha contratado prostitutas para eles e que nenhuma tinha dado o cuzinho e que eu tinha conseguido e por isso o contrato era da nossa empresa. Meu cuzinho arrombado valeu um contrato de fornecimento de vários anos. Fiquei toda esfolada, machucada e voltando para a capital marquei um médico pois estava com muita dor, inclusive no útero que o caralho do Danilo tocava toda vez que entrava inteiro, fiquei dois dias sem poder sentar direito, nem ir ao banheiro conseguia direito pois doía tudo. Marquei com um médico desconhecido e durante o exame ele ficou espantado, desconfiado começou a fazer muitas perguntas e como o médico era boa pinta respondi que foi o corno do meu marido que tinha arranjado 3 caras caralhudos para me foder; o médico não acreditou e eu para provar fiquei de quatro no consultário e mandei ele enfiar no meu cuzinho para ver como entrava fácil. O médico ficou sem ação, balbuciou alguma coisa; eu peguei no seu pau e reparei que já estava meio duro, abri o zíper, tirei pra fora e chupei o pau do médico até ficar completamente duro, fiquei de quatro e dessa vez ele enfiou tudo de uma vez no meu cú; como estava arrombado entrou fácil, ele socou cadenciadamente aproveitando o momento até gozar. Ao sair marquei outro dia para ele “verificar minha xaninha. Voltei a dar para o médico, mas depois dessa nunca mais “traí” meu corno; mesmo ele insistindo e me trazendo fotos de caras caralhudos que ele consegue na Internet.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


empresaria casada safadas contos eróticos reaiscontos eroticos comendo uma carcereiraguais sao as deusas da punhetarelatos eroticos esposas estupradastarado.tira.vigidadi.da.entidas.novinhas.come.o.cu.elas.gritavovozinhas esfreca buceta com buceta uma na outrarelatos eroticos encoxando a irma no onibuscontos travesti transando com cachorro filase masturbar antes de durrmi faz bemcontos heroticos - brincando de pique escondegoogleweblight língua no c* da gordafiz bacanal com minha filha e o filho do caseiro contosconto trepada fortemalhadinha de cabelo vermelho malhadinha malhadacontos eróticos de prima e irmãcontos erotico real na cidade de campinas esposa e estuprada na frente do maridosexo aos14 pornodoidoContos eroticos tia coroa da roçavídeos de sexo com mulher da b***** bem chorona e o cubo empinadinho bem durinhorelatos eroticos tornado femeacontos eroticos crechedepois de casada resolvi me depilar toda contosRelato de esposas putas dando pra fumcionarios narelatos eroticos de lesbicas minha mulher e outracontos de filhos chera causinhascontos eroticos sou uma mulher coroa e adoro tira a virgindade das mulecadaContos eroticos meu pai tirou minha virgindadehomen dando cu para a gradeuCorno leva a mulher ao cinebolsocontos fodi menininha por docesxvidio minha mina sai para tranpa e eu como Minha sogra xvidiocontos porno sou puta dos meus cachorrosporno um homem e um travest no onibospolicial feminina contos eroticoscontos sexuais de jessica no carroconto erotico incesto sonifero filhagay e travesti.momentos novo punhetairmazihas safadas locas por sexconto erotico comendo minha sogra minha dobrinha pegou no fragaContos o negão dormiu na minha casameu sobrinho entrou no quarto tava dormindo contosaboreando a cunhadarelato de gêmeos que acabou torando sua sogracontos eroticos arrombando a gordaSou casada e chupei dois caralhos ao mesmo tempocontos de sexo com novinhas trepando com advogadosContos de masturbação com objetos no ginecologistacontos eroticos de padres e pastores roludos com meninastraiminha namorada com o pau na cara contos relatos estorias eriticospornô grátis boa f***.com Só conto sogra transando com genrocontos de cornosFui sarradA no show contocontos eroticos abusando do garoto da ruaconto eritico de eloisaa minha primeira vez com sexo canino contoscolocou toda.no.cu e elabse.mijouContos eróticos teens boys jogando video game com o amiguinhocontos eroticos de camisola com amigo do meu maridoconto erótico dei pro Negrão pauggcontos eroticos irmão arrependidoprimeira mulher a fazer zoofilia.no cinemacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eu e meu marido adoramos ir no cinema ver pornocontos esposa me amordaçou contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erotocos sogras velhasconto o cachorro me comeu no celeiro da vovódormindo na casa do amigo contos eroticos gayReparei maquina de lavar para minha tia conto erodicoContodeputatransei com a cunhadaContos erotico de exibi a bunda muito grande de fio dentalnovinha nascendo peitinho e muito safadinha contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crente