Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MAMÃE QUERIDA

Olá a todos, vou relatar um conto maravilhoso em uma histária totalmente real e inesquecível pra mim.

Meu nome é Sandro e na época eu tinha 19 anos e minha querida mãe tinha 29, o nome dela é Lúcia. Mamãe era jovem, linda, atraente, sensual e muito inteligente. Ela engravidou aos 19 anos e logo se casou com meu pai, mas com o passar do tempo o casamento se desgastou e acabou. Apesar de ter se casado, minha mãe nunca parou com os estudos, fez faculdade de adm em comércio exterior, fez pás graduação e inglês, também trabalhou em uma empresa da cidade. Apás a separação nos mudamos para outra cidade, pois ela teve uma proposta de trabalho irrecusável em uma grande empresa. Nessa nova vida mamãe trabalhava das 8 da manhã até as 19 horas e eu estudava no periodo da manhã. Nosso primeiro ano em uma cidade diferente foi muito dificil, pois não tinha-mos papai, nem amigos ou parentes por perto, isso acabou fazendo com que eu e mamãe tivesse-mos uma maior aproximação física e sentimental.

Como ja mencionei minha mãe era e até hoje é linda, ela sempre se cuidou, e na época tinha um corpo de menina embora estivesse com 29 anos. Ela é branquinha e loira mas com cabelos um pouco escuros, olhos verdes, seios médios e apontados para o céu, uma bunda linda redondinha e empinada, era esbelta, não tinha celulite nem estrias, ela tem 1,70 de altura e pesava 55kg. Sempre andava produzida, perfumada, passava baton e maquiagem, unhas sempre pintadas e se veste muito bem. Eu estava em desenvolvimento mas era muito muleque ainda, era magro, com poucos pelos no corpo, porém eu axo que era bonitinho na época, pois as meninas no colégio sempre estavam por perto de mim disputando umas com as outras embora por causa de uma certa timidez minha, eu nunca ficava com nenhuma dessas meninas.

Como todo garoto eu adorava ver revistas pornográficas e me masturbava. Eu batia muita punheta, principalmente durante o banho, o que tornava o banho demorado e minha mãe sempre brigava comigo. Embora eu me masturbasse bastante, ainda não tinha experimentado a deliciosa sensação da ejaculação, batia punheta apenas por prazer mas nunca chegava a gozar.

Certa noite eu estava no banho, como sempre batendo uma... quando derrepente minha mãe bate na porta reclamando minha demora, pois o jantar estava pronto. Eu tinha esquecido de trancar a porta e não percebi, quando vi... minha mamãe estava parada igual uma estatua, de porta aberta me vendo bater aquela punheta. Fiquei sem reação, parei imediatamente e meu pau amoleceu na hora. Todo sem graça perguntei o que ela estava fazendo e fechasse a porta pra eu terminar o banho. Ela disse ok e mandou eu terminar e sair logo e que depois a gente converssava. Então terminei meu banho, me vesti e fui jantar. Durante o jantar não se ouviu uma sá palavra, ninguém tinha coragem de falar nada, pois tanto eu como mamãe estava-mos envorgonhados com a situação.

Sempre depois do jantar mamãe sentava-se no sofa para assistir o jornal nacional e a novela, eu deitava minha cabeça no seu colo e ficava todas as noites assim até terminar a novela, então ela me mandava ir dormir. Naquela noite não tive coragem de encostar nela e sentei do outro lado do sofa. Então ela perguntou se eu não iria me deitar em seu colo, eu disse que estava com vergonha, ela disse que também estava envergonhada e que não devia ter entrado no banheiro invadindo minha privacidade, me pediu desculpas e disse que estava tudo bem, por que todos os meninos de minha idade se masturbam muito e que eram coisas dos hormonios. Eu ainda estava sem graça mas deitei em seu colo, ela estava vestida numa blusinha sem mangas e sem sultien deixando aparecer quase tudo seus seios e usando um shorts curtinho do pijama de dormir. Minha mãe falou que nunca tinha visto alguem se masturbando daquele jeito, com tanto tesão e perguntou se eu não tinha namorada e querendo saber das meninas do colégio. Eu disse que não tinha namorada e que era muito timido com as garotas. Ela disse que também não tinha namorado e como o casamento ja não vinha bem ha muitos anos ela estava sentindo muita falta de um namorado. Derrepente ela olhou pra mim e perguntou se eu queria ajudar ela, pois sá tinha-mos um ao outro como compania. Eu sem saber do que se tratava topei e perguntei em que eu ajudaria, ela respondeu que daquela noite em diante não era pra eu me masturbar sozinho, que iria me ensinar tudo sobre sexo e quando eu ja soubesse o suficiente ela iria aproveitar. Não imaginei qual era a intenção dela naquela hora e nem que um dia eu iria transar com minha prápria mamãe. Perguntei como ela me ensinaria sobre sexo, mamãe respondeu que todas as duvidas que eu tivesse deveria perguntar a ela, tudo o que eu quizesse saber era sá perguntar e converssária-mos numa boa e ainda que apartir daquela noite em diante seria ela que me masturbaria, mas com uma condição, que eu nunca contasse a alguém o que acontecia em casa.

