Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CASALZINHO HUMILHADO E ARROMBADO

Minhas ordens haviam sido claras. Chegaria à casa do casalzinho às 17h. Deveriam me esperar vestidos de saia e blusinha. Ambos com calcinhas de temas infantis, bem mais humilhantes. A ordem para o corno era de se depilar completamente. Ela já era toda depilada, mas falei que se achasse algum pelo, uma penugem que fosse, ela apanharia como nunca pudera imaginar. Também disse que quando o porteiro interfonasse, deveriam deixar a porta aberta e aguardar de joelhos e minha chegada.



Conheci o Márcio e a Ana pela internet. Teclamos um tempo e até nos falamos pelo fone. Eu nunca curti muito dominar homens, mas como ele não era homo e sá queria se sentir humilhado, topei. Claro que não iria comê-lo, mas poderia arrombá-lo com um consolo. Márcio tinha 33 anos, pele clara, olhos azuis e cabelos castanhos. Baixinho, 1,69 m, peso normal e um corpo com nada especial. Ana tinha 29 anos, era morena bem clara, de olhos verdes. Tinha cabelos castanhos nos ombros, uma boa sensual, seios médios e uma bunda arrebitada. Os estavam ajoelhados conforme eu ordenara.



Ana estava com uma saia que ia até a metade das coxas, preta, e uma blusa branca. Tinha lingerie vermelha, como eu havia ordenado. Márcio tinha uma saia branca, parecida e uma baby-look vermelha. Estava ridículo. Como eu não podia acredita que ele tinha se depilado todo, mandei que se agachasse e mostrasse a bunda. Realmente não vi um pelo. Mandei tirar a calcinha, abrir bem as pernas, e mostrasse o rabinho.

- Agora vou ver se é realmente submisso. Vou logo chutar a boca do balão, sem esta de ir devagar. – Assim que disse isso, desferi um chute em seu saco e pinto. Ele rolou de dor no chão.



- Levante-se – ordenei. E ele me obedeceu prontamente. – assuma a mesma posição, pois vou chutá-lo de novo.



Assim que ele abriu as pernas, dei-lhe outro chute. Naquele momento, ficou claro quem mandava ali. Então mandei a Ana tirar toda a roupa dele. Ele realmente estava depilado, completamente. Mandei-a pegar uma cordinha e amarrar o saco dele, bem forte. Ela fez isto e amarrou a outra ponta no pé da mesa conforme minhas instruções. Agora era a hora de brincar com Ana.



Fazia tempo que não dava uma boa surra em uma mulher e disse isto a Ana.



- Sou toda sua, Senhor. Faça comigo o que achar melhor. Se me surrar lhe dará prazer, estou à sua disposição.



Ana realmente era submissa. Incrível. Mandei que se deitasse por sobre o sofá, por trás, e levantasse a saia. Ela fez menção de abaixar a calcinha, mas disse que não seria necessário, pois a surra seria tão violenta que não faria diferença. Ana se assustou. Peguei a vara de árvore que tinha arrancado na rua e a mostrei a poucos centímetros de seu rosto.



- Vou bater com força em sua bunda e atrás das coxas. A dor será horrível. Vai arder, doer, sangrar. Serão dois momentos de dor. A dor da pancada dura e seca, e depois a dor ardida da ponta da vara nas laterais. Normalmente, esta ponta corta e sangra.



Ana ficou mais assustada.



- Senhor, estou com medo, mas quero servi-lo. Me bata como quiser.



Dei-lhe 50 varadas. Sua calcinha rasgou e os lados da coxa e da bunda sangraram. Mandei o corno lamber o sangue, o que ele fez rapidamente. Achei que Ana jamais passaria de 19 sem usar a safeword. Mas estava enganado. Antes de abusar mais dela, dei-lhe uma ordem.



- Pegue a calcinha do corno e enfie no rabo dele. Rápido. E não se preocupe, ela sai depois.



Ana obedeceu prontamente. Márcio nem se mexeu.



- Quer fazer a mesma coisa com ela? Claro que não. Você é um corno veado.



Olhei para Ana e mandei que ficasse nua. Completamente. Ela obedeceu e expliquei que se o corno ficasse excitado ela apanharia mais ainda, na parte da frente das coxas. Ele nem precisou tirar sua calcinha rasgada e manchada de sangue para o pau do Marcio ir lá para as nuvens.



- Ana, sente-se na mesa. Mas antes me traga aquele chicote de hipismo...



Ela chorou copiosamente. Resolvi bater em apenas uma coxa, que logo ficou um pouco roxa. Parei e passei a mão em sua xota. Molhada. Muito molhada. Mandei que mostrasse a xota para o corno e que ele a olhasse sem encostar nela. Logo, logo iria comer aquela bucetinha virgem na frente do corno, mas antes queria fazer uma brincadeira divertida.



Peguei um consolo enorme, de arregaçar mesmo. Ambos já tinham usado plugs e alguns consolos no rabo. Mas este era para testar os limites, até machucar. Mandei a Ana enfiar no rabo do corno.