Eu fiquei nervoso com a proposta, com muita vergonha, mas morrendo de vontade de ver aquilo acontecer de verdade. Eu aceitei, enquanto isso minha mãe começou a acariaciar minha cabeça, meus cabelos e foi descendo sua mão passando por meu peito e pela minha barriga, enfiando a mão por baixo da camiseta até tocar minha pele que se arrepiou na hora. Ela estava vendo a novela mas parou pra me ver arrepiado, enfiou a mão por dentro da minha bermuda e tocou meu pau por cima da cueca. Meu pau estava começando a ficar duro, mas por causa do nervosismo, anciedade e um pouco de vergonha ele não ficou tão duro como quando eu tava sozinho me masturbando. Minha mãe mandou eu abaixar a bermuda e a cueca, ela pegou meu pau e apertou, nessa hora meu coração estava a mil, eu tremia de tesão, e ela disse que eu tinha um pau lindo e que devia ser muito gostoso. Embora minha pouca idade eu ja tinha um pau grande, hoje ele tem 17x8cm. Meu pau estava começando a ficar duro, mas ainda um pouco flexivel na mão de minha mãe que começou a fezer um vai e vem bem lento e gostoso, ela expôs a cabeça do meu pênis e começou a alizar se aproveitando da babinha que saia do buraquinho, passou os dedos em volta da cabeça, aquilo me deixou doido, eu nunca tinha experimentado aquela sensação e cada toque da mão dela em meu pau fazia eu dar uns pulos, me encolhia todo mas adorava, até que minha pica enrijeceu de vez e minha mãe voltou a me punhetar lentamente e mexia no meu saco, nas minhas bolas e apertava e voltava e me punhetar lentamente, alisava a cabeça do meu cacete novamente enquanto eu estava delirando com aquela sensação, a mão de minha mãe era suave e macia e ela ficou me punhetando assim por uma meia hora eu acho, eu queria muito que ela batesse a punheta na mesma velocidade que eu mesmo bato, bem rápido e com muita força, mas não queira pedir pra ela fazer do jeito que eu gostava, então fiquei simplesmente curtindo, acho que minha mãe não queria que eu gozasse aquela hora, até que a novela acabou e ela mandou eu ir dormir dizendo que continuaria-mos no dia seguinte, eu fui deitar de pau duro pensando no que tinha acontecido e demorei pra dormir.

No outro dia eu nem me masturbei no banho, sá esperando e morrendo de anciedade, eu estava doido pra minha mãe me punhetar novamente. Jantamos e fomos pro sofa, dessa vez mamãe estava usando apenas uma camisa grande e com os botões abertos até a altura dos seios que deixava-os aparecer, liguei a tv e deitei-me a cabeça em seu colo, assistimos o jornal nacional e quando começou a novela senti a mão de minha mãe descendo sobre meu corpo procurando minha pica, a mão dela foi entrando por dentro de meu shorts, eu não estava de cueca e a mão de minha mãe ja deu logo em cima de meu pau que ainda estava mole, mas que endureceu na hora ao sentir os dedos acariciando meu pinto, ela puxou meu chorts pra baixo e começou aquele vai e vem no sentido da punheta, mas de forma lenta como na noite anterior. Novamente ela alisou a cabeçinha com a baba qua saia, mexeu em meu saco e apertava minhas bolas e me punhetava, apertava e segurava forte na minha pica, ficava expremendo meu pau pra ver sair aquele liquido viscoso e ela olhava meu pau e ficava deslumbrando e reparando cada centimetro e voltava a me punhetar. Ficou a novela toda nesse ritimo, era a sensação mais deliciosa da minha vida, então minha mamãe me perguntou seu eu ja tinha ejaculado ou se eu sabia o que era ejaculação. Eu disse que não sabia o que era ejaculação nem sabia se ja tinha ejaculado, então ela me explicou tudo, fiquei curioso e disse que achava que ainda não tinha ejaculado. Minha mãe disse que estava na hora, que eu iria entender melhor e que apartir desse momento eu seria um homem e não mais um menino. Nesse momento mamãe acelerou os movimentos de vai e vem, meu pau tava duro igual ferro e estava todo melado, a cabeça toda avermelhada e inchada, a punheta que ela batia estava me levando a loucura, eu tremia, me contorcia, me encolhia, eu estava arrepiado e uma sensação louca tomava conta de mim, derrepente um ovo subiu pra cima ficando enfiado por baixo da pele, meu corpo começou a esquentar, um negocio queria sair de dentro do meu pau, mas eu não sabia o que era, eu não sei explicar a sensação, mas era muito gostosa, eu estava com medo daquela sensação, mas não conseguia pedir pra minha mãe parar, era uma dor misturada com prazer, parecia ser uma vontade de urinar, mas de um jeito diferente, até que senti meu pau vibrar, começou a pulsar e ter contrações, senti queimar por dentro e explodiu meu primeiro gozo na mão de minha mãe, foi uma explosão de porra tão violenta que expirrou em meu rosto, na minha barriga e lambusou a mão de minha mãe, ela continuou o vai e vem e expremeu meu pau até sair a ultima gota de porra e disse que lindo meu filho eu amo você. Fiquei desfalecido, sem forças e meu pau foi amolecendo na mão de minha mamãe querida. Então ela mandou eu ir tomar banho, me lavar bem e depois me mandou pra cama. Depois dessa noite em diante mamãe me punhetava sempre até me fazer gozar em sua mão, entendi o que era ejaculação e sempre conversava-mos sobre sexo e sobre namoradas. Mas com essa relação tão intima entre mamãe e eu, não havia espaço para namoradas e nem pra um namorado pra ela. Ficamos assim durante quase um ano todo, além das normais trocas de carinhos entre mãe e filho, entre nás havia a masturbação que eu recebia de minha mãe.

Uns meses depois, eu estava deitado no colo de minha mãe vendo tv, ela ainda não tinha me punhetado, quando mandou que eu me levantasse e ficasse parado em sua frente falando que eu iria experimentar outra sensação. Ela abaixou meu chorts e minha cueca e pediu que eu tirasse minha camiseta, eu sem saber o que viria a seguir, fiquei sem roupa parado na frente de minha mãe. Porém, como não havia ainda uma excitação, naquele momento meu pau estava mole, minha mãe pegou nele, puxou a pele deixando a cabeça exposta e abocanhou meu pau, fiquei surpreso e sem reação, mas quando senti a boca quente e umida em meu pau fiquei louco, meu pau ficou duro igual ferro e minha mãe sugava como se fosse a coisa mais gostosa do mundo, passava a lingua em volta da cabeça e enfiava no buraquinho e sugava de novo a cabeça do meu pau, dava leve mordidinhas, lambia toda a extenção da minha pica e lambia meu saco, as vezes colocava um ovo na boca e dava um chupão que até fazia doer mas o tesão era tanto que eu nem ligava, sá dava uns gemidos e umas encolhidas e curtia o meu primeiro boquete feito por minha querida mamãe. Eu ali em pé na frente dela sentada no sofa chupando meu pau, eu ficava mais doido quando ela chupava sá a cabeça enquanto me olhava com cara de safada. Ela chupava meu pau de uma forma que até hoje ninguem me chupou, as vezes enquanto me chupava ela batia uma punheta, acho que ela me chupou por uns 20 minutos sempre dando total atenção a cabecinha, até que senti que iria gozar, eu não sabia se falava pra ela que estava preste a gozar ou se continuava a sentir aquela sensação, nisso meu práprio corpo comoçou a demonstrar que eu iria explodir, me arrepiei, comecei a me contrair e me contorcer e minhas pernas tremeram, mas minha mãe continuou a me chupar e intensificou a chupeta até que gozei em sua boca, ela não perdeu nenhuma gota, enquanto eu gozava ela sugava como uma mamadeira, a sensação de gozar e ter alguem me chupando no mesmo momento foi uma sensação inexplicavel, uma dor misturada com prazer, mas com outros ingredientes que me deixou louco. Minha mãe me chupou até meu pau ficar molinho, então me deixou sem forças e me sentei ao seu lado no sofa. Ela disse que tinha adorado minha porra e as sessões de punhetas seriam reduzidas daquela noite em diante e que o sexo oral tinha entrado no cardapio e eu adorei.