- Ana, putinha, coloque no rabo dele. Você pode usar lubrificante e tem dois minutos. Se não conseguir, vou enfiar no seu rabo, em apenas 1 minuto e sem lubrificação.



Por um minuto e meio, Ana tentou colocar devagar, com calma. Mas quando viu que era o cu dela ou o dele, forçou de verdade e o consolo entrou. Marcio gemia de dor e, finalmente, de raiva.



- Corno verme, sá tem um jeito de isto sair do seu cu rapidamente: é ir para outro rabo. Alguma sugestão?



Gemendo, o Marcio apontou para a bunda de Ana, que começou a chorar. Na mesma hora, tirei o consolo do rabo de Marcio e dei-lhe os mesmos dois minutos para arrombar o rabo de Ana. Mas com uma vantagem. Se fizesse em menos de um minuto, poderia se vestir e acompanhar tudo sentado sem nenhum castigo de dor. Em 47 segundos, Ana se contorcia no chão, com o consola entalado no rabo. Na pressa, Marcio mal usou lubrificante.



Esperei alguns minutos para Ana parar de chorar. Disse que sá tiraria o consolo quando ela se recompusesse. E assim eu fiz.



- Agora vou comer você, Ana. Na xota. Parou de tomar a pílula como mandei?

- Sim, Senhor.

- Ótimo, pois quero deixá-la prenha. Deite-se na mesa de centro e arregace as pernas!



Tomei posse da xota de Ana com violência e gozei fundo, deixando meu sêmen ali.



>>>>>>>>>>>>>>>>>>



Isto foi sá o início desta aventura. Ana, na verdade, queria ficar grávida, mas Marcio era estéril, portanto esta gravidez era até bem-vinda, pois não teriam que recorrer a bancos de esperma. Todo este ocorrido foi consensual. Meu MSN é [email protected] e aceito contatar mulheres e casais submissos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos esposa gostosa de motorista de carretavesti as roupas da minha mulher por curiosidade fui flagrado pelo vizinho e virei sua putinha gayconto de sexo com vizinha gostosaconto gay tiozao deu cucontos incesto sogras gordascontos eroticos traindo marido na Sala ao ladomeu sobrinho menor conto eróticocoroa gostosa se arrumando namorada em Pouso Alegreconto esposa chefescontos eróticos na plantaçãoconto erótico nada ombinadocontos gay gozando pela primeira veztinha perder sua coroa no seu pau do negrãocontos - NISSO MINHA AMIGUINHA CHEGA E QUERIA TBM AI MEU TIO DEU A ELAcontos eróticos minha buceta pegando fogo i.piscandoarregaçando conto heterocontos minha filha gemia no quarto delacontis eroticosadoro cupar o cuzinho da minha enteadahistorias eroticas de onibus lotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentetodos gozarao na minha bucetacontos eroticos familiasem querer vi a rola do meu enteado contoscontos eróticos chupeipapai descobriu contos eroticosMimha mae me obrigava dar a peluda para o picudocontos eroticos elizandracontos eróticos comi a família da minha mulher inteiracontos eroticos de bala hallsConto erótico de laraxontos erotios menino com roupa de meninacontos minha filha novinha deitou com eu e a sua mae...e a pica comeuConto titia e madrinhaEu e minha mae no hotel ela ficou nua na minha frente eu disse mae sua buceta e linda raspadinha ela disse me fode filho conto eroticoContos erotico marido corno bebedor de porracontos eróticos abusadaaravando as pregas do cu virgem fa espozaminha sogra falou que tem dificuldade para gozarcontos eroticos arrombando a gordafudeu a priminha de olhos fechadoContos eroticos de mamaeContos eróticos minha mãe velhasIncesto com meu irmao casado eu confessocontos meu tio pauzudo fodeu minha mulher e filhaConto fudendo na frentecontos eroticos mae safadacontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travesticontos casada pegando carona no caminhaoDei minha buceta para meu genro na presença de minha filha contos femininoCasada narra conto dando o cucomo eu faço pra apreparar minha buceta pra primeira relaçao sexualconto incesto mae praiaContos eroticos guspe na bocaCONTOS EROTICOS REAIS EM VITORIA EScontos dormindo com a tiaconto erotico meu marido descobriucontos eroticos de maridos brochastracei minha irmã contoscontos de rabos sendo dilacerados2amigas fodendo muito com o primo e fixandochupando buceta com gosto como se beijase uma bocaconto meus priminhos chantagistasesposa conta para o marido que ele é corno e que seu amante vai fuder ela na frente do corno e depois vai transformar o corno no maior viado e vai leva sua outra amante pra fuder com a esposaconto de sexo com vizinha gostosaestuprada pelo padrinho contos eroticoscontos eroticos de casadas com instaladoresconto comi.uma coroacontos eróticos casada crente e o sindococontos comi a amante do meu paicontos eróticos mulher casada que mora com seus pais chegar mais a capoeiracontos sendo escrava por santagemcontos eroticos dopando pra meter mo cucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eroticos da mamae ensinando filho a namorarx vidio comtos eroticos flaguei mamãe e