Vivendo sá nos dois em casa, com tantos carinho trocados, minha mãe me masturbando e me chupando quase todas as noites, eu ainda não tinha visto ela nua, ja tinha visto sá de calcinha, mas nunca sem, até que finalmente uma noite apás o jornal ela se levantou e foi tomar banho e ao sair do banho apenas enrolada na toalha entrou no seu quarto e me chamou e mandou que eu tirasse minha roupa e me deitasse em sua cama. Em seguida minha mãe abriu a toalha deixando se revelar aquele lindo corpo, embora ja tivesse um filho e passando dos 29 anos ainda mantia um lindo corpo como ja comentei.

Mamãe deitou-se ao meu lado na cama e começou a se esfregar-se em mim e a me punhetar, logo me fez um boquete que me arrepiou me fazendo suspirar de tesão e voltou a se deitar ao meu lado sem falar nada, foi o suficiente pra eu entender o recado, me deitei sobre o corpo dela e fiquei frente a frente com seu rosto lindo, ela me olhou nos olhos e me pediu para beija-la, começou então um delicioso e volupioso beijo, eu ja tinha beijado umas meninas, mas nem se comparava aquele momento, foi um beijo forte com a lingua da minha mãe procurando a minha e eu correspondendo-a, apás o beijo ela procurou minha orelha com a sua boca quente e enquanto passava as mãos em minhas costas ela enfiava a lingua em minha orelha e dando umas mordidinhas me deixando mais doido ainda. Ela me pediu que eu chupasse seus seus seios, que loucura de peitinhos com biquinhos rosados comecei a mamar neles enquanto minha mãe gemia, então me lembrei das revistas que eu lia e perguntei se poderia chupar a buceta dela, ela apenas balançou a cabeça dizendo que sim e fui descendo, minha mãe depilava quase tudo e não tinha aquele cheiro forte, era gostosa e estava molhadinha, fui passando a lingua chupando e lambendo a xaninha e minha mãe dizendo como eu deveria fazer pra ficar mais gostoso, eu fiz tudo que ela pedia, chupei seu grelinho, os grandes labios e enfiava a lingua bem no fundo da xana de minha mãe que delirava de tesão e prazer pela primeira vez depois de muito tempo. Eu enfiava o dedo e voltava a chupar a bucetinha que estava uma delicia, até que ela pegou minha cabeça e me puxou para cima, fui subindo e esfregando meu corpo no dela, passando meu pau por seu corpo, vi que os biquinhos do seios estavam arrepiados. Ela me agarrou e me virou fazendo com que eu ficasse em baixo dela, dizendo pra mim que agora eu seria o segundo homem na vida dela. Ela se posicionou, pegou meu pau e encaixou em sua xana e foi descendo lentamente até que eu senti entrando, ela estava quente e melada, senti todo aquele tesão percorrendo nossos corpos. Então minha mamãe começou um delicioso vai e vem, um sobe e desce maravilhoso, mas era bem lento e falando que daquele dia em diante ela sá faria sexo se fosse comigo e que eu não faria com mais ninguém, apénas com ela. Eu disse que tendo ela não precisaria de mais ninguém, então minha mamãe acelerou os movimentos enquanto eu sentia sua xana apertar o meu pau, mamãe começou a cavalgar na minha pica e em poucos minutos ela disse que estava gozando e caiu sobre mim, mas eu não tinha gozado e dei um jeito de virar ela ficando sobre seu corpo, enfiei meu pau na buceta dela de novo e meio sem jeito comecei a meter e logo peguei o ritimo e comecei a comer minha mãe gostoso até que não resisti e gozei dentro da bucetinha dela. Naquela noite ainda transamos mais umas 3 vezes, foi muito bom e enesquecivel, vi toda a felicidade de minha mãe e eu estava adorando por que estava comendo uma mulher linda e gostosa. Levamos essa vida de casal por uns 19 anos, me desenvolvi e me tornei homem comendo minha mãe. Depois com mais idade e ja sendo um homem as mulheres davam muito em cima de mim, não tinha com resistir e minha mãe ainda era linda e chamava atenção dos homens, então passamos a ter nossos namoros e a levar uma vida de mãe e filho. Mas de vez em quando dá uma saudade, ai gente acaba tirando o atrazo, pois não é toda namorada que gosta de sexo anal e minha mãe sá faz anal comigo, mas isso eu conto outro dia.

Espero que tenham gostado desse conto, foi longo, mas não tinha como deixar de fora cada parte do começo da minha vida sexual extimulada pela minha querida. Se alguem tiver enterresse em trocar contos ou experiencias entre em contato com [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ver contos eroticos de empresários comendo o cu de.funcionárioscoleção de pôneis gozando dentro do cu e buceta de puta3amigo chupa paus amigosprofessora novinha e senha resolvi dar o c******contos - NISSO MINHA AMIGUINHA CHEGA E QUERIA TBM AI MEU TIO DEU A ELAconto erotico lesbica masculina escraviza mae e filhaContos minha sogra quis medir meu paudetalhes como fui estupradocontos eroticos arrombando a gordaContos eroticos com animaisa morena virtual itaperuna rjcomo fui estuprada contos eróticosconto ertico eu dormir e um cara pazudo rsgou o cuzinho vigen da minha esposa a força cem ela quereas novinha gostosinha dando a b******** sendo engravidado tomando vinhoPiquena mais ja assanhadinha pelos coroas contos eroticosxerequinha juvenil de perna abertaconto chantagem com a patroafilme pornô com gordinhas empadãovelha do bucetacopirulito do titio contos eroticosmandou fotos nua e recebeu chantagemhomens lanbendo o xinou da mulher na cama fotoswww contos eroticos de incestos como minha mae e minha irmacontos eroticos com escravas sendo humilhadahistoria erotica irmão dopa irmãcontos eroticos arrombando a gordameu filho me engravidou contos eroticsContos eroticos de travetis negra do pau grande e gostosos.contos eróticos esposas traduzidas na minha frenteconto erotico comendo minha sogra minha dobrinha pegou no fragaperdi os sentidos contos eróticosconto erótico transei com senhora crente e filha juntasVou contar como acustumei adar ocu para meu maridocoroa mulata conto eróticopai da minha amiguinha mostrou o paucontoseroticos encochando minha irma onobisprima gravida e primo contosvídeo de homem moreno escuro dando o cu maguinho da bundona com o nome de Pedrocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepornô doido p*** fazendo fio terracontos eróticos mamãe deu o cu eu vigozei gozou dentro dormia contoszoofilia ela casou com negao mais quando viu o tamanho do pau enorma dediu ajudaa maeconto porno tia do amigo bebadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenterelatos d neto q puxou a calcinha da vovo d lado e meteu a rolaconto eróticos comi rabo mãe doamigocontos mãe puta filha putacontos eroticos diversos safadeza e assanhamentoComendo cu de mulher dormindo conto eroticovoyeur de esposa conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico teen sendo enrabadavizinho tezudocontos de sexo com patroaPrimeiro Boquete Contos Eroticocontos eroticos feriado quitinete praiaconto de dpConto erotico acordei com um estranho me comendodupla perfeita uma chupava meu pinto e a outra chupava meu cucontos eroticos me encostou na paredetia fogozaContos no cu da tiacontos eroticos ninfetas amazonensescontos eroticos virei amante do tio do meufoto dabundona da tiacontos tomei no cu gostosocondos erodicos perdendo virgindadedepois de eu ter me mastrupado depois de um tenpo comesei a goza isso e normalcontos flagrando a mãe cavalona traindo o pai video para baixa de porno home com olho vexadoconto teens de pau duro no calcao de futebol para a primagay chupador de sete lagoasconto minha tia timoda no banho contos eroticos arrombando a gordacontos veridico uma maluquice com meu marido e um travestiComi o cu das minhas irmas. Contos com fotos